• Save

Loading…

Flash Player 9 (or above) is needed to view presentations.
We have detected that you do not have it on your computer. To install it, go here.

Like this presentation? Why not share!

Os mandamentos de como viver bem com os outros

on

  • 41,258 views

 

Statistics

Views

Total Views
41,258
Views on SlideShare
41,172
Embed Views
86

Actions

Likes
1
Downloads
0
Comments
1

1 Embed 86

http://www.slideshare.net 86

Accessibility

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel

11 of 1

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Os mandamentos de como viver bem com os outros Os mandamentos de como viver bem com os outros Presentation Transcript

    • PRIMEIRO MOMENTO – FAÇA UMA AUTO-CRÍTICA APONTANDO SUAS FALHAS E QUALIDADES. DESCREVA QUAL DEVERIA SER O SEU COMPORTAMENTO PARA MELHORAR SUA MANEIRA DE AGIR. LEIA ABAIXO E ANALISE. OS MANDAMENTOS DE COMO VIVER BEM COM OS OUTROS Respeitar o próximo como ser humano. 1. Evitar cortar a palavra de quem fala; esperar a sua vez. 2. Controlar as suas reações agressivas, evitando ser indelicado ou mesmo irônico. 3. Procurar conhecer melhor os membros do seu grupo, a fim de compreendê-los e de 4. se adaptar à personalidade de cada um. Procurar a causa de suas antipatias, a fim de vencê-las. 5. Estar sempre sorridente. 6. Procurar definir bem o sentido das palavras, no caso das discussões em grupo, para 7. evitar mal entendidos. Ser modesto nas discussões; pensar que talvez os outros tenham razão e, se não, 8. procuar compreender-lhes as razões. Tenha controle de sua língua. Sempre diga menos do que pensa. Cultive uma voz 9. baixa e suave. A maneira como se fala, muitas vezes impressiona muito mais do que aquilo que se fala. Pense antes de fazer uma promessa e depois não dê importância ao que lhe custa. 10. Nunca deixe passar uma oportunidade para dizer um coisa meiga e animadora a uma 11. pessoa ou a respeito dela. Tenha interesse nos outros, em suas ocupações, seu bem estar, seus lares e 12. famílias. Seja alegre com os que riem e lamente com os que choram. Deixe cada pessoa com quem encontra, sentir que você lhe dispensa importância e atenção. Seja alegre. Conserve para cima os cantos da boca. Esconda as suas dores, seus 13. desapontamentos e inquietações sob um sorriso. Ria de histórias boas e aprenda a contá-las. Conserve a mente aberta para todas as discussões. Investigue mas não argumente. É 14. marca de ser superior discordar e ainda conservar a amizade. Deixe as suas virtudes falarem por si mesmo e recuse a falar das faltas e fraquezas 15. dos outros. Desencoraje murmúrios. Faça uma regra de só falar coisas boas aos outros. Tenha cuidado com os sentimentos dos outros. Gracejos e humor não valem a pena e 16. freqüentemente magoam quando menos se espera. Não faça questão com observações más a seu respeito. Só viva de modo que 17. ninguém as acredite. Nervosismo e indigestão são causas comuns ao mal entendido. Não seja tão ansioso a respeito de seus direitos. Trabalhe, tenha paciência, conserver 18. seu temperamento calmo, esqueça de si mesmo e receberá sua recompensa.
    • CONTROLE DE SI MESMO Para muitos o controle de si mesmo é difícil, inicialmente, mas aos poucos se torna um hábito muito útil para melhorar as relações humanas. CONHECER A SI MESMO Antes de culparmos os outros, numa situação conflitiva, é recomendável analisar-se com o cuidado necessário, a fim de verificar se a causa do atrito não provém de nosso próprio temperamento ou da nossa formação. É importante sabermos se somos tímidos, introvertidos, reservados ou se, pelo contrário, somos sociáveis, amáveis, serviçais e afetivos, ou ainda, agressivos, combativos, enérgicos e autoritários. Existem pessoas que reúnem todos esses temperamentos, dependendo apenas das circunstâncias e do momento. O INSTINTO COMBATIVO O instinto combativo pode levar, por exemplo, à formação de grupo individuais com o único fim de lutar contra outros.
    • CORDIALIDADE E HARMONIA Consideremos a responsabilidade que nos cabe na manutenção da harmonia e da • cordialidade que devem existir dentro do grupo. Tudo o que diz respeito aos outros é importante. • Podemos abrir um crédito aos companheiros, mas é bom evitar demasiada intimidade • quando não se conhece profundamente a pessoa. Procuremos receber bem o colega que se inicia no grupo. • FALAR E OUVIR Procuremos não participar de contendas verbais, principalmente sobre política e • religião, afinal cada um tem o direito de ter sua opinião. Evitemos o “disse-que-disse”, convém obtermos informações na fonte de origem. • Procuremos ouvir aos outros com a atenção que gostaríamos que nos ouvissem. • SENTIMENTOS E EMOÇÕES Procuremos não falar ou agir sob pressão emocional; o melhor é acalmarmo-nos • primeiro. Evitemos andar sempre nos queixando de coisas, fatos ou pessoas. • Quando com as explosões, lembre-se: elas podem nos “queimar” também. • Procuremos não deixar que nossas decisões ou juízos se baseiem em simpatias ou • antipatias pessoais. “SE VOCÊ ACHA QUE AINDA ESTÁ FALTANDO ALGUM PONTO PARA MELHORAR, VOCÊ TEM BASTANTE POSSIBILIDADE PARA ISSO, BASTA CONHECER A SI MESMO.”