Higiene e  Segurança no Trabalho   Profº: Gracio Serra
1- Ementa : <ul><li>Normas Regulamentadoras </li></ul><ul><li>Gestão de Segurança </li></ul><ul><li>Check - list do cantei...
2- Objetivos  : <ul><li>Proporcionar aos participantes conhecimentos e subsídios da Engenharia de Segurança do Trabalho, s...
3- Conteúdo Programático : <ul><li>Conhecer as normas regulamentadoras e gestão de segurança </li></ul><ul><li>Conhecer o ...
4- Metodologia   <ul><li>Aulas expositivas  </li></ul><ul><li>Exercícios práticos  </li></ul><ul><li>5- Equipamentos Utili...
6- Público Alvo: <ul><li>Engenheiros civis </li></ul><ul><li>7- Período : </li></ul><ul><li>18,19,20 e 21/10/2010 </li></u...
10- Bibliografia Básica   <ul><li>Atlas. Manuais de Legislação Atlas Segurança e Medicina do Trabalho 59º Ed.s.Paulo: ATLA...
1) Normas Regulamentadoras: <ul><li>Artigo 157 – Cabem as Empresas: </li></ul><ul><li>I – Cumprir e Fazer cumprir as norma...
<ul><li>Cabe aos empregados: </li></ul><ul><li>I – Observar as normas de Segurança e Medicina do Trabalho, inclusive as in...
<ul><li>Dimensionamento do SESMT – Empresa de Construção civil </li></ul><ul><li>Código do CNAE:  Grau de Risco: 04 </li><...
<ul><li>NR- 5 – Comissão Interna de Prevenção de Acidentes – Cipa </li></ul><ul><li>Grupo: C18a </li></ul><ul><li>Represen...
NR-7 – Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional – P.C.M.S. O. <ul><li>Exames médicos: </li></ul><ul><li>- Adimensi...
NR-9 – Programa de Prevenção de Riscos Ambientais – PPRA <ul><li>•  Documento base </li></ul><ul><li>Desenvolvimento do PP...
a) Físicos  : <ul><li>Ruído </li></ul><ul><li>Vibrações  </li></ul><ul><li>Calor </li></ul><ul><li>Frio </li></ul><ul><li>...
b)Químicos  : <ul><li>Poeiras </li></ul><ul><li>Fumos </li></ul><ul><li>Névoas  </li></ul><ul><li>Neblina </li></ul><ul><l...
c) Biológicos: <ul><li>Vírus </li></ul><ul><li>Bactérias  </li></ul><ul><li>Protozoários </li></ul><ul><li>Fungos </li></u...
d) Ergonômico: <ul><li>Esforço físico intenso </li></ul><ul><li>Levantamento e transporte manual de peso </li></ul><ul><li...
e) Acidentes: <ul><li>Arranjo físico inadequado </li></ul><ul><li>Máquinas e equipamentos sem proteção </li></ul><ul><li>F...
NR-15- Atividades e Operações Perigosas   <ul><li>São consideradas atividades ou operação insalubres as que se desenvolvem...
NR-16- Atividades e Operações perigosas <ul><li>Explosivos </li></ul><ul><li>Inflamáveis  </li></ul><ul><li>Substâncias Ra...
<ul><li>* NR-18 – Condições e Meio ambiente de Trabalho na Indústria da Construção –  </li></ul><ul><li>PCMAT - 20 ou mais...
3) PCMAT <ul><li>As Etapas para elaboração deste P.C.M.A.T: </li></ul><ul><li>3.1- PPRA – Programa de Prevenção de Riscos ...
Desenvolvimento do Programa:   <ul><li>A)  Condições Gerais: A Indústria da construção, por suas características peculiare...
Programa de Prevenção de Riscos Ambientais: <ul><li>Estrutura: </li></ul><ul><li>Planejamento: As propostas constantes do ...
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
<ul><li>CRONOGRAMA:  </li></ul><ul><li>Será estabelecido um cronograma desta obra na qual constem os riscos e outros agrav...
<ul><li>Foram levantados os riscos ambientais em método QUALITATIVO aplicando técnica de listagem de problemas e métodos Q...
PARÂMETROS PARA DEFINIR A CATEGORIA DE RISCO <ul><li>Para definições das categorias de risco a interpretação deverá consid...
<ul><li>(2)  ATENÇÃO </li></ul><ul><li>Quando um agente representa um risco moderado à saúde, nas condições usuais industr...
<ul><li>Prioridades: </li></ul><ul><li>Fazer dosimetria de ruído da fonte:Serra circular. </li></ul><ul><li>Organização e ...
<ul><li>a) Instalações   sanitárias: </li></ul><ul><li>Três conjuntos compostos de  </li></ul><ul><li>Vaso sanitário </li>...
<ul><li>c) Local de Refeição : </li></ul><ul><li>Deve possuir capacidade para garantir o atendimento de todos os  trabalha...
- Máquinas, Equipamentos e Ferramentas Diversas: <ul><li>As operações de retroescavadeira, caminhão basculante, bate-estac...
<ul><li>Proteção contra Incêndio :   </li></ul><ul><li>O sistema de proteção contra incêndio é basicamente com o emprego d...
Locais de fixação dos cartazes:
<ul><li>TREINAMENTO : </li></ul><ul><li>Todos os empregados devem receber o treinamento de Integração pelo SESMT da empres...
-  MEMORIAL SOBRE CONDIÇÃO E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO 1-FUNDAÇÃO:
- BLOCOS, VIGAS, MURETAS E LAJES:
<ul><li>PROJETO DE EXECUÇÃO DAS PROTEÇÕES COLETIVAS : </li></ul><ul><li>- BANCADAS DE SERRA: </li></ul><ul><li>Bancada de ...
<ul><li>ESPECIFICAÇÃO TÉCNICAS DAS PROTEÇÕES COLETIVAS E INDIVIDUAIS : </li></ul><ul><li>17.1- PROTEÇÃO COLETIVA: </li></u...
 
- CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO DAS MEDIDAS PREVENTIVAS E DE PROTEÇÃO. ANO 2006
<ul><li>PROGRAMAS EDUCATIVOS : </li></ul><ul><li>Todo trabalho admitido deverá receber treinamento admissional, antes de i...
<ul><li>TREINAMENTO PERIÓDICO : </li></ul><ul><li>Deverá ser dado treinamento periódico no mês de ___________ abordando os...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Aula eng civil

5,614

Published on

Published in: Technology, Business
2 Comments
1 Like
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
5,614
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
183
Comments
2
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Aula eng civil

  1. 1. Higiene e Segurança no Trabalho Profº: Gracio Serra
  2. 2. 1- Ementa : <ul><li>Normas Regulamentadoras </li></ul><ul><li>Gestão de Segurança </li></ul><ul><li>Check - list do canteiro de obras </li></ul><ul><li>Áreas de vivências </li></ul><ul><li>Memorial sobre condições e meio ambiente de trabalho </li></ul><ul><li>Projeto das proteções coletivas e individuais </li></ul><ul><li>Especificações técnicas das proteções coletivas e individuais </li></ul><ul><li>Cronograma de ação </li></ul><ul><li>Programa educativo </li></ul>
  3. 3. 2- Objetivos : <ul><li>Proporcionar aos participantes conhecimentos e subsídios da Engenharia de Segurança do Trabalho, sobre normas regulamentadoras, gestão de segurança, check-list do canteiro de obra, áreas de vivências, memorial sobre condições e meio ambiente de trabalho, projeto das proteções coletivas e individuais, especificações técnicas das proteções coletivas e individuais, cronograma de ação e programa educativo. </li></ul>
  4. 4. 3- Conteúdo Programático : <ul><li>Conhecer as normas regulamentadoras e gestão de segurança </li></ul><ul><li>Conhecer o P.C.M..A.T </li></ul>
  5. 5. 4- Metodologia <ul><li>Aulas expositivas </li></ul><ul><li>Exercícios práticos </li></ul><ul><li>5- Equipamentos Utilizados </li></ul><ul><li>Quadro branco </li></ul><ul><li>Data show </li></ul>
  6. 6. 6- Público Alvo: <ul><li>Engenheiros civis </li></ul><ul><li>7- Período : </li></ul><ul><li>18,19,20 e 21/10/2010 </li></ul><ul><li>8- Avaliação : </li></ul><ul><li>Prova escrita </li></ul><ul><li>9- Carga Horária : </li></ul><ul><li>15 horas </li></ul>
  7. 7. 10- Bibliografia Básica <ul><li>Atlas. Manuais de Legislação Atlas Segurança e Medicina do Trabalho 59º Ed.s.Paulo: ATLAS, 2006. </li></ul><ul><li>Campos, Armando Augusto. CIPA – Uma nova abordagem. S.Paulo: SENAC, 1999. </li></ul><ul><li>Sampaio, José Carlos de Arruda, PCMAT, Editora, Pini, S. Paulo 1998 </li></ul>
  8. 8. 1) Normas Regulamentadoras: <ul><li>Artigo 157 – Cabem as Empresas: </li></ul><ul><li>I – Cumprir e Fazer cumprir as normas de Segurança e Medicina do Trabalho </li></ul><ul><li>II – Instruir os empregados, através de ordens de serviços, quanto às preocupações a tomar no sentido de evitar acidentes do Trabalho ou doenças ocupacionais. </li></ul>
  9. 9. <ul><li>Cabe aos empregados: </li></ul><ul><li>I – Observar as normas de Segurança e Medicina do Trabalho, inclusive as instruções de que trata o item II do artigo anterior. </li></ul><ul><li>Parágrafo único: Constitui ato faltoso do empregado a recusa injustificada </li></ul><ul><li>b) Ao uso dos equipamentos de proteção individual fornecidos pela empresa </li></ul><ul><li>NR-4 – SESMT – Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho </li></ul>
  10. 10. <ul><li>Dimensionamento do SESMT – Empresa de Construção civil </li></ul><ul><li>Código do CNAE: Grau de Risco: 04 </li></ul>
  11. 11. <ul><li>NR- 5 – Comissão Interna de Prevenção de Acidentes – Cipa </li></ul><ul><li>Grupo: C18a </li></ul><ul><li>Representantes dos empregados = </li></ul><ul><li>Representantes de empregador = </li></ul><ul><li>Obs.: Não existe Paritaria </li></ul>
  12. 12. NR-7 – Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional – P.C.M.S. O. <ul><li>Exames médicos: </li></ul><ul><li>- Adimensional </li></ul><ul><li>- Periódico </li></ul><ul><li>- De retorno ao Trabalho </li></ul><ul><li>- De mudança de função </li></ul><ul><li>- Demissional </li></ul>
  13. 13. NR-9 – Programa de Prevenção de Riscos Ambientais – PPRA <ul><li>• Documento base </li></ul><ul><li>Desenvolvimento do PPRA </li></ul><ul><li>Reconhecimento dos Riscos – APR </li></ul>
  14. 14. a) Físicos : <ul><li>Ruído </li></ul><ul><li>Vibrações </li></ul><ul><li>Calor </li></ul><ul><li>Frio </li></ul><ul><li>Umidade </li></ul><ul><li>Radiações não-ionizantes </li></ul><ul><li>Radiações ionizantes </li></ul><ul><li>Pressões anormais </li></ul>
  15. 15. b)Químicos : <ul><li>Poeiras </li></ul><ul><li>Fumos </li></ul><ul><li>Névoas </li></ul><ul><li>Neblina </li></ul><ul><li>Gases </li></ul><ul><li>Vapores </li></ul><ul><li>Produtos Químicos em geral </li></ul>
  16. 16. c) Biológicos: <ul><li>Vírus </li></ul><ul><li>Bactérias </li></ul><ul><li>Protozoários </li></ul><ul><li>Fungos </li></ul><ul><li>Parasitas </li></ul><ul><li>Bacilos </li></ul>
  17. 17. d) Ergonômico: <ul><li>Esforço físico intenso </li></ul><ul><li>Levantamento e transporte manual de peso </li></ul><ul><li>Exigências de postura inadequadas </li></ul><ul><li>Controle rígido de produtividade </li></ul><ul><li>Imposição de ritmos excessivos </li></ul><ul><li>Trabalho em turnos e trabalho noturno </li></ul><ul><li>Jornadas de trabalho prolongadas </li></ul><ul><li>Monotonia e repetividade </li></ul><ul><li>Outras situações causadoras de estresse físico e/ou psíquico </li></ul>
  18. 18. e) Acidentes: <ul><li>Arranjo físico inadequado </li></ul><ul><li>Máquinas e equipamentos sem proteção </li></ul><ul><li>Ferramentas inadequadas ou defeituosas </li></ul><ul><li>Iluminação inadequada </li></ul><ul><li>Eletricidade </li></ul><ul><li>Probabilidade de incêndio ou explosão </li></ul><ul><li>Armazenamento inadequado </li></ul><ul><li>Animais peçonhentos </li></ul><ul><li>Outras situações de risco que poderão contribuir para ocorrência de acidentes </li></ul>
  19. 19. NR-15- Atividades e Operações Perigosas <ul><li>São consideradas atividades ou operação insalubres as que se desenvolvem: </li></ul><ul><li>• Acima dos limites de tolerância previstos nos anexos nº 1,2,3,5,11 e 12 </li></ul><ul><li>• Nas atividades mencionadas nos anexos nº 6, 13 e 14 </li></ul><ul><li>Anexo 1 – Ruído Contínuo e Intermitente </li></ul><ul><li>Anexo 2 – Ruído de Impacto </li></ul><ul><li>Anexo 3 – Exposição ao calor </li></ul><ul><li>Anexo 5 – Radiações ionizantes </li></ul><ul><li>Anexo 6 – Trabalho sob condições hiperbáricas </li></ul><ul><li>Anexo 7 – Radiação não ionizantes – microondas – ultravioletas e laser </li></ul><ul><li>Anexo 8 – Vibração </li></ul><ul><li>Anexo 9 – Frio </li></ul><ul><li>Anexo 10 – Umidade </li></ul><ul><li>Anexo 11- Agentes Químicos </li></ul><ul><li>Anexo 12 – Poeiras minerais </li></ul><ul><li>Anexo 13 – Agentes químicos – Inspeção no local de trabalho </li></ul><ul><li>Anexo 14 – Agentes biológicos </li></ul>
  20. 20. NR-16- Atividades e Operações perigosas <ul><li>Explosivos </li></ul><ul><li>Inflamáveis </li></ul><ul><li>Substâncias Radioativas- Radioterapia,medicina nuclear </li></ul><ul><li>Energia de potencial </li></ul><ul><li>NR-17- Ergonomia </li></ul><ul><li>Levantamento, transporte e descarga individual de materiais. </li></ul><ul><li>Mobiliário dos postos de trabalho </li></ul><ul><li>Equipamentos de postos de trabalho </li></ul><ul><li>Condições Ambientais de Trabalho </li></ul><ul><li>Organização do Trabalho </li></ul>TE = 20 e 23º C, Velocidade do ar não superior a 0,75% e Umidade não inferior a 40% iluminação
  21. 21. <ul><li>* NR-18 – Condições e Meio ambiente de Trabalho na Indústria da Construção – </li></ul><ul><li>PCMAT - 20 ou mais trabalhadores </li></ul><ul><li>2) CHECK - LIST </li></ul>
  22. 22. 3) PCMAT <ul><li>As Etapas para elaboração deste P.C.M.A.T: </li></ul><ul><li>3.1- PPRA – Programa de Prevenção de Riscos Ambientais. </li></ul><ul><li>3.2- Lay-out inicial do canteiro de obra, contemplando inclusive, previsão de dimensionamento das áreas de vivências. </li></ul><ul><li>3.3- Memorial sobre condições e meio ambiente do trabalho, nas atividades e operações. </li></ul><ul><li>3.4- Projeto de execução das proteções coletivas. </li></ul><ul><li>3.5- Especificações técnicas das proteções coletivas e individuais a serem utilizadas.. </li></ul><ul><li>3.6- Cronograma de implantação das medidas preventivas. </li></ul>
  23. 23. Desenvolvimento do Programa: <ul><li>A) Condições Gerais: A Indústria da construção, por suas características peculiares, possui condições ambientais de insegurança, praticamente permanente, assim, o uso do capacete e bota de proteção pelos colaboradores são necessários nos serviços da construção civil. </li></ul><ul><li>B) Metodologia: De posse das atividades e operações a serem realizadas, foram levantados os riscos de acidentes e as doenças do trabalho e definidas as medidas preventivas adequadas no memorial sobre as condições e meio ambiente do trabalho. </li></ul>
  24. 24. Programa de Prevenção de Riscos Ambientais: <ul><li>Estrutura: </li></ul><ul><li>Planejamento: As propostas constantes do PPRA estão planejadas para o período de ano a ano ou mês a mês.. </li></ul><ul><li>Metas do Programa: A meta principal do Programa está direcionada para a prevenção, controle, neutralização os riscos no ambiente de trabalho. </li></ul><ul><li>Prioridades: A prioridade principal é controle da perda de audição no uso da Serra circular e do bate-estaca representando risco iminente a esses trabalhadores desta atividade é o Dialogo de Segurança a ser realizado na segunda-feira e quinta-feira. </li></ul><ul><li>Outras Prioridades: </li></ul><ul><ul><li>Realizar a Integração dos trabalhadores pelo SESMT da Empresa, para terem acesso a obra. </li></ul></ul><ul><ul><li>Higienização das instalações sanitárias., </li></ul></ul><ul><ul><li>Isolamento dos serviços de fundação, escavações e na operação de bate-estaca. </li></ul></ul><ul><ul><li>Controle dos equipamentos de proteção individual, a vida útil de luva de raspa, luva de algodão tipo pigmentada, botas de segurança com biqueira de aço e protetor auricular tipo plug e concha. </li></ul></ul><ul><ul><li>Vacinas contra Febre Amarela, Tétano e Triviral. </li></ul></ul>
  25. 46. <ul><li>CRONOGRAMA: </li></ul><ul><li>Será estabelecido um cronograma desta obra na qual constem os riscos e outros agravantes que necessitem ser corrigidas, com os seus respectivos prazos. </li></ul><ul><li>METODOLOGIA E ESTRATÉGIA: </li></ul><ul><li>Reconhecimento dos riscos existentes na obra. </li></ul><ul><li>Avaliação qualitativa dos demais riscos função. </li></ul><ul><li>Analise preliminar de cada risco e função. </li></ul><ul><li>Avaliação quantitativa do agente do ruído. </li></ul><ul><li>Antecipação dos Riscos. </li></ul><ul><li>Sugestão de Medidas de controle. </li></ul><ul><li>Sugestão para Proteção Coletiva. </li></ul><ul><li>Medidas de Proteção Individual. </li></ul><ul><li>Acompanhamento e Avaliação da eficácia. </li></ul>
  26. 47. <ul><li>Foram levantados os riscos ambientais em método QUALITATIVO aplicando técnica de listagem de problemas e métodos QUANTITATIVOS obtendo-se amostras pessoais junto ao trabalhador desenvolvendo suas atividades de rotina. </li></ul><ul><li>Estabelecimento de metas priorizando controle para os principais riscos avaliados, seguindo-se parâmetros para definir potencial e categoria.. </li></ul><ul><li>Implantação das medidas propostas e ou procedimentos a serem adotados, obedecendo a um cronograma constante. </li></ul><ul><li>Registro e Acompanhamento do Programa </li></ul><ul><li>Divulgação através de DDS, e outros procedimentos de comunicação adotados pela Empresa. </li></ul><ul><li>* Com base na análise das APR’s e considerando a Categoria de Risco , serão propostas e priorizadas medidas preventivas e corretivas e estabelecendo metas para controle. </li></ul>
  27. 48. PARÂMETROS PARA DEFINIR A CATEGORIA DE RISCO <ul><li>Para definições das categorias de risco a interpretação deverá considerar os exemplos abaixo para facilitar a compreensão. Havendo dúvidas, selecionar a de maior risco. </li></ul><ul><li>(1) IRRELEVANTE </li></ul><ul><li>Quando o agente não representa risco potencial de dano a saúde nas condições usuais industriais, descritas em literatura, ou pode representar apenas um aspecto de desconforto e não de risco. </li></ul><ul><li>Quando as condições de trabalhos aparentes correspondem às do item anterior. </li></ul>
  28. 49. <ul><li>(2) ATENÇÃO </li></ul><ul><li>Quando um agente representa um risco moderado à saúde, nas condições usuais industriais descritas na literatura, não causando efeito agudo. </li></ul><ul><li>Quando o agente não possui LT-valor-teto, e o de LT média ponderada é consideravelmente alto (centenas de ppm). </li></ul><ul><li>Quando não houver queixas dos trabalhadores aparentemente relacionadas com o agente </li></ul><ul><li>(3) CRÍTICA </li></ul><ul><li>Quando o agente pode causar efeitos agudos, possui LT valor- teto, ou valores de LT muito baixo (alguns ppm) ou as práticas operacionais indiquem descontrole de exposição mesmo que aparente. </li></ul><ul><li>Quando não há proteção cutânea específica no manuseio de substâncias com absorção-pele. </li></ul><ul><li>Quando há queixas médicas especificas e indicadores biológicos de exposição excedidos. </li></ul><ul><li>(4) EMERGENCIAL </li></ul><ul><li>Quando envolve exposição a carcinogênicos e nas situações de risco grave e iminente.. </li></ul><ul><li>Quando o agente possui efeitos agudos, baixos LT e IDLH (concentração imediatamente perigosa à vida/ saúde) e as práticas operacionais e situações ambientais indicam aparente descontrole de exposição. </li></ul><ul><li>Quando as queixas são específicas e freqüentes, com indicadores biológicos de exposição exercidos. </li></ul><ul><li>Quando há exposição cutânea severa a substâncias com absorção-pele. </li></ul>
  29. 50. <ul><li>Prioridades: </li></ul><ul><li>Fazer dosimetria de ruído da fonte:Serra circular. </li></ul><ul><li>Organização e limpeza do canteiro de obra </li></ul><ul><li>Áreas de vivências: </li></ul><ul><li>Efetivo máximo previsto na obra </li></ul><ul><li>Canteiro da obra deva dispor </li></ul>
  30. 51. <ul><li>a) Instalações sanitárias: </li></ul><ul><li>Três conjuntos compostos de </li></ul><ul><li>Vaso sanitário </li></ul><ul><li>Mictório </li></ul><ul><li>Lavatório </li></ul><ul><li>Chuveiros </li></ul><ul><li>b) Vestiários </li></ul><ul><li>Vestiários no mínimo (1,5m2 por trabalhador), dotado de armários com fechadura ou cadeado com as seguintes dimensões: 0,30m x 0,40m x 1,20m, com separação de modo que cada um compartimento tenha em altura 0,80m, para abrigar a roupa de uso comum e outro compartimento com altura de 0,40m para guarda a roupa de trabalho ou 0,50m x 0,40m x 0,80m x com divisão no sentido vertical. </li></ul>
  31. 52. <ul><li>c) Local de Refeição : </li></ul><ul><li>Deve possuir capacidade para garantir o atendimento de todos os trabalhadores no horário das refeições. </li></ul><ul><li>Possui lavatório instalado nas suas proximidades. </li></ul><ul><li>Possuir local exclusivo para o aquecimento das refeições. </li></ul><ul><li>As mesas devem ter tampas lisas e laváveis </li></ul><ul><li>Almoxarifado: </li></ul><ul><li>Construído nas proximidades do escritório mantido limpo e arrumado e estar localizado de modo a permitir a fácil distribuição dos materiais do canteiro </li></ul>
  32. 53. - Máquinas, Equipamentos e Ferramentas Diversas: <ul><li>As operações de retroescavadeira, caminhão basculante, bate-estaca, martelete, maquita e policorte que exponham o operador em risco só poderão ser feito por trabalhador capacitado e identificado as máquinas e equipamentos e as ferramentas diversas devem ser submetidas a inspeção e manutenção de acordo com as Normas Técnicas oficiais vigentes, dispensando-se especial atenção a freios, mecanismos de direção, cabos de tração e suspensão, sistema elétrico e outros dispositivos de segurança. As inspeções de Máquinas e equipamentos devem ser registrados em documentos especifico (pelo operador Check-List), constatando as datas e as medidas corretivas adotadas e a indicação do Técnico de Segurança do trabalho que as realizam </li></ul>
  33. 54. <ul><li>Proteção contra Incêndio : </li></ul><ul><li>O sistema de proteção contra incêndio é basicamente com o emprego de extintores portáteis e treinamento dos trabalhadores. Todos os colaboradores devem ser informados sobre os procedimentos a serem adotados no caso de principio de incêndio. </li></ul><ul><li>Sinalização: </li></ul><ul><li>Toda a obra será sinalizada com aviso de advertência e estas placas de sinalização serão divididas em placas de perigo, de atenção, de segurança, educativas e de aviso ( ver em anexo). </li></ul>
  34. 55. Locais de fixação dos cartazes:
  35. 56. <ul><li>TREINAMENTO : </li></ul><ul><li>Todos os empregados devem receber o treinamento de Integração pelo SESMT da empresa o treinamento Admissional e periódico, visando a garantir a execução de suas atividades com segurança. </li></ul><ul><li>O treinamento admissional deve ter carga horária de 6 horas, a ser administrado no horário de trabalho antes de o trabalhador iniciar sua atividades. </li></ul><ul><li>Ao final do treinamento admissional, os empregados devem receber as ordens e procedimentos de serviços sobre segurança e medicina do trabalho e os EPIs necessários as suas atividades e assinarem os termos de responsabilidade o treinamento Periódico deve ser ministrado sempre que se necessário do inicio de cada fase da obra. </li></ul><ul><li>HIGIENIZAÇÃO DO CANTEIRO DE OBRA : </li></ul><ul><li>O canteiro de obra deve ser higienizado diariamente. </li></ul><ul><li>É proibido queimar lixo no canteiro de obra. </li></ul>
  36. 57. - MEMORIAL SOBRE CONDIÇÃO E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO 1-FUNDAÇÃO:
  37. 58. - BLOCOS, VIGAS, MURETAS E LAJES:
  38. 59. <ul><li>PROJETO DE EXECUÇÃO DAS PROTEÇÕES COLETIVAS : </li></ul><ul><li>- BANCADAS DE SERRA: </li></ul><ul><li>Bancada de preferência sólida e pesada em madeira. </li></ul><ul><li>Mesa em madeira com espessura de 25mm </li></ul><ul><li>Altura de 0,85 a 0,90 m </li></ul><ul><li>Manter, próximo a bancada, depósitos e especiais para coleta de serragens e restos de madeira. </li></ul><ul><li>Usar disco de serra com diâmetro 25cm a 30cm. </li></ul><ul><li>Usar proteção da serra – coifa quando estiver utilizando. </li></ul><ul><li>- ARMAÇÃO DE AÇO (BANCADA PARA CORTE, DOBRAGEM E MONTAGEM DE VERGALHÕES ): </li></ul><ul><li>Bancada apropriada e estáveis, apoiadas sobre superfícies resistentes. </li></ul><ul><li>Bancada com cobertura resistente para proteção dos colaboradores contra intempéries. </li></ul><ul><li>É obrigatória a proteção das pontas verticais de vergalhões de aço desprotegidas em material plástico. </li></ul>
  39. 60. <ul><li>ESPECIFICAÇÃO TÉCNICAS DAS PROTEÇÕES COLETIVAS E INDIVIDUAIS : </li></ul><ul><li>17.1- PROTEÇÃO COLETIVA: </li></ul><ul><li>A madeira utilizada deve ser d boa qualidade seca, sem nós, empenos e rachaduras. </li></ul><ul><li>As peças metálicas não devem estar oxidadas e nem empenadas. </li></ul><ul><li>PROTEÇÃO INDIVIDUAL: </li></ul><ul><li>Todo o EPI´s deverá apresentar, em caracteres individuais bem visíveis, o nome comercial da empresa, Fabricante ou Importados, o Nº do Certificado – CA expedido pelo Ministério do Trabalho e Emprego. </li></ul>
  40. 62. - CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO DAS MEDIDAS PREVENTIVAS E DE PROTEÇÃO. ANO 2006
  41. 63. <ul><li>PROGRAMAS EDUCATIVOS : </li></ul><ul><li>Todo trabalho admitido deverá receber treinamento admissional, antes de iniciar suas atividades no canteiro de obra, com carga horária de 6 horas Conteúdo. </li></ul><ul><li>*Uso adequado do EPI do termo de recebimento dos seus equipamentos específicos </li></ul><ul><li>Informação sobre os EPCs existentes no canteiro de obra e a maneira de preserva-los. </li></ul><ul><li>Providências a serem tomadas quando da ocorrência de acidentes de trabalho. </li></ul><ul><li>Prevenção sobre acidentes e as doenças do trabalho que possa ocorrer no canteiro. </li></ul>
  42. 64. <ul><li>TREINAMENTO PERIÓDICO : </li></ul><ul><li>Deverá ser dado treinamento periódico no mês de ___________ abordando os principais riscos e como preveni-los. </li></ul><ul><li>SINALIZAÇÃO : </li></ul><ul><li>Com a finalidade de facilitar a circulação e prevenir os acidentes no canteiro de obra, onde devem ser sinalizados. </li></ul><ul><li>Setor de ferragens. </li></ul><ul><li>No local do bate-estaca. </li></ul><ul><li>Locais de apoio que compõe a área de vivências. </li></ul><ul><li>Entrada de obra. </li></ul><ul><li>Área de descarregamento da madeira. </li></ul>
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×