Metodologia CientíficaMetodologia CientíficaÊnfase em Pesquisa TecnológicaÊnfase em Pesquisa TecnológicaAutor: Prof. Carlo...
2SumárioSumário! Fundamentos Científicos! Ciência! Conhecimento Científico! Hipótese, Achado, Modelo, Teoriae Lei Científi...
3O que é Ciência ?O que é Ciência ?É a atividade que propõe a aquisiçãosistemática do conhecimento sobre anatureza biológi...
4Função da CiênciaFunção da Ciência“A principal é o aperfeiçoamento doconhecimento em todas as áreas paratornar a existênc...
5Conhecimento CientíficoConhecimento CientíficoMeios de aquisição de conhecimentos:INTUIÇÃOEXPERIMENTAÇÃORACIONALIZAÇÃOAQU...
6Conhecimento CientíficoConhecimento CientíficoA IntuiçãoA intuição é uma função especial da mente humana, queage pelo pen...
7Conhecimento CientíficoConhecimento CientíficoO Empirismo (Galileu e Bacon séc. XVII)Significa “experiência”É uma doutrin...
8Conhecimento CientíficoConhecimento CientíficoA Razão – Racionalização (Descartes séc. XVII)Doutrina que afirma que a raz...
9Conhecimento CientíficoConhecimento CientíficoA qualidade do conhecimento científico édependente da forma de aquisição qu...
10Conhecimento Científico ProdutivoConhecimento Científico ProdutivoINTUIÇÃOEXPERIMENTAÇÃORACIONALIZAÇÃOCriatividade e Idé...
11Conhecimento Científico x TécnicoConhecimento Científico x TécnicoLeigoTécnicoCientíficoProcedimento= Eu Acho que...==Qu...
12Classificação da CiênciaClassificação da CiênciaFormaisCiências PurasFactuaisCiências AplicadasFilosofiaMatemáticaNatura...
13Classificação da CiênciaClassificação da Ciência! Ciências Formais ou PurasOs objetos das ciências formais ou puras são ...
14Classificação da CiênciaClassificação da Ciência! Ciências Factuais ou AplicadasOs objetos das ciências factuais ou apli...
15Fundamentos CientíficosFundamentos Científicos! Utiliza métodos objetivos e confiáveis para se chegar a“verdade”;! A “ve...
16! A verdade sobre um conhecimento nunca é obtidaintegralmente, mas sim através de modelossucessivamente mais próximos;! ...
17Fundamentos CientíficosFundamentos Científicos! ObservaçãoQuando se utiliza os sentidos na obtenção dedeterminados aspec...
18Fundamentos CientíficosFundamentos CientíficosObservação assistemáticaNão existe planejamento e controle previamente ela...
19Fundamentos CientíficosFundamentos CientíficosObservação na vida factual (real)Os dados são registrados na medida que oc...
20Fundamentos CientíficosFundamentos Científicos! ExperimentaçãoForma de aquisição do conhecimento em que opesquisador fix...
21Fundamentos CientíficosFundamentos CientíficosExperimentação em campoOs dados são registrados a partir das reações resul...
22Fundamentos CientíficosFundamentos Científicos! Hipótese Científica! Um conjunto estruturado de argumentos e explicações...
23HipótesesHipótesesHipótese afirmativa – positiva“O aquecimento dos microprocessadores é resultante dasreduzidas dimensõe...
24Fundamentos CientíficosFundamentos CientíficosHipótese Coleta de Dados ConclusãoUtilizar um CD-ROM noensino de informáti...
25Fundamentos CientíficosFundamentos Científicos! Níveis de Hipóteses (BUNGE, 1969)– Hipótese de Ocorrência– Hipótese Empí...
26Hipótese de OcorrênciaHipótese de OcorrênciaSão hipóteses que não encontram apoio nasevidências experimentais dos fatos ...
27Hipótese EmpíricaHipótese EmpíricaSão hipóteses que têm a seu favor algumas evidênciasexperimentais preliminares que jus...
28Hipótese PlausívelHipótese PlausívelSão hipóteses que se inter-relacionam de formaconsistente com as teorias existentes....
29Hipótese ConvalidadaHipótese ConvalidadaSão hipóteses que se fundamentam em um sistema deteorias, assim como as plausíve...
30Fundamentos CientíficosFundamentos Científicos! Achados Científicos! Informações produzidas a partir de dados coletados ...
31Fundamentos CientíficosFundamentos Científicos! Modelo Científico! Uma representação lógica, um conjunto de mecanismosvi...
32Modelos CientíficosModelos CientíficosOs modelos são utilizados para representar os conhecimentoscientíficos obtidos atr...
33Modelos CientíficosModelos CientíficosÉ muito dispendioso, e nada prático, construir todas as alternativaspossíveis do s...
34Modelos CientíficosModelos Científicos114 87M.5-P01M.5-P01/TM.5-S02M.1- TM.1+vccM.5-A01/TM.5-E01/TC36C39C40C38R31C37CI.7...
35Modelos CientíficosModelos CientíficosPainel FrontalPlaca de Circuito ImpressoAltura da Placa aoPainelVariável 3Capacitâ...
36Modelos Estáticos e DinâmicosModelos Estáticos e DinâmicosO modelo dinâmico viabiliza o estudolongitudinal do comportame...
37Domínio do Modelo CientíficoDomínio do Modelo CientíficoMODELO CIENTÍFICOEntrada do Sistema Saída do Sistema
38Modelo SistêmicoModelo SistêmicoProduto ouProcessoParâmetros+RelaçõesEstímulo Inicial(VariávelIndependente)Resultado(Var...
39Modelo QuantitativoModelo QuantitativoA modelagem quantitativa é muito utilizada nas ciências emgeral para suporte a tra...
40Modelo QualitativoModelo QualitativoOs modelos qualitativos são aqueles formulados a partir dedescrições intuitivas do p...
41Modelos CientíficosModelos Científicos -- TiposTiposModelo IcônicoModelo IcônicoTridimensionalModelo Icônico Bidimension...
42Modelo Icônico BidimensionalModelo Icônico BidimensionalExemplo: Placa de Circuito Impresso
43Modelo Icônico TridimensionalModelo Icônico TridimensionalPainel FrontalPlaca de Circuito ImpressoSuporte para Fixação d...
44Modelo DiagramáticoModelo DiagramáticoExemplo: Fluxograma de LaboratórioCORRENTE RESISTÊNCIATENSÃOEntrada Entrada Entrad...
45Modelo EsquemáticoModelo EsquemáticoExemplo: Esquema Eletrônico
46Modelo GráficoModelo GráficoExemplo: Gráfico de Linhas01 02 03 04 05 06 01 º M ê s 3 º M ê s 6 º M ê s 9 º M ê s 1 2 º M...
47Modelo MatemáticoModelo MatemáticoExemplo: EquaçãoE = Tensãoda BateriaR = ResistênciaR = E ÷÷÷÷ II = CorrenteModelo Mate...
48Modelos CientíficosModelos CientíficosAplicações na Engenharia e InformáticaVisualização, da natureza do sistema e do se...
49Modelos CientíficosModelos CientíficosAplicações na Engenharia e InformáticaControle, da execução do projeto e construçã...
50Fundamentos CientíficosFundamentos Científicos! Teoria CientíficaA teoria tem um caráter explicativo mais universal do q...
51Fundamentos CientíficosFundamentos Científicos! Lei Científica! Uma relação entre fenômenos, uma seqüência deacontecimen...
52Hierarquia do Saber CientíficoHierarquia do Saber CientíficoÉ o nível mais alto do saber científico, tendo todoo alcance...
53Fundamentos CientíficosFundamentos CientíficosValidade científicaEnquadramento na ciênciaFinalidade científicaUtilização...
54Ciência e MétodoCiência e MétodoA ciência somente aceita como verdadeiroo que confirmável mediantecomprovação compatível...
55O que é Método Científico ?O que é Método Científico ?Conjunto de etapas ordenadamentedispostas a serem executadas nainv...
56Método CientíficoMétodo CientíficoAnáliseRelação quantitativa existente entre os elementos do fenômenoObservação / Exper...
57Método CientíficoMétodo Científico Exemplo AplicadoHipóteseExiste uma força regular e calculável de atração entre duas m...
58Método CientíficoMétodo CientíficoMetasProjetoProblemaSolução Modelo CientíficoNecessidadeProcessoProtótipo - SFRAvaliaç...
59O que é Metodologia Científica ?O que é Metodologia Científica ?Conjunto de técnicas e processosutilizados pela ciência ...
60Metodologia CientíficaMetodologia Científica Exemplo AplicadoIntroduçãoProblematizaçãoDefinição do ProblemaGeração de Al...
61Porque o Método é Utilizado ?Porque o Método é Utilizado ?Os objetivos fundamentais do uso do Método Científico são:! Pr...
62Porque o Método é Utilizado ?Porque o Método é Utilizado ?Fornecimento de suporte metodológico erepresentacional ao pens...
63Porque o Método é Utilizado ?Porque o Método é Utilizado ?Redução dos vários tipos de interferênciaspessoais (emocionais...
64Caracterização do MétodoCaracterização do MétodoO método científico se caracteriza por observarou realizar experimentaçõ...
65Domínio do Modelo CientíficoDomínio do Modelo CientíficoMODELO CIENTÍFICOEntrada do Sistema Saída do SistemaDomínio do M...
66VariáveisVariáveisY = f.XVariável Dependente Variável IndependenteFunção = Parâmetros + Relacionamentos Internosdo Model...
67Variável IndependenteVariável Independente! Variáveis Independentes:São aquelas que se introduz intencionalmentepara ver...
68Variável IndependenteVariável IndependenteCargaSão Introduzidas pelaação do pesquisadorTransmissorVariação dePotência fe...
69Variável DependenteVariável Dependente! Variáveis Resposta ou Dependentes:São aquelas cujo comportamento se querverifica...
70Variável DependenteVariável DependenteTransmissorVariação dePotência feitapelo pesquisador1 Watt1,5 Watt5 Watts10 WattsW...
71Variável Espúria ou de ControleVariável Espúria ou de Controle! Variáveis Espúrias:São variáveis que não são diretamente...
72Variável Espúria ou de ControleVariável Espúria ou de ControleTransmissor1º Experimento a 20º Máximo sinal = 25 dBmOscil...
73Variável ModeradoraVariável Moderadora! Variáveis Moderadoras:É aquele fator ou propriedade que também écausa, condição,...
74Variável ModeradoraVariável Moderadora Exemplo AplicadoTransmissorVariação dePotência feitapelo pesquisador1 Watt1,5 Wat...
75Variável IntervenienteVariável Interveniente! Variáveis Intervenientes:É aquele fator ou propriedade que teoricamenteafe...
76Variável IntervenienteVariável Interveniente“Crianças que foram bloqueadas na consecução de seusobjetivos, mostram-se ma...
77Sistema, Amostra ou Modelo de ControleSistema, Amostra ou Modelo de ControleVariáveis TotalmenteControladasSão utilizado...
78Métodos CientíficosMétodos CientíficosMétodo Indutivo (Galileu e Bacon, séc. XVII)Descoberta de princípios gerais a part...
79Método IndutivoMétodo IndutivoUtilização da Lógica IndutivaEstrutura MolecularEquipamentoComponenteMICROPROCESSADOR
80Método IndutivoMétodo Indutivo –– proposto por Galileuproposto por GalileuO método indutivo proposto por Galileu,baseia-...
81Método IndutivoMétodo Indutivo –– proposto por Galileuproposto por Galileu! InduçãoEste imã atrai o ferro.Ora, aquele im...
82Método IndutivoMétodo Indutivo –– proposto por Galileuproposto por Galileu! InduçãoA Terra, Marte, Vênus e Júpiter são d...
83Método IndutivoMétodo Indutivo –– proposto por Galileuproposto por GalileuAnáliseRelação quantitativa existente entre os...
84Método IndutivoMétodo Indutivo –– proposto por Baconproposto por BaconO método proposto por Bacon, baseia-se naobservaçã...
85Método IndutivoMétodo Indutivo –– proposto por Baconproposto por BaconExperimentaçãoColeta de dados sobre o fenômeno de ...
86Comparativo entre Galileu e BaconComparativo entre Galileu e BaconConstata-se uma grande semelhança entre o método deGal...
87Método DedutivoMétodo DedutivoUtilização da Lógica DedutivaEstrutura MolecularEquipamentoComponenteMICROPROCESSADOR
88Método DedutivoMétodo Dedutivo –– propostoproposto por Descartespor DescartesO método dedutivo propõe resolver problemas...
89Método DedutivoMétodo Dedutivo –– propostoproposto por Descartespor DescartesTodos os metais conduzem eletricidade.Ora, ...
90Método DedutivoMétodo Dedutivo –– propostoproposto por Descartespor DescartesTodos os homens são honestos.Ora, os ladrõe...
91O Método constitui-se de quatro regras parautilização da dedução.Pela Regra da EvidênciaPela Regra da AnálisePela Regra ...
92! Deve-se evitar todas as prevenções, conjuntosde preconceitos e precipitaçõesAnalisar o problema ou fatosimplesmente co...
93! Deve-se dividir o problema, ou seja, fracionar oproblema em um número maior de partes, paramelhor serem analisados.Fra...
94! Deve-se distinguir os problemas mais simples(independentes e absolutos) dos problemasmais complexos (condicionados ou ...
95! Deve-se selecionar exclusivamente o que fornecessário e suficiente para a solução doproblema.Descobrir, medir, analisa...
96! Proposto por Popper, séc. XX, tem por princípio colocaros conhecimentos já existentes em questionamento, parasurgirem ...
97Método HipotéticoMétodo Hipotético--DedutivoDedutivoNo método dedutivo procura-se confirmar ahipótese, no hipotético-ded...
98Método HipotéticoMétodo Hipotético--DedutivoDedutivoProblemaConhecimento PrévioReferencial TeóricoObservação Fatos, Fenô...
99Outros Métodos CientíficosOutros Métodos Científicos• Método da Aplicação direta de uma teoria;• Método de rever hipótes...
100Outros Métodos CientíficosOutros Métodos Científicos• Método fenomenológico;• Método teratológico;• Método da dicotomia...
101Qual o Método mais Adequado ?Qual o Método mais Adequado ?Nem todos os campos da ciência obtémsuas conclusões da mesma ...
102Qual o Método a Utilizar ?A PESQUISA EM CIÊNCIAS EXATAS ETECNOLÓGICASFísica, Química, Informática e EngenhariasA PESQUI...
103Comparativo MetodológicoComparativo MetodológicoMétodo Científico– HIPÓTESE– OBSERVAÇÃO– EXPERIMENTAÇÃO– TESE / TESTAGE...
104Paradigma PositivistaParadigma Positivista! Há uma realidade única, tangível, fragmentável epassível de predição e cont...
105Paradigma PositivistaParadigma Positivista! Há uma relação linear entre causas e efeitos.As ações e os acontecimentos t...
106Paradigma NaturalistaParadigma Naturalista! Existem realidades múltiplas, holísticas, socialmenteconstruídas. Cada real...
107Paradigma NaturalistaParadigma Naturalista! Não se pode generalizar os resultados da pesquisa,válidos apenas em tempo e...
108Pesquisa e DesenvolvimentoPesquisa e Desenvolvimento! Pesquisa é utilizada para a descoberta denovos conhecimentos! Des...
109Pesquisa e DesenvolvimentoPesquisa e DesenvolvimentoPesquisa + Desenvolvimento = ProdutosProduto = Bens tangíveis e Ben...
110O Que é Pesquisa ?O Que é Pesquisa ?! É o processo através do qual as pessoasadquirem um novo conhecimento sobre simesm...
111Onde Estão os PesquisadoresOnde Estão os Pesquisadores0102030405060708090Brasil U.S.AUniversidadesCentros de PesquisaEm...
112Dados Sobre PesquisasDados Sobre Pesquisas! Existem no Brasil 77 mil pesquisadores de tecnologia! Outros 62 mil são est...
113Tipos de PesquisasTipos de PesquisasQuanto aNaturezaQuanto aosObjetivosQuanto aosProcedimentosPesquisa BásicaPesquisa A...
114Tipos de Pesquisa, Quanto aTipos de Pesquisa, Quanto a NaturezaNaturezaA ciência apresenta uma diferenciação emrelação ...
115Pesquisa CientíficaPesquisa Científica -- FinalidadesFinalidades! Pesquisa Básica! Entender os fenômenos naturais;! Não...
116Pesquisa BásicaPesquisa BásicaPesquisador no Brasil em 1996Produziu o ResultadoRPesquisador na Alemanha em 1999Produziu...
117Pesquisa TecnológicaPesquisa Tecnológica ExemploConhecimentos obtidos pela Pesquisa BásicaEstudo da Constituição Molecu...
118Pesquisa TecnológicaPesquisa TecnológicaSoftwareTecnologia de Administração,Economia e Contabilidade+ = Software Aplica...
119Pesquisa Básica e TecnológicaPesquisa Básica e TecnológicaExemplos AssociativosPesquisa Básica = Mecânica estática e ci...
120Pesquisa TecnológicaPesquisa Tecnológica -- ObjetivoObjetivoA pesquisa aplicada (tecnológica) tem comoobjetivo alcançar...
121Pesquisa TecnológicaPesquisa Tecnológica -- MetasMetasOtimizar um Produto ou ProcessoObter uma Marca ou PatenteProduzir...
122Comparativo MetodológicoComparativo MetodológicoPESQUISA BÁSICA– OBSERVAÇÃO OUEXPERIMENTAÇÃO- HIPÓTESE– TESE / TESTAGEM...
123Tipos de Pesquisa, Quanto aosTipos de Pesquisa, Quanto aos ObjetivosObjetivosO planejamento de uma pesquisa depende do ...
124Pesquisa ExploratóriaPesquisa Exploratória! Tem por finalidade a descoberta de práticas oudiretrizes que precisam ser m...
125Pesquisa DescritivaPesquisa Descritiva! A pesquisa descritiva tem por finalidade observar,registrar e analisar os fenôm...
126Pesquisa ExplicativaPesquisa Explicativa (Hipotética(Hipotética--Dedutiva)Dedutiva)! Tem por objetivo ampliar generaliz...
127Tipos de Pesquisa, Quanto aosTipos de Pesquisa, Quanto aos ProcedimentosProcedimentosA execução de uma pesquisa depende...
128Pesquisa BibliográficaPesquisa Bibliográfica! A pesquisa bibliográfica tem por finalidade conheceras diferentes formas ...
129Pesquisa DocumentalPesquisa Documental! Tem por finalidade conhecer os diversos tipos dedocumentos e provas existentes ...
130Pesquisa ExperimentalPesquisa Experimental! Destina-se a obtenção por experimentação de novossistemas, produtos ou proc...
131Pesquisa OperacionalPesquisa Operacional! A finalidade é o desenvolvimento de métodos etécnicas para a solução de probl...
132PesquisaPesquisa –– Estudo de CasoEstudo de Caso! Quando envolve o estudo profundo e exaustivo deum ou poucos objetos d...
133PesquisaPesquisa--AçãoAção! Quando concebida e realizada em estreita emassociação com uma ação ou com a resolução de um...
134Pesquisa ParticipantePesquisa Participante! Quando se desenvolve a partir da interação entrepesquisadores e membros da ...
135Pesquisa ExpostPesquisa Expost--FactoFacto! Quando o “experimento” se realiza após os fatos.
Pesquisa BásicaPesquisa Básica
137Classificação Quanto aos ObjetivosClassificação Quanto aos Objetivos! Pesquisa Exploratória:É a coleta de dados e infor...
138ComparativoComparativoProduz interpretações acerca dascausas e funcionamento dosfenômenosColeta dados para verificarhip...
139Classificação Quanto a IntervençãoClassificação Quanto a Intervenção! Estudo Observacional:O pesquisador anota dados e ...
140ComparativoComparativoDescreve as conseqüências dasintervençõesIdentifica os mecanismos e asassociações ou interaçõesPe...
141Classificação Quanto ao TempoClassificação Quanto ao Tempo! Estudo Transversal:O pesquisador coleta os dados do experim...
142ComparativoComparativoÉ relativamente lentoConsome mais recursosÉ mais suscetível a variáveisespúriasAvalia toda a dinâ...
143Avaliação Comparativa dos EstudosAvaliação Comparativa dos EstudosTransversalObservacionalExploratóriaMenor valor cient...
144Avaliação Quantitativa dos Estudos CientíficosAvaliação Quantitativa dos Estudos CientíficosTipo de Pesquisa / EstudoMe...
145Escolha por Critério EconômicoEscolha por Critério EconômicoTransversalObservacionalExploratóriaMenorLongitudinalExperi...
Pesquisa TecnológicaPesquisa Tecnológica
147Etapas de uma PesquisaEtapas de uma Pesquisa! Escolha do tema! Projeto de pesquisaElaboração! Projeto de pesquisaFormat...
Escolha do Tema da PesquisaEscolha do Tema da Pesquisa
149Como Definir o Tema ?Como Definir o Tema ?! Conhecimento anterior do tema;! Pesquisas em andamento (internet);! Literat...
Projeto de PesquisaProjeto de PesquisaElaboraçãoElaboração
151FundamentosFundamentos! A elaboração de um projeto de pesquisa é umprocesso em que, a partir de uma necessidade,se esco...
152FundamentosFundamentosFome Alimento Onde Comer Ir ao RestauranteNECESSIDADE TEMA PROBLEMA SOLUÇÃOO que Comer PãoFilé e ...
153FundamentosFundamentos! O sucesso financeiro da pesquisa está relacionado adeterminação da necessidade correta.! A efic...
154FundamentosFundamentosBasicamente a fase de elaboração dapesquisa é uma fase de construçãoMentalPortanto: Pensar em uma...
155FundamentosFundamentos! Necessariamente devem ocorrer etapas, deforma que os mesmos aspectos sejamretomados ciclicament...
156Fases de Elaboração do ProjetoFases de Elaboração do Projeto! A elaboração de um projeto de pesquisa pode serconcebida ...
157O quê ?O quê ?! Neste primeiro momento definir-se-á oproblema a investigar.Procura-se responder às perguntas:O que será...
158Como ?Como ?! Como resposta a esta questão definir-se-á ametodologia.Responde-se às perguntas:Como se pretende chegar a...
159Quando ?Quando ?! Este terceiro passo consiste em definir umcronograma.Responde-se a pergunta:Quando se realizarão as a...
160Com que ?Com que ?! Em resposta a esta questão procede-se a umestudo de viabilidade, prevendo os recursosnecessários à ...
161Elaboração do ProjetoElaboração do Projeto ResumoResumo! Deve-se Ampliar as respostas às questões:O quê ? Como ? Quando...
162O que ?O que ?! Qual a idéia geral ?! Qual o tema da pesquisa ?! Qual o problema ou dificuldade a solucionar ?! Qual a ...
163Como ?Como ?! O que será feito para solucionar o problema ?! Como serão coletados os dados ?! Como se obter as informaç...
164Quando ?Quando ?! Qual o tempo total a ser utilizado na pesquisa ?! Qual o tempo que disponho ?! Qual o tempo reservado...
165Com que ?Com que ?! Que recursos serão necessários ?! Que materiais serão utilizados ?! Que pessoas serão empregadas ?!...
166Elaboração do ProjetoElaboração do Projeto ConclusõesConclusões! A descrição que foi apresentada constitui o quese deno...
167Elaboração do ProjetoElaboração do Projeto DetalhadaDetalhada! O que ?Qual o tema ?Qual o problema ?Quais os subproblem...
Projeto de PesquisaProjeto de PesquisaFormataçãoFormatação
169Metodologia BásicaMetodologia BásicaCapaIdentificaçãoJustificativaObjetivosMetasResultados EsperadosMetodologiaDifusão ...
170Metodologia BásicaMetodologia Básica Fonte: FACCATCapaTítuloResponsabilidade e ExecuçãoHistórico do ProblemaObjetivosJu...
FormataçãoFormataçãoExemplo Aplicado
172PaginaçãoPaginação! Folha = A4 (Papel = 90 g/cm²) (Arquivo / Configurar Página)! Espaçamento entre linhas = 1,5 (Format...
173CapaCapaNOME DA UNIVERSIDADE OU MANTENEDORANOME DO CENTRO, INSTITUTO OU FACULDADE ISOLADAPESQUISA OU CURSO DE GRADUAÇÃO...
174Corpo do TrabalhoCorpo do Trabalho1. Título da pesquisa2. Identificação do autor
175Corpo do TrabalhoCorpo do Trabalho! O título deve ser conciso e o mais descritivo possível;! Evitar palavras vazias com...
176TítulosTítulos ExemplosTítulo Avaliação de sistemas de videoconferência.Autor Leopoldino, Graciela MachadoTítulo Aplica...
177Corpo do TrabalhoCorpo do Trabalho! Nome do autor! Nº Identidade! Nº CPF! Endereço residencial! Endereço comercial! Tel...
178Corpo do TrabalhoCorpo do Trabalho3. Histórico do Problema (Revisão Bibliográfica)Descrição coerente do estado do conhe...
179Corpo do TrabalhoCorpo do Trabalho4. ObjetivosLista dos objetivos da pesquisa. Pode sersubdividido em Objetivos Gerais ...
180Objetivo GeralObjetivo GeralDesenvolver um modelo científico de estúdio deprodução em rádio, para ser utilizado comoref...
181Objetivos EspecíficosObjetivos Específicos1. Formular, a partir de um estudo analítico, umreferencial teórico-prático s...
182Corpo do TrabalhoCorpo do Trabalho5. JustificativaApresentação de argumentos que enfatizem aimportância científica, soc...
183Corpo do TrabalhoCorpo do Trabalho6. Material e Métodos (Metodologia)Detalhar o conjunto de métodos selecionados, ousej...
184Material e MétodosMaterial e MétodosConceitualmente o método a ser empregado baseia-seno que Lakatos & Marconi (1991, p...
185Material e MétodosMaterial e Métodos7.2.4 Etapa IV – Estudo Analítico dos Modelos ProfissionaisA partir desta etapa, qu...
186Material e MétodosMaterial e Métodos7.2.4.1 Análise Diacrônica do Desenvolvimento Histórico dos EstúdiosNa análise serã...
187Corpo do TrabalhoCorpo do Trabalho7. CronogramaXDefesa dosResultadosXXXRedação eFormataçãoXRelatório dePesquisaXXAnális...
188Corpo do TrabalhoCorpo do Trabalho8. OrçamentoDISCRIMINAÇÃO DISPONÍVEL A FINANCIARQuant.Custo Unitário(R$)Total Item Qu...
189Corpo do TrabalhoCorpo do Trabalho8. Orçamento 8.4 Quadro Resumo do OrçamentoDISCRIMINAÇÃO DISPONÍVEL A FINANCIARMateri...
190Corpo do TrabalhoCorpo do Trabalho9. Referências Bibliográficas10. Bibliografia a ser consultadaRelacionar a bibliograf...
191Formatação de QuadrosFormatação de QuadrosQuadro 1: Unidades DerivadasFonte: Vassallo, 1981, pág.10Grandeza Nome daUnid...
192Formatação de FigurasFormatação de FigurasMargem EsquerdaFigura 2: Distância entre componentes emfunção do tipo de Knob...
FormataçãoFormataçãoExemplo AplicadoOutros capítulos que podem ser adicionados
194MetasMetas! Estabelecer metas significa quantificar os objetivos.! Deve-se relacionar as metas que possibilitarãoalcanç...
195MetasMetas Exemplo1. Estudar analiticamente, através da aplicação decinco técnicas, os modelos de estúdios utilizados e...
196MetasMetas Exemplo4. Verificar, avaliar, otimizar e comprovar o modelocientífico proposto através do protótipo construí...
197Resultados EsperadosResultados Esperados! Indicar a utilização dos resultados, descrevendo osmecanismos de transferênci...
198Resultados EsperadosResultados Esperados“Com a implementação do mercado virtual, espera-se que haja umamaior integração...
199MetodologiaMetodologia! Detalhar a metodologia a ser adotada, discriminando asatividades necessárias à execução física ...
200MetodologiaMetodologia ExemploNa metodologia pode ser apresentado um modelo diagramático com aposterior descrição da im...
201MetodologiaMetodologia- Visão e escopo do projeto;- Projeto lógico do ambiente;- Definição da comunidade aprendente;- D...
202Difusão TecnológicaDifusão Tecnológica! Relacionar os cursos, seminários ou eventos que sedestinaram a difundir a pesqu...
203Difusão TecnológicaDifusão Tecnológica ExemploFonte: Projeto de Pesquisa, Prof. Francisco A. M. do Nascimento, M.Sc.NOM...
204Material / OrçamentoMaterial / OrçamentoMaterial ExistenteDespesas com PessoalDiárias a PagarMaterial de ConsumoRemuner...
205Critérios de AvaliaçãoCritérios de AvaliaçãoPESQUISA BÁSICA– Criatividade– Pensamento científico– Eficácia– Habilidade ...
206Critérios de AvaliaçãoCritérios de Avaliação! Na pesquisa básica o “pensamento científico” que éavaliado fundamentalmen...
207Pesquisa Científica (Básica)Pesquisa Científica (Básica)Parâmetros de AvaliaçãoParâmetros de Avaliação -- ExemplosExemp...
208Pesquisa Científica (Básica)Pesquisa Científica (Básica)Parâmetros de AvaliaçãoParâmetros de Avaliação -- ExemplosExemp...
209Pesquisa Científica (Tecnológica)Pesquisa Científica (Tecnológica)Parâmetros de AvaliaçãoParâmetros de Avaliação -- Exe...
210Pesquisa Científica (Tecnológica)Pesquisa Científica (Tecnológica)Parâmetros de AvaliaçãoParâmetros de Avaliação -- Exe...
Linguagem CientíficaLinguagem CientíficaConstrução de Textos Científicos
212Construção de TextosConstrução de Textos! Evitar a utilização das primeiras pessoas do singulare do plural. As formas i...
213Construção de TextosConstrução de Textos! Não utilizar palavras coloquiais. Em um texto científico,deve-se tomar cuidad...
214Construção de TextosConstrução de Textos! Não utilizar em demasia palavras repetidas ou com amesma sonoridade:Errado......
215Construção de TextosConstrução de Textos! Casos onde se adota a utilização do itálico:Expressões em língua estrangeiraT...
216Construção de TextosConstrução de Textos! Todas as palavras em língua estrangeira devem estarem itálico:Errado... o sof...
217Construção de TextosConstrução de Textos! Casos onde se adota a utilização do negrito ou sublinhadoÊnfase de palavras o...
218CitaçõesCitações“Citação é a menção no texto de uma informaçãocolhida de outra fonte, como esclarecimento aoassunto em ...
219Construção de TextosConstrução de Textos! Citação direta / sistema autor-dataÉ a transcrição exata de palavras ou trech...
220Citação DiretaCitação DiretaSegundo Bezerra F.º (1999, pág. 45) “Dessemodo, devem ser tomadas diversas medidas com oobj...
221Citação DiretaCitação DiretaOs voltímetros são instrumentos destinados amedida da tensão elétrica, em circuitos decorre...
222Citação DiretaCitação DiretaOs grupos isométricos, ou seja, “...aqueleselementos que tem a mesma forma e a mesmadimensã...
223Citação DiretaCitação DiretaOs grupos isométricos, ou seja, “...aqueles elementosque tem a mesma forma e a mesma dimens...
224Citação DiretaCitação DiretaA relação de simetria catamétrica que é referida porBonsiepe (1978, pág. 161) como “...elem...
225Citação DiretaCitação DiretaMétodo Estruturalista, desenvolvido por Lévi-Straus. Ométodo parte da investigação de um fe...
226Construção de TextosConstrução de Textos! Citações com vários autoresUtiliza-se a expressão: et al. para mais de três a...
227Construção de TextosConstrução de Textos! Citação indireta ou citação livre / sistema autor-dataÉ a transcrição não lit...
228Citação IndiretaCitação Indireta“As citações são elementos retirados dos documentospesquisados durante a leitura da doc...
229Citação IndiretaCitação IndiretaSegundo Jorge (2000), a existência de umaenergia eletromagnética e invisível foi relata...
230Citação IndiretaCitação IndiretaEm 1901, usando seu equipamento deradiotelegrafia no rebocador Flying Hunters,Marconi c...
231Construção de TextosConstrução de Textos! Citação de citação / sistema autor-dataÉ a citação de um documento ou texto a...
232Citação de CitaçãoCitação de CitaçãoCarraro (1963) apud Salgado (1967, pág. 45)ExemploAutor e ano da obra que não se ob...
233Citação de CitaçãoCitação de CitaçãoPara superar este problema, SistemasEspecialistas orientados a objetos têm sidodese...
234Citação de CitaçãoCitação de CitaçãoUma característica importante do SistemaEspecialista é a sua capacidade de explanaç...
235Construção de TextosConstrução de Textos! Citação de citação / Referências BibliográficasQuando for elaborado o capítul...
236Construção de TextosConstrução de Textos! Citações pelo sistema numérico (ABNT 10520)As citações devem ter numeração ún...
237CitaçõesCitaçõesTorna-se dispensável uma abordagem maisprofunda nos aspectos técnicos, sobre o processode modulação, ma...
238Construção de TextosConstrução de Textos! Outros recursos para citaçõesA primeira nota de identificação de fonte de uma...
239Recursos para CitaçõesRecursos para Citações! Ibidem ou Ibid = na mesma obra! Idem ou Id. = do mesmo autor! Op. cit. = ...
240RecursosRecursosO termo Ibidem ou Ibid. só é utilizado quando foremrealizadas várias citações de um mesmo documento,var...
241RecursosRecursosA expressão Op. cit. é utilizada em seguida ao nomedo autor, referindo-se à obra citada anteriormente,n...
242RecursosRecursosA expressão Loc. cit. é empregada para mencionar amesma página de uma obra já citada, quando houverinte...
243RecursosRecursosA expressão Et. seq. é usada quando não se quermencionar todas as páginas da obra referenciada.Indica-s...
244RecursosRecursosO termo Passim é utilizado quando for feita referênciaa diversas páginas de onde foram retiradas as idé...
245RecursosRecursosA abreviatura Cf. é usualmente empregada para serfeita referência a trabalhos de outros autores ou anot...
246Construção de TextosConstrução de Textos! Notas de rodapéSão anotações colocadas ao pé da página ou no finaldo capítulo...
247Construção de TextosConstrução de Textos! Notas de rodapéAs notas de rodapé devem ser separadas do textopor um traço qu...
248Notas de RodapéNotas de Rodapéxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxnnnnnnnnnnn...
Trabalhos de ConclusãoMonografias de EspecializaçãoDissertaçõesTesesTrabalhos CientíficosTrabalhos CientíficosPara Conclus...
250Tipos de TrabalhosTipos de Trabalhos -- AplicaçãoAplicação! Graduação:Trabalho de Conclusão = BachareladoRelatório de E...
251O que é Monografia ?O que é Monografia ?Documento que apresenta a descrição exaustiva dedeterminada matéria abordando a...
252O que é Monografia ?O que é Monografia ?“Monografia significa a abordagem de um único assunto,ou problema, sob tratamen...
253ConfiguraçõesConfigurações! Existem diversas configurações que podemser utilizadas em função do tipo de pesquisa(quanto...
254Configuração BásicaConfiguração BásicaIntroduçãoDesenvolvimentoConclusãoBibliografiaTodo trabalho deve possuirEsta é um...
255Configuração BásicaConfiguração BásicaIntroduçãoDesenvolvimentoConclusãoBibliografiaEsta configuração básica podese des...
256DesdobramentoDesdobramentoIntroduçãoRevisão BibliográficaMetodologiaEstudo de CasoDiscussão dos ResultadosIntroduçãoDes...
257DesdobramentoDesdobramentoIntroduçãoRevisão de LiteraturaEstudo de CasoDiagnóstico ou AnáliseIntroduçãoDesenvolvimentoC...
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Metodologiajung
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Metodologiajung

1,309 views

Published on

Oferecemos o serviço de confecção de Artigos Científicos, Monografia de Graduação e Pós Graduação, TCC e Projetos Integrado Multidisciplinar - PIM UNIP de todos os cursos de Tecnólogos em Tecnologias.

- Gestão de TI - Gestão de Técnologia da Informação
- Gestão de RH - Gestão de Recursos Humanos
- Gestão de PG - Gestão de Processos Gerênciais
- Gestão de Logística
- Gestão de Marketing

Valor: R$ 10,00 a pagina.
O Valor final do Projeto saberemos após a conclusão do mesmo.
Após a conclusão, enviaremos o SUMÁRIO e a conta corrente para Deposito.
Após o envio do comprovante, enviaremos o Projeto PIM Completo.
O Aluno deve nos enviar o MANUAL DO PIM DO SEMESTRE
ex: MANUAL PIM VII DE GESTÃO DE TI - TURMA 2010
Os Projetos tem variados entre 23 a 30 paginas
A quantidade de paginas variam conforme a complexidade de cada PIM

Atenciosamente, agradecemos aos amigos e clientes


Oraculoo Pesquisas
Jose Rudy
==========================================
MSN: joserudy33@hotmail.com♂, joserudy33@gmail.com♂
Orkut:joserudy33@gmail.com, Facebook: http://www.facebook.com/OraculooPesquisas
Fone: 66-8105-3065

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,309
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
36
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Metodologiajung

  1. 1. Metodologia CientíficaMetodologia CientíficaÊnfase em Pesquisa TecnológicaÊnfase em Pesquisa TecnológicaAutor: Prof. Carlos Fernando Jung, M.Eng.jung@faccat.br3ª Edição Revisada e Ampliada– 2003/IDisponível em CD-ROM - Publicação Eletrônica InvendávelDestina-se a Difusão Tecnológica Gratuita – Incentivo a Produção Científica NacionalDisponível na WEB – Gratuitamente em: http://www.jung.pro.brEsta Versão é Fornecida em Escala de Cinza para ser Impressa pelo Usuário.
  2. 2. 2SumárioSumário! Fundamentos Científicos! Ciência! Conhecimento Científico! Hipótese, Achado, Modelo, Teoriae Lei Científica! O Método Científico! Ciência e Método, Conceitos! Variáveis! Método Indutivo! Método de Bacon! Método Dedutivo e, Hipotético-Dedutivo! Paradigmas – Positivista e Naturalista! Pesquisa e Desenvolvimento! Pesquisa Básica! Pesquisa Aplicada (Tecnológica)! Escolha do Tema da Pesquisa! Projeto de Pesquisa - Elaboração! Projeto de Pesquisa – Formatação! Linguagem Científica! Trabalhos Científicos! Monografias, Dissertações, Teses! Apresentação de Trabalhos! Comunicação Científica! Artigos, Relatórios e Laudos
  3. 3. 3O que é Ciência ?O que é Ciência ?É a atividade que propõe a aquisiçãosistemática do conhecimento sobre anatureza biológica, social e tecnológica
  4. 4. 4Função da CiênciaFunção da Ciência“A principal é o aperfeiçoamento doconhecimento em todas as áreas paratornar a existência humana maissignificativa”.(OLIVEIRA, 2000, pág. 48)
  5. 5. 5Conhecimento CientíficoConhecimento CientíficoMeios de aquisição de conhecimentos:INTUIÇÃOEXPERIMENTAÇÃORACIONALIZAÇÃOAQUISIÇÃO= Eu Acho que...== Y = f . X
  6. 6. 6Conhecimento CientíficoConhecimento CientíficoA IntuiçãoA intuição é uma função especial da mente humana, queage pelo pensamento, independente da pessoa terformação científica ou técnicaÉ um modo onde é considerado o fenômeno psíquiconatural: Que todos os seres humanos possuem, algunsem maior ou menor grau de obter conhecimentos sema utilização da experiência ou da razão
  7. 7. 7Conhecimento CientíficoConhecimento CientíficoO Empirismo (Galileu e Bacon séc. XVII)Significa “experiência”É uma doutrina que afirma que a única fonte doconhecimento é a experiência, ou seja, todoconhecimento somente é obtido por experimentaçãoExperimentar = Montar, Construir, Testar, Medir
  8. 8. 8Conhecimento CientíficoConhecimento CientíficoA Razão – Racionalização (Descartes séc. XVII)Doutrina que afirma que a razão humana, o pensamentoracionalista, é a única fonte do conhecimento.Ao contrário dos empiristas, os racionalistas afirmam queos nossos sentidos nos enganam e nunca podemconduzir a um conhecimento verdadeiro.Para os racionalistas um conhecimento é verdadeirosomente quando é logicamente necessário euniversalmente aceito.
  9. 9. 9Conhecimento CientíficoConhecimento CientíficoA qualidade do conhecimento científico édependente da forma de aquisição que é utilizada.No processo de obtenção de conhecimentos científicos devemser utilizadas as três formas de aquisição deconhecimentos:Intuição + Empirismo + Razão
  10. 10. 10Conhecimento Científico ProdutivoConhecimento Científico ProdutivoINTUIÇÃOEXPERIMENTAÇÃORACIONALIZAÇÃOCriatividade e Idéiassobre um Novo Produtoou Processo++Projetar, Experimentar,Montar,Testar, Construir.DescreverMatematicamente,Explicar porque FuncionaFisicamente===
  11. 11. 11Conhecimento Científico x TécnicoConhecimento Científico x TécnicoLeigoTécnicoCientíficoProcedimento= Eu Acho que...==Quando Ocorreu...Qual o Problema...Resolver o Problema...Porque...Como Otimizar...
  12. 12. 12Classificação da CiênciaClassificação da CiênciaFormaisCiências PurasFactuaisCiências AplicadasFilosofiaMatemáticaNaturaisSociaisBiologiaQuímicaFísicaMedicina, Enfermagem,Botânica, Zoologia,Veterinária, Agricultura,Ecologia, Etc.Geologia, Astronomia,Engenharia, Informática, Etc.Bioquímica, Farmácia,Físico-Química, Etc.Sociologia, Psicologia,Antropologia, Comunicação,Administração, Economia, Etc(OLIVEIRA, 2000, pág. 51)
  13. 13. 13Classificação da CiênciaClassificação da Ciência! Ciências Formais ou PurasOs objetos das ciências formais ou puras são os ideais.Seu método é a dedução e, seu critério de verdade é aconsistência ou não de seus enunciados.Todos os enunciados são analíticos - Teoremas
  14. 14. 14Classificação da CiênciaClassificação da Ciência! Ciências Factuais ou AplicadasOs objetos das ciências factuais ou aplicadas,são materiais, seu método é a observação e aexperimentação.O enunciado é predominantemente a síntese
  15. 15. 15Fundamentos CientíficosFundamentos Científicos! Utiliza métodos objetivos e confiáveis para se chegar a“verdade”;! A “verdade” em ciência nunca é absoluta ou final, podeser sempre modificada ou substituída;! Descreve a natureza através de “modelos” que podemser Quantitativos ou Qualitativos
  16. 16. 16! A verdade sobre um conhecimento nunca é obtidaintegralmente, mas sim através de modelossucessivamente mais próximos;! Um conhecimento é válido até que novas observaçõesou experimentações o substituam.Fundamentos CientíficosFundamentos Científicos
  17. 17. 17Fundamentos CientíficosFundamentos Científicos! ObservaçãoQuando se utiliza os sentidos na obtenção dedeterminados aspectos da realidade.Forma de aquisição do conhecimento em que opesquisador não interfere no objeto do estudo(Astronomia – Comportamento Animal)
  18. 18. 18Fundamentos CientíficosFundamentos CientíficosObservação assistemáticaNão existe planejamento e controle previamente elaborados.Observação sistemáticaTem planejamento, realiza-se em condições controladas paracorresponder aos propósitos pré-estabelecidos.Observação não-participanteO pesquisador presencia o fato, mas não participa.Observação individualRealizada por um pesquisador.Observação em equipeÉ realizada por um grupo de pesquisadores.Tipos de Observação
  19. 19. 19Fundamentos CientíficosFundamentos CientíficosObservação na vida factual (real)Os dados são registrados na medida que ocorrem.Observação em laboratórioOnde todos os eventos e condições são controladas,mas o pesquisador não interfere na ordem dos eventos.Tipos de Observação
  20. 20. 20Fundamentos CientíficosFundamentos Científicos! ExperimentaçãoForma de aquisição do conhecimento em que opesquisador fixa, manipula e introduz variáveisno objeto do estudo(Química – Física – Eletrônica - Informática)
  21. 21. 21Fundamentos CientíficosFundamentos CientíficosExperimentação em campoOs dados são registrados a partir das reações resultantesdas variáveis que o pesquisador introduz no experimento.Todos os eventos são realizados no ambiente externo nãocontrolado.Experimentação em laboratórioOnde todas as variáveis e condições são controladas e,são introduzidas pelo pesquisador. O ambiente para arealização da experiência é controlado.Tipos de Experimentação
  22. 22. 22Fundamentos CientíficosFundamentos Científicos! Hipótese Científica! Um conjunto estruturado de argumentos e explicaçõesque possivelmente justificam dados e informações,porém, que ainda não foi confirmado ou desconfirmadopor observação ou experimentação.É a afirmação positiva, negativa ou condicional(ainda não testada)sobre determinado problema ou fenômeno
  23. 23. 23HipótesesHipótesesHipótese afirmativa – positiva“O aquecimento dos microprocessadores é resultante dasreduzidas dimensões dos gabinetes dos microcomputadores”(O resultado da pesquisa deve comprovar a afirmação)Hipótese afirmativa – negativa“Não ocorrem danos elétricos aos sistemas microcontroladosque possuem aterramento igual a 2 Ohms de resistência”(O resultado da pesquisa deve comprovar a afirmação)Hipótese condicional“Se o sistema não possui proteção contra descargasatmosféricas, o mesmo pode estar sujeito a danos elétricos”(O resultado da pesquisa é condicionado aos resultados do experimento)
  24. 24. 24Fundamentos CientíficosFundamentos CientíficosHipótese Coleta de Dados ConclusãoUtilizar um CD-ROM noensino de informática fazos alunos aprenderemmelhorNotas obtidas no mesmoexame aplicado a doisgrupos, um de controle eoutro experimentalGrupo experimental tevenotas maiores do que ogrupo de controleExemplo - Hipótese
  25. 25. 25Fundamentos CientíficosFundamentos Científicos! Níveis de Hipóteses (BUNGE, 1969)– Hipótese de Ocorrência– Hipótese Empírica– Hipótese Plausível– Hipótese Convalidada
  26. 26. 26Hipótese de OcorrênciaHipótese de OcorrênciaSão hipóteses que não encontram apoio nasevidências experimentais dos fatos ou fenômenos enem fundamentação no conjunto das teoriasexistentes.São palpites ou especulaçõessem fundamentação científica“Acho que provavelmente o espírito deixou o corpo aproximadamente8 minutos após a morte do indivíduo”
  27. 27. 27Hipótese EmpíricaHipótese EmpíricaSão hipóteses que têm a seu favor algumas evidênciasexperimentais preliminares que justificam a escolha dassuposições e das correlações estabelecidas com asteorias e leis existentes.Estas hipóteses não possuem consistência lógica“Acho que o sistema foi danificado hoje porque fazem dois meses que caírammuitos raios nas cidades próximas”
  28. 28. 28Hipótese PlausívelHipótese PlausívelSão hipóteses que se inter-relacionam de formaconsistente com as teorias existentes.As hipóteses plausíveis são produto da dedução lógica doconhecimento científico universalmente aceito.Mas, estas hipóteses não podem ser verificadas, o eventoreferido não poderá ser repetido exatamente como ocorrido.“Possivelmente este raio caiu a menos de 700 metros da nossa localização,pois, observei no relógio que o som do trovão levou menos de 2 segundospara ser ouvido a partir do clarão do relâmpago”
  29. 29. 29Hipótese ConvalidadaHipótese ConvalidadaSão hipóteses que se fundamentam em um sistema deteorias, assim como as plausíveis, e ao mesmo tempoencontram apoio em evidências experimentais queocorrem na realidade factual.Podem ser passíveis de verificação (testagem)oportunizando a análise de suas conseqüências,possuindo embasamento em um referencial teórico,sendo consistentes, coerentes e razoáveis.“O microprocessador MT455 aquece mais que o MT556, quando éinstalado em um gabinete com dimensões inferiores a 30 cm³”
  30. 30. 30Fundamentos CientíficosFundamentos Científicos! Achados Científicos! Informações produzidas a partir de dados coletados emestudos científicos, sendo um saber mais descritivo doque explicativo. São essencialmente narrativascientíficas de acontecimentos verificados por observaçãoou experimentação.(Descobertas Arqueológicas)
  31. 31. 31Fundamentos CientíficosFundamentos Científicos! Modelo Científico! Uma representação lógica, um conjunto de mecanismosvirtuais que permite a representação de um fenômeno.! Pode ser avaliado segundo a sua semelhança com osistema físico real.! A validade do modelo consiste em efetivamentedescrever aquilo que se propõe a descrever e, dependedo seu grau de precisão.
  32. 32. 32Modelos CientíficosModelos CientíficosOs modelos são utilizados para representar os conhecimentoscientíficos obtidos através da experimentação ou observaçãodos fenômenos da natureza, bem como produtos e processosModelo EquivalenteSistema Físico Real
  33. 33. 33Modelos CientíficosModelos CientíficosÉ muito dispendioso, e nada prático, construir todas as alternativaspossíveis do sistema físico real, até se encontrar uma solução satisfatória.Assim, é possível a elaboração de vários modelos para ser determinado ummodelo otimizado.Modelo IPlaca de Circuito ImpressoFiação para ConexõesPainel FrontalPlaca de Circuito Impresso Fiação para ConexõesPainel FrontalModelo II
  34. 34. 34Modelos CientíficosModelos Científicos114 87M.5-P01M.5-P01/TM.5-S02M.1- TM.1+vccM.5-A01/TM.5-E01/TC36C39C40C38R31C37CI.7Disposição FinalCom o crescente progresso nocampo computacional, queconstitui um forte auxílio àmodelagem, diversas variáveiscomo a dimensão e posição decomponentes podem seranalisadas mais rapidamente deforma econômica
  35. 35. 35Modelos CientíficosModelos CientíficosPainel FrontalPlaca de Circuito ImpressoAltura da Placa aoPainelVariável 3CapacitânciaVariável 2Formação de ArcoVariável 1Efeito Térmico sob osComponentesÉ possível, em menor espaço de tempo, fazer um exame dasituação de muitas variáveis, determinando seus efeitos nodesempenho do sistema físico real
  36. 36. 36Modelos Estáticos e DinâmicosModelos Estáticos e DinâmicosO modelo dinâmico viabiliza o estudolongitudinal do comportamento de umsistema ou processo.(Situação sócio-econômica de uma comunidade)O modelo estático é utilizado narepresentação formal dos fenômenos,sistemas e processos.(Icônico, Gráfico, Esquemático, Matemático)
  37. 37. 37Domínio do Modelo CientíficoDomínio do Modelo CientíficoMODELO CIENTÍFICOEntrada do Sistema Saída do Sistema
  38. 38. 38Modelo SistêmicoModelo SistêmicoProduto ouProcessoParâmetros+RelaçõesEstímulo Inicial(VariávelIndependente)Resultado(Variáveldependente)Descrição Qualitativae Quantitativado ResultadoDescriçãoQualitativada ExpectativaResultado Esperadoa partir doEstímulo InicialIdealizadoVariáveisEspúrias
  39. 39. 39Modelo QuantitativoModelo QuantitativoA modelagem quantitativa é muito utilizada nas ciências emgeral para suporte a trabalhos científicos e,representação dos conhecimentos adquiridos.(Icônico – Gráfico – Esquemático – Matemático)No entanto, a possibilidade de serem utilizados modelos quantitativosexperimentalmente para serem registrados e analisados problemascomportamentais de forma analítica, é muito limitada.A representação, neste caso, se torna difícil devidaa necessidade de conversão numérica, ficando restritaa uma atribuição relativa de valores numéricos representacionais.
  40. 40. 40Modelo QualitativoModelo QualitativoOs modelos qualitativos são aqueles formulados a partir dedescrições intuitivas do pesquisador ou indivíduo pesquisado.(Diagnósticos sobre a personalidade e comportamento humano)Este modelo tem por finalidade a representação dos objetosou indivíduos e as relações associadas para formulaçãode um modelo interativo.A descrição e representação de fenômenos atravésde modelos qualitativos é passível da interferênciapositiva ou negativa dos valores do próprio pesquisador.
  41. 41. 41Modelos CientíficosModelos Científicos -- TiposTiposModelo IcônicoModelo IcônicoTridimensionalModelo Icônico BidimensionalModelo Diagramático ou EsquemáticoModelo GráficoModelo Matemático
  42. 42. 42Modelo Icônico BidimensionalModelo Icônico BidimensionalExemplo: Placa de Circuito Impresso
  43. 43. 43Modelo Icônico TridimensionalModelo Icônico TridimensionalPainel FrontalPlaca de Circuito ImpressoSuporte para Fixação da PlacaFiação para ConexõesExemplo: Placa de Circuito Impresso Montada em um Painel
  44. 44. 44Modelo DiagramáticoModelo DiagramáticoExemplo: Fluxograma de LaboratórioCORRENTE RESISTÊNCIATENSÃOEntrada Entrada EntradaMultímetroMarca: FLUKEModelo: 75OsciloscópioMarca: LEADERModelo: 1100FREQÜÊNCIAPOTÊNCIAWattímetroMarca: BIRDModelo: 43SamplerFreqüêncímetroMarca: OPTOEL.Modelo: 2400MilivoltímetroMarca: TRIOModelo: VT-121FreqüêncímetroMarca: OPTOEL.Modelo: 1300MultímetroMarca: FLUKEModelo: 75VoltímetroMarca: HPModelo: 427A
  45. 45. 45Modelo EsquemáticoModelo EsquemáticoExemplo: Esquema Eletrônico
  46. 46. 46Modelo GráficoModelo GráficoExemplo: Gráfico de Linhas01 02 03 04 05 06 01 º M ê s 3 º M ê s 6 º M ê s 9 º M ê s 1 2 º M ê sS is t e ma M e c ânic o S is t e ma Elé t ric oS is t e ma Ele t rô nic o
  47. 47. 47Modelo MatemáticoModelo MatemáticoExemplo: EquaçãoE = Tensãoda BateriaR = ResistênciaR = E ÷÷÷÷ II = CorrenteModelo Matemático+-
  48. 48. 48Modelos CientíficosModelos CientíficosAplicações na Engenharia e InformáticaVisualização, da natureza do sistema e do seu funcionamento.Diversos mecanismos, circuitos eletrônicos e elétricos, complexossistemas de processos químicos podem ser estudados a partir de suarepresentação simplificada;Comunicação, dos projetos àqueles que devem construí-los, operá-lose mantê-los em sistemas produtivos industriais;Previsão, na solução de problemas projetuais e de manutençãopreditiva, preventiva e corretiva. Na análise e decisão sobre odesempenho do sistema;
  49. 49. 49Modelos CientíficosModelos CientíficosAplicações na Engenharia e InformáticaControle, da execução do projeto e construção dos sistemas e estruturas;manutenção de qualidade das características especificadas no projeto;multivariável.Ensino, superior, tecnológico e técnico. Neste caso, os modelos sãoamplamente utilizados em forma de diagramas, esquemas e gráficos;Simulação, do funcionamento e aplicabilidade do sistema para detecçãode problemas e aperfeiçoamento das características e parâmetros técnicos;Otimização, das características e parâmetros anteriores à construção doprotótipo e, após a verificação e usabilidade do protótipo.
  50. 50. 50Fundamentos CientíficosFundamentos Científicos! Teoria CientíficaA teoria tem um caráter explicativo mais universal do quea lei científica, abrangendo um espectro mais amplo.As teorias possuem a característica de estruturar asuniformidades e regularidades explicadas pelas leiscientíficas.As teorias nunca atingem a totalidade de aspectos dosfenômenos da realidade. Estabelecem relações entreaspectos não diretamente observáveis.
  51. 51. 51Fundamentos CientíficosFundamentos Científicos! Lei Científica! Uma relação entre fenômenos, uma seqüência deacontecimentos, um mecanismo natural, que semanifesta sempre da mesma forma em inúmerosestudos independentes, com grande precisão e semexceções. É o objetivo máximo, a suprema realização,da Ciência.(Lei da Gravitação Universal)“Dois pontos materiais atraem-se com forças cujas intensidades sãoproporcionais às suas massas e inversamente proporcionais ao quadradoda distância que os separa.”
  52. 52. 52Hierarquia do Saber CientíficoHierarquia do Saber CientíficoÉ o nível mais alto do saber científico, tendo todoo alcance funcional de uma teoria, mas com umgrau muito maior de confirmação empírica e,conseqüentemente, de confiabilidade e robustez.Leis CientíficasMaiorMostram-se superiores aos modelos porpermitirem não apenas previsões acerca de umdado fenômeno mas também a identificação deeventuais ações de controle.Teorias CientíficasAltoApresentam superioridade aos achados porapresentarem uma estrutura lógica mapeada aoresultado empírico, permitindo previsões cujaconfiabilidade pode ser aferida.ModelosCientíficosIntermediárioTem vantagem sobre as hipóteses por seremresultados efetivamente constatados viaobservação ou experimentação, e não apenaspossibilidades plausíveis.Achado CientíficoBaixoÉ o nível mais baixo do saber científico,diferenciando-se da especulação filosófica apenaspela produção de expectativas plausíveis epassíveis de verificação empírica.Hipótese CientíficaMenor
  53. 53. 53Fundamentos CientíficosFundamentos CientíficosValidade científicaEnquadramento na ciênciaFinalidade científicaUtilização de Método CientíficoContribuição CientíficaTema InéditoPressupostos para Validade de um Trabalho Científico
  54. 54. 54Ciência e MétodoCiência e MétodoA ciência somente aceita como verdadeiroo que confirmável mediantecomprovação compatível com ométodo científico
  55. 55. 55O que é Método Científico ?O que é Método Científico ?Conjunto de etapas ordenadamentedispostas a serem executadas nainvestigação de um fenômeno
  56. 56. 56Método CientíficoMétodo CientíficoAnáliseRelação quantitativa existente entre os elementos do fenômenoObservação / ExperimentaçãoColeta de dados sobre o fenômenoTeste ExperimentalComprovação do conhecimentoModeloRepresentação do conhecimentoGeneralizaçãoGeneralização dos resultados em forma de Lei CientíficaHipóteseUma pressuposição do conhecimento sobre o fenômeno
  57. 57. 57Método CientíficoMétodo Científico Exemplo AplicadoHipóteseExiste uma força regular e calculável de atração entre duas massasObservação / ExperimentaçãoObservação das órbitas dos planetas / Experimentação física com corposTeste ExperimentalModeloLei da Gravitação F = g.m.n/d²GeneralizaçãoDois corpos se atraem em proporção direta às suas massas e inversa à sua distânciaentre si.Análise
  58. 58. 58Método CientíficoMétodo CientíficoMetasProjetoProblemaSolução Modelo CientíficoNecessidadeProcessoProtótipo - SFRAvaliaçãoOtimizaçãoNa Engenharia e Informática
  59. 59. 59O que é Metodologia Científica ?O que é Metodologia Científica ?Conjunto de técnicas e processosutilizados pela ciência para formular eresolver problemas de aquisição objetiva doconhecimento de maneira sistemática
  60. 60. 60Metodologia CientíficaMetodologia Científica Exemplo AplicadoIntroduçãoProblematizaçãoDefinição do ProblemaGeração de AlternativasIntroduçãoDesenvolvimentoConclusãoBibliografiaConclusõesReferências BibliográficasBibliografiaEstudo AnalíticoProjetosDefinição do Problema ProjetualEstrutura de FunçõesIdentificação da Solução ApropriadaProposições TécnicasConstrução do ProtótipoAvaliação e Otimização
  61. 61. 61Porque o Método é Utilizado ?Porque o Método é Utilizado ?Os objetivos fundamentais do uso do Método Científico são:! Produzir um conhecimento prático e aplicável, que pode ser usadodiretamente para a previsão e/ou controle de fenômenos eocorrências;! Utilizar uma expressão objetiva e detalhada não apenas do saberque é produzido mas também do modo como se chegou até ele,permitindo um conhecimento:1. Amplamente compartilhável e transmissível independente doconteúdo;2. Verificável e passível de quantificação do grau de confiança quese pode ter nele;
  62. 62. 62Porque o Método é Utilizado ?Porque o Método é Utilizado ?Fornecimento de suporte metodológico erepresentacional ao pensamento,permitindo o uso de ferramentasobjetivas que permitam a superação daslimitações individuais do pesquisador emsuas análises e sínteses.
  63. 63. 63Porque o Método é Utilizado ?Porque o Método é Utilizado ?Redução dos vários tipos de interferênciaspessoais (emocionais e/ou culturais) que podemsurgir na observação e experimentação dosdiversos fenômenos em estudo.
  64. 64. 64Caracterização do MétodoCaracterização do MétodoO método científico se caracteriza por observarou realizar experimentações a partir dasdiversas grandezas que compõem o fenômenoou experimento, podendo elas serem:! Variáveis: Grandezas que podem variar ao longo dotempo ou de caso para caso;! Constantes: São grandezas que, para todos os finspráticos, não variam.
  65. 65. 65Domínio do Modelo CientíficoDomínio do Modelo CientíficoMODELO CIENTÍFICOEntrada do Sistema Saída do SistemaDomínio do Modelo
  66. 66. 66VariáveisVariáveisY = f.XVariável Dependente Variável IndependenteFunção = Parâmetros + Relacionamentos Internosdo Modelo CientíficoModelo
  67. 67. 67Variável IndependenteVariável Independente! Variáveis Independentes:São aquelas que se introduz intencionalmentepara verificar-se a relação entre suas variaçõese o comportamento de outras variáveis, ouseja, correspondem àquilo em função do qualse deseja conseguir realizar previsões e/ouobter resultados! Ocorrem por ações do pesquisador quando darealização do experimento.
  68. 68. 68Variável IndependenteVariável IndependenteCargaSão Introduzidas pelaação do pesquisadorTransmissorVariação dePotência feitapelo pesquisador1 Watt1,5 Watt5 Watts10 WattsWattímetroQual a temperatura na carga emfunção da potência aplicada ?Variável Independente
  69. 69. 69Variável DependenteVariável Dependente! Variáveis Resposta ou Dependentes:São aquelas cujo comportamento se querverificar em função das oscilações das variáveisindependentes, ou seja, correspondem àquiloque se deseja prever e/ou obter como resultado.! Ocorrem em função da realização do experimento.! São o resultado do experimento
  70. 70. 70Variável DependenteVariável DependenteTransmissorVariação dePotência feitapelo pesquisador1 Watt1,5 Watt5 Watts10 WattsWattímetro CargaQual a temperatura na carga emfunção da potência aplicada ?Variável dependente30º40º50º60º
  71. 71. 71Variável Espúria ou de ControleVariável Espúria ou de Controle! Variáveis Espúrias:São variáveis que não são diretamente objeto deestudo mas que também interferem na relaçãoentre as variáveis independentes e asdependentes.! Ocorrem em função de fenômenos ocasionaisnão previstos e interferem no resultado doexperimento.! Devem ser controladas (Temperatura Ambiente, Umidade etc..)
  72. 72. 72Variável Espúria ou de ControleVariável Espúria ou de ControleTransmissor1º Experimento a 20º Máximo sinal = 25 dBmOsciloscópioCargaVariável Espúria20º / 30ºTemperatura Ambiente Não ControladaO aumento da temperatura ambiente podeocasionar variação da potência emequipamentos eletrônicos2º Experimento a 30º Máximo sinal = 40 dBm
  73. 73. 73Variável ModeradoraVariável Moderadora! Variáveis Moderadoras:É aquele fator ou propriedade que também écausa, condição, estímulo ou determinante paraque ocorra determinado efeito, porém éconsiderada uma variável secundária em relaçãoa uma variável independente.
  74. 74. 74Variável ModeradoraVariável Moderadora Exemplo AplicadoTransmissorVariação dePotência feitapelo pesquisador1 Watt1,5 Watt5 Watts10 WattsOsciloscópioQual a amplitude do sinal emfunção da potência ?Variável dependente10dBm15dBm50dBm100dBm98% do Sinal = Freqüência Nominal2% do Sinal = Freqüências EspúriasVariávelModeradoraFreqüência Nominal+ Espúrias
  75. 75. 75Variável IntervenienteVariável Interveniente! Variáveis Intervenientes:É aquele fator ou propriedade que teoricamenteafeta o fenômeno observado. Esse fator, noentanto, ao contrário das outras variáveis,não pode ser manipulado ou medido.É um fator hipotético, teórico, não concreto.(KÖCHE, 2000)
  76. 76. 76Variável IntervenienteVariável Interveniente“Crianças que foram bloqueadas na consecução de seusobjetivos, mostram-se mais agressivas do que as quenão o foram.” (KÖCHE, 2000, p. 114)Variável Independente: Ter ou não ter o bloqueioVariável Dependente: É o Grau de agressividadeVariável Interveniente: É a frustração(“O bloqueio conduz a frustração e esta à agressividade”, Köche, 2000, p. 114)Exemplo Aplicado
  77. 77. 77Sistema, Amostra ou Modelo de ControleSistema, Amostra ou Modelo de ControleVariáveis TotalmenteControladasSão utilizados para proporcionar uma análise comparativacom o sistema, amostra ou modelo experimental.MODELO CONTROLADOMODELO EXPERIMENTALNovas Variáveis Novo ResultadoResultado PrevisívelAnálise Comparativa
  78. 78. 78Métodos CientíficosMétodos CientíficosMétodo Indutivo (Galileu e Bacon, séc. XVII)Descoberta de princípios gerais a partir de conhecimentos particulares(Micro para o Macro);Método Dedutivo (Descartes, séc. XVII)Aplicação de princípios gerais a casos particulares.(Macro para o Micro)Método Hipotético-Dedutivo (Popper)A partir das hipóteses formuladas deduz-se a solução do problema.
  79. 79. 79Método IndutivoMétodo IndutivoUtilização da Lógica IndutivaEstrutura MolecularEquipamentoComponenteMICROPROCESSADOR
  80. 80. 80Método IndutivoMétodo Indutivo –– proposto por Galileuproposto por GalileuO método indutivo proposto por Galileu,baseia-se no princípio da formulação deuma lei geral a partir da observação dealguns casos particulares.! A Lei não exprime a totalidade, entretanto expressa uma partedos fenômenos, conclui de um ou mais fatos particulares paratodos os fatos semelhantes.! Generaliza os fatos ou eventos
  81. 81. 81Método IndutivoMétodo Indutivo –– proposto por Galileuproposto por Galileu! InduçãoEste imã atrai o ferro.Ora, aquele imã atrai o ferro.Logo, em toda parte e sempre, o imã atrairá o ferro.Esta lógica indutiva utilizou apenas dois casos como base, paraser estabelecida uma relação, então pode ser passível da erro.
  82. 82. 82Método IndutivoMétodo Indutivo –– proposto por Galileuproposto por Galileu! InduçãoA Terra, Marte, Vênus e Júpiter são desprovidos de luz própriaSendo, a Terra, Marte, Vênus e Júpiter todos planetasLogo, todos planetas são desprovidos de luz própria.Essa Lei refere-se a todos os planetas do nosso sistema solar.
  83. 83. 83Método IndutivoMétodo Indutivo –– proposto por Galileuproposto por GalileuAnáliseRelação quantitativa existente entre os elementos do fenômenoObservaçãoColeta de dados sobre o fenômenoTeste ExperimentalComprovação do conhecimentoModeloRepresentação do conhecimentoGeneralizaçãoGeneralização dos resultados em forma de Lei CientíficaHipóteseUma pressuposição do conhecimento sobre o fenômeno
  84. 84. 84Método IndutivoMétodo Indutivo –– proposto por Baconproposto por BaconO método proposto por Bacon, baseia-se naobservação sistemática e a experiência dosfenômenos e fatos naturais! Cabe a experiência confirmar a verdade;! A abstração pós observação não oferece um conhecimentocompleto do fenômeno;! O método tenta impedir a formulação de generalizações queextrapolem os limites de validade dos resultados alcançadosem determinado experimento.
  85. 85. 85Método IndutivoMétodo Indutivo –– proposto por Baconproposto por BaconExperimentaçãoColeta de dados sobre o fenômeno de forma experimentalRepetição da ExperimentaçãoPor outros cientistas ou em outros lugares, com a finalidade deacumular dados que possam servir para a formulação de hipótesesRepetição do ExperimentoPara a testagem das hipóteses, procurando obter novos dados e novasevidências que as confirmemGeneralizaçãoFormulação das Leis, pelas evidências obtidas, generalizando asexplicações para todos os fenômenos da mesma espécieFormulação de HipótesesFundamentadas na análise dos resultados obtidos dos diversosexperimentos, tentando explicar a relação causal dos fatos entre si
  86. 86. 86Comparativo entre Galileu e BaconComparativo entre Galileu e BaconConstata-se uma grande semelhança entre o método deGalileu e o de Bacon.A única diferença é o contexto da descoberta.Galileu toma como ponto inicial a observação direta dofenômeno, para dele extrair os elementos paraposterior análise.Bacon provoca ou programa o experimento para serobjeto de análise e verificação.
  87. 87. 87Método DedutivoMétodo DedutivoUtilização da Lógica DedutivaEstrutura MolecularEquipamentoComponenteMICROPROCESSADOR
  88. 88. 88Método DedutivoMétodo Dedutivo –– propostoproposto por Descartespor DescartesO método dedutivo propõe resolver problemas justificandoo contexto da descoberta através da própria razão.O método dedutivo é o símbolo do racionalismo moderno.Ao ser identificado o problema o pesquisadorcomeça a conjeturar sobre possíveis soluçõesque poderiam explicá-lo.Inicia a dedução sobre o problema maior parachegar a conclusões particulares.
  89. 89. 89Método DedutivoMétodo Dedutivo –– propostoproposto por Descartespor DescartesTodos os metais conduzem eletricidade.Ora, a prata é um metal.Logo, a prata conduz eletricidade.Premissa 1Premissa 2É necessário que as premissas sejam verdadeiras
  90. 90. 90Método DedutivoMétodo Dedutivo –– propostoproposto por Descartespor DescartesTodos os homens são honestos.Ora, os ladrões são homens.Logo, os ladrões são honestos.Premissa 1Premissa 2Quando uma das premissas não é verdadeiraa conclusão também não será.
  91. 91. 91O Método constitui-se de quatro regras parautilização da dedução.Pela Regra da EvidênciaPela Regra da AnálisePela Regra da SíntesePela Regra da EnumeraçãoMétodo DedutivoMétodo Dedutivo –– propostoproposto por Descartespor Descartes
  92. 92. 92! Deve-se evitar todas as prevenções, conjuntosde preconceitos e precipitaçõesAnalisar o problema ou fatosimplesmente como se apresentaRegra da EvidênciaMétodo DedutivoMétodo Dedutivo –– propostoproposto por Descartespor Descartes
  93. 93. 93! Deve-se dividir o problema, ou seja, fracionar oproblema em um número maior de partes, paramelhor serem analisados.Fracionamento do problemaRegra da AnáliseMétodo DedutivoMétodo Dedutivo –– propostoproposto por Descartespor Descartes
  94. 94. 94! Deve-se distinguir os problemas mais simples(independentes e absolutos) dos problemasmais complexos (condicionados ou relativos)Comparar os problemas de mesma ordem e grandezaRegra da SínteseMétodo DedutivoMétodo Dedutivo –– propostoproposto por Descartespor Descartes
  95. 95. 95! Deve-se selecionar exclusivamente o que fornecessário e suficiente para a solução doproblema.Descobrir, medir, analisar, otimizar, decidir, observar osresultados, utilizando apenas os dados ou parâmetrosnecessários a resolução do problema.Regra da EnumeraçãoMétodo DedutivoMétodo Dedutivo –– propostoproposto por Descartespor Descartes
  96. 96. 96! Proposto por Popper, séc. XX, tem por princípio colocaros conhecimentos já existentes em questionamento, parasurgirem novos conhecimentos.! Consiste na adoção da seguinte linha de raciocínio:Quando os conhecimentos existentes sobre determinado assunto sãoinsuficientes para a explicação de um fenômeno, surge o problema.Para tentar explicar as dificuldades expressas no problema, sãoformuladas hipóteses. Das hipóteses formuladas deduzem-seconseqüências que deverão ser testadas ou falseadas.* Falsear significa tentar tornar falsas as conseqüências deduzidas das hipóteses.Método HipotéticoMétodo Hipotético--DedutivoDedutivo
  97. 97. 97Método HipotéticoMétodo Hipotético--DedutivoDedutivoNo método dedutivo procura-se confirmar ahipótese, no hipotético-dedutivo procura-seevidências para derrubar a hipótese.(GIL, 1999)A não rejeição das hipóteses confirma a nova teoriaA filosofia científica predominante do séc. XXbaseia-se neste princípio.
  98. 98. 98Método HipotéticoMétodo Hipotético--DedutivoDedutivoProblemaConhecimento PrévioReferencial TeóricoObservação Fatos, Fenômenos(Percepção Significativa)HipótesesTestagem das HipótesesObservação Descritiva ou ExperimentaçãoNova TeoriaInterpretação e Avaliação da Testagem das HipótesesNão Rejeição dasHipótesesRejeição das HipótesesImaginaçãoCriativa+(Contexto de Descoberta)(Contexto de Justificação)
  99. 99. 99Outros Métodos CientíficosOutros Métodos Científicos• Método da Aplicação direta de uma teoria;• Método de rever hipóteses;• Método crítico ou dialético;• Método da inovação;• Método da transferência dos conceitos;• Método da transferência por analogia;• Método da prolongação.
  100. 100. 100Outros Métodos CientíficosOutros Métodos Científicos• Método fenomenológico;• Método teratológico;• Método da dicotomia;• Método de matrizes de descoberta;• Método morfológico;• Método Brainstorming;
  101. 101. 101Qual o Método mais Adequado ?Qual o Método mais Adequado ?Nem todos os campos da ciência obtémsuas conclusões da mesma maneira
  102. 102. 102Qual o Método a Utilizar ?A PESQUISA EM CIÊNCIAS EXATAS ETECNOLÓGICASFísica, Química, Informática e EngenhariasA PESQUISA EM CIÊNCIAS SOCIAISSociologia, Direito, Administração, Etc...Considerando-se:
  103. 103. 103Comparativo MetodológicoComparativo MetodológicoMétodo Científico– HIPÓTESE– OBSERVAÇÃO– EXPERIMENTAÇÃO– TESE / TESTAGEM– MODELO– GENERALIZAÇÃOMétodo UtilizadoNas Áreas da Tecnologia– METAS– PROJETO– MODELO– PROCESSO– PROTÓTIPO (SFR)– AVALIAÇÃO
  104. 104. 104Paradigma PositivistaParadigma Positivista! Há uma realidade única, tangível, fragmentável epassível de predição e controle;! Há separação entre pesquisador e objeto de estudo,que são independentes, constituindo um dualismo;! O objetivo da pesquisa é desenvolver um corpo deconhecimentos em forma de generalizações nãorestritas ao tempo e ao espaço;
  105. 105. 105Paradigma PositivistaParadigma Positivista! Há uma relação linear entre causas e efeitos.As ações e os acontecimentos têm causas reaisque os precedem no tempo ou lhes são simultâneas;! A pesquisa é livre de valores devido à metodologiaobjetiva empregada.
  106. 106. 106Paradigma NaturalistaParadigma Naturalista! Existem realidades múltiplas, holísticas, socialmenteconstruídas. Cada realidade forma um todo que nãopode ser compreendido se isolado do contexto;! Há interação entre conhecimento e conhecedor, quesão inseparáveis devido às suas influências recíprocas;! O objetivo da pesquisa é desenvolver um corpo deconhecimentos em forma de hipóteses de trabalho quedescrevem um caso individual.
  107. 107. 107Paradigma NaturalistaParadigma Naturalista! Não se pode generalizar os resultados da pesquisa,válidos apenas em tempo e contexto determinados;! Tudo se encontra em estado de influência mútua esimultânea, sendo impossível distinguir causas eefeitos;! A pesquisa é dependente de valores, é influenciadapelos valores do pesquisador, manifestos nadelimitação do tema. É influenciada também peloparadigma de guia a investigação.
  108. 108. 108Pesquisa e DesenvolvimentoPesquisa e Desenvolvimento! Pesquisa é utilizada para a descoberta denovos conhecimentos! Desenvolvimento é a aplicação destes novosconhecimentos para se obter resultadospráticos
  109. 109. 109Pesquisa e DesenvolvimentoPesquisa e DesenvolvimentoPesquisa + Desenvolvimento = ProdutosProduto = Bens tangíveis e Bens IntangíveisProduto = Hardware, Software e Suporte Técnico
  110. 110. 110O Que é Pesquisa ?O Que é Pesquisa ?! É o processo através do qual as pessoasadquirem um novo conhecimento sobre simesmas ou sobre o mundo em que vivem,com a finalidade de:• Responder a um questionamento• Resolver um problema• Satisfazer uma necessidade
  111. 111. 111Onde Estão os PesquisadoresOnde Estão os Pesquisadores0102030405060708090Brasil U.S.AUniversidadesCentros de PesquisaEmpresas PrivadasFonte: Gazeta Mercantil,pág.16, 24/09/2001
  112. 112. 112Dados Sobre PesquisasDados Sobre Pesquisas! Existem no Brasil 77 mil pesquisadores de tecnologia! Outros 62 mil são estudantes de pós-graduação! O número total de profissionais envolvidos compesquisa e desenvolvimento de tecnologia representa0,11% da força de trabalho no Brasil! Em média os cientistas de países desenvolvidosrepresentam 0,54% da força de trabalhoFonte: FAPESP 2001
  113. 113. 113Tipos de PesquisasTipos de PesquisasQuanto aNaturezaQuanto aosObjetivosQuanto aosProcedimentosPesquisa BásicaPesquisa AplicadaPesquisa ExplicativaPesquisa DescritivaPesquisa ExploratóriaPesquisa Expost-FactoPesquisa ParticipantePesquisa-AçãoPesquisa ExperimentalPesquisa DocumentalPesquisa BibliográficaPesquisa OperacionalEstudo de CasoGera Conhecimento(Sem Finalidades Imediatas)Conhecimento a ser Utilizado emPesquisas Aplicadas ou TecnológicasGera Produtos e/ou Processos(Com Finalidades Imediatas)Utiliza os Conhecimentos Gerados pelaPesquisa Básica + Tecnologias Existentes
  114. 114. 114Tipos de Pesquisa, Quanto aTipos de Pesquisa, Quanto a NaturezaNaturezaA ciência apresenta uma diferenciação emrelação a forma investigativa.Pesquisa BásicaPesquisa AplicadaConsiste na aquisição do conhecimento sobre anatureza sem finalidades práticas ou imediatasConsiste na utilização do conhecimentoda pesquisa básica e da tecnologia para se obteraplicações práticas como produtos ou processos
  115. 115. 115Pesquisa CientíficaPesquisa Científica -- FinalidadesFinalidades! Pesquisa Básica! Entender os fenômenos naturais;! Não é reservada;! Objetiva a divulgação do conhecimento;! Produz artigos científicos.! Pesquisa Aplicada (Tecnológica)! Objetiva a aplicação do conhecimento básico;! Pode ou não ser reservada;! Pode resultar em patentes.
  116. 116. 116Pesquisa BásicaPesquisa BásicaPesquisador no Brasil em 1996Produziu o ResultadoRPesquisador na Alemanha em 1999Produziu o ResultadoI Pesquisa Aplica ou TecnológicaPesquisa BásicaPesquisador no Chile em 2002Necessitava desenvolver uma fórmulapara calcular a tensão elétrica,reuniu então os dados existentes:E = R . IPesquisa Básica
  117. 117. 117Pesquisa TecnológicaPesquisa Tecnológica ExemploConhecimentos obtidos pela Pesquisa BásicaEstudo da Constituição Moleculardo Silício+ConhecimentosObtidosAtravés daTecnologia deProcessos=ProdutoMICROPROCESSADOR
  118. 118. 118Pesquisa TecnológicaPesquisa TecnológicaSoftwareTecnologia de Administração,Economia e Contabilidade+ = Software AplicadoPlanilha de CustosExemplo
  119. 119. 119Pesquisa Básica e TecnológicaPesquisa Básica e TecnológicaExemplos AssociativosPesquisa Básica = Mecânica estática e cinemática,Física dos materiais, Química dos metaisPesquisa Tecnológica = Construção de uma pontePesquisa Básica = Biologia molecular, Química orgânicaPesquisa Tecnológica = Novos medicamentos
  120. 120. 120Pesquisa TecnológicaPesquisa Tecnológica -- ObjetivoObjetivoA pesquisa aplicada (tecnológica) tem comoobjetivo alcançar a inovação em um produto ouprocesso, frente a uma demanda ounecessidade preestabelecida.
  121. 121. 121Pesquisa TecnológicaPesquisa Tecnológica -- MetasMetasOtimizar um Produto ou ProcessoObter uma Marca ou PatenteProduzir um Produto ou Processo mais CompetitivoNa pesquisa aplicada (tecnológica), o resultado aser medido é a solução concreta do problemaproposto, representado por um novo produto ou umnovo processo e sua aceitação pelo mercadoconsumidor.
  122. 122. 122Comparativo MetodológicoComparativo MetodológicoPESQUISA BÁSICA– OBSERVAÇÃO OUEXPERIMENTAÇÃO- HIPÓTESE– TESE / TESTAGEM– MODELO– AVALIAÇÃO– REPRODUÇÃO– PREDIÇÃOPESQUISA TECNOLÓGICA– NECESSIDADE– OBJETIVOS– METAS– EXPERIMENTAÇÃO– PROJETO– MODELO– PROCESSO DEDESENVOLVIMENTO– PROTÓTIPO (SFR)– AVALIAÇÃO– OTIMIZAÇÃO
  123. 123. 123Tipos de Pesquisa, Quanto aosTipos de Pesquisa, Quanto aos ObjetivosObjetivosO planejamento de uma pesquisa depende do tema doproblema a ser estudado, da sua natureza e situaçãoem que se encontra, área de atuação e nível deconhecimento do pesquisador.Isso significa que pode haver vários tipos de pesquisaem função dos objetivos a serem alcançados.Objetivos teóricos e/ou práticos.
  124. 124. 124Pesquisa ExploratóriaPesquisa Exploratória! Tem por finalidade a descoberta de práticas oudiretrizes que precisam ser modificadas e obtençãode alternativas ao conhecimento científico existente.! Tem por objetivo principal a descoberta de novosprincípios para substituírem as atuais teorias e leiscientíficas.! É a coleta de dados e informações sobre umfenômeno de interesse sem grande teorização sobreo assunto, inspirando ou sugerindo uma hipóteseexplicativa;
  125. 125. 125Pesquisa DescritivaPesquisa Descritiva! A pesquisa descritiva tem por finalidade observar,registrar e analisar os fenômenos sem, entretanto,entrar no mérito do seu conteúdo.! Na pesquisa descritiva não há interferência dopesquisador, que apenas procura descobrir, afreqüência com que o fenômeno acontece.! Visa descrever determinadas características depopulações ou fenômenos ou o estabelecimento derelações entre variáveis. Basicamente consiste nacoleta de dados através de um levantamento.
  126. 126. 126Pesquisa ExplicativaPesquisa Explicativa (Hipotética(Hipotética--Dedutiva)Dedutiva)! Tem por objetivo ampliar generalizações, definir leismais amplas, estruturar sistemas e modelos teóricos,relacionar hipóteses numa visão mais unitária douniverso e gerar novas hipóteses por força dededução lógica.! Exige síntese e reflexão! Visa identificar os fatores que contribuem para aocorrência dos fenômenos. Explica o “porque dascoisas”. Nas ciências naturais exige a utilização demétodos experimentais e, nas ciências sociais ométodo observacional.
  127. 127. 127Tipos de Pesquisa, Quanto aosTipos de Pesquisa, Quanto aos ProcedimentosProcedimentosA execução de uma pesquisa depende das técnicas eprocedimentos a serem adotados para a coleta eanálise dos dados, sua natureza e objetivos requeremferramentas adequadas para a resoluçãodos problemas de pesquisa.Isso significa que existem vários tipos de pesquisa quesão adotados em função das necessidadespráticas de execução.
  128. 128. 128Pesquisa BibliográficaPesquisa Bibliográfica! A pesquisa bibliográfica tem por finalidade conheceras diferentes formas de contribuição científica que serealizaram sobre determinado assunto ou fenômeno.! Normalmente o levantamento bibliográfico érealizado em bibliotecas públicas, universidades, eespecialmente em acervos virtuais – internet
  129. 129. 129Pesquisa DocumentalPesquisa Documental! Tem por finalidade conhecer os diversos tipos dedocumentos e provas existentes sobre conhecimentoscientíficos. Estes documentos normalmente nãoreceberam tratamento prévio analítico, encontram-semuitas vezes nos seus locais de origem.! É efetuada essencialmente em centros de pesquisa,museus, acervos particulares e centros dedocumentação e registro.
  130. 130. 130Pesquisa ExperimentalPesquisa Experimental! Destina-se a obtenção por experimentação de novossistemas, produtos ou processos (Circuitos, Software,Hardware etc...)! Quando se determina um objeto de estudo,selecionam-se as variáveis que seriam capazes deinfluenciá-lo, definem-se as formas de controle eobservação dos efeitos que a variável produz nosobjetos em estudo.
  131. 131. 131Pesquisa OperacionalPesquisa Operacional! A finalidade é o desenvolvimento de métodos etécnicas para a solução de problemas complexos epara a tomada de decisões.! Utiliza o conhecimento matemático, através daprogramação linear e não linear para a solução deproblemas.! A pesquisa operacional consiste na construção demodelos do sistema físico real para serem aplicadastécnicas de simulação e otimização.
  132. 132. 132PesquisaPesquisa –– Estudo de CasoEstudo de Caso! Quando envolve o estudo profundo e exaustivo deum ou poucos objetos de maneira que se permita oseu amplo e detalhado conhecimento.! Este tipo de pesquisa, normalmente, é realizada apartir de um caso em particular e, posteriormente érealizada uma análise comparativa com outros casos,fenômenos ou padrões existentes.! É amplamente utilizada no levantamento dascaracterísticas e parâmetros de funcionamento ouoperação de sistemas e processos.
  133. 133. 133PesquisaPesquisa--AçãoAção! Quando concebida e realizada em estreita emassociação com uma ação ou com a resolução de umproblema coletivo.! Os pesquisadores e participantes representativos dasituação ou do problema estão envolvidos de modocooperativo ou participativo.
  134. 134. 134Pesquisa ParticipantePesquisa Participante! Quando se desenvolve a partir da interação entrepesquisadores e membros da situação investigada
  135. 135. 135Pesquisa ExpostPesquisa Expost--FactoFacto! Quando o “experimento” se realiza após os fatos.
  136. 136. Pesquisa BásicaPesquisa Básica
  137. 137. 137Classificação Quanto aos ObjetivosClassificação Quanto aos Objetivos! Pesquisa Exploratória:É a coleta de dados e informações sobre umfenômeno de interesse sem grande teorização sobreo assunto, inspirando ou sugerindo uma hipóteseexplicativa;! Pesquisa Hipotético-Dedutiva de Conhecimento:É a elaboração de uma ou mais hipóteses querelacione diversos fatos, seguida da coleta de dadose da geração de informações que comprove ou nãotal hipótese ou hipóteses.
  138. 138. 138ComparativoComparativoProduz interpretações acerca dascausas e funcionamento dosfenômenosColeta dados para verificarhipóteses, para comprovarmodelos, teorias ou leisExige extensa teorização e reflexãoProduz essencialmentedescrição dos eventos pesquisadosPropõe explicações e hipótesesNão exige extensa teorizaçãoPesquisaHipotética-DedutivaPesquisa Exploratória
  139. 139. 139Classificação Quanto a IntervençãoClassificação Quanto a Intervenção! Estudo Observacional:O pesquisador anota dados e extrai informações,mas faz o possível para não influenciar na ocorrênciado fenômeno;! Estudo Experimental:O pesquisador interfere e influencia na pesquisa,objetivando verificar os efeitos da intervenção.
  140. 140. 140ComparativoComparativoDescreve as conseqüências dasintervençõesIdentifica os mecanismos e asassociações ou interaçõesPermite através de testes avalidação dos modelosDescreve os fatos e reaçõesIdentifica relações entre variáveisPermite a comprovação e validaçãodos modelosNão ocorre a interferênciaEstudo ExperimentalEstudo Observacional
  141. 141. 141Classificação Quanto ao TempoClassificação Quanto ao Tempo! Estudo Transversal:O pesquisador coleta os dados do experimento numúnico instante no tempo, obtendo um recortemomentâneo do fenômeno investigado;! Estudo Longitudinal:O pesquisador coleta os dados do experimento em doisou mais momentos, havendo um acompanhamento aolongo do tempo do fenômeno em estudo.
  142. 142. 142ComparativoComparativoÉ relativamente lentoConsome mais recursosÉ mais suscetível a variáveisespúriasAvalia toda a dinâmica doprocessoÉ relativamente rápidoConsome poucos recursosÉ menos suscetível a variáveisespúriasFornece apenas uma indicação dadinâmica e não a dinâmicacompleta do processoEstudo LongitudinalRealizado ao longo do tempoEstudo TransversalRealizado em um único instante
  143. 143. 143Avaliação Comparativa dos EstudosAvaliação Comparativa dos EstudosTransversalObservacionalExploratóriaMenor valor científicoLongitudinalExperimentalHipotética-DedutivaMaior valor científicoTempoIntervençãoObjetivoTipo de Pesquisa / EstudoResultadoAnálise Comparativa dos Estudos Científicos
  144. 144. 144Avaliação Quantitativa dos Estudos CientíficosAvaliação Quantitativa dos Estudos CientíficosTipo de Pesquisa / EstudoMenorTransversalObservacionalExploratóriaLongitudinalObservacionalExploratóriaTransversalExperimentalExploratóriaTransversalObservacionalHipotética-DedutivaLongitudinalExperimentalExploratóriaLongitudinalObservacionalHipotética-DedutivaTransversalExperimentalHipotética-DedutivaMaiorLongitudinalExperimentalHipotética-DedutivaTempoIntervençãoObjetivo Valor Científico
  145. 145. 145Escolha por Critério EconômicoEscolha por Critério EconômicoTransversalObservacionalExploratóriaMenorLongitudinalExperimentalHipotética-DedutivaMaiorTempoIntervençãoObjetivoTipo de Pesquisa / EstudoInvestimentoAvaliação Comparativa em Função dos InvestimentosMateriais e Humanos Necessários a Execução dos Estudos
  146. 146. Pesquisa TecnológicaPesquisa Tecnológica
  147. 147. 147Etapas de uma PesquisaEtapas de uma Pesquisa! Escolha do tema! Projeto de pesquisaElaboração! Projeto de pesquisaFormatação! Pesquisa / Trabalho Científico
  148. 148. Escolha do Tema da PesquisaEscolha do Tema da Pesquisa
  149. 149. 149Como Definir o Tema ?Como Definir o Tema ?! Conhecimento anterior do tema;! Pesquisas em andamento (internet);! Literatura científica, pesquisa bibliográfica;! Idéias do orientador e colegas;! Idéias pessoais originais;! Necessidades do mercado.Sugestões para a definição:
  150. 150. Projeto de PesquisaProjeto de PesquisaElaboraçãoElaboração
  151. 151. 151FundamentosFundamentos! A elaboração de um projeto de pesquisa é umprocesso em que, a partir de uma necessidade,se escolhe um tema e, gradativamente define-se um problema e as formas de solucioná-lo.
  152. 152. 152FundamentosFundamentosFome Alimento Onde Comer Ir ao RestauranteNECESSIDADE TEMA PROBLEMA SOLUÇÃOO que Comer PãoFilé e CaviarFeijãoA partir de uma necessidade podem surgirdiversos tipos de problemas e, existirem váriassoluções que podem suprir a necessidade.Ir na minha cozinhaA Eficácia de uma Pesquisa está Relacionada aQualidade da Solução ?
  153. 153. 153FundamentosFundamentos! O sucesso financeiro da pesquisa está relacionado adeterminação da necessidade correta.! A eficácia da pesquisa está relacionada adeterminação da solução adequada para suprir anecessidade.! O insucesso financeiro ocorre quando uma pesquisaé extremamente eficaz, porém, não é necessária.Em se tratando de Pesquisa Tecnológica:
  154. 154. 154FundamentosFundamentosBasicamente a fase de elaboração dapesquisa é uma fase de construçãoMentalPortanto: Pensar em uma Necessidade
  155. 155. 155FundamentosFundamentos! Necessariamente devem ocorrer etapas, deforma que os mesmos aspectos sejamretomados ciclicamente, possibilitando cadaretorno um aprofundamento, umacompreensão maior do projeto.
  156. 156. 156Fases de Elaboração do ProjetoFases de Elaboração do Projeto! A elaboração de um projeto de pesquisa pode serconcebida através de quatro passos.! Estes podem ser apresentados como esforços emresponder às seguintes questões:O quê ? Como ? Quando ? Com que ?
  157. 157. 157O quê ?O quê ?! Neste primeiro momento definir-se-á oproblema a investigar.Procura-se responder às perguntas:O que será investigado ?O que será feito ?
  158. 158. 158Como ?Como ?! Como resposta a esta questão definir-se-á ametodologia.Responde-se às perguntas:Como se pretende chegar a soluçãodo problema ?Como se atingirá o que se deseja ?
  159. 159. 159Quando ?Quando ?! Este terceiro passo consiste em definir umcronograma.Responde-se a pergunta:Quando se realizarão as atividades ?
  160. 160. 160Com que ?Com que ?! Em resposta a esta questão procede-se a umestudo de viabilidade, prevendo os recursosnecessários à execução das atividades previstas.Responde-se a questão:Com que recursos ?
  161. 161. 161Elaboração do ProjetoElaboração do Projeto ResumoResumo! Deve-se Ampliar as respostas às questões:O quê ? Como ? Quando ? Com que ?Isto pode ser atingido através de um conjuntodetalhado de perguntas como:
  162. 162. 162O que ?O que ?! Qual a idéia geral ?! Qual o tema da pesquisa ?! Qual o problema ou dificuldade a solucionar ?! Qual a pergunta a responder ?! Qual a necessidade da pesquisa ?
  163. 163. 163Como ?Como ?! O que será feito para solucionar o problema ?! Como serão coletados os dados ?! Como se obter as informações ?! Como serão trabalhados e analisados os dados ?
  164. 164. 164Quando ?Quando ?! Qual o tempo total a ser utilizado na pesquisa ?! Qual o tempo que disponho ?! Qual o tempo reservado a cada uma das etapas ?! Como se distribuem as ações no tempo ?
  165. 165. 165Com que ?Com que ?! Que recursos serão necessários ?! Que materiais serão utilizados ?! Que pessoas serão empregadas ?! Que capital é necessário ?! O projeto é viável ?
  166. 166. 166Elaboração do ProjetoElaboração do Projeto ConclusõesConclusões! A descrição que foi apresentada constitui o quese denomina de uma elaboração de um projetode pesquisa em nível inicial.Elaborar um projeto de pesquisa é aprofundaras respostas às quatro perguntas básicas:O que ?, Como ?, Quando ?, Com que ?
  167. 167. 167Elaboração do ProjetoElaboração do Projeto DetalhadaDetalhada! O que ?Qual o tema ?Qual o problema ?Quais os subproblemas ?Qual a justificativa ?Quais os pressupostos teóricos ?! Como ?O que será feito para solucionar o problema ?Como serão coletados as informações ?Serão feitas entrevistas ? Observações ?Serão feitas experimentações ? Medições ?Qual será a amostra ?Que instrumentos serão utilizados ?Que atividades serão realizadas ?Como serão analisados os dados ?! Quando ?Qual o tempo total previsto para a pesquisa ?Qual o tempo destinado a cada etapa ?Como se distribuem as atividades no tempo ?Qual o cronograma ?O projeto é viável no tempo ?! Com que ?Que recursos materiais serão necessários ?Que recursos humanos serão necessários ?Que recursos financeiros serão necessários ?O projeto é viável em função dos recursos ?Qual os recursos disponíveis ?Qual o tipo de financiamento é viável ?Quais as fontes de financiamento possíveis ?
  168. 168. Projeto de PesquisaProjeto de PesquisaFormataçãoFormatação
  169. 169. 169Metodologia BásicaMetodologia BásicaCapaIdentificaçãoJustificativaObjetivosMetasResultados EsperadosMetodologiaDifusão TecnológicaMaterial/OrçamentoCronogramaMaterial ExistenteDespesas com PessoalDiárias a PagarMaterial de ConsumoRemuneração de TerceirosObras e InstalaçõesOutros ServiçosMaterial PermanenteQuadro ResumoParcerias EnvolvidasFonte: SCT/RS - Pólos
  170. 170. 170Metodologia BásicaMetodologia Básica Fonte: FACCATCapaTítuloResponsabilidade e ExecuçãoHistórico do ProblemaObjetivosJustificativaMaterial e MétodosCronogramaOrçamentoReferências BibliográficasBibliografia a ser ConsultadaMaterial PermanenteMaterial de ConsumoServiços de TerceirosQuadro Resumo OrçamentoCorpoPrincipalPrograma de Iniciação a PesquisaCientífica 2001/2002
  171. 171. FormataçãoFormataçãoExemplo Aplicado
  172. 172. 172PaginaçãoPaginação! Folha = A4 (Papel = 90 g/cm²) (Arquivo / Configurar Página)! Espaçamento entre linhas = 1,5 (Formatar / Parágrafo / Entre Linhas)! Fonte texto = Arial 12 (Formatar / Fonte = Estilo da Fonte, Tamanho)! Fonte nota rodapé e citações longas = Arial 10! Margens: (Arquivo / Configurar Página / Margens)Esquerda = 4 cm, Direita = 2 cm, Superior = 3 cm, Inferior = 3 cm! Recuo (Parágrafo) = 1 cm (NBR 12256)(Formatar / Parágrafo / Especial = Primeira Linha) / Por = 1 cm)! Alinhamento = JustificadoPara utilização do editor de texto Word 2000 Microsoftseguir as etapas de formatação (Fonte de cor branca)Exemplo de formatação
  173. 173. 173CapaCapaNOME DA UNIVERSIDADE OU MANTENEDORANOME DO CENTRO, INSTITUTO OU FACULDADE ISOLADAPESQUISA OU CURSO DE GRADUAÇÃOPROJETO DE PESQUISATítuloAutorCidade, Estado, BrasilAnoExemplo
  174. 174. 174Corpo do TrabalhoCorpo do Trabalho1. Título da pesquisa2. Identificação do autor
  175. 175. 175Corpo do TrabalhoCorpo do Trabalho! O título deve ser conciso e o mais descritivo possível;! Evitar palavras vazias como “Um Estudo sobre...”;! Evitar utilizar abreviaturas pouco conhecidas;! O título de expressar o objetivo geral de forma implícita1. Título da Pesquisa
  176. 176. 176TítulosTítulos ExemplosTítulo Avaliação de sistemas de videoconferência.Autor Leopoldino, Graciela MachadoTítulo Aplicações distribuídas em Windows 95 apoiadaspor ferramenta de geração automática de stubs.Autor Teixeira, Mario Antonio MeirelesTítulo Sistemas especialistas modulados e abrangentespara a gestão de operações.Autor Barrella, Wagner Däumichen
  177. 177. 177Corpo do TrabalhoCorpo do Trabalho! Nome do autor! Nº Identidade! Nº CPF! Endereço residencial! Endereço comercial! Telefone, Fax, E-mail! Referências pessoais2. Identificação do Autor
  178. 178. 178Corpo do TrabalhoCorpo do Trabalho3. Histórico do Problema (Revisão Bibliográfica)Descrição coerente do estado do conhecimentorelativo ao tema proposto, com referencias dos autoresque já publicaram diretamente o assunto ou em áreasafins.Fazer um relato sobre o problema que gerou anecessidade da pesquisa, descrevendo a importânciado tema.
  179. 179. 179Corpo do TrabalhoCorpo do Trabalho4. ObjetivosLista dos objetivos da pesquisa. Pode sersubdividido em Objetivos Gerais e ObjetivosEspecíficos.Definir claramente o alvo ou situação a seratingida, cujo alcance (sucesso) se pode medir(avaliar) pela ultrapassagem de metas.
  180. 180. 180Objetivo GeralObjetivo GeralDesenvolver um modelo científico de estúdio deprodução em rádio, para ser utilizado comoreferencial básico para novas implantações e areadequação dos existentes em cursos decomunicação social, em instituições de ensinosuperior, visando a melhoria e otimização daorganização do trabalho e usabilidade do sistema àaprendizagem.ExemploUtilizar: Efetuar, Calcular, Estudar, Analisar, Prever, Dimensionar etc...
  181. 181. 181Objetivos EspecíficosObjetivos Específicos1. Formular, a partir de um estudo analítico, umreferencial teórico-prático sobre as característicasestruturais, funcionais, morfológicas, diacrônicase sincrônicas dos estúdios, principal e degravações, utilizados por emissoras de radiodi-fusão profissionais;2. Formular uma metodologia aplicada à implanta-ção de estúdios de produção em rádio em cursosde comunicação social;Exemplo
  182. 182. 182Corpo do TrabalhoCorpo do Trabalho5. JustificativaApresentação de argumentos que enfatizem aimportância científica, social ou econômica dapesquisa.Elaborar a justificativa do projeto, considerandoo impacto previsto na resolução do problema, jáque a execução do mesmo deverá buscar ou sera melhor alternativa tecnológica.
  183. 183. 183Corpo do TrabalhoCorpo do Trabalho6. Material e Métodos (Metodologia)Detalhar o conjunto de métodos selecionados, ouseja, discriminar as atividades necessárias àexecução física do projeto, que retratam aexperiência e o conhecimento do autor, paragarantir a consecução dos objetivos propostos eo repasse dos conhecimentos adquiridos para asociedade.Expor as prováveis limitações da metodologia eos riscos para o êxito da pesquisa, indicando asrotas alternativas em caso de insucesso.
  184. 184. 184Material e MétodosMaterial e MétodosConceitualmente o método a ser empregado baseia-seno que Lakatos & Marconi (1991, p.85) referem como:“Método Estruturalista, desenvolvido por Lévi-Straus. Ométodo parte da investigação de um fenômeno concreto,eleva-se, a seguir, ao nível abstrato, por intermédio daconstituição de um modelo que represente o objeto deestudo, retornando por fim ao concreto, dessa vez comouma realidade estruturada e relacionada com aexperiência...”...ExemploNeste capítulo pode-se iniciar conceituando o método que será utilizado,
  185. 185. 185Material e MétodosMaterial e Métodos7.2.4 Etapa IV – Estudo Analítico dos Modelos ProfissionaisA partir desta etapa, que consiste em um dos objetivosespecíficos da tese, será realizado um estudo analítico sobre osmodelos de estúdios utilizados em radiodifusão sonora profissional.A metodologia de análise é baseada nas técnicas propostas porBonsiepe (1986), e consistirá nas seguintes fases:Análise diacrônica do desenvolvimento histórico dos estúdios;Análise sincrônica: Os sistemas operacionais e o mercado;Análise Estrutural;Análise Funcional;Análise Morfológica.ExemploRelaciona-se as etapas, com a descrição dos procedimentos, que serãoexecutadas para se atingir as metas,
  186. 186. 186Material e MétodosMaterial e Métodos7.2.4.1 Análise Diacrônica do Desenvolvimento Histórico dos EstúdiosNa análise serão apresentadas as características técnicas parauma avaliação da evolução em relação ao aperfeiçoamento dossistemas operacionais. Como referencial ao estudo destes estúdios deradiodifusão utilizar-se-á literatura técnica disponibilizada pelasassociações, institutos e sociedades internacionais em sites nainternet que tem por finalidade preservar a história da radiodifusãomundial. A análise tem como ponto de partida os primeiros registrossobre a implantação de estúdios e será desenvolvida até aatualidade.ExemploA descrição da etapa através dos procedimentos expressa o domínio doautor para a execução do trabalho,
  187. 187. 187Corpo do TrabalhoCorpo do Trabalho7. CronogramaXDefesa dosResultadosXXXRedação eFormataçãoXRelatório dePesquisaXXAnálise deDadosXXXXXExperiênciae EnsaioXXXRevisão daBibliografiaDezNovOutSetAgoJulJunMaiAbrMarFevJanMês /Atividade
  188. 188. 188Corpo do TrabalhoCorpo do Trabalho8. OrçamentoDISCRIMINAÇÃO DISPONÍVEL A FINANCIARQuant.Custo Unitário(R$)Total Item Quant.Custo Unitário(R$)Total ItemSUBTOTAL8.2 Material de Consumo8.1 Material Permanente8.3 Serviço de Terceiros
  189. 189. 189Corpo do TrabalhoCorpo do Trabalho8. Orçamento 8.4 Quadro Resumo do OrçamentoDISCRIMINAÇÃO DISPONÍVEL A FINANCIARMaterial PermanenteMaterial de ConsumoServiços de TerceirosImprevistosTOTAL
  190. 190. 190Corpo do TrabalhoCorpo do Trabalho9. Referências Bibliográficas10. Bibliografia a ser consultadaRelacionar a bibliografia utilizada para citaçõesrealizadas no projeto de pesquisa.Formatação com base na NBR 6023 da ABNT.Relacionar a bibliografia a ser utilizada para aexecução da pesquisa.Formatação com base na NBR 6023 da ABNT.
  191. 191. 191Formatação de QuadrosFormatação de QuadrosQuadro 1: Unidades DerivadasFonte: Vassallo, 1981, pág.10Grandeza Nome daUnidadeSímbolo daUnidadeForça Newton NEnergia Joule JPotência Watt WCarga elétrica Coulomb CCampo Elétrico eFEMVolt VResistência elétrica Ohm ΩCapacitância elétrica Farad FIndutância elétrica Henry HFluxo magnético Weber WbMargem Esquerda
  192. 192. 192Formatação de FigurasFormatação de FigurasMargem EsquerdaFigura 2: Distância entre componentes emfunção do tipo de Knob.Fonte: Jung, 2000, pág. 197
  193. 193. FormataçãoFormataçãoExemplo AplicadoOutros capítulos que podem ser adicionados
  194. 194. 194MetasMetas! Estabelecer metas significa quantificar os objetivos.! Deve-se relacionar as metas que possibilitarãoalcançar os objetivos propostos.
  195. 195. 195MetasMetas Exemplo1. Estudar analiticamente, através da aplicação decinco técnicas, os modelos de estúdios utilizados ememissoras de radiodifusão profissionais, paraformação de um referencial teórico-prático àexecução das fases projetuais;2. Executar e demonstrar didaticamente as oito fasesprojetuais do modelo científico, proporcionando destaforma um exemplo de metodologia aplicada;3. Construir um protótipo com base no modelocientífico proposto;
  196. 196. 196MetasMetas Exemplo4. Verificar, avaliar, otimizar e comprovar o modelocientífico proposto através do protótipo construído.5. Apresentar, defender e validar a tese propostapara viabilizar a difusão tecnológica e permitir,também, novas predições científicas sobre o modelocientífico.
  197. 197. 197Resultados EsperadosResultados Esperados! Indicar a utilização dos resultados, descrevendo osmecanismos de transferência para o setor produtivo,indicar os itens de controle para acompanhamentodas metas estabelecidas.
  198. 198. 198Resultados EsperadosResultados Esperados“Com a implementação do mercado virtual, espera-se que haja umamaior integração entre as várias empresas da região. O espaçodisponibilizado pelo mercado virtual permitirá que as empresas secomuniquem de maneira rápida e eficaz, agilizando as transaçõescomerciais entre elas e permitindo o intercâmbio eletrônico deinformações essenciais para a correta tomada de decisões por partedelas.Por conta da tecnologia adotada para a implementação do mercadovirtual ser de baixo custo e acessível a qualquer empresa da região,não exigindo grandes investimentos, espera-se contar efetivamentecom todas elas como participantes do mercado virtual. Principalmente,levando-se em conta que o projeto deverá dar suporte técnico ecientífico para as empresas, na forma de cursos e seminários sobrecomércio eletrônico, bem como através da assessoria na implantaçãodos recursos computacionais necessários para a participação nomercado virtual e do treinamento de pessoal para a operação nestemesmo mercado.”... (NASCIMENTO, 2000, p.04)Exemplo
  199. 199. 199MetodologiaMetodologia! Detalhar a metodologia a ser adotada, discriminando asatividades necessárias à execução física do projeto.
  200. 200. 200MetodologiaMetodologia ExemploNa metodologia pode ser apresentado um modelo diagramático com aposterior descrição da implementação do sistema, detalhadamenteFonte: Projeto de Pesquisa, Prof. Francisco A. M. do Nascimento, M.Sc.
  201. 201. 201MetodologiaMetodologia- Visão e escopo do projeto;- Projeto lógico do ambiente;- Definição da comunidade aprendente;- Definição do escopo do conteúdo do endereço;- Definição das funcionalidades interativas;- Detalhamento da tecnologia a ser utilizada;- Projeto do Bando de Dados;- Diagrama Entidade e Relacionamento do Banco de Dados;- Arquitetura da Informação;- Definição da estrutura das páginas, padrões gráficos;- Avaliação continuada de todas as etapas com toda equipe;- Construção do Ambiente;- Elaboração dos conteúdos textuais e gráficos;- Construção do sítio;- Procedimentos de teste;- Avaliação continuada de todas as etapas com toda equipe;- Implantação;ExemploFonte: Projeto de Pesquisa, Prof. Roberto Carlos Grings, M.Eng.
  202. 202. 202Difusão TecnológicaDifusão Tecnológica! Relacionar os cursos, seminários ou eventos que sedestinaram a difundir a pesquisa e os resultadosobtidos ao setor produtivo a que se destinaCronograma de execução dos eventos programados
  203. 203. 203Difusão TecnológicaDifusão Tecnológica ExemploFonte: Projeto de Pesquisa, Prof. Francisco A. M. do Nascimento, M.Sc.NOME DO EVENTO(Seminários, Cursos, etc.)Público Alvo Carga horária Período N° de VagasCurso I: Introdução ao Comércio Eletrônico Empresários e Comunidade emgeral20h 30Curso II: Infraestrutura para Comércio Eletrônico Especialistas em Informática 30h 20Curso III: Estratégias e Tecnologias para ComércioEletrônicoEmpresários e especialistas eminformática30h 20Curso IV: Ferramentas de Desenvolvimento paraComércio EletrônicoEspecialistas em informática 30h 20Seminário: Comércio Eletrônico de Empresa paraEmpresaEmpresários e comunidade emgeral20h 120
  204. 204. 204Material / OrçamentoMaterial / OrçamentoMaterial ExistenteDespesas com PessoalDiárias a PagarMaterial de ConsumoRemuneração de TerceirosObras e InstalaçõesOutros ServiçosMaterial PermanenteQuadro ResumoParcerias EnvolvidasItens Exigidos naApresentação do Projeto
  205. 205. 205Critérios de AvaliaçãoCritérios de AvaliaçãoPESQUISA BÁSICA– Criatividade– Pensamento científico– Eficácia– Habilidade técnica– Clareza naapresentaçãoPESQUISA TECNOLÓGICA– Criatividade– Metas Técnicas– Eficácia– Habilidade técnica– Clareza naapresentação
  206. 206. 206Critérios de AvaliaçãoCritérios de Avaliação! Na pesquisa básica o “pensamento científico” que éavaliado fundamentalmente, esta característicadetermina a qualidade e o grau de contribuiçãocientífica.! Na pesquisa tecnológica são as “metas técnicas” quedeterminarão a excelência e o grau de inovação dapesquisa para o desenvolvimento de um novo produtoou processo.
  207. 207. 207Pesquisa Científica (Básica)Pesquisa Científica (Básica)Parâmetros de AvaliaçãoParâmetros de Avaliação -- ExemplosExemplos! O problema está declarado clara e inequivocamente?! O problema foi suficientemente limitado para permitiruma abordagem plausível?! Havia um plano de procedimentos para obter umasolução?! As variáveis são claramente reconhecidas edefinidas?
  208. 208. 208Pesquisa Científica (Básica)Pesquisa Científica (Básica)Parâmetros de AvaliaçãoParâmetros de Avaliação -- ExemplosExemplos! Se eram necessários controles, o pesquisadorreconheceu a necessidade deles/delas e eles foramcorretamente usados?! Há dados adequados para apoiar as conclusões?! O pesquisador reconheceu as limitações dos dados?! O pesquisador citou literaturas científicas, ou apenasliteratura popular (i.e., jornais locais, etc.)?
  209. 209. 209Pesquisa Científica (Tecnológica)Pesquisa Científica (Tecnológica)Parâmetros de AvaliaçãoParâmetros de Avaliação -- ExemplosExemplos! O problema está declarado clara e inequivocamente?! O projeto tem um objetivo claro?! O objetivo é pertinente às necessidades do usuáriopotencial?! A solução é executável? Aceitável do ponto de vistado usuário potencial? Economicamente viável?
  210. 210. 210Pesquisa Científica (Tecnológica)Pesquisa Científica (Tecnológica)Parâmetros de AvaliaçãoParâmetros de Avaliação -- ExemplosExemplos! A solução poderia ser utilizada com sucesso noprojeto ou construção de um produto final?! A solução é uma melhoria significativa em cima dealternativas prévias?! A solução foi testada em termos de desempenho sobcondições de uso?
  211. 211. Linguagem CientíficaLinguagem CientíficaConstrução de Textos Científicos
  212. 212. 212Construção de TextosConstrução de Textos! Evitar a utilização das primeiras pessoas do singulare do plural. As formas impessoais são semprepreferidas:Errado... desenvolvi um sistema...... desenvolvemos um sistema...... podemos estabelecer...Correto... foi desenvolvido um sistema...... desenvolveu-se um sistema...... pode-se estabelecer...
  213. 213. 213Construção de TextosConstrução de Textos! Não utilizar palavras coloquiais. Em um texto científico,deve-se tomar cuidado com o formalismo.Errado... o usuário foi colocado cara-a-cara com o sistema...... e o sistema ficou bem legal ...Correto... foi apresentado o sistema para o usuário...... e o sistema apresentou boa performance...
  214. 214. 214Construção de TextosConstrução de Textos! Não utilizar em demasia palavras repetidas ou com amesma sonoridade:Errado... a apresentação do software foi apresentada ...... o sistema, que foi desenvolvido como um sistema...Correto... a apresentação do software foi realizada...... o sistema, que foi desenvolvido como uma ferramenta...
  215. 215. 215Construção de TextosConstrução de Textos! Casos onde se adota a utilização do itálico:Expressões em língua estrangeiraTítulos de periódicos e livros no textoereferências bibliográficasBACK. Nelson. Metodologia de projetos de produtos industriais. Rio deJaneiro: Guanabara Dois, 1983.Nomes científicos de espéciesanimais e vegetais
  216. 216. 216Construção de TextosConstrução de Textos! Todas as palavras em língua estrangeira devem estarem itálico:Errado... o software tem o objetivo ...... uma página www...... assim como o hardware...... O link estava ativo...Correto... o software tem o objetivo ...... uma página www...... assim como o hardware...... O link estava ativo...
  217. 217. 217Construção de TextosConstrução de Textos! Casos onde se adota a utilização do negrito ou sublinhadoÊnfase de palavras ou letras do texto deacordo com as convenções adotadas em cadaárea do conhecimentoNomes científicos de espéciesanimais e vegetais
  218. 218. 218CitaçõesCitações“Citação é a menção no texto de uma informaçãocolhida de outra fonte, como esclarecimento aoassunto em discussão ou reforço à idéia do autor”.(HELFER & AGNES, 2001, pág. 18)As citações podem ser realizadas através de doissistemas diferentes:a. Sistema autor-data (ou sistema alfabético)b. Sistema numérico
  219. 219. 219Construção de TextosConstrução de Textos! Citação direta / sistema autor-dataÉ a transcrição exata de palavras ou trechos deum autor, respeitando-se rigorosamente a redação,ortografia e pontuação.A reprodução deve aparecer, sempre, entre aspasduplas, mesmo que compreenda mais de umparágrafo.Quando a citação textual já apresentar palavrasentre aspas, estas devem ser transformadas emapóstrofos ou aspas simples, ou seja: ‘ ... ‘
  220. 220. 220Citação DiretaCitação DiretaSegundo Bezerra F.º (1999, pág. 45) “Dessemodo, devem ser tomadas diversas medidas com oobjetivo de se levantar os parâmetros das linhasusadas visando determinar se elas atendem adeterminadas especificações exigidas pelos órgãosadministrativos responsáveis pela fiscalização daqualidade dos serviços prestados pelas companhiastelefônicas”.Citação direta no início do parágrafo:
  221. 221. 221Citação DiretaCitação DiretaOs voltímetros são instrumentos destinados amedida da tensão elétrica, em circuitos decorrente contínua ou alternada. A utilizaçãodestes instrumentos se dá pela conexão emparalelo ao circuito, no ponto onde se desejamedir a tensão, portanto, “Há grande variedadede voltímetros que são empregados em medidasconforme a aplicação necessária, mas basica-mente são divididos em duas classes, osvoltímetros de bobina móvel e os de indicaçãonumérica” (KUSHNIR,1978, pág. 40).Citação direta no final do parágrafo:
  222. 222. 222Citação DiretaCitação DiretaOs grupos isométricos, ou seja, “...aqueleselementos que tem a mesma forma e a mesmadimensão...” (BONSIEPE, 1978, pág. 161) , ...Podem ser utilizados trechos de citações, semque seja transcrita a totalidade da frase:Deve ser utilizada a seguinte forma
  223. 223. 223Citação DiretaCitação DiretaOs grupos isométricos, ou seja, “...aqueles elementosque tem a mesma forma e a mesma dimensão...”(BONSIEPE, 1978, pág. 161), possuem a finalidadede selecionar diferentes faixas ou níveis, mas semprerelacionada com o tipo de função. Esta coerênciaformal facilita a operacionalidade do usuário, porexemplo, no momento da seleção de faixas defreqüências no gerador de áudio qualquer novaseleção é realizada naquele grupo específico.Exemplo
  224. 224. 224Citação DiretaCitação DiretaA relação de simetria catamétrica que é referida porBonsiepe (1978, pág. 161) como “...elementos que nemsão congruentes nem afins, porém estão ligados poruma relação comum interfigural”, é evidenciada pelafunção a que se destinam e, após observar-se o seupadrão gráfico é que se constata uma clara relaçãocatamórfica entre os elementos.Citação direta integrada no parágrafo:
  225. 225. 225Citação DiretaCitação DiretaMétodo Estruturalista, desenvolvido por Lévi-Straus. Ométodo parte da investigação de um fenômenoconcreto, eleva-se, a seguir, ao nível abstrato, porintermédio da constituição de um modelo querepresente o objeto de estudo, retornando por fim aoconcreto, dessa vez como uma realidade estruturada erelacionada com a experiência.... (LAKATOS &MARCONI, 1991, p.85)Espaçamento entrelinhas = simplesRecuo da margemesquerda = 4 cmPágina1º Parágrafo2º ParágrafoCitaçãoCitação direta em bloco / recuada:Para citações com + de 3 linhas
  226. 226. 226Construção de TextosConstrução de Textos! Citações com vários autoresUtiliza-se a expressão: et al. para mais de três autores.No texto, por exemplo:Ribeiro et al. (1999, p. 35)Nas referências bibliográficas, por exemplo:RIBEIRO, Santos; SILVA, João; TALLES, Jorge; TELLES, Luiz. Metodologia. São Paulo: Editora, 1999
  227. 227. 227Construção de TextosConstrução de Textos! Citação indireta ou citação livre / sistema autor-dataÉ a transcrição não literal de palavras ou trechos deum autor, em que se reproduz fielmente conteúdo eidéias do documento original.A citação deve aparecer sem a utilização de aspas ena forma: Autor (Ano) ou (Autor, Ano)Utiliza-se o conteúdo original, mas, a forma escrita émodificada pelo autor da monografia.
  228. 228. 228Citação IndiretaCitação Indireta“As citações são elementos retirados dos documentospesquisados durante a leitura da documentação e que serevelam úteis para corroborar as idéias desenvolvidas pelo autorno decorrer de seu raciocínio” (SEVERINO, 1984, p. 126)Citação indireta:OriginalAs citações são referências extraídas de textos durante apesquisa documental e bibliográfica, consistindo em importantesfontes para a fundamentação das idéias desenvolvidas peloautor no decorrer de seu raciocínio. (SEVERINO, 1984)Modificada
  229. 229. 229Citação IndiretaCitação IndiretaSegundo Jorge (2000), a existência de umaenergia eletromagnética e invisível foi relatadapor Clerk Maxwell em 1873. Foi elaborada ateoria de que, independentemente de umcondutor sólido, as ondas eletromagnéticaspropagam-se no espaço.Citação indireta no início do parágrafo:
  230. 230. 230Citação IndiretaCitação IndiretaEm 1901, usando seu equipamento deradiotelegrafia no rebocador Flying Hunters,Marconi cobriu uma regata realizada no Canalda Mancha. Durante a competição, as notíciaseram redigidas, enviadas em código Morse ecaptadas pela estação receptora instalada emKingston, que as transmitida pelo telefone parao jornal Daily Express, (JORGE, 2000) .Citação indireta no final do parágrafo:
  231. 231. 231Construção de TextosConstrução de Textos! Citação de citação / sistema autor-dataÉ a citação de um documento ou texto ao qual nãose teve acesso direto.No texto deve ser indicado o sobrenome do(s)autor(es) do trabalho original, não consultado,seguido da preposição “apud” e do sobrenomedo(s) autor(es) da obra consultada
  232. 232. 232Citação de CitaçãoCitação de CitaçãoCarraro (1963) apud Salgado (1967, pág. 45)ExemploAutor e ano da obra que não se obteve acessoAutor e ano da obra que foi citadoo texto do primeiro autorPode-se ler como: Carraro citado por Salgado
  233. 233. 233Citação de CitaçãoCitação de CitaçãoPara superar este problema, SistemasEspecialistas orientados a objetos têm sidodesenvolvidos (COX, 1986 apud NG, 1996). Oprincípio subjacente à abordagem orientada aobjetos é que o sistema é composto de objetosque interagem representando entidades físicase conceituais do mundo real. Cada objetoconsiste de um conjunto de dados (atributosassociados) e procedimentos (métodos).Citação de citação no início do parágrafo:
  234. 234. 234Citação de CitaçãoCitação de CitaçãoUma característica importante do SistemaEspecialista é a sua capacidade de explanação.Este recurso permite que o Sistema Especialistaexponha suas razões ao usuário, tais como porquê uma informação está sendo solicitada ecomo as conclusões são obtidas, (KANDEL, 1992apud NG, 1996).Citação de citação no final do parágrafo:
  235. 235. 235Construção de TextosConstrução de Textos! Citação de citação / Referências BibliográficasQuando for elaborado o capítulo de ReferênciasBibliográficas deve ser observada a regra específicapara serem relacionadas as citações de citações,por exemplo:Menciona-se apenas os autores efetivamente consultados.No texto = Silva (1987) apud Santos (1999, p. 49)Nas referências = SANTOS, Ricardo dos. ..............
  236. 236. 236Construção de TextosConstrução de Textos! Citações pelo sistema numérico (ABNT 10520)As citações devem ter numeração única econsecutiva para todo o documento, capítulo oupágina.A indicação da numeração no texto é feita poucoacima da linha do texto, colocada após a pontuaçãoque fecha a citação.Sendo usado (1) ou [1] ou 1
  237. 237. 237CitaçõesCitaçõesTorna-se dispensável uma abordagem maisprofunda nos aspectos técnicos, sobre o processode modulação, mas, a título de conhecimentoreferencial, pode-se considerar que “Modulação éo processo de misturar informação contida em umsinal eletrônico de baixa freqüência a um de altafreqüência. O sinal da alta freqüência é chamadode portador e o de baixa é chamado de sinal demodulação ou modulador”.1ExemploNúmero da citação
  238. 238. 238Construção de TextosConstrução de Textos! Outros recursos para citaçõesA primeira nota de identificação de fonte de umacitação no texto, por exemplo: (JOÃO, 2000, p. 67)deve conter os elementos essenciais da obra,conforme a NBR 6023.Nas indicações posteriores, utilizam-se os seguintesrecursos:
  239. 239. 239Recursos para CitaçõesRecursos para Citações! Ibidem ou Ibid = na mesma obra! Idem ou Id. = do mesmo autor! Op. cit. = na obra citada! Loc. cit. = no lugar citado! Et seq. = seguinte ou que se segue! Passim = aqui e ali; em vários trechos! Cf. = Confira! Sic. = Assim mesmo, desta maneira
  240. 240. 240RecursosRecursosO termo Ibidem ou Ibid. só é utilizado quando foremrealizadas várias citações de um mesmo documento,variando apenas a paginação.Schmidt, 1997, p. 90Ibidem. p. 95O termo Idem ou Id substitui o nome, quando setratar de citação de diferentes obras do mesmo autorCarraro, 1997, p. 18Idem. 1998, p. 132
  241. 241. 241RecursosRecursosA expressão Op. cit. é utilizada em seguida ao nomedo autor, referindo-se à obra citada anteriormente,na mesma página, quando houver intercalação deoutras notas.Tell, 1995, p. 67Santos, 1987, p. 305Tell, Op. cit. p. 45
  242. 242. 242RecursosRecursosA expressão Loc. cit. é empregada para mencionar amesma página de uma obra já citada, quando houverintercalação de outras notas de indicaçãobibliográficas.Souza, 1995, p. 45Silva, 1991, p. 76Souza, loc. cit. = Souza, 1995, p. 45
  243. 243. 243RecursosRecursosA expressão Et. seq. é usada quando não se quermencionar todas as páginas da obra referenciada.Indica-se a primeira página, seguida da expressãoPopper, 1975, p. 211 et seq.et seq. = página x em seqüência
  244. 244. 244RecursosRecursosO termo Passim é utilizado quando for feita referênciaa diversas páginas de onde foram retiradas as idéiasdo autor, evitando-se a indicação repetitiva dessaspáginas. Indica-se a página inicial e final do trecho quecontém as definições ou conceitos utilizados.Medeiros, 1975, p. 201-287 passim.
  245. 245. 245RecursosRecursosA abreviatura Cf. é usualmente empregada para serfeita referência a trabalhos de outros autores ou anotas do mesmo autor.Cf. Telles, 1999, p. 67A expressão Sic. É utilizada para destacar errosgráficos ou de outra natureza, informando ao leitor queestava assim mesmo no texto original“A nota era demasiada alto (sic) alta” (Tell, 1977, p. 8)
  246. 246. 246Construção de TextosConstrução de Textos! Notas de rodapéSão anotações colocadas ao pé da página ou no finaldo capítulo ou do trabalho, identificadas por númeroscom a finalidade de indicar a fonte de consulta ouesclarecer ou complementar o texto.A seqüência numérica das notas de rodapé éordenada por numeração única, em ordem crescente,por capítulo ou para todo o trabalho.
  247. 247. 247Construção de TextosConstrução de Textos! Notas de rodapéAs notas de rodapé devem ser separadas do textopor um traço que se inicia na margem esquerda etem 4 cm;São digitadas em espaço simples com fonte menorque a do texto; Exemplo: Texto = 12 Nota = 10Elas devem ser iniciadas a dois espaços 1,5 da últimalinha da página.
  248. 248. 248Notas de RodapéNotas de RodapéxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnNota de RodapéNo texto, a expressão oupalavra a que se refere a notade rodapé deverá ser indicadapelo número correspondente danota de rodapé.Exemplo: Broadcasting 1MargemÚltima linha
  249. 249. Trabalhos de ConclusãoMonografias de EspecializaçãoDissertaçõesTesesTrabalhos CientíficosTrabalhos CientíficosPara Conclusão de CursosPara Conclusão de Cursos
  250. 250. 250Tipos de TrabalhosTipos de Trabalhos -- AplicaçãoAplicação! Graduação:Trabalho de Conclusão = BachareladoRelatório de Estágio = Licenciatura! Pós-Graduação:Monografia = EspecializaçãoMonografia (Dissertação) = MestradoMonografia (Tese) = Doutorado
  251. 251. 251O que é Monografia ?O que é Monografia ?Documento que apresenta a descrição exaustiva dedeterminada matéria abordando aspectos científicos,históricos, técnicos, econômicos, artísticos, etc.(ABNT (P-TB-49/67), 2000)É um trabalho sistemático e completo sobre umassunto particular, usualmente pormenorizado notratamento, mas não extenso no alcance.(AMERICAN LIBRARY ASSOCIATION, 2000)
  252. 252. 252O que é Monografia ?O que é Monografia ?“Monografia significa a abordagem de um único assunto,ou problema, sob tratamento metodológico deinvestigação. Exige, portanto, que lhe seja dada umaespecificação, um tratamento aprofundado e exaustivo,que não deve ser confundido com extensão.A característica essencial da monografia, é a forma deestudo de um tema (unicidade) delimitado, umaatualidade e originalidade acompanhada de umacontribuição importante para ampliação doconhecimento específico”(OLIVEIRA, 2000, pág. 236)
  253. 253. 253ConfiguraçõesConfigurações! Existem diversas configurações que podemser utilizadas em função do tipo de pesquisa(quanto aos objetivos) para a realização dotrabalho científico.
  254. 254. 254Configuração BásicaConfiguração BásicaIntroduçãoDesenvolvimentoConclusãoBibliografiaTodo trabalho deve possuirEsta é uma configuração básica quetodos trabalhos devem apresentar, adiferenciação consiste na elaboração eformatação do desenvolvimento decada trabalho
  255. 255. 255Configuração BásicaConfiguração BásicaIntroduçãoDesenvolvimentoConclusãoBibliografiaEsta configuração básica podese desdobrar em outros tipos,conforme a necessidade deapresentação do trabalho peloautor
  256. 256. 256DesdobramentoDesdobramentoIntroduçãoRevisão BibliográficaMetodologiaEstudo de CasoDiscussão dos ResultadosIntroduçãoDesenvolvimentoConclusãoBibliografiaConclusõesReferências BibliográficasBibliografiaExemplo I
  257. 257. 257DesdobramentoDesdobramentoIntroduçãoRevisão de LiteraturaEstudo de CasoDiagnóstico ou AnáliseIntroduçãoDesenvolvimentoConclusãoBibliografiaConclusõesReferências BibliográficasBibliografiaExemplo II

×