Renascimento

7,218 views
6,969 views

Published on

O renascimento foi um movimento artístico-cultural, ocorrido na Europa Ocidental entre os séculos XV e XVI; conjunto de manifestações artístico-intelectuais que marcou a transição da Idade Média para a Moderna; primeira tentativa da burguesia emergente em elaborar uma cultura comprometida com seus valores.

0 Comments
4 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
7,218
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
10
Actions
Shares
0
Downloads
65
Comments
0
Likes
4
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Renascimento

  1. 1. 25/03/2012 Renascimento uma nova visão de mundo Prof. Jorge Miklos Março/2012 Renascimento• DEFINIÇÃO – Renascimento: movimento artístico-cultural, ocorrido na Europa Ocidental entre os séculos XV e XVI; – conjunto de manifestações artístico-intelectuais- científicas que marcou a transição da Idade Média para a Moderna; – primeira tentativa da burguesia emergente em elaborar uma cultura comprometida com seus valores. Renascimento• FATORES GERADORES• O Renascimento surgiu primeiramente na Itália, que reunia condições favoráveis a sua emergência, e difundiu-se pelo continente europeu.• Fruto das transformações vividas pela Europa Ocidental durante a Baixa Idade Média, o Renascimento atacava a ordem medieval, revelando a “crise da consciência europeia” de fins da Idade Média e início da Moderna. Dentre os fatores que favoreceram a ocorrência do Renascimento destacamos: 1
  2. 2. 25/03/2012 Renascimento • Revolução Comercial: Muitos burgueses, enriquecidos com a atividade comercial, mas segregados socialmente, buscavam prestígio patrocinando artistas e intelectuais que produzissem uma cultura comprometida com os novos valores da Cosmo de Médici, um dos burguesia: eram os mais importantes mecenas. mecenas do Renascimento Renascimento • renascimento urbano: o desenvolvimento do comércio promoveu o crescimento das cidades, que se converteram em polos produtores e irradiadores da nova cultura renascentista. Nas cidades, surgiram academias de artes e ciências e universidades, em sua maioria, dedicadas a refletir sobre novas concepções estéticas e éticas, rompendo com a visão medieval de mundo e propondo uma mentalidade mais especulativa e crítica; Florença Renascimento• invenção da imprensa: graças a esse invento, os novos valores puderam ser divulgados de maneira rápida, a um crescente número de indivíduos. 2
  3. 3. 25/03/2012 Renascimento CARACTERÍSTICASHerança clássica: a cultura clássica greco-romana serviu de fonte inspiração para artistas e pensadores renascentistas, que, assim, procuravam repudiar a cultura medieval, estática, carregada de religiosidade; a cultura clássica não era simplesmente imitada, mas reelaborada a partir dos novos valores da burguesia emergente; repúdio aos valores medievais: a religiosidade e os valores da nobreza, típicos da Idade Média, eram criticados pelos renascentistas; 3
  4. 4. racionalismo antropocentrismo: Razão considerada única fonte dos conhecimentos todas as suas capacidades valorização do homem e de4 25/03/2012
  5. 5. 25/03/2012 individualismo e de suas características, responsáveis pelo sucesso ou fracasso de cada um (negavam assim a interferência do sobrenatural na vida terrena); naturalismovalorização do, a fiel reproduçãoda natureza e de sua obra-prima: o ser humano. Renascimento REPRESENTANTES Precursores 5
  6. 6. 25/03/2012• Dante Alighieri• (1265-1321)• autor d’ A Divina Comédia;• Giotto(1266-1337) Renascimento Representantes 6
  7. 7. 25/03/2012 • Sandro Botticelli (1445-1510), • Alegoria da Primavera Leonardo da Vinci (1452-1519),• artista e intelectual que sintetiza o espírito do Renascimento.• Curioso e crítico, dedicou sua vida a vários ramos das artes (pintura, escultura) e do conhecimento científico (astronomia, matemática). 7
  8. 8. 25/03/2012 Rafael Sanzio (1483-1520):• um dos mais populares artistas da Renascença, deixou imensa produção, destacando-se os retratos e, sobretudo A Escola de Atenas 8
  9. 9. 25/03/2012Michelangelo Buonarroti (1475-1564),• Produção foi rica e abundante. Destacam- se obras de pintura, como os afrescos da Capela Sistina, em Roma (A criação do homem, O Juízo Final), e escultura (Moisés, David, Pietá). 9
  10. 10. 25/03/2012 10
  11. 11. 25/03/2012 Renascimento Renascimento na literatura Renascimento• Nicolau Maquiavel (1469-1527): pai da Teoria Política, defensor das formas absolutistas de poder, como demonstra em seu livro O Príncipe; 11
  12. 12. 25/03/2012 Renascimento • Erasmo de Rotterdam (1466-1536): humanista holandês que faz severas críticas ao clero e à religiosidade medieval; sua obra principal é Elogio da loucura; Renascimento• François Rabelais: satírico francês que, em sua mais conhecida obra (Gargantua e Pantagruel) fez uma feroz crítica ao clero e seu comportamento; Renascimento • William Shakespeare (1564-1616): teatrólogo inglês de vasta produção; destacam-se as peças Romeu e Julieta, Hamlet, Othelo, Macbeth, Sonhos de uma noite de verão, Rei Lear, entre outras; 12
  13. 13. 25/03/2012 Renascimento • Miguel de Cervantes (1547- 1616): escritor espanhol em cuja principal obra, Dom Quixote, critica os valores medievais da nobreza e da cavalaria. Renascimento Renascimento nas Ciências Renascimento nas Ciências• O pensamento científico, influenciado pela visão crítica e especuladora do Renascimento, aprimorou-se e levou a importantes descobertas.• O conhecimento deveria se basear numa reflexão racional dos fenômenos aliada a observação e a experimentação (empirismo). 13
  14. 14. 25/03/2012Renascimento nas Ciências • Dentre os principais cientistas da época destacaram-se: • Nicolau Copérnico (1473-1543), formulador da teoria heliocêntrica; 14
  15. 15. 25/03/2012 Renascimento nas Ciências• Johann Kepler (1571- 1630), defensor da teoria do movimento elíptico dos astros; Renascimento nas Ciências • Galileu Galilei (1564- 1642), astrônomo inventor do telescópioRenascimento nas Ciências• Miguel de Servet (1511-1553), descobridor do mecanismo da circulação sangüínea; 15
  16. 16. 25/03/2012 Renascimento nas Ciências • André Vesálio (1514- 1564) considerado o pai da moderna anatomia pelas investigações realizadas a partir de acuradas observações sobre o corpo humano. Renascimento nas Ciências• Giordano Bruno: um dos pontos chaves de sua teoria é a cosmologia, segundo a qual o universo seria infinito, povoado por milhares de sistemas solares, e interligado com outros planetas contendo vida inteligente. Renascimento nas Ciências • Por estas opiniões quentes e perigosas para a época que Giornano Bruno foi condenado pela inquisição, tendo passado seus últimos oito anos sofrendo torturas e maus tratos de todos os tipos. • Ao ser anunciada a sentença de que seria executado piamente, sem profusão de sangue (que em verdade significava a morte pela fogueira) disse: "Teme mais a Força em pronunciar a sentença do que eu em escutá-la" Significando que a Força - a Igreja Católica saberia do crime contra a humanidade que estaria cometendo criando um mártir do pensamento. 16
  17. 17. 25/03/2012 Renascimento nas Ciências• A eclosão do Renascimento em todas suas expressões – artístico, literário e científico – foi decisiva para o advento da Modernidade.• O Renascimento contribuiu para a afirmação de valores que seriam o esteio ideológico da nascente sociedade capitalista liberal e burguesa.• Cabe frisar que o Renascimento foi, em sua essência, um movimento elitista, promovido pela burguesia, não representando nem estabelecendo vínculos com a grande massa da populaçãoReferências• BURNS, Edward Mcnall. História da Civilização Ocidental – volume 1. Rio de Janeiro. Editora Globo. s/d.• BURCKHARDT, Jacob. A cultura do renascimento na Itália: um ensaio. Brasília: Ed.Universidade de Brasília, 1991.• DELUMEAU, J. A Civilização do Renascimento. 2 volumes. Lisboa, Estampa, 1994.• GARIN, Eugenio. (direção). O homem renascentista. Lisboa: Editorial Presença, 1991.• GOMBRICH, Ernest H. História da Arte. São Paulo: LTC, 2000.• HELLER, Agnes. O homem do renascimento. Lisboa: Editorial Presença, 1982.• REALE, Giovanni. Historia da filosofia: do humanismo a Descartes, v. 3. São Paulo: Paulus, 2004.• SEVCENKO. Nicolau. O Renascimento. São Paulo: Atual, 1993. 17

×