Atividades para período diagnóstico inglês

  • 10,194 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
10,194
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
144
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. PREFEITURA MUNICIPAL DE AÇAILÂNDIA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO DE ENSINO E APOIO PEDAGÓGICO ARTICULADORA: ELINE NASCIMENTODIAGNÓSTICO DE LÍNGUA INGLESA MODERNA 6º ao 9º ano regular e 5ª a 8ª EJA AÇAILÂNDIA 2012
  • 2. Avaliação Diagnóstica, Formativa e Somativa por Roseli BritoO ano letivo começou, e então você já deve estar pensando, ―começa tudo de novo, e terei osmesmos problemas que tive no ano anterior‖. Bem, se essa é a sua atual visão das coisas, querolembrar que a definição de loucura é ―fazer tudo do mesmo jeito e esperar que o resultado saiadiferente‖. Assim sendo, se você fizer exatamente o que fez no ano passado, certamente colherá osmesmos resultados ao longo deste novo ano.Ocorreram problemas de indisciplina ? Baixo aprendizado ? Se a resposta foi SIM para uma dasperguntas ou para ambas então você precisa repensar a sua prática atual ! E a melhor maneira defazer isso é perguntar-se: ― como os meus alunos estão chegando ? quem são eles? O que eles jásabem? O que precisam aprender ? como eles poderão aprender melhor ? ―.Lembre-se que o Planejamento não é sobre você ou suas necessidades. Quem dita o quê e ocomo, são os alunos. São as necessidades DELES que precisam ser atendidas. Para isso é precisoinvestigar e encontrar as respostas para as perguntas que foram feitas anteriormente.A ferramenta que você usará para responder à essas perguntas é realizando a AvaliaçãoDiagnóstica. Não importa a matéria que você leciona, ou o grau de ensino. Quer seja no Infantil,Fundamental, Médio, Técnico ou EJA, a Avaliação Diagnóstica presta-se ao mesmo objetivo:diagnosticar, verificar e levantar os pontos fracos e fortes do aluno em determinada área deconhecimento.É importante frisar que, infelizmente, muitos Professores utilizam apenas prova escrita para arealização desta avaliação. Quando na verdade existem mil e uma maneiras de realizar estelevantamento de forma que os resultados sejam mais verdadeiros que aqueles levantados em umamera prova escrita.Esta avaliação não se restringe apenas ao início do ano letivo, porém deve ser usada ao longo doprocesso de aprendizado, para isso lance mão de dinâmicas, jogos, debates, desafios,apresentações, vídeos, produções musicais, construção de maquetes, resolução de problemas,brincadeiras, criação de blogs, fórum, etc.Quando utilizada no início do ano letivo a avaliação diagnóstica fornece dados para que oplanejamento seja ajustado e contemple intervenções para retomada de conteúdos, ou realização deencaminhamentos para reforço escolar, e até mesmo para Especialistas (Psicólogo, Fonoaudiólogo,Psicopedagogo), e quando feita ao longo do ano possibilita que tanto o aluno quanto o Professorpossam refletir sobre a utilização de novas estratégias de aprendizado.Jamais os dados da avaliação devem ser usados para classificar ou rotular o aluno em ―alunobom‖ ou ― aluno ruim‖. O Professor deve ter em mente que a avaliação oferece um momento deaprendizado para ambos, professor e aluno. Enquanto Professor é possível verificar quais estratégiasestão ou não funcionando, além de ser possível constatar quais hipóteses os alunos estão levantandona internalização e construção de determinado conceito.Já para o aluno, com o devido feedback do professor, torna possível a compreensão e mensuraçãodo conhecimento adquirido e quais hipóteses são verdadeiras ou falsas, para que o aluno possadescartar as falsas hipóteses e fique focado naquelas que o levarão ao aprendizado do conceitoestudado. O feedback do professor lança a luz, clareando os chamados ― pontos cegos‖ em que oaluno se encontra tornando possível, assim, o avanço para a etapa seguinte do processo.
  • 3. Nesta etapa a avaliação inicialmente diagnóstica, evolui para uma avaliação formativa, onde oprocesso de descoberta que induz a novas elaborações de aprendizado, sempre mediadas peloprofessor, é o que de fato importa e conta.A Avaliação Formativa é o tipo de avaliação que deveria prevalecer dentro das Escolas, por sermais justo e atender de fato às necessidades dos alunos. Infelizmente, o que vemos é o uso daavaliação somativa, cujo único objetivo é meramente alcançar determinada nota para ―passar‖ deano, os alunos são rotulados pelas notas que alcançam e não são auxiliados onde de fato precisamde ajuda.Por isso, antes de chegar ― ditando‖ o que você irá ensinar, comece em ― perguntando‖ o que osalunos já sabem para levantar o que eles de fato ―precisam‖ aprender.BIBLIOGRAFIA SUGERIDA:HOPFMANN, Jussara. Avaliação Mediadora: uma prática em construção da pré-escola àUniversidade. P. Alegre. Educação e Realidade. 1993.LUCHESI, C. Verificação ou Avaliação: o que pratica a escola? A construção do projeto de ensinoe avaliação, nº 8, São Paulo FDE. 1990WERNECK, H. Se você finge que ensina, eu finjo que aprendo. Vozes.Petrópolis. 1994. Diagnóstico em Língua Inglesa Moderna: Você sabe o que eles já sabem?Realizar uma sondagem do que os alunos conhecem no início do ano é essencial, certo? Saiba aquicomo fazer isso com Língua Inglesa Moderna. Anderson Moço (anderson.moco@abril.com.br)O ano está começando e você tem uma nova turma para acompanhar. Além de reconhecer os rostose gravar os nomes, uma tarefa mais difícil (e mais importante) o aguarda: investigar o que cadaaluno sabe para planejar o que todos devem aprender. É o chamado diagnóstico inicial, ousondagem das aprendizagens, uma das atividades mais importantes no diálogo entre o ensino e aaprendizagem. Afinal, não dá para decidir que a turma tem de dominar determinado tema sem antesdescobrir o que ela já conhece sobre esse assunto. Até porque, diferentemente do que muitosacreditam, ela costuma saber muita coisa. "Antes mesmo de entrar na escola, as crianças têm ideiasprévias sobre quase todos os conteúdos escolares. Desde pequenas, elas interagem com o mundo etentam explicá-lo", afirma Jussara Hoffmann, especialista em Educação e professora aposentada daUniversidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). "É preciso conhecê-las para não repetirconceitos nem propor tarefas além do que a garotada é capaz de compreender."Daí a importância da avaliação inicial. "Esse olhar é imprescindível para construir uma visãodetalhada de cada estudante e, com isso, poder planejar as aulas com base nas reais necessidades de
  • 4. aprendizagem do grupo", explica Jussara. O bom diagnóstico não tem por objetivo contabilizar oserros ou classificar (e rotular) os alunos. Ou seja, não é uma prova, no sentido tradicional. "A ideiaé enxergar problemas semelhantes que permitam direcionar o planejamento das atividades",completa Leika Watabe, coordenadora do Programa Ler e Escrever, da prefeitura de São Paulo. Emoutras palavras, o que está em jogo é entender as principais necessidades da turma para orientar asformas de ensinar.Por isso, não é qualquer atividade que serve para a realização de um bom diagnóstico. Osespecialistas dizem que só as situações-problema permitem que o aluno mobilize todo oconhecimento que tem sobre o assunto. Não basta apresentar uma questão e obter um sim ou nãocomo resposta - no máximo, um comentário dos mais participativos. "A chave é trabalhar e refletirsobre o problema", ressalta Leika, "pois não é verbalizando que eles vão mostrar o que sabem."Quer um exemplo? Se você perguntar para uma criança o que ela pensa língua inglesa, ela nuncaconseguirá verbalizar uma resposta que explicite suas hipóteses. Pode parecer óbvio, mas muitagente comete esse erro.Com as produções em mãos, é possível analisar o que cada um sabe e como representa isso nopapel. A avaliação é o momento também de compreender a lógica empregada na resolução datarefa. O produto final desse trabalho é uma espécie de mapa, com os conhecimentos da sala. Seninguém conhece um conteúdo, é claro que ele tem de ser trabalhado de forma prioritária. Se amaioria já resolve bem determinadas questões, a chave é pensar em formas de dar mais atenção aosque estão um passo atrás.Sobretudo entre os alfabetizadores, esse tipo de sondagem é bem conhecido. Mas, nas outras áreas,essa atividade ainda é pouco difundida. O fato é que existem formas amplamente testadas eaprovadas de fazer diagnósticos precisos para muitos conteúdos - em Língua Inglesa, para aprodução de texto (você descobre o que a turma sabe em termos de ortografia, gramática e atéorganização textual), e em Matemática, no bloco de Números e Operações (para medir osconhecimentos sobre escrita numérica e no que diz respeito à resolução de problemas dos camposaditivo e multiplicativo).
  • 5. SEQUÊNCIA DIDÁTICA Samba do Approach Mostre como nosso vocabulário incorpora expressões originárias de outros idiomasExplique que a língua tem vidaMostre como nosso vocabulário incorpora expressões originárias de outros idiomasQuando aprendemos uma língua não descobrimos apenas um sistema de signos. Aprendemostambém que esses signos carregam significados culturais. A leitura de um texto nos aproxima dehábitos, costumes, conceitos e pontos de vista de povos e culturas diferentes. Ao preparar uma aulade leitura, o bom professor estimula os alunos a verbalizar expectativas, utilizar o conhecimentotextual, lingüístico e de mundo e desvendar as pistas formais que o autor fornece. O exercíciorequer o domínio de habilidades de decodificação, para um compartilhamento mínimo dereferências simbólicas que permitam a interlocução. Para tanto é importante os alunos aprenderemestratégias que dinamizem a interação de leitor e texto.Material necessárioAparelho de som e cópias da letra da música.Dicionário bilíngüe.ObjetivoIdentificar conhecimentos prévios da turma, acerca de palavras estrangeiras usadas ou não nocotidiano.Ensinar os alunos a usar diferentes estratégias de leitura para se aproximar da intenção do autor. Aoler, podemos ter diferentes intenções. Aqui importa atribuir sentido ao uso que o compositor ZecaBaleiro faz de palavras de origem inglesa e francesa no Samba do Approach. As atividadespropostas enfocam o caráter cultural do signo lingüístico.Primeira aula■ Para começar, apresente o nome da música.■ Pergunte quem conhece o Samba do Approach. Alguém já ouviu falar de Zeca Baleiro e ZecaPagodinho?■ Indague o que os alunos entendem quando lêem a expressão samba do approach. O que significaapproach? Por que a canção tem esse nome?■ Segundo o Novo Dicionário Aurélio, approach quer dizer elo, ligação, enfoque. Com base nessedado, pergunte o que a garotada entende por samba do approach e o que espera encontrar na letra dacanção.■ Verifique que tipo de linguagem, construção lingüística e dificuldades de compreensão os alunosprevêem na leitura do texto. Estimule-os a expor o próprio ponto de vista.
  • 6. ■Leia e releia com a turma, o ―wordbank‖, a seguir, toque a música e peça que a completem, casoseja necessário repetí-la, peça-os que usem o comando ―repeat please‖.■Check as respostas posteriormente.Durante a leitura:■ Leia a canção em voz alta. Faça pausas e pergunte o que a turma entendeu. Motive os estudantesa rever perspectivas e conceitos equivocados. É provável que muitos não compreendam palavrasestrangeiras.■ Proponha uma leitura silenciosa com o objetivo de apontar outras palavras estrangeiras além deapproach.■ Convide os alunos a dizer o que encontraram e como entendem o que cada termo quer dizer.Sugira que procurem as definições no.■ Entregue os dicionários inglês-português e encomende uma pesquisa sobre as palavras que nãoforam identificadas na atividade anterior dicionário (nesse momento, observe se os mesmos sabemutilizar o dicionário bilíngüe). Proponha que os grupos façam anotações e depois comparem com oque produziram os colegas de outros grupos. Importante: mesmo dicionários inglês-português nãooferecem algumas das respostas. Questione a classe sobre os motivos que levam um vocábulo a serdicionarizado.■ Pergunte, então, por que incorporamos ao nosso vocabulário palavras de outros idiomas.Encarregue os alunos de tomar nota das próprias hipóteses, já que a discussão terá continuidade.Segunda aula■ Por fim, sugira que todos releiam o texto e tentem interpretar a intenção do autor ao chamar suaobra de Samba do Approach. Que hábitos ele descreve no texto? Que grupos sociais se identificamcom essa linguagem? Peça que os alunos retomem suas anotações para debater em grupo. Observeque Zeca Baleiro mescla palavras recentes na nossa cultura a outras mais antigas, como ferryboat,macho man e pop star.■Reuna a turma em grupos e proponha a produção de uma paródia ou outro texto em verso ou prosa(a definir), em portunglês, no qual seja usado palavras do dia a dia.■Cada grupo socializará sua produção em sala.Trocando em miúdos ■ Observe a definição que o Novo Dicionário Aurélio oferece para brunch: "Ing. br(eakfast) + ( l)unch, refeição farta e substanciosa, ingerida especialmente nos fins de semana e feriados, e quesubstitui o desjejum e o almoço". Ressalte que não existe uma palavra em português com o mesmosignificado, o que impossibilita a existência do verbete em dicionários português-inglês. Outroaspecto que merece atenção: algumas camadas sociais no Brasil já incorporaram o costume desubstituir o café da manhã e o almoço por uma refeição só — principalmente nos fins de semana —e a chamam de brunch.■ Agora tome a expressão happy hour. A prática de se reunir no final da tarde para beber e comeralgo leve já existia entre nós quando passamos a usar a expressão em inglês para nomear essemomento, certo?■ Pergunte, então, por que alteramos nossos hábitos de tempos em tempos e criamos palavras. Sehouver oportunidade, defina estrangeirismo e explique que muita gente considera "sofisticado" e"elegante" empregar vocábulos importados mesmo quando há equivalentes em português. Discuta aLei 1.676/99, do deputado federal Aldo Rebelo (PC do B-SP), que tenta reduzir o estrangeirismo namídia.
  • 7. BIBLIOGRAFIAOs Conteúdos na Reforma, César Coll, Juan Ignacio Pozo, Bernabé Sarabia e Enric Valls, 182págs., Ed. Artmed, tel. 0800 703-3444, 32 reaisEstratégias de Leitura, Isabel Solé, 194 págs., Ed. Artmed, 38 reaisTexto e Leitor: Aspectos Cognitivos da Leitura, Angela Kleiman, 82 págs., Ed. Pontes, tel. (19)3252-6011,16,50 reaisAcesse o blog: www.secretariaedu2012.blogspot.comContato com Eline: Cel. 99 9131 9339 / 8137 8483E-mail pessoal : elinenascimento7@hotmail.com
  • 8. Samba do Approach Zeca Baleiro Venha provar meu brunchSaiba que eu tenho approach Na hora do lunch Eu ando de ferryboat Eu tenho savoir-fare Meu temperamento é light Minha casa é high-tech Toda hora rola um insight Já fui fã do Jethro Tull Hoje me amarro no Slash Minha vida agora é cool Meu passado é que foi trash Venha provar meu brunchSaiba que eu tenho approach Na hora do lunch Eu ando de ferryboat Mas fica ligada no linkQue eu vou confessar my love Depois do décimo drink Só um bom e velho Engov Eu tirei o meu green card E fui pra Miami Beach Posso não ser pop starMas já sou um nouveau riche Venha provar meu brunchSaiba que eu tenho approach Na hora do lunch Eu ando de ferryboat Eu tenho sex appeal Saca só meu background Veloz como Damon Hill Tenaz como FittipaldiNão dispenso um happy endQuero jogar no dream team De dia um macho man E de noite drag queen Venha provar meu brunchSaiba que eu tenho approach Na hora do lunch Eu ando de ferryboat
  • 9. Zeca BaleiroSamba do ApproachComposição: Zeca BaleiroVenha provar meu brunchSaiba que eu tenhoNa hora do lunchEu ando de ferryboat WORDBANKEu savoir-fareMeu temperamento é light FittipaldiMinha é high-tech provarToda hora rola um insightJá fui fã do Jethro Tull naHoje me amarro no Slash end vida agora é cool tenhoMeu passado que foi trashVenha provar meu brunch éSaiba que eu tenho approach mas hora do lunchEu ando de ferryboat love fica ligada no link vouQue eu confessar my engovDepois do décimo drinkSó um bom e velho ooooo sacatirei o meu green souE fui pra Miami BeachPosso não ser pop star lunchMas já um riche casaVenha provar meu brunch minhaSaiba que eu tenho approachNa hora do nouveauEu ando de ferryboat naEu tenho sex appeal só meu background approachVeloz como Damon Hill cardTenaz comoNão dispenso um happyQuero jogar no dream teamDe dia um macho manE de noite drag queenVenha meu brunchSaiba que eu tenho approach hora do lunchEu ando de ferryboat
  • 10. PREFEITURA MUNICIPAL DE AÇAILÂNDIA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO COORDENADORIA DE ORIENTAÇÃO E SUPERVISÃO PEDAGÓGICA SEMANA DIAGNÓSTICA 2012 LÍNGUA INGLESA MODERNA Singer:Suzanne Vega Song:Luka Complete the blanks:My name is LukaI live on the second floor And its not your business anywayI live upstairs from you I guess Id like to beYes I think youve seen me before With nothing broken, nothing thrown If you hear something late at night Just dont ask me how I amSome kind of trouble. some kind of Just dont ask me how I amfight Just ask me how I am *****Just dont ask me what it My name is Luka_____dont ask me what was I live on second floorJust dont ask me what it was I live upstairs from youI think its Im clumsy Yes I think youve seen me beforeI try not talk too loud If you hear something late nightMaybe its because crazy Some kind of trouble. Some kind ofI try not to act too proud fightOnly hit until you cry Just ask what it wasAnd after that you dont ask why Just ask me what it wasYou just dont argue Just dont ask me what it wasYou dont argue anymore They only hit until you cryYou just dont argue anymore after that you dont whyYes I think Im okay You just dont argue anymoreWalked into the door again You just dont argue anymoreWell, if you ask thats Ill say just dont anymore WORDBANK alone – don’t – I’m – to – what – argue – ask – you – don’t – me – the – cause – anymore – just – it – and – at – don’t – was - just PREFEITURA MUNICIPAL DE AÇAILÂNDIA
  • 11. SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO COORDENADORIA DE ORIENTAÇÃO E SUPERVISÃO PEDAGÓGICA SEMANA DIAGNÓSTICA 2012 LÍNGUA INGLESA MODERNA Singer:Suzanne Vega Song:LukaMy name is Luka I guess Id like to be aloneI live on the second floor With nothing broken, nothing thrownI live upstairs from youYes I think youve seen me before Just dont ask me how I am Just dont ask me how I amIf you hear something late at night Just dont ask me how I amSome kind of trouble. some kind offight My name is LukaJust dont ask me what it was I live on the second floorJust dont ask me what it was I live upstairs from youJust dont ask me what it was Yes I think youve seen me beforeI think its cause Im clumsy If you hear something late at nightI try not to talk too loud Some kind of trouble. Some kind ofMaybe its because Im crazy fightI try not to act too proud Just dont ask me what it was Just dont ask me what it wasOnly hit until you cry Just dont ask me what it wasAnd after that you dont ask whyYou just dont argue anymore They only hit until you cryYou just dont argue anymore And after that you dont ask whyYou just dont argue anymore You just dont argue anymore You just dont argue anymoreYes I think Im okay You just dont argue anymoreWalked into the door againWell, if you ask thats what Ill sayAnd its not your business anywaySunday
  • 12. Atividade para 7º, 8º e 9º Ano do Ensino Fundamental
  • 13. Hi Students! How are you? Lets learn more! Use the link below to find answers to the following questions: http://www.monica.com.br/ingles/comics/tabloide/tab079.htm Look at the picture, read and answer: Pré-leitura: 1. O que está acontecendo? 2. Quem é o autor do texto? O que você sabe sobre ele? 3.Que sentimento a estrela nos passa? Baseado em que, você chegou a esta conclusão? 4.Descreva resumidamente as cenas da história. 5.Que mensagem o texto nos passa? Vocabulary: 1. Considerando o contexto, dê um significado para as palavras destacadas nas frases:a) "Where’s your light little star"?b) "After seeing so many sad things, the light’s gone out of me".c) "Planting a flower" Grammar: 2.Observe os verbos destacados nas frases e, responda as questões: What are you doing with that trowel?‖ ―Planting a flower.‖ Qual a terminação deles? Escreva a forma dos verbos anteriores, no infinitivo. Consulte um dicionário se considerar necessário.
  • 14. http://pt.bab.la/dicionario/portugues-ingles/3.Considerando o contexto, você pode concluir que esses verbosexpressam uma ação:( ) que já aconteceu( ) que está acontecendo( ) que vai acontecer4. Levando em conta seus conhecimentos prévios, o tempo verbalempregado no exemplo anterior foi:( ) Simple present( ) Past Tense( ) Present Continuous 5. Use o link a seguir para conhecer outros exemplos. E depois registreem seu caderno as conclusões que você chegou quanto às construçõesdo Present Continuous.http://www.englishexercises.org/makeagame/viewgame.asp?id=1026Pós-leitura:1. A nossa cidade é poluída?2. De que forma a poluição pode causar danos às pessoas, animais eplantas?3. O que você pode fazer para ajudar a diminuir a poluição?4. Que tipos de poluição você conhece?