24 procedimentos didáticos e ténicas de pesquisa

7,106 views
6,719 views

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
7,106
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
98
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

24 procedimentos didáticos e ténicas de pesquisa

  1. 1. METODOLOGIA CIENTÍFICA PROCEDIMENTOS DIDÁTICOS E TÉCNICAS DE PESQUISA Prof. Esp. João Carlos Sinott Balbi
  2. 2. CONCEITOS <ul><li>O QUE É CIENCIA ? </li></ul><ul><li>Atividade que propõe a aquisição sistemática de conhecimentos com a finalidade de melhoria da qualidade de vida intelectual ou material. </li></ul><ul><li>WWW.JUNG.PRO.BR </li></ul>
  3. 3. Meios de aquisição de conhecimento <ul><li>INTUIÇÃO: Eu acho que … </li></ul><ul><li>EXPERIMENTAÇÃO: Romper corpos de prova de concreto. </li></ul><ul><li>RACIONALIZAÇÃO: Se f(x) = y² então … </li></ul>
  4. 4. Meios de aquisição de conhecimento <ul><li>INTUIÇÃO : função especial da mente humana que age pelo pensamento independente da formação científica. </li></ul><ul><li>EMPIRISMO : É o conhecimento tirado da experimentação; </li></ul><ul><li>RACIONALIZAÇÃO : Ao contrario dos empiristas, os racionalistas afirmam que nossos sentidos nos enganam. </li></ul>
  5. 5. PROCEDIMENTOS DIDÁTICOS <ul><li>Leitura </li></ul><ul><li>Análise do texto; </li></ul><ul><li>Fases da leitura; </li></ul><ul><li>Problema; </li></ul><ul><li>Hipóteses; </li></ul><ul><li>Pesquisa. </li></ul>
  6. 6. LEITURA <ul><li>Busca do material </li></ul><ul><ul><li>Título </li></ul></ul><ul><ul><li>Data publicação </li></ul></ul><ul><ul><li>“ orelha “ </li></ul></ul><ul><ul><li>Índice ou sumário </li></ul></ul><ul><ul><li>Introdução </li></ul></ul><ul><ul><li>Bibliografia. </li></ul></ul><ul><li>Aspectos fundamentais </li></ul><ul><ul><li>Atenção/intenção </li></ul></ul><ul><ul><li>Reflexão </li></ul></ul><ul><ul><li>Espírito crítico </li></ul></ul><ul><ul><li>Análise </li></ul></ul><ul><ul><li>Síntese. </li></ul></ul>
  7. 7. FASES DA LEITURA <ul><li>De reconhecimento ou prévia; </li></ul><ul><ul><li>Busca do assunto </li></ul></ul><ul><li>Exploratória ou pré-leitura; </li></ul><ul><ul><li>Sondagem p/ localizar informações </li></ul></ul><ul><li>Seletiva </li></ul><ul><ul><li>Sublinhar idéias principais </li></ul></ul><ul><ul><li>Assinalar nas margens </li></ul></ul><ul><ul><li>Efetuar anotações </li></ul></ul><ul><ul><li>Buscar no dicionário palavras não compreendidas. </li></ul></ul><ul><li>Reflexiva/crítica. </li></ul>
  8. 8. ANÁLISE DO TEXTO <ul><li>Análise dos elementos </li></ul><ul><li>Análise das relações </li></ul><ul><ul><li>Idéias secundárias </li></ul></ul><ul><ul><li>Fatos que comprovam a opinião </li></ul></ul><ul><ul><li>Elementos de causa e efeito </li></ul></ul><ul><ul><li>Elementos de argumentação </li></ul></ul>Pesquisa bibliografica
  9. 9. PESQUISA BIBLIOGRÁFICA <ul><li>FASES DA PESQUISA BIBLIOGRÁFICA; </li></ul><ul><li>FICHAS; </li></ul><ul><li>RESUMOS. </li></ul>
  10. 10. FASES DA PESQUISA BIBLIOGRÁFICA <ul><li>Escolha do tema </li></ul><ul><ul><li>Compatível com formação; </li></ul></ul><ul><ul><li>Disponibilidade de tempo; </li></ul></ul><ul><ul><li>Delimitar assunto </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Distinguir sujeito e objeto </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Limitar em função do tempo, região, etc. </li></ul></ul></ul><ul><li>Elaborar plano de trabalho </li></ul><ul><ul><li>Cronograma </li></ul></ul><ul><li>Identificação </li></ul><ul><ul><li>Procura de catálogos e obras </li></ul></ul><ul><li>Localização e compilação </li></ul><ul><ul><li>Livros, artigos, etc. </li></ul></ul><ul><li>Fichas/análise e redação </li></ul>
  11. 11. FICHAS <ul><li>As fichas permitem: </li></ul><ul><ul><li>Identificar obras </li></ul></ul><ul><ul><li>Conhecer seu conteúdo </li></ul></ul><ul><ul><li>Fazer citações </li></ul></ul><ul><ul><li>Analisar material </li></ul></ul><ul><ul><li>Elaborar críticas </li></ul></ul><ul><li>As fichas devem ter </li></ul><ul><ul><li>Cabeçalho </li></ul></ul><ul><ul><li>Corpo do texto </li></ul></ul><ul><ul><li>Indicação/local </li></ul></ul><ul><ul><li>Referência bibliográfica </li></ul></ul>
  12. 12. Exemplo de ficha Ocupações marginais no nordeste paulista Mobilidade social Modelos explicativos PASTORE, José – Modelos explicativos da mobilidade social. Desigualdade e mobilidade social. Sp – T. A. QUEIROZ, 1979 – p. 15 - 27 Texto - resumo Biblioteca da Faculdade de ciencias sociais - USP
  13. 13. RESUMOS <ul><li>Diferem das fichas por tratarem da obra completa. </li></ul><ul><li>É a apresentação concisa e seletiva do texto. </li></ul><ul><li>Tipos </li></ul><ul><ul><li>Descritivo </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Utiliza frases curtas; descreve apenas a natureza, forma e propósito. </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Analítico </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Dispensa a leitura do texto. É mais amplo que o descritivo. </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Crítico </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Quando formula julgamento sobre o texto. </li></ul></ul></ul>Metodo
  14. 14. METODOLOGIA
  15. 15. MÉTODO
  16. 16. ETAPAS DO MÉTODO OBSERVAÇÃO/EXPERIMENTAÇÃO ANÁLISE/REVISÃO BIBLIOGRÁFICA HIPOTESES REGISTRO DOS DADOS TESTES MODELAGEM GENERALIZAÇÃO
  17. 17. TIPOS DE OBSERVAÇÃO <ul><li>SISTEMÁTICA </li></ul><ul><li>INDIVIDUAL </li></ul><ul><li>POR EQUIPE </li></ul>
  18. 18. MÉTODO CIENTÍFICO <ul><li>INDUTIVO </li></ul><ul><ul><li>Partindo-se de dados particulares infere-se uma verdade universal </li></ul></ul><ul><li>FASES </li></ul><ul><ul><li>Observação dos fenômenos </li></ul></ul><ul><ul><li>Descoberta da relação entre eles </li></ul></ul><ul><ul><li>Generalização da relação </li></ul></ul><ul><li>Amostras tendenciosas </li></ul><ul><li>DEDUTIVO </li></ul><ul><ul><li>Se todas as premissas são verdadeiras, a conclusão é verdadeira </li></ul></ul><ul><ul><li>Toda informação já estava implícita na premissa. </li></ul></ul>
  19. 19. MÉTODO CIENTÍFICO <ul><li>MÉTODO HIPOTÉTICO-DEDUTIVO </li></ul><ul><ul><li>O problema surge de conflitos </li></ul></ul><ul><ul><li>Solução proposta consiste numa conjectura (nova teoria) </li></ul></ul><ul><ul><li>Testes de falseamento </li></ul></ul>Problema
  20. 20. ORIGENS DOS PROBLEMAS <ul><li>Reconhecimento de um problema existente. </li></ul><ul><ul><li>Exemplo: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Efeitos do lixo tóxico </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Por que a venda de apartamentos cresceu este ano? </li></ul></ul></ul><ul><li>Melhorar “status” da empresa </li></ul><ul><ul><li>O uso da grua melhora a produtividade? </li></ul></ul><ul><li>Planejar o crescimento </li></ul><ul><li>Curiosidade </li></ul>
  21. 21. O PROBLEMA DA INVESTIGAÇÃO <ul><li>Colocar o problema em forma de pergunta. Dirigir a pergunta para área principal do assunto. </li></ul><ul><ul><li>Exemplo: A observação obrigatória de regras de segurança diminui o número de acidentes? </li></ul></ul><ul><li>Identificar as variáveis </li></ul><ul><ul><li>Variável: Fator, fenômeno ou característica que tem mais de um valor ou categoria. </li></ul></ul>
  22. 22. VARIÁVEIS <ul><li>DEPENDENTES </li></ul><ul><ul><li>Resultado, conseqüência ou produto de alguma variável. </li></ul></ul><ul><ul><li>Exemplo: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Aumento do preço, diminui as vendas. </li></ul></ul></ul><ul><li>INDEPENDENTES </li></ul><ul><ul><li>Presume causar a variável dependente. </li></ul></ul><ul><ul><li>Exemplo: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Variáveis moderadoras. </li></ul></ul></ul>
  23. 23. DEFINIÇÕES OPERACIONAIS <ul><li>Enunciado que defini uma variável ao especificar as operações para medi-la. </li></ul><ul><li>Objetivo: Limitar definição de modo a permitir a repetitividade. </li></ul><ul><li>Exemplos: </li></ul><ul><ul><li>Cliente ativo: qualquer pessoa que tenha mantido um compromisso com a organização em determinado período. </li></ul></ul>Hipóteses
  24. 24. CONCEITO DE HIPÓTESE
  25. 25. HIPÓTESES <ul><li>RELAÇÃO ENTRE VARIÁVEIS; </li></ul><ul><li>TEMA, PROBLEMA E HIPÓTESE; </li></ul><ul><li>FONTES </li></ul>
  26. 26. RELAÇÃO ENTRE VARIÁVEIS <ul><li>Determinar a relação esperada entre as variáveis. </li></ul><ul><ul><li>Se X cresce Y crescerá </li></ul></ul><ul><ul><li>X esta correlacionada com Y </li></ul></ul><ul><li>Relações multivariadas </li></ul><ul><ul><li>Vários fatores intervindo no processo </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Aplicação da análise fatorial (Método estatístico) </li></ul></ul></ul>
  27. 27. CARATERÍSTICAS DA HIPÓTESE
  28. 28. TIPOS
  29. 29. QUESTÕES OU HIPÓTESES? <ul><li>QUESTÕES </li></ul><ul><ul><li>Utiliza a população e não uma amostra. </li></ul></ul><ul><ul><li>Vantagens: Pode ser testado por outros e permite a objetividade. </li></ul></ul><ul><ul><li>Custo elevado </li></ul></ul><ul><li>HIPÓTESES </li></ul><ul><ul><li>Inferência estatística </li></ul></ul><ul><ul><li>Testes de significância </li></ul></ul><ul><ul><li>Uso de amostragens </li></ul></ul><ul><ul><li>Aceito cientificamente </li></ul></ul><ul><ul><li>Dificuldade em garantir a aleatoriedade da amostra. </li></ul></ul>
  30. 30. FONTES P/ ELABORAÇÃO DE HIPÓTESES <ul><li>Conhecimento familiar </li></ul><ul><li>Observação </li></ul><ul><li>Comparação com outros estudos </li></ul><ul><li>Dedução lógica de uma teoria </li></ul><ul><li>Cultura geral </li></ul><ul><li>Analogias </li></ul><ul><li>Experiência pessoal </li></ul><ul><li>Casos discrepantes </li></ul>
  31. 31. Como utilizar uma hipótese
  32. 32. Exemplo de hipóteses http://www.jung.pro.br/
  33. 33. Hipóteses 5.4 - Hipótese          Hipótese é sinônimo de suposição . Neste sentido, Hipótese é uma afirmação categórica (uma suposição ), que tenta responder ao Problema levantado no tema escolhido para pesquisa . É uma pré-solução para o Problema levantado. O trabalho de pesquisa , então, irá confirmar ou negar a Hipótese (ou suposição) levantada.
  34. 34. Hipóteses Hipótese: A sociedade patriarcal, representada pela força masculina, exclui as mulheres dos processos decisórios. http://www.pedagogiaemfoco.pro.br/
  35. 41. PESQUISA <ul><li>CONCEITO; </li></ul><ul><li>PLANEJAMENTO DA PESQUISA; </li></ul><ul><li>TÉCNICAS DE PESQUISA; </li></ul><ul><li>TIPOS DE PESQUISA. </li></ul>
  36. 42. PESQUISA <ul><li>CONCEITO: Procedimento reflexivo, sistemático, controlado e crítico, que permite descobrir novos fatos ou dados. </li></ul>
  37. 43. PLANEJAMENTO DA PESQUISA <ul><li>Escolha do tema </li></ul><ul><li>Formulação do problema/delimitação </li></ul><ul><li>Definição das variáveis/hipóteses </li></ul><ul><li>Levantamento de dados </li></ul><ul><li>Definição das variáveis </li></ul><ul><li>Amostragem </li></ul><ul><li>Métodos e técnicas </li></ul><ul><li>Análise de dados </li></ul><ul><li>conclusões </li></ul>
  38. 44. Pesquisa <ul><li>Existem dois fatores principais que interferem na escolha de um tema para o trabalho de pesquisa: Fatores internos </li></ul><ul><ul><ul><li>Afetividade em relação a um tema ou alto grau de interesse pessoal. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Tempo disponível para a realização do trabalho de pesquisa. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>O limite das capacidades do pesquisador em relação ao tema pretendido. </li></ul></ul></ul><ul><li>Fatores Externos </li></ul><ul><ul><ul><li>A significação do tema escolhido, sua novidade, sua oportunidade e seus valores acadêmicos e sociais. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>O limite de tempo disponível para a conclusão do trabalho. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Material de consulta e dados necessários ao pesquisador </li></ul></ul></ul><ul><li>http://www.bio2000.hpg.ig.com.br/metodologia_cientifica.htm </li></ul>
  39. 45. TÉCNICAS DE PESQUISA <ul><li>Pesquisa documental – arquivos públicos e particulares </li></ul><ul><li>Pesquisa bibliográfica </li></ul><ul><li>Pesquisa de campo </li></ul><ul><li>Pesquisa de laboratório </li></ul><ul><li>Observação direta </li></ul><ul><li>Entrevistas ou questionários </li></ul><ul><ul><li>Pré teste </li></ul></ul>
  40. 46. O PROCESSO DE INVESTIGAÇÃO
  41. 47. <ul><li>Pesquisa </li></ul><ul><li>TODA PESQUISA COMEÇA COM UMA DÚVIDA. UMA PERGUNTA? </li></ul><ul><li>DELA ADVÉM AS HIPÓTESES DE RESPOSTA – QUE PRECISAM SER TESTADAS </li></ul><ul><li>A EXPERIMENTAÇÃO É O CAMINHO </li></ul><ul><li>NO LABORATÓRIO, “IN VITRO”, “IN VIVO” OU NO SER HUMANO </li></ul>
  42. 48. TIPOS DE PESQUISA <ul><li>Pesquisa Bibliográfica </li></ul><ul><li>Delineamento experimental </li></ul><ul><ul><li>Grupos de comparação </li></ul></ul><ul><li>Delineamento de séries temporais </li></ul><ul><li>Estudos correlacionais </li></ul><ul><li>Estudo de caso </li></ul><ul><li>Técnicas de preferência </li></ul><ul><ul><li>Declarada ou não declarada </li></ul></ul><ul><li>Aplicação/desenvolvimento de instrumentos específicos (softwares) </li></ul>
  43. 49. <ul><ul><ul><li>PESQUISA BIBLIOGRÁFICA </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Conhecimento já existente sobre o assunto </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>A pergunta já foi respondida? </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>A resposta é satisfatória? </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>A resposta não é satisfatória </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>É o início da pesquisa propriamente dito </li></ul></ul></ul></ul></ul>
  44. 50. <ul><li>PESQUISA </li></ul><ul><li>Não é fácil </li></ul><ul><li>Necessita </li></ul><ul><ul><li>persistência </li></ul></ul><ul><ul><li>dedicação ao trabalho </li></ul></ul><ul><ul><li>conhecimento do método </li></ul></ul><ul><ul><li>disciplina </li></ul></ul><ul><ul><li>organização </li></ul></ul>
  45. 51. <ul><li>PESQUISA </li></ul><ul><li>Exige </li></ul><ul><ul><li>imaginação </li></ul></ul><ul><ul><li>criatividade </li></ul></ul><ul><ul><li>iniciativa </li></ul></ul><ul><ul><li>originalidade </li></ul></ul><ul><ul><li>humildade </li></ul></ul><ul><ul><li>é individual </li></ul></ul>
  46. 52. PESQUISA Sem projeto = sem pesquisa O projeto é quase que 50 % da pesquisa
  47. 53. PROPOR E DEFINIR UM PROBLEMA <ul><li>Conscientizar-se de um problema </li></ul><ul><li>Torná-lo significativo – delimitá-lo </li></ul><ul><li>Transformá-lo em pergunta </li></ul>
  48. 54. ELABORAR HIPÓTESE <ul><li>Analisar dados disponíveis; </li></ul><ul><li>Formular a hipótese tendo consciência de sua natureza provisória; </li></ul><ul><li>Prever suas implicações. </li></ul>
  49. 55. VERIFICAR HIPÓTESE <ul><li>Decidir sobre novos dados; </li></ul><ul><li>Analisar e avaliar dados; </li></ul><ul><li>Interpretar resultados da análise estatística; </li></ul>
  50. 56. CONCLUIR <ul><li>Confirmar, invalidar ou modificar hipótese; </li></ul><ul><li>Explicar resultados; </li></ul><ul><li>Se possível, generalizar conclusão. </li></ul>
  51. 57. APRESENTAÇÃO DE CITAÇÕES EM TRABALHOS ACADÊMICOS <ul><li>NBR 6023 – Referências – elaboração; </li></ul><ul><li>NBR 6024- Numeração das seções; </li></ul><ul><li>NBR 6027 – Sumário – apresentação; </li></ul><ul><li>NBR 6028 – Resumo – apresentação; </li></ul><ul><li>NBR 6034 – Índice – apresentação; </li></ul><ul><li>NBR 10520 – Citações em documentos; </li></ul><ul><li>NBR 12225 - Lombada; </li></ul><ul><li>NBR 14724 – Trabalhos acadêmicos – apresentação; </li></ul>
  52. 58. BIBLIOGRAFIA <ul><li>SPROULL, N. L. - Handbook of research methods: a guide for praticioners and students in the social sciences -. - The Scarecrow Press - 1988. </li></ul><ul><li>LAKATOS, E.M. e MARCONI, M.A. – Fundamentos de metodologia científica – 3a. Ed. – Ed. Atlas – SP – 1991. </li></ul>
  53. 59. FIM

×