Your SlideShare is downloading. ×
  • Like
Panorama semanal 07 06 10
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Now you can save presentations on your phone or tablet

Available for both IPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Panorama semanal 07 06 10

  • 405 views
Published

 

Published in Economy & Finance , Technology
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
405
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. PANORAMA SEMANAL VEJA NESTA EDIÇÃO Macroeconomia e Mercados – Como encerramos a primeira semana de Junho Agenda Econômica Próximas Divulgações – Livro Bege Fique de Olho – Análise Técnica (Ibovespa, S&P 500, Dólar e Petróleo)
  • 2. PANORAMA SEMANAL 7 de Junho de 2010 Macroeconomia a Mercados Estávamos prestes a encerrar uma semana mais tranqüila. As notícias da Europa estavam dando uma trégua para os investidores, abrindo espaço para os indicadores econômicos americanos positivos animarem o mercado – até que na sexta-feira mais um país europeu anunciou fragilidade financeira, deteriorando os resquícios de confiança dos investidores. O leste europeu voltou ao centro das atenções na sexta-feira, com temores sobre a saúde fiscal da Hungria. O país - que passa por anos muito ruins no que diz respeito à atividade - sinalizou que pode dar default na sua dívida soberana e piorou ainda mais a situação europeia. Assim como aconteceu na Grécia, o governo húngaro admitiu que os dados fiscais não eram confiáveis e que uma moratória "não seria um exagero". Dentre as outras notícias negativas tivemos a China anunciando dados de atividade, que embora moderados, ainda apresentam expansão, trazendo preocupações sobre o risco de inflação na região e por conseqüência possibilidade de medidas para aperto monetário. Contribuindo para o humor negativo, tivemos pronunciamentos do Banco Central europeu se mostrando preocupado com a saúde financeira dos bancos da zona do euro, que segundo estimativas do BCE, devem contabilizar perdas em torno de 195 bilhões de euros entre 2010 e 2011. O que limitou as perdas, trazendo boas perspectivas para o mercado, foi a agenda de indicadores americana. Os EUA reportaram um aumento de 2,7% nos gastos na construção civil em abril, o melhor desempenho em aproximadamente uma década, sinalizando uma melhora consistente para o mercado imobiliário americano. Adicionalmente, o índice ISM Industrial apontou o décimo mês consecutivo de expansão do setor manufatureiro americano. Por outro lado, o mercado de trabalho ainda está um pouco debilitado – na sexta-feira foi anunciado o payroll, que contabilizou criação de 431 mil vagas, abaixo do esperado pelo mercado e 95% proveniente das contratações do setor público, por conta de uma pesquisa censo que está sendo realizada pelo governo americano. Para essa semana, os destaques no front internacional ficarão por conta do Livro Bege, divulgado pelo Federal Reserve, que relata como está a economia e sinaliza perspectivas de políticas monetárias. Ainda nos Estados Unidos, vale ficar atento aos indicadores de confiança do consumidor e vendas no varejo, ambos serão divulgados na sexta-feira. A China também deve roubar as atenções ao anunciar seus números de produção industrial na quinta-feira à noite. No âmbito interno, o que ficou no radar foram notícias corporativas. Dentre elas, os rumores de investigação na BM&F Bovespa, por parte da Receita Federal, diante da possibilidade de irregularidades fiscais da companhia. Os acionistas da CNS também levaram um susto – um fornecedor da companhia solicitou a falência da empresa, por ela não ter cumprido certas obrigações, mas o fato logo foi esclarecido e não causou danos na cotação do papel. A Petrobras também entrou nos destaques, ao anunciar que pretende fazer uma Oferta Pública de Ações (OPA) e iniciar o período de silêncio – os investidores aguardam ansiosos por mais detalhes referente a essa operação. Para essa semana, a agenda econômica brasileira tem um grande destaque – a reunião do Copom para definir a Taxa Selic, que será anunciada na quarta-feira. Segundo as nossas previsões, o Banco Central deve aumentar a Selic em 0,75%, com a intenção de conter o aumento das expectativas inflacionárias e o superaquecimento da economia brasileira. Variações da Semana Agenda da Semana
  • 3. PANORAMA SEMANAL - Indicadores Horário País Indicador Período Unidade Estimativa Anterior Segunda-Feira, 07/06/2010 05:30 Zona do Euro Índice de Sentimento do Consumidor jun/10 nº índice - -6,4 07:00 Alemanha Encomendas a Industria abr/10 (% ) MoM / YoY - 5,0 / 26,1 08:30 Brasil Banco Central: Boletim Focus 04/jun - - - 10:30 Brasil ANFAVEA: Vendas e Produção de Veículos mai/10 - - - 11:00 Brasil MDIC: Balança Comercial Semanal 6/jun USD Milhões - 546 16:00 EUA Crédito ao Consumidor abr/10 USD Bilhões 0 2 - Brasil SERASA: Perspectivas de Crédito abr/10 - - - Terça-Feira, 08/06/2010 03:00 Alemanha Balança Comercial abr/10 EUR Bilhões - 17,2 07:00 Alemanha Produção Industrial abr/10 (% ) MoM / YoY - 4,0 / 8,6 08:00 Brasil FGV: Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) jun/10 (% ) MoM - - 09:00 Brasil PIB I/10 (% ) QoQ / YoY 2,6 / 8,5 2,0 / 4,3 Quarta-Feira, 09/06/2010 05:30 Reino Unido Balança Comercial abr/10 GBP Milhões - -3683 08:00 Brasil FGV: Índice Geral de Preços - DI (IGP-DI) mai/10 (% ) MoM 1,32 0,72 09:00 Brasil IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) mai/10 (% ) MoM 0,44 0,57 11:00 EUA Estoques no Atacado abr/10 (% ) MoM 0,7 0,4 10:30 EUA Estoques de Petróleo 04/jun Mil Barris - - 12:30 Brasil Fluxo Cambial Semanal mai/10 USD Milhões - - 15:00 EUA Livro Bege (relatório sobre a situação economica americana) - - - - - Brasil COPOM: Taxa Selic - (% ) a.a. 10,5 9,5 - China Balança Comercial mai/10 USD Bilhões - -1,7 - Brasil SERASA: Demanda do Consum. por Crédito mai/10 nº índice - 108,3 Quinta-Feira, 10/06/2010 03:00 Alemanha Preços ao Consumidor mai/10 (% ) MoM / YoY - 0,1 / 1,2 07:00 Brasil FIPE: Índice de Preços ao Consumidor (Cidade de São Paulo) jun/10 (% ) MoM - 0,35 08:00 Reino Unido Reunião do BoE (Taxa de Juros) - (% ) a.a. 0,5 0,5 09:30 EUA Balança Comercial abr/10 USD Bilhões -41 -40,4 09:30 EUA Pedidos de Auxílio Desemprego 5/jun Mil Pedidos 447 453 23:00 China Preços ao Consumidor mai/10 (% ) YoY - 2,8 23:00 China Vendas no Varejo mai/10 (% ) YoY - 18,5 23:00 China Produção Industrial mai/10 (% ) YoY - 17,8 - Brasil SERASA: Inadimplência do Consumidor mai/10 nº índice - 97,96 Sexta-Feira, 11/06/2010 05:30 Reino Unido Produção Industrial abr/10 (% ) MoM / YoY - 2,0 / 2,0 07:00 - OECD - Indicadores Antecedentes abr/10 nº índice - 103,9 08:00 Brasil FGV: Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) jun/10 (% ) MoM 0,8 0,47 09:00 Brasil IBGE: PIMES (Pesquisa Industrial Mensal de Emprego e Salário) abr/10 (% ) MoM - 0,7 09:20 EUA Discurso Charles Plosser (Fed Philadelphia) - - - - 09:30 EUA Vendas no Varejo mai/10 (% ) MoM 0,1 0,4 10:55 EUA Univ. of Michigan - Confiança do Consumidor jun/10 nº índice 75 73,6 11:00 EUA Estoque das Empresas abr/10 (% ) MoM 0,5 0,4
  • 4. PANORAMA SEMANAL Expectativas para o Livro Bege - Situação Econômica Atual dos Estados Unidos A taxa de desemprego contabiliza todas as pessoas acima Mercado de Trabalho - EUA de 16 anos, considerando empregados da área rural, 600 10,00 % Mil Vagas trabalhadores independentes, ajudantes domésticos e até 400 9,00 8,00 residentes americanos que trabalham no México ou no 200 7,00 Canadá. A pesquisa também qualifica pessoas que 6,00 0 trabalham por conta própria, e os funcionários que estes IV Trim I Trim II Trim III Trim IV Trim Jan Fev Mar Abril Maio 5,00 contratam. Atualmente a taxa de desemprego americana -200 2008 2009 2010 4,00 está em 9,7%. O número é bastante elevado, mas a -400 3,00 2,00 justificativa é a resistência das empresas em contratar logo -600 1,00 após períodos de crise. As companhias estão analisando a -800 0,00 sustentabilidade da retomada econômica, e por enquanto Criação/Corte de Vagas Taxa de Desemprego estão aumentando a sua produtividade – para depois, se necessário, contratar novos funcionários. Corte/Criação de Vagas por Setor Uma segunda pesquisa, o payroll, ou corte/criação de vagas 600 no mercado de trabalho, é contabilizado diretamente da folha Mil Vagas 400 200 de pagamento das empresas. Em 2010 o payroll já começou 0 a apresentar dados positivos, com destaque para a retomada -200 -400 das contratações no setor de serviços e setor de bens de -600 consumo. Mas o destaque, responsável pelo maior número de -800 contratações, é o setor público, impulsionado por uma -1000 -1200 pesquisa tipo censo que o governo americano está realizando IV Trim I Trim II Trim III Trim IV Trim Jan Fev Mar Abril Maio e que deve gerar até 1 milhão de empregos até o final do ano. 2008 2009 2010 Setor Público Setor de Informação ServiçosO mercado de trabalho nos Estados Unidos está mostrando Bens não duráveis Indústria Construção Bens de Produção ligeiros sinais de recuperação, mas ainda está fraco. Grande parte das contratações previstas até o final do ano deve partir do setor público, mostrando que o setor privado (indústria e serviços) ainda não têm grandes perspectivas, devido a tendência de desaceleração no consumo, motivada pela retirada de vários incentives do governo. A produção industrial por sua vez, vem apresentando Produção Industrial aceleração desde o segundo trimestre de 2009. Produção Industrial 106,00 75,00 Utilização da Capacidade Basicamente o movimento foi impulsionado pela retomada 104,00 74,00 da economia como um todo, mas também muito pelos 102,00 73,00 incentivos do governo, como taxa de juros baixa e auxílios 100,00 72,00 71,00 financeiros para aquisição de bens. 98,00 70,00 96,00 69,00 Para 2010, nota-se um movimento de crescimento mais 94,00 68,00 moderado – um ajuste da produção a retirada dos 92,00 67,00 66,00 estímulos. Adicionalmente, o nível de utilização da 90,00 65,00 capacidade instalada vem mostrando aumento, mas ainda IV Tri I Tri II Tri III Tri IV Tri Jan Feb Mar Apr abaixo dos patamares pré-crise. A ociosidade da indústria 2008 2009 2010 indica que mesmo que os níveis de demanda aumentem, a Produção Industrial Utilização da Capacidade Instalada oferta não vai ficar espremida, de forma que não deve haver pressão nos preços e afastando os riscos de inflação, pelo menos por agora. Vale notar que a economia americana está começando a “andar sozinha”, de forma que o governo americano não deve impor barreiras a expansão, como aumento na taxa de juros, por exemplo.
  • 5. PANORAMA SEMANAL Em relação ao PIB, os Estados Unidos começaram muito bem o ano, sustentando um crescimento forte do Produto Interno Bruto de 3,0% no primeiro trimestre de 2010 em relação ao último trimestre de 2009. O que mais contribuiu para o crescimento foi o consumo das famílias que impulsionou o terceiro trimestre consecutivo de expansão da economia americana, depois de quatro trimestres seguidos de queda entre 2008 e 2009. A economia dos Estados Unidos como um todo deve continuar mostrando expansão, mas em uma velocidade mais moderada. A menor contribuição da variação de estoques, que vinham se reduzindo de maneira acelerada, em decorrência do aumento da demanda passou a apresentar um ritmo de “destruição” mais lento e impulsionando menos o PIB - para o final de 2010, estimamos que o produto americano mostre expansão de 2,4%. 13300,0 8,0 % 13300,0 5,00 % Bilhões de Dólares Bilhões de Dólares 5,6 6,0 4,00 13200,0 13200,0 4,0 3,00 13100,0 3,2 2,2 2,0 13100,0 2,00 13000,0 0,0 13000,0 1,00 -0,7 -2,0 0,00 12900,0 12900,0 -4,0 -1,00 12800,0 12800,0 -6,4 -6,0 -2,00 12700,0 -8,0 12700,0 -3,00 2009:Q1 2009:Q2 2009:Q3 2009:Q4 2010:Q1 2009:Q1 2009:Q2 2009:Q3 2009:Q4 2010:Q1 PIB Final Taxa de Variação do PIB PIB Final Taxa de Variação nos Estoques Espera-se que o Livro Bege destaque os ganhos mais recentes da atividade industrial americana e que a inflação do país está moderada. Assim, os fed funds (taxa de juros americana) devem se manter baixos por mais tempo.
  • 6. PANORAMA SEMANAL Análise Semanal Ibovespa O Ibovespa trabalhou a semana indefinido, em uma congestão entre 61.300 e 63.300, se aproximando da resistência de uma LTB ( linha de tendência de baixa ). Se o Ibovespa romper a congestão, deve superar também a LTB e pode buscar resistências em 64.400 ou 66.100, mas se perder o suporte em 61.300, pode recuar para suportes em 57.600 ou 55.000. O volume do mercado está mais baixo, o que aumenta a expectativa do rompimento da congestão ser um sinal forte de nova tendência, se o volume aumentar junto. SP500 Pelo lado externo, o SP500 se aproximou de uma região de suportes em 1060, que se for perdido pode levar a teste de suportes em 1040 ou 956, mas se respeitar o 1060 pode voltar a subir em direção a 1105 ou 1150. Os indicadores de curto prazo estão indefinidos.
  • 7. PANORAMA SEMANAL Petróleo Pelo lado das commodities destaque para o petróleo futuro que tem oscilado muito e após confirmar suporte em 67,15 testou resistência em 75,72. Se voltar a perder os 70,00 pode testar o fundo em 67,15, mas se romper os 75,72 pode buscar resistências em 78,50 ou 81,30. Dólar O dólar não teve uma semana menos calma. Confirmou suportes em 1,825 e 1,806, e partiu em direção ao 1,860, que se for superado pode levar a teste de resistência no topo recente em 1,903, ou 1,92 na máxima de setembro de 2009.
  • 8. PANORAMA SEMANAL Para mais informações contate o seu assessor XP ou acesse nosso chat diário - www.xpi.com.br XP Investimentos - Área de Análise www.xpi.com.br Rio de Janeiro | RJ Av. das Américas 3434 | Bloco 7 | 2º andar DISCLOSURE 1. O atendimento de nossos clientes pessoas físicas e jurídicas (não-institucionais) é realizado por escritórios parceiros de agentes autônomos de investimento. Todos os agentes autônomos de investimento que atuam através da XP Investimentos CCTVM S/A (“XP Investimentos Corretora”) encontram-se devidamente registrados na Comissão de Valores Mobiliários. A relação completa dos agentes autônomos vinculados à XP Investimentos Corretora pode ser consultada no site www.cvm.gov.br <http://www.cvm.gov.br/> > Agentes Autônomos > Relação dos Agentes Autônomos contratados por uma Instituição Financeira > Corretoras > XP Investimentos. Na forma da legislação da CVM, o agente autônomo de investimento não pode administrar ou gerir o patrimônio de investidores. O agente autônomo é um intermediário e depende da autorização prévia do cliente para realizar operações no mercado financeiro. 2. Este relatório foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S/A (´XP Investimentos Corretora´) e tem como único propósito fornecer informações que possam ajudar o investidor a tomar sua decisão de investimento. Este relatório não constitui oferta ou solicitação de compra ou venda de qualquer instrumento financeiro. As informações contidas neste relatório são consideradas confiáveis na data da divulgação deste relatório e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. 3. Rossano Foresti Oltramari (´Rossano´), analista de investimento responsável pela elaboração deste relatório, em conformidade ao artigo 5º, na Instrução Normativa/CVM 388/03, declara: - que as recomendações expressas neste relatório refletem única e exclusivamente suas opiniões pessoais e foram produzidas de forma independente e autônoma, incluindo no que se refere à XP Investimentos Corretora; - que não mantém vínculo com qualquer pessoa natural que atue no âmbito das companhias cujos valores mobiliários foram objeto de análise no relatório divulgado; - que detém participação indireta no capital social da XP Investimentos Corretora, mas referida sociedade nem os clubes de investimentos por ela administrados possuem participação acionária direta ou indireta igual ou superior a 1% (um por cento) do capital social de quaisquer das companhias cujos valores mobiliários foram alvo de análise no relatório divulgado, estando a corretora, contudo, envolvida, na atividade de intermediação de tais valores mobiliários no mercado; - que não é titular, direta ou indiretamente, de valores mobiliários de emissão da companhia objeto de sua análise, que representem 5% (cinco por cento) ou mais de seu patrimônio pessoal, nem está envolvido na aquisição, alienação e intermediação de tais valores mobiliários no mercado; - que nem ele nem a XP Investimentos Corretora recebem remuneração por serviços prestados ou apresenta relações comerciais com qualquer das companhias cujos valores mobiliários foram alvo de análise no relatório divulgado, ou pessoa natural ou pessoa jurídica, fundo ou universalidade de direitos, que atue representando o mesmo interesse desta companhia; - que sua remuneração não está atrelada à precificação de quaisquer dos valores mobiliários emitidos por companhias analisadas no relatório, ou às receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela instituição a qual está vinculado. Contudo, considerando que Rossano participa, de forma indireta, no capital social da XP Investimento Corretora, as receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela referida corretora, porque impactam o resultado da empresa, lhe trazem benefício econômico. 4. Os instrumentos financeiros discutidos neste relatório podem não ser adequados para todos os investidores. Este relatório não leva em consideração os objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de cada investidor. Os investidores devem obter orientação financeira independente, com base em suas características pessoais, antes de tomar uma decisão de investimento. A rentabilidade de instrumentos financeiros pode apresentar variações, e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste relatório em relação a desempenhos futuros. A XP Investimentos Corretora se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. 5. Este relatório não pode ser reproduzido ou redistribuído para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento por escrito da XP Investimentos Corretora. Informações adicionais sobre os instrumentos financeiros discutidos neste relatório se encontram disponíveis quando solicitadas. 6. O analista Rossano é, ainda, sócio da empresa de administração de recursos XP Gestão de Recursos Ltda. (´XP Gestão´). Não há, contudo, interferência dele na administração ou nos processos de tomada de decisão de investimento da XP Gestão. Os relatórios/análises de Rossano não influenciam ou são influenciados, sob qualquer forma, pelas posições assumidas pela XP Gestão. 7. A Ouvidoria da XP Investimentos Corretora tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa a seus problemas. Para contato, ligue 0800 725 5534.