Riscos e catstrofes naturais

2,361 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
2,361
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
16
Actions
Shares
0
Downloads
73
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Riscos e catstrofes naturais

  1. 1. Riscos e catástrofes naturais<br /> Os sismos<br />Anita Gomes nº1<br />Cláudia Bastos nº7<br />Mariana Castro nº14<br />Sara Santos nº19<br />1<br />
  2. 2. Índice<br />Introdução…………………………………………………….3<br /> Desenvolvimento………………………………………….4 à 15<br /><ul><li>O que é um sismo?............................................4
  3. 3. Quais as causas dos sismos?..............................5,6,7
  4. 4. Como se detectam os sismos?............................8
  5. 5. Como se medem os sismos? – magnitude……….9
  6. 6. Como se medem os sismos? – intensidade………10
  7. 7. Cartas de isossistas…………………………………………11
  8. 8. Quais as consequências dos sismos?..................12
  9. 9. Se ocorrer um sismo?..........................................13
  10. 10. Sismo Chileno 2010…………………………………………14,15,16,17</li></ul>Conclusão………………………………………………….18<br />Bibliografia…………………………………………………19<br />2<br />
  11. 11. Introdução<br />Este trabalho aborda o tema dos riscos e catástrofes naturais, mais especificamente os sismos, assunto que foi escolhido por nós devido à importância destes e às consequências que os mesmos poderão trazer para a sociedade.<br />3<br />
  12. 12. O que é um sismo?<br />Um sismo é uma vibração brusca da superfície terrestre. É o resultado de movimentos das placas tectónicas ou da actividade vulcânica. <br />O local onde é gerado denomina-se foco sísmico ou hipocentro. O epicentro fica em linha recta na superfície terrestre, sendo o local onde o sismo é sentido com maior intensidade sob a forma de ondas sísmicas.<br />4<br />
  13. 13. Quais as causas dos sismos?<br />De acordo com as suas origem, os sismos podem classificar-se em:<br />Sismos<br />Artificiais<br />Naturais<br />Tectónicas<br />Vulcânicas<br />Afundamento<br />Explosões<br />Deslocamento de veículos<br />Queda de edifícios<br />5<br />
  14. 14. Artificiais: quando provocados pelo Homem através do deslocamento de veículos ou da queda de edifícios.<br />Naturais:<br /><ul><li>Afundamentos – abatimento de uma cavidade (sismo de afundamento);
  15. 15. Vulcânicos – deslocamento do magma (sismo vulcânico);
  16. 16. Tectónicos – Formação de uma falha(sismo tectónico).</li></ul>Falha: Fractura que divide uma rocha em 2 blocos que se movimentam um relativamente ao outro.<br />6<br />
  17. 17. <ul><li>Um sismo pode ocorrer no momento em que a rocha fractura ou depois de fracturada quando os blocos se deslocam.
  18. 18. A maior parte dos sismos ocorrem nas fronteiras entre placas tectónicas, ou em falhas entre dois blocos rochosos.</li></ul>7<br />
  19. 19. Como se detectam os sismos?<br />Todos os dias ocorrem sismos mas não os sentimos (sismos imperceptíveis), mas como sabemos da sua ocorrência ?<br />Sismógrafo: Aparelho que regista os movimentos da superfície terrestre no local onde se encontra.<br />Sismograma: Registo escrito das ondas sísmicas (vibrações do solo) produzido pelo sismógrafo.<br />8<br />Sismograma<br />
  20. 20. Como se medem os sismos? - magnitude<br />Magnitude é a medida que indica a quantidade de energia libertada no foco de um sismo e que é obtida a partir de cálculos baseados nos sismogramas.<br />É possível classificar um sismo quanto à sua magnitude na Escala de Richter. <br />9<br />
  21. 21. Como se medem os sismos? - intensidade<br />A intensidade de um sismo é baseada nos efeitos que este provoca na superfície terrestre e nos testemunhos das populações.<br />A intensidade é menos rigorosa que a magnitude pois é fundamentada nos estragos provocados nas populações.<br />É possível classificar um sismo quanto à sua intensidade na Escala de Mercalli.<br />10<br />
  22. 22. Cartas de isossistas<br />Com base na Intensidade Sísmica determinada pela Escala de<br />Mercalli, constroem-se mapas, também chamados cartas de isossistas.<br />11<br />ISOSSISTAS – São linhas curvas e fechadas que unem pontos com a<br />mesma Intensidade Sísmica.<br />De isossista para isossista, a intensidade varia um grau, aumentando<br />da periferia para o centro.<br />O Centro da carta de Isossistas corresponde ao Epicentro do sismo,<br />logo corresponde ao ponto onde a intensidade sísmica atingiu o seu valor<br />máximo. Chama-se por isso zona epicentral.<br />À medida que nos afastamos do centro a intensidade vai diminuindo.<br />
  23. 23. Quais as consequências dos sismos?<br />Incêndios;<br />Destruição das vias de comunicação e das construções;<br />Deslizamento de terras, arrasando construções;<br />Inundações ;<br />Tsunamis.<br />12<br />
  24. 24. 13<br />
  25. 25. Sismo Chileno – Filme <br />14<br />
  26. 26. Sismo Chileno <br /><ul><li>Este sismo ocorreu no dia 27 de Fevereiro de 2010, ao longo da costa da região de Maule, no Chile (América do Sul). Decorreu às 3h34min da manhã, tendo duração de 3 minutos.
  27. 27. O sismo teve o seu epicentro no mar, perto da mesma região. </li></ul>15<br />
  28. 28. <ul><li>Ocorreu ao longo da fronteira entre a Placa de Nazca e a Placa Sul-Americana, tendo sido causado por um movimento de subducção (limite divergente).
  29. 29. O Chile está situado no Anel de Fogo do Pacífico, um local de intensa actividade sísmica.</li></ul>16<br />
  30. 30. <ul><li>O sismo atingiu uma magnitude de 8,8 na escala de Richter teve uma intensidade de VII (Muito Forte) na escala de Mercalli.
  31. 31. Este causou imensos danos, tais como:</li></ul>Edifícios desmoronados;<br />Corte de energia em diversas partes da cidade;<br />Incêndios;<br />Mortes;…<br />17<br />
  32. 32. Conclusão<br />Um sismo é um fenómeno natural que acontece por diversas situações. Cada sismo, é um sismo, ou seja, cada um como a sua intensidade, destruição e localização. A maior parte dos sismos ocorrem nas fronteiras entre placas tectónicas, ou em falhas entre dois blocos rochosos. O comprimento de uma falha pode variar de alguns centímetros até milhares de quilómetros.<br />18<br />
  33. 33. Bibliografia<br />http://domingos.home.sapo.pt/sismos_1.html<br />http://www.portalseguranca.gov.pt/index.php?option=com_content&view=article&id=173:sismo&catid=110&Itemid=75<br />http://www.portalseguranca.gov.pt/index.php?option=com_content&view=article&id=173:sismo&catid=110&Itemid=75<br />http://www.alunosonline.com.br/geografia/placas-tectonicas/<br />19<br />

×