• Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
482
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
24
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Instalação de Hardware Jorge Ávila Aula 9
  • 2. Barramento AGP • O AGP é menor que um encaixe PCI. • Existe variações na versão do AGP por isso há variações nos slots. • Essas diferenças ocorrem principalmente por causa das definições de alimentação elétrica existentes entre os dispositivos que utilizam cada versão
  • 3. Barramento AGP
  • 4. Barramento PCI- Express • Criado em 2004 e se destaca por substituir, ao mesmo tempo, os barramentos PCI e AGP. • Isso acontece porque o PCI Express está disponível em vários segmentos: 1x, 2x, 4x, 8x e 16x. • Quanto maior esse número, maior é a taxa de transferência de dados. • Essa divisão também reflete no tamanho dos slots PCI Express.
  • 5. Barramento PCI- Express • O PCI Express 16x, por exemplo, é capaz de trabalhar com taxa de transferência de cerca de 4 GB por segundo, característica que o faz ser utilizado por placas de vídeo, um dos dispositivos que mais geram dados em um computador. • O PCI Express 1x, mesmo sendo o mais "fraco", é capaz de alcançar uma taxa de transferência de cerca de 250 MB por segundo, um valor suficiente para boa parte dos dispositivos mais simples.
  • 6. Barramento PCI- Express • Com o lançamento do PCI Express 2.0, que aconteceu no início de 2007, as taxas de transferência da tecnologia praticamente dobraram.
  • 7. Placas de expansão • São placas de circuito projetadas para serem conectadas ao Barramento de Expansão do computador, e a sua função é de expandir/aumentar os recursos existentes no computador. • Os computadores com placas off-board vinham com vários barramentos para placas de expansão, atualmente a quantidade de barramentos diminuiu bastante devida existência da placas-mãe on-board que já vem com várias portas soldadas a placamãe.
  • 8. Placas de expansão • Mesmo em uma placa-mãe onboard, ainda é necessário ter placas de expansão. o Ex: quando uma porta on-board queima e é necessário a instalação de uma placa para suprir a deficiência, quando precisamos de mais performance em uma placa de vídeo, ou quando não vem de fabrica a porta on-board de que precisamos.
  • 9. Placas de expansão
  • 10. Exercício 1. O que é um barramento na computação e como eles estão divididos? 2. Como é medida a velocidade de um barramento? 3. Quais as características de um barramento ISA? 4. Explique porque o ISA foi substituído pelo barramento PCI? 5. Quais as principais características de um barramento PCI? 6. Como funciona o recurso Plug and Play? 7. Que tipo de placa encaixa nos barramentos ISA e PCI? 8. Que tipo de placa suporta o barramento AMR?
  • 11. Exercício 9. Por que foi criado o barramento AGP? 10. Quais as versões existentes do barramento AGP? Cite as principais diferenças de cada versão. 11. Quais as diferenças físicas entre as versões do barramento AGP? 12. Quais as diferenças físicas entre os barramentos AGP,ISA, PCI, e AMR? 13. Qual a necessidade de criação do barramento PCI-Express? 14. Que tipo de placa encaixa em um barramento PCI- Express? 15. Quais as principais diferenças entre os bararmentos AGP e PCI-Express? 16. Liste as versões existentes do barramento PCIExpress, citando suas principais características.
  • 12. Disco Rígido – HD • O disco rígido - ou HD (Hard Disk) - é o dispositivo de armazenamento permanente de dados mais utilizado nos computadores. • Nele, são armazenados desde os seus arquivos pessoais até informações utilizadas exclusivamente pelo sistema operacional.
  • 13. Disco Rígido – HD • Um dos primeiros Hds que se tem noticia é o IBM 305 Ramac, criado no ano de 1956, armazenava até 5MB de dados, possuía dimensões de 14x8 polegadas e custava cerca de 30 mil dólares.
  • 14. Disco Rígido – HD • Em um HD os discos ficam guardados em uma caixa de metal. • Estas caixas são seladas para evitar a entrada de material externo, pois até uma partícula de poeira pode danificar os discos, pois estes são bastante sensíveis. • Existem hds de 3,5 polegadas usados em desktops e servidores, hds com 2,5 polegadas usados em laptops e hds de 1,8 polegadas utilizados em players de áudio.
  • 15. Disco Rígido – HD
  • 16. Disco Rígido – HD • Placa lógica o A placa lógica fica na parte de baixo do HD, nela estão reunidos Vários componentes como chip controladores, que gerenciam a movimentação dos discos, das cabeças de leitura e gravação, o envio e recebimento de dados entre os discos e o computador.
  • 17. Disco Rígido – HD • Placa lógica o A placa lógica possui outro dispositivo chamado de buffer (ou cache), que é um pequeno chip de memória que armazena pequena. Quantidades de dados durante a comunicação com o computador. o O seu uso agiliza o processo de transferência de informações. o Existem cachês de 2MB até 64MB.
  • 18. Disco Rígido – HD • Interior de um HD o Pratos e eixo: Os pratos são os discos onde os dados são armazenados. o Geralmente eles são feitos de alumínio recoberto por um material magnético e por uma camada de material protetor. o Quanto mais denso for o material magnético maior é a capacidade de armazenamento do disco. o Hds com maior capacidade contam com mais de um prato um sobre o outro.
  • 19. Disco Rígido – HD • Os hds existentes no mercado giram de 7200 RPM a 10000 RPM, obviamente que quanto maior a capacidade de rotações por minuto(RPM)melhor é o HD. • Cabeça e Braço: A cabeça (ou cabeçote) fica na ponta do braço, ela tem a função de ler e gravar os dados no disco. • A distancia da cabeça é extremamente pequena não chegando a encostar e a leitura e gravação é feita através de impulsos magnéticos.
  • 20. Disco Rígido – HD • A função do braço é a sustentação da cabeça por cima dos discos, normalmente possui um braço por cima e em baixo de cada disco. • Atuador: O atuador é responsável por mover o braço acima da superfície dos pratos e assim permitir que as cabeças façam seu trabalho. • No interior do atuador possui uma bobina que é induzida por imãs, isso faz com que os braços se movimentem.
  • 21. Disco Rígido – HD
  • 22. Disco Rígido – HD • Ordenação dos dados o O disco de um HD é dividido em cilindro, trilhas e setores. • Trilhas: São círculos que começam no centro do disco e vão até a sua borda. Essas trilhas são numeradas da borda para o centro, ou seja a trilha que fica mais próxima da extremidade do disco é chamada de trilha 0, a trilha que vem em seguida é a trilha 1, e assim por diante.
  • 23. Disco Rígido – HD • Ordenação dos dados o Setores: os setores são as divisões das trilhas, cada setor possui uma capacidade determinada de armazenamento (geralmente 512 bytes). Cilindros: Cilindro é como é chamada a posição das cabeças sobre as mesmas trilhas de seus respectivos discos.
  • 24. Vídeo
  • 25. Disco Rígido – HD SSD • SSD (sigla do inglês solid-state drive) ou unidade de estado sólido é um tipo de dispositivo, sem partes móveis, para armazenamento não volátil de dados digitais. • São, tipicamente, construídos em torno de um circuito integrado semicondutor , responsável pelo armazenamento, diferindo dos sistemas magnéticos (como os HDs e fitas LTO) ou óticos (discos como CDs e DVDs).
  • 26. Disco Rígido – HD SSD • Alguns dos dispositivos mais importantes usam memória RAM, e há ainda os que usam memória flash (estilo cartão de memória SD de câmeras digitais).
  • 27. HD- Marcas de mercado
  • 28. Vídeo
  • 29. Interface IDE • Esse padrão de interface é muito utilizado, portanto todas as Placas-mães vem com dois conectores IDE (IDE 0 ou primário e IDE 1 ou secundário). • Cada uma das IDEs são capazes de conectar até dois dispositivos. • A conexão é feita por meio de um cabo flat de 40 vias. • Mais tarde foi lançado um outro modelo de cabo flat com 80 vias, cujo os fios extras servem para evitar a perca de dados causada por ruídos.
  • 30. Interface IDE
  • 31. Configuração de dispositivos IDE • Observe na figura ao lado que o dispositivo possui Um espaço para encaixe de uma pequena peça com o interior de metal chamada jumper. • É essa peça que possibilita que dois dispositivos sejam ligados ao mesmo cabo flat e possam funcionar sem conflitos.
  • 32. Configuração de dispositivos IDE • A posição do jumper varia conforme o fabricante, mais sempre existe uma posição para configurá-lo como primário ou secundário. • Com isso o computador consegue distinguir de onde vem os dados. • As informações sobre como devem ser feitas as configurações do jumper, geralmente estão na parte superior do HD.
  • 33. Configuração de dispositivos IDE • Normalmente existem três opções de configuração: Master(será reconhecido como primário), Slave(será reconhecido como secundário e Cable Select( que irá detectar como primário o dispositivo que esta ligado na ponta do cado e como secundário o dispositivo do meio do cabo). 1. Master 2. Slave (Default Setting) 3. Cable select
  • 34. Interface SATA • A interface SATA tornou-se padrão no mercado atual, já que possui várias vantagens com relação ao padrão IDE. • Dentre elas podemos citar: o Maiores taxas de transmissão de dados; o Dispensa o uso de jumpers; o Cabo de conexão e alimentação mais finos (isso facilita a circulação de ar dentro do gabinete).
  • 35. Interface SATA • Em um cabo SATA não é possível ligar mais de um dispositivo, mas as placas-mães atuais possuem normalmente vários conectores para esse tipo de cabo.
  • 36. Interface SATA • Com relação a transferência de dados o padrão SATA pode alcançar taxas de acordo com o seu tipo: • Cabo de alimentação Cabo de transferência de dados o SATA I: até 150MB/s; o SATA II: até 300MB/s; o SATA III: até 600MB/s;
  • 37. IDE x SATA
  • 38. Capacidade real de armazenamento • Normalmente quando você compra um HD, nunca o tamanho real de armazenamento é igual ao tamanho do HD informado pelo fabricante. Isso acontece porque os HDs consideram 1 gigabyte como sendo igual a 1000 megabytes, da mesma forma que 1 megabyte é igual a 1000 kilobytes e assim por diante.
  • 39. Capacidade real de armazenamento • Já os sistemas operacionais consideram 1 gigabyte como sendo igual a 1024 megabytes e assim segue. Por conta desta diferença, um HD de 80 GB, vai ter na verdade 74,53 GB de capacidade no sistema operacional.
  • 40. HDs externos • Um HD externo é um dispositivo que você pode levar para qualquer lugar e conectar somente quando houver necessidade. • Normalmente seu encaixe se da pela porta USB.
  • 41. HDs externos • Existem também dispositivos chamados de cases que possibilita ao usuário a adaptação do seu HD convencional como um HD externo. • O usuário precisa apenas adquirir um case compatível com o seu HD.
  • 42. storage
  • 43. Drive de Cd-Rom • Normalmente os drives de cd-roms, devem ser conectados a interface IDE da placa-mãe. • Portanto devem ser configurados com jumpers(Master ou Slave) assim como os hds. Normalmente, o HD que tem o sistema operacional fica localizado como Master e o Cd-Rom como Slave.
  • 44. Velocidade do CD-ROM • Por padrão, quanto maior a velocidade de rotação do disco, maior é a taxa de transferência de dados. • A tabela abaixo mostra a velocidade e a taxa de transferência utilizadas pelos cd-roms.
  • 45. Drives de disquetes • Apesar dos drives de disquetes serem baseados nos mesmos princípios dos HDs, eles são muito mais simples, já que trabalham com densidades e taxas de leitura muito mais baixas. • De certa forma, os drives de disquetes lembram um pouco os HDs de 5 a 10 MB usados no início da década de 80, com seus motores de passo e mídias pouco confiáveis.
  • 46. Drives de disquetes • A mídia magnética de um disquete é composta de óxido de ferro, basicamente ferrugem. • O mesmo utilizado nas antigas fitas K-7. • Assim como nos discos rígidos, os disquetes são divididos em trilhas e setores. • A diferença é que, enquanto um disco rígido atual possui mais de 100.000 trilhas, um disquete de 1.44 MB possui apenas 80 trilhas. • O número de setores também é muito menor, apenas 18 setores por trilha num disquete de 1.44, muito longe dos 1200 ou 1500 setores por trilha dos HDs.
  • 47. Drives de disquetes
  • 48. Exercícios de fixação 1. Qual a função dos discos rígidos? 2. O que é a placa lógica de um HD? 3. Como é composto o interior de um HD? Explique cada um dos componentes. 4. 4. Explique cada uma das divisões do disco do HD. a) b) c) Trilhas Setores Cilindros 5. Explique com suas palavras as características do padrão de interface IDE. 6. Porque é necessário realizar a configuração de dispositivos IDE. Explique como é feita essa configuração. 7. O que é um jumper?
  • 49. Exercícios de fixação 8. Explique cada um dos três tipos de configuração: a) Master b) Slave c) Cable Select 9. Quais as características do padrão interface SATA. 10. Por que ocorre diferença entre a capacidade real de armazenamento e a capacidade que visualizamos de um HD. 11. Quais os benefícios de utilizar um HD externo? 12. Como é medida a velocidade dos CDs-Roms? 13. Quais as características de um drive de disquete? 14. Quais as diferenças na instalação de um HD e um drive de disquete.
  • 50. jorgeavila11.wordpress.com