Manual textuais 2013 fcc

  • 3,135 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
3,135
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
35
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS SOBRE OS TRABALHOS TÉCNICO-ACADÊMICOSOs trabalhos técnico-acadêmicos são exigência de cursos de graduação, pós-graduação e de instituições de pesquisa e de acordo com suas características,estrutura, grau de aprofundamento e forma de apresentação podem ser nomeadosde diferentes formas: resumos, resenhas, relatórios, artigos, monografias,dissertações e teses dentre outros. Nessa instituição de ensino o trabalho exigido éuma monografia. Uma monografia trata sobre um tema particular, bem detalhado edelimitado e mais simples que uma dissertação ou tese em virtude do grau deexigência e viabilidade temporal em que é desenvolvido. Esse tema específico éaprofundado por meio de leituras e obedece a uma metodologia específica e derigor. O resultado desse estudo deve ter sempre um valor tanto para a comunidadeacadêmica quanto para a sociedade de uma forma geral.A redação dos trabalhos técnico-acadêmicos exige objetividade, ou seja, otema deve ser tratado de forma simples, direta e lógica com consideraçõesrelevantes. Além da objetividade, o texto deve ter um caráter de impessoalidade,sendo redigido na 3ª pessoa do singular ou na 1ª do plural. Merece atenção especialo caráter de imparcialidade, pois o trabalho em construção deve ser valorizado semdesvalorizar trabalhos já concluídos. Os trabalhos devem apresentar precisão,conter declarações exatas, especificando-se as limitações dos mesmos e a origemdas teorias nele descritas com nomenclatura técnica adequada. Destaca-se aindaque deve ser considerada a coerência, ao manter uma seqüência lógica das idéiasapresentadas e organizadas em capítulos, seções e subseções conforme o caso decada trabalho de forma equilibrada e coesa. A correção gramatical é imprescindível,sendo o texto científico escrito de acordo com a norma culta por meio do uso defrases que não sejam demasiadamente longas e com uma dosagem de quantidadesde parágrafos que obedeça a necessidade de articular o raciocínio.Toda pesquisa científica para ser formalizada passa por uma faseantecedente (projeto de pesquisa) que orientará todo o trabalho (execução edivulgação), em seguida as etapas de sua execução e finalmente a apresentaçãodos resultados, conclusões e recomendações que o pesquisador fará para acomunidade sendo esta acadêmica ou não.
  • 2. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL14
  • 3. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL151 ESTRUTURA DOS TRABALHOS MONOGRÁFICOSToda e qualquer produção textual deve contar previamente com umplanejamento que, na verdade, representa um esboço/esqueleto das partes,elementos e idéias essenciais e secundárias que deveremos/queremos apresentarao leitor. Dessa forma, apresentamos a seguir a estrutura básica para trabalhoscientíficos.A estrutura dos trabalhos científicos monográficos como TCC, Monografia,Dissertação e Tese compreende três partes: elementos pré-textuais, elementostextuais, elementos pós-textuais, podendo ser obrigatórios, condicionados ànecessidade ou opcionais (Quadro 1).ESTRUTURA ELEMENTO PRESENÇAParte externa Capa ObrigatóriaLombada OpcionalParte InternaFolha de rosto ObrigatóriaAnverso da folha de rosto ObrigatórioVerso da folha de rosto OpcionalErrata OpcionalFolha de aprovação ObrigatóriaDedicatória OpcionalAgradecimentos OpcionalEpígrafe OpcionalResumo em língua vernácula ObrigatórioResumo em língua estrangeira ObrigatórioLista de ilustrações OpcionalLista de tabelas OpcionalLista de abreviaturas e siglas OpcionalSumário ObrigatórioELEMENTOS TEXTUAISIntrodução ObrigatóriaDesenvolvimento ObrigatórioConclusão ObrigatóriaELEMENTOS PÓS-TEXTUAISReferências ObrigatóriasGlossário OpcionalApêndice OpcionalAnexos OpcionalÍndice OpcionalQuadro 1 - Disposição de elementos de trabalhos técnico-acadêmicosFonte: NBR 14724 (2011)
  • 4. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL161.1 Elementos pré-textuaisAntecedem o texto com informações que facilitam a identificação e utilizaçãodo trabalho. Não recebem indicativo numérico.1.1.1 CapaElemento obrigatório que deve conter informações indispensáveis àidentificação do trabalho, na seguinte ordem (Modelo 1).- nome da instituição;- nomes completos do autor(es) em ordem alfabética: responsáveis pelotrabalho;- título e subtítulo (se houver);- local (cidade) da instituição onde deve ser apresentado;- ano de depósito (da entrega).NOME DA INSTITUIÇÃONOME DO CURSONOME DO AUTORTÍTULO: subtítuloLOCAL (CIDADE)ANOArial 18 negritoArial 18 negritoArial 16 negrito2 espaços deEntrelinhas simples (12)Arial 12 negritomaiúsculaOBSERVAÇÃO:Todos os itens da capasão digitados de formacentralizada e entrelinhassimples.No meio dapágina.Arial 16 negrito
  • 5. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL17 Nome da instituição: centralizado, em negrito, arial, tamanho 18, maiúsculas. Nome do Curso: centralizado, em negrito, arial, tamanho 16, maiúsculas, semcolocar a sigla. Nome do autor completo: centralizado, abaixo do nome da instituição, em negrito,fonte arial, tamanho 16, maiúscula; Título do trabalho: centralizado, em negrito, fonte arial, tamanho 18, maiúscula; Subtítulo: após o título precedido de dois pontos, em negrito, fonte arial, tamanho18, minúscula (com exceção a instituições, nomes próprios e similares); Local: cidade onde o trabalho será apresentado, centralizado, próximo a margeminferior, fonte arial, tamanho 12, maiúscula; Ano: centralizado abaixo do local, fonte arial, tamanho 12, negrito; Não devem ser feitas bordas na capa ou qualquer seção; Na numeração das páginas, a capa não será contada.1.1.2 Folha de RostoElemento obrigatório que aparece imediatamente após a capa e delaconstam o nome completo do autor, o título e subtítulo do trabalho, explicitação danatureza do trabalho, seu objetivo acadêmico, dados da instituição, área deconcentração e respectivos dados de orientação, (aqui apenas as iniciais sãomaiúsculas e não todas as palavras como na capa), conforme o Modelo 2. O nomedo aluno, título e o subtítulo e o local devem ser grafados em maiúsculas.1.1.2.1 Anverso da folha de rostoOs elementos devem figurar na seguinte ordem:a) Nome(s) completo(s) dos autor(es): responsáveis pelo trabalho;
  • 6. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL18b) título principal do trabalho: deve ser claro e preciso, identificando o seuconteúdo; se houver subtítulo, deve ser evidenciada sua subordinação aotítulo principal, precedido de dois pontos(:);c) natureza (trabalho acadêmico, trabalho de conclusão de curso, projeto,dissertação, tese e outros), nome da instituição, da faculdade e dadisciplina e objetivo (obtenção de créditos, aprovação em disciplina, graupretendido e outros) e área de concentração nos casos de dissertação etese;d) nome do orientador (após duas linhas em branco em espaço simples) e,se houver, do co-orientador (após uma linha em branco em espaçosimples). Nessa instituição teremos apenas orientador;e) local da instituição onde o trabalho será apresentado e, logo abaixo, anoda entrega.NOME DO AUTORTÍTULO: subtítuloCIDADEANOMonografia apresentada aFaculdade Cidade de Coromandelcomo requisito parcial para aconclusão do Curso de Graduaçãoem Administração.Orientadora: Prof.ª Ms. Luciana deAraújo Mendes SilvaArial 16 negritoArial, 12 negrito,centralizado.Arial 18 negritocentralizadoArial 12Entrelinhas simplesRecuo de 8 cm.2 espaços simples antesdo nome do orientador(12).No meio dapágina.2 espaços simples (12)
  • 7. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL191.1.2.2 Verso da folha de rostoEm trabalhos de conclusão de curso, dissertações e teses que ficarãoarquivados na instituição ou serão doados à biblioteca, o verso da folha de rostodeve conter a ficha catalográfica, elaborada conforme o Código de CatalogaçãoAnglo-Americano em geral por um profissional bibliotecário. Em trabalhosacadêmicos propostos no decorrer do curso, pelas várias disciplinas constantes dagrade curricular, a ficha catalográfica é dispensável. A folha de rosto é a única folhado trabalho que pode conter informações no anverso e no verso, pois todo trabalho édigitado em uma só lauda. No que tange ao sistema de numeração de páginas afolha de rosto é a primeira lauda a ser contada.Fonte: Faculdade Cidade de Cormandel - FPM. Biblioteca.1.1.3 Folha de AprovaçãoÉ a folha que se destina à avaliação do candidato pelos membros da Bancaou Comissão Examinadora, portanto, um elemento obrigatório em trabalhosmonográficos. Nesta folha, devem figurar o nome do autor do trabalho, o título e615.8 SILVA, Juliana VieiraS586o O uso do surfactante exógeno em recémnascidos pré-termo com Síndrome doDesconforto Respiratório: o papel dofisioterapeuta/Juliana Vieira Silva –Orientadora: Prof. Esp. Carla Cristina deAndrade. Coromandel/MG: [s.n], 2009.50p.: il.Monografia de Graduação - FaculdadeCidade de Coromandel.Curso de Bacharel em Enfermagem1 Fisioterapia. 2 Recém nascido pré-termo.3 Síndrome do Desconforto Respiratório 4Surfactante Exógeno. I. Juliana Vieira Silva II.Título.Entrelinhas simples. Altura 7,5 cm e largura 12,5 cm.
  • 8. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL20subtítulo, se houver (centralizados na folha), sua natureza, objetivo, nome dainstituição a que é submetido, área de concentração, local e data de aprovação, onome, titulação dos membros da comissão examinadora e instituições a quepertencem (Modelo 3). A data de aprovação e assinaturas dos membroscomponentes da banca examinadora serão grafadas após a aprovação do trabalho.NOME DA INSTITUIÇÃONOME DO ALUNOTÍTULO DO TRABALHO: subtítuloMonografia aprovada em _____ de_____ de _______ pela comissãoexaminadora constituída pelos professores:Orientadora: _______________________________________Prof.ª Ms. Luciana de Araújo Mendes SilvaFaculdade Cidade de CoromandelExaminador: _______________________________________Prof. Esp. Sônia Helena CastroFaculdade Cidade de CoromandelExaminador: _______________________________________Prof. Dr. Lucas de Almeida SoaresFaculdade Cidade de CoromandelOBS.: A quantidade de linhas em branco sugeridas pode ser alterada considerando-se o tamanho do título de seu trabalho procurando-se utilizar um mínimo de estéticaque seja possível em cada monografia.Arial 14, sem negritomaiúscula.Arial 16, semnegrito,centralizado.Arial 12Entrelinhas simplesAlinhamento esquerdo.Todos os elementos dessapágina devem serdigitados em espaçamentosimples.8 espaços entrelinhassimples (12)6 espaços entrelinhassimples (12)6 espaços entrelinhassimples (12)4 espaços entrelinhassimples (12)Respeitar o espaço de umTAB antes da palavraorientador/examinador eentre estas e a linha deassinatura4 espaços entrelinhassimples (12)
  • 9. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL211.1.4 DedicatóriaA dedicatória é opcional. Texto, geralmente curto, no qual o autor presta umahomenagem ou dedica seu trabalho a alguém. É transcrita em geral na parte inferiorda página e dispensa a palavra DEDICATÓRIA (Modelo 4).OBS.: Os textos dos modelos não devem ser copiados, pois esse fato podeconfigurar plágio.1.1.5 AgradecimentosElemento opcional, dirigido às pessoas e instituições que, de algumaforma, colaboraram para a execução do trabalho. É transcrita em geral na parteinferior da página e dispensa a palavra agradecimentos (Modelo 5).Arial 12Entrelinhas 1,5Recuo de 8 cmParágrafo justificadoDedico esse estudo aosmeus pais e irmãos que meapoiaram nessa jornada.
  • 10. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL221.1.6 EpígrafeA epígrafe é um elemento opcional. Trata-se de uma citação, seguida deautoria, relacionada com o tema tratado no trabalho. Podem também constarepígrafes nas folhas de abertura das seções primárias. A epígrafe em geral édigitada acima da margem inferior. (Modelo 6).Texto em arial 12, entrelinhas 1,5, recuo de8cm, sendo o texto digitado rente a margemsuperior. Caso os agradecimentos ultrapassema metade da página, digitar como texto (emparágrafos sem recuo). Nesse caso adota-seAGRADECIMENTOS como título, seguindo opadrão de formatação dos demais títulos.Expresso o meu agradecimento a todos quecontribuíram de uma forma direta ou indiretapara a realização desse trabalho e de formaespecial a Deus pelo dom da vida pois sem Eleesse trabalho não seria realizado.A meus familiares, especialmente ao meus paise irmãos pelo apoio e compreensão.A nossa orientadora Ms. Luciana de AraújoMendes Silva pela competência,disponibilidade, paciência e compreensãodurante todo o período de elaboração dessetrabalho.Aos componentes da banca de defesa pelassugestões e correções enriquecedorasincorporadas ao nosso trabalho.
  • 11. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL231.1.7 Resumo em língua vernáculaConforme a NBR 6028 da ABNT, o resumo é uma síntese dos pontos maisrelevantes de um trabalho, sendo, portanto um elemento obrigatório. Quanto aoestilo e extensão fazem-se as seguintes recomendações:a) O resumo não deverá apresentar parágrafos, nem mesmo na primeira linha;b) Uso de verbo na voz ativa e na terceira pessoa do singular;c) Composição de uma seqüência corrente de frases concisas, afirmativas e nãode uma enumeração de tópicos que deve compor um parágrafo único semrecuo em seu início;d) A primeira frase deve ser significativa e fornecer explicações sobre o temaprincipal do trabalho, em seguida deve-se fornecer explicações sucintas sobrea introdução, objetivos, procedimentos metodológicos, principais resultados econsiderações finais;Quem, de três milênios, não é capaz dese dar conta vive na ignorância, nasombra, à mercê dos dias, do tempo.Johann Wolfgang Von GoetheArial 12;Entrelinhas 1,5;Recuo de 8 cm;Texto em itálico;justificado.Nome do autor após umespaço 1,5 - sem itálicoe alinhado a direita.
  • 12. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL24e) De acordo com a NBR 6028 da ABNT a extensão do resumo pode ter de 150a 500 palavras.f) Devem-se evitar símbolos, fórmulas, equações, etc., que não sejamabsolutamente necessários;g) Com relação à apresentação tipográfica, usar espaço simples para o texto doresumo, letra de tamanho 12, devendo este ser encabeçado pela palavraRESUMO, em maiúscula, negrito, centralizado, tamanho 16.h) Abaixo do resumo deverão constar de 3 a 5 palavras representativas do tema(descritores), antecedidas da expressão Palavras-chave:, separadas entre sipor ponto e finalizadas também por ponto, como pode ser observado noModelo 7.1.1.8 Resumo em língua estrangeiraElemento pré-textual obrigatório que consiste em uma versão do resumo emidioma de divulgação internacional (em inglês Abstract, em espanhol Resumen, emRESUMOmaiúsculas, fonte 16,negrito, centralizado2 espaços entrelinhas 1,5fonte 12Este é o modelo de resumo que deverá ser utilizado em monografias. Otítulo deve estar rente a margem superior 1,5. Entre o título e o textodeixar também duas linhas em branco com entrelinhas 1,5. O textodeverá ser escrito em espaçamento simples. O resumo como aintrodução deverá ser redigido após a finalização do trabalho, poisrepresenta o conteúdo do mesmo. Descrever de maneira resumida (emmédia 250 palavras) a importância da temática de estudo, o que foidesenvolvido, a metodologia e os principais resultados obtidos. Oresumo não apresenta parágrafos nem mesmo na primeira linha. Abaixodo resumo (após dois espaços de entrelinhas 1,5) deverão figurar aspalavras-chave do tema (3 a 5). Não é necessário colocar citações.2 espaços entrelinhas 1,5fonte 12Palavras-chave: Monografia. Formatação. Modelos.
  • 13. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL25francês Résumé, por exemplo) 1. Deve ser seguido das palavras chave na línguaapresentada, em folha separada do resumo em língua vernácula. É importanteressaltar que a tradução deve ser feita ou revisada por uma pessoa capacitada e aformatação segue a do resumo em língua vernácula.1.1.9 ListasElemento opcional que consiste em um rol de elementos ilustrativos ouexplicativos. Podem ser incluídas, nesta seqüência, as listas a seguir:a) lista de ilustrações: as listas destinam-se a relacionar as ilustrações (desenho,gravura, imagem, fotografia, gráficos, quadros, desenhos, esquemas,fluxogramas, mapas e outros), na ordem em que aparecem no texto, com aindicação da página onde estão localizadas. Quando necessário, recomenda-se a elaboração de lista própria para cada tipo de ilustração;b) lista de tabelas: deve ser elaborada de acordo com a ordem apresentada notexto com cada item designado por seu nome específico (que deve ser auto-1Nessa instituição adotar-se-á a língua ......................................ABSTRACTThis is the abstract model that will have to be used in monographs.The abstract should be written after the finishing of the work, thereforeit represents its content. To describe in summarized way (up to 250words) the importance of the thematic of the study, what it wasdeveloped, the methodology and the main ones resulted gotten. Theabstract does not present paragraphs not even in the first line. Belowof the abstract you should put the keywords (3 up to 5). Citations areunnecessary in the abstract.Keywords: Monograph. Formatting. Models.
  • 14. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL26explicativo). A tabela é um elemento que apresenta o tratamento dos dadosobtidos no trabalho em questão, por isso deve ser elaborada pelo próprioautor;c) lista de abreviaturas e siglas: relação alfabética das abreviaturas e siglasutilizadas no texto e/ou publicação, seguidas das palavras ou expressões aque correspondem grafadas por extenso. Ao longo do texto, o autor deveapresentar o significado das siglas entre parênteses, na primeira vez em queforem citadas.Em razão da especificidade dos conteúdos, estas listas devem ser elaboradase apresentadas individualmente, ou seja, uma lista para as ilustrações e uma listapara as tabelas (Modelo 9) cuja formatação deve ser seguida em todas as listas.LISTA DE ILUSTRAÇÕESFigura 1 - Mapa do município de Patos de Minas/MG............................Figura 2 - Mapa do relevo de Patos de Minas/MG.................................. 12Figura 3 - Imagem de satélite com localização do depósito de resíduosde Patos de Minas/MG............................................14Figura 4 - Guarnição de coletores durante a realização do trabalho emPatos de Minas/MG em 2007.................................................17Figura 5 - Resíduos dispostos na rua recolhidos por coletor de Patosde Minas/MG em 2007...........................................................20Como construir a lista mencionada anteriormente - Formatação: MENU –Tabela, escolha a opção inserir tabela; defina o número de linhas de acordo com aquantidade de figuras e 3 colunas; usar espaçamento 1,5 para digitar a lista, no casode nome de figura com mais de uma linha utilizar entrelinhas simples de uma linhaDeixar duas linhas em branco(12), em espaço entrelinhas de1,5Fonte 16, negrito,centralizado
  • 15. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL27para outra. Digite e depois oculte as grades da tabela – MENU – Tabela – Auto-formatação de tabela – com a tabela selecionada escolha a opção nenhuma e cliqueem OK.As listas de tabelas e de quadros também seguem o modelo anterior.Com relação às listas de abreviaturas e siglas devem seguir o padrãopresente no modelo a seguir.1.1.10 SumárioO sumário é o último elemento pré-textual e obrigatório compreendendo aenumeração das principais divisões de um trabalho e deve figurar imediatamenteantes do texto, de modo a favorecer uma visão geral do conjunto do trabalho efacilitar a localização das partes que o compõe, conforme modelo 12.LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLASAABB - Associação Atlética Banco do BrasilABNT - Associação Brasileira de Normas TécnicasAIDS - Síndrome da Imunodeficiência AdquiridaCEC - Coromandel Esporte ClubeEUA - Estados Unidos da AméricaIBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e EstatísticaPIB - Produto Interno Bruto
  • 16. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL28SUMÁRIO1 INTRODUÇÃO................................................................................ 102 HISTÓRICO DA HUMANIZAÇÃO EM SAÚDE 112.1 Os percursores em humanização no Brasil....................................... 142.1.1 As contribuições de Fulano de Tal.......................................................... 142.1.2 As contribuições de Beltrano de Tal........................................................ 163 A HUMANIZAÇÃO E OS PROFISSIONAIS DE SAÚDE....................... 183.1 A enfermagem....................................................................................... 183.1.1 A atuação do auxiliar............................................................................... 203.1.2 A atuação do técnico............................................................................... 223.1.3 A atuação do enfermeiro......................................................................... 243.1.3.1 Atenção primária..................................................................................... 243.1.3.2 Atenção secundária................................................................................. 253.2 A medicina............................................................................................. 273.3 A fisioterapia.......................................................................................... 294 A IMPORTÂNCIA DA HUMANIZAÇÃO NA ATUALIDADE.................. 304.1 Principais benefícios da humanização............................................... 324.2 Principais desafios na atualidade........................................................ 355 CONCLUSÃO....................................................................................... 36REFERÊNCIAS......................................................................................................37GLOSSÁRIO.......................................................................................................... 41APÊNDICES.......................................................................................................... 44ANEXOS................................................................................................................ 48Duas linhas em branco (12),Entrelinhas 1,5Arial, 16 negrito,centralizado
  • 17. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL29Todo sumário deve ser digitado em fonte arial 12, com espaçamentoentrelinhas 1,5 de um uma seção para subseção e entre as subseções. Antes deiniciar uma nova seção, deixar uma linha em branco (espaçamento 1,5) a fim dedeixar o sumário mais organizado, com exceção dos elementos pós-textuais. Se ummesmo título for extenso e ocupar mais de uma linha, utilizar espaçamento simplesentre as mesmas.1.2 Elementos textuaisÉ a parte do trabalho em que o autor aborda o trabalho, ou seja, oproduto resultante do processo de investigação que foi feito. É composto de trêspartes: introdução, desenvolvimento e conclusão.1.2.1 IntroduçãoParte inicial do texto que contém os fundamentos do estudo. Nela devemconstar a delimitação do assunto tratado, os objetivos da pesquisa e outroselementos necessários para situar o tema como problematização, hipóteses alémdas razões de sua elaboração (justificativa). A introdução deve ser embasada emtrabalhos anteriores que abordem temas que se aproximam. Devem-se expor estasidéias de forma coerente para que o leitor tenha uma visão geral do tema abordado.A introdução não deve ser uma cópia do resumo, nem antecipar metodologia,resultados ou conclusões. Embora a introdução e o resumo venham no início dotrabalho, estes são os últimos a serem redigidos, visto que representam a síntesedas idéias tratadas no trabalho.A introdução é a parte inicial do texto, devendo ser elaborada de forma clara eprecisa, onde constam a delimitação do tema, objetivos, justificativa e outros dadosrelevantes sobre o tema pesquisado. A introdução serve para situar o leitor nocontexto da pesquisa, levando-o a perceber claramente o que será analisado, como
  • 18. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL30e por que. Ainda é necessário apresentar as limitações, o alcance da investigação,suas bases teóricas gerais, sem, no entanto, repetir ou parafrasear o resumo, nemantecipar as conclusões e as recomendações contidas no estudo. Deve-se deixarclaro como o estudo está dividido. Resumindo, a introdução representa um primeiromomento do trabalho onde devem ser respondidas as seguintes questões: Qual é o tema abordado pelo trabalho, suas delimitações e os motivos quelevaram a escolha do tema? Quais são os autores que já dissertaram sobre esse tema? Quais as dificuldades, problemáticas identificadas que despertaram ointeresse em desenvolver o estudo? Qual a questão central o autor pretende responder e com quais objetivos? É possível hipotetizar (prever) uma resposta afirmativa ou negativa para estaquestão central? Por que este trabalho é importante para ciência e para a sociedade? Como serão conduzidos os trabalhos de pesquisa, ela é viável? Como está organizado o estudo?Com relação à segunda questão “quais são os autores que já dissertaram sobreesse tema”, ou seja, a apresentação do chamado “estado da arte”2, o autor damonografia deve dissertar sobre as obras de outros autores que se aproximam doseu tema, tentando construir, para cada uma delas, um texto de 3 a 5 parágrafoscapaz de responder o maior número de indagações/elementos, a seguir: Quem? Quando? Sobre o quê? Para quê? Como? Principais resultados?2O estado da arte refere-se à essência do que foi estudado até o momento para o tema em questão.Portanto, na determinação do “estado da arte”: o pesquisador procura mostrar através da literaturajá publicada o que já sabe sobre o tema, quais as lacunas existentes e onde se encontram osprincipais entraves teóricos ou metodológicos.
  • 19. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL31 Considerações do autor? Lacunas identificadas.Ex:Sales (2003) em seu estudo sobre o uso das danças folclóricas no contextopedagógico da Educação Física escolar realizou uma investigação com o objetivo de verificar,identificar e analisar o uso das danças folclóricas na escola. Foram selecionadas as escolasmunicipais, estaduais e particulares do ensino fundamental na zona urbana da cidade deMontes Claros/MG. Os procedimentos metodológicos desse estudo foram baseados emrevisão de literatura, observações e entrevistas com pessoas envolvidas no assunto. Teve umaanálise quantitativa e qualitativa envolvendo comparações de respostas entre os professores deEducação Física nas três categorias de instituição de ensino (particular, estadual e municipal).Os resultados demonstraram que a maioria dos professores além de ter poucoconhecimento das danças folclóricas, não faz uso das mesmas como práticas pedagógicas nabusca por uma educação voltada para formação geral do educando.O autor concluiu que, apesar da literatura em geral não apontar, em termos dedescrição, muitas danças, tanto na revisão de literatura, quanto na análise dos dados coletados,existe uma variedade muito grande de manifestações folclóricas em Montes Claros/MG,especificamente as danças, porém elas são pouco catalogadas. Por outro lado, é lamentável apouca utilização de tais manifestações nas aulas de Educação Física, o que torna o seuconhecimento bastante limitado.Com relação ao número de obras e a sequência em que devem ser expostas,fica a critério do autor mencionar 4, 5, 6 ou mais autores (de acordo com anecessidade). Elas podem aparecer no texto de acordo com algumas classificações,a saber: 1) falar primeiramente das obras que sejam dissertações, por exemplo, edepois mencionar as teses, artigos e outras categorias (a ordem não importa desdeque o caráter da publicação seja sequencialmente o mesmo); 2) citar os autorescujas datas de defesa seja cronológica – da mais antiga para mais recente; 3)abordar em primeiro lugar as obras mais relevantes; 4) respeitar todas ou mais deuma dessas categorias ao mesmo tempo, por exemplo, citar vários artigos em ordem
  • 20. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL32cronológica primeiro e depois redigir sobre as dissertações que também estarão emordem cronológica. Em geral ao final da introdução deve colocar o resumo de cadacapítulo do desenvolvimento.Antes de começar a redigir a introdução, conforme já mencionado, o autordeve redigir o título “1 INTRODUÇÃO” - fonte arial 16, negrito, todas em maiúsculas.Após o título, deixar duas linhas em branco espaçamento 1,5 e iniciar o texto comparágrafo cuja distância da margem esquerda corresponde a um espaço “tab”.1.2.2 DesenvolvimentoParte principal do texto, que contém a exposição ordenada e pormenorizadado assunto. Divide-se em seções e subseções, que variam em função da abordagemdo tema e do método. As descrições apresentadas nesta parte devem ser suficientespara permitir a compreensão das etapas da pesquisa. Este item pode ser divididoem CAPÍTULOS, METODOLOGIA, RESULTADOS E DISCUSSÃO. É necessáriodecidir com seu orientador claramente de acordo com a modalidade e característicasde pesquisa a melhor forma de organização e apresentação dos elementos textuais.Alguns pesquisadores, por exemplo, optam por fazer um capítulo específico sobre“METODOLOGIA”, outros, por outro lado, explicitam-na na própria INTRODUÇÃO(independentemente desta opção, é importante lembrar que a metodologia deveaparecer como um dos primeiros elementos do desenvolvimento, senão o primeiro,pois assim o leitor terá melhor compreensão dos passos dados pelo autor). Em geralnessa instituição optaremos por descrever após a introdução os seguintes itens:1 OBJETIVOS (geral e específicos, conforme descrição em projeto); 2METODOLOGIA; 3, 4, 5 ...CAPÍTULOS.Esta parte do trabalho pode ter várias seções e subseções que devem sergrafadas da mesma forma que no sumário atendendo as exigências das NBRs 6024e 6027. As seções e subseções que fazem parte do desenvolvimento devem sernumeradas em arábicos com alinhamento esquerdo, dando-se o devido destaquepara diferenciá-las com recursos de negrito, maiúscula e itálico, conforme modelo aseguir:
  • 21. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL33Ex.:SEÇÃO PRIMÁRIA2 A HUMANIZAÇÃO E OS PROFISSIONAIS DE SAÚDE<maiúscula, negrito,tamanho16>Seção secundária2.1 A enfermagem <1ª letra da frase maiúscula, negrito, tamanho 12>Seção terciária2.1.1 A atuação do auxiliar< 1ª letra da frase maiúscula, sem negrito, tamanho 12 >2.1.2 A atuação do técnico2.1.3 A atuação do enfermeiroSeção quaternária2.1.3.1 Atenção primária<1ª letra da frase maiúscula, sem negrito, itálico, tamanho 12>2.1.3.2 Atenção secundáriaÉ preciso lembrar:a. Que é necessário colocar ponto somente entre os números indicativosda seção e deixar um espaço entre o número e o título (ou seja, NÃOcolocar ponto nem hífen entre o número da seção e o título da mesma,NEM ao final do título da seção, pois não é uma frase, é um título). Otítulo só leva pontuação quando tiver verbo;b. As seções que iniciam nova página são somente as primárias, ou seja,identificadas por um único algarismo. No exemplo acima, somente otítulo “2 A HUMANIZAÇÃO E OS PROFISSIONAIS DE SAÚDE”iniciaria nova página, ficando após duas linhas (entrelinhas 1,5, fonte 12)da borda superior do papel, que é a distância comumente utilizada. Apóso título devem ser deixadas também duas linhas em branco antes de seiniciar o texto com o mesmo espaçamento;c. Os títulos das subseções, quando estiverem no final da página, sendoimpossível continuar o texto deverão iniciar nova página sem deixar
  • 22. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL34nenhuma linha em branco antes desses, somente serão deixadas aslinhas em branco entre o título e o texto.1.2.2.1 MetodologiaDescrever, de forma detalhada, como os objetivos foram alcançados, passo apasso. Isto inclui a identificação dos seguintes elementos: tipo de pesquisa (citando-a, definindo-a e contextualizando-a no estudo – ex: pesquisa de campo, etnográfica,experimental, bibliográfica, documental, etc), a população e amostra selecionada(ex: os idosos o Projeto Conviver de Coromandel; 30% dos idosos acima de 70 anosdo projeto conviver), as técnicas e instrumentos de coleta de dados (ex: inquiriçãooral e escrita, testagem, experimento; roteiro de entrevista, bloco de notas, esteiraergométrica, questionário), os procedimentos de coleta e tratamento dos dados(passo a passo da coleta; quantitativa, qualitativa ou quantitativa-qualitativa);organização e apresentação dos dados (gráficos, tabelas, quadros, pastas, etc) e ocronograma de trabalho.Em meio a esse procedimento e partindo do pressuposto que cada pesquisaé única, é importante caracterizar bem COMO ela foi desenvolvida, além deidentificar QUEM participou da mesma, QUANDO e ONDE foi realizada. Também éimportante citar parcerias, convênios e apoios financeiros envolvidos no processo,assim como outros elementos pertinentes. Nessa instituição a maioria dos trabalhosserá de pesquisa bibliográfica, descritiva, qualitativa, contando com seleção, leiturae fichamento de obras diversas e atualizadas lidas tais como livros, revistas, jornais,documentos, artigos, monografias, dissertações, teses e base de dados disponíveisna internet. As idéias e pressupostos dos autores serão analisados e discutidos aolongo da escrita dos capítulos, facilitando a elaboração das considerações finais doestudo.1.2.2.2 Resultados e discussãoNeste item deverão ser apresentados os resultados obtidos emgráficos, tabelas, figuras, etc. devidamente apresentados, discutidos, comparando,se possível, com a literatura existente a respeito do tema em caso de pesquisa decampo. Nessa instituição os resultados serão basicamente o conteúdo dos capítulose a discussão também deverá ser feita nesses.
  • 23. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL351.2.2.3 Conclusões ou Considerações FinaisAs Conclusões devem ser correspondentes aos objetivos e hipóteses dapesquisa tendo essas sido confirmadas ou negadas. Devem ser breves podendoapresentar recomendações e sugestões para trabalhos futuros. As ConsideraçõesFinais geralmente possibilitam uma discussão mais abrangente dos resultadosalcançados e, além disso, é um espaço onde o autor retoma a questão central ouobjetivo geral, mencionando o que foi alcançado e as principais dificuldadesencontradas em todo processo. Ainda relembra o leitor dos principais resultados,enriquecendo a discussão e tecendo comentários e sugestões para novasinvestigações. Deve ter um título enumerado como nas demais seções.1.3 Elementos pós-textuais1.3.1 ReferênciasÉ a listagem em ordem alfabética ou numérica, das publicaçõesutilizadas para elaboração do trabalho sendo um elemento obrigatório. Asreferências são normalizadas pela NBR 6023: 2002 /ABNT conforme descrição naseção 4 desse manual.a) numérica: de acordo com a ordem de citação dos materiais no texto,seguindo a ordem numérica crescente, utilizando-se algarismosarábicos. Embora a norma considere este tipo de ordenação, elenão é funcional, pois impede o uso de notas de rodapé, que tambémsão numeradas em algarismos arábicos, o que confundiria anumeração, que ora indicaria o número de uma referência na listagemfinal, ora indicaria uma nota de rodapé apresentada no rodapé da folha;b) alfabética: as referências são apresentadas em ordem alfabética,conforme o sistema autor-data utilizado para citação no corpo do texto.É o sistema mais usado e mais funcional, que considera a forma deentrada do documento: sobrenomes de autores pessoais, entidades
  • 24. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL36coletivas (órgãos governamentais, empresas, associações, congressos,seminários etc) ou títulos, quando a obra for de autoria desconhecida.Para os trabalhos dessa instituição, adota-se o sistema autor-data, ou sejaas referências deverão ser arroladas em ordem alfabética (Modelo 13). Asreferências bibliográficas são aquelas que foram realmente citadas no texto. Asreferências consultadas, mas não citadas no texto, deverão vir arroladas no tópicodenominado OBRAS CONSULTADAS, que é opcional e quando utilizado deveaparecer no sumário. Veja o modelo de listagem de referências a seguir que virá emfolha própria. Utilize número mínimo de 20 referências.REFERÊNCIASALBUQUERQUE, Catarina. Os direitos da criança: as Nações Unidas, aConvenção e o Comité. Disponível em:<http://www.gddc.pt/direitos-humanos/onu-proteccao-dh/orgaos-onu-estudos-ca-dc.html>. Acesso em: 22 maio 2002.ANDRADE, Maria Margarida de. Como preparar trabalhos para cursos de pós-graduação: noções práticas. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2002.BRASIL. Tribunal Superior eleitoral. Súmula nº 4. Não havendo preferência entrecandidatos que pretendam o registro da mesma variação nominal, defere-se o doque primeiro o tenha requerido. Disponível em:<http://www.direitonaweb.adv.br/jurisprudencial/sum_enunc/sum_tse.htm>. Acessoem: 10 mar. 2002.CERVO, Amado Luiz; BERVIAN, Pedro Alcino. Metodologia Científica. 4. ed. SãoPaulo: Makron Books, 1996.COSENZA, José Paulo. A eficácia informativa do valor adicionado. RevistaContabilidade e Finanças, v. 2, n. 4, p. 7-29, out. 2003.FERNANDES, Rogério Paulo Muller. Formatação e configuração do texto. In:MÜLLER, Mary Stela; CORNELSEN, Julce Mary. Normas e padrões para teses,dissertações e monografias. 3. ed. rev. atual. Londrina: UEL, 2001. Cap. 5, p. 79-97.GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo:Atlas, 1999. 206 p.Arial, 16, negrito,centralizadoDuas linhas em brancocom entrelinhas 1,5
  • 25. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL37LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos demetodologia científica. 4. ed. rev. ampl. São Paulo: Atlas, 2001.MÜLLER, Mary Stela; CORNELSEN, Julce Mary. Normas e padrões para tesesdissertações e monografias. 5. ed. atual. Londrina: Eduel, 2003.RIBEIRO, Fábio Pereira. Inteligência competitiva: maximizando o poder do marketingno varejo. Revista Brasileira de Administração, v. 4, n. 41, p. 27-35, dez. 2003.RUIZ, João Álvaro. Metodologia científica: guia para eficiência nos estudos. 5. ed.São Paulo: Atlas, 2002. .1.3.2 Obras ConsultadasEsse é um elemento opcional. Neste tópico poderão ser arroladas as obrasque foram consultadas, mas não foram citadas em nenhuma parte do texto. Não éum elemento muito utilizado.1.3.3 GlossárioTambém é um elemento opcional. Consiste em uma lista em ordem alfabéticade palavras ou expressões técnicas de uso restrito e contextualizado ou sentidoobscuro, tais como termos técnicos, arcaísmos, expressões regionais, devidamenteacompanhadas das respectivas definições.1.3.4 ApêndiceAs referências devem ser digitadas emespaço simples, fonte 12.Entre duas referências deve-se deixar umespaço simples.
  • 26. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL38Elemento opcional. Texto ou documento elaborado pelo autor paracomplementar sua argumentação. Os apêndices são identificados por letrasmaiúsculas consecutivas, travessão e pelos respectivos títulos.Exemplo:APÊNDICE A – Avaliação numérica de células inflamatórias totais aos quatro dias deevoluçãoAPÊNDICE B – Avaliação de células musculares presentes nas caudas emregeneração.Usar uma folha em branco com o cabeçalho APÊNDICE ou APÊNDICEScentrado no papel como divisória e acrescentar uma lista dos apêndices e suasreferidas páginas. Na seqüência, inserir os apêndices, devidamente ordenados etitulados, na mesma ordem em que foram mencionados no texto.Em geral esse elemento é utilizado em pesquisas de campo.1.3.5 AnexoÉ um elemento opcional que consiste em um texto ou documento nãoelaborado pelo autor. Tem por finalidade fundamentar, comprovar ou confirmar asidéias do texto. Devem ser colocados como anexos, somente documentosrelevantes ou necessários para sua maior compreensão como: ilustrações que nãosão citadas no texto; descrição de equipamentos e técnicas; programas utilizados;modelos de formulários ou impressos; leis e decretos, etc.Exemplo:ANEXO A - Representação gráfica de contagem de células inflamatórias presentesnas caudas em regeneração - Grupo de controle I (Temperatura...)ANEXO B - Representação gráfica de contagem de células inflamatórias presentesnas caudas em regeneração - Grupo de controle II (Temperatura...)Usar uma folha em branco com o cabeçalho ANEXO ou ANEXOS centrado nopapel como divisória e acrescentar uma lista dos anexos e suas referidas páginas.
  • 27. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL39Na seqüência, inserir os anexos, devidamente ordenados e titulados, na mesmaordem em que foram mencionados no texto.1.3.6 ÍndiceElemento opcional elaborado conforme a NBR 6034/ABNT. Constitui-se deum lista de entradas organizada por ordem alfabética de palavras ou frasessignificativas que localizam e remetem para as informações contidas num texto. Nãodeve ser confundido com sumário. Pode ser alfabético ou sistemático (entradasordenadas numérica ou cronologicamente).
  • 28. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL402 FORMATAÇÃO E ASPECTOS TIPOGRÁFICOS PARAPROJETOS, MONOGRAFIAS E TRABALHOS ACADÊMICOSa) Citações: devem ser apresentadas de forma direta ou indireta, conforme aNBR10520, descrita neste manual na seção 3;b) Referências: ver nesse manual na seção 4;c) Siglas: quando aparecem pela primeira vez no texto, a forma completa donome precede a sigla, colocada entre parênteses. Posteriormente utiliza-seapenas a sigla.Ex.: Núcleo de Pesquisa e Extensão (NUPE);d) Equações e fórmulas: aparecem destacadas do texto, centralizadas enumeradas, de modo a facilitar sua leitura.e) Fonte:a. Corpo de texto: Arial 12 com alinhamento justificado;b. Títulos: Arial 16;c. Resumo/Abstract: Arial 12;d. Palavras-chave: Arial 12;e. Notas de rodapé: Arial 10;f. Citações Diretas longas: Arial 10g. Referências: Arial 12;f) Papel: A4: 210 mm x 297 mm;g) Margens:a. Superior 3 cm;b. Inferior 2 cm;c. Esquerda 3 cm;d. Direita 2 cm;h) Espacejamento:a. entre as linhas do texto: 1,5;b. entre o texto e os títulos e entre os títulos e o texto: 2 espaços comentrelinhas 1,5 conforme NBR 14724 (2005).i) parágrafos: iniciar sempre com uma (1) tabulação para indicar o início, ou seja,um toque na tecla TAB;
  • 29. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL41j) Paginação: numerar seqüencialmente no canto superior direito em algarismosarábicos. Todas as páginas são contadas a partir da Folha de Rosto, mas onúmero só aparece a partir da primeira folha da parte textual. Se houverApêndice ou Anexo, suas páginas serão igualmente numeradas, de maneiracontínua e sua paginação deve dar seguimento à do texto principal, a não serque sejam cópias de outra publicação;k) Número de páginas: a monografia para os alunos dessa instituição deveráconter número mínimo de 40 páginas considerando-se para essa contagemapenas os elementos textuais, pois um tamanho inferior a esse configurapraticamente a extensão de um artigo. Por isso defina bem a delimitação deseu tema antes de iniciar o trabalho para evitar problemas na entrega.l) Numeração das seções:a. As partes da monografia: RESUMO, ABSTRACT, REFERÊNCIAS,GLOSSÁRIO, APÊNDICES OU ANEXOS não recebem numeração e,por isso, estes títulos devem ser centralizados;b. Para monografias e trabalhos acadêmicos os títulos acima devem iniciarnova página rente a margem superior do papel, em arial 16 e o textoapós duas linhas brancas com entrelinhas 1,5, devidamente enumeradose alinhados a esquerda.c. Os destaques e subordinação de títulos das seções e subseções devemseguir ao que está previsto nesse manual no item desenvolvimento.m) Ilustrações, tabelas e quadros:a. FIGURAS: qualquer ilustração como mapas, gráficos, fotos, etc. deverãoestar próximas ao texto em que foram citadas, centralizadas na página eidentificadas, como no exemplo na página a seguir, obedecendo àsinstruções: Após a identificação da figura não deve ser colocado ponto final, pois não éuma frase sendo a palavra figura e o número escritos em negrito seguidosde um hífen; A numeração das figuras deverá ser independente e consecutiva; A identificação da ilustração aparece na parte superior (palavra designativa,seguida de seu número em arábico, travessão e título. Na parte inferior dailustração deve constar a fonte, legenda e notas, quando for o caso.
  • 30. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL42 A ilustração deve ser citada no texto e inserida o mais próximo possível dotrecho a que se refere. Utilizar o tamanho 10 para a fonte caso a ilustração tenha sido extraído deoutro documento. A palavra fonte deverá ser negritada e seguida de doispontos.Fotografia 1 - Vala de resíduos hospitalares do Aterro Municipal de Patosde MinasFonte: Prefeitura Municipal de Patos de Minasb. TABELAS: as tabelas devem ser utilizadas para apresentar dadosnuméricos ou síntese de informações. Devem ser preparadas de modoque o leitor possa compreendê-las sem que recorra ao texto e nãodevem ter repetição de seus dados em seu texto a não ser que essessejam indispensáveis à compreensão do mesmo. Exemplo:Tabela 1 – Corpo discente da Faculdade Cidade de João Pinheiro no primeirosemestre de 2008Curso Número de alunosAdministração 263 23,87Educação Física 220 19,96Enfermagem 297 26,95Letras 322 29,22Total 1102 100Fonte: Secretaria da Faculdade (dados ilustrativos)
  • 31. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL43 As tabelas têm numeração independente e consecutiva; O título deve figurar acima da tabela sendo a palavra tabela e o númeroescritos em negrito seguidos de um hífen; não colocar ponto final após a identificação; Abaixo da tabela deverá constar a fonte a partir da qual foi elaborada, emletra arial, tamanho 10 sendo a palavra fonte negritada seguida de doispontos; A fonte a ser utilizada no corpo da tabela será de tamanho 12. Usar fios horizontais e verticais somente para separar os títulos das colunase linhas e fechar a tabela com 1 fio horizontal. Nenhum tipo de fio deve serutilizado para separar as colunas ou linhas no interior da tabela. Caso as tabelas sejam grandes, pode-se reduzi-las até um tamanho quepreserve a legibilidade.c. QUADROS Diferentemente das tabelas, os quadros deverão ser fechados por fioshorizontais e verticais; A numeração deverá ser independente e consecutiva; O título deverá figurar acima do quadro, sendo a palavra quadro e o númeroescritos em negrito seguidos de hífen; A fonte a partir da qual o quadro foi extraído deverá vir abaixo do mesmoem letra arial, tamanho 10 sendo a palavra fonte negritada seguida de doispontos;. A fonte a ser utilizada no corpo do quadro será de tamanho 12.Quadro 1 – Titulação dos professores de Metodologia da Pesquisa Científica daFaculdade....Nome* TitulaçãoAna Lúcia da Silva EspecialistaDário de Castro MestreFabiana da Silva Muniz EspecialistaEvaldo de Oliveira DoutorFonte: Fictícia
  • 32. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL44OBSERVAÇÕES:- Considerando figuras, tabelas e gráficos que sejam estreitos, os mesmos devemficar centralizados na página.- As figuras, quadros e demais elementos gráficos deverão ser utilizados sempre quenecessário e não simplesmente como elementos que aumentem o tamanho dotrabalho e devem estar próximos ao texto a eles relacionados evitando repetição dedados no texto e nas ilustrações.n) Uso de negrito e itálico: O negrito é utilizado comumente para realçar em geral os títulos, indicaçãodas palavras quadro, figura, tabela, fonte (abaixo de ilustrações). O itálico também pode realçar palavras ou expressões sendo obrigatório empalavras estrangeiras, termos técnicos, títulos de livros e periódicos no meiodo texto, letras ou vocábulos que mereçam destaque ou ênfase.
  • 33. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL453 REGRAS PARA CITAÇÕESA citação é uma menção de uma informação extraída de outra fonte, ou seja,são informações retiradas das publicações consultadas para a realização detrabalhos, com o objetivo de enriquecer as informações apresentadas.As regras a seguir baseiam-se na NBR 10520 (2002) da ABNT que se refereinformação e documentação: citações em documentos.3.1Tipos de citaçõesAs citações podem ser diretas ou indiretas, conforme descrição a seguir.3.1.1 Citação direta ou textualTranscrição literal do texto consultado, ou melhor, transcrição do texto daforma como foi escrita pelo autor obedecendo inclusive a grafia, palavras emdestaque, pontuação, uso de maiúscula e idioma por ele utilizada. É utilizadasomente quando uma idéia significativa for muito bem expressa e/ou quando forabsolutamente necessário e essencial transcrever as palavras do autor.O “[sic]” deve ser utilizado, quando ao transcrever uma citação direta estacontiver um erro facilmente identificável. O procedimento que deve ser seguido é:faz-se a citação exatamente como está no texto original e, após o erro, acrescenta-se a expressão “sic”, entre colchetes. As normas desse tipo de citação obedecem asua extensão e, portanto, podem ser curtas ou longas, sendo posteriormentedescritas no manual.
  • 34. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL46Exemplo:No texto"Ronaldinho, jogador do Brasil é um previlegiado [sic], considerado um fenômeno."(BUENO, 1997, p. 8).3.1.1.1 Citações diretas curtas (até 3 linhas)Nas citações diretas com até três linhas, é necessário observar as seguintescaracterísticas: Deverá ser grafada no corpo do texto, entre aspas duplas; A escrita deverá seguir o mesmo padrão do texto, sem qualquerdestaque do tipo negrito, sublinhado, itálico, etc.; O tamanho da letra segue o mesmo utilizado no corpo normal do texto,ou seja, tamanho 12; O espaçamento segue o mesmo utilizado no corpo do texto, que deveser 1,5; A citação do (s) autor (es) poderá ser feita de duas maneiras: a) pelosobrenome, fora dos parênteses, com letras maiúsculas e minúsculas;b) dentro dos parênteses, apenas o sobrenome, em letrasMAIÚSCULAS (caixa alta).Exemplos:A pesquisa documental baseia-se em documentos (manuscritos, impressosperiodicamente, desenhos, fotografias, processos, pareceres, boletins, jornais, etc)que, por sua vez, são “[...] todos os materiais escritos que podem servir como fontede informação para pesquisa científica e que ainda não foram elaborados.”(LAKATOS; MARCONI, 1985, p.165).
  • 35. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL47Segundo Lakatos e Marconi (1985, p.165) documentos são “[...] todos os materiaisescritos que podem servir como fonte de informação para pesquisa científica e queainda não foram elaborados.”3.1.1.2 Citações Diretas longas (com mais de 3 linhas)Nas citações diretas com mais de três linhas (ou longas), devem serconsiderados as seguintes características: Deverá ser grafada fora do corpo do texto, com recuo de 4 (quatro)centímetros da margem esquerda, sem aspas; A escrita deverá seguir o mesmo padrão do texto, sem qualquer destaque dotipo negrito, sublinhado, itálico, entre outros; O tamanho da letra deverá ser menor do que o utilizado no corpo do texto,padroniza-se nessa instituição tamanho 10 (arial); O espaçamento deverá ser simples. Entre a citação e o parágrafo anterior e posterior deixa-se um espaço deentrelinhas 1,5 em branco de tamanho 12. A autoria deve ser descrita a) pelo sobrenome, fora dos parênteses, comletras maiúsculas e minúsculas; b) dentro dos parênteses, apenas osobrenome, em letras MAIÚSCULAS (caixa alta), podendo a autoriaanteceder ou suceder a citação sem ser mencionada duas vezes.3.2.1.3 Supressões ou omissões em citações diretas:Exemplos:O diálogo pode ser entendido como um intercâmbio de reflexões entresujeitos advindos de ações objetivas e subjetivas. Para melhor ressaltar essa idéiarecorremos a Haid (2001, p. 59) que afirma:Para haver um processo de intercâmbio que propicie a construção coletivado conhecimento, é preciso que a relação professor-aluno tenha comobase o diálogo. É por meio do diálogo que professor e aluno juntosconstroem o conhecimento, chegando a uma síntese do saber de cada um.
  • 36. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL48As omissões de palavras ou frases são indicadas pelo uso de reticênciasentre colchetes.Exemplo:"Quando estiver relaxado, feche os olhos [...] aja como se você fosse do tipotranqüilo, que não está preocupado com o tempo." (WILSON, 2001, p. 116).3.1.2 Citação indireta ou livreÉ quando seu texto é redigido com base na obra do autor consultado, ou seja,você faz menção livre (interpretação) do texto consultado. Para que ocorra umaligação harmoniosa com o texto, a citação pode ser inserida no início, no meio, ou nofinal da frase ou parágrafo. Assim podem-se utilizar diferentes elos entre a citação eo texto, conforme os exemplos a seguir que também podem ser utilizados tantos nascitações diretas quanto nas indiretas: Segundo Martins (2002, p. 5), ... Para Carvalho (2002 p. 5), ... Na reportagem da revista Veja (2001, p. 5) ... Bortollini (2000, p. 15) acrescenta que ... Para Belli apud Bezerra (2001, p. 18) ... Jornal do Brasil3(2000, p. 5) diz que ... De acordo com Mazotti (2001), ... Silveira (2003) sugere que ... Fernandes (2000) enfatiza que ... Opina Borges (1999) que ... Sousa et al. (2001) destacam que ... Para Castilho apud Silveira (1991), ...3Neste caso só colocar a palavra jornal se este fizer parte do nome do jornal, caso contrário coloque:Diário Catarinense (2001, p.2) menciona que ..
  • 37. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL49Na citação indireta a fonte deve ser sempre indicada como descritoposteriormente não sendo obrigatório colocar a página.As citações indiretas podem aparecer sobre a forma de paráfrase oucondensação:A paráfrase é a expressão da idéia de outro autor, com palavras próprias doautor do presente trabalho, mantendo tamanho semelhante a que lhe deu origem.Em geral, quando uma paráfrase é fiel a fonte deve ser utilizada em detrimento auma citação longa direta.A condensação é a síntese dos dados retirados da fonte consultada (comoum todo e de forma geral), sem alterar os fundamentos da ideologia do autor.3.1.3 Citação de citaçãoInclui a citação direta ou indireta de um texto em que não se teve acessoao documento original. Só deve ser utilizada quando realmente não se puder teracesso à obra original. É considerada por alguns estudiosos como citação desegunda mão.Deve-se indicar:a) autoria da obra;b) expressão latina apud ou citado por, conforme, segundo seguida daautoria da obra consultada;c) data de publicação;d) página da obra consultada.Exemplos:A pesquisa documental, segundo Andrade (2002), fundamenta-se no levantamentode documentos, escritos ou não, que não receberam tratamento analítico, ou seja,que ainda não foram explorados por pesquisas.
  • 38. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL50OBSERVAÇÃO: Na citação deve aparecer as páginas das duas obras.No textoExemplo 1: citação direta curta“[...] o viés organicista da burocracia estatal e o antiliberalismo da cultura política de1937, preservado de modo encapuçado na Carta de 1946.” (VIANNA, 1986, p. 172apud SEGATTO, 1995, p. 214-215).Exemplo 2: citação direta longaA Ginástica Rítmica Desportiva – GRD, sistematizada no início do nossoséculo por Rudolf Bode, surgiu da influência de diversas personalidades quese destacaram em diferentes ramos da cultura humana [...] originaram umatransformação que caracterizou a passagem do século XIX para o séculoXX, tanto para a ginástica quanto para a ciência, a filosofia, literatura, arte,pintura, música, escultura, teatro e educação. (RUBINSTEIN, 1980, p.....apud MOTT, 1982, p. 63).Em nota de rodapé_______________¹EVANS, 1987, p. 54 apud SAGE, 1992, p. 2-3 .Em Referências:Nesse caso aparece apenas o nome da obra que realmente foi consultada.AMARAL, José C. Buscando sentidos. Divinópolis: [s. n.], 2002.3.2 Regras gerais de apresentaçãoCom relação à localização, as citações podem aparecer no texto e em notasde rodapé, dependendo da significação sem prejudicar a seqüência do texto.
  • 39. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL513.2.1 Sistema numéricoNesse sistema, a fonte da qual foi extraída a citação é indicada no final doartigo ou do capítulo. Ao optar-se por esse sistema, a numeração de citações deveser atribuída somente para as referências. A indicação da numeração deve ser feitaacima da linha do texto em expoente. Nessa instituição não se utilizará o sistemanumérico e sim o sistema autor-data descrito posteriormente.Exemplo:No texto"A auto-estima é a principal base para encontrar um bom lugar nomundo."18Em Referências18TIBA, Içami. Quem ama, educa! São Paulo: Gente, 2002.3.2.2 Sistema autor-dataEste é o sistema adotado para os trabalhos do dessa instituição. É o sistemaque apresenta a fonte da qual foi extraída a citação no próprio corpo do texto. É omais recomendado para apresentação das fontes citadas no texto.O sobrenome do autor incluído na sentença deve ser colocado em letrasmaiúsculas e minúsculas. E quando estiver entre parênteses, letrasmaiúsculas, nesse caso se ao final da frase o ponto da frase deverá sercolocado após o parêntese e também ao final da frase do autor em caso decitação direta.
  • 40. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL52Exemplos:Segundo Ribeiro (2000, p. 21) "A palavra crise, em chinês, tem doissignificados: perigo e oportunidade.""Na educação sexual, a ignorância e as mentiras trazem resultadosdesastrosos." (SUPLICY, 1998, p. 3).Deve-se especificar no texto:a) autoria;b) ano de publicação;c) volume;d) página;e) seção da fonte, se houver.No caso de citação indireta, a indicação de página e volume é opcional.Exemplo:"Todas as mitologias e culturas primitivas sempre revelaram um interessemuito grande pelo fenômeno dos gêmeos." (BRANDÃO, 2001, v. 2, p. 79).3.2.2.1 Autoria por um grupo ou entidade específicaNo caso de autoria por um grupo ou entidade específica, o nome da entidaderesponsável deve ser escrito até o primeiro sinal de pontuação, seguido da data dapublicação do documento e da página da citação em caso de citação direta,separados por vírgula e entre parênteses.Exemplo:“Comunidade tem que ser intercambiada em qualquer circunstância, semquaisquer restrições estatais, pelas moedas dos outros Estados-membros.”(COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPÉIAS, 1992, p. 34).
  • 41. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL533.2.2.2 Inexistência de autorEm caso de inexistência de autor ou responsabilidade, deve-se utilizar aprimeira palavra do título seguida de reticências, seguida da data da publicação dodocumento e da página em caso de citação direta, separados por vírgula e entreparênteses.Exemplo:No texto:“As IES implementarão mecanismos democráticos, legítimos e transparentes deavaliação sistemática de suas atividades, levando em conta seus objetivosinstitucionais e seus compromissos para com a sociedade.” (ANTEPROJETO...,1987, p. 55).Na lista das referências:ANTEPROJETO de lei. Estudos e debates, Brasília, DF, n.13, p. 51-60, jan. 1987.3.2.2.3 Título iniciado por artigoSe o título iniciar por artigo (definido ou indefinido), ou monossílabo, essedeve ser incluído na indicação da fonte:No texto:“Em Nova Londrina (PR), as crianças são levadas às lavouras a partir dos 5 anos.”(NOS CANAVIAIS..., 1995, p. 12).
  • 42. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL54Na lista de referências:NOS CANAVIAIS, mutilação em vez de lazer e escola. O Globo, Rio de Janeiro, 16jul. 1995. p. 12.3.2.2.4 Coincidência de sobrenomes de autoresCaso houver coincidência de sobrenomes de autores, acrescentam-se asiniciais de seus prenomes; se mesmo assim existir coincidência, colocam-se osprenomes por extenso.Exemplos:(BARBOSA, C., 1959) (BARBOSA, Cássio, 1965)(BARBOSA, O., 1959) (BARBOSA, Celso, 1965)3.2.2.5 Obras de um mesmo autor publicadas no mesmo anoAs citações de diversos documentos de um mesmo autor, publicados nummesmo ano, são distinguidas pelo acréscimo de letras minúsculas, em ordemalfabética, após a data e sem espacejamento, conforme a lista de referências.Exemplos:De acordo com Reeside (1927a) .................................................................................................................. (REESIDE, 1927b).
  • 43. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL553.2.2.6 Citações indiretas de diversos documentos da mesma autoriaAs citações indiretas de diversos documentos da mesma autoria, publicadosem anos diferentes e mencionados simultaneamente têm as suas datas separadaspor vírgula.Exemplo:................................................................................. (DREYFUSS, 1989, 1991, 1995)........................................................... (CRUZ; CORREA; COSTA, 1998, 1999, 2000).3.2.2.7 Citações indiretas de diversos documentos de vários autoresAs citações indiretas de diversos documentos de vários autores, mencionadossimultaneamente, devem ser separadas por ponto-e-vírgula, em ordem alfabética.Exemplos:Ela polariza e encaminha sob a forma de “demanda coletiva”, as necessidades detodos (FONSECA, 1997; PAIVA, 1997; SILVA, 1997).Diversos autores salientam a importância do “acontecimento desencadeador” noinício de um processo de aprendizagem (CROSS, 1984; KNOX, 1986; MEZIROW,1991).3.2.2.8 Interpolações ou acréscimos em citaçõesAcréscimos e/ou explicações, quando necessárias, aparecem entre colchetes.
  • 44. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL56Exemplo:"A chamada para as citações pode ser feita de duas maneiras: pelo autor [sistemaalfabético] ou por número [sistema numérico]." (SÁ et al., 1996, p. 87).3.2.2.9 Destaques em citaçõesPara se destacar palavras ou frases em uma citação usa-se o grifo seguidoda expressão grifo nosso. Caso o destaque seja do autor consultado, usa-se aexpressão grifo do autor.Exemplos:"Quando surge uma dificuldade, o primeiro passo é definir qual é o problema eprocurar uma solução para ele." (SHINYASHIKI, 1992, p. 59, grifo nosso)."Paciência e persistência são características que diferenciam o profissional doamador." (RIBEIRO, 2000, p. 148, grifo do autor).3.2.2.10 Citação verbalEm caso de dados obtidos por informação oral (palestras, debates,comunicações, entrevistas, depoimentos etc.) deve-se colocar entre parênteses a
  • 45. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL57expressão informação verbal após a citação e mencionar os dados disponíveis emnota de rodapé. Para isso, deve-se fazer uso do recurso:“inserir>referências>notas”, do Editor de texto Word for Windows.Exemplos:No textoNão existia nenhuma restrição ao desmatamento de espécie alguma, hajavista que as casas de madeira utilizavam em sua estrutura, tábuas, vigascaibros, extraídos de Castanha-rosa e até mesmo de madeiras de usoestritamente da indústria moveleira como o cedro-rosa e Cerejeira. Dasmatas de sua terra recebida do INCRA – Instituto Nacional de Colonização eReforma Agrária localizada no km 98 da BR-421, era possível fazer aderrubada de 50% da cobertura vegetal, dessa derrubada apenas asmadeira de interesse comercial que no mínimo apresentavam um diâmetrode 60 cm eram adquiridas por madeireiras, as quais pagavam um preçoínfimo, as demais que não se enquadravam nesse parâmetro era destinadaao fogo das queimadas. O fator que foi determinante para o abandono daprodução rural, foi um misto de doenças (Malária), agravados pela falta deassistência técnica para o melhor aproveitamento do campo, bem como afalta de recursos, já que não houve o interesse de buscar financiamento.(Informação verbal)4Segundo Marcondes (2003) as bibliotecas digitais têm suma importância nasUniversidades. (informação verbal). ²No rodapé______________1Entrevista concedida pelo pioneiro, Sr. Natanael Cavalari, residente em Ariquemes desde 1981.² MARCONDES, José. Bibliotecas Digitais. Belo Horizonte: UFMG, 10 jun. 2003. Palestra ministradaaos profissionais e estudantes de Biblioteconomia e Ciência da Computação.3.2.2.11 Documentos eletrônicosSão citações de informações retiradas das redes de comunicação eletrônica.A ABNT ainda não menciona como se deve fazer a referência, após as citações
  • 46. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL58extraídas da internet, mas sugerimos que se iniciem pela referência de seu (s) autor(es), seguida da expressão on-line e o ano da consulta ao sítio (site, em inglês ).Exemplos: artigo com autoria declaradaNo texto:“O presidente da extinta CPI do Mensalão, Senador Amir Lando (PMDB-RO),classificou nesta sexta-feira a falta de vontade política como o principal fator que fezcom que comissão encerrasse seus trabalhos ontem, sem aprovar um relatóriofinal.” (SILVEIRA, on-line, 2005).Nas referências:SILVEIRA, Paulo. A CPI do mensalão. Disponível em: <http://www.oul.com.br>.Acesso em: 18 nov. 2005.3.2.2.12 Sem autoriaQuando isto acontecer, deve-se fazer a entrada da citação no corpo dotrabalho e nas referências no final do trabalho, com a PRIMEIRA PALAVRA DOTÍTULO da reportagem, em letras maiúsculas, seguida de reticências, mais aexpressão on-line e o ano da consulta.Exemplo:Título da reportagem: Cidades do interior batem recordes e respondem pormetade da renda do país.
  • 47. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL59No texto:“Os principais motivos para o desempenho das cidades menores foram às usinas erefinarias de petróleo, a agropecuária e aos incentivos fiscais que levaram empresaspara o interior do país.” (CIDADES...., on-line, 2005).Nas referências:CIDADES do interior batem recordes e respondem por metade da renda do país.Disponível em: <http://www.oul.com.br>. Acesso em: 18 nov. 2005.Outros exemplos:No texto"Através da lista de discussão do COMUT on-line³, soube-se que a mesma já contacom mais de 200 inscritos."No rodapé_______________³ listserv@ibict.br3.2.2.13 Documentos em fase de elaboraçãoNesse caso, deve ser mencionado o fato, indicando-se os dados disponíveis,em nota de rodapé.
  • 48. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL60Exemplo:No texto:Os poetas selecionados, contribuíram para a consolidação da poesia no Rio Grandedo Sul, séculos XIX e XX (em fase de elaboração)1.No rodapé:____________1 Poetas rio-grandenses, de autoria de Elvo Clemente, a ser editado pela EDIPUCURS, 2002.3.2.2.14 Citação incluindo tradução do autor da monografiaQuando a citação incluir texto traduzido elo autor, deve-se incluir, após achamada da citação, a expressão tradução nossa, entre parênteses.Exemplo:“Ao fazê-lo pode estar envolto em culpa, perversão, ódio de si mesmo [...] podejulgar-se pecador e identificar-se com seu pecado.” (RAHNER, 1962, v. 4, p. 463,tradução nossa).3.2.2.15 Transcrição dos elementos e Citações com mais de três autoresPoderão ocorrer citações com mais de um autor, nestes casos consultar oquadro abaixo, onde são mostrados vários exemplos de transcrição de elementosincluindo-se citações com mais de três autores.
  • 49. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL61AUTORIA EXEMPLOSUm autor:sobrenome do autor, data, página.Conforme Souza (2001, p. 35).(CASTRO, 2000, p. 146).Dois autores:Usar a conjunção “e” quando os sobrenomesestiverem incluídos na sentença. Dentro doparêntese usar ponto-e-vírgula.Lopes e Alves (1998, p. 42).(LOPES; ALVES, 1998, p. 42)De dois a três autores:os sobrenomes incluídos na sentença, usara conjunção "e" e dentro do parêntese usar";".(COSTA; SOARES; SILVA, 2001, p. 41). ouCosta, Soares e Silva (2001, p. 41).Três ou mais autores:indicar o sobrenome do autor, seguido daexpressão latina et al., data e página(s).(MONTEIRO et al., 2002, p. 14).ouMonteiro et al. (2002, p. 14).Autor de entidade:a) citar nome de entidade por extenso,data e página(s).b) citar sigla da entidade em letrasmaiúsculas, data e página(s).c) quando se tratar de órgão do poderpúblico federal, regional ou municipal.a) Os dados mencionados neste artigodemonstram a relação de [...] (INSTITUTOBRASILEIRO DE GEOGRAFIA EESTATÍSTICA, 1996, p. 160).b) Segundo IBGE (1999, p. 48).c) De acordo com dados coletados junto aoMinistério da Educação [...] (BRASIL, 1996,p. 23).Autor eventos:indicar o nome completo do evento, data epágina(s).No Congresso Brasileiro de Geologia (1990,v. 2, p. 7), realizado em São Paulo [...] ou(CONGRESSO BRASILEIRO DEGEOLOGIA, 1990, v. 2, p. 7).Documento sem autoria:deve ser indicado pelo título, data epágina(s) preferencialmente ao final do texto.(PROPOSTAS..., 2003, p. 9).Autores com o mesmo sobrenome e data:acrescentam-se as iniciais de seusprenomes; caso ainda haja coincidências,colocar os prenomes por extenso(OLIVEIRA, J. C., 2002, p. 89).(OLIVEIRA, B. F., 2002, p. 12).(SILVA, Raimundo, 1989).(SILVA, Roberto, 1989).Diversos documentos do mesmo autor:sobrenome do autor, seguido das datascronológicas.(NOGUEIRA, 1996, 1999, 2000).Diversos documentos de um mesmoautor, da mesma data:acrescentar ao ano letras minúsculas emordem alfabética.(SIMÕES, 2001a).(SIMÕES, 2001b).Segundo Fagundes (1998a, 1998b).Fonte: Manual para Trabalhos Científicos das Faculdades Integradas de Ariquemes
  • 50. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL623.3 Notas de RodapéSão indicações, observações ou aditamentos ao texto feito pelo autor. Ajudama prestar esclarecimentos que não foram incluídos no texto, para não interromper aleitura.As notas devem ser digitadas em espaço simples, em fonte menor do que ousado no texto e separadas do texto por um traço horizontal de 3 cm a partir damargem esquerda.A indicação da numeração deve ser feita acima da linha do texto em expoentee a nota pode ser inserida através das configurações disponíveis no Editor de textoWord for Windows, na seção INSERIR > REFERÊNCIAS > NOTAS > NOTAS DERODAPÉ > INSERIR). A numeração é seqüencial e automática, ou seja, o próprioeditor de texto realizará o procedimento.As notas devem ser alinhadas, a partir da segunda linha abaixo do traçohorizontal. Em caso de mais de uma nota na mesma página, no rodapé elas devemaparecer uma abaixo da outra, abaixo da primeira letra da primeira palavra, de formaa destacar o expoente e sem espaço entre elas. Observe o exemplo que está em3.2.2.10.3.3.1 Tipos de Notas de RodapéEssas notas são indicações, observações ou aditamentos ao texto feitos peloautor, tradutor ou editor, podendo parecer na margem esquerda ou direita damancha gráfica. Em nossa instituição utilizaremos alinhamento esquerdo.3.3.1.1 Notas de referênciaSão notas que indicam as fontes consultadas ou remetem a outras partes daobra onde o assunto foi abordado. Devem ter numeração única e consecutiva paratodo o trabalho.
  • 51. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL63A primeira citação de uma obra deve ter sua referência completa. As outrassubseqüentes da mesma obra podem ser referenciadas de forma abreviada,utilizando as expressões latinas citadas a seguir. As notas de rodapé devem sercolocadas na página em que a referência aparece e em geral pede-se que sejacolocada totalmente na referida página e não continuá-la em outra.Exemplo:No texto"O início da política social brasileira, nos anos 30, pode ser vista comouma extensão da cidadania regulada, conceito formulado também por Santos."4No rodapé______________4SANTOS, W. G. dos. Cidadania e justiça. Rio de Janeiro: Campus, 1979. p. 75.Expressões latinasExemplos:Cf. = confira, confronte. Usada em notas remissivas para referir-se às obras citadasno todo;_______________5Cf. BERNARDES, 1998.***Ibid. ou Ibidem = mesma obra. Usado quando a citação é da mesma obra, empáginas diferentes;______________6GADOTTI, 1992, p. 210.7Ibid., 1992, p. 190.***
  • 52. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL64Id. ou Idem = mesmo autor. Usado para obras diferentes do mesmo autor;______________8PEREIRA, 1994, p. 18.9Id., 1995, p. 20.***Loc. cit. ou loco citado = no lugar citado. Usado para a mesma página citadaanteriormente;_______________10CASTRO; GOMES, 1997, p. 52-57.11Ibidem, loc. cit.***Op. cit. ou opus citatum = na obra citada. Usado após o sobrenome, quando houverintercalação de notas;_______________12SANTOS, 1996, p. 42.13SILVA, 1990, p. 20-24.14SANTOS, op. cit., p. 19.***Passim = aqui e ali. Usado para referir-se a vários trechos ou passagens;_______________15MORAES, 1991, passim.***Apud = citado por, conforme, segundo. (Ver exemplo 1.1.3 p. 1).Sic = assim mesmo. Usado quando tiver erros ortográficos ou de outra natureza.Exemplo:No texto"Ronaldinho, jogador do Brasil é um previlegiado (sic), consideradoum fenômeno." (BUENO, 1997, p. 8).
  • 53. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL65Observação:As expressões latinas “apud” e “sic” são as únicas que podem ser usadas no texto eem nota de rodapé.3.3.1.2 Notas ExplicativasPalavras ou expressões desconhecidas devem, sempre que possível, receberuma nota de rodapé para fins de esclarecimentos, comentários, esclarecimentose/ou observações pessoais do autor. Devem ser digitadas também em fonte menor,porém com tamanho 10.Exemplo:No texto“grande parte dos problemas ambientais de nossa cidade são ocasionados pelaação antrópica”.5No rodapé______________5Ação Antrópica: o mesmo que atividade humana.A numeração das notas explicativas é feita em algarismos arábicos, devendoter numeração única e consecutiva para todo o capítulo ou parte quando se tratar delivros ou por todo o documento, quando se tratar de artigos de periódicos outrabalhos acadêmicos.
  • 54. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL66Exemplo:No texto"Como toda norma está sujeita à revisão, recomenda-se [...] que verifiquem aconveniência de se usarem as edições mais recentes [...]"16No rodapé______________16Baseado na NBR. 10520 (ABNT, 2002).3.4 Observações finais1 Recomenda-se que sempre que possível uma citação longa não apareça divididaem duas páginas.2 Da mesma forma, evitar sempre que possível iniciar página, seção ou subseçãocom uma citação longa. Deve-se, portanto, tentar colocar uma frase antes dacitação.3 Evitar parágrafos com citações seguidas de mesma autoria por repetidas vezes.4 Evitar iniciar uma subseção com uma citação direta.5 Evitar encerrar uma seção ou subseção com uma citação direta longa.6 Evitar iniciar parágrafos com aspas.7 Minimizar utilização de citações de documentos online não publicados.8 Preferir mencionar textos recentes e de fonte confiáveis.
  • 55. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL674 REGRAS PARA ELABORAÇÃO DA LISTA DEREFERÊNCIAS (NBR 6023: 2002 DA ABNT)4.1 O que é referênciaConjunto de elementos descritivos que permite a identificação de publicações,no todo ou em parte. De acordo com a NBR 6023, o conjunto padronizado e deelementos descritivos, retirados de um documento, permite sua identificaçãoindividual. A referência é constituída de elementos essenciais e, quando necessário,acrescida de elementos complementares. Esses elementos são retirados da própriaobra, e quando isso não é possível, utilizam-se outras fontes de informação,indicando os dados assim obtidos entre colchetes.4.2 Elementos essenciaisSão as informações indispensáveis à identificação do documento. Os elementosessenciais estão estritamente vinculados ao suporte documental e variam, portanto,conforme o tipo.Os elementos essenciais são: Autor. Título. Edição. Local: Editora, Data.Obs.: Quando no documento não constar data, indicar uma das datas prováveis:[2001?] para data provável[200-] para década certa[20--] para século certo[2002] para data certa, não indicada no documento
  • 56. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL684.3 Elementos complementaresSão as informações que, acrescentadas aos elementos essenciais, permitemmelhor caracterizar os documentos.4.4 Transcrição dos elementosOs padrões indicados nesta Norma para apresentação dos elementos quecompõem as referências aplicam-se a todos os tipos de documentos.4.4.1 Autoria4.4.1.1 Autor pessoal4.4.1.1.1 Até três autores – nesse caso indica(m)-se o(s) autor(es) pelo últimosobrenome, em maiúsculas, seguido do(s) prenome(s) e outros sobrenomes,abreviado(s) ou não. Os nomes devem ser separados por ponto-e-vírgula, seguidode espaço.Exemplos:ALVES, Roque de Brito. Ciência criminal. Rio de Janeiro: forense, 1995.DAMIÃO, Roque Toledo; HENRIQUES, Antonio. Curso de direito jurídico. SãoPaulo: Atlas, 1995.
  • 57. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL69PASSOS, L. M. M.; FONSECA, A.; CHAVES, M. Alegria de saber: matemática,segunda série, 2, primeiro grau: livro do professor. São Paulo: Scipione, 1995. 136 p.4.4.1.1.2 Mais de três autores – nesse caso indica-se apenas o primeiro,acrescentando-se a expressão “et al".Exemplo:URANI, A. et al. Constituição de uma matriz de contabilidade social para oBrasil. Brasília, DF: IPEA, 1994.Nota: Em casos específicos (projetos de pesquisa científica, indicação de produçãocientífica em relatórios para órgãos de financiamento etc.), nos quais a menção dosnomes é indispensável para certificar a autoria, é facultado indicar todos os nomes.Nomes compostos - Para definição da forma correta de entrada de nomescompostos, estrangeiros etc. devem ser utilizadas as fontes adequadas (código decatalogação, catálogos de bibliotecas, indicadores, bibliografias etc.).Indicação explícita de responsabilidade pelo conjunto da obra em coletâneasde vários autores - a entrada deve ser feita pelo nome do responsável, seguida daabreviação, no singular, do tipo de participação (organizador, compilador, editor,coordenador etc.), entre parênteses.Exemplos:FERREIRA, L. P. (Org.). O fonoaudiólogo e a escola. São Paulo: Summus, 1991.
  • 58. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL70MARCONDES, E.; LIMA, I. N. de (Coord.) Dietas em pediatria clínica. 4. ed. SãoPaulo: Savier, 1993.MOORE, W. (Ed.) Construtivismo del movimiento educacional: soluciones.Córdoba, AR.: [s.n.], 1960.LUJAN, R. P. (Comp.) Um presente especial. Tradução de Sonia Silva. 3. ed. SãoPaulo: Aquariana, 1993, 167 p.4.4.1.1.3 Autoria desconhecida - a entrada é feita pelo título. O termo anônimo nãodeve ser usado em substituição ao nome do autor desconhecido.Exemplo:DIAGNÓSTICO do setor editorial brasileiro. São Paulo: Câmara Brasileira do Livro,1993. 64 p.4.4.1.1.4 Obra a ser publicada sob pseudônimo - este deve ser adotado nareferência.Exemplo:DINIZ, J. As pupilas do senhor reitor. 15. ed. São Paulo: Ática, 1994. 263 p.(Série Bom Livro).4.4.1.1.5 Outros tipos de responsabilidade - Quando necessário, acrescentam-seoutros tipos de responsabilidade logo após o título, conforme aparecem nodocumento.
  • 59. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL71Exemplos:DANTE ALIGHIERI. A divina comédia. Tradução, prefácio e notas: HernâniDonato. São Paulo: Círculo do Livro, [1983]. 344 p.GOMES, O. O direito de família. Atualização e notas de Humberto Theodor Júnior.11. ed. Rio de Janeiro: Forense 1995. 562 p.ALBERGARIA, L. Cinco anos sem chover: história de Lino Albergaria. Ilustraçõesde Paulo Lyra. 12. ed. São Paulo: FTD, 1994. 63 p.Nota: Quando existirem mais de três nomes exercendo o mesmo tipo deresponsabilidade, aplica-se o recomendado para mais de três autores referidoanteriormente.4.4.1.2 Autor entidadeEntidades: As obras de responsabilidade de entidade (órgãos governamentais,empresas, associações, congressos, seminários, etc.) têm entrada pelo seu próprionome por extenso.Exemplos:ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 10520: apresentaçãode citações em documentos: procedimentos: Rio de Janeiro, 1988.UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Catálogo de teses da Universidade de SãoPaulo, 1992. São Paulo, 1993. 467 p.CONGRESSO BRASILEIRO DE BIBLIOTECONOMIA E DOCUMENTAÇÃO, 10.,1979, Curitiba. Anais... Curitiba: Associação bibliotecária do Paraná, 1979. 3 v.
  • 60. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL72Entidade com denominação genérica - Quando a entidade tem umadenominação genérica, seu nome é precedido pelo nome do órgão superior, ou pelonome da jurisdição geográfica à qual pertence.Exemplos:SÃO PAULO (Estado). Secretaria do Meio Ambiente. Diretrizes para a políticaambiental do Estado de São Paulo. São Paulo, 1993. 35 p.BRASIL. Ministério de Justiça. Relatório de atividades. Brasília, DF, 1993. 28 p.Entidade vinculada a um órgão maior, com uma denominação específica que aidentifica - a entrada é feita diretamente pelo seu nome. Em caso de duplicidade denomes, deve-se acrescentar no final a unidade geográfica que identifica ajurisdição, entre parênteses.Exemplos:BIBLIOTECA NACIONAL (Brasil). Relatório da diretoria-geral: 1984. Rio deJaneiro, 1985. 40 p.BIBLIOTECA NACIONAL (Portugal). O 24 de julho de 18833 a guerra civil de1829-1834. Lisboa, 1983. 95 p.4.4.2 Título e subtítuloO título e o subtítulo devem ser reproduzidos no documento, separados pordois pontos.
  • 61. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL73Exemplo:PASTRO, C. Arte sacra: espaço sagrado hoje. São Paulo: Loyola, 1993. 343 p.4.4.2.1 Títulos e subtítulos demasiadamente longos – nesse caso podem-sesuprimir as últimas palavras, desde que não seja alterado o sentido. A supressãodeve ser indicada por reticências.Exemplo:GONSALVES, P. E. (Org.). A criança: perguntas e respostas: médicos, psicólogos,professores, técnicos, dentistas... Prefácio do prof. Dr. Carlos da Silva Lacaz. SãoPaulo: Cultrix: Ed. da USP, 1971.4.4.2.2 Título aparecer em mais de uma língua – nesse caso registra-se o primeiro.Opcionalmente, registra-se o segundo ou o que estiver em destaque, separando-odo primeiro pelo sinal de qualidade.Exemplo:SÃO PAULO MEDICAL JOURNAL=REVISTA PAULISTA DE MEDICINA. SãoPaulo: Associação Paulista de Medicina, 1941-. Bimensal. ISSN 0035-0362.4.4.2.3 Periódicos no todo (toda a coleção), ou quando se referencia integralmenteum número ou fascículo – nesse caso, o título deve ser sempre o primeiro elementoda referência, devendo figurar em letras maiúsculas.
  • 62. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL74Exemplo:REVISTA BRASILEIRA DE BIBLIOTECONOMIA E DOCUMENTAÇÃO. São Paulo:FEBAB, 1973-1992.Periódico com título genérico – nesse caso, incorpora-se o nome da entidadeautora ou editora, que se vincula ao título por uma preposição entre colchetes.Exemplo:BOLETIM ESTATÍSTICO [da] Rede Ferroviária Federal. Rio de Janeiro, 1965-.Trimestral.Títulos de periódicos abreviados - quando necessário, abrevia-se os títulos dosperiódicos, conforme a NBR 6032.Exemplo:LEITÃO, D. M. A informação como insumo estratégico. Ci. Inf. Brasília, DF, v. 22, n.2, p. 118-123, maio/ago. 1989.4.4.3 EdiçãoQuando houver uma indicação de edição, esta deve ser transcrita, utilizando-seabreviaturas dos numerais ordinais e da palavra "edição", ambas na forma adotadana língua do documento.
  • 63. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL75Exemplos:SCHAUM, D. Schaum’s outline of theory and problems. 5 th ed. New York:Schaum Publishing, 1956. 204 p.PEDROSA, I. Da cor à cor inexistente. 6. ed. Rio de Janeiro: L. Cristiano, 1995.219 p.Indicam-se emendas e acréscimos à edição de forma abreviada.Exemplo:FRANÇA, J. L. et al. Manual para normalização de publicações técnico-científicas. 3. ed. rev. e aum. Belo Horizonte: Ed. da UFMG, 1996.4.4.4 LocalO nome do local (cidade) de publicação deve ser indicado tal como figura nodocumento.Exemplo:ZANI, R. Beleza, saúde e bem-estar. São Paulo: Saraiva, 1995. 173 p.Homônimos de cidades – nesse caso, acrescenta-se o nome do estado, do país,etc.Exemplo:Viçosa, Al Viçosa, MG Viçosa, RJ
  • 64. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL76Mais de um local para uma só editora – nesse caso, indica-se o primeiro ou omais destacado.Exemplo:AWOKOWSKI, E. W.; FLORES, V. R. L. F.; MORENO, M. Q. Cálculo de geometriaanalítica. Tradução de Alfredo Alves de Faria. Revisão técnica Antonio PertenceJunior. 2. ed. São Paulo: Makron Books do Brasil, 1994. 2 v.NOTA: Na obra: São Paulo - Rio de Janeiro – Lisboa – Bogotá – Buenos Aires –Guatemala – México – New York –Santiago etc.A cidade não aparece no documento - nesse caso se for possível a identificaçãoem outra fonte, indica-se o nome da cidade indica-se entre colchetes.Exemplo:LAZZARINI, S. Cria e recria. [São Paulo]: SDF Editores, 1994.Não sendo possível indicar o local, utiliza-se a expressão Sine Loco, abreviada,entre colchetes [S.l.].Exemplos:OS GRANDES clássicos das poesias líricas. [S.l.]: Ex Libris, 1981. 60 f.KRIEGER, G.; NOVAES, L. A; FARIA, T. Todos os sócios do presidente. 3. ed.[S.l.]: scritta, 1992. 195 p.
  • 65. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL774.4.5 EditoraO nome da editora deve ser indicado tal como figura no documento,abreviando-se os prenomes e suprimindo-se palavras que designam a naturezajurídica ou comercial, desde que sejam dispensáveis para identificação.Exemplos:DAGHLIAN, L. Lógica e álgebra de Boole. 4. ed. São Paulo: Atlas, 1995, 167 p. il.,21 cm. Bibliografia: p. 166-167. ISBN 85-224-1256-1NOTA: Na publicação: Editora AtlasLIMA, M. Tem encontro com Deus: teologia para leigos. Rio de Janeiro: J.Olympio, 1985NOTA - Na publicação: Livraria José Olympio Editora.Mais de uma editora - nesse caso indica-se a que aparecer com maior destaquena página de rosto. Se os nomes das editoras estiverem em igual destaque indica-se a primeira. As demais podem ser também registradas com os respectivoslugares.Exemplos:ALFONSO-GOLDFARB, Ana Maria; MAIA, Carlos A. (Coord.) História da ciência:o mapa do conhecimento. Rio de Janeiro: Expressão e Cultura; São Paulo: EDUSP,1995. 988 p. (América 500 anos, 2).
  • 66. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL78FIGUEIREDO, N. M. Metodologias para a promoção do uso da informação:técnicas aplicadas particularmente em bibliotecas universitárias e especializadas.São Paulo: Nobel, 1990.NOTA - Na publicação: Nobel e APB.Editora não indicada – nesse caso deve-se indicar a expressão sine nomine,abreviada, entre colchetes [s.n.].Exemplo:FRANCO, I. Discursos: de outubro de 1992 a agosto de 1993. Brasília, DF: [s.n.],1993. 107 p.O local e o editor não podem ser identificados na publicação - nesse utilizam-se ambas as expressões, abreviadas e entre colchetes [S.l.: s. n.].Exemplos:GONÇALVES, F. B. A história de Mirador. [S.l.: s.n.], 1993.A editora é a mesma instituição responsável pela autoria e já tiver sidomencionada não é indicada.Exemplo:UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA. Catálogo de graduação 1994-1995.Viçosa, MG, 1994. 385 p.
  • 67. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL794.4.6 DataA data de publicação deve ser indicada em algarismos arábicos.Exemplo:LEITE, C. B. O século do desempenho. São Paulo: LTr, 1994. 160 p.Por se tratar de elemento essencial para a referência, sempre deve serindicada uma data, seja da publicação, da impressão, do copirraite ou outra.Exemplo: CIPOLLA, S. Eu e a escola, 2º série. São Paulo: Paulinas, 1993. 63 p.Se nenhuma data de publicação, distribuição, copirraite, impressão, etc.puderem ser determinada, registra-se uma data aproximada entre colchetes,conforme indicado:Exemplos:[1971 ou 1972] um ano ou outro[1969?] data provável[1973] data certa, não indicada no item[entre 1906 e 1912] usar intervalos menores de 20 anos[ca. 1960] data aproximada[197-] década certa[197-?] década provável[18--] século certo[18--?] século provável
  • 68. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL80Exemplo:FLORENZANO, E. Dicionário de idéias semelhantes. Rio de Janeiro: Ediouro,[1993]. 383 p.Caso existam duas datas – nesse caso ambas podem ser indicadas, desde queseja mencionada a relação entre elas.Exemplo:CHAVE bíblica. Brasília, DF: Sociedade Bíblica do Brasil, 1970 (impressão 1994).511 p.Vários volumes de um documento, produzidos em um período – nesse casoindicam-se as datas inicial e final das publicação.Exemplo:RUCH, G. História geral da civilização: da Antigüidade ao XX século. Rio deJaneiro: F. Briguiet, 1926-1940, 4 v., il., 19 cm.Lista e catálogos, para as coleções de periódicos em curso de publicação –nesse caso, indica-se apenas a data inicial seguida de hífen e um espaço.Exemplo:GLOBO RURAL. São Paulo: Rio Gráfica, 1985- . Mensal.
  • 69. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL81Em caso de publicação periódica, indica-se a data inicial e final do período daedição, quando se tratar de publicação encerrada.Exemplo:DESENVOLVIMENTO E CONJUNTURA. Rio de Janeiro: Confederação Nacionalda Indústria, 1957-1968. Mensal.Indicação de meses - os meses devem ser indicados de forma abreviada, noidioma original da publicação. Não se abreviam palavras de quatro ou menos letras.Exemplos:ALCARDE, A. C.; RODELLA, A. A. O equivalente em carbonato de cálcio doscorretivos da acidez dos solos. Scientia Agricola, Piracicaba, v. 63, n. 2/3, p. 204-210, maio/dez. 1996.BENNETON, M. J. Terapia ocupacional e reabilitação psicossocial: uma relaçãopossível. Revista de Terapia Ocupacional da Universidade de São Paulo, SãoPaulo, v. 4, n. 3, p. 11-16 mar. 1993.Se a publicação indicar, em lugar dos meses, as estações do ano ou asdivisões do ano em trimestres, semestres etc. – nesse caso transcrevem-se osprimeiros tais como figuram no documento e abreviam-se os últimos.Exemplos:MANSILLA, H. C. F. La controversia entre universalismo y particularismo en lafilosofia de la cultura. Revista Latinoamericana de Filosofia, Buenos Aires, v. 24,n. 2, primavera. 1998.
  • 70. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL82FIGUEIREDO E. Canadá e Antilhas: líguas populares, oralidade e literatura.Gragoatá, Niterói, n. 1, p. 127-136, 2. sem. 1996.4.4.7 Descrição físicaDeve-se registrar o número da última página, folha ou coluna de cadaseqüência, respeitando-se a forma utilizada (letras, algarismos romanos e arábicos).Exemplos:LUCCI, E. A. Viver e aprender: estudos sociais, 3: exemplar do professor. 3. ed.São Paulo: Saraiva, 1994. 96, 7 p.FELIPE, J. F. A. Previdência social na prática forense. 4. ed. Rio de Janeiro:Forense, 1994. viii, 236 p.JACUBOVIK, J.; LELLIS, M. Matemática na medida certa, 8. série: livro doprofessor. 2. ed. São Paulo: Scipione, 1994. 208 xxi p.Quando o documento for constituído de apenas uma unidade física, ou seja,um volume – nesse caso deve-se indicar o número total de páginas ou folhasseguido da abreviatura “p” ou “f”.NOTA – A folha é composta de duas páginas: anverso e verso. Alguns trabalhos,como teses e dissertações, são impressos apenas no anverso e, neste caso, indica-se “f”.
  • 71. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL83Exemplos:PIAGET, L. Para onde vai a educação. 7. ed. Rio de Janeiro: J. Olympio, 1980.500 p.TABAK, F. A lei como instrumento de mudança social. Fortaleza: FundaçãoWaldemar Alcântara, 1993. 17 f.Documento for publicado em mais de uma unidade física, ou seja, mais de umvolume – nesse caso, deve-se indicar a quantidade de volumes, seguida daabreviatura “v”.Exemplos:TOURINHO FILHO, F. C. Processo penal. 16. ed. rev. e atual. São Paulo: Saraiva,1994. 4 v.Número de volumes bibliográficos diferente do número de volumes físicos –nesse caso deve-se iniciar primeiro o número de volumes bibliográficos, seguido donúmero de veículos físicos.Exemplo:SILVA, D. P. Vocabulário jurídico. 4. ed. Rio de Janeiro: Forense, 1996. 5 v. em 3.Quando se referenciarem partes de publicações - nesse caso deve-semencionar os números das páginas inicial e final, precedidos da abreviatura “p” ouindica-se o número do volume, precedido da abreviatura “v”.
  • 72. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL84Exemplo:REGO, L. L. B. O desenvolvimento cognitivo e a prontidão para a alfabetização. In:CARRARO, T. N. (Org.). Aprender pensando. 6. ed. Petrópolis: Vozes, 1991. p.31-40.Publicação não paginada ou com a numeração de páginas irregular - nessecaso, deve-se indicar esta característica.Exemplos:MARQUES, M. P.; LANZELOTTE, R. G. Banco de dados e hipermídia:construindo um modelo para o Projeto Portinari. Rio de Janeiro: PUC.Departamento de Informática, 1993. Paginação irregular.SISTEMA de ensino Tamandaré: sargentos do Exército e da Aeronáutica. [rio deJaneiro]: colégio curso Tamandaré, 1993. Não paginado.4.4.8 IlustraçõesIndicam-se as ilustrações de qualquer natureza pela abreviatura “il”., parailustrações coloridas, usar “il. color.”.Exemplos:CESAR, A. M. A bala e a mira. Recife: Bagaço, 1994. 267 p., il. AZEVEDO, M. R.de. Viva vida: estudos sociais, 4. São Paulo: FTD, 1994. 194 p. , il. color.BATISTA, Z.; BATISTA, N. O foguete do Guido. Ilustrações de Marilda castanha.São Paulo: Ed. do Brasil, 1992. 15 p. principalmente il. color.
  • 73. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL85CHUEIRE, C. Marca angelical. Ilustração Luciene Fadel. Petrópolis: Vozes, 1994.18 p., somente il, 20 cm. ISBN 85-326-1087-0.4.4.9 DimensõesEm listas de referências, se necessário, pode-se indicar a altura dodocumento em centímetros e, em caso de formatos excepcionais, também alargura. Em ambos os casos, deve-se aproximar as frações ao centímetro seguinte,com exceção de documentos tridimencionais, cujas medidas devem ser dadas comexatidão (conforme documento tridimensional).Exemplos:DURAN, J. J. Iluminação para vídeo e cinema. São Paulo: [s.n.], 1993. 126 p., 21cm.CHEMELLO, T. Lãs, linhas e retalhos. 3. ed. São Paulo: global, 1993. 61 p. il., 16cm x 23 cm.4.4.10 Séries e coleçõesApós todas as indicações sobre os aspectos físicos, podem ser incluídas asnotas relativas a séries e/ou coleções. Indicam-se os títulos das séries e coleções esua numeração tal como figuram no documento, entre parênteses.
  • 74. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL86Exemplo:ARBEX JUNIOR, J. Nacionalismo: desafio à nova ordem pós- socialista. SãoPaulo: Scipione, 1993. 104 p., il., 23 cm. (História em aberto).CARVALHO, M. Guia prático do alfabetizador. São Paulo: Ática, 1994. 95 p., 21cm. (Princípios, 243).MIGLIORI, R. Paradigmas e educação. São Paulo: Aquariana, 1993. 20 p., 23 cm.(Visão do futuro, v. 1).RODRIGES, A. Teatro completo. Organização geral e prefácio Sábato Magaldi.Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1994. 1134 p., 19 cm. (Biblioteca luso-brasileira. Sériebrasileira).4.4.11 NotasSempre que necessário, à identificação da obra pode ser incluída notas cominformações complementares, ao final da referência, sem destaque tipográfico.Documentos traduzidos – nesse caso pode-se indicar o título no idioma original,quando mencionado.Exemplo:CHARRUTH, J. A nova casa do Bebeto. Desenhos de Tony Hutchings. TraduçãoRuth Rocha. São Paulo: Círculo do livro, 1993. 21 p. Título original: Moving house.Tradução feita com base em outra tradução – nesse caso, indica-se, além dalíngua do texto traduzido, a do texto original.
  • 75. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL87Exemplos:SAADI. O jardim das rosas... Tradução de Aurélio Buarque de Holanda. Rio deJaneiro: J. Olympio, 1944. 124 p., il. (Coleção Rubayat). Versão francesa de: FranzToussaint. Original árabe.MANDINO, O. A universidade do sucesso. Tradução de Eugeenia Loureiro. 6. ed.Riod e Janeiro: record, 1994. 562 p., 21 cm. Título original: The university ofsuccess.Separatas, reimpressões e outras – nesse caso, devem ser transcritas comofiguram na publicação.Exemplos:MAKAU, A. B. Esperanza de la educación hoy. Lisboa: J. Piaget, 1962. Separatade: MOORE, W. (Ed.). Construtuvismo del movimiento educacional: soluciones.Córdoba. AR: [s.n.], 1960. p. 309-340.LION, M. F.; ANDRADE, J. Drogas cardiovasculares e gravidez. Separata de:Arquivos Brasileiros de Cardiologia. São Paulo, v. 37, n. 2, p. 125-127, 1981.Dissertações, teses e/ou outros trabalhos acadêmicos – nesse caso devem serindicados em nota o tipo de documento, (monografia, dissertação, tese etc.), o grau,a vinculação acadêmica, local e data da defesa, mencionada na folha de aprovação(se houver).
  • 76. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL88Exemplos:MORGADO, M. L. C. Reimplante dentário. 1990. 51 f. Monografia (Especialização)– Faculdade de Odontologia, Universidade Camilo Castelo Branco. São Paulo,1990.ARAUJO, U. A. M. Máscaras inteiriças Tukúna: possibilidades de estudo deartefatos de museu para o conhecimento do universo indígena. 1985. 102 f.Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Fundação Escola de sociologia ePolítica de São Paulo, São Paulo, 1986.Outras notas podem ser incluídas, desde que sejam importantes para aidentificação e localização de fontes de pesquisa.Exemplos:LAURENTI, R. Mortalidade pré-natal. São Paulo: Centro Brasileiro deClassificação de doenças, 1978. Mimeografado. MARINS, J. L. C. Massa calcificadada naso-faringe. Radiologia Brasileira, São Paulo, n. 23, 1991. No prelo.MALAGRINO, W. et al. Estudos preliminares sobre os efeitos de baixasconcentrações de detergentes amiônicos na formação de bisso emBrachiodontas solisianus. 1985. Trabalho apresentado ao 13º Congressobrasileiro de engenharia Sanitária e Ambiental, Maceió, 1985. Não publicado.ZILBERMAN, R. A leitura e o ensino da literatura. São Paulo: Contexto, 1988. 146p. Recensão de: SILVA, E. T. Ci. Inf., Brasília DF, v. 17, n. 2, jul./dez. 1988.MATSUDA, C. T. Cometas; do mito à ciência. São Paulo: Ícone, 1986. Resenha de:SANTOS, P. M. Cometa: divindade momentânea ou bola de gelo sujo? CiênciaHoje, São Paulo, v. 5, n. 30, p. 20, abr. 1987.
  • 77. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL89HOLANDA, S. B. Caminhos e fronteiras. 3. ed. São Paulo: Companha das Letras,1994. 301 p., il., 21 cm. Inclui índice. ISBN 85-7164-411-x.PELOSI, T. O caminho das cordas. Rio de Janeiro: Anais, 1993. 158 p., il., 21 cm.Bibliografia: p. 115-158.TRINGALI, D. Escolas literárias. São Paulo: Musa, 1994. 246 p. 21 cm. Incluibibliografia.RESPRIN: comprimidos. Responsável técnico Delosmar R. Bastos. São José dosCampos: Johnson&Johnson, 1997. Bula de remédio.CARDIM, M. S. Constitui o ensino de 2º grau regular uma verdadeira educaçãode adultos? Curitiba: Universidade Federal do Paraná, Setor de Educação, 1984. 3microfichas. Redução de 1:24.000.4.5 Ordenação das ReferênciasAs referências dos documentos citados em um trabalho devem serordenadas de acordo com o sistema utilizado para citação no texto (conforme NBR10520).Os mais utilizados em trabalhos técnicos e científicos são: numérico (ordemde citação no texto) e alfabético (sistema autor-data). Algumas obras de cunhohistórico ou geográfico podem apresentar a ordenação das referências por datas(cronológico) ou por locais (geográfico).Nota: NESSA INSTITUIÇÃO O SISTEMA UTILIZADO SERÁ O ALFABÉTICO.
  • 78. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL904.5.1 Sistema numéricoSe for utilizado o sistema numérico no texto, as referências devem seguir amesma ordem numérica crescente podendo inclusive utilizar esse sistema para asnotas de rodapé e explicativas.Exemplos na lista de referências:3 CRETELLA JÚNIOR, J. Do impeachment no direito brasileiro. [São Paulo]: R.dos Tribunais, 1992. p. 107.4 BOLETIM ESTATÍSTICO [da] Rede Ferroviária Federal. Rio de Janeiro, 1965. p.20.Exemplos no texto:De acordo com as novas tendências da jurisprudência brasileira5, é facultado aomagistrado decidir sobre a matéria.4.5.2 Sistema alfabéticoSe for utilizado o sistema alfabético, as referências devem ser reunidas nofinal do capítulo, do artigo ou do trabalho, em uma única ordem alfabética. Aschamadas no texto devem obedecer à forma adotada na referência de acordo coma referência 10520.5CRETELLA JÚNIOR, J. Do impeachment no direito brasileiro. [São Paulo]: R. dos Tribunais,1992. p. 107.
  • 79. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL91Exemplo nas referências:BOLETIM ESTATÍSTICO [da] Rede Ferroviária Federal. Rio de Janeiro, 1965. p. 20.CRETELLA JUNIOR, J. Do impeachment no direito brasileiro. [São Paulo]: R dosTribunais, 1992. P. 107.Exemplo no texto:De acordo com as novas tendências da jurisprudência brasileira (CRETELLAJÚNIOR, 1992, p. 107) , é facultado ao magistrado decidir sobre a matéria.Todos os índices coletados para a região escolhida foram analisadosminuciosamente. (BOLETIM ESTATÍSTICO, 1965, p. 20).Autores com mais de uma obra - eventualmente, o(s) nome(s) do(s) autor(es) devárias obras referenciadas sucessivamente pode(m) ser substituído (s), nasreferências seguintes à primeira, por um traço e ponto (equivalente a seis espaços).Devem ser considerados os títulos em ordem alfabética.Exemplos:FREYRE, G. Casa grande & senzala: formação da família brasileira sob regime deeconomia patriarcal. Rio de Janeiro: J. Olympio, 1943. 2 v.______. Sobrados e mocambos: decadência do patriarcado rural no Brasil. SãoPaulo: Ed. Nacional, 1936.
  • 80. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL92Além do nome do autor, o título de várias edições de um documentoreferenciado sucessivamente também pode ser substituído por um traço nasreferências seguintes à primeira obedecendo a ordem numérica crescente dasedições.Exemplos:FREYRE, G. Sobrados e mocambos: decadência do patriarcado rural no Brasil.São Paulo: Ed. Nacional, 1936. 405 p.______. ______. São Paulo: Ed. Nacional, 1938. 410 p.4.6 Apresentação e formatação de referênciasAs referências apresentam padrões que devem ser seguidos de formauniforme ao longo de todo o trabalho, tais como:- seqüência de elementos do documento (alfabética);- alinhamento a margem esquerda do texto;- digitadas em espaço simples e separadas entre si por um espaço simples;- a pontuação deverá seguir o padrão previsto que segue normas internacionais;- os recursos como negrito, itálico ou grifo, devem ser uniformes ao longo da lista dereferências. Nessa instituição será utilizado o negrito;- ao utilizar elementos complementares, esses devem ser incluídos em todas asreferências daquela lista.4.6.1 Livro no todoInclui folheto, manual, guia, catálogo, enciclopédia, dicionário.
  • 81. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL93Os elementos essenciais são: autor(es), título, subtítulo, se houver, edição, local,editora e data da publicação.Os elementos complementares são: indicações de outros tipos deresponsabilidade (ilustrador, tradutor, revisor, adaptar, compilador, etc.);informações sobre características físicas do suporte material, páginas e/ouvolumes, ilustrações, dimensões, série editorial ou coleção, notas INBS(Internacional Standart Book Numbering), entre outros.Quando necessário, acrescentam-se os elementos complementares aosessenciais.FormatoExemplos: LivroGOMES L. G. F. F. Novela e sociedade no Brasil. Niterói: EDUFF, 1988. 137p., 21cm. (Coleção Antropologia e Ciência Política, 15). Bibliografia: p. 131-132. ISBN 85-228-0268-8PERFIL da administração pública paulista. 6. ed. São Paulo: FUNDAP, 1994. 317p., 28 cm. Inclui índice. ISBN 85-7285-026-0. TeseBARCELOS, M.F.P. Ensaio tecnológico, bioquímico e sensorial de soja eguandu enlatados no estádio verde e maturação de colheita. 1998.180 f. Tese(Doutorado em Nutrição) – Faculdade de Engenharia de Alimentos, UniversidadeEstadual de Campinas, Campinas, 1998. FolhetoSOBRENOME, Prenome do autor. Título: subtítulo. Edição. Local de publicação:Editora, Data de Publicação. Nº de páginas ou volumes.
  • 82. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL94IBCT. Manual de normas de editoração do IBCT. 2. ed. Brasília, DF, 1993. 41 p. DicionárioHOUAISS, A. (Ed). Novo dicionário Folha Webster’s: inglês/português,português/inglês. Co-edtor Ismael Cardim. São Paulo: Folha da Manhã, 1996.Edição exclusiva para o assinante da Folha de São Paulo. GuiaBrasil: roteiros turísticos. São Paulo: Folha da Manhã, 1995. 319 p. il. (Roteirosturísticos Fiat). Inclui Mapa rodoviário. ManualSÃO PAULO (Estado). Secretaria do Meio Ambiente. Coordenadoria dePlanejamento Ambiental. Estudo de impacto ambiental - EIA, Relatório deimpacto ambiental - RIMA: manual de orientação. São Paulo, 1989. 48 p. (SérieManuais). CatálogoMUSEU DA IMIGRAÇÃO (São Paulo, SP) Museu da imigração - S. Paulo:catálogo. São Paulo, 1997. 16 p.INSTITUTO MOREIRA SALLES. São Paulo de Vincenso Pastore: fotografias: de26 de abril a 3 de agosto de 1997, Casa de Cultura de Poços de Caldas, Poços deCaldas, MG. [S.I.], 1997. 1 folder. Apoio Ministério da Cultura: Lei Federal deIncentivo à Cultura. AlmanaqueTORELLY, M. Almanaque para 1949: primeiro semestre ou Almanaque d’A Manhã.Ed. Fac-sim. São Paulo: Studioma: Arquivo do Estado, 1991. (Coleção Almanaquesdo Barão de Itararé). Contém iconografia e depoimentos sobre o autor.4.6.1.1 Referência com um autorGUYTON, A. C. Fisiologia humana. 6. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan,1998. 564 p.
  • 83. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL954.6.1.2 Referência com dois autoresDÂNGELO, José Geraldo; FATTINI, Carlo Américo. Anatomia humana básica.São Paulo: Atheneu, 2000. 395 p.4.6.1.3 Referência três autoresVIEIRA, Enio Cardillo; GAZZINELLI, Giovanni; MARES-GUIA, Marcos. Bioquímicacelular e biologia molecular. 2. ed. São Paulo: Atheneu, 1999. 360 p.4.6.1.4 Referência com mais de três autoresJANEWAY, C. A. et al. Imunobiologia: o sistema imunológico na saúde e nadoença. 4. ed. Porto Alegre: Artmed, 2000. 634 p.4.6.1.5 Sem autorECONOMIA política e seguridade social: uma contribuição à crítica (coletânea detextos). [S.l.]: ANFIP, 1999. 152 p.4.6.1.6 Sem local e data provávelHENRY, O. et al. Quatro contos. [S.l.]: Objetivo, [2000?]. 77 p.4.6.1.7 Sem editoraHOLZMANN, Epaminondas. Cinco histórias convergentes. Curitiba: [s.n.], 1966.355 p.4.6.1.8 Sem editora e sem localCAMÕES, Luís de. Os Lusíadas. [S.l.: s.n.], 1970. 673 p.4.6.1.9 Com organizador, coordenador, editor, compilador ou adaptadorZAHA, Arnaldo (Coord.). Biologia molecular básica. 3. ed. Porto Alegre: MercadoAberto, 2001. 336 p.
  • 84. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL964.6.1.10 Entrada por entidade coletivaBRASIL. Ministério da Saúde. Guia de controle de hanseníase. Brasília, DF, 1994.156 p.4.6.2 Capítulo ou parte de monografia (livro) com autoria própriaFormatoInclui capítulo, volume, fragmento e outras partes de uma obra, com autor(es)e/ou título próprios.Os elementos essenciais são: autor(es), título, subtítulo (se houver) da parte,seguidos da expressão “In:”, e da referência completa da monografia no todo. Nofinal da referência, deve-se informar a paginação ou outra forma de individualizar aparte referenciada.Exemplos:ROMANO, G. Imagens da juventude na era moderna. In: LEVI, G.; SCHIMIDT, J.(Org.). História dos jovens 2: a época contemporânea. São Paulo: Companhia dasLetras, 1996. p. 7- 16.SANTOS, F. R. A colonização da terra do Tucujús. In ______. História do Amapá, 1ºgrau. 2. ed.Macapá: Valcan, 1994. Cap. 3, p.15-24.4.6.3 Publicação PeriódicaInclui a coleção como um todo, fascículo ou número de revista, volume deuma série, número de jornal, caderno etc. na integra, e a matéria existente em umnúmero, volume ou fascículo de periódico (artigos científicos de revistas editoriais,matérias jornalísticas, seções, reportagens etc.). A referência de toda a coleção deAUTOR do capítulo.Título do capítulo referenciado. In: AUTOR do livro. Títulodo livro. Edição. Local de publicação: Editora, Data de publicação. Número dovolume, número do capítulo, e/ou pág. inicial-final do capítulo referenciado.
  • 85. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL97um título de periódico é utilizada em listas de referências e catálogos de obraspreparados por livreiros, bibliotecas ou editoras.Os elementos essenciais são: título, local de publicação, editora, data de inícioda coleção e data de encerramento da publicação, se houver.Os elementos complementares são: informações sobre a periodicidade,mudanças de título ou incorporações de outros títulos, indicação de índices, INSN(International Standard Serial Number) etc.FormatoExemplos:4.6.3.1 Revista no todoENSINO SUPERIOR. São Paulo: Segmento, ano 5, n. 54, mar. 2003.4.6.3.2 Artigo de revista e jornal com e sem autorExemplo de artigo de revista com autor:4.6.3.3 Artigo de revista com autorSANTOS, Aline Faye; RAMOS, Priscila. Boa forma no trabalho. Vida e Saúde, SãoPaulo, ano 65, n. 5, p. 12-15, maio 2003.4.6.3.4 Artigo de revista sem autorPARQUE tecnológico: o novo habitat da inovação. Minas faz Ciências, BeloHorizonte, n. 11, p. 18-19, jun./ago. 2002.4.6.3.5 Coleção de revistasAUTOR do artigo. Título do artigo. Título da revista, Local da publicação, ano,volume, número, página inicial e final do artigo, mês abreviado. Data.TÍTULO DO PERIÓDICO. Local de publicação: Editora, ano, volume, número,mês abreviado. Data.
  • 86. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL98REVISTA BRASILEIRA DE GEOGRAFIA. Rio de Janeiro: IBGE, 1939-. Trimestral.Absorveu Boletim Geográfico do IBGE. Índice acumulado, 1939-1983. ISSN 0034-723X.BOLETIM GEOGRÁFICO. Rio de Janeiro: IBGE, 1943-1978. Trimestral.SÃO PAULO MEDICAL JOURNAL=REVISTA PAULISTA DE MEDICINA. SãoPaulo: Associação Paulista de Medicina, 1941-. Bimensal. ISSN 0035-0362.4.6.3.6 Número especial de revistasCONJUNTURA ECONÔMICA. As 500 maiores empresas do Brasil. Rio de Janeiro:FGV, v. 38, n. 9, set. 1984. 135 p. Edição especial.Suplemento de PeriódicoPESQUISA NACIONAL POR AMOSTRA DE DOMICÍLIOS. Mão-de-obra eprevidência. Rio de Janeiro: IBGE, v. 7, 1983. Suplemento.Fascículo de RevistaDINHEIRO: revista semanal de negócios. São Paulo: Ed. Três, n. 148, 28 jun. 2000.98 p.4.6.3.7 Jornal no todoESTADO DE MINAS. Belo Horizonte: Associados, 3 abr. 2003.4.6.3.8 Artigo de jornal com autorCHOUCAIR, Geórgea. Lula quer G-7 contra a fome. Estado de Minas, BeloHorizonte, 4 maio 2003. Política, p. 3.4.6.3.9 Artigo de jornal sem autorEPIDEMIA de cólera ameaça sul do Iraque. Folha de São Paulo, São Paulo, 8 maio2003. Folha Mundo, p. A13.4.6.4 Materiais EspeciaisInclui fita de vídeo, CD-ROM, DVD, videocassete entre outros.
  • 87. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL99Exemplo: Referência de fita de vídeo:REPRODUÇÃO humana. São Paulo: Encyclopaedia Britannica do Brasil, 1997. 1 fitade vídeo (26 min), VHS, son., col.4.6.5 Documentos EletrônicosÉ aquele existente em formato eletrônico acessível por computador. Areferenciação do documento eletrônico deve incluir os dados comumente usadospara os documentos convencionais, acrescentado-se os dados específicos quepossibilitem sua localização e recuperação, como por exemplo, o endereçoeletrônico.Exemplos:4.6.5.1 Referência de CD-ROMKINDERSLEY, Dorling. O corpo humano 2.0. São Paulo: Globo, 1997. 1 CD-ROM.4.6.5.2 Artigo de revista em formato eletrônicoFormato Artigo de revista online com autor:COUTINHO, Carolina. Reciclagem: juntou a fome com a vontade de catar. RevistaEcologia e Desenvolvimento, Rio de Janeiro, ano 12, n. 104, 2002. Disponível em:<http://www.uol.com.br/ecologia/pesquisa-public/ecologia/ecologia_104_09.htm>.Acesso em: 12 maio 2003. Artigo de revista online sem autor:VIRUS da Sars demora para sofrer mutação, diz pesquisa. Folha Online, SãoPaulo, 9 maio 2003. Disponível em:AUTOR. Título do artigo. Título da publicação. Local, v. , n. , ano.Disponível em:<Endereço eletrônico>. Acesso em: dia mês abreviado. ano.
  • 88. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL100<http:www1.folha.uol.com.br/folha/ciência/ult306u9074.shtml>. Acesso em: 12 maio2003.4.6.6 EventosConjunto de documentos reunidos num produto final do próprio evento (atas,anais, resultados, congressos, entre outros)FormatoExemplo:CONGRESSO LATINO–AMERICANO DE BIBLIOTECONOMIA EDOCUMENTAÇÃO, 1., 1980, Salvador. Anais... Salvador: FEBAB, 1980. 350 p.4.6.7 Trabalhos apresentados em congresso ou outro eventoFormatoExemplo:CANÇADO, Agenor Lopes. Toxicomanias de substituição. In: CONGRESSOFARMACÊUTICO E BIOQUÍMICO PAN-AMERICANO, 3., 1954, São Paulo.Anais...São Paulo: Federação das Associações de Farmacêuticos do Brasil, 1958.p. 259-300.4.6.8 Documento JurídicoInclui legislação, jurisprudência (decisões judiciais) e doutrina (interpretaçãodos textos legais).4.6.8.1 LegislaçãoNOME DO EVENTO, número, ano, local de realização (cidade).Título... subtítuloda publicação. Local de publicação (cidade): Editora, data de publicação. Númerode páginas ou volume.AUTOR DO TRABALHO. Título: subtítulo. In: NOME DO EVENTO, número, ano,local de realização. Título da publicação...subtítulo. Local de publicação(cidade): Editora, data. Páginas inicial-final do trabalho.
  • 89. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL101Compreende a Constituição, as ementas constitucionais e de textos legaisinfraconstitucionais (lei complementar e ordinária, medida provisória, decreto emtodas as suas formas, resoluções do Senado Federal) e normas emanadas dasentidades públicas e privadas (ato normativo, portaria, resolução, ordem deserviço, instrução normativa, comunicado, aviso, circular, decisão administrativa,entre outros).Os elementos essenciais são: jurisdição (ou cabeçalho da entidade nocaso de se tratar de normas), título, numeração e data, ementa e dados dapublicação. Quando necessário, ao final da referência acrescentam-se notasrelativas a outros dados necessários para identificar o documento.Exemplo:Constituição Federal BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República doBrasil. Brasília, DF: Senado, 1988.Ementa Constitucional BRASIL. Constituição (1988). Ementa constitucional n. 9, de9 de novembro de 1995. Dá nova redação ao art. 177 da Constituição Federal,alterando e inserindo parágrafos. Lex–Coletânea de Legislação e Jurisprudência:legislação federal e marginália, São Paulo, v. 59, p.1996, out./dez. 1995.Medida Provisória BRASIL. Medida provisória n. 1.569-9, de 11 de dezembro de1997. Estabelece multa em operações de importação, e dá outras providências.Diário Oficial {da} República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 14dez. 1997. Seção 1, p. 29514.Decreto SÃO PAULO (Estado). Decreto n. 42.822, de 20 de janeiro de 1998. Dispõesobre a desativação de unidades administrativas de órgãos da administração diretae das autarquias do Estado e dá providências correlatas. Lex-Coletânea deLegislação e Jurisprudência, São Paulo, v. 62, n. 3, p. 217-220, 1998.Resolução do Senado BRASIL. Congresso. Senado. Resolução n. 17, de 1991.Autoriza o desbloqueio de Letras Financeiras do Tesouro do Estado do Rio Grandedo Sul, através de revogação do parágrafo 2º do artigo 1º da Resolução n.º 72, de1990. Coleção de leis da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, v. 183, p.1156-1157, maio/jun. 1991.Consolidação de Leis BRASIL. Consolidação das Leis do Trabalho. Decreto-Lei n,5.452, de 1 de maio de 1943. Aprova a Consolidação das leis de trabalho. Lex-Coletânea de Legislação: edição federal, São Paulo, v. 7, 1943. Suplemento.
  • 90. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL102Código BRASIL. Código civil. Organização dos textos, notas remissivas e índicespor Juarez de Oliveira. 46. ed. São Paulo: Saraiva, 1995.4.6.8 DoutrinaInclui toda e qualquer discussão técnica sobre questões legais,consubstanciada em forma convencional ou em meio eletrônico, monografias,artigos de periódicos, papers, artigos de jornal, congressos, reuniões etc.Para a referenciação de doutrina, aplicam-se as regras indicadas nestedocumento até então, de acordo com o tipo de publicação. Doutrina (em forma de artigo de periódico)BARROS, R. G. de. Ministério Público: sua legitimação frente ao Código doConsumidor. Revista Trimestral de Jurisprudência dos Estados. São Paulo, v.,n. 139, p. 53-72, ago. 1995. Imagem em movimentoInclui filmes, fitas de vídeo, DVD, entre outros.Os elementos essenciais são: título, subtítulo (se houver), créditos (diretor,produtor, realizador, roteirista e outros), elementos relevantes, local, produtora,data, especificação do suporte em unidades físicas e duração.Os elementos complementares são: sistema de reprodução, indicadores de some cor e outras informações relevantes.VideocasseteOS PERIGOS do uso de tóxicos. Produção de Jorge Ramos de Andrade.Coordenação de Maria Izabel Azevedo. São Paulo: CERAVI, 1983. 1 fita de vídeo(30 min), VHS, son., color., 35mm.Filme de longa metragem
  • 91. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL103CENTRAL do Brasil. Direção: Walter Salles Júnior. Produção: Martine de Clermont-Tonnere e Arthur Cohn. Roteiro: Marcos Bernstein, João Emanuel Carneiro e WalterSalles Júnior. Intérpretes: Fernanda Montenegro; Marília Pera; Vinícius de Oliveira;Sônia Lira; Othon Bastos; Matheus Nachtergaele e outros. [S.I.]: Le Studio Canal;Riofilme; MACT Productions, 1998. 1 filme (106 min), son., color., 35mm.Filme de longa metragem em DVDBLADE Runner. Direção: Ridley Scott. Produção: Michael Deelry. Intérpretes:Harrison Ford; Rutger Hauer; Sean Young; Edward James Olmos e outros. Roteiro:Hampton Fancher e David Peoples. Música: Vangelis. Los Angeles: WarnerBrothers, c1991. 1 DVD (117min), widescreen, color. Produzido por Warner VídeoHome. Baseado na novela “Do androids dream of electric sheep?” de Philip . Dick.4.6.9 Documento CartográficoInclui atlas, mapa, globo, fotografia aérea entre outros. As referências devemobedecer aos padrões indicados para os documentos monográficos,acrescidos das informações técnicas sobre escalas a outras representaçõesutilizadas (latitudes, longitudes, meridianos etc.) formato e/ou outros dadosmencionados no próprio item, sempre que necessário para sua identificação. AtlasATLAS Mirador Internacional. Rio de Janeiro: Enciclopédia Britânica do Brasil, 1981.INSTITUTO GEOGRÁFICO E CARTOGRÁFICO (São Paulo, SP). Regiões degoverno do Estado de São Paulo. São Paulo, 1994. Plano Cartográfico do Estado deSão Paulo. Escala 1:2.000. MapasBRASIL a parte da América do Sul: mapa político, escolar, rodoviário, turístico eregional. São Paulo: Michalany, 1981. 1 mapa, color., 79 cm x 95 cm. Escala1:600.000. Fotografia AéreaINSTITUTO GEOGRÁFICO E CARTOGRÁFICO (São Paulo, SP). Projeto Lins Tupã:foto aérea. São Paulo, 1986. Fx 28, n. 15. Escala 1:35.000. Imagem de Satélite
  • 92. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL104LANDSAT TM 5. São José dos Campos: Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais,1987-1988. Imagem de satélite. Canais 3, 4 e composição colorida 3, 4 e S. Escala1:100.000. Imagem de Satélite DigitalESTADOS UNIDOS. National Oceanic and Atmospheric Administration. GOES-08:SE. 13 jul.1999. 17:45Z IR04. Itajaí: UNIVALI. Imagem de satélite: 1999071318.GIF:557 Kb. NOTA - Informações do arquivo digital: GOES Denominação do Satélite OSNúmero do satélite na série SE Localização geográfica 13 jul.1999 Data da captação17:45Z Horário zulu IR04 Banda Itajaí Local UNIVALI Instituição geradora1999071318.GIF Título do arquivo 557 Kb Tamanho do arquivo4.6.10 Documento de acesso exclusivo em meio eletrônicoInclui bases de dados, listas de discussão, BBS (site), arquivos em discorígido, disquetes, programas e conjuntos de programas, mensagens eletrônicasentre outros.Os elementos essenciais são: autor, denominação ou título e subtítulo (sehouver), do serviço ou produto, indicações de responsabilidade, endereçoeletrônico e data de acesso.Nota – No caso de arquivos eletrônicos, acrescentar a respectiva extensão àdenominação atribuída ao arquivo. Banco de dadosBIRDS from Amapá: banco de dados. Disponível em:<http://www.bdt.org/bdt/avifauna/aves>. Acesso em: 25 nov. 1998. ACAROS noEstado de São Paulo (Enseius concordis): banco de dados preparado por Carlos H.W. Flechtmann. In: FUNDAÇÃO TROPICAL DE PESQUISAS E TECNOLOGIA“ANDRÉ TOSELLO”. Bases de Dados Tropical: no ar desde 1985. Disponível em:<http://www.bdt.org/bdt/acarosp>. Acesso em: 28 nov. 1998. Lista de Discussão
  • 93. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL105BIOLINE Discussion List. List maintained by the Bases de Dados Tropical, BDT inBrasil. Disponível em: <lisserv@bdt.org.br>. Acesso em: 25 nov. 1988. Catálogo Comercial em HomepageBOOK ANNOUNCEMENT 13 MAY 1997, Produced by J. Drummond. Disponível em<http://www.bdt.org.br/bioline/DBSearch?BIOLINE-L+READC+57>. Acesso em: 25nov. 1998. Homepage InstitucionalCIVITAS. Coordenação de Simão Pedro P. Marinho. Desenvolvido pela PontifíciaUniversidade Católica de Minas Gerais, 1995-1998. Apresenta textos sobreurbanismo e desenvolvimento de cidades. Disponível em<http://www.gcshet.com.br/civitas> Acesso em: 27 nov. 1998. Arquivo em disqueteUNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ. Biblioteca Central. Normas.doc. normaspara apresentação de trabalhos. Curitiba, 7 mar. 1988. 5 disquetes, 31/2 pol. Wordfor Windows 7.0. Bases de DadosUNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ. Biblioteca de Ciência e Tecnologia.Mapas. Curitiba, 1997. Base de Dados em Microlsis, versão 3.7. Programa (Software)MICROSOFT Project for Windows 95, version 4.1: project planning software. [S.I.]:Microsoft Corporation, 1995. Conjunto de programas. 1 CD-ROM. Brinquedo Interativo em CD-ROMALLIEE’S play house. Palo Alto. CA.: MPC/ Opcode Interactive, 1993. 1 CD-ROM.Windows 3.1. Software Educativo em CD-ROMPAU no Gato! Por que? Rio de Janeiro: Sony Music Book Case
  • 94. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL106Multimidia Educacional [1990]. 1 CD-Room. Windows3.1. E-MailACCIOLY, F. Publicação eletrônica [mensagem pessoal}. Mensagem recebida por<mtmendes@uol.com.br> em 26 jan. 2000.NOTA: As mensagens que circulam por intermédio do correio eletrônico devemser referenciadas somente quando não se dispuser de nenhuma outra fonte paraabordar o assunto em discussão. Mensagens trocadas por e-mail têm caráterinformal, interpessoal e efêmero e desaparecem rapidamente, não sendorecomendável seu uso como fonte científica ou técnica de pesquisa.4.6.11 Informações ComplementaresAs referências são digitadas na margem esquerda usando-se espaço simples(um) entre as linhas e dois espaços simples para separar as referências entre si.Na ordenação das referências bibliográficas a mais usada é a alfabética.Incluem-se numa lista de referência todos os tipos de documentos consultados, nãolevando em conta a natureza dos mesmos.Exemplo:SUPER INTERESSANTE. São Paulo: Abril, n. 17, jun. 2002.WERNECK, Hamilton. Ousadia de pensar. Rio de Janeiro: DP&A, 2000. 104 p.______. Se a boa escola é a que reprova, o bom hospital é o que mata. 8. ed.Rio de Janeiro: DP&A, 2000. 101 p.
  • 95. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL1074.6.12 Abreviaturas utilizadas em referênciaAdaptador =(Adapt.)Coordenador = (Coord.) E outros = et al. Sem local = [S.l.]Ano = ano 5ª edição = 5. ed. Número = n. Sem editora =[s.n.]Capítulo =Cap.Editor = (ed.) Organizador = (Org.) Volume = v.Compilador =(Comp.)Dentro = In: Página = p. Sem local e semeditora = [S.l.:s.n.] Abreviatura dos meses:Janeiro = jan. Maio = maio Setembro = set.Fevereiro = fev. Junho = jun. Outubro = out.Março = mar. Julho = jul. Novembro = nov.Abril = abr. Agosto = ago. Dezembro = dez. Abreviaturas e expressões utilizadas em referências, citações e outrosAd. Lit = ao pé da letraAd hoc = para esse caso específicoapud = segundo fulano de tal, referido porCf. = confiraEd. Eds. = editora, editoresed. = ediçãoed. rev. ampl = edição revista e ampliadae.g. = por exemplo, a saber (exempli gratia)et al. = e outros (et aliii)i.e. = isto é (id est)f. = folha (= página)Id. = idem, o mesmo autorIbid. = ibidem, a mesma obraIn = em (usado para referenciar capítulo de livro / artigo)Ip. lit. = literalmente (ipsis literis)Op. cit. = obra citada (opus citatum)s.d. = sem datasic. = assim mesmo (sine nomine)v.g. = por exemplo (verbi gratia)org. = organizadorOBSERVAÇÕES: Em relação ao quadro anterior, apenas as abreviaturas emnegrito serão utilizadas por essa instituição, porém não em negrito.
  • 96. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL1085 INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOSA pesquisa científica antes de ser executada exige um planejamento quepossibilita uso racional do tempo e o desenvolvimento de disciplina durante arealização do trabalho.A ABNT em sua norma 15287 de 2011, contempla os aspectos relacionados àapresentação de projetos de pesquisa. De acordo com essa norma o projetoapresenta os seguintes elementos:5.1 Elementos pré-textuaisSão os elementos que precedem o texto do projeto.Capa: nesse caso é um elemento opcional. Deve ser feita de acordo no modelo 1desse manual.Folha de Rosto: é um elemento obrigatório e de se seguir o modelo 2, alterandoapenas o texto que fala sobre a natureza e os objetivos de tal trabalho (parágrafoindicativo).Lista de ilustrações, tabelas, abreviaturas, siglas: são elementos opcionais e emgeral pouco utilizados em Projetos de Pesquisa.Sumário: é um elemento obrigatório e obedece ao estabelecido pela ABNT NBR6027, conforme descrição anterior nesse manual.
  • 97. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL1095.2 Elementos textuaisEm geral é descrita uma parte introdutória, expõe-se o tema do projeto, oproblema a ser abordado, a hipótese, os objetivos a serem atingidos e ajustificativa. É necessário que seja indicado o referencial teórico que embasa oprojeto, a metodologia proposta, bem como os recursos (conforme a necessidade)e o cronograma de desenvolvimento do estudo proposto.5.3 Elementos pós-textuaisSão os elementos que sucedem o texto do projeto.Referências: é um elemento obrigatório e sua elaboração deve obedecer aodisposto na ABNT NBR 6023: 2002, conforme descrito anteriormente nesse manual.Glossário: é um elemento opcional e deve ser elaborado em ordem alfabética.Apêndice: é um elemento opcional e deve ser descrito conforme mencionadoanteriormente no manual.Anexo: é um elemento opcional e deve ser descrito conforme mencionadoanteriormente no manual.Índice: é um elemento opcional e deve ser elaborado conforme ABNT NBR 6034:2003.5.4 Formatação de um projetoAs regras para a formatação de um projeto devem ser feitas da mesma formaque a formatação de uma monografia, conforme descrito anteriormente nessemanual.
  • 98. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL1105.5 Apresentação de um projetoNessa instituição o projeto deverá conter obrigatoriamente os elementos aseguir na ordem aqui apresentada, sendo que os elementos textuais serãodevidamente explicados após a presente descrição:Capa (foi uma opção institucional)Folha de rostoSumárioNo inicio da página seguinte, apresentar sequencialmente como proposto aseguir:1 Introdução (breve para fins de apresentação do Projeto)2 Tema3 Delimitação do tema4 Justificativa5 Problema6 Hipóteses7 Objetivos7.1 Objetivo geral7.2 Objetivos específicos8 Metodologia9 Fundamentação Teórica10 Cronograma11 Orçamento (quando necessário)Referências (em folha exclusiva)5.6 Conhecendo melhor os elementos textuais5.6.1 Introdução
  • 99. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL111Descrever objetivamente, com o apoio da literatura, o problema focalizado,sua relevância no contexto da área inserida e a importância específica de suaproposta para o avanço ou consolidação do conhecimento. Finalizar apontando oconteúdo a ser descrito nas seções de seu trabalho. Esta introdução é para oprojeto. Para a monografia e/ou artigo deverá ser feita uma nova, de acordo com oconteúdo do trabalho final.5.6.2 TemaParte do assunto escolhido sobre o qual versará o trabalho. Não deve iniciarnova página. A partir da introdução todos os elementos devem ser descritos emseqüência única com exceção de cronograma, orçamento, pois dependendo de seutamanho podem ficar em folha exclusiva. Faz-se exceção também as referênciasque devem estar em folha exclusiva.5.6.2.1 Escolha do TemaExistem dois fatores principais que interferem na escolha de um tema para otrabalho de pesquisa.Fatores internos:- Afetividade em relação a um tema ou alto grau de interesse pessoal.- Tempo pessoal disponível para a realização do trabalho de pesquisa.- O limite das capacidades do pesquisador em relação ao tema pretendido.Fatores Externos:– A significação do tema escolhido, sua novidade, sua oportunidade e seus valoresacadêmicos e sociais.
  • 100. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL112– O limite de tempo disponibilizado pela instituição proponente para a conclusão dotrabalho.– Material de consulta e dados necessários ao pesquisador.5.6.2.2 Delimitação do temaDefinir sobre quais enfoques o tema será abordado. Em alguns caso énecessário não apenas uma delimitação de conteúdo como também geográfica etemporal.5.6.3 Formulação do problemaO problema é a mola propulsora de todo o trabalho de pesquisa, sendoconstituído de questionamentos e dúvidas que o trabalho se proporá a resolver.Depois de definido o tema, em geral levanta-se uma questão, (ou mais que uma)para ser respondida através de uma hipótese, que será confirmada ou negadaatravés do trabalho de pesquisa.5.6.4 HipótesesAs hipóteses são possíveis respostas aos problemas estabelecidos. Hipóteseé sinônimo de suposição. Neste sentido, hipótese é uma afirmação categórica (umasuposição), que tente responder ao problema levantado no tema escolhido parapesquisa. O trabalho de pesquisa, então, irá confirmar ou negar a hipótese (ousuposição) levantada.
  • 101. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL1135.6.5 ObjetivosA definição dos objetivos determina o que o pesquisador quer atingir com arealização do trabalho de pesquisa. Objetivo é sinônimo de meta, fim. Os objetivospodem ser separados em objetivos gerais e objetivos específicos sendo necessáriodefinir claramente o objetivo geral (a finalidade do trabalho) e objetivos específicosdo trabalho (o que vai ser desenvolvido em cada etapa). Os objetivos (geral eespecíficos) devem ser iniciados sempre com um verbo no infinitivo. Os específicosdevem ser dispostos em tópicos e separados por ponto-e-vírgula. Não é necessárioexplicar o objetivo, só descrevê-lo. Cada objetivo específico é uma meta a seralcançada, e todas as metas contribuirão para atingir o objetivo geral.5.6.6 JustificativaA justificativa num projeto de pesquisa, como o próprio nome indica, é oconvencimento de que o trabalho de pesquisa é fundamental de ser efetivado. Otema escolhido pelo pesquisador e a hipótese levantada são de suma importância,para a sociedade ou para alguns indivíduos, de ser comprovada.Portanto, neste item o autor deve apresentar os motivos que levaram àescolha do tema e as razões que sustentam a realização do trabalho, destacando aimportância deste trabalho para o meio acadêmico, profissional e comunitário.Deve-se tomar o cuidado, na elaboração da justificativa, de não se tentarjustificar a hipótese levantada, ou seja: tentar responder ou concluir o que vai serbuscado no trabalho de pesquisa. Ou ainda justificar a importância do assunto,deve-se falar da importância do estudo realizado e escrito.A justificativa exalta a importância do tema a ser estudado, ou justifica anecessidade imperiosa de se levar a efeito tal empreendimento.
  • 102. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL1145.6.7 MetodologiaA Metodologia é a explicação minuciosa, detalhada, rigorosa e exata de todaaçãodesenvolvida no método (caminho) do trabalho de pesquisa. É a explicação do tipode pesquisa, do instrumental utilizado (questionário, entrevista etc), do tempoprevisto, da equipe de pesquisadores e da divisão do trabalho, das formas detabulação e tratamento dos dados, enfim, de tudo aquilo que se utilizou notrabalho de pesquisa.Portanto você deverá descrever, de forma detalhada, o tipo de pesquisa ecomo os objetivos serão alcançados, passo a passo. Cada objetivo específico citadono item 2 deve ter uma maneira de ser alcançado. Isto inclui a identificação demateriais, métodos e técnicas que serão usadas no desenvolvimento da pesquisa.Identificar quem, como, quando e onde o trabalho será desenvolvido. Definirtambém a população alvo e a amostra objeto da investigação. Identificados osmétodos pelos quais os resultados serão analisados. Citar as parcerias,convênios e apoios financeiros envolvidos no desenvolvimento da pesquisa. Cadaprojeto é único e deve caracterizar bem como será desenvolvido.5.6.8 Fundamentação teóricaApresentar o embasamento teórico sobre o qual se fundamentará o trabalho.Identificar conceitos, definições e apresentar o estado da arte*pertinentes à temáticade estudo, com o apoio da literatura. Divide-se em seções e subseções onde setranscreve o levantamento de literatura realizado.O Levantamento de Literatura é a localização e obtenção de documentos paraavaliar a disponibilidade de material que subsidiará o tema do trabalho de pesquisa.Este levantamento é realizado junto às bibliotecas ou serviços de informaçõesexistentes.*O estado da arte diz respeito ao que existe de mais atual a respeito do tema, ou seja, o que foiestudado até o momento.
  • 103. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL115Sugestões para o Levantamento de Literatura:- Locais de coletasDetermine com antecedência que bibliotecas, agências governamentais ouparticulares, instituições, indivíduos ou acervos deverão ser procurados.- Registro de documentosEsteja preparado para copiar os documentos, seja através de xerox,fotografias ou outro meio qualquer.- OrganizaçãoSepare os documentos recolhidos de acordo com os critérios de suapesquisa. O levantamento de literatura pode ser determinado em dois níveis:a - Nível geral do tema a ser tratado: relação de todas as obras ou documentossobre o assunto.b - Nível específico a ser tratado: relação somente das obras ou documentos quecontenham dados referentes à especificidade do tema a ser tratado.5.6.9 CronogramaIdentificar o período estimado para cada tarefa a ser desenvolvida.Estabelecer datas-limite para leitura, redação, revisão bibliográfica, aplicação dequestionários, análise de resultados, entrega e/ou outras atividades que opesquisador considerar pertinentesÉ interessante utilizar um quadro, conforme o exemplo, marcando um X noperíodo utilizado para cada atividade. O exemplo a seguir é meramente ilustrativo,cada projeto deve ter o seu próprio cronograma elaborado a critério do pesquisador.
  • 104. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL116Atividades/meses2012Fev. Mar. Abr.Maio Jun. Jul. Ago.Definição da temática XLevantamentobibliográficoX X X X XElaboração do projeto X XAplicação dosinstrumentos depesquisa (campo)XAnálise dos dados(campo)XRedação preliminar X XCorreção / revisão XRedação final XEntrega damonografia/artigoXApresentação oral XEntrega de versão final XEsse cronograma é apenas ilustrativo.5.6.10 OrçamentoEm relação ao orçamento devem ser previstas todas as despesas naexecução da pesquisa incluindo-se gastos com papel A4, tinta, xérox, caneta,ligações telefônicas, combustível e outros conforme o modalidade de pesquisa.5.6.11 ReferênciasDevem ser listadas todas ao obras utilizadas no projeto conforme descrição naseção 5 desse manual.
  • 105. FACULDADE CIDADE DE COROMANDEL117REFERÊNCIASASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6023: informação edocumentação: referências: apresentação. Rio de Janeiro, 2002.ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 10520: informação edocumentação: citações em documentos: apresentação. Rio de Janeiro, 2002.ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6028: informação edocumentação: resumo: apresentação. Rio de Janeiro, 2003.ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 14724: informação edocumentação: trabalhos acadêmicos: apresentação. Rio de Janeiro, 2011.ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6027: informação edocumentação: sumário: apresentação. Rio de Janeiro, 2003.ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 15287: informação edocumentação: projeto de pesquisa: apresentação. Rio de Janeiro, 2011.ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6024: informação edocumentação: numeração progressiva das seções de um documento escrito:apresentação. Rio de Janeiro, 2003.CERVO, Amado Luiz, BERVIAN, Pedro Alcino. Metodologia Científica. 5. ed. atual.São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2002.LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos demetodologia científica. 5. ed. 3. reimpr. São Paulo: Atlas, 2003.SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 23. ed. rev. eatual. São Paulo: Cortez, 2007.UNIVERSIDADE DE FRANCA. Manual para elaboração e apresentação detrabalhos acadêmicos. Franca. 2006.