Your SlideShare is downloading. ×
Diarreia Viral Bovina
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Diarreia Viral Bovina

10,189
views

Published on


0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
10,189
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
229
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. DIARRÉIA VIRAL BOVINA/ DOENÇA DAS MUCOSAS
  • 2. DIARRÉIA VIRAL BOVINA/ DOENÇA DAS MUCOSAS 1. DEFINIÇÃO 2. HISTÓRICO 3. ETIOLOGIA 4. FISIOPATOLOGIA 5. SINAIS E SINTOMAS 6. CADEIA EPIDEMIOLÓGICA 7. DIAGNÓSTICO 8. PREVENÇÃO E CONTROLE 9. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
  • 3. DIARRÉIA VIRAL BOVINA/ DOENÇA DAS MUCOSAS 1. DEFINIÇÃO DIARRÉIA VIRAL BOVINA = BOVINE VIRAL DIARRHEA = BVD DOENÇA DAS MUCOSAS = MUCOSAL DISEASE = MD
  • 4. DIARRÉIA VIRAL BOVINA/ DOENÇA DAS MUCOSAS 1. DEFINIÇÃO BVD/ MD: SÍNDROMES INFECTO-CONTAGIOSAS DOS SISTEMAS DIGESTÓRIO E REPRODUTIVO DE RUMINANTES, LEVANDO A DIARRÉIA, QUEDA DE ÍNDICES REPRODUTIVOS, ABORTAMENTOS E MALFORMAÇÕES FETAIS, CAUSADAS POR UM VÍRUS DO GÊNERO PESTIVIRUS
  • 5. DIARRÉIA VIRAL BOVINA/ DOENÇA DAS MUCOSAS 2. HISTÓRICO EUA, 1946: PRIMEIRO REGISTRO DE DIARRÉIA VIRAL BOVINA CANADÁ, 1946: PRIMEIRO REGISTRO DE DOENÇA DAS MUCOSAS (DOENÇA X) BRASIL, RS, 1974: PRIMEIRO ISOLAMENTO DISTRIBUIÇÃO MUNDIAL 60 a 90% DE ANIMAIS SOROPOSITIVOS 1 A 2% DE ANIMAIS PERSISTENTEMENTE INFECTADOS
  • 6. DIARRÉIA VIRAL BOVINA/ DOENÇA DAS MUCOSAS 3. ETIOLOGIA FAMÍLIA FLAVIVIRIDAE GÊNERO HEPACIVIRUS GÊNERO FLAVIVIRUS GÊNERO PESTIVIRUS VÍRUS DA HEPATITE C VÍRUS DA DENGUE VÍRUS DA FEBRE AMARELA VÍRUS DA ENCEFALITE JAPOSESA PESTE SUÍNA CLÁSSICA BORDER DISEASE VIRUS VÍRUS DA DIARRÉIA VIRAL BOVINA
  • 7. DIARRÉIA VIRAL BOVINA/ DOENÇA DAS MUCOSAS 3. ETIOLOGIA RNA SIMPLES-FITA, NÃO SEGMENTADO, DE POLARIDADE POSITIVA*, 12,5 kb ESFÉRICO DIÂMETRO: 45-60nm ENVELOPADO* SENSÍVEL A DETERGENTES E SOLVENTES LIPÍDICOS
  • 8. DIARRÉIA VIRAL BOVINA/ DOENÇA DAS MUCOSAS 3. ETIOLOGIA GENOMA E PROTEÍNAS DO BVDV 5’ UTR 3’ UTR Npro C E0 E1 E2 NS2/3 NS4A NS4B NS5A NS5B PROTEÍNAS ESTRUTURAIS E0, E1, E2: GLICOPROTEÍNAS DE ENVELOPE E0, E2: ANTICORPOS NEUTRALIZANTES PROTEÍNAS NÃO-ESTRUTURAIS p75: RNA-POLIMERASE RNA-DEPENDENTE NS3 : RNA HELICASE, SERINA-PROTEASE
  • 9. DIARRÉIA VIRAL BOVINA/ DOENÇA DAS MUCOSAS 3. ETIOLOGIA BIOTIPOS: BVDV CITOPATOGÊNICOS E BVDV NÃO-CITOPATOGÊNICOS 1. NÃO CAUSAM EFEITO CITOPÁTICO EM CULTURAS CELULARES BVDV NÃO-CITOPATOGÊNICOS 2. INFECTAM E CAUSAM DOENÇAS EM ANIMAIS 3. NÃO EXPRESSAM NS3 1. CAUSAM EFEITO CITOPÁTICO EM CULTURAS CELULARES BVDV CITOPATOGÊNICOS 2. INFECTAM E CAUSAM DOENÇAS EM ANIMAIS 3. EXPRESSAM NS3
  • 10. DIARRÉIA VIRAL BOVINA/ DOENÇA DAS MUCOSAS 3. ETIOLOGIA BIOTIPOS DO VÍRUS DA DIARRÉIA VIRAL BOVINA (BVDV): BVDV CITOPATOGÊNICOS E BVDV NÃO-CITOPATOGÊNICOS BVDV CP BVDV Ñ-CP 5’ UTR 3’ UTR Npro C E0 E1 E2 NS2/3 NS4A NS4B NS5A NS5B BVDV CITOPATOGÊNCIOS TÊM UMA SEQÜÊNCIA “EXTRA” DE NUCLEOTÍDEOS/ AMINOÁCIDOS QUE TORNAM A PROTEÍNA NS2/3 CLIVÁVEL EM NS2 E NS3
  • 11. DIARRÉIA VIRAL BOVINA/ DOENÇA DAS MUCOSAS 3. ETIOLOGIA DE ONDE VEM ESTA SEQÜÊNCIA EXTRA QUE ORIGINA VÍRUS CITOPATOGÊNCIOS A PARTIR DE VÍRUS NÃO-CITOPATOGÊNCIOS? -REARRANJOS NO GENOMA DE BVDV NÃO-CITOPATOGÊNICOS: DUPLICAÇÕES, INSERÇÕES, DELEÇÕES -RECOMBINAÇÕES BVDV CP x NÃO-CP -INSERÇÕES DE SEQÜÊNCIAS DERIVADAS DO HOSPEDEIRO !
  • 12. DIARRÉIA VIRAL BOVINA/ DOENÇA DAS MUCOSAS 3. ETIOLOGIA REPLICAÇÃO DO BVDV CÉLULAS-ALVO: LINFÓCITOS E MACRÓFAGOS, CÉLULAS EPITELIAIS E ENDOTELIAIS 2. Fusão de membranas e endocitose BVDV 1. Ligação ao receptor celular CITOPLASMA 3. Liberação de nucleocápside (baixo pH) RNA VIRAL 6. Replicação do RNA viral 4. Tradução (ribossomos) NÚCLEO PROTEÍNAS POLIPROTEÍNA ESTRUTURAIS E NÃO- ESTRUTURAIS 5. Auto-clivagem 7. Brotamento
  • 13. DIARRÉIA VIRAL BOVINA/ DOENÇA DAS MUCOSAS 4. FISIOPATOLOGIA INFECÇÃO PÓS-NATAL AGUDA -DIARRÉIA VIRAL BOVINA -DOENÇA DAS INFECÇÃO PRÉ-NATAL AGUDA MUCOSAS -ABORTAMENTO -MALFORMAÇÕES
  • 14. DIARRÉIA VIRAL BOVINA/ DOENÇA DAS MUCOSAS 4. FISIOPATOLOGIA 4.1 INFECÇÃO PÓS-NATAL AGUDA: DIARRÉIA VIRAL BOVINA INFECÇÃO EM MACRÓFAGOS -↓ RESPOSTA DE LΦ A MITÓGENOS E LINFÓCITOS -↓ QUIMIOTAXIA EM MONÓCITOS TROMBOCITOPENIA IMUNOSSUPRESSÃO DIARRÉIA HEMORRÁGICA PROCESSOS PATOLÓGICOS EPISTAXE RESPIRATÓRIOS PETÉQUIAS, EQUIMOSES EM MUCOSAS (Pasteurella haemolytica, IBR)
  • 15. DIARRÉIA VIRAL BOVINA/ DOENÇA DAS MUCOSAS 4. FISIOPATOLOGIA 4.2 INFECÇÃO PRÉ-NATAL AGUDA: DOENÇA DAS MUCOSAS, ABORTAMENTO E MALFORMAÇÕES IDADE FETAL DA INFECÇÃO PELO BVDV (DIAS) Concepção Nascimento 45 125 0 20 40 60 80 100 120 140 160 180 190 200 220 240 260 280 DESENVOLVIMENTO DOS PRINCIPAIS ÓRGÃOS E SISTEMAS DESENVOLVIMENTO DE RESPOSTA IMUNE MORTE DO EMBRIÃO FETOS COM INFECÇÃO PERSISTENTE/ VIREMIA -POSITIVOS PARA VÍRUS -NEGATIVOS PARA AC MALFORMAÇÕES POSSIVEL PERSISTÊNCIA NASCIMENTO: CLINICAMENTE NORMAIS; ↓ TAMANHO POSITIVOS PARA AC E SEM INFECÇÃO PERSISTENTE ABORTAMENTO
  • 16. DIARRÉIA VIRAL BOVINA/ DOENÇA DAS MUCOSAS 4. FISIOPATOLOGIA 4.2.1 INFECÇÃO PRÉ-NATAL AGUDA: ABORTAMENTOS INFECÇÃO FETAL ANTES DA METADE DA GESTAÇÃO -REPLICAÇÃO VIRAL EM TECIDOS -RESPOSTAS IMUNO-MEDIADAS FETAIS, AO TECIDOS FETAIS INFECTADOS INCLUINDO PLACENTA AUTÓLISE FETAL ABORTAMENTO (5-6 SEMANAS PÓS-INFECÇÃO)
  • 17. DIARRÉIA VIRAL BOVINA/ DOENÇA DAS MUCOSAS 4. FISIOPATOLOGIA 4.2.2 INFECÇÃO PRÉ-NATAL AGUDA: ABORTAMENTOS INFECÇÃO FETAL TARDIA ↑ CORTICOESTERÓIDES FETAIS ABORTAMENTO
  • 18. DIARRÉIA VIRAL BOVINA/ DOENÇA DAS MUCOSAS 4. FISIOPATOLOGIA 4.2.3 INFECÇÃO PRÉ-NATAL AGUDA: MALFORMAÇÕES INFECÇÃO ENTRE 100 E 150 DIAS DE GESTAÇÃO RESPOSTAS IMUNE-MEDIADAS AO TECIDOS FETAIS INFECTADOS ABORTAMENTO MORTALIDADE PERINATAL
  • 19. DIARRÉIA VIRAL BOVINA/ DOENÇA DAS MUCOSAS 4. FISIOPATOLOGIA 4.2.4 INFECÇÃO PRÉ-NATAL AGUDA: DOENÇA DAS MUCOSAS INFECÇÃO FETAL POR BVDV NÃO-CITOPATOGÊNICO ANTES DE 90 DIAS DE GESTAÇÃO INFECÇÃO PÓS-NATAL POR INFECÇÃO PERSISTENTE BVDV CITOPATOGÊNICO ANTIGENICAMENTE HOMÓLOGO AO BVDV NÃO- SEM RESPOSTA IMUNE A CITOPATOGÊNICO EM QUALQUER BIOTIPO DE BVDV QUESTÃO (TANTO CP QUANTO NÃO-CP) IMUNOTOLERÂNCIA AO BVDV EXPRESSÃO DA NS3 LESÕES TECIDUAIS (DOENÇA DAS MUCOSAS)
  • 20. DIARRÉIA VIRAL BOVINA/ DOENÇA DAS MUCOSAS 4. FISIOPATOLOGIA INFECÇÃO PRÉ-NATAL AGUDA: SÍTIOS DE PERSISTÊNCIA DO BVDV LEUCÓCITOS CÉLULAS DAS CRIPTAS INTESTINAIS NEURÔNIOS DO SNC (CÓRTEX CEREBRAL, HIPOCAMPO E MEDULA)
  • 21. DIARRÉIA VIRAL BOVINA/ DOENÇA DAS MUCOSAS 5. SINAIS E SINTOMAS DIARRÉIA VIRAL BOVINA PERÍODO DE INCUBAÇÃO: 5-7 DIAS FEBRE INAPETÊNCIA LEUCOPENIA DIARRÉIA DESCARGA ÓCULO-NASAL, EROSÕES/ ÚÍLCERAS EM MUCOSA ORAL QUEDA NA PRODUÇÃO DE LEITE FASE SINTOMÁTICA: POUCOS DIAS RECUPERAÇÃO COMPLETA 70-90% DAS INFECÇÕES: CLINICAMENTE INAPARENTES OU BRANDAS
  • 22. DIARRÉIA VIRAL BOVINA/ DOENÇA DAS MUCOSAS 5. SINAIS E SINTOMAS DOENÇA DAS MUCOSAS-FORMA AGUDA FEBRE, DEPRESSÃO, ANOREXIA TAQUICARDIA, POLIPNÉIA DESCARGA NASAL MUCO-PURULENTA EDEMA DE CÓRNEA QUEDA NA PRODUÇÃO DE LEITE DIARRÉIA AQUOSA PROFUSA, TENESMO LESÕES EM CAVIDAE ORAL, SALIVAÇÃO PROFUSA LEUCOPENIA SEVERA TROMBOCITOPENIA INFERTILIDADE NORMALMENTE FATAL MORTE EM 2 A 10 DIAS APÓS O INÍCIO DOS SINTOMAS
  • 23. DIARRÉIA VIRAL BOVINA/ DOENÇA DAS MUCOSAS 5. SINAIS E SINTOMAS DOENÇA DAS MUCOSAS-FORMA CRÔNICA DIARRÉIA CONTÍNUA OU INTERMITENTE DEPRESSÃO, INAPETÊNCIA EMACIAÇÃO PROGRESSIVA INFERTILIDADE EROSÕES EM MUCOSA ORAL E DO TRATO GÊNITO-URINÁRIO E PELE SOBREVIVÊNCIA POR ATÉ 18 MESES
  • 24. DIARRÉIA VIRAL BOVINA/ DOENÇA DAS MUCOSAS 5. SINAIS E SINTOMAS ABORTAMENTOS
  • 25. DIARRÉIA VIRAL BOVINA/ DOENÇA DAS MUCOSAS 5. SINAIS E SINTOMAS ABORTAMENTOS
  • 26. DIARRÉIA VIRAL BOVINA/ DOENÇA DAS MUCOSAS 5. SINAIS E SINTOMAS MALFORMAÇÕES HIPOPLASIA CEREBELAR
  • 27. DIARRÉIA VIRAL BOVINA/ DOENÇA DAS MUCOSAS 5. SINAIS E SINTOMAS MALFORMAÇÕES MICROENCEFALIA
  • 28. DIARRÉIA VIRAL BOVINA/ DOENÇA DAS MUCOSAS 5. SINAIS E SINTOMAS MALFORMAÇÕES HIDRANENCEFALIA
  • 29. DIARRÉIA VIRAL BOVINA/ DOENÇA DAS MUCOSAS 5. SINAIS E SINTOMAS MALFORMAÇÕES ATAXIA TREMORES PORENCEFALIA MIELINIZAÇÃO DEFECTIVA EM MEDULA ESPINAL DEGENERAÇÃO DE RETINA, MICROFTALMIA HIPOPLASIA DE TIMO E PULMÔES BRAQUIGNATISMO
  • 30. DIARRÉIA VIRAL BOVINA/ DOENÇA DAS MUCOSAS 6. CADEIA EPIDEMIOLÓGICA FONTES DE INFECÇÃO VIAS DE ELIMINAÇÃO -ANIMAIS COM INFECÇÃO EXSUDATOS ÓCULO- PERSISTENTE (VIREMIA NASAIS, SALIVA, URINA, PROLONGADA), FEZES, ABORTOS SINTOMÁTICOS OU NÃO -ANIMAIS COM FORMA PÓS- NATAL VIAS DE TRASMISSÃO AEROSSÓIS, ÁGUA, ALIMENTOS FÔMITES -TRANSPLANTES DE EMBRIÕES -VIA TRANSPLACENTÁRIA SUSCEPTÍVEIS -DM: ANIMAIS COM INFECÇÃO PORTAS DE ENTRADA PRÉ–NATAL COM BVDV Ñ-CP MUCOSA REPRODUTIVA, -DIARRÉIA: ADULTOS (VACAS) RESPIRATÓRIA E DIGESTIVA BEZERROS (?)
  • 31. DIARRÉIA VIRAL BOVINA/ DOENÇA DAS MUCOSAS 7. DIAGNÓSTICO 7.1 CLÍNICO-EPIDEMIOLÓGICO NASCIMENTO DE BEZERROS COM ANOMALIAS CONGÊNITAS ABORTAMENTOS ANIMAIS DE UMA MESMA IDADE APRESENTANDO SINTOMAS COMPATÍVEIS COM DOENÇA DAS MUCOSAS ↓ INDICADORES REPRODUTIVOS DO REBANHO
  • 32. DIARRÉIA VIRAL BOVINA/ DOENÇA DAS MUCOSAS 7. DIAGNÓSTICO 7.2 ANATOMIA PATOLÓGICA -ÚLCERAS E EROSÕES:-MUCOSA NASAL E ORAL -TERÇO SUPERIOR DO ESÔFAGO - RETÍCULO -PILARES DO RÚMEN -MARGENS DAS DOBRAS OMASAIS -ABOMASO -CONGESTÃO, EDEMA E HEMORRAGIAS EM ABOMASO -ENTERITE CATARRAL PLACAS DE PEYER HIPERPLÁSICAS COM MEMBRANA DIFTÉRICA E ÚLCERAS -ENCEFALITE, GLOMERULONEFRITE
  • 33. DIARRÉIA VIRAL BOVINA/ DOENÇA DAS MUCOSAS 7. DIAGNÓSTICO 7.3 HISTOPATOLOGIA *CRIPTAS DE LIEBERKÜHN: -NECROSE DE CÉLULAS EPITELIAIS -DILATAÇÃO -ACÚMULO DE MUCO, DEBRIS CELULARES E -CÉLULAS INFLAMATÓRIAS *LAMINA PROPRIA DAS PLACAS DE PEYER: COLAPSADA, COM NECROSE CELULAR DE LINFÓCITOS *ARTERÍOLAS DA SUBMUCOSA ENTÉRICA: VASCULITE NECROTIZANTE E ACÚMULO INTRAMURAL E PERIVASCULAR DE CÉLULAS MONONUCLEARES *LINFONODOS MESENTÉRICOS E BAÇO: NECROSE E DEPLEÇÃO DE LINFÓCITOS
  • 34. DIARRÉIA VIRAL BOVINA/ DOENÇA DAS MUCOSAS 7. DIAGNÓSTICO 7.3 DIAGNÓSTICO DIRETO – DETECÇÃO DO BVDV AMOSTRAS: - SANGUE (FASE BRANCA) - TECIDOS (ENTÉRICO, REPRODUTIVO) - ABORTOS TÉCNICAS: ISOLAMENTO EM CULTIVO CELULAR (CÉLULAS MDBK) REAÇÃO EM CADEIA PELA POLIMERASE (DETECÇÃO DO RNA VIRAL) DIAGNÓSTICO DE DOENÇA DAS MUCOSAS: IDENTIFICAÇÃO DE BVDV CITOPATOGÊNICO DIAGNÓSTICO DE ANIMAL COM IDENTIFICAÇÃO DE BVDV INFECÇÃO PERSISTENTE: NÃO CITOPATOGÊNICO
  • 35. DIARRÉIA VIRAL BOVINA/ DOENÇA DAS MUCOSAS 7. DIAGNÓSTICO 7.4 DIAGNÓSTICO INDIRETO – DETECÇÃO DE ANTICORPOS ANTI-BVDV AMOSTRA: SORO SANGÜÍNEO TESTE: ELISA SORONEUTRALIZAÇÃO FREQÜÊNCIA ESPERADA DE ANTICORPOS: 60-90%
  • 36. DIARRÉIA VIRAL BOVINA/ DOENÇA DAS MUCOSAS 7. DIAGNÓSTICO 7.5 DIAGNÓSTICO INDIRETO X DIAGNÓSTICO DIRETO AUSÊNCIA DE AUSÊNCIA DE PRESENÇA DE ANTICORPOS E ANTICORPOS E ANTICORPOS EM PRESENÇA DE BVDV PRESENÇA DE BVDV ANIMAL COM CITOPATOGÊNICO NÃO-CITOPATOGÊNICO INFECÇÃO PERSISTENTE -INFECÇÃO POR BVDV Ñ-CP -INFECÇÃO POR BVDV Ñ-CP LEVOU Á IMUNOTOLERÂNCIA LEVOU Á IMUNOTOLERÂNCIA INFECÇÃO POR DUAS -INFECÇÃO POR BVDV CP -AUSÊNCIA DE BVDV CP AMOSTRAS DE BVDV ANTIGENICAMENTE SIMILAR ANTIGENICAMENTE LEVOU À DOENÇA DIFERENTES DIAGNÓSTICO: INFECÇÃO PERSISTENTE DIAGNÓSTICO: DOENÇA DAS MUCOSAS
  • 37. DIARRÉIA VIRAL BOVINA/ DOENÇA DAS MUCOSAS 7. DIAGNÓSTICO 7.6 DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL 1. DISENTERIA DE INVERNO (CORONAVÍRUS BOVINO) 2. FEBRE AFTOSA 3. ESTOMATITE VESICULAR 4. FEBRE CATARAL MALIGNA 5. COCCIDIOSE, SALMONELOSE, HELMINTÍASES ENTÉRICAS 6. DOENÇA DE JOHNE
  • 38. DIARRÉIA VIRAL BOVINA/ DOENÇA DAS MUCOSAS 8. PREVENÇÃO E CONTROLE 8.1 MEDIDAS RELATIVAS ÀS FONTES DE INFECÇÃO 1 . DETECÇÃO DE INFECÇÃO PERSISTENTE EM ANIMAIS COM MAIS DE SEIS MESES DE IDADE 2. ELIMINAÇÃO DE ANIMAIS COM INFECÇÃO PERSISTENTE PODE RESULTAR EM REBANHO IMUNOLOGICAMENTE VULNERÁVEL
  • 39. DIARRÉIA VIRAL BOVINA/ DOENÇA DAS MUCOSAS 8. PREVENÇÃO E CONTROLE 8.2 MEDIDAS RELATIVAS ÀS VIAS DE TRANSMISSÃO 1. REPRODUTORES SEM INFECÇÃO PERSISTENTE PARA REPRODUÇÃO ↓ TRANSMISSÃO TRANSPLACENTÁRIA E POR TRANSFERÊNCIA DE EMBRIÔES 2. MEDIDAS INESPECÍFICAS : DESINFECÇÃO DE FÔMITES DESINFECÇÃO E ESTERILIZAÇÃO DE EQUIPAMENTOS E MATERIAL MÉDICO
  • 40. DIARRÉIA VIRAL BOVINA/ DOENÇA DAS MUCOSAS 8. PREVENÇÃO E CONTROLE 8.1 MEDIDAS RELATIVAS AOS SUSCEPTÍVEIS VACINAÇÃO -VACINAS INATIVADAS CONTENDO SIMULTANEAMENTE BDVD CITOPATOGÊNICO E BVDV NÃO-CITOPATOGÊNICO - ADULTOS, VACAS PRENHES E BEZERROS -BEZERROS DE MÃES VACINADAS: VACINAR APÓS 6 MESES DE IDADE (↓ ANTICORPOS MATERNOS)* - REVACINAÇÃO ANUAL COM DOSE ÚNICA ANIMAIS COM INFECÇÃO PERSISTENTE: ↓ RESPOSTA À VACINAÇÃO
  • 41. DIARRÉIA VIRAL BOVINA/ DOENÇA DAS MUCOSAS 8. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS DEL FAVA, C.; ARCARO, J.R.P.; POZZI, C.R.; ARCARO JÚNIOR, I.;, FAGUNDES, H.; PITUCO, E.M.; DE STEFANO, E.; OKUDA, L.H.;, VASCONCELLOS, S.A. Manejo sanitário para o controle de doenças da reprodução em um sistema leiteiro de produção semi-intensivo. Arq. Inst. Biol., São Paulo, v.70, n.1, p.25-33, 2003. GOENS, S. D. The evolution of bovine viral diarrhea: a review. Can. Vet. J., v. 43, p.946-954, 2002. HARKNESS, J. W.; VAN DER LUGT, J. J. Bovine viral diarrhoea and mucosal disease. In COETZER, J. A. W.; THOMSON, G. R.; TUSTIN, R. C. Infectious Diseases of Livestock, p.643-650. Cape Town: Oxford University Press, 1994. WWW.AGRICULTURA.GOV.BR WWW.OIE.INT

×