Efeito estuf e camada de ozônio
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Efeito estuf e camada de ozônio

on

  • 4,464 views

Efeito estuf e camada de ozônio

Efeito estuf e camada de ozônio

Statistics

Views

Total Views
4,464
Views on SlideShare
4,464
Embed Views
0

Actions

Likes
2
Downloads
110
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Efeito estuf e camada de ozônio Presentation Transcript

  • 1. POLUIÇÃO AR DO
  • 2. MONÓXIDO DE CARBONO (CO)
    • FONTES
    • Tráfego (veículos)
    • Indústrias
    • Vegetação
  • 3. EFEITO ESTUFA E BURACO NA CAMADA DE OZÔNIO
  • 4. EFEITO ESTUFA Mocinho ou vilão?
  • 5. ENTENDENDO O EFEITO ESTUFA
  • 6. Efeito Estufa natural (“mocinho”) : grande parte se deve a presença de água na atmosfera (em forma de vapor e partículas de água) Em conseqüência da poluição (“vilão”) : Se deve principalmente pelo dióxido de carbono (CO 2 ), metano (CH 4 ), óxido nitroso (N 2 O), clorofluorcarbonetos (CFCs) e outros. A TERRA: UMA GRANDE ESTUFA
  • 7. O SUPERAQUECIMENTO GLOBAL E SUAS CONSEQÜÊNCIAS O aumento no teor atmosférico dos gases-estufa leva a um maior bloqueio da radiação infravermelha, causando uma exacerbação do efeito estufa.
    • Elevação do nível dos mares
    • Alterações climáticas em todo o planeta
    • Modificações profundas na vegetação característica de certas regiões e típicas de determinadas altitudes
    • Aumento na incidência de doenças e proliferação de insetos nocivos ou vetores de doenças
  • 8. O PROTOCOLO DE KYOTO (1997)
    • Acordo internacional, assinado por 84 países, em 1997, em Kyoto no Japão, que estabelece, entre 2008 e 2012, a redução de 5,2% dos gases-estufa, em relação aos níveis em 1990 .
    Para a China e os países em desenvolvimento, como Brasil, Índia e México, ainda não foram estabelecidos níveis de redução Balão com os dizeres “Bush & Co. = desastre ambiental” na Patagônia (Argentina) em protesto contra os E.U.A
  • 9. BURACO NA CAMADA DE OZÔNIO ESTAMOS PERDENDO A PROTEÇÃO ?
  • 10. COMO SE FORMA O BURACO NA CAMADA DE OZÔNIO? Os CFCs sobem lentamente para camadas superiores à camada de ozônio. Os raios ultravioletas decompõe os CFCs, liberando átomos de Cloro (Cl). O cloro como é mais denso, desce, voltando para a camada de ozônio, destruindo-o.
  • 11. ACOMPANHE A EVOLUÇÃO DO BURACO NA CAMADA DE OZÔNIO (1980-1991)
  • 12. SITUAÇÃO ATUAL DA CAMADA DE OZÔNIO Em setembro de 2000, com 29,78 milhões de Km 2 Em setembro de 2003, com 28,2 milhões de Km 2
  • 13. OS EFEITOS DA DIMINUIÇÃO DA CAMADA DE OZÔNIO ATINGEM O HEMISFÉRIO SUL
    • Em Queensland, no nordeste da Austrália, mais de 75% dos cidadãos acima de 65 anos apresentam alguma forma de câncer de pele; a lei local obriga as crianças a usarem grandes chapéus e cachecóis quando vão à escola, para se protegerem das radiações ultravioletas.
    • aumento nos casos de câncer de pele e catarata em regiões do hemisfério sul, como a Austrália , Nova Zelândia , África do Sul e Patagônia .
  • 14.
    • A Academia de Ciências dos Estados Unidos calcula que apenas na Austrália, estejam surgindo anualmente 10 mil casos de carcinoma de pele por causa da redução da camada de ozônio.
    • O Ministério da Saúde do Chile informou que desde o aparecimento do buraco na camada de ozônio sobre o pólo Sul, os casos de câncer de pele no Chile cresceram 133%; atualmente o governo faz campanhas para a população utilizar cremes protetores para a pele e não ficar exposta ao sol durante as horas mais críticas do dia.
  • 15. ACÕES PREVENTIVAS REDUZEM A CONCENTRAÇÃO DE POLUENTES
  • 16. CONTROLE DE EMISSÃO DE POLUENTES POR VEÍCULOS AUTOMOTORES
    • Uso de combustíveis menos poluidores, o gás natural por exemplo
    • Instalação de catalisadores
    • Operação e manutenção adequadas do veículo, visando o bom funcionamento do mesmo
    • Rodízio de carros
  • 17. CONTROLE DE EMISSÃO DE POLUENTES PELAS INDÚSTRIAS
    • Altura adequada das chaminés de indústrias, em função das condições de dispersão dos poluentes
    • Uso de matérias primas e combustíveis que resultem em resíduos gasosos menos poluidores
    • Melhoria da combustão: quanto mais completa a combustão, menor a emissão de poluentes
    • Instalação de filtros nas chaminés
    • Tratamento de resíduos químicos
  • 18. O QUE PODEMOS FAZER PARA CONTRIBUIR COM A DIMINUIÇÃO DE POLUENTES?
    • Evitar queimar compostos orgânicos ou lixo de um modo geral
    • Plantar mais árvores
    • Reduzir o lixo
    • Fazer vistorias constantes em seus veículos e se empresário, em suas indústrias.
    • Prefira organizar um sistema de caronas, diminuindo o volume de carros nas ruas