Your SlideShare is downloading. ×
Duendes
Duendes
Duendes
Duendes
Duendes
Duendes
Duendes
Duendes
Duendes
Duendes
Duendes
Duendes
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Duendes

381

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
381
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
5
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. O PATINHO QUE NÃO COMIA LEGUMES
    Era uma vez uma família de patinhos que morava numa bonita casinha na floresta.
  • 2. Por trás da casa, o senhor Pato fez uma pequena horta. Lá, ele plantou cenouras, nabos, repolhos e muitos outros legumes.
    Todos os dias, logo de manhã, mal o sol nascia, lá ia o Sr. Pato para a horta. Cantava, semeava e falava com os seus legumes.
  • 3. À hora do almoço, o Sr. Pato enchia a sua cesta de palha de legumes bem fresquinhos e levava-os para casa.
    A Sra. Pata, que cozinhava muito bem, fazia sempre uns pratos muito apetitosos com os seus legumes.
    Vejam lá que até fazia bolo de cenoura para a sobremesa!
  • 4. A Sra. Pata e o Sr. Pato tinham um filho chamado Artur. O Artur inventava uma desculpa sempre que a mãe cozinhava legumes.
    Mãe, hoje não posso comer! Tenho muitos deveres para fazer!
    Mãe, hoje não posso comer! Estou doente, vou para a cama!
  • 5. Ora, num belo dia de Verão, o Sr. Pato ficou muito doente e teve que ir para a cama. Como estava muito calor, os legumes da horta foram ficando cada vez com mais sede.
  • 6. A Sra. Pata quando viu os seus belos legumes a morrerem, mandou o Artur regá-los.
    Muito contrariado lá foi ele. Pegou no regador, foi buscar água bem fresquinha ao poço e começou a regá-los.
    Mas como não gostava de legumes, ao mesmo tempo que regava, dava-lhes pontapés!
  • 7. De repente, o Artur parou de regar, porque parecia ouvir uns gemidos:
    - Ai, ai, ai…
    Não, não é nada!
    Eu estou a ouvir de mais!
  • 8. E lá continuou nos seus afazeres. Mas tornou a parar e dessa vez com os ouvidos mais alerta. Parecia que os gemidos vinham de dentro dos legumes.
    Baixou-se junto de uma cenoura, de uma alface e de um nabo e os gemidos foram mais fortes. Então, ele desatou a correr para casa e foi buscar uma lupa.
    Mas que estranho!
  • 9. Nós somos os duendes dos legumes!
    Quem são vocês?
    Aproximou a lupa junto de uma cenoura e viu uns homenzinhos muito, muito pequeninos lá dentro.
  • 10. Pois eu cá sou o Ferro. Eu consigo pôr os meninos cheios de energia para brincar. Se não me comerem, ficam muito fraquinhos, cansados, sem poderem brincar!
    Eu chamo-me Vitamina C e ajudo os meninos a não terem gripes ou constipações ou a manterem bons os seus olhinhos.
    E eu chamo-me Caroteno e também ajudo a não terem problemas nos olhos (a não ficarem vermelhos e a arder ou mesmo a verem bem quando vão na rua à noite.
    Ei, não se esqueçam de mim! Eu sou o Cálcio! Quando os meninos me comem, ficam com bons dentes e ossos!
  • 11. E tu Artur, não comes legumes… Em breve vai chegar o Inverno e vais ficar com gripe, os teus ossos vão ficar muito fracos e até as tuas penas podem cair! Para que isso não aconteça, nós, duendes, moramos dentro dos legumes.
    Lembra-te que te queremos ajudar! Não nos trates mal e quando a tua mãe fizer legumes, não te escondas.
    Nós trabalhamos para a tua saúde!
    O Artur levantou-se, apanhou cenouras e alface, correu para casa e pediu à mãe para fazer um bolo de cenoura e uma salada de alface para comer com o assado!
    A partir daí, sempre que a mãe cozinhava legumes, o Artur pensava nos duendes e era o primeiro a chegar à mesa!
  • 12. FIM
    Ah, é verdade!
    O Inverno chegou, mas o Artur não ficou doente!

×