Redação
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share
Uploaded on

Redação e Expressão Oral II - Prof. Marcelo Rocha (2011)

Redação e Expressão Oral II - Prof. Marcelo Rocha (2011)

More in: Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
684
On Slideshare
684
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
31
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Pragmática • Verbos que descrevem • Verbos que indicam ação • Linguagem sujeita a performatividade generalizada Acadêmicos: Daniele Kunzler, Jéssica Thomas, Ana Cláudia e Juliano Cabral
  • 2.  Não é a língua que significa, o sentido não está somente nas palavras, está nas pessoas e nas circunstâncias também.  O ritual que produz sentido não é apenas verbal.  “Essa perspectiva de estudo da linguagem é chamada de pragmática”.  Filósofo da LinguagemAustin
  • 3. É produzir três atos simultaneamente. 1. Ato locucionário 2. Ato ilocucionário 3. Ato perlocucionário
  • 4.  Arranjo sintático  Conteúdo semântico
  • 5.  Promessa  Batismo  Juramento, etc.
  • 6.  Obter efeitos São atos simultâneos.  Lógica (linguagem/mundo)  Pragmática (linguagem/ação)  Retórica (linguagem/persuasão)
  • 7.  Diálogo com a lógica: problematização da linguagem como representação do mundo.  Pragmática: consideração da ação entre interlocutores.  Verbal e não-verbal: determinação da extensão dos efeitos, calculados por essas ações.  Diálogo com a retórica: a espera do interlocutor.
  • 8.  Ato locucionário – lógica Perspectiva lógica da linguagem Descrição do mundo e julgamento, afirmação de verdadeiro ou falso.
  • 9.  Ato Ilocucionário – sujeito Teoria da enunciação: o papel da intersubjetividade na linguagem. (Benveniste)
  • 10. Análise da conversação: o papel das circunstâncias de comunicação e da cooperação entre interlocutores Marcuschi
  • 11. Análise do discurso: o papel da ação sobre o outro e a menção às relações de poder. Brandão
  • 12.  Ato Ilocucionário – presença dos sujeitos  Ato Perlocucionário – retórica ( a ação que se produz no outro como consequência do ato de dizer, a eficácia e a construção de como é constituído o auditórios e como este constitui o dizer do orador. Os argumentos seguem uma direção.  O sentido dos enunciados se dá pelos sujeitos (locutor), o dizer é organizado em função de um alocutário (conduzido a uma conclusão).
  • 13.  Considera a argumentação tratada pela retórica e pela semântica argumentativa do Linguista francês, Oswald Ducrot
  • 14.  “Linguagem concebida como ação, língua concebida como fonte de recursos fônicos e sintático-semânticos e ato de fala entendido como interface verbal de um ritual não apenas linguístico a são as principais contribuições da pragmática”.  A linguística textual e a análise do discurso também são beneficiadas.
  • 15. Saussure  “ pode-se comparar a língua a uma sinfonia, cuja realidade independe da maneira como é executada; erros que podem cometer os músicos que a executam não compremetem em nada tal realidade (1974,p.26).  Código tomado como parâmetro
  • 16. Jakobson  Linguagem na esfera comunicativa  Escala ascendente de liberdade  Ato de comunicação como parâmetro
  • 17.  É o tipo de código formado por palavras e leis combinatórias por meio do qual as pessoas se comunicam e interagem entre si.
  • 18.  Linguagem é todo sistema de sinais convencionais que nos permite realizar atos de comunicação.
  • 19.  A Fala é a parte individual da Linguagem. Para Saussure é um “ato individual de vontade e inteligência”.
  • 20.  - A palavra discurso tem sido empregada em linguística com diversos significados, o mais comum deles e menos técnico é o língua em uso, praticamente um sinônimo de fala e enunciação, é provável que esse uso da palavra se tenha difundido.
  • 21.  O que quer dizer este texto? - Ele classifica a língua em dois tipos: Métodos não-linguísticos Métodos Paralinguísticos
  • 22.  O Discurso nunca se começa na primeira palavra que é dita e nem termina no ponto final onde encerra.  Relação de força
  • 23.  A relação entre os fatos de língua e os fatos históricos e sociais se dá, portanto, de forma articulada ao que os analistas do discurso chamam de fatos discursivos.  A análise do discurso se constitui através daquilo que funciona como estrutura na língua, e do funcionamento dessa estrutura no fato sócio-histórico de uma
  • 24.  São levantadas 3 análises do discurso, com diferenças teóricas significantes.  1)Análise do discurso como ruptura mais radical em relação aos pressuposto da linguística.  2)Análise do discurso como parte da linguística, constituindo uma “linguística do discurso”  3)Análise do discurso lado a lado, constituindo um campo no interior das ciências da linguagem.