Your SlideShare is downloading. ×
Exame de Qualificação - BASE DE DADOS MORFOLÓGICOS DE TERMINOLOGIAS DO PORTUGUÊS DO BRASIL. DESCRIÇÃO E ANÁLISE MORFOLÓGICA COM VISTAS À DISPONIBILIZAÇÃO ON-LINE
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Exame de Qualificação - BASE DE DADOS MORFOLÓGICOS DE TERMINOLOGIAS DO PORTUGUÊS DO BRASIL. DESCRIÇÃO E ANÁLISE MORFOLÓGICA COM VISTAS À DISPONIBILIZAÇÃO ON-LINE

387

Published on

Banca: Profa. Dra. Ieda Maria Alves e Prof. Dr. Oto Araújo Vale …

Banca: Profa. Dra. Ieda Maria Alves e Prof. Dr. Oto Araújo Vale
Orientadora: Profa. Dra. Gladis Maria de Barcellos Almeida
Coorientadora: Prof. Dra. Margarita Correia

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
387
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Joel Sossai ColetiExame de Qualificação – 21/10/2011
  • 2. Joel Sossai Coleti (PPGL-UFSCar / FAPESP) Orientadora:Profa. Dra. Gladis Maria de Barcellos Almeida (UFSCar) Coorientadora: Profa. Dra. Margarita Correia (Universidade de Lisboa, Portugal)
  • 3. MotivaçãoMordebe (Portal da Língua Portuguesa, ILTEC) • Base de dados sobre as características formais do léxico do português • ortografia, • Flexão, • e as relações morfológicas • Informações sobre semântica e etimologia não é registada. • Predominância do português europeu, com registros de outras variedades do português.
  • 4. Objetivo 1: analisar e descrever os processos morfológicos possíveisnas terminologias da Nanociência & Nanotecnologia eBiocombustíveis em português (variante brasileira),verificando-se os principais processos de construçãodos termos e os morfemas mais produtivos
  • 5. Objetivo 2: organizar uma base de dados de maneira que seja possívela implementação computacional e a disponibilizaçãoon-line dos dados obtidos.
  • 6. Repertório terminológico:Grupo de Estudos e Pesquisas em Terminologia – GETerm:• Nanociência/Nanotecnologia: Terminologia em Língua Portuguesa da Nanociência e Nanotecnologia: Sistematização do Repertório Vocabular e Elaboração de Dicionário-Piloto – NanoTerm; apoio CNPq/Processo n°. 400506/2006-8• Biocombustíveis: Terminologia de Biocombustíveis: descrição semântica e morfológica com vistas à sistematização; apoio CNPq/Processo n°. 473414/2007-4
  • 7. Terminologia:Grupo de Estudos e Pesquisas em Terminologia – GETerm:• Teoria Comunicativa da Terminologia (TCT) – Cabré (1993, 1998, 1999, 2003) • Fundamentada em Teorias Linguísticas • Sua perspectiva linguística dá maior relevo à facilitação da comunicação e não à normalização terminológica • Enfoque descritivo • Entende o léxico especializado como um elemento natural das línguas
  • 8. Terminologia e Morfologia: Unidade léxica:forte ponto de intersecção entre Terminologia e Morfologia Processos de construção/formação de palavras:tema fundamental de estudos em Terminologia e Morfologia
  • 9. Terminologia e Morfologia: Termos são unidades da língua geral associadas a um valorespecializado apenas em situações discursivas e pragmáticas específicas, ou seja, quando utilizadas em âmbitos de especialidades (Cabré, 2006).
  • 10. Morfologia: Forma de análise: Modelo SILEX Syntaxe, Interprétation, LEXique• Criado por Danielle Corbin e posteriormente desenvolvido por sua equipe de trabalho • O SILEX já possui aplicações profícuas para análise do português.
  • 11. Modelo SILEX: análise do português Graça Maria Rio-Torto, Universidade de Coimbra • Modelo SILEX aplicado à construção de diversos tipos de derivados do português e, em particular, à análise da formação dos avaliativos• Postura crítica que contribuiu para a revisão de alguns de seus aspectos fundamentais
  • 12. Modelo SILEX: análise do português Margarita Correa, Universidade de Lisboa• A autora trata da formação dos adjetivos iniciados por anti-, denominação das qualidades em português, das marcas morfológicas da génese do vocabulário da Náutica em português e inovação lexical em português
  • 13. Modelo SILEX: fase atual• Modelo de „morfologia construcional‟: tem como objeto de estudo a construção de palavras, não apenas por derivação, mas com recurso a outros processos de construção, tais como a composição, os processos deformacionais ou a lexicalização de sintagmas (CORREIA, 2004a).
  • 14. Modelo SILEX: fase atual• Permite o tratamento de: • Regras e dos operadores envolvidos na construção de palavras • Mecanismos semânticos associados • Relação entre a estrutura de uma unidade lexical e a sua capacidade denominativa
  • 15. Modelo SILEX: objetivos  construir uma teoria sincrônica do léxico  atribuir uma estrutura e uma interpretaçãoadequadas às palavras construídas, atestadas ou não nos dicionários
  • 16. Modelo SILEX: associativo e estratificadoO modelo SILEX assume-se como um modelo associativo e estratificado: Por „modelo associativo‟ entende-se aquele cujas Regras de Construção de Palavras (RCPs) permitem construir conjuntamente a estrutura morfológica e a interpretação semântica das palavras construídas É um „modelo estratificado‟ porque é composto por váriosníveis, ao longo dos quais se vai construindo o significado das palavras construídas.
  • 17. Originalidade do modelo SILEX • Prioriza uma análise baseada na estratificação e na reconstrução do léxico• Propõe uma associação de forma e significado em vez de dar prioridade à análise morfológica sobre a semântica.
  • 18. Repertório terminológico: • 927 termos de Biocombustíveis • 3069 termos de Nanociência/Nanotecnologia _____________________________________________ 3996 termos
  • 19. Delimitação do repertório terminológico: • Abandono do critério quantitativo • Estabelecimento do critério qualitativo
  • 20. Delimitação do repertório terminológico:A formação de palavras, vista pelo Modelo SILEX, ocorre atravésde Regras de Formação de Palavras, compostas cada uma por vários e diferentes processos morfolexicais, assim, é mais pertinente e coerente descrever as RFPs praticadas nessas terminologias e não os itens lexicais, uma vez que se estaria focalizando o produto e não o processo.
  • 21. Delimitação do repertório terminológico: 1) Exclusão das palavras não-construídas(unidades completamente opacas em português, ou seja, que não se valem de nenhuma RCP) 2) Exclusão dos substantivos próprios e das SIGLAS
  • 22. Delimitação do repertório terminológico: Nanociência/Nanotecnologia: 157 exclusões Biocombustíveis: 2 exclusões1. Diesel (subs. próprio) de Rudolph Diesel2. Canola (não construído em LP) de Canadian Oil Low Acid
  • 23. Próximas etapas:• Análise e descrição morfológica das unidades selecionadas com base no modelo SILEX.• Organização da base de dados que permitirá a sua posterior implementação computacional e disponibilização on-line.
  • 24. Próximas etapas:• Análise e descrição morfológica das unidades selecionadas com base no modelo SILEX.• Organização da base de dados que permitirá a sua posterior implementação computacional e disponibilização on-line.
  • 25. BibliografiaALMEIDA, G.M.B. A Teoria Comunicativa da Terminologia e a sua prática.Alfa (Araraquara), v. 50, p. 81-97, 2006. Disponível em:http://www.alfa.ibilce.unesp.br/download/v50-2/06-Almeida.pdfCABRÉ, M.T. La terminología: representación y comunicación – elementospara una teoria de base comunicativa y outros artículos. Barcelona: InstitutUniversitari de Lingüística Aplicada, 1999.CABRÉ, M.T. Theories of Terminology: their description, prescription andexplanation. Terminology, v. 9, n. 2, p. 163-200, 2003.CORBIN, D. Morphologie dérivationnelle et structuration du lexique. 2vols. Tubinga: Max Niemeyer Verlag, 1987.
  • 26. BibliografiaCORBIN, D. Form, structure and meaning of constructed words in anassociative and stratified lexical component. In: Yearbook of Morphology 2.Dordrecht: Foris Publications, 1989, p. 31-54.CORBIN, D. Introduction - La formation des mots: structures etinterprétations. In: Lexique 10. Villeneuve d‟Ascq: Presses Universitaires deLille, 1991, p. 7-30.CORBIN, D. La représentation d‟une “famille” de mots dans le Dictionnairedérivationnel Du français et ses corrélats théoriques, méthodologiques etdescriptifs. In: Recherches linguistiques de Vincennes, 1997 pp. 5-37 +errata.CORBIN, D. Programme de recherche (1997-2003). Le Dictionnaire desaffixes et Le Dictionnaire dérivationnel du français: mises en pratique d‟unethéorie morphologique. In: Lexique 16. Villeneuve d‟Ascq: PressesUniversitaires du Septentrion, 2004, p. 53-66.
  • 27. BibliografiaCORBIN, P. Introduction: Lexique 16, treize ans après Lexique 10. In: Lexique 16.Villeneuve d‟Ascq: Presses Universitaires du Septentrion, 2004, p. 9-52.CORREIA, M. Introdução. In: A denominação das qualidades em português –contributos para a compreensão da estrutura do léxico português. Tese dedoutoramento apresentada à Universidade de Lisboa, 1999.CORREIA, M. Denominação e construção de palavras. Lisboa: Edições Colibri,2004.CORREIA, M. Terminologia e morfologia: marcas morfológicas da génese dovocabulário da Náutica em português. In: M. T. CABRÉ, R. ESTOPÀ & C. TEBÉ(eds.), La terminología em el siglo XXI – Contribución a la Cultura de la Paz, laDiversidad y la Sostenibilidad (Actas del IX Simposio Iberoamericano de TerminologíaRITERM04). Barcelona: IULA / Universitat Pompeu Fabra, 2006, p. 31-52. Disponívelem: http://www.iltec.pt/pdf/wpapers/2004-mcorreia-barcelona.pdfRIO-TORTO, G. M. Morfologia derivacional – teoria e aplicação ao Português.Porto: Porto Editora, 1998.
  • 28. MUITO OBRIGADO!! Joel Sossai Coleti (joelscoleti@gmail.com) Gladis Maria de Barcellos Almeida (gladis@ufscar.br) www.geterm.ufscar.br

×