Your SlideShare is downloading. ×
Escola <br />Trabalho elaborado por:<br />Beatriz Nº5 <br />Cláudio Nº9<br />Daniel Nº 10<br />Inês Nº14<br />JéssicaNº15<...
Disciplina: HistóriaProfessor: Jorge GrandãoTema: A sociedade europeia nos séculos IX a XIIDia de entrega:15/06/09<br />2<...
Introdução<br />	Este trabalho foi-nos pedido pelo nosso professor de História.Achamos que deveríamos fazer sobre a Socied...
A sociedade europeia nos séculos IX a XII<br />4<br />
5<br />Rei<br />Nobreza/ Clero<br />Povo<br />A sociedade senhorial<br />As sucessivas invasões de Muçulmanos, Húngaros e ...
6<br />Uma sociedade ruralizada e tripartida<br />A sociedade era basicamente constituída por três ordens (era uma socieda...
7<br />- O Povo (tinha a função de trabalhar e sustentar os grupos sociais privilegiados, em troca de protecção contra pov...
Rei<br />Grupo <br />privilegiado<br />Nobreza<br />Clero<br />Gruponão<br />privilegiado<br />Povo<br />8<br />
9<br />A importância do clero<br />Clero<br />Alto<br />Baixo<br />Bispos<br />Abades<br />Monges<br />Sacerdotes<br /><ul...
 Celebravam importantes cerimónias religiosas;
 Ensinavam os futuros religiosos;
 Cópia de manuscritos ;
 Assistência aos doentes, pobres e mendigos. </li></li></ul><li>10<br />Membros do clero a copiar manuscritos ou livros sa...
11<br /> Os reis, nobres e mesmo o povo faziam-lhe doações de terras e de bens para salvação da alma na esperança de obter...
12<br />A aristrocraciaguerreira<br />Na primeira metade da Idade Média o reino não tinha exército fixo por isso quando se...
13<br />Um cavaleiro era preparado a partir dos 7 até aos 18 anos junto a um nobre que não era da família .<br />O cavalei...
14<br />Justa<br />Cena de caça<br />
15<br />
Deveres do jovem <br />Não proferir mentiras nem calúnias <br />Obedecer aos seus senhores <br />Não faltar à palavra dada...
17<br />Nobreza<br /> Podemos concluir que este grupo social era privilegiado e dedicava-se:<br /><ul><li> À guerra ;
  E treinava-se em justas, torneios e caçadas pois possuía tempo devido à mão-de-obra escrava. </li></li></ul><li>18<br />...
Poder  judicial - podiam aplicar a justiça incluindo em muitas regiões, o corte de membros;
Poder fiscal - cobravam impostos às populações que trabalhavam nas suas propriedades.</li></li></ul><li>A exploração do do...
20<br /><ul><li>os mansos -  eram arrendados pelos camponeses que os exploravam para assegurar a sua subsistência. Os camp...
Exemplo de um domínio senhorial<br />1- Castelo do senhor<br />2- Torreão feudal<br />3- Reserva <br />4- Moinho<br />5- F...
A dependência dos Camponeses<br />Na Idade Média, quase toda a população era constituída por camponeses. Havia uma economi...
Jeiras ou corveias - Dias de trabalho gratuito na reserva;
Banalidades - Utilização obrigatória do forno, moinho ou lagar do senhor;
Aposentaria - Alojar e alimentar o senhor quando viajava;
Hoste - Ajudar o exército no transporte de armas e mantimentos.</li></ul>22<br />
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

A Sociedade Europeia nos séculos IX a XII

111,560

Published on

A Sociedade Europeia nos séculos IX a XII

Published in: Education, Business
3 Comments
27 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
111,560
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
43
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
3
Likes
27
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "A Sociedade Europeia nos séculos IX a XII"

  1. 1. Escola <br />Trabalho elaborado por:<br />Beatriz Nº5 <br />Cláudio Nº9<br />Daniel Nº 10<br />Inês Nº14<br />JéssicaNº15<br />1<br />A sociedade europeia nos séculos IX a XII<br />7º <br />Ano lectivo: 2008/09<br />
  2. 2. Disciplina: HistóriaProfessor: Jorge GrandãoTema: A sociedade europeia nos séculos IX a XIIDia de entrega:15/06/09<br />2<br />
  3. 3. Introdução<br /> Este trabalho foi-nos pedido pelo nosso professor de História.Achamos que deveríamos fazer sobre a Sociedade Europeia nos séculos IX a XII. No decurso deste trabalho vamos falar por exemplo como se dividia a sociedade na Idade Média, quais eram os deveres do Clero, da Nobreza e do Povo. Contudo achamos interessante falarmos um pouco sobre as relações feudo - vassálicas e os domínios senhoriais que vamos passar a apresentar.<br />3<br />
  4. 4. A sociedade europeia nos séculos IX a XII<br />4<br />
  5. 5. 5<br />Rei<br />Nobreza/ Clero<br />Povo<br />A sociedade senhorial<br />As sucessivas invasões de Muçulmanos, Húngaros e Vikings provocaram um clima de medo e insegurança, tinha como consequência que o povo (artesãos e camponeses) fosse procurar protecção junto dos senhores , reduzindo o comércio predominando assim uma economia de subsistência .<br />Os senhores davam protecção em troco de uma parte dos seus produtos ou das suas colheitas.<br />
  6. 6. 6<br />Uma sociedade ruralizada e tripartida<br />A sociedade era basicamente constituída por três ordens (era uma sociedade tripartida). Eram elas:<br />- O Clero (tinha como principal função rezar);<br />- A Nobreza (tinha a função de lutar e proteger a população);<br />
  7. 7. 7<br />- O Povo (tinha a função de trabalhar e sustentar os grupos sociais privilegiados, em troca de protecção contra povos inimigos).<br />A maioria da população não tinha privilégios, ou seja, pertencia a um grupo social não privilelegiado (povo). A Nobreza e o Clero eram os grupos sociais privilegiados, encontrando-se em clara minoria. <br />Ver esquema no diapositivo seguinte<br />
  8. 8. Rei<br />Grupo <br />privilegiado<br />Nobreza<br />Clero<br />Gruponão<br />privilegiado<br />Povo<br />8<br />
  9. 9. 9<br />A importância do clero<br />Clero<br />Alto<br />Baixo<br />Bispos<br />Abades<br />Monges<br />Sacerdotes<br /><ul><li> Era um grupo privilegiado;
  10. 10. Celebravam importantes cerimónias religiosas;
  11. 11. Ensinavam os futuros religiosos;
  12. 12. Cópia de manuscritos ;
  13. 13. Assistência aos doentes, pobres e mendigos. </li></li></ul><li>10<br />Membros do clero a copiar manuscritos ou livros sagrados<br />Assistência a mendigos<br />Assistência a doentes<br />Ensino dos futuros religiosos<br />Membros do clero a trabalhar nos campos agrícolas<br />
  14. 14. 11<br /> Os reis, nobres e mesmo o povo faziam-lhe doações de terras e de bens para salvação da alma na esperança de obter um lugar junto de Deus.<br /> Isto contribui para aumentar o prestígio ou seja alguns membros do Clero ganharam uma imensa riqueza bem como frequentes situações de indisciplina de alguns religiosos que levou ao aparecimento de um movimento reformista que defendia o regresso à humildade. <br />Deste movimento surgiram as ordens de Cister e Cluny.<br />Exemplo de um mosteiro da época<br />
  15. 15. 12<br />A aristrocraciaguerreira<br />Na primeira metade da Idade Média o reino não tinha exército fixo por isso quando se iniciava uma guerra o rei chamava os grandes senhores.<br />Os cavaleiros-vilãos eram elementos do povo com pouco dinheiro logo não tinham capacidades para ter um cavalo para ir à guerra, no entanto os mais importantes cavaleiros provinham da nobreza.<br />Os mais ricos podiam ter armamento para a guerra e cavalos amestrados.<br />Cena de guerra<br />
  16. 16. 13<br />Um cavaleiro era preparado a partir dos 7 até aos 18 anos junto a um nobre que não era da família .<br />O cavaleiro era armado numa cerimónia de solenidade onde jurava estar ao serviço do rei, da religião, das mulheres, dos órfãos e dos oprimidos.<br />Jurava obedecer aos seus senhores, não faltar à palavra dada e não proferir mentiras ou calúnias.<br />Torneios de preparação de um futuro cavaleiro<br />Cavaleiro armado<br />
  17. 17. 14<br />Justa<br />Cena de caça<br />
  18. 18. 15<br />
  19. 19. Deveres do jovem <br />Não proferir mentiras nem calúnias <br />Obedecer aos seus senhores <br />Não faltar à palavra dada<br />Actividades de preparação para a guerra<br />Torneios <br />Caçadas <br />Justas <br />16<br />
  20. 20. 17<br />Nobreza<br /> Podemos concluir que este grupo social era privilegiado e dedicava-se:<br /><ul><li> À guerra ;
  21. 21. E treinava-se em justas, torneios e caçadas pois possuía tempo devido à mão-de-obra escrava. </li></li></ul><li>18<br />O poder dos grandessenhores<br />Com o enfraquecimento do poder do rei levou a doações de grandes domínios aos senhores atribuindo assim grandes poderes.<br />Formou-se assim uma aristocracia guerreira que, através do poder transmitido pela força das armas, dominava, também, os poderes político e económico.<br />Os grandes nobres passaram a ter os seguintes poderes:<br /><ul><li>Poder militar - podiam possuir exército próprio;
  22. 22. Poder judicial - podiam aplicar a justiça incluindo em muitas regiões, o corte de membros;
  23. 23. Poder fiscal - cobravam impostos às populações que trabalhavam nas suas propriedades.</li></li></ul><li>A exploração do domínio senhorial<br />A maior parte da população medieval era constituída por camponeses que viviam nos domínios senhoriais. Estes, pertenciam ao clero e à nobreza e dividiam-se, normalmente, em duas partes: a reserva e o manso.<br /><ul><li>a reserva - era explorada directamente pelo senhor. Aqui encontravam as terras mais férteis, a casa do senhor, a igreja, o moinho, o forno, o lagar e os celeiros que eram usados ou trabalhados pelos colonos ou vilãos (camponeses) e os servos (camponeses não livres);</li></ul>Residência do clero<br />19<br />Residência do rei ou de um nobre <br />
  24. 24. 20<br /><ul><li>os mansos - eram arrendados pelos camponeses que os exploravam para assegurar a sua subsistência. Os camponeses pagavam muitos impostos aos senhores, não só em dinheiro, mas também em dias de trabalho ou produtos agrícolas. Pagavam ainda as banalidades quando utilizavam o forno ou o lagar.</li></ul>Camponeses a trabalhar<br />
  25. 25. Exemplo de um domínio senhorial<br />1- Castelo do senhor<br />2- Torreão feudal<br />3- Reserva <br />4- Moinho<br />5- Floresta<br />6- Aldeia<br />7- Terras arrendavas ou mansos<br />8- Terras baldias<br />9- Áreas de arrendamento<br />21<br />
  26. 26. A dependência dos Camponeses<br />Na Idade Média, quase toda a população era constituída por camponeses. Havia uma economia de subsistência, em que a agricultura era a principal actividade económica. <br />O povo tinha a função de trabalhar para alimentar e suster os grupos sociais privilegiados, em troca de protecção.Para além disso, cumpriam as seguintes obrigações:<br /><ul><li>Pagar uma renda - em dinheiro ou em produtos agrícolas;
  27. 27. Jeiras ou corveias - Dias de trabalho gratuito na reserva;
  28. 28. Banalidades - Utilização obrigatória do forno, moinho ou lagar do senhor;
  29. 29. Aposentaria - Alojar e alimentar o senhor quando viajava;
  30. 30. Hoste - Ajudar o exército no transporte de armas e mantimentos.</li></ul>22<br />
  31. 31. 23<br />Exemplo de jeiras ou corveiras<br />Exemplo de banalidades<br />Todas estas obrigações podiam levar à miséria das famílias, especialmente quando ocorriam maus anos agrícolas e as colheitas eram fracas.<br />
  32. 32. As relações feudo-vassálicas<br />A partir do finais do século IX a maior parte da Europa, passou a criar laços de dependência que incluíam direitos e obrigações - eram as relações de vassalagem em que existia um mais poderoso o Suserano e o que se colocava sob a sua protecção era o vassalo.<br />O rei era o Suserano dos suseranos, porém o vassalo poderia ter outros vassalos. <br />24<br />
  33. 33. O contrato de vassalagem<br />Era um acordo celebrado através de várias cerimónias :<br /><ul><li>a homenagem, o vassalo sem armas e de cabeça descoberta, ajoelhava-se e colocava as mãos juntas entre as do suserano, declarando querer servi-lo.</li></ul>25<br />
  34. 34. 26<br /><ul><li>o juramento de fidelidade, com as mãos sobre a Bíblia (ou relíquias de um Santo), o vassalo jurava fidelidade ao suserano e comprometia-se a prestar-lhe auxílio e conselho militar.
  35. 35. a investidura, o suserano entrega ao vassalo um objecto que representava o benefício ou feudo e garantir-lhe protecção para o futuro. </li></li></ul><li>27<br />Deveres do vassalo<br /><ul><li> Auxílio militar ou monetário
  36. 36. Fidelidade e conselho</li></ul>Deveres do suserano<br /><ul><li> Protecção
  37. 37. Concessão do feudo</li></li></ul><li>28<br />
  38. 38. Conclusão<br />Este trabalho foi muito interessante para nós, pois com ele aprendemos muitas coisas importantes sobre a Idade Média, como por exemplo os grupos em que estava dividida a sociedade senhorial, as suas regalias, os seus deveres e a que actividades se dedicavam. Sem esquecer a importância do clero nem a aristocracia guerreira vivida naquela época. Além disto também conseguimos saber mais coisas sobre o poder dos grandes senhores, como era explorado o domínio senhorial, e em que partes se dividia, e a dependência que os camponeses tinham com os grandes senhores. Por fim, começamos a compreender melhor as relações feudo-vassálicas e para que serviam e também tivemos oportunidade de assimilar mais conhecimentos sobre o contrato de vassalagem. Tudo isto contribuiu muito para aprofundar e aumentar a nossa cultura juvenil. Esperamos que tenham gostado, como nós o gostamos de o realizar.<br />29<br />
  39. 39. 30<br />Webgrafia/Bibliografia<br />OLIVEIRA, Ana, CANTANHEDE, Francisco, CATARINO, Isabel, TORRÃO, Paula, História 7, Texto Editores, Lisboa, 2006.<br />www.gooogle.com/imagens<br />http://3.bp.blogspot.com/_2IiVkD-ZqAc/Sb-D8euQ2FI/AAAAAAAAAeM/_RIBMKCs8Tk/s320/torneio+medieval.jpg<br />http://www.malhatlantica.pt/seculoXIII/mosteiro.jpg<br />http://www.dmm.im.ufrj.br/projeto/diversos/images/exp44.gif<br />http://lh5.ggpht.com/c.alberto.vaz/R_kqON0rDXI/AAAAAAAAAVU/Ib8AkCOmQos/saisons2_thumb%5B4%5D.jpg<br />http://4.bp.blogspot.com/_9k8RCJEOHm8/RlN6IRa5MpI/AAAAAAAAAe8/cXUwa0Oq6QI/s320/dom%C3%ADnio+senhorial.JPG<br />

×