Your SlideShare is downloading. ×
0
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Defensivos alternativos
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Defensivos alternativos

3,936

Published on

Curso sobre defensivos agrícolas alternativos, ministrado no município de Mari-PB. Este curso visa apresentar soluções caseiras, de fácil preparo que podem ser utilizadas por pequenos agricultores, …

Curso sobre defensivos agrícolas alternativos, ministrado no município de Mari-PB. Este curso visa apresentar soluções caseiras, de fácil preparo que podem ser utilizadas por pequenos agricultores, agricultores familiares, produtores orgânicos e agroecológicos, com o intuito de minimizar ou evitar a utilização de princípios ativos advindos da indústria química. Nesta apresentação são encontradas diversas receitas caseiras, modo de preparo e utilização para a prevenção ou controle de pragas e doenças na agricultura.

3 Comments
16 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
3,936
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
3
Likes
16
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. DefensivosalternativosJosimar Rodrigues OliveiraMARI – PB, 2009.
  • 2. Como reduzir o uso de agrotóxicos?Corrigir o solo com calcário corretamente;Fazer a capina na linha ou copa da cultura,conservando a entrelinha sem capina;Roçar a entrelinha de modo a manter avegetação protegendo o solo;Incorporar restos culturais no solo.
  • 3. Como reduzir o uso de agrotóxicos?Manter o solo protegido com coberturamorta ou vegetação nativa;Evitar excesso de umidade (Irrigação);Utilizar adubação orgânica;Evitar adubos altamente solúveis oualtamente concentrados.
  • 4. Como reduzir o uso de agrotóxicos?Fornecer os macro e micronutrientes naquantidade ideal;Programar o plantio de adubos verde aserem incorporados no solo;Pulverizar quinzenal ou mensalmente combiofertilizantes.
  • 5. Como reduzir o uso de agrotóxicos?Utilizar sementes e mudas sadias;Escolher variedades ou cultivaresresistentes;Promover aeração da planta através depodas e desbrotas;Promover a rotação de culturas;
  • 6. Como reduzir o uso de agrotóxicos?Utilização de quebra ventos;Plantio em nível;Plantio em faixas;Produzir mudas em viveiros telados;Combater os insetos vetores de doenças;Evitar o uso de defensivos que ocasionamdesequilíbrio ecológico.
  • 7. Como reduzir o uso de agrotóxicos?Utilizar água de qualidade para irrigação epulverizações;Realizar tratamentos preventivos com ouso de caldas cúpricas;Eliminar frutos caídos no chão e nãocolhidos na planta hospedando pragas emoléstias;Higienização na colheita.
  • 8. Defensivos alternativos e naturaisProdutos químicos, biológicos, orgânicosou naturais;Praticamente não tóxicos (Classe IV);Baixa ou nenhuma agressividade aohomem e ao meio ambiente;Eficientes no combate de insetos emicrorganismos nocivos.
  • 9. Defensivos alternativos e naturaisNão favorecem a resistência de pragas emicrorganismos;Custo reduzido para aquisição e aplicação;Fácil manejo e aplicação;Alta disponibilidade das matérias primas nomercado para o preparo destes defensivos.
  • 10. Pragas combatidas pelosdefensivos alternativos enaturais
  • 11. Pragas combatidas pelos defensivos alternativos e naturais
  • 12. Pragas combatidas pelos defensivos alternativos e naturais
  • 13. Pragas combatidas pelos defensivos alternativos e naturais
  • 14. Pragas combatidas pelos defensivos alternativos e naturais
  • 15. Pragas combatidas pelos defensivos alternativos e naturais
  • 16. Pragas combatidas pelos defensivos alternativos e naturais
  • 17. Pragas combatidas pelos defensivos alternativos e naturais
  • 18. Pragas combatidas pelos defensivos alternativos e naturais
  • 19. Pragas combatidas pelos defensivos alternativos e naturais
  • 20. Doenças prevenidas pelosdefensivos alternativos enaturais
  • 21. Doenças prevenidas pelos defensivos alternativos e naturais
  • 22. Doenças prevenidas pelos defensivos alternativos e naturais
  • 23. Doenças prevenidas pelos defensivos alternativos e naturais
  • 24. Doenças prevenidas pelos defensivos alternativos e naturais
  • 25. Doenças prevenidas pelos defensivos alternativos e naturais
  • 26. Armadilhas para Mosca das Frutas
  • 27. Armadilhas para Mosca das Frutas
  • 28. Armadilhas coloridas
  • 29. Utilização de telas (Sombretes)
  • 30. Método de Preparo dos defensivos alternativosChá: Consiste na fervura por algunsminutos da planta picada, esmagada,triturada ou cortada;Infusão: Coloca-se a parte da planta emum recipiente e adiciona água fervendo porcima, tampando por 10 minutos ou mais.
  • 31. Método de Preparo dos defensivos alternativosCozimento: Ferve em água a parte daplanta e mantêm tampado até esfriar;Extrato: A planta é colocada em água de10 a 24 horas;Macerado: Realizado em álcool ouaguardente para se obter o extrato.
  • 32. Método de Preparo dos defensivos alternativosSuco: Trituração da planta ou parte delacom liquidificador, pilãozinho ou máquinade moer recolhendo o líquido;Tintura: Líquido obtido a partir de partesvegetais picadas armazenadas por umlongo período em garrafas de álcool ouaguardente fechadas.
  • 33. Método de Preparo dos defensivos alternativosEmulsões: Quando adiciona-se sabão àreceita com o intuito de melhorar aeficiência;Preparados Orgânicos e Biodinâmicos:plantas defensivas são adicionadas emcompostos e biofertilizantes.
  • 34. 1) Calda BordalesaFungicida e atua como repelente de algunsinsetos;200 g de Sulfato de Cobre;200 g de Cal virgem;20 litros de água;Não pode ser armazenada.
  • 35. 1) Calda BordalesaEm plantas novas usar a metade da dose;Abobrinha, alface, chicória, caqui, morangoe pepino usar metade da dose;Couve e repolho usar 500g de Sulfato decobre e cal para 20 L de água;Cucurbitáceas e frutíferas usar 60g deSulfato de cobre e cal para 20 L de água.
  • 36. 2) Calda SulfocálcicaFungicida e Inseticida;5 Kg de Enxofre;2,5 Kg de Cal virgem;20 litros de água;Ferver água em recipiente separado;Colocar 5 Kg de enxofre em um recipienteesmaltado ou de ferro;
  • 37. 2) Calda SulfocálcicaAdicionar lentamente 5 L de água quente emais duas colheres de espalhante adesivo;Agitar a calda até formar uma pasta;Espalhar em cima da pasta 2,5 Kg de calvirgem e adicionar mais 5 L de águaquente mexendo continuamente;
  • 38. 2) Calda SulfocálcicaColocar o tambor sobre o fogo intenso edeixar a mistura cozinhando durante 10 a15 minutos;Acrescentar a pasta mais água fervendoaté completar 20 L;Quando aparentar-se um líquidotransparente de cor vinho e fundo pretoestá no ponto.
  • 39. 2) Calda SulfocálcicaDeixar a calda coberta em descanso porum período de 12 horas;Será formado um precipitado esverdeado;Recolher a camada sobrenadante em umrecipiente esmaltado ou de plástico;Coar em pano ralo e armazenar emrecipiente de vidro escuro.
  • 40. 2) Calda SulfocálcicaTratamento de Inverno: 100 ml/L de águapara plantas de clima temperado (Caqui,Uva, Pêssego);Tratamento de Primavera/Verão: 10 ml/Lde água para Frutíferas, Jiló, Pimentão,Berinjela, Quiabo e Feijão.
  • 41. 2) Calda SulfocálcicaCUIDADOS !!!!Não aplicar em Curcubitáceas (Abóboras emorangos);Não aplicar com sol quente;Não aplicar na época da floração;Em estufas reduzir a dosagem pelametade.
  • 42. 3) Calda ViçosaAdubo foliar e Fungicida;100 g de Sulfato de Cobre;50 g de Sulfato de Zinco;40 g de Ácido Bórico;120 g de Sulfato de Magnésio;80 g de Uréia;110 g de Cal Hidratada;20 L de água.
  • 43. 4) Água de CinzaControle de pulgões, lagartas, etc;2 Kg de cinzas;10 litros de águaAgitar e deixar descansar por um dia;Coar e pulverizar.
  • 44. 5) Farinha de TrigoControle de Pulgões;200 g de Farinha de Trigo;10 litros de água;Pulverizar com bomba costal.
  • 45. 6) LeiteControle de doenças fúngicas, ácaro eovos de lagarta;500 ml a 1litro de leite;10 litros de água;Pulverização semanal ou quinzenal.
  • 46. 7) Permanganato de Potássio + CalFungicida e Controle de Pulgões, lagartas,besouros, ácaros e mosca branca;8 litros de água;15 g de Permanganato de Potássio;Dissolver previamente o Permanganato em1 litro de água morna;100 g de cal virgem dissolvido em 1 litro deágua.
  • 47. 8) Macerado de Samambaia do CampoInseticida para o controle de Pulgão,Ácaros e Cochonilha;500 g de samambaia verde picada;1 litro de água;Ferver por 30 minutos e descansar por 24horas;Diluir 1 litro de macerado coado em 10litros de água e pulverizar.
  • 48. 9) Macerado de AlhoFungicida: Combate Míldio e Ferrugens;Inseticida: Controle de lagarta da maçã,Pulgões, Cochonilhas e outros;100 g de Alho;1 litro de água;Repousar durante 24 horas;Coar e diluir em 10 litros de água parapulverizar.
  • 49. 10) Alho + Pimenta do Reino + SabãoFungicida e Inseticida;Preparar em duas garrafas separadas;Garrafa I: 1 litro de álcool + 100 g depimenta do reino;Garrafa II: 1 litro de álcool + 100 g deMacerado de alho;Deixar garrafas fechadas durante 7 dias.
  • 50. 10) Alho + Pimenta do Reino + SabãoDiluir 200 ml de calda de pimenta + 100 mlde calda de alho em 20 L de água;Dissolver 50 g de sabão em 1 litro de águaquente;Adicionar o sabão a mistura e pulverizar.
  • 51. 11) Macerado de MamonaInseticida;250 g de Mamona picada;1 litro de água;Deixar descansar por 24 horas;Diluir 1 litro do macerado coado em 10litros de água e pulverizar.
  • 52. 12) Extrato de FumoInseticida;100 g de fumo;Deixar de molho em 1 litro de álcool por 3horas;Completar o volume para 10 L de água;Descansar por 24 horas;Coar e pulverizar no mesmo dia.
  • 53. 13) Extrato de NimInseticida contra Traças, lagartas, larvaminadora, Pulgões e gafanhotos;20 litros de água;300 g de folhas picadas;Deixar em repouso durante 12 horas;Coar e pulverizar no mesmo dia.
  • 54. 14)Bouganvillea ou Extrato PrimaveraControle do vetor do “Vira cabeça” do Tomateiro;200 g de folhas batidas em 1 litro de água noliquidificador;Deixar de molho por 12 horas;Coar e diluir em 20 L de água;Pulverizar imediatamente após o preparo;Pulverizar semanalmente até os 60 dias após otransplantio do tomateiro.
  • 55. 15) Extrato do MamoeiroFungicida contra Míldio e Ferrugem doCafeeiro;700 g de folhas batidas em 1 litro de água;Deixar de molho por 12 horas;Coar e diluir em 20 litros de água parapulverizar.
  • 56. 16) Extrato do TomateiroInseticida;500 g de folhas e brotos de tomateirosadias maceradas;Deixar de molho em 1 litro de álcool por 3horas;Completar o volume com 10 litros de água;Não aplicar em solanáceas.
  • 57. 17) Pasta BordalesaPincelamento para o controle de Gomose eRubelose em Citros;1 Kg de Sulfato de Cobre;2 Kg de Cal Virgem;10 litros de água;Utilizar broxas e pincelar o tronco.
  • 58. 18) Pasta de InvernoPincelamento para o controle de brocas,cochonilhas e outros;Deve ser utilizada no inverno e ser realizada noperíodo frio e seco do ano;12 litros de água;1 Kg de Enxofre;2 Kg de Cal Hidratada;500 g de Cloreto de Sódio (Sal de Cozinha).
  • 59. 19) Cebolinha VerdeControle de Pulgão, Lagartas e Vaquinhas;1 Kg de Cebolinha verde;10 litros de água;Cortar a cebolinha e deixar curtir em águadurante 10 dias;Diluir 1 litro da mistura em 3 litros de águapara pulverizar.
  • 60. 20) Pasta de ArgilaProteção de cortes, ramos ou galhospodados, ramos ou troncos doentes, apósqueda de folhas e antes da floração;1 Kg de Argila;1 Kg de Esterco;1 Kg de Areia Fina;1 litro de Chá de Camomila.
  • 61. 21) Enxofre puro e AlcoolControle de Carunchos e Gorgulhos;10 g de Enxofre puro;1 Litro de álcool;Levar a mistura ao galpão bem fechado emum vasilhame de lata e atear fogo;Deixar o galpão fechado por 3 dias;Controle para cada 1 tonelada de grãos.
  • 62. 22) Eucalipto (Eucaliptus citriodora)Prevenir gorgulhos, traças e carunchos degrãos e farelos em geral;Misturar de 10 a 20 folhas de Eucaliptopara cada quilo de grão;Misturar as folhas nos recipientes e locaisde armazenagens dos grãos.
  • 63. 23) Controle de lesmas, caracóis e tatuzinhosCinza ou Cal: colocar em linhas, em volta doscanteiros;Cerveja com água açucarada: colocar a noite,perto das plantas atacadas em um prato raso;Sal de Cozinha: quando identificadas colocasobre elas;Macerado de Alho: esmagar 4 dentes de alho em1 litro de água, curtir por 12 dias, diluir em 10 Lde água e pulverizar.
  • 64. 24) Espalhantes Adesivos AlternativosGelatina:50 g de gelatina sem sabor;100 litros de água;Dissolver a gelatina em 1 litro de águaquente;Diluir para 100 L de água e pulverizar.
  • 65. 25) Espalhantes Adesivos AlternativosSabão de Coco:50 g de sabão de coco;10 litros de água;Aquecer 5 litros de água com o sabão;Após dissolver totalmente, diluir em 10 Lde água.
  • 66. 26) Dessecante NaturalControle de Plantas daninhas;3 Kg de Repolho;1 Kg de sal de cozinha;10 litros de água;Deixar fermentar por 3 dias;Pulverizar sobre o mato a ser controlado.
  • 67. 27) Cal VirgemControle de formigas;2 Kg de cal virgem;10 litros de água quente;Aplicar sobre os olheiros dos formigueiros.
  • 68. 28) Solução de CreolinaControle de formigas;250 ml de creolina;10 litros de água;Aplicar sobre os formigueiros.
  • 69. 29) Água de MandiocaControle de nematóides;Lave a mandioca crua e sem casca;Colete a água em um recipiente;Aplicar sobre as plantas em forma deirrigação.
  • 70. 30) Erva CidreiraControle de carrapatos;200 g de Erva cidreira picada;100 ml de álcool;Esmagar em álcool e deixar descansardurante 24 horas;Diluir em 1 L de água e adicionar 2colheres de sal, mexer e pulverizar.
  • 71. OBRIGADO!Josimar Rodrigues Oliveirajosimarodrigues@yahoo.com.br

×