Your SlideShare is downloading. ×
Trasmissão de sinal de Tv
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Trasmissão de sinal de Tv

3,890
views

Published on

Published in: Technology

1 Comment
2 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
3,890
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
58
Comments
1
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. LINK DE TRANSMISSÃO UHF PARA TELEVISÃO DE LUANDA - CAXITO 1.INTRODUÇÃO1.1 OBJECTIVO Neste projecto vamos apresentar a construção de um link de transmissão emUHF para televisão de Luanda à Caxito.1.2 BREVE HISTORIAL SOBRE TELEVISÃO A história e o desenvolvimento da televisão misturam-se aos grandesdescobrimentos dos séculos XIX e XX nas mais diversas áreas das ciências. Desde osprimórdios do século XIX, cientistas e pesquisadores se esforçavam para transmitirimagens a distância. Descobertas como a do selénio em 1817 pelo químico sueco JonsJakob Berzelius, propiciou o estudo e desenvolvimento de transmissão de imagens pormeio de corrente eléctrica. Pode-se dizer que o pontapé inicial para os estudos e posteriormente o inventoda televisão deu-se pelo estudante de engenharia alemão Paul Nipkow. Nipkowestudava a ideia de enviar imagens à distância, sua ideia consistia em decompor aimagem em pontos que seriam posteriormente transformados em impulsos eléctricospor uma célula fotoeléctrica e enviados por um fio. Quando esses impulsos chegassema um receptor, ocorreria o processo inverso de composição da imagem. Nipkow entãocriou um disco com furos em expirais o qual "varriam" uma imagem gerando cada furouma luz a qual era convertida em corrente eléctrica através de uma célula de selénio.Esta corrente eléctrica acenderia uma lâmpada que iluminaria outro disco oposto aoprimeiro, e geraria a imagem num ecrã. Esse invento foi denominado de "Disco deNipkow" e serviu de pilar para o desenvolvimento da televisão. Por este invento,Nipkow é considerado como o "pai" da TV. Oficialmente a televisão indicou-se na Alemanha e posteriormente na Françatendo a Torre Eiffel como ponto emissor, mas já na década de 20 as primeirastransmissões já eram realizadas em carácter de testes pelo escocês John Logie Baird.Baird utilizou-se de um sistema mecânico baseado no invento de Nipkow. Também nadécada de 20 nos Estados Unidos, dois cientistas trabalhavam numa mesma ideia:transmitir imagens a distância. Embora não soubessem da existência um do outro, orusso Wladimir Zworykin e o americano Philo Farnsworth são considerados osinventores da televisão. Em 1925, Philo Farnsworth concebeu através de fórmulas odiagrama de uma válvula transmissora de imagens. Wladimir Zworykin foi convidado pela RCA para produzir o primeiro tubo detelevisão o qual ficou conhecido como Orticon e passou a ser produzido em escalaindustrial a partir de 1945. Este tubo foi apresentado primeiramente em 1936 emNova York. Nas décadas seguintes houve uma grande movimentação em torno dodesenvolvimento de novas tecnologias, como a implantação da TV em cores a qual jáhavia estudos desde 1929, mas apenas em 1954 começaram as transmissões a cores José Alves Manuel 1
  • 2. LINK DE TRANSMISSÃO UHF PARA TELEVISÃO DE LUANDA - CAXITOnos Estados Unidos utilizando o padrão NTSC. Em 1967, a Alemanha coloca emfuncionamento uma variação do padrão americano o qual foi baptizado de PAL (PhaseAlternation Line), que corrige algumas deficiências do NTSC. No mesmo ano entra emfuncionamento no França o SECAM. Para tal, vamos determinar o cumprimento de onda, fazer o estudo daradiovisibilidade tendo em conta a distância de 53 km, de modos a garantir-mos atransmissão que será feita com antenas que possuem linhas de vista. Deste modo, vamos verificar as difracções e interferências que podem intervirnesta mesma transmissão de forma a garantir-mos a zona de cobertura e de serviço.Para tal, vamos determinar o campo electrico na recepção, apresentar como se obtémas zonas de radiovisibilidade, cobertura e serviço, bem como definir tais zonas queserão determinadas deste modo.  Zona de radiovisibilidade: é a zona que nos dá a percepcao do diagrama de irradiacao da antena, permitindo-nos através dele mandar o fabricante elaborar a antena com características adequadas para funcionar no transmissor . A zona de radiovisibilidade e a zona mais afastada do transmissor, nesta zona os receptores não tem sensibilidade suficiente para captar qualquer sinal.Por este motivo é que o grafico acima demostra que é zona em relacao as outras.  Zona de cobertura: é a zona que nos dá garantia do sinal com calculo de difraccao,isto e,levam em conta a existência de obstáculos ao longo do perfil.  Zona de servico: é a zona que nos dá garantia com calculo da difraccao e interferências,nela estão reunidas todas as condicoes para que se consiga obter boa recepcao do sinal. Tratando-se de um projecto que constitui um link de televisão, faremostambém a apresentação sobre o estudo do diagrama de blocos do transmissor de TVaplicando as modulações AM-VSB e FM sabendo que:1.3 MODULAÇÃO AM-VSB (vestigial side banda) A modulação AM-VSB é utilizada na transmissão da porção de vídeo do sistema públicode televisão. Os sinais de televisão têm modulação em frequência e amplitudesimultaneamente. A informação de vídeo ocupa uma largura de faixa de 4.2 MHz. Para uma modulaçãoAM DSB seria inviável pois a banda modulada seria de 8.4 MHz. Uma transmissão em AM SSB seria inviável na construção de filtros que produzemdistorções nas fases de baixas frequências. A transmissão em AM VSB consiste em transmitir a banda superior (USB) por completoe um vestígio da banda inferior (LSB) de aproximadamente 0.75 MHz. José Alves Manuel 1
  • 3. LINK DE TRANSMISSÃO UHF PARA TELEVISÃO DE LUANDA - CAXITO1.4 ESPECTRO DO SINAL AM-VSB Já para transmitir o sinal de rádio, utiliza-mos a modulação FM. A modulação emfrequência, é o processo de modulação analógica no qual a frequência de um sinal portador defrequência constante (Portadora pura), é variada em função do valor instantâneo dafrequência do sinal modulante (Sinal de Informação), como se pode observar no gráficoabaixo. Para transmissão deste sinal seguiremos a sequência da ligação apresentada no blococom relação ao vídeo isto é para: o amplificador, oscilador, modulador e o filtro até aomisturador. Falaremos ainda do divisor de frequência1.5 Modulação em Frequência (FM) José Alves Manuel 1
  • 4. LINK DE TRANSMISSÃO UHF PARA TELEVISÃO DE LUANDA - CAXITO Observamos que quando o valor instantâneo do sinal modulante é máximo positivo, afrequência da onda FM também é máxima. Quando o valor instantâneo do sinal modulante émáximo negativo, a frequência da onda FM é mínima. Matematicamente, esta modulação édescrita como se segue:Equação de uma onda não modulada ou portadora: X(t) = A sen (ωt + ɸ) A frequência instantânea “ f ” da onda modulada em frequência é dada por: f (t ) = f c (1 + K f Em cos ωmt )A sua amplitude instantânea será dada por: eFM (t ) = Asen[ f (ωc .ω m )] Para transmissão deste sinal seguiremos a sequência da ligação apresentada no blococom relação ao vídeo isto é para: o amplificador, modulador em frequência, limitador até aomisturador. 2. DESENVOLVIMENTO José Alves Manuel 1
  • 5. LINK DE TRANSMISSÃO UHF PARA TELEVISÃO DE LUANDA - CAXITO Para construção deste projecto vamos começar por calcular o cumprimento deonda (λ) a utilizado dentro da faixa requerida para transmissão deste sinal.λ= c/f onde: c – Velocidade da luz e f – frequênciaλ= 3*108/2,5*109 = 0.12 m Fazendo o estudo da radiovisibilidade vamos efectuar a aplicação da elipsoidede Freznel para verificarmos as áreas de cobertura e de serviço na qual o mesmo sinalserá transmitido. Para tal faremos esta avaliação tendo em conta a visada da antena,medindo os eixos de interferências e difracções mediante a distância entre as duasantenas.2.1 Feixe Herteziano O sistemas por feixe hertziano, também designados de feixes de microondas,devido ao pequeno comprimento de onda utilizado nos actuais sistemas, em que asbandas de operação se situam acima dos 2 GHz. Este tipo de ligações suporta-se natransmissão atmosférica de ondas de rádio, com propagação em linha de vista entre oemissor e o receptor. Entre as estações terminais poderá ser necessário intercalarrepetidores intermédios para assegurar a linha de vista e o adequado nível de sinal. Asbandas mais utilizadas actualmente são de 2 GHz, 4 GHz, 6GHz, 11 GHz e 18 GHz. Aselevadas frequências permitem a realização de antenas de elevado ganho comdimensões aceitáveis. Por exemplo, a 2 GHz .O comprimento de onda é 0,15m umreflector de 10 comprimentos de onda, isto é, um parabolóide de 1,5 m, é aceitável. Asestações terminais têm de estar situadas em pontos de cota elevada para permitirlinha de vista. Por outro lado, têm de estar próximos dos centros de origem e destinodo tráfego, aos quais estão ligadas por sistemas suportados em linhas de cobre oufibra óptica. Ele é utilizado para:  ligação ponto-a-ponto em linha de vista  modulações em banda de canal  frequências típicas de portadora: 2-20 GHz (superiores no futuro)  Estações terminais  sistemas de emissão / recepção de sinal  antenas directivas (parabolóides) colocadas numa torre ou mastro espiado  sistemas de operação e manutenção (OAM)  Meio de transmissão  camadas baixas da atmosfera: troposfera2.2 AS ZONAS PARA TRANSMISSÃO DO SINAL 100 José Alves Manuel 40 20 80 60 20 40 60 80 1 100
  • 6. LINK DE TRANSMISSÃO UHF PARA TELEVISÃO DE LUANDA - CAXITO Z. De Radiovisibilidade Z. De Cobertura Z. De serviçoAs 3 zonas são :-Zona de radiovisibilidade: é a zona que nos dá a percepção do diagrama deirradiação da antena, permitindo-nos através dele mandar o fabricante elaborar aantena com características adequadas para funcionar no transmissor . A zona deradiovisibilidade é a zona mais afastada do transmissor, nesta zona os receptores nãotêm sensibilidade suficiente para captar qualquer sinal. Por este motivo é que o gráficoácima demonstra que é zona em relação as outras.-Zona de cobertura: é a zona que nos dá garantia do sinal com cálculo de difracção,isto é, levam em conta a existência de obstáculos ao longo do perfil.-Zona de servico: é a zona que nos dá garantia com cálculo da difracção einterferências, nela estão reunidas todas as condicoes para que se consiga obter boarecepção do sinal.2.3 EXPLICAÇÃO DE COMO ACHAR AS ZONAS Para acharmos as zonas graficamente necessitamos programas específicos. Masapartir de dados específicos ou software podemos calcular as zonas conforme asseguintes explicações: José Alves Manuel 1
  • 7. LINK DE TRANSMISSÃO UHF PARA TELEVISÃO DE LUANDA - CAXITO Para achar a zona de radiovisibilidade necessitamos da potência de irradiacão,e da distância. No fundo adicionamos nos dois comandos do software os seguintesdados: potencia de irradiação, a distância, as cotas do gráfico a potência e afrequência. A partir dai ele nos dá o diagrama de irradiação. Para achar a zona de cobertura temos que adicionar no comando do softwareos mesmos parâmetros que a zona de radiovisibilidade mais as somas das difrações. Apartir deste obtemos a zona de cobertura Para achar a zona de serviço temos que adicionar no comando do software osmesmos parâmetros mais as das interferências. Apartir dai ele nos da a zona daserviço.Carta Cartográfica Digitalizada José Alves Manuel 1
  • 8. LINK DE TRANSMISSÃO UHF PARA TELEVISÃO DE LUANDA - CAXITOLevantamento topográfico José Alves Manuel 1
  • 9. LINK DE TRANSMISSÃO UHF PARA TELEVISÃO DE LUANDA - CAXITO Representação da Elipsoide de Freznel Rx Raio de Direcção C Margem de Tx DesobstruçãoHT HT José Alves Manuel 1
  • 10. LINK DE TRANSMISSÃO UHF PARA TELEVISÃO DE LUANDA - CAXITO 2.4 ESTUDO DA RADIOVISIBILIDADE Dados: Resolução: Ge = 20 dB EIRP = Pe + Ge – Ae f = 2,5 GHz EIRP = 47 + 20 - 1 Pem = 47 dB EIRP = 66dB Ae = 1 dB Ao = 92,4 + 20 log f(GHz) + 20 log D(Km) D = 53 Km Ao = 92,4 + 20 log 2,5 + 20 log 53 N = 0,56 Ao = - 134,85dB Pout = 1Kw Glinear= antilog G Fx (O) = 1,2 G = 1020/10 = 102 = 100 Fy (O) = 0,5 Pirr = 1,64*Pout*N*G* Fx(O)* Fy(O)n=1 ∑ ∆i = 2,75i-1 Pirr = 1,64*103*0,56*102*1,2*0,5n=1 ∑ Si = 1,75i-1 Pirr = 55,104 Kw 10-3√30Pirr 10-3√30*55,104*103 EIRP = ? Eo = rR = 53*103 Ao = ? Eo = 24μV n=1 n=1 Pirr = ? Er = Eo*∑∆ii -*∑Si = 24.10-6*2,5*1,75 i-1 1 Eo = ? Er = 11 mV Er = ? José Alves Manuel 1
  • 11. LINK DE TRANSMISSÃO UHF PARA TELEVISÃO DE LUANDA - CAXITO2.5 MODULAÇÃO AM-VSB Esta modulação emprega um filtro cujo a atenuação é suave e gradual emfunção da frequência, sendo simétrico em relação à frequência da portadora. Podemosapresentar a obtenção de uma modulação AM-VSB/SC a partir do AM-DSB/SC, parasinais complexos no tempo e para sinal modulante cossenoidal. et AM-VSB/SC W WO AV FILTRO W WO e AM-VSB/SC W WOFigura 1.2 Elaboração do AM/VSB/SC – sinal modulante complexo É interessante observar que, em troca de um pequeno acréscimo de faixaocupada no espectro, tem-se um sistema mais barato e cujo o conteúdo de potência éidentico ao AM-SSB, pois como o filtro é simétrico, o conteúdo que se perdeu nabanda transmitida é compensado pelo conteúdo que se transmite da banda rejeitada. et AM-VSB/SC W WO AV FILTRO W WO e AM-VSB/SC WFigura 1.3 Elaboração do AM/VSB/SC – sinal modulante cossenoidal WO José Alves Manuel 1
  • 12. LINK DE TRANSMISSÃO UHF PARA TELEVISÃO DE LUANDA - CAXITO A demodulação do sinal AM-VSB é idêntica a do AM-DSB/SC, através reinjeção da portadora, contendo inclusive com os mesmos incovenientes quanto ao sincronismo de fase e frequência. Podemos citar como principal aplicação do AM-VSB seu emprego na modulação do sinal de vídeo de televisão, como medida e economia da faixa de espectro reservada para os canais de TV. Para facilitar a demodulação, a portadora é transmitida integralmente, como mostra o diagrama da figura 1.4em (t) MODULADOR FILTRO SOMADOR e (t) AM-VSB BALANCEADO SIMETRICO e0 (t) Figura 1.4 Obtenção do AM-VSB com portadora integral No caso especifico de um sinal de vídeo de televisão, o espetro do sinal modulado em VSB é mostrado na figura abaixo. Ev f (MHZ) fv – 0,75 fv fv + 0,75 fv + 4 Figura 1.5 Espectro de um sinal de vídeo Nesse caso, a demodulação é normalmente feita por um detector de envoltória, apesar de apenas a faixa de 0 - 0,75MHZ do sinal de vídeo ser modulada em AM-DSB e a faixa 0,75MHZ - 4MHZ ser modulada praticamente em AM-SSB, os detalhes mais importantes do sinal de vídeo, por serem mais visiveis ao espectador, encontra-se na porção inferior, que será demodulada com precisão. A demodulação que resulta distorcida corresponde aos contornos da imagem, onde não é necessário uma precisão tão grande, pois o espectador não irá percebe-las claramente. 2.5.1 ESTUDO DOS BLOCOS DE MODULAÇÃO AM José Alves Manuel 1
  • 13. LINK DE TRANSMISSÃO UHF PARA TELEVISÃO DE LUANDA - CAXITO O diagrama em blocos do circuito elétrico que produz a modulação em amplitudecom faixa lateral dupla e portadora suprimida (AM-DSB-SC) é composto de: • um oscilador a cristal para gerar a onda portadora cossenoidal de alta freqüência F, • um misturador que realiza o produto m(t) da onda cossenoidal pelo sinal modulador, • um filtro passa-faixa que elimina sinais indesejáveis gerados pelo misturador, e • um amplificador de potência que permite a transmissão do sinal modulado z(t) por longas distâncias, seja via rádio.O diagrama em blocos do circuito elétrico que restaura o sinal modulador a partir dosinal AM-DSB-SC é formado por • um amplificador de baixo ruído que amplifica o sinal modulado recebido z(t) sem adicionar ruído em excesso ao estágio seguinte, • um oscilador a cristal para gerar localmente a onda portadora cossenoidal, • um misturador que realiza o produto da onda cossenoidal pelo sinal modulado de forma a produzir um sinal m(t) que possui componentes de baixa freqüência, e • um filtro passa-baixas que elimina os sinais indesejáveis de alta freqüência gerados pelo misturador Como a onda portadora não é transmitida no sinal modulado, o oscilador nocircuito do demodulador faz o papel da onda portadora a fim de viabilizar ademodulação. Deve ser notado que tanto a frequência como a fase deste oscilador José Alves Manuel 1
  • 14. LINK DE TRANSMISSÃO UHF PARA TELEVISÃO DE LUANDA - CAXITOpode não corresponder aos respectivos valores no circuito modulador, gerandodistorções de freqüência e fase no sinal demodulado.2.6 MODULAÇÃO FM Um sinal modulado em FM tem a largura de faixa(B) calculada em função donúmero de bandas laterais, que se concentram ao redor da portadora, resultando de umamaneira geral: B = 2 . n . fmOnde:n - é o número de bandas laterais para cada lado da portadora (por isso também o factor 2)fm – é a frequência do sinal modulante. Para limitar a largura de faixa, fazemos n = β + 1 Então: B = 2 . (β + 1) . fm O índice de modulação FM é, por definição dado por: ∆w Wm 2π . ∆f 2π . ∆f fm β= = = fmAssim: ∆f fm B=2. + 1 . fm B = 2 . (∆f + fm) A equação acima relaciona, portanto, a largura de faixa ocupada por um sinalmodulado FM com frequência do sinal mod ulante e o desvio por ele provocado na frequênciada portadora. Os valores limites para os parâmetros de uma transmissão FM são designados pela FCC(Federal Communication Comission – Comissão Federal de Comunicação) dos Estados Unidos,tendo sido estipulado que a máxima frequência do sinal modulante seria de 15 KHz e o desviode frequência máximo para radiofusão comercial de FM seria de 75 KHz. Na verdade, convémesclarecer que o som das transmissões de televisão é modulado em FM (a imagem, como já foicitado, é modulado em AM-VSB) e que nesse caso, o desvio máximo de frequência é de apenas25 KHz. Em vista dessas considerações, podemos calcular a largura de faixa máxima a serocupada por um sinal modulado em FM, tanto para o caso de radiodifusão como para o somde televisão: - Radiofusão comercial: José Alves Manuel 1
  • 15. LINK DE TRANSMISSÃO UHF PARA TELEVISÃO DE LUANDA - CAXITO B = 2 . (∆f + fm) = 2 . (75 + 15) = 2 * 90 = 180 KHz B = 2 . (∆f + fm) = 2 . (25 + 15 = 2 * 40 = 80 KHz2.7 PREÊNFASE A transmissão de sinais por meio de ondas eectromagnéticas sofre ação de váriostipos de ruido, tendo sido constatado que a maior incidência se dá na região das frequênciasmais altas de áudio, como simboliza a figura abaixo mencionada. eN eN= Noise (RUÍDO) José Alves Manuel 1
  • 16. LINK DE TRANSMISSÃO UHF PARA TELEVISÃO DE LUANDA - CAXITO f f mMáx Figura 2. Ruido na comunicação em função da frequência. Com o intuito de manter uma boa relação sinal/ruído ao longo de toda faixaaudível, foi desenvolvida a técnica de preênfase que, sendo usada na transmissão dosinal, consiste em reforçar o ganho da amplificação do sinal modulante na região demais alta frequência. O circuito tipico usado na preênfase é visto na figura abaixo. C Vi R1 R2 Vo (a) Go f1 f2 - 3dB (b) Go +3dB Go (a) Circuito de Preênfase (b) Resposta em frequência do circuito.2.7.1 ESTUDO DOS BLOCOS DE MODULAÇÃO FMO demodulador FM por discriminação em frequência é formado por dois estágios: • estágio limitador • e estágio diferenciador.O estágio limitador é formado por José Alves Manuel 1
  • 17. LINK DE TRANSMISSÃO UHF PARA TELEVISÃO DE LUANDA - CAXITO • um amplificador de baixo ruído, • um circuito limitador que ceifa os valores máximo e mínimo do sinal FM a fim de manter a amplitude constante • e um filtro passa-faixa para eliminar as frequências indesejáveis geradas pelo circuito limitador.Através do circuito acima garante-se que não há vairação de amplitude no sinal w(t), amenos que a amplitude do sinal recebido seja tão baixa que o circuito limitador nãorealiza o ceifamento do sinal. Nota-se que este primeiro estágio no demodulador FMdispensa o circuito de controle automático de ganho existente nos demoduladoresAM.O estágio diferenciador poderia ser formado por • um circuito diferenciador com função de transferência H(f) = j.2.p.(f - F).KDIF que realiza a derivada do sinal w(t) em relação ao tempo de forma a produzir uma variação de amplitude do sinal modulado proporcional ao sinal modulador, resultando numa conversão de FM para AM, • um circuito retificador para gerar um sinal de baixa frequência proporcional à variação da amplitude do sinal • e um filtro passa-baixas para eliminar as altas frequências indesejáveis geradas no detetor.A função de um divisor de frequência é separar o sinal em seções ou bandas de sinal,antes de enviá-lo aos alto falantes.Isto assegura que cada alto falante receba somente as frequências para as quais foidesignado.Existem dois tipos de divisores, o passivo e o ativo. O passivo é composto decapacitores e bobinas, já o ativo através de um circuito eletrônico.Os divisores de freqüências são utilizados para separar as freqüências que interessama um determinado tipo de alto-falante, ou seja, um médio-grave deve receber apenasfreqüências compreendidas na faixa de 80 a 5.000 Hz, neste caso temos de utilizar umdivisor de freqüências que limite em 80 e 5.000 Hz a resposta em freqüência.Para isto são utilizados os filtros. Os filtros podem ser ativos ou passivos. • Ativos - são compostos de circuitos eletrônicos José Alves Manuel 1
  • 18. LINK DE TRANSMISSÃO UHF PARA TELEVISÃO DE LUANDA - CAXITO • Passivos - são compostos de capacitores e indutoresA vantagem do divisor ativo é que ele não acarreta perdas. Isto ocorre pelo simplesfato de que o corte é sempre feito antes do amplificador, ou seja, não existe nenhumcomponente que faz com que a tensão de saída do amplificador seja dividida.Já no caso do passivo existem perdas. Isto se deve ao fato de o capacitor e o indutorpossuírem reatâncias e, como são utilizados após a saída do amplificador e antes doalto-falante, eles acabam fazendo com que a tensão de saída do amplificador sejadividida entre capacitor, indutor e alto-falante. 3. CONCLUSÃO Após os estudos efectuados para este link de transmissão de 53 Km de luanda-Caxito. Vericamos que utilizando a elipsoide de Freznel conseguimos ter conhecimentosobre a zona de cobertura e serviço, e ainda, com auxilio da carta cartográficapodemos verificar o percurso de tal modos a facilitar-nos os cálculos de difrações einterferências ao longo do percurso, o que nos levou a concluir que nesta rota nãoexistem difrações, mas sim interferências, o que nos leva a dizer que podemos fazer olink em linha de vista, tendo em conta os efeitos de atenuação que podemos encontrarao longo do percurso. José Alves Manuel 1
  • 19. LINK DE TRANSMISSÃO UHF PARA TELEVISÃO DE LUANDA - CAXITO Calculados tais dados, podemos medir a potência a ser transmitida eestabelecer se será necessário utilizarmos um regenerador para dar a forma originaldo sinal na recepção por causa das atenuações calculadas ao longo do trajecto. Definidas as zonas de cobertura e serviço, podemos verficar que utilizarmos umdemodulador feito por um detector de envoltória, apesar de apenas a faixa de 0 -0,75MHZ do sinal de vídeo ser modulada em AM-DSB e a faixa 0,75MHZ - 4MHZ sermodulada praticamente em AM-SSB, os detalhes mais importantes do sinal de vídeo,por serem mais visiveis ao espectador, encontra-se na porção inferior, que serádemodulada com precisão. E poderemos ter um bom sinal na recepção. Quanto aosinal de áudio de deverá chegar simultâneamente utilizaremos o processo depreênfase com o intuito de manter uma boa relação sinal/ruído ao longo de toda faixaaudível, foi desenvolvida esta técnica de preênfase para que, sendo usada natransmissão do sinal, possa reforçar o ganho da amplificaçãodo sinal modulante naregião de mais alta frequência. O sinal de vídeo é produzido a partir de um esquema que obedece um processoque passa por um corrector de fase, oscilador, modulador em amplitude e um filtroque irá permitir a passagem de apenas a faixa necessária para mesma transmissão. E o sinal de áudio obedece também um esquema que passa pelo processo deamplificação, modulação em frequência limitação para suprimir os efeitos idesejavéisaté a transmissão do dito sinal. Ao enviar-mos tal sinal, que deve chegar em simultâneo usaremos ummisturador que permitir que os sinai de vídeo e áudio sejam transmitidos em sincroniautilizando uma portadora com o auxilio de um divisor de frequência que trabalha emligação com um oscilador de frequência de modos a utilizar-mos o canal desejado paraa transmissão do dado link utilizando a frequência intermédia. 4. BIBLIOGRÁFIA  Telecomunicações -Transmissão e Recepção (Eng.Alcide T. Gomes)  Manual de Telecomunicações – WJR/99  www.Google Earth.com  CNEC – Angola Telecom  Divisor de Frequência - Autor: RPSOMEIMAGEM (11092) José Alves Manuel 1
  • 20. LINK DE TRANSMISSÃO UHF PARA TELEVISÃO DE LUANDA - CAXITO José Alves Manuel 1