Alimentação Vegetariana

2,831 views
2,627 views

Published on

Saiba como manter uma dieta equilibrada e saudável pelo vegetarianismo.

Published in: Education
0 Comments
4 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
2,831
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
7
Actions
Shares
0
Downloads
161
Comments
0
Likes
4
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Alimentação Vegetariana

  1. 1. HISTÓRICO  Conceito - O termo vegetarianismo, vem do latim “vegetare”, que significa “vida, ânimo, força, vigoro” (WINCKLER, 2007).  Origem - Segundo os criacionistas  primórdios da criação do homem  Velho Testamento  Passagem: “Tenho-vos dado todas as ervas que produzem semente e se acham sobre a face de toda a terra, bem como todas as árvores em que há fruto que dá semente. Servos-á para mantimento.” (Gênesis 1:29)
  2. 2. HISTÓRICO Pioneiros da dieta vegetariana do século XX  Melhorar a saúde, regenerar sua força e de seus filhos, bem como questões de ordem espiritual Expressão vegetarianismo  Sociedade Vegetariana da Inglaterra em 1847
  3. 3. Pitágoras  Primeiro no oriente  “Pai do vegetarianismo”  “Pitagóricos”
  4. 4. HISTÓRICO  Vegetarianismo  Filósofos mesclou-se à cultura em todo mundo e pensadores - Leonardo da Vinci (1452-1519) - Benjamim Franklin (1706-1790) - Dr. J.H. Kellogg (1869-1948) - Mahatma Gandhi (1869-1948) - Albert Einstein (1879-1955) - Empédocles, Platão, Plotino, Porfírio - Plutarco  compaixão pelos animais - Rousseau  homem é naturalmente vegetariano
  5. 5. HISTÓRICO A disseminação do vegetarianismo foi lenta, mas crescente. Durante a primeira metade do século XX, os movimentos eram alimentados pelos ideais de reformadores da Saúde e por aqueles que defendiam os princípios éticos de uma dieta vegetariana  Era moderna  declínio  Anos 70  reaparição com fundamentação em algumas linhas de argumentação
  6. 6. RAZÕES PARA ADERIR A UMA DIETA VEGETARIANA  Os principais motivos estão relacionados à saúde, à ética e aos direitos dos animais, ao meio ambiente, à fome, à economia e à religião.
  7. 7. SAÚDE A ingestão de carne tem sido relacionada ao aumento do risco de doenças crônicas não-transmissíveis. POR OUTRO LADO O abundante consumo de alimentos essenciais da dieta vegetariana, como frutas e hortaliças, leguminosas, alimentos não-refinados e nozes, tem sido consistentemente associado a um menor risco de contração dessas doenças e, em alguns casos, a um aumento da expectativa de vida.
  8. 8. ÉTICA Muitos vegetarianos não concebem o homem como superior ao animal, do ponto de vista do direito à vida. Não é justo tirar a vida a um animal para alimentar uma pessoa, especialmente quando a vida dessa pessoa não depende da vida do animal. Outro aspecto refere-se à forma como os animais são tratados. Os animais produzidos pela indústria agropecuária moderna são confinados em pequenos espaços, alimentados de forma artificial e tratados por vezes de forma brutal durante o transporte ou antes do abate Portanto, os animais e os seres humanos devem coexistir.
  9. 9. MEIO AMBIENTE A motivação aqui é racionalizar a utilização dos recursos naturais para a obtenção de alimentos. Um vegetariano reduz um elo da cadeia alimentar, tornando-a mais eficiente e, conseqüentemente, reduzindo o impacto ambiental da sua alimentação. As frutas, os cereais e os vegetais exigem 95% menos de matérias-primas para serem produzidas. Além disso, é necessária muito mais energia fóssil para produzir e transportar carne do que para produzir uma porção idêntica de proteínas de origem vegetal.
  10. 10. FOME  Muitos dos que optam por uma dieta vegetariana o fazem para contribuir de alguma forma com a redução da fome mundial, já que para cada quilograma de carne produzida são necessários cinco de grãos.
  11. 11. ECONÔMICAS A base alimentar do vegetarianismo consiste em alimentos de um nível inferior da cadeia alimentar, os legumes, frutos e grãos, mais baratos do que a carne ou o peixe, quando de qualidades comparáveis.  As razões econômicas não costumam, isoladamente, motivar uma pessoa a adaptar a dieta vegetariana, mas contribui muitas vezes, ao lado de outras motivações, para a mudança de regime alimentar, ou a sua manutenção.
  12. 12. RELIGIOSAS o vegetarianismo é um elemento básico para que um individuo se torne mais apto e mais encorajado a amar Deus e todas as suas criaturas.   Para os espiritualistas os animais transmitem vibrações malignas pra quem irá consumir a carne, já que os animais sofrem no momento de sua morte.
  13. 13. COMO ENTRAR VEGETARIANISMO  NO A mudança de alimentação, por muito benéfica que seja, não convém ser radical. Deve ser progressiva, de modo que a adaptação do corpo seja gradual.  O organismo necessita de tempo de adaptação. Embora o vegetarianismo for benéfico para a saúde, uma mudança radical pode trazer complicações. A maior parte das pessoas reage simplesmente expulsando toxinas, com sintomas como diarréia ou dores de cabeça.
  14. 14. ESTATÍSTICAS  Brasil  Tendência crescente + Interesse por alimentação saudável Existência de um público consumidor considerável  Oferta cada vez maior de produtos próprios para o consumo de vegetarianos na grande maioria dos supermercados do país  Gôndolas destinadas a produtos naturais, integrais e orgânicos aumentam cada vez mais 
  15. 15. ESTATÍSTICAS  Restaurantes crescente  Qual hoje? vegetarianos no Brasil: número o perfil dos vegetarianos nos dias de A maioria é de ovo-lacto-vegetarianos, estando em grande expansão os veganos.  Tem vegetariano de todas as classes sociais e profissões, mas as mulheres são em maioria geralmente (Pesquisas feitas nos EUA e Inglaterra)
  16. 16. “VEGETARIANO” “O vegetarianismo inclui o veganismo e define-se como prática de não comer carne, aves ou peixe ou seus subprodutos, com ou sem laticínios e ovos”. IVU (União Vegetariana Internacional) Vegetariano - Grãos - Sementes - Vegetais - Cereais - Frutas - * Ovos - * Leite e derivados
  17. 17. TIPOS DE VEGETARIANOS VEGANOS Inglaterra De (1944)  Primeira Sociedade Vegan acordo com a Sociedade Britânica: “Veganismo é uma forma de vida que exclui todas as formas de exploração e crueldade contra o reino animal. Inclui o respeito por todas as formas de vida e isto se aplica no uso da prática de viver somente de produtos derivados do mundo vegetal”.
  18. 18. TIPOS DE VEGETARIANOS • Um vegan não se alimenta de: » Nenhuma Carne » Mel de Abelha e nenhum alimento derivado do reino animal • Um vegan não usa produtos como: » Lã » Couro » Peles » Artesanatos » Sabões ou cosméticos » Escova feita de cabelos » Travesseiro de penas  Muitos não vão ao cinema, pois a película da tela possui gelatina
  19. 19. TIPOS DE VEGETARIANOS Alguns veganos não se submetem, ainda, à vacinação ou soro feito de animais ou drogas que foram testadas em animais. 
  20. 20. TIPOS DE VEGETARIANOS LACTO-VEGETARIANOS • Excluem os ovos de sua dieta – Interrupção de um processo de vida – Motivos de saúde – Bontempo (2003) • Os ovos que hoje são consumidos no mundo inteiro raramente possuem vida de fato, pois não são galados, ou seja, não têm mais energia vital. • Seu consumo é bastante prejudicial à saúde por ser rico em antibióticos, toxinas, ácidos graxos saturados, hormônios, etc.
  21. 21. TIPOS DE VEGETARIANOS OVO-VEGETARIANOS • Alegam que o consumo de ovos é permitido porque a ave os botaria mesmo se eles não fossem utilizados na alimentação humana • Não admitem o consumo de leite e derivados • Preocupações ambientais • Compaixão pelos animais • Motivos de saúde (ex. intolerância à lactose)
  22. 22. TIPOS DE VEGETARIANOS OVO-LACTO-VEGETARIANOS • Admitem o consumo de: • Ovos • Alimentos Vegetais • Leite e seus derivados (manteiga, requeijão, iogurte) Evita que ocorra deficiência de proteínas
  23. 23. TIPOS DE VEGETARIANOS OBS: Geralmente vegetarianos são mais conscientes da importância de se consumir alimentos integrais e orgânicos, e não consumir alimentos industrializados e o açúcar refinado.
  24. 24. TIPOS DE VEGETARIANOS CRUDÍVOROS Nesta dieta só se admite alimentos, sem a necessidade do fogo e do sal  o alimentos deve ser consumido conforme a natureza os fornece O crudivorismo aceita as frutas, verduras, raízes, brotos, alguns tubérculos e cerais como aveia, trigo, etc Exposição do alimento ao cozimento e ao sal  perda da sua energia vital, enzimas e outras propriedades nutricionais
  25. 25. TIPOS DE VEGETARIANOS Alimentação de doenças: natural  dietas cruas  tratamento Ação antioxidantes Revitalizante Purificante Adstringente
  26. 26. TIPOS DE VEGETARIANOS FRUGÍVOROS Admite apenas o consumo de frutas, podendo ser cozidas ou cruas Algumas vertentes consomem cereais integrais, crus ou cozidos Evita o uso de sal Dieta baseada a partir de observações bíblicas, antropológicas, antropométricas e na teoria da evolução de Darwin
  27. 27. VARIAÇÕES DO VEGETARIANISMO Novo grupo de indivíduos: Semi-vegetarianos Aqueles que consomem peixe e outros tipos de carne menos do que uma vez por sema Piscitarianos Consomem somente a carne de peixe
  28. 28. Pirâmide alimentar para vegetarianos e onívoros
  29. 29. NUTRIENTES ESSENCIAIS EM DIETAS VEGETARIANAS Acompanhamento Introdução lenta e médico e do nutricionista gradual da dieta ◦ Correção dos déficits nutricionais ◦ Substituição dos alimentos ◦ Suplementação, se necessário http://www.guiavegano.com.br/vegan/images/ stories/rango/comida_vegetariana.jpg http://mundoverdeblog.files.wordpress.com/2009/05/vegetarianismo.jpg
  30. 30. NUTRIENTES ESSENCIAIS EM DIETAS VEGETARIANAS  Proteínas ◦ Uma dieta contendo uma variedade de grãos, legumes e vegetais fornece proteína o bastante sem a superdosagem a que a maioria dos que comem carne estão expostos. ◦ A quantidade de proteína necessária para um indivíduo adulto está incluída numa dieta que contenha:  uma xícara de chá de aveia  um copo de leite de soja  duas fatias de pão integral  duas colheres de sopa de manteiga de amendoim  uma xicara de chá de feijão  duas colheres de sopa de amêndoas  uma xícara de chá de brócolis  uma xícara de arroz integral.
  31. 31. NUTRIENTES ESSENCIAIS EM DIETAS VEGETARIANAS Outros alimentos que contém proteína ◦ Nozes: avelãs, castanhas do Pará, amêndoas, castanha de caju, nozes, etc. ◦ Sementes: gergelim, abóbora, girassol, linho. ◦ Leguminosas: ervilhas, feijões, lentilhas, amendoim. ◦ Cereais: trigo (no pão, farinha, pasta, etc.), cevada, centeio, aveia, mileto, milho, arroz. ◦ Produtos a base de de soja: tofu, tempe, proteína texturizada vegetal, vegiburguers, leite de soja. ◦ Produtos derivados do leite: leite, queijo, iogurte (manteiga e creme de leite são fontes pobres de proteína) ◦ Ovo
  32. 32. NUTRIENTES ESSENCIAIS EM DIETAS VEGETARIANAS Hidratos de carbono ◦ Fonte de energia ◦ Carboidratos simples  Dieta evita de “calorias vazias”  Encontrados nas frutas, leite e açúcar ◦ Carboidratos complexos  Dieta rica em celulose – Diminui a biodisponibilidade de nutrientes?  Encontrados em cereais, pães integrais, arroz integral, aveia, cevada, mileto, centeio e algumas raízes vegetais, como batatas e mandioca. ◦ Fibras alimentares  Cereais integrais, frutas frescas e vegetais
  33. 33. NUTRIENTES ESSENCIAIS EM DIETAS VEGETARIANAS Lipídeos ◦ Largamente encontrados: Oléos vegetais, manteiga de amendoim, nozes, abacate e coco Vitaminas ◦A  Vegetais vermelhos, alaranjados ou amarelos, como cenouras e tomates, vegetais folhosos verdes e frutas como nectarinas e pêssegos.
  34. 34. NUTRIENTES ESSENCIAIS EM DIETAS VEGETARIANAS ◦ Complexo B: B1 (thiamina), B2 (riboflavina), B3 (niacina), B6 (pyridoxina), B12 (cianocobalamina), folato, ácido pantotênico e biotina.  Presentes em leveduras e cereais integrais (especialmente germe de trigo), nozes e sementes, raízes e vegetais verdes, exceto B12  B12 não encontrada em alimentos vegetais  Pouca quantidade em produtos do leite e ovos  Uso de alimentos fortificados em vit. B12 como extratos de levedura, leite de soja e cereais matinais.
  35. 35. NUTRIENTES ESSENCIAIS EM DIETAS VEGETARIANAS  Vitaminas ◦ D  Não encontrada em alimentos vegetais  Produzida pelo homem a partir da exposição a luz solar  Está presente em leite e derivados e ovos  Adição de suplemento em indivíduos jovens, idosos, lactentes e lactantes e indivíduos que vivem em confinamento. ◦ E  Óleos vegetais, cereais integrais, ovos. ◦ K  Vegetais frescos, cereais e síntese bacteriana no intestino
  36. 36. NUTRIENTES ESSENCIAIS EM DIETAS VEGETARIANAS Minerais ◦ Ferro  Presente em vegetais de folha verde-escura, produtos de soja, legumes, grãos integrais, frutas secas, nozes e sementes.  Cocção em recipientes de ferro aumenta o teor do mineral na dieta  Ingestão de vitamina C auxilia a biodisponibilidade do ferro não heme
  37. 37. NUTRIENTES ESSENCIAIS EM DIETAS VEGETARIANAS Minerais ◦ Cálcio  Atenção para vegans, frugivoros e crudívoros – Planejamento de um bom cardápio  Lactantes, idosos e crianças podem precisar de suplementação  Nível de absorção de cálcio de alimentos vegetais:  Vegetais verdes-escuros (brócoli, couve-de-Bruxelas, repolho verde e  couve-chinesa, couve, couve-nabiça, etc.): 50-70%  Leite: 32%  Amêndoas: 21%  Feijões: 17%  Espinafre cozido: 5%
  38. 38. NUTRIENTES ESSENCIAIS EM DIETAS VEGETARIANAS Minerais ◦ Zinco  Encontrado em vegetais verdes, queijo, gergelim e sementes de abóbora, lentilhas e cereais integrais. ◦ Iodo  Quantidade nos vegetais depende de um solo rico em iodo  Encontrados em leite e derivados, cegetais marinhos e no sal de cozinha
  39. 39. VANTAGENS DA ALIMENTAÇÃO práticaVEGETARIANA vegetariana pode proporcionar A benefícios à saúde humana desde que diversos bem planejada para atender às necessidades nutricionais. As dietas vegetarianas estão mais associadas à saúde que à doença, contrastando com as dietas baseadas em elevado consumo de produtos de origem animal.
  40. 40. VANTAGENS DA ALIMENTAÇÃO VEGETARIANA • Apresentam reduzido teor de gorduras saturadas, de colesterol, de proteína animal. • Apresentam maior conteúdo em fibras, carboidratos complexos e antioxidantes que exercem impacto positivo na prevenção e no controle de doenças crônicas não transmissíveis.
  41. 41. VANTAGENS DA ALIMENTAÇÃO VEGETARIANA • Estudos demonstram que os vegetarianos apresentam pressão arterial mais baixa (entre 5 mmHg e 10 mmHg) que os onívoros e menor prevalência de hipertensão arterial, mesmo quando o índice de massa corporal (IMC) é similar.
  42. 42. BIODISPONIBILIDADE Fibras, fitato e oxalato = Quelantes de minerais redução da absorção destes no intestino.
  43. 43.  Vitamina B12 (cobalamina) A fonte natural de vitamina B12 na dieta humana é encontrada mais amplamente em alimentos de origem animal, especialmente leite, carne e ovos. Os veganos sem suplementação ou uso de alimentos enriquecidos, não ingerem essa vitamina em quantidade adequada. → Sua deficiência está associada a doenças hematopoiéticas, neurológicas e cardiovasculares.  A anemia megaloblástica é a doença mais comum relacionada à deficiência de B12. Está relacionada à diminuição de hemoglobina, caracterizando anemia, e macrocitose nas células da medula óssea, gerada por defeito na síntese de DNA.
  44. 44. “O que não concebo é degolar um cabrito, asfixiar uma pomba, cortar a nuca de uma galinha, ou dar punhaladas em um porco para que eu coma seus restos. Não é por uma questão de química biológica o motivo de eu ter me passado para as fileiras do vegetarianismo, mas pelo imperativo moral de que minha vida não seja mantida às custas da vida de outros seres.” Eduardo Alfonso, médico espanhol
  45. 45. REFERÊNCIAS  COUCEIRO, Patricia; SLYWITCH, Eric; LENZ, Franciele. Padrão alimentar da dieta vegetariana, Rev. Einstein, São Paulo, vol.6, nº 3, 2008. Disponível em: <http://apps.einstein.br/revista/arquivos/PDF/518v6n3aRW518portp365-73.pdf> Acesso em: 21 Mar. 2010  FERREIRA, Lucas Guimarães; BURINI, Roberto Carlos; MAIA, Adriano Fortes. Dietas vegetarianas e desempenho esportivo. Rev. Nutr.,  Campinas,  v. 19,  n. 4, Ago.  2006. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-52732006000400006&lng=en&nrm=iso>. Acesso em:  21  Mar.  2010  GASPAR, Sofia. Vegetarianismo adolescente como uma expressão da anorexia nervosa: Apresentação de uma proposta analítica. Análise Psicológica, Vol.2 nº XVII, p 307-316, 1999.
  46. 46. Obrigada!

×