Your SlideShare is downloading. ×
0
História da ÁFrica
História da ÁFrica
História da ÁFrica
História da ÁFrica
História da ÁFrica
História da ÁFrica
História da ÁFrica
História da ÁFrica
História da ÁFrica
História da ÁFrica
História da ÁFrica
História da ÁFrica
História da ÁFrica
História da ÁFrica
História da ÁFrica
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

História da ÁFrica

8,619

Published on

Published in: Education
1 Comment
2 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
8,619
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
350
Comments
1
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. África: Raízes de uma grande História
  • 2.  
  • 3. Berberes: Os nômades do deserto Travessia pelo Saara
    • Importante papel na integração da África.
    • Atravessavam o Saara em caravanas, ligando as pessoas que viviam ao norte e ao sul do deserto.
    • Sua travessia era difícil. Território muito extenso, repleto de pedras e areia.
    • A princípio, os berberes usavam cavalos, mas a partir do séc. I passam a usar camelos, trazidos da Arábia.
    • A viagem de uma ponta a outra do deserto durava cerca de 3 meses!
  • 4.
    • Comércio à base de troca: levavam sal e cobre para trocar por ouro e noz de cola.
    • O sal era muito valorizado por conservar os alimentos. Em algumas regiões ele valia como ouro!
    • Com o tempo a variedade de produtos aumentou: escravos, plumas de aves, esmeraldas, animais selvagens, vinho, cerâmica, vidro, tecidos e metais.
    • Mas...
    • O principal “produto” das trocas eram as IDEIAS!  intercâmbio cultural.
  • 5. Os Soninké de Gana: o povo do ouro
    • Um dos primeiros impérios ao sul do Saara(corresponde atualmente aos territórios de Mali, Mauritânia e Senegal)
  • 6.
    • No princípio eram aldeias da etnia Soninké, que viviam da agricultura e da criação de animais.
    • A partir do séc. IV: aldeias se uniram formando um reino. E mais tarde, um império.
    • Império de Gana: muita extração de ouro!
    • Viviam da pecuária, agricultura, extração de ouro e do comércio.
    • Gana era um importante entreposto comercial dos berberes.
  • 7. Império de Gana- sociedade
    • Os imperadores de Gana eram chamados de ganas ou caia-magas .
    • Sociedade estratificada:
    Todos os Soninké pagavam impostos ao caia-maga  soldados, funcionários para pecuária e lavradores; os soldados pagavam protegendo o reino. Nobres Homens-livres Servos Escravos
  • 8. Congo: um grande reino banto
  • 9.
    • Há milhares de anos a etnia banto vivia entre o rio Nilo e o lago Chade ( hoje Nigéria e Camarões).
    • Os primeiros bantos viviam da agricultura, caça e metalurgia. Suas armas eram melhores que de povos vizinhos, pois eram de ferro.
    • Por terem armas melhores, os bantos conseguiram se expandir, espalhando-se por várias regiões da África.
  • 10.
    • Aos poucos, aldeias do sul do rio Congo foram se agrupando e formando tribos.
    • Séc. XIV: união das tribos sob uma única liderança ( manicongo )  REINO DO CONGO.
    • Embora se submetessem ao rei, as aldeias eram autônomas. Seus chefes distribuíam os deveres aos moradores e cobrava impostos, que eram repassados ao manicongo.
    • Para os moradores do Congo, o manicongo tinha poderes sagrados. Por isso, pagar impostos a ele era uma forma de receber proteção divina
  • 11. O que o manicongo fazia com os impostos?
    • Uma parte era guardada em celeiros, para ser utilizada em época de seca e má colheita. Outra parte era para sustentar sua guarda. E ainda, uma boa quantia era usada para que o manicongo pudesse ostentar seu poder.
  • 12.
    • O Reino sobrevivia da agricultura e da pecuária. Em regiões menos férteis praticavam a pesca e a caça.
    • Cidades: - artesanato ( cerâmicas, escultura em madeira, cestos, tecelagem, ferro);
    • Comércio : excedente trocado com caravanas de comerciantes que passavam pela região. Trocavam por: marfim, cerâmica, jóias de cobre, etc.
    • * Moedas: Sal e Zimbo ( concha)
  • 13. Sociedade do Congo
  • 14. Nós e a África
    • Dominação portuguesa no século XVII.
    • Escravos: trouxeram elementos da cultura africana.
  • 15.  

×