Your SlideShare is downloading. ×
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
1,394
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
49
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. SOCIOLOGIA Cultura e sociedade
  • 2. Conceito de cultura A cultura é parte fundamental no processo de socialização do homem, uma vez que o torna um ser social. Para entender como os grupos se organizam na sociedade, precisamos compreender o que é cultura e como ela pode ser decisiva no entendimento das peculiariedades de cada grupo e/ou de cada sociedade.
  • 3. A cultura é transmitida pela herança social: o indivíduo aprende cultura no grupo social e não por herança genética. Uma geração transmite cultura para outra por meio do processo de socialização.
  • 4. Cultura compreende a totalidade das criações humanas: abrange tudo o que foi criado pela humanidade, como ideias, valores, manifestações artísticas de todo tipo, crenças, instituições sociais, conhecimentos científicos, instrumentos de trabalho, tipos de vestuário, construções etc.
  • 5. Cultura é uma característica exclusiva das sociedades humanas: os animais não são capazes de criar cultura.ela se concretiza por tudo aquilo que o ser humano produz para satisfazer suas necessidades e viver em sociedade: para se proteger do frio, ele cria moradias; para saciar a fome,ele planta e cria animais etc.
  • 6. A cultura é construída e compartilhada pelos membros de uma determinada coletividade. O que caracteriza uma cultura, em particular, é o compartilhamento dos hábitos, valores, atitudes.
  • 7. Ela se manifesta por meio de diversos sistemas (valores, normas, ideologias) que influenciam a personalidade das pessoas, determinando sua forma de pensar e de agir. Falamos de normas culturais quando nos referimos às regras de comportamento que refletem os valores de uma cultura.
  • 8. ANTROPOLOGIA É a ciência que encara a cultura como a totalidade de padrões aprendidos e desenvolvidos pelo ser humano.
  • 9. As Relações entre as Culturas Etnocentrismo é a tendência de valorizar a própria cultura, tomando-a como parâmetro para avaliar e julgar as demais.
  • 10. Relativismo cultural é o oposto do etnocentrismo e nos coloca um desafio importante: em nome do respeito à cultura alheia, devemos considerar que todos os costumes existentes são igualmente legítimos.
  • 11. Transculturação Chama-se transculturação o processo pelo qual as diversas culturas trocam entre si elementos culturais. Ex. os imigrantes libaneses que vieram para o Brasil introduziram na nossa cultura o hábito de comer quibe, comida típica de sua cultura. Em contrapartida, muitos deles aprenderam à apreciar o feijão e o arroz, pratos essenciais da cultura brasileira.
  • 12. Sincretismo Os sincretismo consiste na fusão de traços culturais provenientes de culturas diferentes, que tem como resultado um novo complexo cultural. Ex. a umbanda, uma região afro-brasileira, reúne aspectos do cristianismo e de crenças africanas trazidas pelos escravos para o Brasil.
  • 13. Estrutura da cultura 1- Traços culturais – considera-se os traços culturais como os elementos que permitem a descrição de cultura. Ex. uma caneta pode existir com um objetivo definido, mas só pode funcionar como unidade cultural em sua associação com a tinta, convertendo-se assim em uma traço cultural.
  • 14. 2- Complexos culturais – consistem no conjunto de traços ou num grupo de traços associados, formando um todo funcional; ou ainda, um grupo de características cultuais interligadas, encontrado em uma área cultural.
  • 15. 3- Padrões culturais – resulta do agrupamento de complexos culturais de um interesse ou tema central do qual derivam o seu significado. O padrão de comportamento consiste em uma norma comportamental, estabelecida pelos membros de determinada cultura.
  • 16. Contracultura Grupos de pessoas que contestam certos valores culturais dominantes e vigentes, opondo-se radicalmente a eles.
  • 17. Áreas culturais São territórios geográficos onde as culturas se assemelham. Os traços e complexos culturais mais significativos estão difundidos, resultando um modo peculiar e característico de seus grupos constituintes.
  • 18. Subcultura Significa alguma variação da cultura total. Pode ser considerada como um meio peculiar de vida de um grupo menor dentro de uma sociedade maior.
  • 19. Processos culturais É a maneira consciente ou inconsciente, pela qual as coisas se realizam, se comportam ou se organizam. As culturas mudam continuamente, assimilam novos traços ou abandonam os antigos, através de diferentes formas. Crescimento, transmissão, difusão, estagnação, declínio, fusão, aspectos as quais as culturas estão sujeitas.
  • 20. Mudança cultural É qualquer alteração na cultura, sejam complexos, padrões ou toda uma cultura, o que é mais raro. Pode ocorrer maior ou menor facilidade, dependendo do grau de resistência ou aceitação.
  • 21. Difusão cultural As culturas quando vigorosas, tendem a se estender a outras regiões, sob forma de empréstimo mais ou menos consistente . A difusão de um elemento da cultura pode realizar-se por imitação ou por estímulo, dependendo das condições sociais favoráveis ou não, à difusão.
  • 22. Aculturação É a fusão de duas culturas diferentes que entrando em contato contínuo originam mudanças nos padrões da cultura de ambos os grupos. Pode abranger numerosos traços culturais, apesar de na troca recíproca entre as duas culturas, um grupo dar mais e receber menos.
  • 23. Endoculturação Processo que estrutura o condicionamento da conduta, dando estabilidade á cultura. Cada indivíduo adquire as crenças, o comportamento, os modos de vida da sociedade a que pertence. Ninguém aprende, todavia, toda cultura, mas está condicionado a certos aspectos particulares da transmissão de seu grupo.
  • 24. Cultura e Sociedade Para Hoebel e Frost, a sociedade e a cultura não são uma coisa só. A sociedade humana é constituída de pessoas; a cultura é constituída de comportamento de pessoas. Podemos dizer que a pessoa pertence à sociedade, mas seria errôneo afirmar que a pessoa pertence a uma cultura; o indivíduo manifesta a cultura.
  • 25. Tipos de Cultura Cultura popular – é identificada como folclore, conjunto das lendas, contos e concepções transmitidas oralmente pela tradição. É produzida pelo homem do campo, das cidades do interior ou pela população suburbana das grandes cidades.
  • 26. Sua produção está empenhada em resgatar tradições e valores culturais, não seguindo, por isso, tendências de moda. O povo simples é o autor da produção cultural.
  • 27. Cultura Erudita É a produção acadêmica centrada no sistema educacional, sobretudo na universidade, produzida por uma minoria de intelectuais. Além de ser produzida formalmente, seus traços são complexo e refinados, exigindo uma elevada formação e sensibilidade estética de quem os aprecia.
  • 28. Cultura de massa É aquela resultante dos meios de comunicação de massa, tais como indústria fonográfica (musica), a cinematográfica (cinema), Tv’s, rádios, etc. produzida de cima para baixo, já que o consumidor não participa de sua produção, esse tipo de cultura é veiculada pela indústria cultural.
  • 29. Indústria cultural No final do século XVIII, começa a impressão de jornais em grande quantidade na Europa, popularizando o acesso à comunicação. Os jornais publicavam notícias, crônicas e folhetins (precursores do romance das duas atuais novelas de televisão). Encontra-se ai a origem do que se chamou, no século XX, de “indústria cultural”.
  • 30. O termo indústria cultural foi criado, em 1947, pelos filósofos alemães Theodor Adorno (19031969) e Max Horkheimer (1895-1973). A Escola de Frankfurt fazia uma análise da atuação dos meios de comunicação em massa.
  • 31. Os M.C.M. não chegaram a democratizar a arte. Banalizou-a, descaracterizou-a, fazendo com que o público perdesse o senso crítico e se tornasse um consumidor passivo de todas as mercadorias. Para Adorno, a indústria cultural tem como único objetivo a dependência e a alienação dos homens.
  • 32. Ao maquiar o mundo nos anúncios que divulga, ela acaba seduzindo as massas para o consumo das mercadorias culturais, a fim de que se esqueçam da exploração que sofrem nas relações de produção.
  • 33. Aqueles que se colocam em defesa dos avanços nos meios de comunicação acreditam que eles são instrumentos de democratização do acesso à informação. Os M.C.M. são a única fonte de informação possível a uma parcela da população que sempre esteve distante das informações.
  • 34. As informações veiculadas por eles podem contribuir para a formação intelectual do público. A padronização do gosto gerada por eles pode funcionar como um elemento unificador de diferentes grupos sociais, podendo diminuir a distância entre eles.

×