Política de Atenção Integral à saúde da criança

  • 828 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
828
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
31
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. POLÍTICA DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DA CRIANÇA Docente: Cíntia Carolina Discentes: Camile Marques Josemare Tosta Sanmira Carvalho Tayana Valério Vanessa Nascimento
  • 2. Promoção, Proteção e Apoio ao Aleitamento Materno • Histórico da Situação de saúde 1976 – Criação do II Programa Nacional de Alimentação e Nutrição 1979 – Marco do nascimento e institucionalização da política nacional de Aleitamento Materno, discussões em todo o Brasil. 1981 – Constituído o Grupo Técnico Executivo Nacional ao Aleitamento Materno (GTENIAM), sob a coordenação do Instituto Nacional de Alimentação e Nutrição (INAN) – estabelece a Política Nacional de Aleitamento Materno, lançada com o nome de Programa Nacional de Incentivo ao Aleitamento Materno.
  • 3. Promoção, Proteção e Apoio ao Aleitamento Materno 1988 – Norma Brasileira de Comercialização de Alimentos para Lactentes 1992 – Criação da Estratégia IHAC 1992 – Começa-se a comemorar a Semana Mundial de Amamentação 1998 – 1° Congresso Brasileiro de BLH, em Brasília 2000 – Método Canguru 2003 - Instituiu-se o Dia Nacional de Doação de Leite Humano
  • 4. Promoção, Proteção e Apoio ao Aleitamento Materno 2006 – A partir da norma foi criada a Lei 11.625, que regulamenta a promoção comercial e dá orientações do uso apropriado de alimentos para crianças de até 3 anos 2008 – O incentivo ao aleitamento materno na Atenção Básica é feito por intermédio da Rede Amamenta Brasil 2008 – A licença maternidade, que era de quatro meses, foi ampliada para seis meses 2009 - Publicada portaria governamental regulamentando a estrutura física e o material necessário para a criação da Sala de Apoio à amamentação nas empresas. 1999 e 2008 – Ocorreram os inquéritos nacionais para monitoramento das ações e práticas de amamentação no país Outras pesquisas de âmbito nacional também investigam as práticas de aleitamento materno como a Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde, realizada a cada 10 anos.
  • 5. Promoção, Proteção e Apoio ao Aleitamento Materno • Público Alvo - Crianças, gestantes e nutrizes.
  • 6. Promoção, Proteção e Apoio ao Aleitamento Materno • Diretrizes/Normatização Dez passos para o sucesso da amamentação, segundo recomendações da OMS/UNICEF: 1- Ter uma norma escrita sobre aleitamento materno, a qual deve ser rotineiramente transmitida a toda a equipa de cuidados de saúde. 2- Treinar toda a equipa de cuidados de saúde, capacitando-a para implementar esta norma. 3- Informar todas as grávidas atendidas sobre as vantagens e a pratica da amamentação. 4- Ajudar as mães a iniciar a amamentação na primeira meia hora após o parto. 5- Mostrar às mães como amamentar e como manter a lactação, mesmo que tenham de ser separadas de seus filhos.
  • 7. Promoção, Proteção e Apoio ao Aleitamento Materno 6- Não dar ao recém-nascido nenhum outro alimento ou bebida além do leite materno, a não ser que seja por indicação médica. 7- Praticar o alojamento conjunto - permitir que mães e os bebés permaneçam juntos 24 horas por dia. 8- Encorajar a amamentação sob livre demanda (sempre que o bebé quiser). 9- Não dar bicos artificiais (tetinas) ou chupetas a crianças amamentadas. 10- Encorajar a criação de grupos de apoio à amamentação, para onde as mães devem ser encaminhadas por ocasião da alta hospitalar.
  • 8. Promoção, Proteção e Apoio ao Aleitamento Materno • Objetivo Garantir a saúde e melhorar a qualidade de vida das crianças brasileiras e contribuir para o cumprimento das metas para o desenvolvimento do Milênio, em especial a meta 4 – reduzir em 2/3 a mortalidade em crianças menores de cinco anos entre 1990 e 2015.
  • 9. Promoção, Proteção e Apoio ao Aleitamento Materno Agravos à Saúde 1 – Combate ao Raquitismo 2 – Maior carga de Anticorpos 3 – Fortalecimento da arcada dentária e prevenção de doenças como cárie. 4 – Combate aos índices de mortalidade infantil.
  • 10. Pacto pela Redução da Mortalidade Infantil Nordeste-Amazônia Legal • Histórico da Situação de Saúde − A taxa de mortalidade infantil (menores de um ano de idade) no Brasil mantém tendência contínua de queda desde 1990. - Entre 2000 e 2007, 443.946 crianças menores de um ano de idade morreram no Brasil. (Quase 50% Apenas da região Nordeste e Amazônia Legal) - Passou de 47,1 óbitos para cada mil bebês nascidos vivos para 19,3 mortes, em 2007 - Atualmente, o Brasil está entre os 16 (em um grupo de 68 países) em condições de atingir a quarta meta dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio e chegar à taxa de 14,4 mortes por mil nascidos vivos, em 2012.
  • 11. Pacto pela Redução da Mortalidade Infantil Nordeste-Amazônia Legal • Público Alvo - Crianças menores de 1 ano de idade da Região Nordeste e da Amazônia Legal.
  • 12. Pacto pela Redução da Mortalidade Infantil Nordeste-Amazônia Legal • Diretrizes/Normatização -Ampliação em 10% do número de equipes de Saúde da Família e qualificação dos profissionais para identificação e acompanhamento das gestantes e recém-nascidos de risco; - Ampliação de leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) e Unidade de Cuidados Intermediários (UCI); - Ampliação da Rede de Bancos de Leite Humano; - Qualificação para urgências e emergências obstétricas e neonatais nos estabelecimentos de saúde e no SAMU; - Garantia de insumos com comprovada eficácia que podem contribuir para a redução da morte materna e neonatal: sulfato de magnésio, surfactante pulmonar e corticóide;
  • 13. Pacto pela Redução da Mortalidade Infantil Nordeste-Amazônia Legal - Garantia de transporte seguro do recém-nascido para centros de referência; - Adesão das maternidades à iniciativa Hospital Amigo da Criança; - Realização de cursos de especialização, aperfeiçoamento e atualização para profissionais das equipes de saúde da família, atenção ao parto e ao recém-nascido e equipes do SAMU; - Qualificação dos profissionais de saúde para a adoção do Método Canguru nas maternidades; - Melhoria da qualidade e cobertura dos sistemas de informação de mortalidade e nascidos vivos; - Vigilância dos óbitos infantis e monitorar a ocorrência dos óbitos periodicamente.
  • 14. Pacto pela Redução da Mortalidade Infantil Nordeste-Amazônia Legal • Objetivo Garantir a todos os brasileiros qualidade de vida desde os seus primórdios, estimulando suas competências e habilidades físicas, emocionais, cognitivas e sociais.
  • 15. Pacto pela Redução da Mortalidade Infantil Nordeste-Amazônia Legal • Agravos à Saúde - Redução do Analfabetismo Redução da Mortalidade Infantil Erradicação do Sub-registro civil Fortalecimento da Agricultura Familiar
  • 16. Pacto pela Redução da Mortalidade Infantil Nordeste-Amazônia Legal 1 - Redução da Mortalidade Infantil • Meta Redução da mortalidade infantil em no mínimo 5% a.a., com foco na mortalidade neonatal (0 a 27 dias). • Principais desafios: Pactuar ações e recursos prioritários na atenção ao parto e à criança nos 207 municípios responsáveis por 50% dos óbitos infantis.
  • 17. Pacto pela Redução da Mortalidade Infantil Nordeste-Amazônia Legal 2 - Compromissos para Governo Federal: - Priorizar os recursos orçamentários e apoiar as ações para estes 207 municípios ; - Garantir equipamentos e insumos para a qualificação da assistência ao parto e nascimento.
  • 18. Pacto pela Redução da Mortalidade Infantil Nordeste-Amazônia Legal 3 - Compromissos para estados: - Ampliar e qualificar as equipes neo-natais, bancos de leite e leitos de UTI e UCI; - Instalar comitês estaduais e hospitalares de mortalidade materna e neonatal; - Ampliar a cobertura e qualificar a Estratégia de Saúde da Família (ESF);
  • 19. Referências http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/artigo_franca_novo.pdf http://www.ebah.com.br/content/ABAAABOJwAL/historico-aleitamentomaterno http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/pacto_reducao_mortalidad e_infantil.pdf http://medsv1.einstein.br/diretrizes/pediatria/Alimentacao-no-Lactente2.pdf http://portal.saude.gov.br/portal/saude/visualizar_texto.cfm?idtxt=37381 http://www.saude.pi.gov.br/pactuacao2013/pacto2013/instrutivo-pacto2013.pdf http://www.leitematerno.org/oms.htm