Aula

2,883 views
2,678 views

Published on

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
2,883
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
22
Actions
Shares
0
Downloads
37
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Aula

  1. 1. Blocos Econômicos MERCOSUL
  2. 2. Contextualização <ul><li>Conjunto de receitas econômicas foram criadas visando acelerar o desenvolvimento da America Latina. </li></ul><ul><li>Década de1990: Abertura econômica dos países latino americanos </li></ul><ul><li>Neoliberalismo. </li></ul><ul><li>De quem era o capital em 1990? </li></ul>Fonte : Adaptado de Veja, 2002, ano 35 apud Mendonça,2009
  3. 3. O MERCOSUL Brasil: Capital Brasília,População Total 183,9 milhões (2007), moeda: Real Argentina: Capital Buenos Aires; População Total 40, 4 milhões (2007); moeda: Peso Argentino Paraguai: Capital Assunção; População Total: 5,7 milhões (2002); moeda: Guarani Uruguai: Capital Montevidéu; população total 3,39 milhões (2007); moeda; Peso uruguaio. Chile e Bolívia são países associados ao MERCOSUL, ou seja, participam do Livre comércio mas não da União Aduaneira.
  4. 4. Situação Atual <ul><li>Trata-se de uma União aduaneira (referência as aulas anteriores) </li></ul>TEC: Tarifa Externa Comum 85% das trocas comerciais livres de taxas de exportação e importação O MERCOSUL no entanto é considerado uma União aduaneira incompleta pois alguns produtos não se encaixam na TEC. O que é possível observar no gráfico?
  5. 5. Comércio Exterior Brasil e Argentina Fonte: Guia do Exportador Fonte: Guia do Exportador
  6. 6. Estrutura administrativa <ul><li>Estrutura Administrativa do MERCOSUL é Intergovernamental, ou seja, mantém atrelada as decisões do bloco à vontade política dos Estados membros. </li></ul><ul><li>Intergovernamental: Estrutura institucional dependente dos signatários. </li></ul><ul><li>Possibilita o veto de decisões. </li></ul><ul><li>As decisões resultam do consenso entre os países membros. </li></ul><ul><li>Ao contrário da União Européia cuja estrutura é considerada supranacional: poder de mando superior a dos Estados, resultando da transferência de soberania operada pelas unidades estatais em benefício da organização comunitária, permitindo-lhe a orientação e a regulação de certas matérias, sempre tendo em vista anseios integracionistas. </li></ul><ul><li>Supranacional: Estrutura institucional autônoma </li></ul><ul><li>Exemplos: Parlamento Europeu </li></ul><ul><li>Conselho da União Européia </li></ul><ul><li>Comissão Européia </li></ul>
  7. 7. O núcleo Geoeconômico do MERCOSUL Principais cidades Zonas Industriais Concentração demográfica Fonte: MAGNOLI, Demétrio, ARAUJO, Regina. Geografia, a construção do mundo, Moderna, 2005
  8. 8. Eixos projetados na America do Sul Fonte: BID e CAF, in MAGNOLI, Demetrio, ARAUJO, Regina. Geografia, a construção do mundo.Moderna, 2005 Pensando as estratégias: Eixo 1: (MERCOSUL – Chile): Quantidade e diversidade de fluxos de intercâmbio. Eixo 2: (Brasil – Bolívia – Paraguai): Motivação geopolítica de sua construção. Eixo 4: (Venezuela – Brasil – Guiana): Concentração industrial brasileira. Eixo 6: (Peru – Brasil): Além de gerar conexão sul-americana, aproxima o Brasil central da Ásia.
  9. 9. Alguns desafios do MERCOSUL <ul><li>Lista de exceções: Mercadorias que ainda sofrem algum tipo de restrição a a liberação das taxas aflandegárias ou existência de cotas pré-fixadas para alguns produtos. </li></ul><ul><li>Aumento do desemprego em função da renovação tecnológica das empresas sediadas no MERCOSUL. </li></ul><ul><li>A integração da infra-estrutura de transporte e energia. </li></ul>
  10. 10. Interprete a charge a partir dos assuntos apresentados na aula. Charge do Son. Disponível em:http://fotolog.terra.com.br/sonsalvador:101

×