Teoria urbanismo-25-26 fev2011
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Teoria urbanismo-25-26 fev2011

on

  • 2,332 views

 

Statistics

Views

Total Views
2,332
Views on SlideShare
2,332
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
98
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Teoria urbanismo-25-26 fev2011 Presentation Transcript

  • 1. Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim AméricaARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 2. Universidade Católica de Goiás DEPARTAMENTO DE ARTES E ARQUITETURA CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMOESCOLA DE ARQUITETURA E URBANISMO PROF. EDGAR ALBUQUERQUE GRAEFF PROJETO III: - PR III / ARQ-1023 23-24-25/AGO/2011 Palestrante: Profº. Arq./Urb. Ms. Roberto Cintra Campos Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim América ARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 3. Intervenção Urbano/Paisagística na Escala da Quadra: Setor Oeste Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim América ARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 4. Antecedentes HistóricosA Cidade Jardim/urbanização sustentávelA Carta de Atenas/Unidade de Habitação Urbanismo Contemporâneo Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim América ARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 5. Gustave Doré – Dudley street - Londres A Revolução Industrial Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim América ARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 6. Cidade Linear “ (...) o tipo de cidade quase perfeita será aquela que se estendeArturo Soria ao longo de uma única via, com uma largura de 500 metros, e que se estenderá, se necessário de Cádiz a São Petersburgo, de1882 Pequim a Bruxelas.” Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim América ARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 7. Cidade Linear “ (...) o tipo de cidade quase perfeita será aquela que se estende ao longo de uma única via, com uma largura de 500Arturo Soria metros, e que se estenderá, se necessário de Cádiz a São1882 Petersburgo, de Pequim a Bruxelas.” Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim América ARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 8. Tony GARNIER Cidade Industrial 1917 A Cidade IndustrialIntervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim AméricaARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 9. Tony GARNIER Cidade Industrial 1917 - projeto Projetada para 35000 habitantes, a cidade industrial antecipava alguns princípios da Carta de Atenas do CIAM de 1933. A proposta era, sobretudo de uma cidade socialista sem muros ou propriedade privada, onde todas as áreas não construídas eram parques públicos.Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim AméricaARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 10. Ebenezer HowardCidade Jardim1917 - projetoO conceito de “cidade jardimforma-se no ambiente britânicono final do século XIX, naprocura de soluções para ocrescimento das grandescidades.Livro publicado por Ebenezer Howard:Garden Cities of Tomorrow. Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim América ARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 11. Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim AméricaARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 12. Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim AméricaARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 13. Cidade Jardim de Horward 1. Jardim (12 hectares), 2. Prefeitura, 3. Sala de concertos, 4. Teatro, 5. Biblioteca, 6. Hospital, 7. Museu, galeria de arte, 8. Parque central, 9. Palacio de cristal. 10. 5a Avenida, 11. 4a Avenida, 12. Rua Milton, 13. Grande Avenida, 14. Boulevard Colombo, 15. 1a Avenida, 16. Indústrias, 17. Serviços, 18. Escola, 19. 2a Avenida, 20. Loteamentos, granjas, 21. Ferrovia principal, 22. Ferrovia Circular, 23. Boulevard Newton, 24. Rua Shakespeare, 25. Rua Edison, 26. Rua Froesel, 27. Rua Kelvin, 27. Estação fer-roviária Fonte: Celson FerrariIntervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim AméricaARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 14. As "cidades-jardim" de Welwyn e Letchworth (Inglaterra), implantadas na primeira década do século XX, representam a um só tempo o início de um tratamento sistemático de zoneamento do uso do solo, a concepção de um novo ambiente residencial de baixa densidade e a idéia de preservação de áreas verdes circunvizinhas, conforme preconizado por Howard. Elas tiveram grande sucesso e iriam influenciar o urbanismo em numerosos países, após a I Guerra Mundial, inicial-mente nos países anglo-saxões, em parte estimulados pela dissemi-nação do automóvel particular …Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim AméricaARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 15. Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim AméricaARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 16. Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim AméricaARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 17. Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim AméricaARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 18. Planta setorial de WelwynFonte: Ernest Benn Ltd. Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim América ARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 19. Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim AméricaARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 20. Unidade de Vizinhançao conceito da "unidade de vizinhança" surgiu da preocupação desociólogos e de Clarence A. Perry com a ausência demelhoramentos físicos e das condições sociais nas áreasmetropolitanas dos Estados Unidos no início do século XX.A "unidade de vizinhança" é definida como um conjunto dehabitações cuja área circundante deve ser organizada de tal formaque restrinja a influência crescente e perturbadora do tráfegomotorizado. A "unidade de vizinhança", por conseguinte, só deveconter habitações e serviços subsidiários tais como escolaprimária, parque e lojas locais. Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim América ARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 21. A "unidade de vizinhança" tornou-se oconceito de planejamento urbano maisdifundido no mundo."Radbum", uma comunidade projetadapor Clarence Stein e Henry Wrigth nadécada de 30, baseado na "unidade devizinhança", tornou-se sinônimo decomunidade residencial da era doautomóvel. Nesse plano, as ruasresidenciais do tipo "cul-de-sac" (ruasem saída) tomaram-se ruas de serviçoem vez de vias de tráfego. As casaseram invertidas, com a sala abrindo-separa o jardim de fundo. Os jardinsligavam-se ao parque comunitário deespaço contínuo servido por caminhosde pedestre, permitindo alcançar aescola primária sem atravessar uma Radbrum, New Jersey (modelo de unidade vicinal) A. Shopping Center, B. Grupo de apartamentos, C. Escola, D -única rua. Área Verde Fonte: Clarence Stein e E.H. Wirigth, 1932 Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim América ARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 22. Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim AméricaARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 23. Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim AméricaARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 24. O traçado obedece às seguintes diretrizes:O tamanho da "unidade" não deveultrapassar um raio de 1/4 (um quarto)a 1/2 (meia) milha a partir da escolalocalizada no centro. A área total éproporcional à densidade populacional; Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim América ARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 25. As vias arteriais de contorno dacomunidade devem ser suficientementelargas para permitir a ultrapassagem dotráfego de passagem e, também, servircomo identificação da área;O espaço verde aberto deve constituir10% da área total;As instituições a servir exclusivamentea "unidade" devem ser agrupadas nocentro; Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim América ARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 26. As lojas devem servir umaárea maior e serem agrupadasna "periferia", perto das lojas deoutra "unidade";O sistema de vias internasdeve ser traçado de modo adesencorajar a circulação depassagem, com ruas individuaisrefletindo no tamanho o volumede seu tráfego; Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim América ARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 27. Os princípios da Carta de Atenas (CIAM, 1933) Os princípios são: A cidade funcional. Uma série de regras para processo de planejamento. Princípios do zoneamento: morar, trabalhar, recrear e circular.Estabelecimento da melhor densidade de população, a melhor orientação do habitat, regras para implementação. Uso da moderna tecnologia. A elevação dos edifícios por pilotis, estabelecendo a paisagem livre. Distância mínima entre viver e áreas de funcionamento. A zona industrial separa-se da habitação Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim América ARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 28. Ville Radieuse – Lecorbusier / Cidade Funcionalista A formulação teórica da Ville Radieuse, apresentada no TerceiroCIAM, 1930 e reproduzida em 1933: Abandona o binômio Casa-ruaCriação da função pura: alojamento Estabelecimento de uma serie de rédent Forma do rédent suscetível de variedade BENEVOLO (1980, p 16-17): Figura nº 02: Ville Radieuse – Le Corbusier Fonte: http://expositions.bnf.fr/utopie/grand/4_59.htm Acesso em: 04/ABR/2005 Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim América ARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 29. Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim AméricaARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 30. Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim AméricaARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 31. Figura nº 03: Ville Radieuse – Le CorbusierFonte: http://home.worldonline.dk/jgkjelds/urban.htmlAcesso em: 04/ABR/2005 Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim América ARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 32. Chandigarh / India – Le Corbusier Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim América ARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 33. 1948/1949:Proposta de Le Corbusier para Chandigarh - India Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim América ARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 34. Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim AméricaARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 35. Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim AméricaARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 36. PLANO URBANíSTICO DE BRASÍLIA Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim América ARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 37. Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim AméricaARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 38. Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim AméricaARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 39. O “símbolo do progresso”, a cidadeindustrial e cidade-jardim, leva osurbanistas a um modelo que buscaa recuperação higiênica dascidades através do modo de habitar“campo-cidade”. O que “garantiu” e “harmonizou” os modos de morar, trabalhar, recrear e circular, com umideal da higiene e eficiência tecnológica. “A cidade transforma-se-á, pouco a pouco, num parque,” antecipa Le Corbusier; e Gropiusacrescenta: O objetivo do urbanista deve ser o de criar entre a cidade e o campo um contatocada vez mais estreito”[1]. Assim somos levados aos conceitos de “cidade-jardim” vertical de LeCorbusier e da urbs in horta de Hilberseimer. (CHOAY, 2003, p. 22)[1] LE CORBUSIER, Manière de penser l’urbanisme, p. 86. GROPIUS, loc. Cit., p. 100. apud (CHOAY, 2003) Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim América ARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 40. Lucio COSTA Plano Piloto Brasília – 1957 Superquadras Serviços comuns: 1. cinema 2. lojas 3. igreja 4. escola ao ar livre 5. parque 6. escola 7. parque infantilIntervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim AméricaARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 41. Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim AméricaARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 42. URBANISMO NO BRASIL Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim América ARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 43. BELO HORIZONE GOIÂNIA BRASÍLIA Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim América ARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 44. PLANOAttílio Corrêa Lima Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim América ARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 45. Armando de Godoy foi o autorintelectual das idéias desenvolvidaspara a zona residencial do Setor Sul.Teve o auxílio do Eng. SanitarístaWerner Sonemberg. PLANO Armando de Godoy Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim América ARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 46. Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim AméricaARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 47. PLANO DE GOIÂNIA – CENTRO 1960 Tecidos urbanos que compõem Goiânia nos anos 1960 Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim América ARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 48. Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim AméricaARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 49. Figura nº XX – Paris 1575 Figura nº XX – Paris 2006Fonte: http://www.guide-de-paris.org/ Fonte: http://www.guide-de-paris.org/Acesso em: 15/JUL/2006 Acesso em: 15/JUL/2006 Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim América ARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 50. Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim AméricaARQ-1023 PRIII Goiânia-GO
  • 51. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASCHOAY, Françoise. (1979) O urbanismo utopias e realidades: antologia. Perspectiva, São Paulo.CULLEN, G. The Concise Townscape , Architectural Press, London , 1960.DEL RIO, Vicente – Introdução ao Desenho Urbano no Processo de Planejamento. São Paulo: PINI, 1990.FERNANDES, António Manuel C. P. Clima, homem e arquitetura. Goiânia: Tilhas Urbanas, 2006.GONÇALVES, Alexandre Ribeiro. Goiânia: uma modernidade possível. Brasília: Ministério da Integração Nacional: Universidade Federal de Goiás, 2002.HALL, P. (1988). Cities of tomorrow. Oxford: Blackwell.HOWARD, E.; Garden Cities of To-morrow. Londres, Faber and Faber Ltd., 1946 (1898). Cidades-Jardins de Amanhã. Edição brasileira pela Hucitec, com introdução de Dácio Ottoni, 1996.LAMAS, José M. Ressano Garcia. (1992). Morfologia urbana e desenho da cidade. Lisboa, Tese (Doutorado) – Fundação Calouste Gulbenklan, Junta nacional de Investigação Científica e Tecnologia.LYNCH, K. (1960). The image of the city. Cambridge, MA: MIT Press.SPIRN, A. W. (1984). The granite garden. New York: Basic BooksMANSO, Celina Fernandes Almeida. Goiânia: uma concepção urbana, moderna e contemporânea – um certo olhar. Goiânia: Edição do Autor, 2001.MASCARÓ, Juan Luis – Desenho Urbano e Custos de Urbanização. Luzzatto, São Paulo, 1989.MASCARÓ, Juan Luis – Manual de Loteamentos e Urbanização, Sagra, 2003.RIBEIRO, Maria Eliana Jobé. Goiânia: os planos a cidade e o sistema de áreas verdes. Goiânia: Ed. UCG, 2004.ROMERO, Marta, Arquitectura Bioclimatica do Espaço Publico, Ed. Universidade de Brasília, Brasília 2001ROMERO, Marta. Princípios Bioclimáticos para o Desenho Urbano. São Paulo, Projeto, 1988.SANTOS, Carlos Nelson F. dos. A cidade como um jogo de cartas. Niterói, UFF; São Paulo, Projeto Editores, 1988.http://www.arq.ufsc.br/historiaaa2/aulas/aula2.ppt Intervenção Urbano/Paisagística na escala da Quadra – Jardim América ARQ-1023 PRIII Goiânia-GO