BIOLOGIA
Monitor: Joandro Santos
Introdução
 Célula: É a unidade básica da vida e do organismo, podendo
ocorrer isoladamente nos, seres unicelulares, ou f...
MEMBRANA PLASMÁTICA
CITOPLASMA
PAREDE
CELULAR
DNA OU
NUCLEÓIDE
FLAGELO
PILI OU FÍMBRIA
RIBOSSOMOS
PROCARIONTES: BACTÉRIAS
Procariontes
• Procariontes (bactérias):
 DNA sem envoltório;
 sem histonas;
 organelas sem membrana.
Eucariontes: Animais
Estrutura celular
• A estrutura de uma célula eucariótica é
composta por :
 Membrana
 Citoplasma
 Núcleo
Membrana celular
Todas as células encontram-se envoltas por uma fina membrana composta
principalmente por fosfolipídios e ...
• Definição: É uma membrana
biológica que separa o lado interno da célula do seu meio circundante
formado pelo fluído extr...
A - bicamada lipídica (ou fosfolipídica): fosfolipídios são moléculas
anfipáticas que se dispõem na bicamada com a porção ...
Transporte celular
Dependendo das propriedades da membrana e das moléculas (ou átomos
ou íons) em presença, o transporte a...
1. Difusão simples: sem a necessidade de proteínas de
transporte; ocorre com substâncias lipossolúveis; também
ocorre por ...
Este transporte ocorre através de proteínas especiais que mudam de
forma para permitir a entrada e a saída das substâncias...
• O citoplasma é composto por uma
substância viscosa (citosol),
formada por água, sais minerais,
açucares e proteínas (20%...
Organelas Função
Parede celular Proteção e suporte.
Núcleo Comanda a estrutura e a atividade
das células.
Ribossomos Sínte...
FILAMENTOS
DE CROMATINA
NUCLEOPLASMA
NUCLÉOLO
INVÓLUCRO
NUCLEAR
O núcleo ocupa 10% do volume celular total. Controla todas...
Carioteca: membrana dupla e porosa que envolve o Núcleo, permitindo a
comunicação com o Citoplasma.
Função da carioteca da...
 Mitose: é um tipo de divisão celular essencial para
continuarmos a nos desenvolver, a crescer e a repor células
perdidas...
 A mitose se inicia com uma célula diplóide (2n), ou
seja, com o número total de cromossomos da espécie
(no caso dos huma...
 1. Prófase
 2. Metáfase
 3. Anáfase
 4. Telófase
 No caso dos seres humanos, a meiose garante que, durante a
fecundação, se forme um novo ser com 46 cromossomos, 23
vindo...
Fases da meiose
Meiose I
ou divisão reducional
R!
• Prófase I
• Metáfase I
• Anáfase I
• Telófase I
A primeira divisão sep...
Prófase I
Leptóteno: cromossomos aparecem pouco condensados. Cromômeros visíveis.
Leptóteno Zigóteno DiplótenoPaquíteno Di...
Crossing-over ou permutação
Pode ocorrer na prófase I e é um importante fator de variabilidade,
pois gera cromossomos com ...
cromossomos homólogos.
A célula está em interfase, antes da
duplicação cromossômica.
Cromátides se separam: há quatro célu...
 Pareamento dos cromossomos homólogos na
placa equatorial da célula.
 Migração dos cromossomos homólogos para
os pólos da célula.
 Descondensação dos
cromossomos
 Reaparecimento do
nucléolo e carioteca
 Desaparecimento das
fibras do fuso
 Importância:
Separação das cromátides irmãs
 Dividido em:
Prófase 2
Metáfase 2
Anáfase 2
Telófase 2
 Duplicação e migração dos centríolos para os
pólos opostos da célula.
 Desaparecimento da carioteca e nucléolos
 Conde...
 Cromossomos
localizados na
placa equatorial da
célula.
 Fibras do fuso
ligadas aos
centrômeros
 Separação das
cromátid...
 Migração das
cromátides irmãs
para os pólos
opostos da célula.
 Reaparecimento da
carioteca e nucléolo
 Descondensação
dos cromossomos
 Citocinese – divisão
citoplasmática
 Há mais ou menos quatro bilhões de anos, a superfície de nosso Planeta estaria, em sua
maior parte, coberta por uma enor...
 Surgimento das células autotróficas, foram ocorrendo também mudanças na
atmosfera, já que o aumento da concentração de o...
 O início da fotossíntese e as grandes alterações da atmosfera
contribuíram marcadamente para o processo evolutivo das cé...
 O próximo passo do processo evolutivo, após o aparecimento das
células procariontes autotróficas, foi o surgimento das c...
 Sugestivas evidências apontam para o fato de que
organelas responsáveis por processos ligados às
transformações energéti...
 As células tronco, células mães ou células estaminais são células que
possuem a melhor capacidade de se dividir dando or...
 Células-tronco embrionárias (CTE): São encontradas no embrião humano e
são classificadas como totipotentes ou pluripoten...
 A clonagem é um processo de reprodução assexuada onde se tem a
produção de indivíduos geneticamente iguais a partir de u...
 Resumidamente, os passos individuais no procedimento de
transferência nuclear incluem:
 Preparação de um ovócito enucle...
 A clonagem molecular consiste na difusão de
moléculas de DNA idênticas e baseia-se na propagação
natural de células ou i...
 A clonagem gênica consiste em duas etapas básicas:
 a) Na primeira etapa faz-se a ligação entre um fragmento de DNA,
ch...
 b) Na segunda etapa, a molécula de DNA recombinante é transportada para
dentro de uma célula hospedeira, em geral uma ba...
 A técnica de DNA recombinante é um importante
mecanismo de inserção gênica em bactérias, com esse
processo é possível pr...
 As bactérias já possuem normalmente a capacidade de inserir um
fragmento de DNA do meio ambiente no seu próprio genoma,
...
 As enzimas de restrição irão clivar (cortar) tanto do
plasmídio quanto o gene de interesse.
 Posteriormente eles irão s...
A biotecnologia tem como principais técnicas:
cultura de tecidos vegetais, clonagem,
transgênicos, terapia gênica.
Biotecn...
 Cultura de tecido vegetal
 Transgênicos
 Baseia-se na capacidade que
a planta tem de dar origem a
uma nova planta, a partir de
qualquer parte dela, por
meio da a...
 A cultura de tecidos vegetais tem como principais
utilidades:
 obter plantas livres de doenças;
 multiplicar rapidamen...
 Transgênicos: Umas das áreas da biotecnologia é a
produção de alimentos transgênicos. Esse processo é
realizado pela eng...
Os organismos geneticamente
modificados (OGMs), ou
transgênicos, são aqueles que
tiveram genes estranhos, de
qualquer outr...
 Pontos positivos
 Aumento da produção
 Maior resistência à pragas (vírus, fungos, bactérias e insetos)
 Resistência a...
Exemplo de planta transgênica
Luciferina
FIM!!
OBRIGADO!!
aula 1 - estrutura e fisiologia celular, clonagem, celulas tronco e transgênicos
aula 1 - estrutura e fisiologia celular, clonagem, celulas tronco e transgênicos
aula 1 - estrutura e fisiologia celular, clonagem, celulas tronco e transgênicos
aula 1 - estrutura e fisiologia celular, clonagem, celulas tronco e transgênicos
aula 1 - estrutura e fisiologia celular, clonagem, celulas tronco e transgênicos
aula 1 - estrutura e fisiologia celular, clonagem, celulas tronco e transgênicos
aula 1 - estrutura e fisiologia celular, clonagem, celulas tronco e transgênicos
aula 1 - estrutura e fisiologia celular, clonagem, celulas tronco e transgênicos
aula 1 - estrutura e fisiologia celular, clonagem, celulas tronco e transgênicos
aula 1 - estrutura e fisiologia celular, clonagem, celulas tronco e transgênicos
aula 1 - estrutura e fisiologia celular, clonagem, celulas tronco e transgênicos
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

aula 1 - estrutura e fisiologia celular, clonagem, celulas tronco e transgênicos

8,314 views
7,984 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
5 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
8,314
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
5
Actions
Shares
0
Downloads
217
Comments
0
Likes
5
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

aula 1 - estrutura e fisiologia celular, clonagem, celulas tronco e transgênicos

  1. 1. BIOLOGIA
  2. 2. Monitor: Joandro Santos
  3. 3. Introdução  Célula: É a unidade básica da vida e do organismo, podendo ocorrer isoladamente nos, seres unicelulares, ou formar arranjos ordenados, os tecidos que constituem o corpo dos seres pluricelulares. Em geral os tecidos apresentam quantidades variáveis de material extracelular, produzido pelas células.  A fisiologia celular estuda, basicamente, o funcionamento das células;
  4. 4. MEMBRANA PLASMÁTICA CITOPLASMA PAREDE CELULAR DNA OU NUCLEÓIDE FLAGELO PILI OU FÍMBRIA RIBOSSOMOS PROCARIONTES: BACTÉRIAS
  5. 5. Procariontes • Procariontes (bactérias):  DNA sem envoltório;  sem histonas;  organelas sem membrana.
  6. 6. Eucariontes: Animais
  7. 7. Estrutura celular • A estrutura de uma célula eucariótica é composta por :  Membrana  Citoplasma  Núcleo
  8. 8. Membrana celular Todas as células encontram-se envoltas por uma fina membrana composta principalmente por fosfolipídios e proteínas conhecida como: membrana celular ou plasmática A membrana plasmática tem três funções principais:  Revestimento;  Proteção;  Permeabilidade seletiva, sendo esta última sua função mais comum. Ela seleciona quais são as substâncias que vão entra e sair da célula.
  9. 9. • Definição: É uma membrana biológica que separa o lado interno da célula do seu meio circundante formado pelo fluído extra celular. Estruturalmente a membrana é uma bicamada de moléculas fosfolipídicas. As duas camadas se arranjam de forma que os grupos fosfato hidrofílicos fiquem em contato com as soluções aquosas presentes no lado externo e interno das células, e que a porção hidrofóbica fique escondida na porção central da membrana. A membrana contém moléculas de proteínas imersas e sua superfície contém glicoproteínas e glicolipídios. • Composição química: lipídios e proteínas (50 %)
  10. 10. A - bicamada lipídica (ou fosfolipídica): fosfolipídios são moléculas anfipáticas que se dispõem na bicamada com a porção hidrofóbica apolar dirigida para o centro da membrana, e com a porção hidrofílica polar (cabeça com terminal fosfato) direcionada para o exterior ou interior da célula B - Colesterol: reduz ou aumenta a fluidez da membrana de acordo com a temperatura, funcionando como um "tampão de fluidez". C - Proteína intrínseca (ou transmembrana): são firmemente aderidas aos lipídios da membrana e formam canais de transporte de substâncias e, também, são receptores específicos de hormônios; 70% das proteínas de membrana são desse tipo D - Proteína extrínseca: ligam-se à membrana por interação com a região polar dos lipídios ou por interação com as proteínas transmembranas (também conhecidas como integrais). A espectrina, por exemplo, é a proteína extrínseca responsável pelo formato bicôncavo dos eritrócitos E - Glicoproteína: associação entre carboidratos e proteínas de membrana F - Glicolipídios: associação entre carboidratos e lipídios. As glicoproteínas e glicolipídios são marcadores responsáveis pela determinação dos grupos sanguíneos. G - Glicocálice (ou Glicocálix): união entre glicoproteínas e glicolipídios; é através do glicocálix que as células se reconhecem e se unem umas às outras, para formar os tecidos.
  11. 11. Transporte celular Dependendo das propriedades da membrana e das moléculas (ou átomos ou íons) em presença, o transporte através das membranas classifica-se em:  Transporte passivo;  Transporte ativo • Transporte passivo: quando não envolve o consumo de energia do sistema, sendo utilizada apenas a energia cinética das moléculas (Osmose, Difusão e Difusão facilitada). Osmose: transporte de solvente, contra o gradiente de concentração, através de membrana semipermeável e sem gasto de energia. A água movimenta-se sempre de um meio hipotônico (menos concentrado em soluto) para um meio hipertônico (mais concentrado em soluto) com o objetivo de se atingir a mesma concentração em ambos os meios.
  12. 12. 1. Difusão simples: sem a necessidade de proteínas de transporte; ocorre com substâncias lipossolúveis; também ocorre por meio de proteínas de canais como "aquaporinas"; 2. Difusão Facilitada: ocorre com auxílio de proteína transportadora (permease), que se liga à substância e a transporta para dentro ou fora da célula – isso ocorre com a glicose, por exemplo. •Transporte ativo: É a passagem de uma substância de um meio menos concentrado para um meio mais concentrado ocorrendo gasto de energia.
  13. 13. Este transporte ocorre através de proteínas especiais que mudam de forma para permitir a entrada e a saída das substâncias. Esta mudança gasta energia, e esta energia é obtida através de moléculas obtidas pela respiração celular. Endocitose e exocitose: moléculas orgânicas maiores não atravessam a membrana elas entram e saem da célula pelos citados processos acima. O processo de entrada dessas partículas na célula é chamado de endocitose. O processo de saída dessas partículas recebe o nome de exocitose (ou clasmotose).
  14. 14. • O citoplasma é composto por uma substância viscosa (citosol), formada por água, sais minerais, açucares e proteínas (20%); • O citoplasma é o local onde ficam submersas as maiorias das organelas. Citoplasma
  15. 15. Organelas Função Parede celular Proteção e suporte. Núcleo Comanda a estrutura e a atividade das células. Ribossomos Síntese proteíca. Cloroplastos Realizam a fotossíntese. Mitocôndrias Respiração celular. Retículo Endoplasmático Síntese de proteínas, lipídios e hidratos de carbono Complexo de Golgi Secreção de enzimas e outras moléculas. Vacúolo armazenamento
  16. 16. FILAMENTOS DE CROMATINA NUCLEOPLASMA NUCLÉOLO INVÓLUCRO NUCLEAR O núcleo ocupa 10% do volume celular total. Controla todas as reações que ocorrem na célula.
  17. 17. Carioteca: membrana dupla e porosa que envolve o Núcleo, permitindo a comunicação com o Citoplasma. Função da carioteca da célula:  Apresenta numerosos poros comunicantes com o hialoplasma, por onde saem e entram substâncias moleculares;  Proteção do material genético;  E barreira física que limita a região reguladora do metabolismo, através do processo de transcrição. Nucleoplasma: massa fluída limitada pela Carioteca que ocupa o interior do núcleo; Cromatina: material constituído por DNA (material genético). Responsável pelas CARACTERÍSTICAS HEREDITÁRIAS. Nucléolo: Armazena a carga genética
  18. 18.  Mitose: é um tipo de divisão celular essencial para continuarmos a nos desenvolver, a crescer e a repor células perdidas.  Meiose: É um processo de divisão reducional no qual uma célula diplóide (2n) origina 4 células haplóides (n). Ocorre com a finalidade específica de produzir células sexuais ou gametas (espermatozóide e óvulo).
  19. 19.  A mitose se inicia com uma célula diplóide (2n), ou seja, com o número total de cromossomos da espécie (no caso dos humanos, 46). Em seguida, há um período de grande atividade metabólica, denominado interfase, em que ocorre a duplicação do material genético. Só depois começa a divisão propriamente dita.
  20. 20.  1. Prófase  2. Metáfase  3. Anáfase  4. Telófase
  21. 21.  No caso dos seres humanos, a meiose garante que, durante a fecundação, se forme um novo ser com 46 cromossomos, 23 vindos do pai e 23 da mãe.  Ela será dividida em meiose I e meiose II.  Na primeira divisão, ocorrem a prófase I, metáfase I, anáfase I e telófase I. Na segunda, a prófase II, metáfase II, anáfase II e telófase II.
  22. 22. Fases da meiose Meiose I ou divisão reducional R! • Prófase I • Metáfase I • Anáfase I • Telófase I A primeira divisão separa os pares de cromossomos homólogos, formando duas células haplóides. Meiose II ou divisão equacional E! • Prófase II • Metáfase II • Anáfase II • Telófase II A segunda divisão separa as cromátides e forma quatro células haplóides.
  23. 23. Prófase I Leptóteno: cromossomos aparecem pouco condensados. Cromômeros visíveis. Leptóteno Zigóteno DiplótenoPaquíteno Diacinese Zigóteno: Sinapse (pareamento dos cromossomos homólogos). Paquíteno: Crossing-over (troca de pedaços entre cromátides homólogas). Diplóteno: Quiasmas (cromátides homólogas cruzadas). Duplicação cromossômica é nítida. Diacinese: Terminalização dos quiasmas. Desaparecimento do nucléolo e desintegra- ção da carioteca. Fases da Prófase
  24. 24. Crossing-over ou permutação Pode ocorrer na prófase I e é um importante fator de variabilidade, pois gera cromossomos com sequências diferentes da sequência dos cromossomos originais. Consiste na troca de pedaços entre cromátides homólogas.
  25. 25. cromossomos homólogos. A célula está em interfase, antes da duplicação cromossômica. Cromátides se separam: há quatro células haplóides, isto é, que possuem um cromossomo de cada par. As células filhas da primeira divisão recebem, cada uma, um cromossomo de cada par de homólogos. Ainda na interfase, cada cromossomo se duplica, ficando com duas cromátides, no inicio da meiose
  26. 26.  Pareamento dos cromossomos homólogos na placa equatorial da célula.
  27. 27.  Migração dos cromossomos homólogos para os pólos da célula.
  28. 28.  Descondensação dos cromossomos  Reaparecimento do nucléolo e carioteca  Desaparecimento das fibras do fuso
  29. 29.  Importância: Separação das cromátides irmãs  Dividido em: Prófase 2 Metáfase 2 Anáfase 2 Telófase 2
  30. 30.  Duplicação e migração dos centríolos para os pólos opostos da célula.  Desaparecimento da carioteca e nucléolos  Condensação dos cromossomos.
  31. 31.  Cromossomos localizados na placa equatorial da célula.  Fibras do fuso ligadas aos centrômeros  Separação das cromátides irmãs
  32. 32.  Migração das cromátides irmãs para os pólos opostos da célula.
  33. 33.  Reaparecimento da carioteca e nucléolo  Descondensação dos cromossomos  Citocinese – divisão citoplasmática
  34. 34.  Há mais ou menos quatro bilhões de anos, a superfície de nosso Planeta estaria, em sua maior parte, coberta por uma enorme massa de água, disposta em imensos “oceanos” e também “lagoas”. Toda essa massa líquida recebeu o nome de “caldo primordial”, sendo rica em moléculas inorgânicas e contendo em solução todos os gases presentes na atmosfera daquela época (Junqueira & Carneiro, 2005).  Neste período o oxigênio ainda não estava presente na atmosfera, que provavelmente continha amônia, vapor d’água, hidrogênio, metano, gás carbônico e sulfeto de hidrogênio. O oxigênio em sua forma livre, somente surgiu muito posteriormente, devido à ação fotossintética de células autotróficas.
  35. 35.  Surgimento das células autotróficas, foram ocorrendo também mudanças na atmosfera, já que o aumento da concentração de oxigênio liberado pela fotossíntese intensificou-se. As moléculas de oxigênio (O2) acabaram se difundindo para as partes mais elevadas da atmosfera, onde sob ação da radiação ultravioleta, romperam-se originando átomos de oxigênio.  O surgimento das células autotróficas, capazes de sintetizar seu próprio alimento, proporcionou a manutenção da vida na Terra.
  36. 36.  O início da fotossíntese e as grandes alterações da atmosfera contribuíram marcadamente para o processo evolutivo das células e de todas as formas de vida existentes no Planeta. Somente com o surgimento da fotossíntese, ocorreu o aparecimento do oxigênio na atmosfera e dessa forma verificou-se o surgimento de células aeróbias, ao mesmo passo que se observou o surgimento da camada protetora de ozônio. As bactérias anaeróbias restringiram-se a nichos especiais, caracterizados pela ausência de oxigênio.
  37. 37.  O próximo passo do processo evolutivo, após o aparecimento das células procariontes autotróficas, foi o surgimento das células eucariontes.  Existem fortes indicativos de que as células eucariontes, caracteristicamente apresentando um elaborado sistema de membranas, originaram-se a partir de procariontes, por invaginações da membrana plasmática, provavelmente puxadas por proteínas contráteis existentes no citoplasma
  38. 38.  Sugestivas evidências apontam para o fato de que organelas responsáveis por processos ligados às transformações energéticas, como as mitocôndrias e os cloroplastos, surgiram a partir de bactérias que foram fagocitadas.
  39. 39.  As células tronco, células mães ou células estaminais são células que possuem a melhor capacidade de se dividir dando origem a células semelhantes às progenitoras.  São encontradas em células embrionárias e em vários locais do corpo, como no cordão umbilical, na medula óssea, no sangue, no fígado, na placenta e no líquido amniótico. Objetivos  O principal objetivo das pesquisas com células-tronco é usá-las para recuperar tecidos danificados por doenças e traumas.  Utilizá-las em terapias de combate a doenças cardiovasculares, neurodegenerativas, diabetes, acidentes cerebrais, doenças hematológicas, traumas na medula espinhal.
  40. 40.  Células-tronco embrionárias (CTE): São encontradas no embrião humano e são classificadas como totipotentes ou pluripotentes, devido ao seu poder de diferenciação celular de outros tecidos.  Células-tronco adulta (CTA): São encontradas em diversos tecidos, como a medula óssea, sangue, fígado, cordão umbilical, placenta, e outros. Classificação quanto à capacidade  Totipotentes  Multipotentes
  41. 41.  A clonagem é um processo de reprodução assexuada onde se tem a produção de indivíduos geneticamente iguais a partir de uma célula- mãe.  A primeira experiência com clonagem de animais ocorreu no ano de 1996, na Escócia, no Instituto de Embriologia Roslin. O embriologista responsável foi o doutor Ian Wilmut. Ele conseguiu clonar uma ovelha, batizada de Dolly. Após esta experiência, vários animais foram clonados, como por exemplo, bois, cavalos, ratos e porcos.
  42. 42.  Resumidamente, os passos individuais no procedimento de transferência nuclear incluem:  Preparação de um ovócito enucleado (citoplasto).  Isolamento da célula doadora ou do núcleo doador.  Ativação do citoplasto.  Fusão celular para produzir um embrião reconstituído.  Cultura do embrião.  Transferência do embrião para um útero hospedeiro.
  43. 43.  A clonagem molecular consiste na difusão de moléculas de DNA idênticas e baseia-se na propagação natural de células ou indivíduos geneticamente idênticos ao inicial.
  44. 44.  A clonagem gênica consiste em duas etapas básicas:  a) Na primeira etapa faz-se a ligação entre um fragmento de DNA, chamado inserto, contendo o gene de interesse com outra molécula de DNA, o vetor, para formar uma quimera ou molécula de DNA recombinante (figura 4) (BROWN, 2003)
  45. 45.  b) Na segunda etapa, a molécula de DNA recombinante é transportada para dentro de uma célula hospedeira, em geral uma bactéria, ocorrendo o processo de transformação. A célula que recebeu o DNA recombinante é chamada de célula transformada, a qual sofre muitos ciclos de divisão, produzindo várias cópias do DNA recombinante, como pode ser visto na Figura abaixo.
  46. 46.  A técnica de DNA recombinante é um importante mecanismo de inserção gênica em bactérias, com esse processo é possível produzir diversas substâncias em larga escala. Se formos capazes de inserir um gene humano em uma bactéria, ela conseguirá produzir proteínas humanas utilizando seus ribossomos e aminoácidos próprios? A resposta é SIM! As bactérias só não produzem algumas proteínas humanas por não terem a "receita", ou seja o gene humano, no seu genoma natural.
  47. 47.  As bactérias já possuem normalmente a capacidade de inserir um fragmento de DNA do meio ambiente no seu próprio genoma, elas também conseguem cortar alguns fragmentos de DNA que possam ser inseridos dentro dela, por exemplo quando um vírus introduz seu DNA viral na bactéria hospedeira. Essas enzimas são chamadas de enzimas de restrição, conhecidas também como endonucleases, pois quebram por meio de hidrólises esses materiais genéticos que ela incorpora ou são introduzidos nela por meio de um vetor.
  48. 48.  As enzimas de restrição irão clivar (cortar) tanto do plasmídio quanto o gene de interesse.  Posteriormente eles irão se ligar em algumas sequências complementares, gerando um novo plasmídio  transgênico, contento o gene de interesse inserido no genoma original. Qual será o resultado desses 3 itens juntos? Enzimas de restrição + gene de interesse isolado + Plasmídio bacteriano:
  49. 49. A biotecnologia tem como principais técnicas: cultura de tecidos vegetais, clonagem, transgênicos, terapia gênica. Biotecnologia é o conjunto de conhecimentos que permite a utilização de agentes biológicos (organismos, células, organelas, moléculas) para obter bens ou assegurar serviços.
  50. 50.  Cultura de tecido vegetal  Transgênicos
  51. 51.  Baseia-se na capacidade que a planta tem de dar origem a uma nova planta, a partir de qualquer parte dela, por meio da ativação e da repressão de genes. Isto chama-se totipotência celular.
  52. 52.  A cultura de tecidos vegetais tem como principais utilidades:  obter plantas livres de doenças;  multiplicar rapidamente um grande número de plantas;  obter híbridos que não podem ser obtidos pela polinização natural;  fundir células de origens diferentes; Utilidades
  53. 53.  Transgênicos: Umas das áreas da biotecnologia é a produção de alimentos transgênicos. Esse processo é realizado pela engenharia genética.  Os alimentos transgênicos apresentam seus pontos negativos e positivos. Ambientalistas apontam que os alimentos transgênicos podem causar impactos irreversíveis ao meio ambiente.
  54. 54. Os organismos geneticamente modificados (OGMs), ou transgênicos, são aqueles que tiveram genes estranhos, de qualquer outro ser vivo, inseridos em seu código genético. O processo consiste na transferência de um ou mais genes responsáveis por determinada característica num organismo para outro organismo ao qual se pretende incorporar esta característica
  55. 55.  Pontos positivos  Aumento da produção  Maior resistência à pragas (vírus, fungos, bactérias e insetos)  Resistência aos agrotóxicos  Aumento do conteúdo nutricional  Maior durabilidade e tempo de estocagem  Pontos negativos  A seleção natural tende a ser maior nas plantas que não são transgênicas.  Eliminação de populações naturais de insetos, animais e outras espécies de plantas.  Aumento de reações alérgicas em determinadas pessoas
  56. 56. Exemplo de planta transgênica Luciferina
  57. 57. FIM!! OBRIGADO!!

×