Carrapatos Parasitologia

31,122 views
30,343 views

Published on

Published in: Education
2 Comments
21 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
31,122
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
161
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
2
Likes
21
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Carrapatos Parasitologia

  1. 1. Artrópodes (Carrapatos) João Felix Vieira Aluno de Zootecnia – FAGRAM Professor Gláucio Mota Mattos
  2. 2. Ordem Acarina Família Ixodides (Carrapatos duros) <ul><li>Morfologia </li></ul><ul><li>Gnatossoma – (falsa cabeça ou capítulo): Anterior </li></ul><ul><li>Peritrema: Atrás do 4º par de patas </li></ul><ul><li>Tamanho dos Sexos: ♂ < ♀ </li></ul><ul><li>Escudo: Presente (placa quitinosa) </li></ul>
  3. 3. Ordem Acarina <ul><li>Corpo globoso sem vestígios de segmentação </li></ul><ul><li>Abdome não segmentado e fusionado ao cefalotórax </li></ul><ul><li>Respiração traqueal ou cutânea </li></ul><ul><li>Evolução com metamorfoses (ovos -> Larvas->Ninfas->Adulto) </li></ul><ul><li>Corpo formado por Gnatossoma e Idiossoma </li></ul><ul><li>Armadura bucal: Quelíceras, Palpos e hipostômios </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Os carrapatos ixodídeos são ectoparasitas obrigatórios, cuja sobrevivência depende de mecanismos para se localizar, fixar-se e alimentar-se em hospedeiros vertebrados. Por sua total dependência do sangue e tecidos de seus hospedeiros, os carrapatos atuam como vetores de uma série de agentes infecciosos como protozoários, vírus, bactérias e riquétsias para o homem e animais. A transmissão de patógenos nestes ácaros pode ser transestadial e transovariana. É importante lembrar que os carrapatos só perdem para os mosquitos como transmissores de agentes infecciosos para o homem. Além de sua competência como vetores, causam danos diretos por hematofagia, traumas locais e paralisia via toxinas. Em termos econômicos, os carrapatos são responsáveis por prejuízos de grande monta. É estimada uma perda global anual de 8 bilhões de dólares. </li></ul><ul><li>No Brasil, as espécies de carrapato de maior importância incluem o Boophilus microplus (carrapato comum em bovinos), Rhipicephalus sanguineus (carrapato comum em cães), Amblyomma cajennense e Anocentor nitens (carrapatos encontrados em cavalos). </li></ul><ul><li>Estas espécies se destacam por sua distribuição geográfica ampla e níveis elevados de infestações nos hospedeiros determinando prejuízos econômicos e prejuízos à saúde pública. </li></ul>
  5. 5. Amblyomma cajennense Hospedeiros principais: Eqüinos Nome vulgar: Carrapato estrela Macho Fêmea
  6. 6. Palpos: Função tátil de orientação Posição dorsal Quelíceras Palpos
  7. 7. Idiossoma – Posição ventral Quatro pares de patas - Placas adanais ausentes Coxa Troclanter Fêmur Patela Armadura bucal: Hipostômio Sulco anal 11 Festões
  8. 8. Posição ventral – armadura bucal Hipostômio - Fêmea Hipostômio - Macho
  9. 9. Espiráculos respiratórios – posição ventral Peritrema do macho Peritrema da fêmea
  10. 10. Escudo (menor) Escudo Fêmea Macho
  11. 11. Ciclo evolutivo Ciclo de vida de um carrapato de um hospedeiro (trioxeno)
  12. 12.
  13. 13. Anocentor nitens (Neumann, 1897) Carrapato de um hospedeiro, primariamente parasita de cavalos, asnos e mulas, também registrado em bovinos, ovelhas, cabras, onça pintada, cervídeos e cão. O local preferido de infestação, é a orelha e divertículo nasal, podendo, em fortes infestações, ser encontrado em qualquer parte do corpo. Infestações na orelha com supurações, predispõe o animal ao parasitismo por miíases. A. nitens é um dos principais vetores da Babesia caballi e agentes da babesiose eqüina .
  14. 14. Anocentor nitens – Fêmea e o macho Fêmea Macho
  15. 15. Peritrema oval – Forma de disco de telefone &quot;Espiráculo respiratório” Macho Fêmea
  16. 16. Posição ventral - Fêmea Posição ventral -Macho
  17. 17. Armadura bucal – Fêmea Posição ventral Hipostômio Palpo Capítulo: Base bucal
  18. 18. Armadura bucal – Fêmea Posição dorsal Palpo Queliceras
  19. 19. Peritremas Sulco anal 7 festões Coxas crescentes: do 1º ao 4º par de patas Anocentor nitens = Placas adanais ausentes
  20. 20. Ciclo evolutivo Ciclo de vida de um carrapato de um hospedeiro (monoxeno).
  21. 21. Boophilus microplus (Canestrini, 1887). &quot;Carrapato do boi“ Ações sobre o hospedeiro: > Inquietação e emagrecimento > Queda na produção > Espoliação e anemia >Transmissão de agentes infecciosos ( Babesia bigemina / B. bovis )
  22. 22. Boophilus microplus é o carrapato que ataca os bovinos trazendo muitos prejuízos para o produtor. Estima-se que no Brasil são gastos aproximadamente US$ 2 bilhões em produtos químicos para conter esses parasitas em geral. Uma conta que fica maior quando incorporados os custos pela contaminação ambiental e alimentar, uma vez que os carrapaticidas podem deixar resíduos na carne e no leite e poluir o ambiente.
  23. 23. Fêmea – Boophilus microplus Teleógina ingurgitada: Desprende-se do hospedeiro e cai no solo, morre após a postura (quenógina)
  24. 24. Capítulo Macho – Boophilus microplus Armadura bucal – macho Posição dorsal Hipostômio Palpo
  25. 25. Escudo (menor) Fêmea – Boophilus microplus Fêmea Posição dorsal
  26. 26. Macho – Boophilus microplus Armadura bucal: Queliceras, palpos e hipostômio Escudo (maior) Não possuem festões Macho Posição dorsal
  27. 27. Placas adanais: somente nos machos Não possuem festões Posição ventral Armadura bucal
  28. 28. Peritrema da fêmea Peritrema do macho Espiráculos respiratórios circulares
  29. 29. Ciclo de vida de um carrapato de um hospedeiro (trioxeno). Ciclo evolutivo Life cycle
  30. 30. Rhipicephalus sanguineus ( Latreille, 1806). &quot;Carrapato vermelho do cão&quot;. Espécie de grande importância veterinária. Esse é um carrapato típico de três hospedeiros (larvas, ninfas e adultos vivendo em hospedeiros separados), comumente encontrado parasitando o cão e outros mamíferos e aves. Não foram encontradas evidências de que esta espécie possa parasitar o homem, limitando-se, o seu parasitismo, aos cães e aos gatos. Os adultos, preferem instalar-se na pele, entre o coxim plantar e as orelhas do cão. Seu ataque, causa grande irritação e desconforto nos animais, com perdas de sangue.
  31. 31. Infestação auricular do cão
  32. 32. Ciclo evolutivo no cão Life cycle
  33. 33. > Rostro curto > Base do gnatossoma geralmente hexagonal > Escudo não ornamentado > Festões pouco desenvolvidos > Primeiro par de coxas bífidas > Um par de placas adanais nos machos > Peritremas em forma de vírgula > Geotropismo negativo > É um carrapato que exige três hospedeiros para completar o ciclo ( trioxeno ), pois todas as mudas são feitas fora dos hospedeiros. A fêmea podem por 200 a 3000 ovos por dia
  34. 34. Macho Fêmea Ciclo evolutivo
  35. 35. <ul><li>Discover Life </li></ul><ul><li>Laboratório de Peptídeos </li></ul><ul><li>Wikipédia </li></ul><ul><li>Enzimas Proteolíticas Centro de Biotecnologia do RS </li></ul><ul><li>http://www.fishpoint.com.br </li></ul><ul><li>http://www.unesp.br/prope/pr ojtecn </li></ul><ul><li>Formatação: João Felix Vieira </li></ul>Fontes de pesquisa:

×