Histórico protocolo de kyoto
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Histórico protocolo de kyoto

on

  • 3,085 views

Histórico protocolo de kyoto

Histórico protocolo de kyoto

Statistics

Views

Total Views
3,085
Views on SlideShare
3,085
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
51
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Histórico protocolo de kyoto Histórico protocolo de kyoto Presentation Transcript

    • AS QUESTÕES AMBIENTAIS (BREVE HISTÓRICO)
    • 1972: CONFERÊNCIA DE ESTOCOLMO: Pela primeira vez, foram discutidos problemas políticos, sociais e econômicos do meio ambiente global em uma instância intergovernamental. Firmou-se um entendimento sobre as relações entre o ambiente e o desenvolvimento, surgindo nesse momento o conceito de um novo tipo de desenvolvimento: o ecodesenvolvimento .
    • 1987: RELATÓRIO BRUNDTLAND: O conceito de ecodesenvolvimento foi aos poucos sendo substituído pelo conceito de desenvolvimento sustentável .
    • 1992: CONFERÊNCIA DA NAÇÕES UNIDAS SOBRE O MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO-CNUMAD) – ECO 92.
      • 1. Reflexão sobre a relação entre a questão ambiental X desenvolvimento.
      • 2. Debates giraram em torno de estratégias de ações que pudessem ser adotadas pelos países periféricos na direção de um desenvolvimento sustentável, bem como das convenções sobre mudança climática e diversidade biológica.
    • 3. As estratégias e ações acordadas pelos participantes foram consolidadas no documento oficial da conferência, a Agenda 21
    • AGENDA 21
    • Fica resgatado, assim, o termo "agenda" no sentido de intenções, desígnio, desejo de mudança para um modelo de civilização em que predominasse o equilíbrio ambiental e a justiça entre as nações. Tudo isso através da prática do desenvolvimento sustentável.
    • 1997: foi realizado, também no Rio de Janeiro, o evento Rio + 5, no qual foram discutidas as ações adotadas e as propostas tiradas na Eco-92 ainda não implantadas.
    • 2002: a ONU realizou a “Cúpula Mundial sobre Desenvolvimento Sustentável”, quando se reuniram em Johannesburgo, na África do Sul, representantes de diferentes países, buscando avançar nas discussões iniciadas há dez anos e traçar as diretrizes do desenvolvimento sustentável (Cúpula da Terra ou Rio + 10).  Dessa forma podemos apontar o protocolo de kyoto como uma proposta para se amenizar os problemas do meio ambiente.
    • PAÍSES DO ANEXO I
    • São eles: Alemanha, Austrália, Áustria, Bélgica, Belarus, Bulgária, Canadá, Comunidade Européia, Croácia, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, EUA, Estônia, Federação Russa, Finlândia, França, Grécia, Hungria, Irlanda, Islândia, Itália, Japão, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Mônaco, Noruega, Nova Zelândia, Países Baixos, Polônia, Portugal, Reino Unido da Grã Bretanha e Irlanda do Norte, República Theca, Romênia, Suécia, Suíça, Turquia e Ucrânia.
    • PROPOSTAS DO PROTOCOLO DE KYOTO PARA A REDUÇÃO DA EMISSÃO DE GASES ESTUFAS.
    • Proteção e melhora dos depósitos de gases, tendo em conta, os acordos internacionais  pertinentes ao Meio Ambiente;
    • A promoção de práticas sustentáveis de florestamento e reflorestamento;  
    • Pesquisa, promoção, desenvolvimento e o aumento do uso de formas novas e renováveis de energia, de tecnologias de seqüestro de dióxido de carbono e         de tecnologias ambientalmente seguras, que  sejam avançadas e inovadoras;
    • Promoção de formas sustentáveis de agricultura à luz das considerações sobre a mudança do clima;
    • Medidas para limitar e/ou reduzir as emissões de gases de efeito estufa no         setor de transportes;
    • Redução progressiva ou eliminação gradual das deficiências de mercado,  incentivos fiscais, isenções   tributárias e subvenções que seja contrários ao objetivo da convenção em todos os setores emissores de gases;
    • CONCLUSÃO
    • Enfim, com a adesão da Rússia, ocorrida em 2004, entrou em vigor em fevereiro de 2005 o Protocolo de Kyoto. Fruto da terceira Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas – firmado em 1997 no Japão – esse importante documento constitui fundada esperança para estabilização das emissões atmosféricas de gases causadores do efeito-estufa. O apoio da Rússia foi fundamental, já que os Estados Unidos, poluidores por excelência, se retiraram das negociações em março de 2001, com anúncio oficial da Agência de Proteção Ambiental ( EPA – Environmental Protection Agency) , alegando não haver disposição para afrontar os custos políticos e econômicos necessários para reduzir as emissões.
    • Para atingir os objetivos de contenção de emissões atmosféricas, o Protocolo prevê que os Estados industrializados devem, num primeiro período de empenho - 2008/2012 - reduzir as emissões dos gases do efeito estufa ou greenhouse gases ( GHG ) em 5,2%, comparativamente aos níveis de 1990, data estabelecida como de referência. Nesse primeiro período, os países não-industrializados têm o dever de apresentar apenas inventário de emissões dos mencionados gases, aspecto que tem gerado sérias discussões, pois  China e Brasil são grandes emissores de gases estufa, sabendo-se que, em conjunto, estes dois países e a Índia - que representam 40% da população mundial - alcançam 18% das emissões de CO2 .
  •  
  •  
  •