Boletim Informativo                                                     04/2012                                           ...
EDITORIALVamos cuidar do Brasil com as Escolas Sustentáveis?O Plano Nacional de Mudança do Clima de 2010 trouxe uma import...
A Rede Brasileira de Educação Ambiental - REBEAA REBEA nasceu da vontade de manter viva a articulação nacional doseducador...
ObjetivosDifundir e implantar o Tratado de Educação Ambiental para SociedadesSustentáveis e Responsabilidade Global. Difun...
CARTA DA PRAIA VERMELHAO VI Fórum Brasileiro de Educação Ambiental, realizado no Campus da PraiaVermelha da Universidade F...
Exigimos do poder público em todas as esferas:• A manutenção e fortalecimento dos espaços já instituídos na condução dasPo...
Linha Do Tempo de Encontros- Encontro durante o IV Fórum ( Guarapari,1997)- Encontro “Cultura de Redes e Educação Ambienta...
Centro-Oeste28. Rede Mato-Grossense de Educação Ambiental – REMTEA29. Rede de Educação e Informação Ambiental de Goiás – R...
REDES INTERNACIONAIS61. Rede Lusófona de Educação Ambiental – REDELUSO62. Rede Amazônica de Educação Ambiental – REDE AMAZ...
REAGIA partir do I Encontro Metropolitano de Educação Ambiental Martim-pescador,realizado pelo Instituto Martim Pescador, ...
Rede de Educação Ambiental de Porto AlegreA rede mais estruturada começou em 2000 e teve como marcos principais olançament...
Saiba mais sobre redes:     Tese de Celso Sanchéz - OS NÓS, O LAÇO E A REDE: considerações sobre a    institucionalização ...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Boletim Maricá Setembro

351

Published on

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
351
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
5
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Boletim Maricá Setembro

  1. 1. Boletim Informativo 04/2012 SETEMBRO 2012Leia nesta edição- Conferência Infanto-juvenil peloMeio Ambiente- Redes de Educação AmbientalGrupo MaricáEntidade Ambientalista de ViamãoBlog: www.vhecologia.blogspot.comContato: grupomarica@gmail.com 1 Boletim informativo 4 – grupomarica@gmail.com
  2. 2. EDITORIALVamos cuidar do Brasil com as Escolas Sustentáveis?O Plano Nacional de Mudança do Clima de 2010 trouxe uma importantecontribuição ao conceito de espaço educador sustentável, destacando que para teresta condição, os ambientes escolares, em qualquer modalidade de ensino,precisariam orientar currículo, espaço físico e gestão a partir de umaintencionalidade pedagógica cuja finalidade seja constituir-se referência sustentabilidade socioambiental. É com esta dimensão, que está sendo deflagrado no país a quarta Conferência Infanto-juvenil do Meio Ambiente (CIJMA), com o tema “Vamos cuidar do Brasil com as escolas sustentáveis”. Conforme o Decreto Federal n.º 7.083/2010 (Programa Mais Educação), em seu artigo 2 estabelece “Incentivo à criação de espaços educadores sustentáveis com a readequação dos prédios escolares, incluindo aacessibilidade, a gestão, a formação de professores e a inserção das temáticas desustentabilidade ambiental nos currículos e no desenvolvimento de materiaisdidáticos”. A CIJMA traz desta forma, a dimensão política da questão ambientalpara os debates realizados nas escolas e comunidades, na construção coletiva deconhecimento e no empenho nas resoluções de problemas socioambientais,respeitando e valorizando a opinião e protagonismo dos adolescentes e jovens.A promoção é do Ministério da Educação com coordenação executiva daSecretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão(SECADI/MEC), com parceria do Ministério do Meio Ambiente, por meio daSecretaria de Articulação Institucional e Cidadania Ambiental (SAIC-MMA). No RioGrande do Sul, a Secretaria Estadual de Educação, através da Assessoria deEducação Ambiental está iniciando o processo de organização da ComissãoOrganizadora Estadual (COE).No segundo semestre deste ano, estará chegando os materiais nas escolas, queterão até final de abril de 2013 para fazerem suas etapas, que são obrigatórias,assim como a Estadual, que deve ocorrer até julho e a nacional, ocorre em outubro.Poderão ocorrer, opcionalmente, conferências municipais ou regionais. Nossoestado terá direito a 27 vagas para delegados, sendo que ocorrerão vagasespecíficas para indígenas, quilombolas, assentamento rural e pessoa comdeficiência, esta última, uma especificidade do Rio Grande do Sul! 2Boletim informativo 4 – grupomarica@gmail.com
  3. 3. A Rede Brasileira de Educação Ambiental - REBEAA REBEA nasceu da vontade de manter viva a articulação nacional doseducadores ambientais brasileiros. Criada em 1992, na atmosfera de grandemobilização que antecedia a Rio-92, adotou como carta de princípios o Tratado deEducação Ambiental para Sociedades Sustentáveis e Responsabilidade Global ecomo padrão organizacional a estrutura horizontal em rede. Nos últimos seis anos,esta rede experimentou um processo de expansão e fortalecimento de suasarticulações no país inteiro, tendo se transformado numa rede de redes deEducação Ambiental.Existem hoje por todo o Brasil cerca de 60 redes de Educação Ambiental, dentreelas redes estaduais, municipais, regionais e temáticas, e a REBEA atua comoinstância de articulação e estímulo à atuação de todos estes coletivos. Aabrangência de suas ações de articulação vem se ampliando no crescenteintercâmbio com coletivos de educadores ambientais de todo o mundo, e naconsolidação de redes internacionais como a Rede Amazônica de EducaçãoAmbiental e a Rede Lusófona de Educação Ambiental.Missão e Objetivos da Rede Brasileira de Educação AmbientalMissãoPromover um amplo debate sobre os caminhos da educação ambiental no Brasil,apontando prioridades, métodos, técnicas, público alvo e estratégias defortalecimento da atuação dos educadores ambientais. 3Boletim informativo 4 – grupomarica@gmail.com
  4. 4. ObjetivosDifundir e implantar o Tratado de Educação Ambiental para SociedadesSustentáveis e Responsabilidade Global. Difundir e experiênciar a culturaorganizacional de rede. Propiciar a difusão de informações relacionadas aostemas presentes no exercício da Educação Ambiental. Potencializar estratégiasde atuação conjunta que apontem para uma maior definição do campo deatuação da EA. Contribuir para o fortalecimento da atuação dos educadores eeducadoras ambientais no país, através do incentivo e apoio à comunicação e àtroca de informações. Mapear iniciativas de EA, identificando métodos etécnicas bem sucedidas. Identificar os principais setores (por área temáticae/ou geográfica) fomentando o surgimento de redes temáticas/geográficasque funcionariam articuladas a REBEA, dando corpo a ela. Contribuir para umamaior visibilidade e socialização de projetos e experiências da área de EducaçãoAmbiental. Promover os Fóruns de Educação Ambiental em nível nacional,descentralizando ações e propiciando o exercício presencial da Rede. Avaliare propor políticas públicas relacionadas à Educação Ambiental. Apoiar aimplantação da Política Nacional de Educação Ambiental.Acordo de Convivência - REBEADo ponto de vista da gestão da rede e do convívio de seus integrantes sãonossas regras de convivência:Uso permanente de diálogo respeitoso, evitando a agressividade nas discussões enos atos.O respeito ao sigilo e privacidade das instâncias deliberativas da Rebea (lista dafacilitação nacional e reuniões da facilitação).Respeito às decisões específicas de cada rede, no que se refere a um determinadoassunto e ações, efetivando o princípio da autonomia.Consulta às redes membros da REBEA quando da tomada de decisões quevenham a atingi-las, aprimorando a horizontalização e a democracia interna eevitando-se a verticalidade no processo de gestão e decisão.Respeito à diversidade dos integrantes, considerando o caráter multi-setorial daRebea, evitando-se atitudes excludentes e preconceituosas.Permanente busca do envolvimento dos participantes da Rede nos planejamentos,eventos, representações, colocando em prática os princípios de multiliderança einterdependência.O compromisso de compartilhamento de informações, conhecimentos,experiências, colocando em prática o princípio da conectividade.Inclusão na agenda da rede membro dos temas definidos para uma agenda deação comum da REBEA:apoio à implantação da Política Nacional de Educação Ambiental, mobilização paraa destinação de recursos públicos para a Educação Ambiental, participação e apoioaos movimentos pela inclusão digital; participação nos movimentos por umaEducação com qualidade, educação para o consumo sustentável.Evitar o uso de elementos que caracterizam a REBEA (marca, textos etc), a nãoser em eventos e ações em que a rede efetivamente participe.Evitar que os interesses pessoais ou institucionais se sobreponham ao interessecoletivo da Rebea. 4Boletim informativo 4 – grupomarica@gmail.com
  5. 5. CARTA DA PRAIA VERMELHAO VI Fórum Brasileiro de Educação Ambiental, realizado no Campus da PraiaVermelha da Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ, entre os dias 22,23, 24 e 25 e Julho de 2009, promovido pela Rede Brasileira de EducaçãoAmbiental – REBEA – vem a público apresentar as deliberações da plenária:Reconhecendo que os educadores ambientais em suas bases territoriais, coletivose redes, mesmo em um cenário de desmonte das ações do Órgão Gestor daPolítica Nacional de Educação Ambiental - PNEA, os ataques e retrocessos dalegislação ambiental no país, se mantêm atentos e atuantes para a construção deprocessos e espaços educadores sustentáveis, exercício da cidadania ambiental ea defesa da Vida;Reconhecendo que a REBEA se percebe plural, tendo avançado na afirmação desua complexidade e da necessidade de fortalecer sua identidade e aprimorar suasinstâncias de organização no sentido de seu fortalecimento;Reconhecendo que a ação de cada educador e coletivo deve ser favorecida pelavivência de valores solidários no âmbito das redes, coletivos e outras formas deorganização social;Reconhecendo, portanto, que a REBEA se mobilizou, de forma participativa econjuntamente com outros coletivos e redes, para a Construção do VI FórumBrasileiro de Educação Ambiental;Nós, educadores e educadoras ambientais presentes no VI Fórum,consideramos:1. A necessidade de enfrentamento da crise ambiental de caráter planetário,representada no momento pela vulnerabilidade a que estamos expostos pelosefeitos das mudanças climáticas;2. Que todos os povos sofrem as consequências da crise ambiental, principalmenteos povos que historicamente são excluídos, como as minorias nacionais, povosindígenas, entre outros;3. A consciência da co-responsabilidade frente aos desafios que a crise ambientalcoloca a todos nós;4. O momento complexo que vive a educação ambiental brasileira com reflexos emtodos os seus espaços;5. O individualismo e a competição como valores que regem as relações atuais nasociedade de consumo e no mercado de trabalho;6. A fragilização das competências e ações do Órgão Gestor da PNEA;7. A importância do conhecimento a respeito dos princípios da cultura de redes e anecessidade dos educadores em reconhecer-se enquanto pertencentes a uma redede redes sociais;8. A necessidade de promover o encontro e a conexão de todas as formas decoletivos que atuam em EA (Redes, Coletivos Jovens pelo Meio Ambiente,Coletivos Educadores, Salas Verdes, Centros de Educação Ambiental, ComissõesInterinstitucionais de Educação Ambiental, Comissões de Meio Ambiente eQualidade de Vida – COMVIDAS, etc.), integrando-os e reunindo-os em torno deum objetivo comum: os princípios e valores da Educação Ambiental enunciados noTratado de Educação Ambiental para Sociedades Sustentáveis e ResponsabilidadeGlobal e na Carta da Terra; 5Boletim informativo 4 – grupomarica@gmail.com
  6. 6. Exigimos do poder público em todas as esferas:• A manutenção e fortalecimento dos espaços já instituídos na condução dasPolíticas Públicas de Educação Ambiental no país, tais como o Órgão Gestor daPolítica Nacional de EA – PNEA, seu Comitê Assessor e Câmara Técnica de EA doCONAMA;• A imediata reinstitucionalização da Coordenação Geral de Educação Ambientaldo IBAMA e dos Núcleos de Educação Ambiental - NEAs nas suas GerênciasExecutivas e Superintendências, a criação de estrutura análoga no Instituto ChicoMendes de Conservação da Biodiversidade e respectivas CoordenaçõesRegionais, assim como a institucionalização da educação ambiental no ServiçoFlorestal Brasileiro e Agência Nacional de Águas;• O fortalecimento da Política Nacional de Educação Ambiental; do ProgramaNacional de Educação Ambiental (ProNEA), Sistema Brasileiro de Informação emEducação Ambiental (SIBEA), bem como a retomada da discussão da consultapública do Sistema Nacional de Educação Ambiental (SISNEA);• O incentivo e a difusão da cultura de redes;• A continuidade da mobilização em torno da Jornada Internacional do Tratado deEducação Ambiental para as Sociedades Sustentáveis e ResponsabilidadeGlobal,reiterando-o como Carta de Princípios das Redes e discutindo sua inserçãonos diferentes campos / documentos referentes às políticas públicas em EA;• O cumprimento do princípio n. 14 do Tratado de Educação Ambiental paraSociedades Sustentáveis e Responsabilidade Global, no que diz respeito ao papele responsabilidade dos meios de comunicação em divulgar e socializar a EducaçãoAmbiental junto a todas as instâncias de organização da sociedade;• A promoção do diálogo entre a EA e a diversidade, garantindo espaços departicipação e decisão efetivas às pessoas com deficiência, comunidadestradicionais, indígenas, quilombolas, pequenos agricultores e outros atores emcondições sociais vulneráveis;• O desenvolvimento de ações de interação com os movimentos sociais, deEducação Ambiental e de meio ambiente dos diversos países, retomando oscontatos com os pontos focais da comunidade lusófona de EA;• O reconhecimento do papel dos jovens como sujeitos históricos na construção deuma Educação Ambiental crítica e transformadora, fortalecendo e fomentando oPrograma Nacional de Juventude e Meio Ambiente, por meio do apoio às açõesdas juventudes brasileiras;• A transversalização da PNEA de forma articulada nos programas, projetos eações dos diferentes ministérios do Governo Federal, com garantia de recursosfinanceiros (no PPA) e humanos, sob coordenação do Órgão Gestor da PNEA eRedes e Coletivos de EA;• A inserção da Educação Ambiental nos espaços decisórios e controle sociallevando-se em consideração as deliberações das Conferências Nacionais de MeioAmbiente e Infanto-Juvenil;• A revisão das relações e parcerias das redes de EA com os governos naformulação, implementação e controle social sobre as políticas públicas e açõesestruturantes do Estado referentes à Educação Ambiental no país;• A garantia dos direitos políticos, sociais, econômicos, ambientais e culturais dascomunidades de baixa renda visando a promoção de ambientes saudáveis esustentáveis nessas comunidades. 6Boletim informativo 4 – grupomarica@gmail.com
  7. 7. Linha Do Tempo de Encontros- Encontro durante o IV Fórum ( Guarapari,1997)- Encontro “Cultura de Redes e Educação Ambiental” (2000)- Reunião da Facilitação Nacional (2003)- Encontro 2005- Encontro durante o V Fórum ( Goiânia,2004)- Encontro 2008 ( Brasília)- Encontro durante o VI Fórum ( Rio de Janeiro,2009)- Encontro durante o VII Fórum ( 2011)- Encontro durante a Cúpula dos Povos ( 2012)REDES DA MALHA DA REBEA - ListagemREDES TERRITORIAIS (Regionais e Locais)Sudeste1. Rede de Educação Ambiental do Rio de Janeiro – REARJ2. Rede Capixaba de Educação Ambiental – RECEA3. Rede de Educação Ambiental de São Carlos – REA-SC4. Rede Mineira de Educação Ambiental – RMEA5. Rede Paulista de Educação Ambiental – REPEA6. Rede de Educação Ambiental da Bacia do Rio São João – REAJO7. Rede de Educação Ambiental da Região dos Lagos – REA-LAGOS8. Rede de Educadores Ambientais da Baixada Fluminense (RJ)9. Rede de Educadores Ambientais da Baixada de Jacarepaguá (RJ)10. Rede Estrada Parque – Barbacena (MG)11. Rede de Educadores Ambientais de Niterói e Leste da Baia de Guanabara(RJ)12. Rede de Educação Ambiental de Rio das Ostras (RJ)13. Rede de Educadores Ambientais do Médio Paraíba do Sul (RJ)14. Rede de Educação Ambiental do Litoral Norte (SP)15. Rede de Educação Ambiental de Ribeirão Preto – Rede Proseando (SP)16. Rede de Educação Ambiental da Baixada Santista (SP)17. Rede 500 Caipiras18. Rede de Educação Ambiental da Serra dos Órgãos (RJ)Nordeste19. Rede Baiana de Educação Ambiental – REABA20. Rede de Educação Ambiental da Paraíba – REAPB21. Rede de Educação Ambiental de Pernambuco – REAPE22. Rede de Educação Ambiental de Sergipe – REASE23. Rede Alagoana de Educação Ambiental – REAL24. Rede de Educação Ambiental do Rio Grande do Norte – REARN25. Rede de Educação Ambiental do Maranhão – REAMA26. Rede Nordestina de Educação Ambiental27. Rede Cearense de EA 7Boletim informativo 4 – grupomarica@gmail.com
  8. 8. Centro-Oeste28. Rede Mato-Grossense de Educação Ambiental – REMTEA29. Rede de Educação e Informação Ambiental de Goiás – REIA-GO30. Rede Pantanal de Educação Ambiental – AGUAPÉ31. Rede de Educação Ambiental do Distrito Federal32. Rede de Educação Ambiental do Cerrado – REA Cerrado33. Rede de Educação Ambiental de Mato Grosso do Sul – REAMS34. Rede de Educação do Distrito FederalNorte35. Rede de Educação Ambiental do Estado do Pará – REDEPAEA36. Rede Acreana de Educação Ambiental – RAEA37. Rede Carajás de Educação Ambiental38. Rede de Educadores Ambientais da BR 222 (PARÁ E MARANHÃO)39. Rede de Educação Ambiental de Rondônia40. Rede Voluntária de Educação Ambiental ( Belém- PA)Sul41. Rede Educação Ambiental da Bacia do Itajaí – REABRI42. Rede Sul Brasileira de Educação Ambiental – REASUL43. Rede de Educação Ambiental Linha Ecológica / Bacia Hidrográfica do RioParaná III – Linha Ecológica44. Rede Paranaense de Educação Ambiental – REA-PR45. Rede Regional de Educação Ambiental da Bacia Hidrográfica do Rio dosSinos46. Rede de Educação Ambiental Gaúcha Integradora – REAGIREDES TEMÁTICAS47. Rede da Juventude pelo Meio Ambiente e Sustentabilidade – REJUMA48. Rede Universitária de Programas de Educação Ambiental para SociedadesSustentáveis – RUPEA49. REDE DO LAGO (Rede de diálogos entre facilitadores de várias redesestaduais/territoriais)50. Rede de Educação Ambiental Escolar IIDEA (RJ)51. REDE ESCOLA (MT)52. Rede Escolas Sustentáveis53. Rede ECOSURFI54. Rede de Centros de Educação Ambiental – REDE CEAS55. REBECA56. REDE GEAI57. Rede de Educação Ambiental do Ensino Superior do Espírito Santo – TeiaUniversitária58. Rede Universitária de Educação e Meio Ambiente de Brasília – RUEMA59. REACOMAR60. Rede Olhares da Juventude61. Rede Amazonense de Educação Ambiental - RAEA 8Boletim informativo 4 – grupomarica@gmail.com
  9. 9. REDES INTERNACIONAIS61. Rede Lusófona de Educação Ambiental – REDELUSO62. Rede Amazônica de Educação Ambiental – REDE AMAZÔNICA63. Rede Latino-Americana de Educação Ambiental – EALatinaANAIS DOS FÓRUNS BRASILEIROS DE EAV FÓRUM (2004, GOIÂNIA)]http://pt.scribd.com/doc/4959673/Revista-Brasileira-de-Educacao-Ambiental-n01VI FÓRUM (2009, RIO DE JANEIRO)http://forumearebea.org/wp-content/uploads/Livro-VI-F%C3%B3rum-vers%C3%A3o-final.pdfVI FÓRUM (2012- SALVADOR)http://viiforumeducacaoambiental.org.br/forum/REASulA Rede Sul Brasileira de Educação Ambiental (REASul) foi criada em abril de2002, e fortaleceu-se com a aprovação do Projeto Tecendo Redes de EducaçãoAmbiental na Região Sul financiado pelo Ministério do Meio Ambiente – MMA, pormeio do Fundo Nacional do Meio Ambiente – FNMA. O projeto foi desenvolvido por5 instituições gestoras: Duas universidades (UNIVALI - Itajaí - SC - e FURG - RioGrande - RS), 2 unidades do IBAMA (NEA-Florianópolis e CEPSUL - Itajaí) e umaOSCIP (MATER NATURA - Instituto de Estudos Ambientais - Curitiba - PR)A REASul é uma rede social resultante da articulação coletiva de pessoas einstituições com objetivos compartilhados que conectam presencial e virtualmenteeducadores, pesquisadores, gestores de políticas públicas, técnicos e participantesde ONGs, OSCIPs e movimentos sociais. Como um dos elos da REBEA - RedeBrasileira de EA busca também a formação, ampliação e fortalecimento deinstituições-elo e de redes estaduais e redes temáticas, nos estados do Paraná,Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Desde sua criação, a gestão compartilhada eplanejamento participativo da rede é realizado pelas instituições-elo que formama Comissão de Gestão Participativa (CGP) da REASul, e pela SecretariaExecutiva da rede, instalada na Universidade do Vale do Itajaí - UNIVALI, junto aoPrograma de Mestrado em Educação, Grupo de Pesquisa Educação, EstudosAmbientais e Sociedade (GEEAS).Por meio de suas instituições-elo a REASul promove e apoia a realização deCursos, Oficinas de formação de facilitadores para redes, Atualização eAperfeiçoamento em EA e gerenciamento ambiental para docentes, gestores depolíticas públicas e participantes de ONGs e movimentos sociais. Também apoia erealiza de encontros, Seminários, dos Colóquios de Pesquisadores em EducaçãoAmbiental da Região Sul (CPEASul) e discussões em Grupos de Trabalho (GT), deforma presencial e através de listas eletrônicas e fóruns de discussão. 9Boletim informativo 4 – grupomarica@gmail.com
  10. 10. REAGIA partir do I Encontro Metropolitano de Educação Ambiental Martim-pescador,realizado pelo Instituto Martim Pescador, Projeto Apoema, Unisinos e Corsan, nosdias 27 à 29 de maio de 2008, em São Leopoldo/RS, percebeu-se a necessidadede articular ações conjuntas para a melhoria do meio ambiente na região, e doencontro foi criada a Rede de EA Gaúcha Integradora (REAGI). Este espaço foiaberto para membros da rede se comunicarem. As temáticas enviadas devem serde interesse de todos da rede e estar relacionada a ações de Educação Ambiental.Cada participante é responsável pelo conteúdo de suas mensagens. Considera-sea rede oficialmente criada no dia 06 de agosto de 2008, data da primeira reuniãopresencial da REAGI.GEAI Com o propósito de difundir maiores conhecimentos sobre Educação Ambiental e proporcionar a troca de experiências e informações, foi criada a rede do GEAI/Grupo de Educação Ambiental da Internet, vinculada ao PROJETO APOEMA - EDUCAÇÃO AMBIENTAL (antigo Projeto Vida) no dia 19 de março de 2000. Foi oficialmente inaugurada em 05.05.2000. Foi transferida para o servidor nacional Grupos, por motivos técnicos, em 13 de junho de 2001. Em 20 de setembro de 2002, volta para o servidor Yahoo por este disponibilizarmelhores recursos de proteção e recebimento de mensagens. As mensagens darede priorizam os seguintes temas: Educação Ambiental, eventos educacionais,notícias, artigos, textos, troca de idéias e experiências referentes à temáticaambiental, bem como textos de sensibilização, reflexão e notícias relevantes. Cadaparticipante é responsável pelo material que envia para a rede.Redes Locais de Educação AmbientalFórum Permanente de EA da 28ª CREEste Fórum constitui-se por educadores das escolas da 28ª Coordenadoria deEducação que trilham coletivamente a caminhada da Educação Ambiental. Objetivao debate, a reflexão e a partilha dos trabalhos realizados individual e coletivamente.Juntos, vamos descobrindo e redescobrindo, desconstruindo e construindo,evoluindo para uma relação de mais respeito e amor com a grande mãe terra. 10Boletim informativo 4 – grupomarica@gmail.com
  11. 11. Rede de Educação Ambiental de Porto AlegreA rede mais estruturada começou em 2000 e teve como marcos principais olançamento do Atlas Ambiental de Porto Alegre e a criação dos Laboratórios deInteligência do Ambiente Urbano (Liau). Hoje a rede tem um lugar na gestãomunicipal - que é o espaço das temáticas contemporâneas, da participação emdiscussões relativas ao Código Florestal e à Justiça Ambiental, muitas vezes emparceria com movimentos como o Xingu Vivo. Como referência de informaçãosobre temas a serem apropriados pelos educadores e estudantes, recomendou omapa da injustiça ambiental e da saúde no Brasil.O Grupo de Educadores Ambientais da Rede Municipal de Ensino de Porto Alegrereúne educadores/as de diferentes níveis e modalidades de ensino, bem como dediferentes áreas do conhecimento, com um objetivo em comum: Promover aEducação Ambiental através de projetos e ações em suas Escolas e comunidadesde forma a provocar mudanças significativas de comportamento que possamestabelecer melhorias na qualidade de vida de todos/as. Sempre na expectativa defortalecer e ampliar a rede de educadores/as que buscam a Sustentabilidade comoforma de co-evolução com nosso Planeta, respeitando e compreendendo cada vezmais nosso lugar nesta fantástica teia da vida a partir do lugar onde estamos.Neste diálogo vamos também promovendo a Gestão Ambiental de formacompartilhada com a comunidade, o bairro, a cidade, o estado, o país, o planeta.Entendendo na prática cotidiana a importância do agir local e pensar global, destaforma estamos todos/as interligados/as através de nossos fazeres na Escola e paraalém dela.Teia de Educação Ambiental Mata AtlânticaDesde sua idealização, o Projeto “Consolidação e Ampliação dos SistemasAgroflorestais na Região de Torres”, apoiado pelo PDA, previa a qualificação de umgrupo de 40 educadoras e educadores para inserir, de forma mais contínua esistemática, a educação ambiental nas escolas do litoral norte do Rio Grande doSul e sul de Santa Catarina.A realização de um curso teórico-prático sobre “Mata Atlântica e QuestõesSócioAmbientais”, iniciado em outubro de 2005, foi o ponto de partida para aconstrução de uma rede de formação e de relacionamentos que as professorasescolheram chamar de “Teia de Educação Ambiental Mata Atlântica”.Em três anos de atividades foram realizados dez módulos de formação, além deviagens técnicas, intercâmbios e participação em seminários e eventos. Tudo issosomou para que cinco das escolas que contam com educadoras na Teia pudessemdesenvolver projetos de educação ambiental integrados em todas as séries edisciplinas. Outras escolas ainda não aderiram a esse pensar e fazer em conjunto.Mas, mesmo assim, as professoras que participam da Teia planejaramindividualmente atividades para trabalhar as questões ecológicas. 11Boletim informativo 4 – grupomarica@gmail.com
  12. 12. Saiba mais sobre redes: Tese de Celso Sanchéz - OS NÓS, O LAÇO E A REDE: considerações sobre a institucionalização da Educação Ambiental no Brasil http://midiasocial.rebea.org.br/arquivos-da-rede/tag/arquivos-da-rede/la%C3%A7o Tese de Valeria Labrea - A “VANGUARDA QUE SE AUTO-ANULA” OU A ILUSÃO NECESSÁRIA: O SUJEITO ENREDADO - CARTOGRAFIA SUBJETIVA DA REDE BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL 2003-2008 http://midiasocial.rebea.org.br/arquivos-da-rede/item/cartografia-da-rebea- 20032008?category_id=3 Dissertação de Igor Velho - FÓRUNS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO BRASIL: algumas articulações no horizonte da Educação Ambiental http://www.4shared.com/office/s0Kv7XFD/Dissertao_Igor_Velho.html Dissertação Maria Cordeiro Matos - Panorama da Educação Ambiental Brasileira a partir do V Fórum Brasileiro de Educação Ambiental http://www.educacao.ufrj.br/ppge/dissertacoes/dissertacao_maria_cordeiro_de_fari as_gouveia_matos.pdf Estudo de Vivianne Amaral - Um experimento de avaliação da produção grupal na REBEA http://midiasocial.rebea.org.br/arquivos-da-rede/item/um-experimento-de-avaliacao- da-producao-grupal-na-rebea?category_id=3 Texto de Hedy Silva Ramos de Vasconcellos; Maria de Lourdes Spazziani; Antonio Fernando Silveira Guerra; João Batista de Albuquerque Figueiredo – Espaços educativos impulsionadores da educação ambiental http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0101-32622009000100003&script=sci_arttext Texto de Alexandre Pedrini e Celso Sanchéz : Educação ambiental e seus estrangeiros http://uerj.academia.edu/AlexandredeGusm%C3%A3oPedrini/Papers/638128/EDU CACAO_AMBIENTAL_E_SEUS_ESTRANGEIROS Texto de Vivianne Amaral : REBEA. Apontamentos pessoais para uma história de ação coletiva http://pt.scribd.com/doc/4959471/Revista-Brasileira-de-Educacao-Ambiental-n00 Livro Os Diferentres Matizes da Educação Ambiental no Brasil . 1997-2007 (com capítulos sobre a REBEA) http://pt.scribd.com/doc/78842726/LivroMATIZES-EABoletim Informativo do Grupo MaricáPublicação do Grupo Maricá, Organização Não-Governamental de ViamãoSugestões, críticas, opiniões: escreva para grupomarica@gmail.comEdição e Diagramação: Jorge Amaro de Souza Borges 12 Boletim informativo 4 – grupomarica@gmail.com

×