Os Papas Do Seculo Xx
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
6,930
On Slideshare
6,907
From Embeds
23
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
39
Comments
0
Likes
0

Embeds 23

http://world-jogos-1.blogspot.com.br 23

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Os Papas do Século XX O nosso século conheceu o trabalho apostólico e pastoral de nove papas, todos firmes propagadores da fé, da conversão e da fidelidade a Cristo e à Igreja, cujo trabalho é o de “confirmar seus irmãos na fé”. (Lc 22,31 e ss). Os papas são testemunhas vivas dos apóstolos e sucessores de São Pedro, o primeiro papa. Leão XIII (1878-1903) O primeiro papa do nosso século foi Leão XIII (1878-1903), eleito, na verdade, no século XIX e que, cruzando o limiar de nosso século atual, veio a falecer em 1903. Seu nome de Batismo era Gioacchino Vincenzo de Pecci. Nasceu em 2 de março de 1810, junto a Anagni. Foi ordenado padre em 1837 e desempenhou, entre outras funções, as de núncio em Bruxelas e bispo na Perúgia. Em 1853 tornou-se cardeal. Tinha grande conhecimento dos problemas trazidos pela industrialização e pela forma parlamentar de governo. Era um homem muito afável e de grande formação intelectual. Leão XIII foi o grande papa das encíclicas sociais. Foi o autor do primeiro texto social da Igreja, a encíclica “Rerum Novarum”, que fala sobre a relação entre capital e trabalho. Leão XIII suportou com grande firmeza as lutas desencadeadas contra a Igreja pelo Estado italiano recém unificado. Morreu com 93 anos, em 20 de julho de 1903. Foi, com certeza, uns dos mais importantes papas do começo do nosso século, e sua forte personalidade se estendeu por todo o século XX. Pio X (1903-1914) Após a morte de Leão XIII, foi eleito o grande Papa Pio X (1903-1914). Pio X foi o Papa que estabeleceu as diretrizes do novo Código de Direito Canônico. Sua santidade, manifestada pela sua alta espiritualidade, foi reconhecida pelo seu sucessor Pio XII, que o canonizou. Seu nome de Batismo era Giuseppe Sarto e foi filho de um pequeno agricultor. Nasceu em Veneza em 2 de junho de 1835.Depois de atuar como capelão e pároco foi cônego de Treviso em 1875. Em 1884 foi ordenado bispo e assumiu o pastoreio em Mântua. Em 1893 foi nomeado Patriarca de Veneza e feito cardeal. Ali promoveu a reforma da diocese, na qual desejava servir como cura de almas. Também como papa, promoveu diversas reformas no seio da Igreja. Assim, por exemplo, estabeleceu as diretrizes do novo Código de Direito Canônico, reformulou a música sacra, o breviário e introduziu a comunhão para crianças de 7 anos ou mais. Reorganizou também o Tribunal Eclesiástico, a conhecida “Rota Romana”. Pio X lutou bastante contra o chamado “modernismo” dentro da Igreja. Ficou conhecido como o Papa da Eucaristia. Em agosto de 1914 conclamou os povos para um período de vigília e orações pela ameaça da guerra que rondava a Europa. Após sua morte, ocorrida em 20 de agosto de 1914, começo da Primeira Guerra, foi substituído pelo Papa Bento XV.
  • 2. Bento XV (1914-1922). Bento XV foi o papa da primeira guerra mundial. Lutou firmemente contra o pavoroso conflito, escrevendo cartas aos dirigentes dos países beligerantes, onde enfatizava a opção pacífica do conflito, através do diálogo. Seu nome de batismo era Giacomo Marchese della Chiesa. Nasceu em 21 de novembro de 1854, em Gênova, e foi ordenado padre em 1878. Exerceu importantes funções no serviço diplomático pontifício. A partir de 1907, foi arcebispo de Bolonha. Foi feito cardeal no mesmo ano de sua eleição papal, em 1914. Levou em frente a elaboração do Código de Direito Canônico, iniciada pelo seu antecessor Pio X. Bento XV formulou um grande sistema de ajuda aos combatentes, para mitigar os efeitos da guerra, como troca de feridos, acolhimento e ajuda aos prisioneiros de guerra, fornecimento de alimentos etc. Formulou insistentes pedidos de paralisação das hostilidades, que suscitaram importantes debates na comunidade internacional, porém, sem resultados práticos, infelizmente. O grande pontífice morreu em 22 de janeiro de 1922, após oferecer sua vida pela paz do mundo. Bento XV obteve reconhecimento internacional como o Papa da Justiça e da Paz. Após seu falecimento, subiu ao trono de São Pedro o Papa Pio XI. Pio XI (1922-1939) Pio XI foi eleito no conclave em 6 de fevereiro 1922, e reinou até sua morte, ocorrida no dia 10 de fevereiro de 1939. Foi o papa que fez o famoso acordo de Latrão com o governo italiano, onde este reconheceu a independência do Estado do Vaticano. Lutou muito contra os regimes totalitários, como o comunismo e fez diversas críticas ao fascismo, tanto italiano como alemão. Foi o grande inspirador da “Ação Católica”, que congregava jovens e adultos, para a grande tarefa de evangelização em todo o mundo. Seu nome de batismo era Achille Ratti. Nasceu em 31 de maio de 1857, em Desio, próximo de Monza. Achille Ratti foi professor no seminário sacerdotal de Milão. Em 1907, tornou-se prefeito da Biblioteca Ambrosiana e, em 1914, prefeito da Biblioteca do Vaticano. Foi ainda visitador apostólico na Polônia em 1918 e, em 1919, foi núncio nesse país. Em 1921, tornou-se arcebispo de Milão e cardeal. Como papa teve, entre um de seus principais objetivos, o de curar as terríveis feridas abertas pela primeira guerra. Escreveu diversas encíclicas, como sobre o matrimônio cristão, (Casti Conubii), e sobre as questões sociais de sua época, (Quadragésimo Anno). Pio XI fez diversas beatificações e canonizações, como as de Tereza do Menino Jesus, Pedro Canísio, Dom Bosco, Cura d’Ars, entre outros. Seus últimos dias foram de tristeza pela sombria proximidade de um novo conflito europeu. Pio XI sofreu muito com a perseguição da Igreja feita pelo governo da Alemanha. Após sua morte, foi substituído pelo Papa Pio XII, que era, até então, seu secretário de Estado. Pio XII (1939-1958) Seu nome de batismo era Eugenio Pacelli. Nasceu a 2 de março de 1876, em Roma. Foi ordenado bispo no dia 13 de maio de 1917, no mesmo dia da famosa aparição de Nossa Senhora de Fátima, em Portugal. Foi núncio apostólico em Munique e, em 1920, núncio em Berlim. Seu lema era: “A paz é obra da justiça”.A partir de 1932 foi secretário de Estado de Pio XI, até sua eleição como papa em março de 1939. O Papa Pio XII teve um grande e
  • 3. profundo pontificado. Percebendo a aproximação da guerra, escreveu cartas aos grandes mandatários das nações européias, insistindo numa solução pacífica para os conflitos daquele momento. Às vésperas do conflito, em agosto de 1939, Pio XII insistiu publicamente pela paz, chamando todos os povos a uma tomada de consciência sobre o verdadeiro caráter da guerra. Durante o conflito, o papa continuou fazendo diversos apelos à paz. Procurou manter Roma longe do conflito e deu asilo a mais de 5000 judeus em diversos conventos, mosteiros e no próprio vaticano. Em1942, fez a consagração do mundo ao Imaculado Coração de Maria. Na verdade, Pio XII foi um papa profundamente devoto de Maria Santíssima. Proclamou, no ano de 1950, o Dogma da assunção de Maria aos céus em corpo e alma. Homem de muita comunicação, utilizou-se do rádio para a difusão da fé e da cultura cristã. São muito conhecidas as suas “rádio-mensagens” sobre os problemas do mundo atual. Pio XII fez 33 canonizações, entre as quais a de Pio X. Morreu em 9 de outubro de 1958. Seu pontificado foi um dos grandes períodos da Igreja no século XX. João XXIII (1958-1963) O Papa João XXIII foi eleito dia 28 de outubro de 1958, já com a idade de 77 anos. Esteve à frente da Igreja por apenas 5 anos. Seu nome era Angelo Giuseppe Roncalli e nasceu em Sotto il Monte, de uma pobre e numerosa família. Foi ordenado sacerdote em 1904, no mesmo ano em que se doutorou em teologia. Foi professor de História da Igreja e Patrística no Seminário de Bérgamo. Serviu como soldado, no corpo de saúde, na primeira guerra mundial e depois como capelão militar. Foi ainda visitador apostólico na Bulgária quando foi ordenado bispo e, em seguida, na Grécia e na Turquia. A partir de 1944, foi núncio na França. A partir de 1951, foi também observador na UNESCO, em Paris. Em 1953, tornou- se Patriarca de Veneza e, em seguida, cardeal. Sua principal tarefa como papa foi a convocação do Concílio Vaticano II, realizado por ele e por seu sucessor, o Papa Paulo VI. O concílio se reuniu de 1962 a 1965, em Roma. Também deu as primeiras instruções para a elaboração do novo Código de Direito Canônico, terminado e promulgado pelo atual pontífice João Paulo II. Ficou conhecido por sua grande simpatia e sua abertura para com os grandes temas da atualidade no mundo. Morreu em 3 de junho 1963, sendo substituído pelo Papa Paulo VI. Paulo VI (1963-1978) Paulo VI foi o papa que conduziu a maior parte do Concílio Vaticano II, que terminou em 1965. Giovanni Batista Montini nasceu em Bréscia, em 26 de setembro de 1897, e foi ordenado sacerdote em 1920, ingressando no serviço diplomático da Santa Sé. Em 1923, encontrava-se na nunciatura de Varsóvia e, em 1924, exerceu funções no secretariado de Estado. No ano de 1937, tornou-se subsecretário de Estado, com o que passou a ser um íntimo colaborador de Pio XII. No dia 1º de novembro de 1954, foi nomeado arcebispo de Milão e, no primeiro consistório de João XXIII, foi feito cardeal. Foi eleito Papa Paulo VI em 30 de junho de 1963 e como pontífice, desenvolveu uma grande atividade, conduzindo o concílio Vaticano II. Fez inúmeras encíclicas e diversas reformas no seio da cúria
  • 4. romana. Em 1968, para coibir abusos no seio da Igreja pós-conciliar, elaborou o chamado “Credo do povo de Deus”. Paulo VI foi o primeiro papa a viajar pelo mundo. Visitou Jerusalém em 1964. Foi à Fátima em 1967 e compareceu ao Congresso Eucarístico de Bogotá em 1968. Antes havia ido a Bombaim, Índia, no ano de 1964. Visitou a sede das Nações Unidas, em Nova York, onde fez importantes intervenções e discursos. Após longa doença, o Papa Paulo VI morreu em 6 de agosto de 1978. João Paulo I (1978-1978) O Papa João Paulo I foi o papa de mais breve governo na Igreja dos últimos séculos. Ficou conhecido como o “Papa do Sorriso”, pois tinha sempre um sorriso cativante e animador. Governou a Igreja por apenas um mês. Seu nome de batismo era Albino Luciani, e foi eleito papa em 26 de agosto de 1978. Albino Luciani nasceu em Canale d’Agordo, em 17 de outubro 1912. De origem pobre, teve que suportar muitas privações pessoais, pois seu pai era um simples trabalhador. Luciani foi ordenado sacerdote em 1935 e após dois anos de docente e cura de almas em Belluno, foi ordenado Bispo de Vittorio Veneto em 1958. No ano de 1969 foi nomeado Patriarca de Veneza e, em 1973, foi feito cardeal. Não teve tempo de escrever encíclicas ou qualquer outro documento pontifício, mas fez algumas importantes intervenções verbais. Sua morte súbita foi um grande choque para todos os católicos e todos os homens de boa vontade do mundo. João Paulo II (1978-....) O atual Pontífice Romano é o primeiro papa não italiano, desde Alexandre VI, que era espanhol. Nasceu em Wadowice, na Polônia, em 18 de maio de 1920. Foi ordenado sacerdote em 1946, e trabalhou como padre comum em Cracóvia, onde há uma Universidade na qual continuou seus estudos. Em 1958 tornou-se bispo e, em 1964, arcebispo de Cracóvia. No conclave de 16 de outubro de 1978, foi eleito papa. João Paulo II foi o papa que mais viagens fez ao exterior, conhecendo dezenas de países. Elaborou um conjunto muito grande de encíclicas e outros documentos pontifícios. Foi também o primeiro papa a visitar o Brasil, o que já fez por três vezes. Ajudou na queda dos regimes comunistas do leste europeu, começando pela própria Polônia. Elaborou o novo Código de Direito Canônico e o novo Catecismo de adultos da Igreja Católica. Sofreu um violento atentado na praça de S. Pedro em 1981, que quase lhe custou a vida. É um grande devoto de Maria Santíssima e grande incentivador de sua devoção. Há mais de 21 anos à frente do Magistério Romano, o Papa João Paulo II é o Pontífice que mais tempo ficou como chefe da Igreja neste presente século. Entre suas encíclicas mais conhecidas destacam-se: “Veritatis Esplendor”, sobre a verdade da Revelação, (1992); “Redemptor hominis”, (1979), sobre o Nosso Divino Salvador; “Familiares Consortios”, (1980), sobre a família e
  • 5. o casamento cristão, entre outras. Nosso atual pontífice é um grande dom de Deus para a Igreja deste fim de século.