• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
3 malhas de controle-lamartine(ppt3)
 

3 malhas de controle-lamartine(ppt3)

on

  • 2,105 views

 

Statistics

Views

Total Views
2,105
Views on SlideShare
2,105
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
47
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    3 malhas de controle-lamartine(ppt3) 3 malhas de controle-lamartine(ppt3) Document Transcript

    • Malhas de Controle Autor: José Lamartine de A. L. Neto Professor das disciplinas “Controle de Variáveis Industriais” e “Controle Avançado de Processos Industriais” do curso técnico de Automação Industrial do CEFET-BA Controle em Malha Aberta Controle em Malha Fechada Controle Manual Controle Automático José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-O que é controlar? José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-Justificativa José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-
    • Qual o contexto do controle? José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-Ou... José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-... ou ainda. José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-
    • Então precisamos... ...entender o esquema de fluxos de informações. O que entra e o que sai em um processo. Estas informações são vitais e são chamadas de VARIÁVEIS. São elas a Principal, a Secundária e a Manipulada. José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-Objetivos do ControleQueremos alcançar o seguinte: 1. Segurança 2. Proteção Ambiental. 3. Proteger os equipamentos. 4. O bom funcionamento. 5. Qualidade dos produtos 6. Lucro 7. Acompanhamento e diagnóstico José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-Para isso, usamos as Malhasde Controle que podem ser... Abertas Fechadas José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-
    • Malha de Controle Aberta (na atuação) Unidade de Processo Medida Indicação ou Registro José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-Malha de Controle Aberta (na medição) Unidade de Processo Medida Programador José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-Ex. Malha Aberta -Máquina de lavar pratos -Micro ondas -Máquina de lavar roupas -Torradeira de pão -Etc. José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-
    • Malha de Controle Fechada Unidade de EFC Processo Medida Controlador José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-Funções da Realimentação 1 – A variável a ser controlada é medida; 2 – A medição é comparada com um valor desejado, um set point ( SP ). A diferença entre a medição e o set point é o sinal de erro. 3- Uma variável de processo é ajustada ou manipulada para diminuir ou zerar ou erro. José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-Funções da Realimentação José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-
    • Funções da Realimentação José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET- Controle por RealimentaçãoTemperatura interna de umageladeiraTemperatura de um cômodocom Ar-condicionado José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET- Controle por Realimentação Descarga de sanitário Reservatório de água da residência José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-
    • Controle por Realimentação Controle ON-OFF Controle de Temperatura de uma Residência José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-Aplicações da malha fechada Tipos de Controle: Realimentação Negativa – Feed Back Antecipatório – Feed Forward Cascata Razão / Relação Range Dividido – Split Range Limites Cruzados Usa recursos *Adaptativo computacionais *Supervisório *Digital Direto *SDCD *Inteligência Artificial José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-Realimentação Negativa - feedback José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-
    • Realimentação Negativa - feedback José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-Realimentação Negativa - feedback José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-Realimentação Negativa - feedback José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-
    • Realimentação Negativa - feedback Controle Modulante Controle de Nível em um Tanque José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-Realimentação Negativa - feedback José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-Realimentação Negativa - feedback José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-
    • Controle em CascataFeed Back em série com outro Feed Back José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET- Controle em CascataFeed Back em série com outro Feed Back José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET- Controle em CascataFeed Back em série com outro Feed Back José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-
    • Controle em CascataFeed Back em série com outro Feed Back Malha escrava (rápida) Malha mestra (lenta) José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET- Controle em Cascata Durante uma variação na pressão Pe, consequentemente na vazão Qc, o controle age atuando na válvula TCV!, até o reequilíbrio de Ts. José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET- Controle em Cascata A malha interna corrige rapidamente as variações da vazão de combustível Qc provocadas pelas variações de pressão Pe. Nota-se que a temperatura Ts tem pouca variação. José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-
    • Controle em Cascata TROCADOR DE CALOR A malha escrava regula a vazão de vapor e a malha mestre regula a temperatura de saída. José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET- Controle de Razão O controle consiste em determinar uma vazão QA a partir de uma outra chamada de vazão livre (ou piloto) QL José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET- Controle de Razão José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-
    • Controle de Razão CALDEIRA – Razão entre Ar e Combustível José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-Controle de Razão CALDEIRA – Razão entre Ar e Combustível José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-Controle de Razão José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-
    • Controle de Razão MISTURADOR José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-Controle Antecipatório José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-Controle Antecipatório - FF“MALHA ABERTA (?)” A malha fornece uma correção na vazão de combustível instantaneamente para qualquer variação em Qc, de modo que não repercuta na variável controlada Ts. O controle Feed Forward se justifica se a variável perturbadora (Qc) provoca grandes variações na variável do processo Ts, José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-
    • Controle Antecipatório - FF“MALHA ABERTA (?)” A malha fornece uma correção na vazão de combustível instantaneamente para qualquer variação em Qc, de modo que não repercuta na variável controlada Ts. O controle Feed Forward se justifica se a variável perturbadora (Qc) provoca grandes variações na variável do processo Ts, José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-Controle Antecipatório - FF“MALHA ABERTA (?)” A malha fornece uma correção na vazão de combustível instantaneamente para qualquer variação em Qc, de modo que não repercuta na variável controlada Ts. O controle Feed Forward se justifica se a variável perturbadora (Qc) provoca grandes variações na variável do processo Ts, José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-Controle Antecipatório José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-
    • Controle Antecipatório – FF + FB José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-Controle Antecipatório – FF + FBControle de Nível com 2 elementos na Caldeira José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-Controle Antecipatório – FF + FB Controle de Nível com 3 elementos na Caldeira José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-
    • Split Range O controle split-range é uma montagem particular que utiliza no mínimo dois elementos finais de controle comandados simultaneamente pelo mesmo sinal. Quando a rangeabilidade necessária para uma aplicação é maior que a rangeabilidade de um único elemento final de controle. José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-Split Range Quando é necessário utilizar dois elementos finais de controle indiferente da situação (fig. Direita). A montagem split- range necessita de posicionadores que permitam efetuar em cada EFC o seu curso nominal para uma parte do sinal do controlador. José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-Split Range“Range dividido” Inv. Entra Sai AA AF José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-
    • Realimentação X Antecipatório José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-Obrigado pela atenção Contatos joselamartine@yahoo.com.br lamartine@cefetba.br Visite nosso grupo http://br.groups.yahoo.com/group/joselamartine/ http://www.4shared.com/dir/3388205/2d4b017f/ Instrumentacao.html José Lamartine de A. Lima Neto / CEFET-BA 2008.2 José CEFET-