• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Powerpointjociane
 

Powerpointjociane

on

  • 1,000 views

EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA

EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA

Statistics

Views

Total Views
1,000
Views on SlideShare
1,000
Embed Views
0

Actions

Likes
1
Downloads
11
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Powerpointjociane Powerpointjociane Presentation Transcript

    • APRESENTAÇÃO JOCIANE FERNANDES MONKS
    • EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA
    • INTRODUÇÃO
      • Educação a distância é o processo de ensino-aprendizagem, mediado por tecnologias, onde professores e alunos estão separados espacial e/ou temporalmente.
      • Na expressão "ensino a distância" a ênfase é dada ao papel do professor (como alguém que ensina a distância). Preferimos a palavra "educação" que é mais abrangente, embora nenhuma das expressões seja perfeitamente adequada.
      • Hoje temos a educação presencial, semi-presencial (parte presencial/parte virtual ou a distância) e educação a distância (ou virtual). A presencial é a dos cursos regulares, em qualquer nível, onde professores e alunos se encontram sempre num local físico, chamado sala de aula. É o ensino convencional. A semi-presencial acontece em parte na sala de aula e outra parte a distância, através de tecnologias. A educação a distância pode ter ou não momentos presenciais, mas acontece fundamentalmente com professores e alunos separados fisicamente no espaço e ou no tempo, mas podendo estar juntos através de tecnologias de comunicação.
    • DESENVOLVIMENTO
      • Educação a distância não é um "fast-food" em que o aluno se serve de algo pronto. É uma prática que permite um equilíbrio entre as necessidades e habilidades individuais e as do grupo - de forma presencial e virtual. Nessa perspectiva, é possível avançar rapidamente, trocar experiências, esclarecer dúvidas e inferir resultados. De agora em diante, as práticas educativas, cada vez mais, vão combinar cursos presenciais com virtuais, uma parte dos cursos presenciais será feita virtualmente, uma parte dos cursos a distância será feita de forma presencial ou virtual-presencial, ou seja, vendo-nos e ouvindo-nos, intercalando períodos de pesquisa individual com outros de pesquisa e comunicação conjunta. Alguns cursos poderemos fazê-los sozinhos, com a orientação virtual de um tutor, e em outros será importante compartilhar vivências, experiências, idéias.
      • Os resultados do Censo da Educação Superior de 2006, divulgados pelo Inep (instituto de avaliação do Ministério da Educação) apontam um crescimento de 571% no número de cursos de educação a distância. Os dados também mostram que o número de matrículas cresceu 315%. Em 2005, os alunos de cursos a distância representavam 2,6% do universo dos estudantes. Em 2006 essa participação passou a ser de 4,4%. (Censo aponta que educação a distância cresceu 571% no Brasil, fonte: Folha Online)
      • Cautela não faz mal a ninguém. Ainda nem temos muita certeza quanto a forma como a Educação a Distância (EAD) pode ou deve ser aplicada e os mais recentes índices apresentados pelo MEC-INEP demonstram que os brasileiros estão cada vez mais eufóricos com a opção de estudar pela internet...
      • De nada adianta abrir tantos cursos a distância, via web, se os mesmos não possuem a necessária qualificação, estrutura, materiais, didática, possibilidades de aprofundamento. São Paulo é o estado com mais alunos na EAD.
      • São pessoas que por motivos maiores, não tem a possibilidade de entrar e estudar em faculdade, ou seja, em uma sala de aula, e encontram no EAD a possibilidade de cursarem uma graduação, progredirem profissionalmente, aumentando seus conhecimentos. São pessoas que sabem se auto-avaliar, e avaliar o próprio conhecimento adquirido a distancia, pessoas que de uma forma ou de outra não querem parar no tempo e aproveitam tudo o que a tecnologia de hoje pode oferecer, alem é claro de economizarem tempo e dinheiro, pois a EAD, comparada com uma faculdade normal particular é uma opção bem mais barata.
      • A falta de didática também é inconcebível em EAD. Enquanto no ensino tradicional o professor é um treinador e sua responsabilidade é passar seu conhecimento para os outros, no e-learning, o professor é um facilitador, que provoca diálogo e, além de passar a informação, recebe e aprende com os alunos. Ele também precisa dedicar mais tempo sacando cada aluno, as peculiaridades de cada um, para saber lidar e direcionar a turma de maneira que todos se mantenham interessados e interagindo. "Numa classe virtual, o professor não consegue ter pistas visuais de cada aluno. Fica mais difícil decifrá-lo. Ele não vê como cada um se veste, o tom de voz, o olhar, os gestos. Então, é preciso, logo no início, investir um tempo instigando a turma a falar de si, dos seus interesses. Posteriormente, pode ser necessário ainda ter uma comunicação privada entre professor e aluno, por email, por exemplo".Ser dinâmico e rápido no gatilho é fundamental em um curso a distância.
      • Educação a distância: Nessa modalidade não existe “aula” como no presencial. As aulas são ministradas através de materiais didáticos extremamente bem planejados que devém ter por objetivo serem autodidatas. O Professor nesse caso assume um papel de facilitador. Dessa maneira quanto melhor for o material didático menos o professor, facilitador, necessitará intervir, existindo nesse caso uma diminuição de tarefas, uma vez que todas as aulas já estão prontas e disponíveis para os alunos. As dúvidas que forem surgindo e que necessitem a intervenção de um o professor devem ser utilizadas para a melhoraria dos materiais didáticos do curso. Isso reduzira ainda mais o trabalho de professor que acabaria por te um papel fundamentalmente de provocar reflexões e discussões sobre o conteúdo e não mais ser o responsável pela transmissão do conhecimento.
      • Educação mediada por tecnologia: Nessa modalidade existe a tentativa de reproduzir a aula presencial através dos meios tecnológicos. Por isso notamos que vários problemas do ensino presencial são levados para a EAD e agravados por mais uma variável, a tecnologia. Na EAD o que existe não é a substituição do professor, mas apenas uma mudança de papeis.
      • Especificamente, quanto ao uso de tecnologias, a Secretaria de Estado da Educação do têm investido, significativamente, em infra-estrutura e inovações tecnológicas que possibilitam, além do apoio à prática docente, uma alternativa ao processo de formação continuada dos profissionais da educação, visando a ampliação da oferta de cursos e a universalidade de acesso. Desta forma busca-se a incorporação da modalidade a distância como mais uma das opções ao Programa de Formação.
      • Novos movimentos no espaço escolar são iniciados pela formação continuada na modalidade a distância de forma mais democrática. A apropriação de tecnologias de informação e comunicação pode conduzir a uma nova práxis pedagógica que incorpora os avanços tecnológicos presentes no mundo contemporâneo. A possibilidade de interação por meio de ambientes de aprendizagem que a Educação a Distância oportuniza, pode conduzir a uma prática reflexiva e crítica, bem como, a construção permanente de identidade pessoal e profissional. Além disso, esta modalidade rompe com as barreiras espaços-temporais sem prejuízos à organização do tempo escolar. Sendo assim, a Secretaria de Estado da Educação propõe a implantação de formação continuada também na modalidade a distância.
      • Tecnicamente, o e-learning é o ensino realizado através de meios eletrônicos. É basicamente um sistema hospedado no servidor da empresa que vai transmitir, através da Internet ou Intranet, informações e instruções aos alunos visando agregar conhecimento especifico. O sistema pode substituir total ou parcialmente, o que é mais comum, o instrutor, na condução do processo de ensino. No e-learning, as etapas de ensino são pré-programadas, divididas em módulos e são utilizados diversos recursos como o e-mail, textos e imagens digitalizadas, sala de bate-papo, links para fontes externas de informações, vídeos e teleconferências, entre outras. O treinamento com o e-learning pode ser montado pela própria empresa ou por qualquer dos fornecedores desse tipo de solução já existentes no mercado.
      • A primeira vantagem do e-learning, é o rompimento de barreiras geográficas e temporais. Com o e-learning, um curso sobre um novo produto, por exemplo, pode ser feito de qualquer local do planeta a qualquer momento, bastando para isso o acesso a Internet e uma senha. Em síntese, o e-learning possibilita ao aluno gerenciar o seu próprio tempo disponível, dentro dos parâmetros estabelecidos pelo curso, e sem perder tempo com deslocamentos. 
      • Outra vantagem do e-learning está relacionada a reprodução do conteúdo. Uma vez montado o curso para um aluno, a sua reprodução para dois, centenas, ou milhares de alunos pode ser feita a um custo marginal insignificante. Com um curso tradicional, o máximo que se consegue é montar turmas de alunos, até se completar todo o universo que se pretenda atingir numa escala crescente de custos, energia e tempo desprendido. Evidentemente, isso sugere que, para poucos alunos, talvez um treinamento convencional seja a solução mais adequada que o e-learning. Por outro lado, pensando em termos de políticas públicas de ensino, onde o universo se mede não em milhares, mas em milhões de candidatos à instrução, é possível que o e-learning, venha a representar uma verdadeira revolução na geração de conhecimento.
      • É interessante como funcionário fazer cursos à distância e estar se aprimorando e adquirindo conhecimento através de cursos que facilitam o nosso dia-a-dia. Como também seria interessante proporcionar cursos à distância para meus funcionários, pois assim obteriam maior conhecimento no tempo disponível de cada um.
    • CONCLUSÃO
      • O aprendizado por Investigação é uma nova técnica para muitos professores. O professor não é mais o sábio no estágio de fornecedor de um corpo fixo de informações, ele torna-se um facilitador da aprendizagem por descoberta de seus alunos, através de conferências progressivas.
      • Professores progressistas, que são os primeiros adeptos da tecnologia, podem tornar-se agentes de mudanças para suas observações. Eles podem apoiar outros professores através de planejamentos, como um grupo, e trabalhando com módulos de aprendizado e equipamentos usando-os antes em sala de aula.
    • BIBLIOGRAFIA
      • http://penta.ufrgs.br/edu/edu1_5.html
      • http://www.eca.usp.br/prof/moran/dist.htm
      • http://portal.mec.gov.br/seed/