• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Liduina carvalho pegada ecológica
 

Liduina carvalho pegada ecológica

on

  • 611 views

 

Statistics

Views

Total Views
611
Views on SlideShare
448
Embed Views
163

Actions

Likes
0
Downloads
4
Comments
0

2 Embeds 163

http://maguiguimaraes.com.br 105
http://www.maguiguimaraes.com.br 58

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Liduina carvalho pegada ecológica Liduina carvalho pegada ecológica Presentation Transcript

    • PEGADA ECOLÓGICA “A Pegada Ecológica foi criada para nos ajudar a perceber o quanto de recursos da Natureza utilizamos para sustentar nosso estilo de vida.” WWF-BrasilO método da Pegada Ecológica consiste na realização do calculo daárea necessária de terra e água que possa manter, através daprodução de bens requeridos, um certo sistema e para assimilar osdejetos e resíduos por ele produzidos (BELLEN, 2006).A pegada ecológica calcula a pressão do ser humano sobre oplaneta, medindo a rapidez com que consumimos recursos naturaise produzimos resíduos, em comparação com a capacidade doplaneta.O cálculo da riqueza deve considerar outros aspectos além dodesenvolvimento econômico, como a conservação do meio ambientee a qualidade de vida das pessoas.
    • Caatinga-Fev/ 2011O Relatório Brundtland apresentado à Assembleia Geral da ONU em 1987, desenvolveu oconceito de desenvolvimento sustentável como sendo aquele que atende às necessidadesdo presente sem comprometer a possibilidade de as gerações futuras atenderem a suaspróprias necessidades.Em muitos dos países desenvolvidos a prosperidade aumentou, o capital social diminuiu e obem-estar/felicidade não aumentou e o grau de satisfação da vida está declinando.Ocorreram imensos custos ambientais na busca pela prosperidade. (Michael Pennock,2007)O desenvolvimento econômico é um meio e não um fim. A humanidade é o fim para quem odesenvolvimento econômico deve contribuir para trazer mais qualidade de vida e nãoescravizar o homem.
    • Qual a relação entre o seu cotidiano e o meio ambiente?Sabemos que a água potável é um recurso cadavez mais escasso no planeta. Em 2007 a ONU(Organização das Nações Unidas) declarou quecerca de 1,1 bilhões de pessoas em todo o mundonão têm acesso a água potável e estima-se quedois milhões de crianças morrem todos os anospela falta dela ou de saneamento básico.Segundo a ONG Global Footprint Netwoork (GFN), a capacidade deregeneração anual do planeta é ilimitada. Diante disso, a capacidadede consumo do ser humano parece ilimitada e o planeta não ésuficiente para cumprir com as exigências que a Humanidade lheimpõe.Desde a década de 1970, os seres humanos vivem muito acima dosseus meios. Estamos consumindo 50% do que a Terra é capaz deproduzir.
    • CONFLITO DE USO DAS ÁGUASA demanda por água potável continuacrescendo junto com o crescimentoeconômico e com o aumento dapopulação. Cerca de 1,3 bilhão depessoas não tem acesso à água potável,com isso, os países pobres são os maisvulneráveis(Wordwatch Institute, 2000). FOTO: REUTERS
    • Poluição em São Paulo Poluição do Ar Os principais responsáveis pelo déficit nos recursos planetários, são as emissões de dióxido de carbono e a exploração dos recursos naturais. “A mudança climática como consequência dos gases de efeito estufa que se emitem mais rápido do que podem ser absorvidos por florestas e oceanos é a consequência mais tangível e urgente.” ONG Global Footprint Netwoork (GFN)
    • Meio Meio rural urbanoAo represar rios, queimar florestas, aterrar pântanos, poluirmos os rios e criar cidades,estamos destramando os fios de uma complexa rede de segurança ecológica.
    • CENAS DOS NOSSOS DIAS “O mundo está do jeito que está, porque somos do jeito que somos” (Gurjieff). Lixão na cidade de Jaiba - MGChaval - CE
    • O Uso Sustentável do EspaçoComo uma população específica pode usar de forma mais sustentávelum dado território, considerando-se os recursos naturais disponíveis, opotencial econômico e o contexto atual de desenvolvimento?A Humanidade está simplesmente usando mais do que o planeta podeprover. Atualmente cada habitante da Terra dispõe apenas de 1,5ha(15.000 m² ou uma área de 100m x 150m), dos quais apenas 0,24 hasão aráveis (Fonte: Genebaldo Freire, 2001, p.183).Mais de 100 milhões de pessoas vão morrer e o crescimento econômicoglobal será reduzido em 3,2% do Produto Interno Bruto (PIB) até 2030 seo mundo fracassar no combate às mudanças climáticas, alertou umrelatório conduzido pela organização humanitáriaDARA(set/2012),encomendado por 20 governos da Europa.A ganância juntamente com o consumo de materiais e as atuaisatividades econômicas estão destruindo a ecologia que sustenta a nossavida.
    • IMPACTOS DAAGRICULTURA
    • IMPACTOS DA EXTRAÇÃO DE MADEIRAIMPACTOS DAPECUÁRIA
    • ÁREAS EM PROCESSO DE DESERTIFICAÇÃO Aratuba ARATUBA CanindéIndependência
    • O avanço desordenado dos Bairros de classe média espremidos por empreendimentos imobiliários. um cinturão de nobreza e criminalidade.O desenvolvimento sustentável baseado nos atuais padrões de uso dos recursosnaturais não é nem concebível teoricamente.As cidades precisam urgentemente evoluir para novos sistemas sustentáveis queimitem a natureza. Em vez de devorar recursos naturais e devolver poluição aoambiente, deve controlar seu apetite e reaproveitar seus detritos.(Banco de dadosda Conferência de Istambul, 1996).
    • POR ONDE COMEÇAR AS MUDANÇAS?Dentre os objetivos do Milênio, que são oito, o sétimo foi estabelecido em prol degarantir a Sustentabilidade Ambiental, que contempla a conservação da naturezageográfica, o equilíbrio de ecossistemas, a erradicação da pobreza e da exclusão,bem como o respeito aos direitos humanos e a integração social.A sustentabilidade implica crescer com base em critérios de equilíbrio ambiental einclusão social.Para o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), “crescimentoem renda e emprego deve ser baseado em investimentos públicos e privados quereduzem emissões de carbono e poluição, aumentam a eficiência energética e derecursos, e reduzem a perda de serviços da biodiversidade e dos ecossistemas.”Para o coordenador executivo da Articulação no Semiárido (ASA), os grandesprojetos que estão sendo implantados, na região do Semiárido, não respeitam aspessoas. O poder econômico dos grandes projetos passa por cima de todos.Bhutan, da Comissão de Planejamento do Governo Real do Butão diz que o“Desenvolvimento devia ser entendido como um processo que busca maximizar aFelicidade, em vez do crescimento econômico, reconhece que o indivíduo temnecessidades, materiais, espirituais e emocionais.”
    • A dieta de cabras é melhorada pela silage, sequeiro Inauguração de uma cisterna como fonte de região em Ouricuri Pernambuco abastecimento de água No Nordeste do Brasil, é oferecido suporte para projetos que estão sendo executados por parceiros locais, para um Semiárido sustentável, com alternativa de fontes de renda, de modo a aliviar a pressão sobre os recursos naturais, da água sustentável e manejo do solo, bem como do meio ambiente educação.
    • Mudanças fundamentais na forma como as Sociedades produzem e consomem, são indispensáveis para que se alcance o desejado desenvolvimento sustentável. PRODHAM/Canindé- CeAssociação Caatinga/Crateús -Projeto "No Clima da Caatinga"/2012
    • Enquanto um número suficiente de pessoas não colocar a natureza acima de si mesmo – percebendo que os dois são inseparáveis, não podemos esperar que as nossas instituições governamentais executem as ações mais urgentes e óbvias para remediar a situação.Foto: Vládia Lima - Comunicação CaatingaA humanidade agora está lutando não apenas por solo mas também por água e ar, numambiente hostil que remonta à era pré-industrialista.Recomenda-se pois, uma profunda transformação, que exige uma reestruturação político-econômica global, baseada na democracia, na equidade, dignidade e PromoçãoHumana e na sustentabilidade ecológica e socioeconômica da Terra( Genebaldo Freire,2001.A crise ecológica é um sintoma da crise espiritual do ser humano, que vem daignorância (Rio 92)
    • JORNAL O POVO, 2010 AP IMAGENSUma análise da pegada ecológica expõe o drama da insustentabilidade e salienta anecessidade de ajustes e redirecionamentos urgentes, nas formas de relacionamentodos seres humanos com o ambiente e no seu estilo de vida.A transformação da vida no sistema global que se pretende alcançar de modosustentável, só começará com o trabalho interior da transformação individual.Diminuir a pegada ecológica e os custos financeiros, e manter um contato mais próximocom os vizinhos, tudo isso se traduz em menos stress e um estilo de vida com maissentido e realização.
    • Paz e Bem!liduina.carvalho@srh.ce.gov.br