Apresentacao final
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Apresentacao final

on

  • 1,371 views

Apresentação: Plano de Investigação

Apresentação: Plano de Investigação

Statistics

Views

Total Views
1,371
Views on SlideShare
1,186
Embed Views
185

Actions

Likes
0
Downloads
19
Comments
0

2 Embeds 185

http://joanamineiro.blogs.ua.sapo.pt 184
http://joana-mineiro.campus.ua.sapo.pt 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Apresentacao final Apresentacao final Presentation Transcript

  • Universidade  de  Aveiro  |  Departamento  de  Comunicação  e  Arte  |  Mestrado  em  Comunicação  Mul7média  -­‐  Mul7média  Interac7vo   Cartazes urbanos acessíveis a cegos -estratégias e paradigmas de interacção Plano de Investigação Projecto  de  Inves7gação  |  Joana  Pimparel  Mineiro  |  49221  |  21  de  Janeiro  de  2011 Orientação:  Professora  Margarida  Almeida  e  Professora  Catarina  Lélis
  • Cartazes urbanos acessíveis a cegos - estratégias e paradigmas de interacção Sumário0 1. Resumo 2. Caracterização do problema de investigação 3. Finalidade e Objectivos 4. Pergunta de investigação 5. Enquadramento teórico: revisão da literatura de suporte 6. Modelo de análise 7. Metodologia 8. Cronograma 9. Plano de contingência 10. Resultados esperados 11. Referências bibliográficas Plano  de  Inves7gação  |  MCMM  |  DECA  |  Universidade  de  Aveiro  |  Joana  Mineiro  |  49221  |  21  de  Janeiro  de  2011
  • Cartazes urbanos acessíveis a cegos - estratégias e paradigmas de interacção Resumo •  Objec2vo  do  plano  de  inves2gação: estruturar  o  processo  de  trabalho  u7lizado  para  a  realização  da  dissertação1 •  Questões  sobre:     acessibilidade  a  cegos   compreender  como  um  cego  consegues  “ver”  um  cartaz  de  rua conhecer  como  este  interage  com  o  espaço  urbano quais  as  melhores  estratégias   e   paradigmas  de  interacção   para  que  a  divulgação  de   informação   seja   também   apreendida     de   forma   clara,   não   apenas   a   cegos   mas   também  ao  público  em  geral.   •  Objec2vo  do  projecto: potenciar  a  construção  do  espaço  urbano  cada  vez  mais  acessível Plano  de  Inves7gação  |  MCMM  |  DECA  |  Universidade  de  Aveiro  |  Joana  Mineiro  |  49221  |  21  de  Janeiro  de  2011 View slide
  • Cartazes urbanos acessíveis a cegos - estratégias e paradigmas de interacção Caracterização do Problema de Investigação Nos  dias  de  hoje evolução  das  Tecnologias   “saber  fazer,  saber  viver…   de  Informação  e  Comunicação  (TIC) com  os  outros”  está  em   constante  reformulação2 mudanças  nos  modos  de  representação  e  percepção  da  realidade Como  é  que  podemos  chegar  ao  público  através  do  design? Mediação  das  tecnologias: •  vem  permi7r  favorecer  inúmeras  novas  oportunidades  de  acesso   (nível  do  conhecimento  pessoal  como  colec7vo)   •  contribuir  para  uma  maior  integração  na  sociedade “O  trabalho  deve  começar  com  a  concepção  do  homem”   (Leonardo  em  2000)   Plano  de  Inves7gação  |  MCMM  |  DECA  |  Universidade  de  Aveiro  |  Joana  Mineiro  |  49221  |  21  de  Janeiro  de  2011 View slide
  • Cartazes urbanos acessíveis a cegos - estratégias e paradigmas de interacção Caracterização do Problema de Investigação Numa  sociedade  globalizada,  a  palavra  de  ordem  é   acessibilidade.2 Quando  publicado  um  cartaz  nunca  se  pensa  em  indivíduos  com  algumas  limitações,   em   par7cular   com   incapacidade   visual.   O   problema   está,   em   primeiro   lugar,   na   exclusão  social  e  intelectual. •  Principal  função  de  um  cartaz: publicitar  e  divulgar  informação  de  forma  visual •  Papel  do  designer  gráfico:   ultrapassar  os  obstáculos  com  que  nos   deparamos  no  dia-­‐a-­‐dia,  de  forma  a  conseguir   ultrapassá-­‐los,  tornando  assim  a  mensagem  acessível  a  cegos Plano  de  Inves7gação  |  MCMM  |  DECA  |  Universidade  de  Aveiro  |  Joana  Mineiro  |  49221  |  21  de  Janeiro  de  2011
  • Cartazes urbanos acessíveis a cegos - estratégias e paradigmas de interacção Caracterização do Problema de Investigação •  Este  projecto  surge  pela  tomada  de  consciência2 observando  e  comunicando  com  o  que  nos  rodeia •  Despertando  a  consciência  cívica o  saber  viver  bem  em  sociedade  -­‐  ninguém  é  igual  a  nós É   preciso  encarar   a   realidade   e   mo7var-­‐nos   para  ajudar   a   ultrapassar  as   dificuldades  dos   que  nos  rodeiam.   A  principal  razão  de  um   cartaz   de  rua  é  divulgar,  logo  serão  criadas   as   melhores  condições   para   que   esta   seja   cumprida   de   forma   agradável,   permi7ndo   assim   a   sa7sfação   da   amostragem.   Plano  de  Inves7gação  |  MCMM  |  DECA  |  Universidade  de  Aveiro  |  Joana  Mineiro  |  49221  |  21  de  Janeiro  de  2011
  • Cartazes urbanos acessíveis a cegos - estratégias e paradigmas de interacção Finalidade e Objectivos Contribuir  para  uma  melhor   inclusão  social   dos  cegos  na   sociedade,  concorrendo  para  o  seu   bem-­‐estar   e   melhoria   na   qualidade   de   vida,   criando   princípios   orientadores   para   a  3 construção  de  cartazes  de   rua   acessíveis  não  apenas   a  cegos   mas   também   aos  público   em   geral,  estes  serão  validados  segundo  um  protó2po  implementado. Estudo  e  concre2zação  de  um  protó2po  demonstra2vo  de  como  publicitar  e  divulgar   algo  num  cartaz  de  rua  acessível  a  cegos Plano  de  Inves7gação  |  MCMM  |  DECA  |  Universidade  de  Aveiro  |  Joana  Mineiro  |  49221  |  21  de  Janeiro  de  2011
  • Cartazes urbanos acessíveis a cegos - estratégias e paradigmas de interacção Pergunta de Investigação Que  estratégias  e  paradigmas  de  interacção  u7lizar  para  a  4 construção  de  um  cartaz  de  rua/urbano  acessível  a  cegos? Plano  de  Inves7gação  |  MCMM  |  DECA  |  Universidade  de  Aveiro  |  Joana  Mineiro  |  49221  |  21  de  Janeiro  de  2011
  • Cartazes urbanos acessíveis a cegos - estratégias e paradigmas de interacção Enquadramento Teórico: revisão da literatura de suporte Cidades: consideradas   autên7cos   cenários   que   estão   em   permanente   comunicação   com   o   ser   humano,  através  dos  sen7dos.   Promover  os  sen7dos  torna-­‐se  inquietante •  imagem •  sinais  de  trânsito alguns  dos  exemplos  que   •  som •  semáforos dão  voz,  5 •  cheiro •  publicidade  de  rua dão  cor,   •  texturas •  graffi7s dão  sen7do(s)   •  toldos à  nossa  vida!   •  letreiros  de   estabelecimentos Plano  de  Inves7gação  |  MCMM  |  DECA  |  Universidade  de  Aveiro  |  Joana  Mineiro  |  49221  |  21  de  Janeiro  de  2011
  • Cartazes urbanos acessíveis a cegos - estratégias e paradigmas de interacção Enquadramento Teórico: revisão da literatura de suporte Excesso  de  informação: •  banal •  saturado •  muitas  vezes  dimceis  de  ca7var Devido: impacto                                                posição  estratégica                                                  incorporação  com  o  espaço  urbano5 publicidade  pode  ter  variadíssimos  suportes  (fixos  ou  móveis)  e  formatos,  é  considerada   um   meio  de  comunicação  privilegiado  devido  a  sua  diversidade Cenários  estão  em  constante  alteração: •  evolução  da  natureza  publicitária •  como  estas  se  relacionam  com  o  meio                        suportes  msicos  a  que  estas  são  aplicadas  -­‐    dinâmica  no  espaço  urbano Plano  de  Inves7gação  |  MCMM  |  DECA  |  Universidade  de  Aveiro  |  Joana  Mineiro  |  49221  |  21  de  Janeiro  de  2011
  • Cartazes urbanos acessíveis a cegos - estratégias e paradigmas de interacção Enquadramento Teórico: revisão da literatura de suporte São  abordados  no  enquadramento  teórico  conceitos  como: •  função  do  cartaz Moles (2005) •  comunicação  e  a  interac2vidade Mcluhan  (2001),  Rafaeli  (1988) •  aspectos  relevantes  na  divulgação  interac2va   Jensen  (1998) •  design  da  interface Brochand  et  al.  (1999),  Dondis  (1997)5 •  relação  do  marke2ng  com  a  comunicação  e  a  interacção Jordan  (2008),  Tesch  (2008),  Kern  (2008),  Greenberg  (2007), Freeman (2007), Solana (2007) •  tecnologia   Moggridge (2007), Noble (2008) •  conteúdos  gráficos  acessíveis Gilson & Kitchin (2007) Plano  de  Inves7gação  |  MCMM  |  DECA  |  Universidade  de  Aveiro  |  Joana  Mineiro  |  49221  |  21  de  Janeiro  de  2011
  • Cartazes urbanos acessíveis a cegos - estratégias e paradigmas de interacção Enquadramento Teórico: revisão da literatura de suporte Um  dos  tópicos  mais  importantes  neste  processo  de  construção: •  design  para  todos Berninger  (2004),  Miranda  (2004) •  é  reflec7do  o  conceito  de  design Norman  (2004),  Forty  &  Soares  (2007),  Munari  (1981),  Burdek  (1994,  2005),  Rocha  &  Nogueira •  design  inclusivo,  acessibilidade  e  usabilidade Santos et al (2007), Coleman  (2006),  Ferrés  (2005),  Godinho (2010), Nielsen (1993, 1994) •  tudo    para  um  design  centrado  no  indivíduo Black (2006), Dreyfuss  (1955),  Norman  (2004),  Shermen  (2006)5 Plano  de  Inves7gação  |  MCMM  |  DECA  |  Universidade  de  Aveiro  |  Joana  Mineiro  |  49221  |  21  de  Janeiro  de  2011
  • Cartazes urbanos acessíveis a cegos - estratégias e paradigmas de interacção Enquadramento Teórico: revisão da literatura de suporte A  cegueira  surge  como  ligação  ao  projecto  prá7co: Aranha (2005), ACAPO, Canziani (1985) •  define-­‐se  o  perfil  do  indivíduo  cego Classificação  Internacional  de  Funcionalidade,  Incapacidade  e  Saúde  (2004),  Canziani (1985) •  paradigmas  de  interacção   Berns (2002)                        •  factores  que  atendem  aos  esRmulos Schifferstein  (2008) •  importância  de  uma  sociedade  inclusiva  para  a  construção  de  cartazes  acessíveis  a  cegos5 Declaração  Universal  dos  Direitos  do  Homem  (1948),  Benjamin  (in  Guerreiro,  2007) Plano  de  Inves7gação  |  MCMM  |  DECA  |  Universidade  de  Aveiro  |  Joana  Mineiro  |  49221  |  21  de  Janeiro  de  2011
  • Cartazes urbanos acessíveis a cegos - estratégias e paradigmas de interacção Modelo de Análise Iden7ficadas Dimensões Indicadores Cartaz Acessibilidade   Motora (deficiência  que  podemos   Audi7va encontrar  no  indivíduo) Visual •  suporte  informa7vo   Cogni7va normalmente  com   grande  impacto Usabilidade Eficácia •  posicionado  em   (critérios  para  o  sucesso Eficiência espaços  urbanos  de  um  produto)   Segurança U7lidade Fácil  de  aprender6 Fácil  de  lembrar Agradável Sa7sfação Impacto  Futuro Inclusão  social (contribuir  para  o  bem-­‐estar   Bem-­‐estar de  uma  sociedade) Plano  de  Inves7gação  |  MCMM  |  DECA  |  Universidade  de  Aveiro  |  Joana  Mineiro  |  49221  |  21  de  Janeiro  de  2011
  • Cartazes urbanos acessíveis a cegos - estratégias e paradigmas de interacção Modelo de Análise Iden7ficadas Dimensões Indicadores Estratégias Tecnologia RFID (potenciar  alterações  sociais) Bluetooth Ocarina •  elaboração/escolha   LCD de  um  plano  mais   Realidade  aumentada eficaz,  com  o  objec7vo   QR  Code de  informar  a   divulgação  da  melhor   Design  (gráfico) Tipografia forma (divulgar  a  informação  de  uma   Imagem forma  apela7va,  agradável  e   Gestalt6 segundo  os  princípios  desta  área) Espaço Elementos  básicos Layout Plano  de  Inves7gação  |  MCMM  |  DECA  |  Universidade  de  Aveiro  |  Joana  Mineiro  |  49221  |  21  de  Janeiro  de  2011
  • Cartazes urbanos acessíveis a cegos - estratégias e paradigmas de interacção Modelo de Análise Iden7ficadas Dimensões Indicadores Paradigmas  de  Interacção EsRmulos  sensoriais Audição (sen7dos  que  podem  ser  es7mulados   Tacto   num  cego) Olfacto •  meios  eficazes  e   facilitadores  de   percepção  e  interacção   Autonomia Espaços  públicos  acessíveis (de  que  forma  um  cego  pode  ter   Braille com  o  espaço  urbano percepção  de  informação)   Sinais  sonoros Texturas  e  relevo Ajuda Bengala  -­‐  extensão  do  braço6 (auxílios  que  facilitam  o  percurso   Cão  guia de  vida  a  um  cego) Humana Plano  de  Inves7gação  |  MCMM  |  DECA  |  Universidade  de  Aveiro  |  Joana  Mineiro  |  49221  |  21  de  Janeiro  de  2011
  • Cartazes urbanos acessíveis a cegos - estratégias e paradigmas de interacção Metodologia Proto2pagem •  sistema  de  demonstração  (elemento  de  estudo) •  aplicadas  funcionalidades  -­‐  estudar  resultados  -­‐  definir  princípios  orientadores Inves2gação-­‐acção  (ao  longo  de  toda  a  inves7gação) Teoria  fundamentada  nos  dados Carácter  explanatório7 Plano  de  Inves7gação  |  MCMM  |  DECA  |  Universidade  de  Aveiro  |  Joana  Mineiro  |  49221  |  21  de  Janeiro  de  2011
  • Cartazes urbanos acessíveis a cegos - estratégias e paradigmas de interacção Metodologia Proto2pagem Inves2gação-­‐acção  (ao  longo  de  toda  a  inves7gação) •  compreender  o  actual  cenário  -­‐  analise  das  fontes  -­‐  construção  de  conhecimento •  processo  coopera7vo  e  par7cipa7vo •  u7lização  de  meios  como  entrevistas  e  ques7onários   Teoria  fundamentada  nos  dados7 Carácter  explanatório Plano  de  Inves7gação  |  MCMM  |  DECA  |  Universidade  de  Aveiro  |  Joana  Mineiro  |  49221  |  21  de  Janeiro  de  2011
  • Cartazes urbanos acessíveis a cegos - estratégias e paradigmas de interacção Metodologia Proto2pagem Inves2gação-­‐acção  (ao  longo  de  toda  a  inves7gação) Teoria  fundamentada  nos  dados •   aproximação   ao   fenómeno   a   ser   estudado   -­‐   procurando   conhecer   como   agem   os   par7cipantes  e  o  porquê  de  determinadas  situações Carácter  explanatório7 Plano  de  Inves7gação  |  MCMM  |  DECA  |  Universidade  de  Aveiro  |  Joana  Mineiro  |  49221  |  21  de  Janeiro  de  2011
  • Cartazes urbanos acessíveis a cegos - estratégias e paradigmas de interacção Metodologia Proto2pagem Inves2gação-­‐acção  (ao  longo  de  toda  a  inves7gação) Teoria  fundamentada  nos  dados Carácter  explanatório •  reforçar  e  aprofundar  os  contextos  e  os  fenómenos •  abordagem  qualita7va7 •  focus  groups  -­‐  4  a  5  indivíduos  cegos Plano  de  Inves7gação  |  MCMM  |  DECA  |  Universidade  de  Aveiro  |  Joana  Mineiro  |  49221  |  21  de  Janeiro  de  2011
  • Cartazes urbanos acessíveis a cegos - estratégias e paradigmas de interacção Metodologia Etapa  1   Etapa  2   Etapa  3   Etapa  4   Enquadramento  teórico (4  meses) •  Recolha  de  dados  bibliográficos •  Redacção  do  plano  de  inves7gação •  Redacção  do  enquadramento  teórico7 Plano  de  Inves7gação  |  MCMM  |  DECA  |  Universidade  de  Aveiro  |  Joana  Mineiro  |  49221  |  21  de  Janeiro  de  2011
  • Cartazes urbanos acessíveis a cegos - estratégias e paradigmas de interacção Metodologia Etapa  1   Etapa  2   Etapa  3   Etapa  4   Levantamento  das  caracterís2cas  da  sensibilidade  dos  sen2dos   (1  mês) •  Estudo  e  caracterização7 Plano  de  Inves7gação  |  MCMM  |  DECA  |  Universidade  de  Aveiro  |  Joana  Mineiro  |  49221  |  21  de  Janeiro  de  2011
  • Cartazes urbanos acessíveis a cegos - estratégias e paradigmas de interacção Metodologia Etapa  1   Etapa  2   Etapa  3   Etapa  4   Proto2pagem (3  meses) •  Criação  da  ideia  e  listagem  dos  requisitos  funcionais   •  Estudo  da  viabilidade  técnica •  Demonstrador •  Análise  e  validação  do  demonstrador •  Afinação  do  demonstrador •  Desenvolvimento  do  protó7po7 Plano  de  Inves7gação  |  MCMM  |  DECA  |  Universidade  de  Aveiro  |  Joana  Mineiro  |  49221  |  21  de  Janeiro  de  2011
  • Cartazes urbanos acessíveis a cegos - estratégias e paradigmas de interacção Metodologia Etapa  1   Etapa  2   Etapa  3   Etapa  4   Avaliação (1  mês) •  Validação  do  protó7po7 Plano  de  Inves7gação  |  MCMM  |  DECA  |  Universidade  de  Aveiro  |  Joana  Mineiro  |  49221  |  21  de  Janeiro  de  2011
  • Cartazes urbanos acessíveis a cegos - estratégias e paradigmas de interacção Cronograma8 Plano  de  Inves7gação  |  MCMM  |  DECA  |  Universidade  de  Aveiro  |  Joana  Mineiro  |  49221  |  21  de  Janeiro  de  2011
  • Cartazes urbanos acessíveis a cegos - estratégias e paradigmas de interacção Plano de Contingência Limitações •  construção  do  próto7po  ao  nível  tecnológico                          poderá  ter  elevados  custos9 Plano  de  Inves7gação  |  MCMM  |  DECA  |  Universidade  de  Aveiro  |  Joana  Mineiro  |  49221  |  21  de  Janeiro  de  2011
  • Cartazes urbanos acessíveis a cegos - estratégias e paradigmas de interacção Resultados Esperados Inclusão   •  contribuindo  para  o  seu  bem-­‐estar Social   •  melhoria  na  qualidade  de  vida Designers •  caminhar  mais  alto •  cada  vez  mais  úteis   •  contribuir  para  a  democra7zação  da  comunicação •  maior  abrangência  de  uso   •  maior  leque  de  vozes  crí7cas. Empresas •  responsabilizando  as  suas  áreas  de  comunicação  e  marke7ng •  maior  número  de  consumidores,    logo  maior  número  de  vendas •  conotadas  com  a  sua  preocupação  com  a  Responsabilidade  Social10 Plano  de  Inves7gação  |  MCMM  |  DECA  |  Universidade  de  Aveiro  |  Joana  Mineiro  |  49221  |  21  de  Janeiro  de  2011
  • Cartazes urbanos acessíveis a cegos - estratégias e paradigmas de interacção Referências Bibliográficas Caetano,  Ana  (2004).  A  complexidade  dos  processos  de  formação  e  a  mudança  dos  professores.  Um  estudo   compara7vo  entre  situações  de  formação  pela  inves7gação-­‐acção. Cou7nho,  Clara  (2007).  Wiki  –  Universidade  do  Minho  URL:  h~p://claracou7nho.wikispaces.com/Inves7ga %C3%A7%C3%A3o+A%C3%A7%C3%A3o  (27  de  Dezembro  de  2010) Cou7nho,  Clara  (2008).  Estudo  de  caso.  Mestrado  em  Educação  -­‐  Área  de  Especialização  em  Tecnologia  Educa7va,   Universidade  do  Minho Cou7nho,  Clara;  CHAVES,  Henrique.  O  estudo  de  caso  na  inves7gação  em  Tecnologia  Educa7va  em  Portugal,  Revista   Portuguesa  de  Educação,  2002,  pp.  221-­‐243 Hamelink,  Cees  (2000).  The  Ethics  of  Ciberspace.  Londres:  Sage  publica7ons   Quivy,  Raymond  &  CAMPENHOUDT,  Luc  Van.  Manual  de  inves8gação  em  ciências  sociais.,  5ª  ed.,  Tradução  de  João   Minhoto  Marques,  Maria  Amália  Mendes  e  Maria  Carvalho,  Gradiva  Publicações,  Lisboa,  2008. Shneiderman,  Ben  (2002).  Leonardos  laptop:  human  needs  and  the  new  compu7ng  Technologies:  Massachuse~s   Ins7tute  of  Technology Yin,  Robert  (2001).  Estudo  de  Caso:  Planejamento  e  Método  (2ª  Ed)  –  Porto  Alegre.  Sage  publica7ons,  Inc.  1994  -­‐  ISBN   85-­‐7307-­‐852-­‐911 Plano  de  Inves7gação  |  MCMM  |  DECA  |  Universidade  de  Aveiro  |  Joana  Mineiro  |  49221  |  21  de  Janeiro  de  2011
  • Universidade  de  Aveiro  |  Departamento  de  Comunicação  e  Arte  |  Mestrado  em  Comunicação  Mul7média  -­‐  Mul7média  Interac7vo   Cartazes urbanos acessíveis a cegos -estratégias e paradigmas de interacção Plano de Investigação Obrigada http://joanamineiro.blogs.ua.sapo.pt/ Projecto  de  Inves7gação  |  Joana  Pimparel  Mineiro  |  49221  |  21  de  Janeiro  de  2011 Orientação:  Professora  Margarida  Almeida  e  Professora  Catarina  Lélis