A era dos extremos

2,627
-1

Published on

Published in: News & Politics
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
2,627
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
110
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • IMAGENS DE GHANDI
  • A era dos extremos

    1. 1. A ERA DOS EXTREMOS <ul><li>O NAZI-FASCISMO </li></ul><ul><li>ASEGUNDA GUERRA MUNDIAL </li></ul><ul><li>A GUERRA FRIA </li></ul><ul><li>A DESCOLONIZAÇÃO AFRO-ASIÁTICA </li></ul>Professor Jorge Miklos
    2. 2. A ERA DOS EXTREMOS <ul><li>Sem dúvida ele (o século XX) foi o século mais assassino de que temos registro, tanto na escala, frequência e extensão da guerra que o preencheu, mal cessando por um momento na década de 1920, como também pelo volume único das catástrofes humanas que produziu, desde as maiores fomes da história até o genocídio sistemático. ERIC HOBSBAWM ERA DOS EXTREMOS O breve século XX 1914-1991. </li></ul>
    3. 3. O NAZI-FASCISMO <ul><li>TOTALITARISMO : subordinação dos interesses individuais aos do Estado; </li></ul><ul><li>&quot;Tutto nello Stato, niente al di fuori dello Stato, nulla contro lo Stato&quot; </li></ul>&quot;Tudo no Estado, nada fora do Estado, nada contra o Estado”
    4. 4. CULTO AO LÍDER
    5. 5. O NAZI-FASCISMO <ul><li>nacionalismo : tudo pela nação, cuja grandeza deve ser buscada pela totalidade da sociedade; </li></ul><ul><li>“ Ein Volk, ein Reich, ein Führer” </li></ul><ul><li>“ Um povo, um império, um líder” </li></ul>
    6. 6. O NAZI-FASCISMO <ul><li>militarismo : a guerra permite um aprimoramento individual e nacional </li></ul>
    7. 7. O NAZI-FASCISMO <ul><li>&quot;Meglio vivere un giorno da leoni che cento anni da pecore (Melhor viver um dia de leão, do que cem anos de cordeiro) </li></ul><ul><li>&quot;A mesma causa, que a uns leva a passar fome, provoca em outros o estímulo para trabalhar com mais afinco. Quem deseja viver, prepara-se para o combate, e quem não estiver disposto a isso, neste mundo de lutas eternas, não merece a vida“ (Hitler) </li></ul>
    8. 8. O NAZI-FASCISMO <ul><li>expansionismo : expansão territorial é uma necessidade à sobrevivência da nação; no caso nazista defendia-se a idéia do “ espaço vital ”; </li></ul>Lebensraum
    9. 9. O NAZI-FASCISMO <ul><li>corporativismo : o Estado totalitário aparece como árbitro de todos os conflitos no interior da sociedade; </li></ul><ul><li>o nosso ideal é o Estado do Trabalho. Sobre isto não pode haver dúvida: somos a classe trabalhadora em luta, pela vida e pela morte, contra o capitalismo. - Benito Mussolini. </li></ul>
    10. 10. O NAZI-FASCISMO <ul><li>anti-comunismo : defesa do combate ao comunismo tanto dentro do país (perseguições) quanto no âmbito internacional (aniquilação da União Soviética); </li></ul>
    11. 11. O NAZI-FASCISMO <ul><li>racismo : crença na superioridade racial </li></ul><ul><li>Mito do arianismo </li></ul><ul><li>Anti-semitismo </li></ul>
    12. 13. Médico confere se o olho do garoto é de origem ariana
    13. 16. O NAZI-FASCISMO <ul><li>Itália após Primeira Guerra Mundial . </li></ul><ul><li>Acentuada crise econômica. </li></ul><ul><li>Agitação social. </li></ul><ul><li>Partido Fascista . </li></ul><ul><li>Benito Mussolini. (Duce) </li></ul>
    14. 17. <ul><li>Fascismo </li></ul><ul><li>'fasces lictoris' (latim) ou de 'fascio littorio ' (italiano). </li></ul><ul><li>Simboliza a força da união em torno do chefe . </li></ul><ul><li>Era usado na Roma Antiga. </li></ul><ul><li>Na década de 1920, foi adotado como símbolo do Fascismo , em Itália. </li></ul>O NAZI-FASCISMO
    15. 19. O NAZI-FASCISMO <ul><li>esquadras </li></ul><ul><li>camisas negras </li></ul><ul><li>milícia armada </li></ul><ul><li>terror </li></ul><ul><li>perseguições </li></ul>
    16. 20. O NAZI-FASCISMO <ul><li>Em um discurso, pronunciado em outubro de 1922, o líder do Partido Fascista, Benito Mussolini, assim criticava o regime democrático: </li></ul><ul><li>“ O fascismo italiano representa uma reação contra os democratas que tornaram tudo medíocre e uniforme e tentaram sufocar e tornar transitória a autoridade do Estado. (...) A democracia tirou a elegância da vida das pessoas, mas o fascismo a traz de volta, isto é, traz de volta a cor, a força, o pitoresco, o inesperado, o misticismo, enfim, tudo o que falta às almas da multidão.” </li></ul>
    17. 21. O NAZI-FASCISMO Em 1922 amparado pelo crescimento e fortalecimento do partido, Mussolini promoveu, juntamente com as esquadras, a Marcha sobre Roma , tomando de assalto o poder.
    18. 22. O NAZI-FASCISMO
    19. 23. O NAZI-FASCISMO <ul><li>1929 </li></ul><ul><li>Tratado de Latrão Estado do Vaticano </li></ul><ul><li>Apoio da Igreja Católica </li></ul>
    20. 24. O NAZI-FASCISMO O NAZISMO
    21. 26. O NAZI-FASCISMO <ul><li>Suástica ou cruz gamada é um símbolo místico encontrado em muitas culturas em tempos diferentes, dos índios Hopi aos Astecas, dos Celtas aos Budistas, dos Gregos aos Hindus. </li></ul><ul><li>Alguns autores acreditam que a suástica tem um valor especial por ser encontrada em muitas culturas sem contatos umas com as outras. </li></ul><ul><li>Os símbolos a que chamamos suástica possuem detalhes gráficos bastante distintos. </li></ul>
    22. 32. O NAZI-FASCISMO <ul><li>A suástica usada como símbolo do Budismo e que significa &quot; bons ventos &quot;, foi utilizada por Adolf Hitler, devido à sua aparência como uma engrenagem, supostamente para simbolizar sua intenção de uma Revolução Industrial na Alemanha. </li></ul><ul><li>Outro significado atribuído à suástica é &quot; boa sorte &quot;, do sânscrito. </li></ul>
    23. 33. O NAZI-FASCISMO <ul><li>No Brasil, o uso da suástica para fins nazistas é crime, de acordo com a lei 7.716 de 1989 (com alterações da lei 9.459, de 1995), como dispõe o parágrafo primeiro do seu artigo 20: </li></ul><ul><li>§ 1º Fabricar, comercializar, distribuir ou veicular símbolos, emblemas, ornamentos, distintivos ou propaganda que utilizem a cruz suástica ou gamada, para fins de divulgação do nazismo. </li></ul><ul><li>Pena: reclusão de dois a cinco anos e multa. </li></ul>
    24. 36. O NAZI-FASCISMO <ul><li>Ao final da Primeira Guerra - 1918 </li></ul><ul><li>República de Weimar </li></ul><ul><li>Tratado de Versalhes </li></ul><ul><li>Traição </li></ul><ul><li>Humilhação </li></ul>
    25. 37. O NAZI-FASCISMO <ul><li>Década de 1920 </li></ul><ul><li>Ruína econômica e social </li></ul><ul><li>inflação (em 1923, o índice foi de 32 400% ao mês) </li></ul><ul><li>Desemprego </li></ul>
    26. 39. O NAZI-FASCISMO <ul><li>1919 </li></ul><ul><li>Fundação do Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães ou Partido Nazista , </li></ul><ul><li>( Na tionalso zi alistische Deutsche Arbeit Partei) </li></ul><ul><li>Participação de um ex-cabo do exército alemão que lutara na Primeira Guerra, Adolf Hitler. </li></ul>
    27. 43. O NAZI-FASCISMO <ul><li>Milícias </li></ul><ul><li>SA (Seções de Assalto) </li></ul><ul><li>“ camisas pardas”. </li></ul>
    28. 44. O NAZI-FASCISMO <ul><li>1923, </li></ul><ul><li>Putsch de Munique </li></ul><ul><li>Hitler é preso </li></ul><ul><li>Escreve o </li></ul><ul><li>Mein Kampf </li></ul>
    29. 45. O NAZI-FASCISMO <ul><li>Eleições parlamentares de 1932, </li></ul><ul><li>Partido Nazista obteve expressiva vitória </li></ul><ul><li>1933 Hitler foi nomeado primeiro-ministro pelo presidente Hindenburg. </li></ul>
    30. 46. O NAZI-FASCISMO <ul><li>A repressão </li></ul><ul><li>Intensifica-se </li></ul><ul><li>SS ( Sessões de Segurança, a polícia política do partido) </li></ul><ul><li>Gestapo (polícia secreta do Estado). </li></ul>
    31. 47. O NAZI-FASCISMO <ul><li>Março de 1933, </li></ul><ul><li>Morte do presidente Hindenburg, </li></ul><ul><li>Funda o Terceiro Reich </li></ul><ul><li>Führer (“guia”). </li></ul>
    32. 55. O NAZI-FASCISMO <ul><li>&quot;A essência da propaganda é ganhar as pessoas para uma idéia de forma tão sincera, com tal vitalidade, que, no final, elas sucumbam a essa idéia completamente, de modo a nunca mais escaparem dela&quot; </li></ul><ul><li>&quot;A propaganda quer impregnar as pessoas com suas idéias. É claro que a propaganda tem um propósito. Contudo, este deve ser tão inteligente e virtuosamente escondido que aqueles que venham a ser influenciados por tal propósito NEM O PERCEBAM .&quot; </li></ul><ul><li>&quot;Aquele que sabe tudo não tem medo de nada&quot;. </li></ul><ul><li>(Joseph Goebbels) </li></ul>
    33. 68. A SEGUNDA GUERRA MUNDIAL
    34. 69. <ul><li>“ Esta guerra, de fato, é uma confirmação da anterior” </li></ul><ul><li>(Winston Churchill, em discurso feito no Parlamento em 21 de agosto de 1941). </li></ul>
    35. 70. 1931: Japão invade a Mandchuria
    36. 71. 1933: Ascensão de Hitler
    37. 72. 1934 Remilitarização da Renânia
    38. 73. 1936 - Guerra Civil Espanhola Republicanos X Falangistas
    39. 74. “ FALANGISTAS”, simpatizantes do nazi-fascismo, liderados por Francisco Franco.
    40. 75. “ FALANGISTAS”, simpatizantes do nazi-fascismo, liderados por Francisco Franco.
    41. 76. “ FALANGISTAS”, simpatizantes do nazi-fascismo, liderados por Francisco Franco.
    42. 77. Regime republicano de tendência socialista.
    43. 78. Regime republicano de tendência socialista.
    44. 79. Regime republicano de tendência socialista.
    45. 80. Regime republicano de tendência socialista.
    46. 81. Regime republicano de tendência socialista.
    47. 82. Regime republicano de tendência socialista.
    48. 83. 1936 - Guerra Civil Espanhola Guernica
    49. 84. 1938 ANSCHLUSS Alemanha anexa a Áustria
    50. 85. 1938 ANSCHLUSS Alemanha anexa a Áustria
    51. 86. Conferência de Munique: <ul><li>Inglaterra, França permitem que a Alemanha anexe a região dos Sudetos (Tchecoslováquia) </li></ul>
    52. 87. Conferência de Munique
    53. 88. Quem é quem?
    54. 89. política de apaziguamento <ul><li>Com o objetivo de evitar um novo conflito armado na Europa, os países que haviam imposto o Tratado de Versalhes à Alemanha (França e Inglaterra, sobretudo), adotaram uma política de apaziguamento , fazendo vistas grossas às agressões alemãs ou, quando muito, adotando brandas reprimendas em relação ao expansionismo totalitarista. </li></ul>
    55. 90. Política do Apaziguamento
    56. 91. Corredor Polonês
    57. 92. O Pacto Germano-Soviético <ul><li>Estabelecia um acordo de não-agressão e neutralidade por 10 anos. </li></ul><ul><li>Na prática, o acordo era interessante a ambos os países na medida em que a União Soviética poderia invadir a Finlândia e Polônia oriental sem interferência alemã </li></ul><ul><li>Os alemães poderiam reocupar o “corredor polonês” sem intromissão soviética. </li></ul>
    58. 93. O acordo visto por Belmonte
    59. 94. Um casamento estranho
    60. 95. 01/09/1939: Tropas nazistas invadem a Polônia que é ocupada em 15 dias
    61. 96. 1ª FASE: EXPANSIONISMO DO EIXO (1939-1941) <ul><li>Ocupação de Paris, Mediterrâneo, Bélgica, Holanda, Balcãs, Norte da África, Hungria, Romênia, Bulgária. </li></ul>
    62. 97. Blitzkrieg
    63. 98. Ocupação de Paris
    64. 99. Batalha da Inglaterra
    65. 100. 2ª FASE: FORMAÇÃO E REAÇÃO DOS ALIADOS (1941-1943) <ul><li>22/06/1941- As tropas alemãs invadem a União Soviética </li></ul><ul><li>07/12/1941- O Japão ataca a base aérea norte-americana ano pacífico de Pearl Harbour </li></ul>
    66. 101. Leningrado
    67. 102. Pearl Harbour
    68. 103. 3ª FASE: VITÓRIA DOS ALIADOS (1943-1945)
    69. 104. Janeiro/1943- Batalha de Stalingrado recuo nazista na frente oriental
    70. 105. <ul><li>Stalingrado, miserável monte de escombros, entretanto resplandecentes ! </li></ul><ul><li>As belas cidades do mundo contemplam-te em pasmo e silêncio. </li></ul><ul><li>Débeis em face do teu pavoroso poder, mesquinhas no seu esplendor de mármores salvos e rios profanados, as pobres e prudentes cidades, outrora gloriosas, entregues sem luta, aprendem contigo o gesto do fogo. </li></ul><ul><li>Também elas podem esperar. </li></ul><ul><li>Stalingrado, quantas esperanças! </li></ul><ul><li>(...)&quot; </li></ul><ul><li>Carlos Drummond de Andrade - </li></ul>
    71. 106. 06/06/1944- Dia D- Desembarque das tropas na Normandia - recuo na frente ocidental
    72. 108. 24/04/1945 - Cerco a Berlim pelos soviéticos
    73. 109. 6 de agosto de 1945
    74. 110. A 2ª guerra mundial estava no fim... A cidade de Hiroshima permanecia intacta. O governo incentivava todos a manter as atividades cotidianas. Os japoneses ouviram o alarme indicando a aproximação de um avião inimigo. Às 8h45, a primeira bomba atômica foi lançada sobre um alvo humano...
    75. 111. No exato instante da explosão... Prédios e vegetação foram desintegrados...
    76. 112. Giant fireball and sending surface temperatures to 7,232º F *The surface of the sun is about 9,000 º
    77. 113. Uma onda de calor intenso, emitia raios térmicos e radiação ultravioleta
    78. 114. Em segundos... Hiroshima tornou-se um deserto...
    79. 115. Os sobreviventes vagavam sem saber o que havia atingido a cidade. Quem estava a um quilômetro do hipocentro da explosão teve seu corpo desintegrado. O que aumentou o desespero dos que nunca vieram a confirmar a morte de seus familiares.
    80. 116. Quem sobreviveu, foi obrigado a conviver com males terríveis. O calor intenso levou a roupa e a pele das vítimas. Vários incêndios foram causados pelos intensos raios de calor emitidos pela explosão. Vidros e metais derreteram como lavas. Uma chuva preta, oleosa e pesada, caiu ao longo do dia. A chuva radioativa contaminou áreas distantes, matando peixes em lagoas e rios e pessoas que beberam a água contaminada tiveram sérios problemas durante vários meses.
    81. 117. Não havia comida e a água era suspeita. A desinformação era tanta que muitos japoneses saíram de suas províncias para tentar encontrar seus familiares em Hiroshima. Corriam o maior risco pós-bomba: a exposição à radiação.
    82. 118. O cenário de morte era assustador! As queimaduras eram tratadas com mercúrio cromo pela falta de medicamento adequado.
    83. 119. Não se sabe exatamente porque Hiroshima foi escolhida como alvo inaugural da bomba atômica. Uma explicação considerada plausível, é pelo fato de a cidade estar centrada em um vale. As montanhas fariam uma barreira natural, o que ampliaria o poder de impacto da bomba. Conseqüentemente, conheceriam a capacidade de destruição nuclear com mais precisão e aliado à proteção das montanhas, daria a medida exata da destruição da bomba nunca antes testada.
    84. 120. De concreto, sobraram os horrores de uma arma nuclear, com potência equivalente a 20 mil toneladas. Ainda hoje, passados 57 anos da explosão da 1ª bomba atômica, o número de vítimas continua sendo contabilizado. Já são 350 mil mortos.
    85. 122. Little Boy
    86. 147. Nagasaki 9 de Agosto de 1945 Fat Man
    87. 148. HIROSHIMA RESILIENTE
    88. 149. O “Dome”... Único prédio que suportou a potência de 220 mil toneladas de dinamite da explosão... Tornou-se o símbolo da reconstrução!
    89. 150. O “Dome” foi construído em 1915. Galeria de Promoção Industrial de Hiroshima, estava a apenas 160 metros do hipocentro da bomba, e hoje, simboliza a determinação com que os japoneses souberam superar os horrores de uma época.
    90. 151. Parque da Paz
    91. 152. Cenotáfio Comemorativo, onde o silêncio e a reverência predominam, fica bem em frente ao Museu da Paz. É um ponto de oração em nome dos mortos de 1945. Todos os anos, na cerimônia realizada no dia 6 de agosto, são acrescentados os nomes dos últimos que morrem por doenças provocadas pela radiação.
    92. 153. O sino da paz é tocado pelos visitantes como parte do desejo de paz. A forma de campanário, simboliza o universo. O sino pesa mais de uma tonelada. Ao seu redor está desenhado um mapa do mundo sem os limites nacionais, simbolizando um só mundo... sem fronteiras...
    93. 154. Uma tocha permanece acesa durante o ano inteiro... “A Chama da Paz”... Hiroshima só pretende apagá-la quando todas as armas nucleares sumirem da Terra.
    94. 156. Civilização e Barbárie <ul><li>“ Nunca houve um monumento da cultura que não fosse também um monumento da barbárie.” </li></ul><ul><li>Walter Benjamin </li></ul>
    95. 157. 02/09/1945- O Japão se rende
    96. 158.   PRINCIPAIS CONFERÊNCIAS
    97. 159. Conferência de Yalta (1945) <ul><li>Roosevelt Churchill e Stalin elaboraram planos para o avanço dos exércitos aliados e decidiram sobre os planos que seriam impostos à Alemanha. </li></ul><ul><li>Também foram aprovados os planos para a Organização das Nações Unidas. </li></ul>
    98. 160. Conferência de Yalta (1945)
    99. 161. Conferência de Potsdam (1945) <ul><li>EUA, Inglaterra e URSS definiram a divisão da Alemanha em quatro zonas. </li></ul><ul><li>O acordo de Potsdam foi favorável a URSS pois esta conseguiu liberdade de ação no leste europeu. </li></ul>
    100. 162. Conferência de Potsdam (1945)
    101. 163. Divisão da Alemanha em quatro zonas
    102. 164. O beijo da Time Square 14 de Agosto de 1945
    103. 165. GUERRA FRIA
    104. 167. “ Paz impossível, guerra improvável. ” <ul><li>Caracterizado pelo cientista político francês Raymond Aron. </li></ul><ul><li>A paz era impossível, pois não havia maneira de conciliar os interesses capitalistas e socialistas. </li></ul><ul><li>E a guerra era improvável, pois os dois blocos tinham acumulado extremo poder de destruição. </li></ul>
    105. 169. EUA <ul><li>Doutrina Truman </li></ul><ul><ul><li>Criação da OTAN (1949) </li></ul></ul><ul><li>Plano Marshall </li></ul><ul><ul><li>Reconstrução econômica </li></ul></ul>
    106. 170. URSS <ul><li>Pacto de Varsóvia </li></ul><ul><li>COMECOM </li></ul>
    107. 175. TINHA UM MURO NO MEIO DO CAMINHO...
    108. 176. DESCOLONIZAÇÃO AFRO - ASIÁTICA
    109. 177. O que é descolonização? <ul><ul><li>A Segunda Guerra Mundial provocou a ruptura dos elos coloniais. </li></ul></ul><ul><ul><li>É o processo histórico que levou à liquidação dos impérios coloniais europeus e ao ressurgimento de novos povos. </li></ul></ul>
    110. 178. O que é descolonização? <ul><li>A revolta não desafiou os valores do Ocidente capitalista como a URSS o fez, pois as armas usadas na descolonização foram em modelos europeus(Nacionalismo). </li></ul>
    111. 179. O que é descolonização?
    112. 180. Conferencia de Bandung, <ul><li>Em 1955, vinte e nove países recém independentes reuniram-se na Conferência de Bandung, capital da Indonésia, estabelecendo seu apoio à luta contra o colonialismo. A Con­ferência de Bandung estimulou as lu­tas por independência na África e Ásia. </li></ul>
    113. 181. CONFERÊNCIA DE BANDUNG * <ul><li>Também conhecida como Conferência Afro-Asiática Realizada entre 18 e 24 de abril de 1955, na cidade indonésia de Bandung. É reconhecida como tendo inspirado a criação do Movimento dos Não-Alinhados (1961). s idéias de autodeterminação, impulsionadas pelos exemplos bem sucedidos de independência política, foram defendidas com afinco na Conferência de Bandung. Na Conferência os participantes se declararam expressamente contrários ao colonialismo e ao neocolonialismo, não somente contra o praticado pelos países europeus mas também contra os processos de hegemonia dos Estados Unidos e da União Soviética no contexto da bipolaridade. </li></ul>
    114. 182. Participantes: 29 países afro-asiáticos com diferentes regimes políticos mas com objetivos em comum - como a denúncia do colonialismo - se reuniram e deram início a um amplo movimento organizado que pretendia acelerar o processo de descolonização. . - Entre as deliberações tomadas em Bandung, destacam-se as seguintes:
    115. 183. a) Resolução de todas as disputas internacionais por meios pacíficos; b) Respeito à integridade territorial e à soberania de todas os Estados; c) Reconhecimento da igualdade de todas as raças; d) Reconhecimento da igualdade de todos os países, independente do seu tamanho; e) Adoção do princípio da não-intervenção nos assuntos internos dos Estados; f) Repúdio dos atos e ameaças de uso da força contra qualquer Estado.
    116. 184. Estados que participaram da Conferência de Bandung (Indonésia)
    117. 185. Índia: um novo caminho para a descolonização <ul><li>Elite descontente com o menosprezo britânico, criticavam dentro do Partido do Congresso. </li></ul><ul><li>Depois da Primeira Guerra Mundial, o movimento tornou-se mais ativo com a aceitação de amplas camadas da população. </li></ul><ul><li>A revolta popular ocorreu por que os ingleses pediram homens e armas aos indianos em troca de profundas reformas, depois do final da guerra nada foi feito a favor. </li></ul>
    118. 186. Ghandhi Neste quadro aparece Gandhi, pretendendo restaurar as tradições indianas e opor ao triunfo da técnica industrial os valores morais da Índia
    119. 187. Índia: um novo caminho para a descolonização <ul><li>Caminho: </li></ul><ul><ul><ul><li>Desobediência Civil, que se consistia na própria desobediência que ofende a todos os indianos, utilizando sempre a Não-Violência. </li></ul></ul></ul>
    120. 188. Ghandhi PENSAMENTO E IMAGEM <ul><li>&quot;Uma civilização é julgada pelo tratamento que dispensa às minorias.&quot; </li></ul>
    121. 189. Ghandhi PENSAMENTO E IMAGEM <ul><li>&quot;Só podemos vencer o adversário com o amor, nunca com o ódio.” </li></ul>
    122. 190. Indochina <ul><li>Ho-Chi-Minh </li></ul>
    123. 191. Indochina <ul><li>Setembro de 1945: Independência do Vietnã. </li></ul><ul><li>1946: França reconhece, mas viola graças ao bombardeio de Hayphong. </li></ul><ul><li>O invisível exército de guerrilheiros humilharam a França. </li></ul><ul><li>EUA e URSS interferem nesta guerra, ocasionando a famosa guerra do Vietnã </li></ul><ul><li>Acordo de Genebra: Dividiu o Vietnã em dois. </li></ul>
    124. 192. Movimentos de Libertação(África)
    125. 193. Guerra da Argélia <ul><li>Nessa região, o caso mais complexo foi o da Argélia, que só obteve a independência em 1962, quando franceses e argelinos assinaram os Acordos de Evian. </li></ul>
    126. 194. <ul><li>Os franceses se apoderaram das terras férteis e, aos argelinos (cerca de 7 milhões), restou a parte menos produtiva. </li></ul>
    127. 195. <ul><li>O governo francês tentou passar a tese que a Argélia era parte da França, e não apenas um território colonial. </li></ul>
    128. 196. <ul><li>Houve uma violenta repressão por parte do Exército francês contra o levante popular ocorrido em 1945, que reivindicava a autonomia do território. Assim, foi criada a Frente de Libertação Nacional (FLN), que deflagrou a guerra anticolonial. Cerca de 500.000 soldados franceses foram destacados para a luta na Argélia. </li></ul>
    129. 197. <ul><li>A Argélia, que só obteve a independência em 1962, quando franceses e argelinos assinaram os Acordos de Evian. </li></ul>
    130. 198. Refugiados argelinos no Marrocos (precariedade total)
    131. 199. Soldados franceses vigiam membros da FLN aprisionados

    ×