ORAÇÃO SUBORDINADA
        Oração subordinada é a que exerce uma função sintática em relação a uma outra oração, chamada
 ...
ORAÇÃO SUBORDINADA SUBSTANTIVA

   São aquelas que exercem sentido dentro dos substantivos (sujeito, objeto direto, objeto...
1) No seguinte grupo de orações sublinhadas:
   I) é bom que você venha;
   II) não esqueças que és fiel;

   Temos oraçõe...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Oração subordinada

3,419 views
3,345 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
3,419
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
36
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Oração subordinada

  1. 1. ORAÇÃO SUBORDINADA Oração subordinada é a que exerce uma função sintática em relação a uma outra oração, chamada oração principal e que pede complemento. Dependendo da função sintática que exercem, as orações subordinadas podem ser classificadas em: Substantivas, Adjetivas ou Adverbiais. Oração subordinada adverbial é aquela que se encaixa na oração principal, funcionando como adjunto adnominal. Dividem-se em: Causais: exprimem a causa do fato que ocorreu na oração principal. Iniciadas, principalmente. Ex.: Já que está chovendo vamos dormir. Segundo ex.: Larissa Mota chorou porque apanhou da mãe. Principais conjunções: porque, visto que, já que, uma vez que, como que, como:> Comparativas: representam o segundo termo de uma comparação. Ex.: Essa mulher fala como um papagaio.. Segundo ex.: O livro Poemas Ricardo S. Z. M. é como um livro velho, deve ser lido lentamente. Principais conjunções: que, do que, como, assim como, (tanto) quanto. Concessivas: indica uma concessão entre as orações. Ex.: Embora chova, vou à praia. Principais conjunções: embora, a menos que, ainda que, posto que, conquanto, mesmo que, se bem que, por mais que, apesar de que. Condicionais: expressa uma condição. Ex.: Se chover, não irei à praia. Principais conjunções: se, salvo se, desde que, exceto, caso, desde, contando que, sem que, a menos que. Conformativas: exprimem acordo, concordância de um fato com o outro. Ex.: Cada um colhe conforme semeia. Principais conjunções:como, consoante, segundo, conforme. Consecutivas: traduzem a conseqüência ou o efeito do que se declara na oração principal. Ex.: Falei tanto, que fiquei rouco. Principais conjunções: que (precedida de tal, tão, tanto, tamanho), de sorte que, de modo que. Finais: exprimem finalidade.Ex.: "fiz isso para que me perdoassem". indica uma finalidade. Ex.: Ibraim estuda para que possa vencer. Principais conjunções: para que, a fim de que, que. Temporais: indicam circunstância de tempo Ex.: Logo que chegou, sentou-se no sofá. Principais conjunções: quando, antes que, assim que, logo que, até que, depois que, mal, apenas, enquanto. Proporcionais: expressa proporção entre as orações. Ex.: O trânsito piorava à medida que a chuva aumentava. Principais conjunções: à medida que, quanto mais, tanto mais, à proporção que, ao passo que, quanto mais.
  2. 2. ORAÇÃO SUBORDINADA SUBSTANTIVA São aquelas que exercem sentido dentro dos substantivos (sujeito, objeto direto, objeto indireto, aposto, complemento nominal e predicativo), iniciam por conjunções integrantes (que e se). Na oração subordinada substantiva a oração subordinada pode ser: Subjetiva (O.S.S.S.): exercem função de sujeito do verbo da oração principal. É provável que ele chegue ainda hoje. (O que é provável?);Pode ser também quando a oração principal começa com verbo de ligação. Objetiva Direta (O.S.S.O.D.): exercem função de objeto direto (não possui preposição). Desejo que todos venham. (Quem deseja, deseja algo, alguma coisa); Objetiva Indireta (O.S.S.O.I.): exercem função de objeto indireto (possui preposição obrigatória, que vem depois de um VERBO). Necessitamos de que todos nos ajudem; (Quem necessita, necessita DE algo, DE alguma coisa ou DE alguém) Predicativas (O.S.S.P.): exercem função de predicativo. Meu desejo era [verbo de ligação] que me dessem uma camisa; Pode ser também quando a oração principal termina com verbo de ligação. Completivas Nominais (O.S.S.C.N.): exercem função de complemento nominal de um nome da oração principal. Tenho esperança de que ela ainda volte; Apositivas (O.S.S.A.): nem todas as apositivas têm dois pontos (:)ou ponto e virgula (;) no meio da oração mas exercem função de aposto do mesmo jeito. Desejo-te uma coisa: que sejas muito feliz. Ou seja, todas as orações subordinadas substantivas podem ser trocadas por isso, disso ou nisso. Veja os exemplos: Precisamos de que venha para a aula. = Precisamos disso. (Disso: completiva nominal ou objetiva indireta) Quero que venha para a guerra. = Quero isso. (Isso: subjetiva, objetiva direta, predicativa) Fiquei pensando que valia a pena. = Fiquei pensando nisso. (Nisso: completiva nominal ou objetiva indireta).
  3. 3. 1) No seguinte grupo de orações sublinhadas: I) é bom que você venha; II) não esqueças que és fiel; Temos orações subordinadas respectivamente: a) objetiva direta, subjetiva: b) subjetiva, objetiva direta: c) objetiva direta, adverbial temporal: d) subjetiva, predicativa: e) predicativa, objetiva direta. 02) A oração sublinhada está corretamente classificada, EXCETO em: a) “se Madalena me visse assim, com certeza me achava extraordinariamente feio.” (oração subordinada adverbial condicional) b) “levanto-me, procuro uma vela, que a luz vai apagar-se”; (oração coordenada sindética explicativa) c) “de longe em longe sento-me fatigado e escrevo uma linha”; (oração coordenada sindética aditiva) d) “e falando assim, compreendo que perco o tempo”; (oração subordinada substantiva objetiva direta) . e) “foi este o modo de vida que me inutilizou.” (oração subordinada substantiva predicativa) 3) Numa das frases abaixo, não se encontra exemplo da conjunção anunciada. Assinale-a: a) subordinativa concessiva -” Conquanto estivesse cansado, concordou em prosseguir”; b) subordinativa condicional - “Digam o que quiserem contanto que não me ofendam”; c) subordinativa temporal - “mal anoiteceu, iniciou-se a festa com grande entusiasmo” ; d) subordinativa final - “saiu sem que ninguém percebesse”; e) subordinativa causal - “como estou doente, não comparecerei”. 4) “O mais certo é não dirigir veículo sem carta de habilitação”, a oração sublinhada é reduzida de infinitivo com valor de subordinada: a) adverbial; b) coordenada: c) adjetiva; d) substantiva; e) reduzida. 5) Assinale a opção em que a troca do termo extraído do trecho abaixo pela forma colocada entre parênteses implicaria sensível alteração de sentido: “Uma observação mais cuidadosa revela, porém (A), que Ciência e Tecnologia não se comportam como (B) mercadorias, mas (C) como bens culturais: é por isso, talvez, que toda tentativa de transferência de tecnologia fracassa e resulta no (D) que não passa de alguma (E) forma efêmera de prestação de serviço.” a) “porém” / (portanto); b) “como” / (do mesmo modo que); c) “mas” / (e sim); d) “no” / (naquilo); e) “alguma” / (uma). b, e, d, d, a.

×