Projeto de Recuperação Ambiental das Lagoas da Barra - Apresentação Grd. - Sub-Sec.SEA - Antonio Da Hora - 21/06/2011 - Parte1
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Projeto de Recuperação Ambiental das Lagoas da Barra - Apresentação Grd. - Sub-Sec.SEA - Antonio Da Hora - 21/06/2011 - Parte1

on

  • 2,588 views

 

Statistics

Views

Total Views
2,588
Views on SlideShare
2,588
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
43
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Projeto de Recuperação Ambiental das Lagoas da Barra - Apresentação Grd. - Sub-Sec.SEA - Antonio Da Hora - 21/06/2011 - Parte1 Presentation Transcript

  • 1. Projeto de Recuperação Ambiental do Sistema Lagunar de JacarepaguáPC-7407-37637-R0
  • 2. Lagoa de Camorim Lagoa deJacarepaguá LOCALIZAÇÃO
  • 3. • Local: Bacia Hidrográfica de Jacarepaguá (Sudoeste do Município do Rio de Janeiro).• Bairros: Região Administrativa de Jacarepaguá (Jacarepaguá, Anil, Gardênia Azul, Cidade de Deus, Curicica, Freguesia, Pechincha, Taquara, Praça Seca e Tanque) e bairros da Região Administrativa da Barra da Tijuca (Joá, Barra da Tijuca, Itanhangá, Camorim, Vargem Grande, Vargem Pequena, Recreio e Grumari).• O Sistema apresenta um espelho d’água de 9,3km².• Extensão de aproximadamente 13 km.• É composto pelo Canal da Joatinga e pelas lagoas de Jacarepaguá, Camorim, Tijuca e Marapendi.• Em 2000, a bacia abrigava uma população estimada em cerca de 650 mil de habitantes. A recuperação da área beneficiará em 2016 mais de 1.000.000 hab. Diretamente.
  • 4. Lagoa deJacarepaguá
  • 5. A bacia hidrográfica do sistema lagunar deJacarepaguá vem sendo ocupada há váriasdécadas de forma desordenada. Apesar deapresentar uma grande área montanhosacoberta por florestas, esta bacia possui áreasmajoritariamente urbanas, de grandedensidade populacional e industrial, o que fazcom que este ambiente esteja sujeito aolançamento de esgoto doméstico e ao despejode resíduos sólidos, tanto de condomínios deluxo e de classe média, como de favelaspróximas às suas margens.Os esgotos lançados direta ou indiretamentenos lagos são uma fonte considerável deFósforo e Nitrogênio que são os maioresresponsáveis pelo aumento da produção dealgas (cianofíceas ou cianobactérias).SITUAÇÃO ATUAL DO SISTEMA LAGUNAR: POLUIÇÃO
  • 6. Tais substâncias, em associação com outrasservem de nutrientes do fitoplâncton (as"algas" microscópicas que vivem na água),que podem se reproduzir em grandesquantidades, tornando a água esverdeada ouacastanhada. Matéria AumentoSe houver muita matéria orgânica, o DBO Orgânica (nutrientes) do DBOdesta água também aumenta e dessa forma,as bactérias se multiplicarão em demasia edisputarão entre si todo o oxigênio disponível.Quando estas “algas” - e o zooplâncton quedelas se alimenta - começam a morrer, a suadecomposição pode tornar aquela massa de Morte da biota aquática Proliferação deágua pobre em oxigênio, incapazes de e outros animais que cionobactérias e desta se alimentam macrófitassustentar a vida aeróbia, provocando a mortede peixes e outros animais e a formação degases tóxicos ou de cheiro desagradável. Disputa por oxigênio eSendo assim, as lagoas da Tijuca, Camorim e diminuiçãoJacarepaguá apresentam um estado de grave do mesmodegradação ambiental de seu ecossistema,que favorece o processo de assoreamento eeutrofização, com o aumento da vegetaçãoflutuante, floração de algas e eventualmortandade de peixes.
  • 7. A implantação de obras de dragagem paradesassoreamento das lagunas da Tijuca, Camorim, SITUAÇÃO ATUAL: EUTROFIZAÇÃOJacarepaguá e Marapendi e canal da Joatinga significaa revitalização do sistema lagunar pela renovação maisintensa e rápida de suas águas, com conseqüenteeliminação de material sedimentado proveniente doesgoto sanitário acumulado durante décadas. Istofavorecerá não apenas a população que residepróxima às lagunas, como também beneficiará todasas pessoas que indiretamente transitam por estaregião, além da fauna e flora local. Trazendo vida àreserva existente. SITUAÇÃO ATUAL DO SISTEMA : ASSOREAMENTO SITUAÇÃO ATUAL: MORTANDADE DE ESPÉCIES
  • 8. • Modelo Utilizado: Sistema Base de Hidrodinâmica Ambiental (SisBAHIA) – COPPE/UFRJ• Objetivo da modelagem hidrodinâmica: determinar o padrão de circulação local ao longo de 15 dias, iniciando-se em maré de quadratura, utilizando-se como forçante a variação temporal da onda de maré na fronteira aberta do domínio.
  • 9. • Situação Futura 1  remoção aproximada de 2.000.000 m³ incluindo: canal principal (de 15.100 m) e 2 canais secundários (de 1.000 m e 3.550 m de extensão),• Situação Futura 2  remoção aproximada de 3.300.000 m³ incluindo: canal principal (de 15.100 m) e 2 canais secundários (de 1.000 m e 3.550m de extensão); dragagem das áreas críticas nas lagoas da Tijuca e Jacarepaguá até a cota de 0,5 m.• Situação Futura 3  remoção aproximada de 5.600.000 m³ incluindo: canal principal (de 15.100 m) e 2 canais secundários (de 1.000 m e 3.550 m de extensão); dragagem das áreas críticas nas lagoas da Tijuca, Jacarepaguá e Marapendi até a cota de 1,5 m.
  • 10. • Situação Futura 4  remoção aproximada de 12.000.000m³ incluindo: dragagem das lagoas da Tijuca, Camorim e Jacarepaguá e canal da Joatinga até a cota 3,0 m; dragagem das áreas críticas na lagoa de Marapendi até a cota de 1,5 m.• Situação Futura 5  remoção aproximada de 5.600.000 m³ incluindo: canal principal (de 15.100 m de extensão) e 2 canais secundários (de1.000 m e 3.550 m de extensão); rebaixamento em mais 0,5 m de dois trechos do canal principal: no canal da Joatinga (alcançando a profundidade de 3,5 m) e na lagoa de Camorim (passando a apresentar profundidade de 3,0 m); dragagem das áreas críticas nas lagoas da Tijuca, Jacarepaguá e Marapendi até a cota de 1,5 m.
  • 11. - Parâmetros Estudados: • Vazão • Velocidade e Níveis d’água • Circulação Hidrodinâmica • Troca de Massas d’água •Salinidade •Temperatura
  • 12. • Situação atual – início da modelagem – cada cor representa as partículasde água de uma das lagoas Lagoa de Jacarepaguá (lilás) Lagoa da Tijuca (vermelho) Lagoa de Marapendi (amarelo)
  • 13. • Situação modelada –180 dias após dragagem. Lagoa de Jacarepaguá (lilás) Lagoa da Tijuca (vermelho) Lagoa de Marapendi (amarelo)
  • 14. • Circulação Hidrodinâmica e Troca de Massas d’água: Hoje, observa-se o baixo padrão de circulação das águas deste sistema lagunar, principalmente na parte oeste das lagoas da Tijuca e de Jacarepaguá; As intervenções propostas trarão uma sensível melhora na circulação e renovação das águas entre as lagunas e o mar com a implantação das obras de dragagem. Aumento médio para cenários simulados (%): LOCAL Futuro 1 Futuro 2 Futuro 3 Futuro 4 Futuro 5 Entrada canal da Joatinga 30 38 48 98 61 Entrada canal de Marapendi 7 13 38 35 39 Entrada lagoa da Tijuca 46 63 54 122 59 Entrada lagoa de Camorim 75 71 78 225 90 Entrada lagoa de Jacarepaguá 86 80 86 256 100
  • 15. Vazão:• Aumento de vazão nas seções de análise de pelo menos 40% no cenário simulado;• Aumento médio para o cenário simulado (%): LOCAL Futuro Entrada canal da Joatinga 61 Entrada canal de Marapendi 39 Entrada lagoa da Tijuca 59 Entrada lagoa de Camorim 90 Entrada lagoa de Jacarepaguá 100
  • 16. ORGANOGRAMA DO PROJETO DE RECUPERAÇÃO AMBIENTAL DO SISTEMA LAGUNAR 1 - PLANEJAMENTO 2 - ESTUDOS 3 - GERENCIAMENTO1.1 - Projeto de Dragagem 2.1 – RAS – Relatório Ambiental 3.1 – Alternativas de Espigão. Simplificado Disposição.• Aspectos quantitativos e 2.2 – Investigações de Campo. • Disposição em terra ou qualitativos do Material a ser no corpo hídrico dragado. • Batimetria • Aproveitamento como• Método de Dragagem • Sondagens aterro• Alternativas de Disposição • Coleta de Amostras • Alternativas de tratamento• Aspectos Legais• Aspectos Ambientais 2.3 – Ensaios de Laboratório 3.2 – Análise de Impacto • Análises Granulométricas e Ambiental1.2 – Programa de Investigações Físico Químicas, • Associados à • Testes Ecotoxicológicos, Execução • Investigações Biológicas • Associados à Disposição
  • 17. OBJETIVOS:• Melhoria da troca hídrica• Navegação mais segura.• Evitar o assoreamento por areia proveniente da praia da Barra da Tijuca.
  • 18. Exemplo de Execução de Projeto: (Construção de Espigão)