Your SlideShare is downloading. ×
Panorama semanal 020810
Panorama semanal 020810
Panorama semanal 020810
Panorama semanal 020810
Panorama semanal 020810
Panorama semanal 020810
Panorama semanal 020810
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Panorama semanal 020810

648

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
648
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. PANORAMA SEMANAL VEJA NESTA EDIÇÃO Macroeconomia e Mercados – Como encerramos a última semana de Julho Semana em Perspectiva Agenda Econômica Fique de Olho – Análise Técnica (Ibovespa, S&P 500, Dólar e Petróleo)
  • 2. PANORAMA SEMANAL 02 de Agosto de 2010 Macroeconomia a Mercados Ao longo da semana passada, a temporada de divulgação de balanços do 2º trimestre avançou trazendo notícias positivas que colaboraram para estender a seqüência de altas das bolsas de valores. Até o momento, 76% das empresas do S&P divulgaram surpresas positivas em seus balanços, mas os ganhos foram limitados no encerramento da semana, pelo resultado negativo da economia americana. No Brasil, o Ibovespa teve seu 10º pregão consecutivo de alta, impulsionado também pelas notícias corporativas e pela volta dos fluxos de investimentos estrangeiros na bolsa. Com isso, o Ibovespa acumulou alta de +1,80% na semana, reduzindo as perdas acumuladas em 2010 para -1,56%. Na Zona do Euro, os indicadores divulgados ao longo da semana foram positivos de modo geral, mostrando a estabilização do mercado de trabalho e alta da confiança do consumidor. A falta de notícias negativas nesses últimos dias já ajuda os mercados e acalma o temor dos investidores. Aos poucos, os problemas fiscais dos países europeus deixam de ser foco principal dos mercados. No entanto, a incerteza quanto ao ritmo de recuperação crescimento da economia real tende a manter elevada a volatilidade nos mercados acionários. Nos EUA, os indicadores divulgados apontaram majoritariamente para uma perda de força na trajetória de retomada da economia. No livro Bege, divulgado 4ª-feira, a avaliação do Fed sobre as condições atuais da economia americana passou a ser menos positiva do que nas edições anteriores. Em suma: o documento destacou o ritmo mais modesto de crescimento da economia americana. No encerramento da semana, a visão do Banco Central americano se confirmou, com a divulgação do PIB dos EUA que cresceu 2,4% no 2º trimestre de 2010 – abaixo dos 3,7% do 1º trimestre (número que foi revisado para cima; a leitura anterior apontava alta de 2,7%). Tal desaceleração esteve apoiada na expressiva contribuição negativa do setor externo - de 2,8% - em decorrência da forte aceleração das importações. Além disso, a contribuição advinda da variação de estoques, embora tenha permanecido positiva, foi substancialmente menor. No Brasil, o Ibovespa passou por uma semana predominantemente positiva. O principal evento no Brasil foi divulgação da ata do Copom, na 5ª-feira. O documento mostrou a avaliação do BC de que um aumento da incerteza no ambiente internacional e uma evolução da atividade doméstica e da inflação mais condizente com um cenário de cumprimento das metas estão se configurando. Desta forma, trabalhamos com mais duas altas de 50 pontos nos juros, com a Selic encerrando 2010 em 11,75% ao ano. Variações da Semana
  • 3. PANORAMA SEMANAL Semana em Perspectiva No âmbito brasileiro, um dos destaques da agenda se dará na terça-feira. O IBGE divulga a Pesquisa Industrial Mensal de Produção Física (PIM-PF) referente a junho. Após um primeiro trimestre bastante positivo, como consequência de um processo de antecipação de consumo com o anúncio do fim das desonerações fiscais, os resultados de abril e maio mostraram acomodação no ritmo de expansão. Os indicadores antecedentes de junho apontam que a tendência para a produção industrial continua sendo de desaceleração. Dessa forma, a projeção para o índice é uma retração de 0,8% em relação a maio. Na comparação com junho de 2009, espera-se uma alta de 11,8%, ainda explicada por uma base de comparação mais fraca. Na sexta-feira, o que fica no radar é a inflação. O IPCA, que será divulgado pelo IBGE, deve apresentar estabilidade em julho (variação de 0,01%). O dado é bastante relevante, pois pode indicar se a estabilidade que vimos nos preços em julho é pontual ou uma tendência – servindo como referência para as próximas decisões do Copom em relação a taxa de juros brasileira. No front internacional, a pesquisa ADP de emprego, que mede a variação de postos de trabalho no setor privado da economia americana, é o destaque da quarta-feira, e deve mostrar um crescimento de 35 mil postos em julho, depois da criação de 13 mil em junho. Esse número marcaria a sexta alta consecutiva, depois de 24 meses consecutivos de extinção de empregos. Mas ainda assim, mesmo com altas nas últimas divulgações, a ADP só recuperou 170 mil das 8,2 milhões de vagas perdidas entre o fevereiro de 2008 e janeiro de 2010. Na quinta-feira, os únicos destaques ficam por conta das decisões de política monetária na Inglaterra e no Banco Central Europeu. Ambos os comitês de política monetária devem manter as taxas de juros inalteradas – em 0,5% no caso do Banco Central Inglês, e em 1,0% no caso do Banco Central Europeu. Na sexta-feira, o relatório de emprego dos Estados Unidos deve mostrar a perda de 95 mil postos de trabalho em julho, segundo o consenso de mercado. Espera-se que o setor privado tenha resultado positivo em 110 mil, mas a devolução de algumas das contratações temporárias do governo justifica a expectativa de perda de vagas para o mês respectivo. A agenda internacional continua importante, especialmente por causa das divulgações nos Estados Unidos – destaque para o relatório de emprego de julho – e também na Europa com as decisões de política monetária dos bancos centrais: europeu e inglês. No plano doméstico, a agenda é tomada por indicadores de atividade e inflação.
  • 4. PANORAMA SEMANAL Agenda da Semana - Indicadores Horário País Indicador Período Unidade Estimativa Anterior Segunda-Feira, 02/08/2010 04:55 Alemanha PMI Industrial JUL nº índice 61.2 61.2 05:00 Zona do Euro PMI Industrial JUL nº índice 56.5 56.5 05:30 Reino Unido PMI Industrial JUL nº índice 57.0 57.5 08:00 Brasil IPC-S (Índice de preços ao consumidor) 31/JUL (% ) MoM -- -0.14% 11:00 EUA ISM Industrial JUL nº índice 54.2 56.2 11:00 EUA Gastos com construção JUN (% ) MoM -0.5% -0.2% 11:15 EUA Bernanke Speaks on Economy, State Governments in S.C. -- -- -- -- 17:00 EUA Geithner Delivers Remarks on Financial Reform -- -- -- -- Terça-Feira, 03/08/2010 05:00 Brasil IPC FIPE JUL (% ) MoM 0.16% 0.04% 06:00 Zona do Euro PPI - Inflação ao Produtor JUN (% ) MoM / YoY 0.4% / 3.1% 0.3% / 3.1% 09:00 Brasil IBGE: Produção Industrial Mensal (PIM) JUN (% ) MoM / YoY -0.8% / 11.7% 0.0% / 0.4% 09:30 EUA Renda pessoal JUN (% ) MoM 0.2% 0.4% 09:30 EUA Gastos pessoais JUN (% ) MoM 0.1% 0.2% 11:00 EUA Pedidos de fábrica JUN (% ) MoM 0.0% -1.4% 11:00 EUA Vendas de casas pendentes JUN (% ) MoM -1.5% -30.0% 17:30 EUA API - Estoques de Petróleo 31/JUL Mil Barris -- 3084K 18:00 EUA ABC Confiança do consumidor 1/AGO nº índice -46 -48 Quarta-Feira, 04/08/2010 05:00 Zona do Euro PMI Composto (Serviços+Industrial) JUL nº índice 56.7 56.7 05:30 Reino Unido PMI de Serviços JUL nº índice 54.5 54.4 06:00 Zona do Euro Vendas no Varejo JUN (% ) MoM / YoY -0.1% / 0.1% 0.2% / 0.3% 08:00 EUA MBA-Solicitações de empréstimos hipotecários 30/JUL (% ) MoM -- -4.4% 09:15 EUA Pesquisa ADP - Emprego no mercado de trabalho privado JUL Corte/Criação de Vagas 35K 13K 10:00 Brasil Utilização capacidade Instalada JUN (% ) -- 82.3% 11:00 EUA ISM de Serviços JUL nº índice 53.0 53.8 11:30 EUA DOE - Estoques de Petróleo 30/JUL Mil Barris -- 7308K Quinta-Feira, 05/08/2010 07:00 Alemanha Pedidos de fábrica 10/JUN Mensal -- 262758 09:30 EUA Pedidos de Seguro-desemprego 24/JUL Vagas 4536K 4565K 10:30 Brasil IGP-DI JUL (% ) MoM -- 0,0035 10:30 Brasil Produção de veículos (Anfavea) JUL Mensal -- 306350 Sexta-Feira, 06/08/2010 07:00 Alemanha Produção Industrial JUN (% ) MoM / YoY 1.0% / 11.4% 2.6% / 12.4% 09:00 Brasil Inflação IPCA JUL (% ) MoM / YoY 0.01% / 4.61% 0.00% / 4.84% 09:30 EUA Payroll - Variação na folha de pagamento (exc agrícola) JUL Vagas -60K -125K 09:30 EUA Taxa de desemprego JUL (% ) MoM 9.6% 9.5% 16:00 EUA Crédito ao consumidor JUN USD -$6.0B -$9.1B
  • 5. PANORAMA SEMANAL Análise Semanal IBOVESPA Após 10 pregões de altas consecutivas e com volume elevado, o Ibovespa fechou próximo da resistência nos 68.000 e se continuar nesta trajetória de alta, poderá buscar resistências em 70.000 ou 72.000 pontos. Caso ocorra uma realização, o Ibovespa poderá fazer um pull-back em níveis de 65.800 ou testar o fundo intermediário nos 64.000. Alguns indicadores como IFR e Estocástico estão elevados, mas seguem acima de 70 não sinalizando uma reversão da alta, mas vale ficar atento para um novo suporte em 66.200 deixado no último candle. S&P500 O S&P500 está em uma formação altista, depois de ter superado a resistência da LTB (em preto), mas faltou um volume crescente para dar mais robustez ao movimento. Acima pode testar resistências em 1131 ou 1176, mas se perder os 1087, pode recuar para suportes em 1055 ou 1040.
  • 6. PANORAMA SEMANAL PETRÓLEO O Petróleo está em tendência altista, respaldada por médias móveis e LTA, seria importante o rompimento da resistência nos 80,00 para uma possível seqüência do movimento em direção a níveis de 82,00 ou 87,00. Os suportes que precisam ser respeitados para a manutenção da tendência são os 75,00 e os 73,00. DÓLAR O Dólar comercial está em tendência de baixa, confirmada pelas médias móveis e pode testar suportes nos 1,749 ou 1,723 ou o fundo em 1,699. Acima tem resistências em 1,779 de LTB que se for superada pode levar a uma reversão da baixa para teste de resistências em 1,799 ou 1,813.
  • 7. PANORAMA SEMANAL Para mais informações contate o seu assessor XP ou acesse nosso chat diário - www.xpi.com.br XP Investimentos - Área de Análise www.xpi.com.br Rio de Janeiro | RJ Av. das Américas 3434 | Bloco 7 | 2º andar DISCLOSURE 1. O atendimento de nossos clientes pessoas físicas e jurídicas (não-institucionais) é realizado por escritórios parceiros de agentes autônomos de investimento. Todos os agentes autônomos de investimento que atuam através da XP Investimentos CCTVM S/A (“XP Investimentos Corretora”) encontram-se devidamente registrados na Comissão de Valores Mobiliários. A relação completa dos agentes autônomos vinculados à XP Investimentos Corretora pode ser consultada no site www.cvm.gov.br <http://www.cvm.gov.br/> > Agentes Autônomos > Relação dos Agentes Autônomos contratados por uma Instituição Financeira > Corretoras > XP Investimentos. Na forma da legislação da CVM, o agente autônomo de investimento não pode administrar ou gerir o patrimônio de investidores. O agente autônomo é um intermediário e depende da autorização prévia do cliente para realizar operações no mercado financeiro. 2. Este relatório foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S/A (´XP Investimentos Corretora´) e tem como único propósito fornecer informações que possam ajudar o investidor a tomar sua decisão de investimento. Este relatório não constitui oferta ou solicitação de compra ou venda de qualquer instrumento financeiro. As informações contidas neste relatório são consideradas confiáveis na data da divulgação deste relatório e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. 3. Rossano Foresti Oltramari (´Rossano´), analista de investimento responsável pela elaboração deste relatório, em conformidade ao artigo 5º, na Instrução Normativa/CVM 388/03, declara: - que as recomendações expressas neste relatório refletem única e exclusivamente suas opiniões pessoais e foram produzidas de forma independente e autônoma, incluindo no que se refere à XP Investimentos Corretora; - que não mantém vínculo com qualquer pessoa natural que atue no âmbito das companhias cujos valores mobiliários foram objeto de análise no relatório divulgado; - que detém participação indireta no capital social da XP Investimentos Corretora, mas referida sociedade nem os clubes de investimentos por ela administrados possuem participação acionária direta ou indireta igual ou superior a 1% (um por cento) do capital social de quaisquer das companhias cujos valores mobiliários foram alvo de análise no relatório divulgado, estando a corretora, contudo, envolvida, na atividade de intermediação de tais valores mobiliários no mercado; - que não é titular, direta ou indiretamente, de valores mobiliários de emissão da companhia objeto de sua análise, que representem 5% (cinco por cento) ou mais de seu patrimônio pessoal, nem está envolvido na aquisição, alienação e intermediação de tais valores mobiliários no mercado; - que nem ele nem a XP Investimentos Corretora recebem remuneração por serviços prestados ou apresenta relações comerciais com qualquer das companhias cujos valores mobiliários foram alvo de análise no relatório divulgado, ou pessoa natural ou pessoa jurídica, fundo ou universalidade de direitos, que atue representando o mesmo interesse desta companhia; - que sua remuneração não está atrelada à precificação de quaisquer dos valores mobiliários emitidos por companhias analisadas no relatório, ou às receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela instituição a qual está vinculado. Contudo, considerando que Rossano participa, de forma indireta, no capital social da XP Investimento Corretora, as receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela referida corretora, porque impactam o resultado da empresa, lhe trazem benefício econômico. 4. Os instrumentos financeiros discutidos neste relatório podem não ser adequados para todos os investidores. Este relatório não leva em consideração os objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de cada investidor. Os investidores devem obter orientação financeira independente, com base em suas características pessoais, antes de tomar uma decisão de investimento. A rentabilidade de instrumentos financeiros pode apresentar variações, e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste relatório em relação a desempenhos futuros. A XP Investimentos Corretora se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. 5. Este relatório não pode ser reproduzido ou redistribuído para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento por escrito da XP Investimentos Corretora. Informações adicionais sobre os instrumentos financeiros discutidos neste relatório se encontram disponíveis quando solicitadas. 6. O analista Rossano é, ainda, sócio da empresa de administração de recursos XP Gestão de Recursos Ltda. (´XP Gestão´). Não há, contudo, interferência dele na administração ou nos processos de tomada de decisão de investimento da XP Gestão. Os relatórios/análises de Rossano não influenciam ou são influenciados, sob qualquer forma, pelas posições assumidas pela XP Gestão. 7. A Ouvidoria da XP Investimentos Corretora tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa a seus problemas. Para contato, ligue 0800 725 5534.

×