É uma classe de atividades que  utiliza   seres humanos  como unidade de análise, cujo objetivo é desenvolver ou contribui...
INCLUI : 1.   Estudos de um processo fisiológico,bioquímico ou patológico ou a resposta a uma intervenção específica - sej...
3.   Estudos desenhados para determinar as conseqüências, para indivíduos e comunidades, de medidas terapêuticas ou preven...
PESQUISA <ul><li>1. Formulação do problema </li></ul><ul><li>2. Hipóteses para a resolução </li></ul><ul><li>3. Coleta de ...
A PERGUNTA DA PESQUISA (DÚVIDA) Tipos de estudos Tipo de  variáveis Testes mais  adequados da análise estatística  Tamanho...
PESQUISA <ul><ul><li>DELINEAMENTO DA PESQUISA </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Estudos observacionais  </li></ul></ul></ul><...
PESQUISA <ul><li>VARIÁVEL </li></ul><ul><ul><li>quantidade que pode interpretar diversos valores </li></ul></ul><ul><li>Va...
PESQUISA <ul><li>População e Amostra </li></ul><ul><li>“ É necessário definir, com precisão, a população à qual os resulta...
<ul><li>Amostra </li></ul><ul><ul><li>casual simples- seleção ao acaso </li></ul></ul><ul><ul><li>tabela de números aleató...
PESQUISA <ul><li>Tamanho da amostra </li></ul><ul><ul><ul><li>Amplitude do efeito que se quer observar. </li></ul></ul></u...
PESQUISA <ul><ul><li>Tamanho da amostra </li></ul></ul><ul><ul><li>EXPERIMENTO PILOTO </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>a var...
PESQUISA <ul><ul><li>DELINEAMENTO DA PESQUISA </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Estudo prospectivo </li></ul></ul></ul><ul><u...
ESTUDO RETROSPECTIVO hábitos de fumar e problemas respiratórios SELECIONAR GRUPO DE PESSOAS: Com problema respiratório Sem...
hábitos de fumar e problemas respiratórios PROCEDIMENTO SELECIONAR GRUPO DE PESSOAS: (com características similares) ESTUD...
PESQUISA <ul><ul><li>DELINEAMENTO DA PESQUISA </li></ul></ul><ul><ul><li>Quanto a coleta de dados </li></ul></ul><ul><ul><...
PESQUISA <ul><ul><li>DELINEAMENTO DA PESQUISA </li></ul></ul><ul><ul><li>Quanto à coleta </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Es...
PESQUISA <ul><ul><li>EXPERIMENTO </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Intervenção ativa do pesquisador </li></ul></ul></ul><ul><...
PESQUISA <ul><li>EXPERIMENTO </li></ul><ul><ul><li>“  Os experimentos são realizados para responder a uma pergunta em cond...
EXPERIMENTO <ul><ul><li>DELINEAMENTO DO EXPERIMENTO </li></ul></ul><ul><ul><li>1º Definição da unidade experimental </li><...
EXPERIMENTO <ul><ul><li>Grupo controle </li></ul></ul><ul><ul><li>grupo testemunha </li></ul></ul><ul><ul><li>nenhum proce...
PESQUISA <ul><li>Protocolo </li></ul><ul><ul><li>registro das informações obtidas </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>dos pacie...
PESQUISA <ul><ul><li>“  O ideal é que a pessoa que faz a medida não saiba a que GRUPO pertence o animal . Isto é denominad...
PESQUISA <ul><li>EXPERIMENTO </li></ul><ul><ul><li>“  Se nenhuma das pessoas envolvidas no experimento sabe a que GRUPO pe...
Paciente do estudo Critério de inclusão e  exclusão Randomização POPULAÇÃO Consentimento Tratamento B Tratamento A Desfech...
PESQUISA <ul><li>ESTUDOS COMPARATIVOS: testam-se 2 ou mais tratamentos  </li></ul><ul><li>Comparar aspirina e novo droga <...
PESQUISA <ul><li>ESTUDO DOSE-RESPOSTA </li></ul><ul><li>testar efeitos de diferentes doses de uma mesma medicação </li></u...
Acompanhamento Amostra Randomização Placebo  Limpeza Tratamento Placebo Limpeza Tratamento População . <ul><li>Estudo  cru...
Estudos observacionais   exploram ou descrevem fenômenos, sem intervenção ativa do pesquisador
Número de pessoas não fumantes COMPARA AS PROPORÇÕES ESTUDOS TRANSVERSAIS Amostra da população Contar: Número de pessoas f...
ESTUDO DE CASO CONTROLE Estudo retrospectivo .   Grupo de pessoas com doença – os casos Grupo de pessoas sem doença – os c...
ESTUDO  COORTE Tomar uma amostra da população. Verificar  quais pessoas apresentam o fator causal suspeito e quais não apr...
Acompanhamento Amostra Expostos Não expostos Com o desfecho Sem o desfecho Com o desfecho Sem o desfecho População <ul><li...
PESQUISA <ul><li>EXPERIMENTO </li></ul><ul><ul><li>“  Estatisticamente significante é a afirmação de que as diferenças obs...
PESQUISA <ul><li>EXPERIMENTO </li></ul><ul><ul><li>“  A Estatística responde à pergunta: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>A ...
Bibliografias de referência <ul><li>TURATO, ER. Tratado da metodologia da pesquisa clínico-qualitativa: construção teórico...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Quantitativa Ensinando 2010

3,709

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
3,709
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
55
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Quantitativa Ensinando 2010

  1. 1. É uma classe de atividades que utiliza seres humanos como unidade de análise, cujo objetivo é desenvolver ou contribuir para o conhecimento que possa ser aplicado em doentes ou indivíduos saudáveis em condições clínicas semelhantes. São pesquisas cujos resultados podem corroborar ou contrariar diretamente a prática clínica e utilizam variáveis clínicas irrefutáveis. PESQUISA CL ÍNICA
  2. 2. INCLUI : 1. Estudos de um processo fisiológico,bioquímico ou patológico ou a resposta a uma intervenção específica - seja física , química ou psicológica - em paciente ou participantes sadios (voluntários); 2. Testes controlados de medidas diagnosticas, preventivas ou terapêuticas em grupos maiores de pessoas, desenhados para demonstrar uma resposta generalizável específica àquelas medidas, comparada com os limites da variação biológica individual;
  3. 3. 3. Estudos desenhados para determinar as conseqüências, para indivíduos e comunidades, de medidas terapêuticas ou preventivas específicas; 4. Estudos relativos a comportamentos humanos ligados à saúde em várias circunstâncias e ambientes; 5. Observações ou intervenções físicas, químicas ou psicológicas; 6. Registros existentes contendo informações biomédicas identificáveis ou não sobre indivíduos e; 7. Fatores ambientais que possam afetar indivíduos expostos incidentalmente.
  4. 4. PESQUISA <ul><li>1. Formulação do problema </li></ul><ul><li>2. Hipóteses para a resolução </li></ul><ul><li>3. Coleta de dados </li></ul><ul><li>4. Análise dos dados </li></ul><ul><li>5. Conclusões </li></ul>
  5. 5. A PERGUNTA DA PESQUISA (DÚVIDA) Tipos de estudos Tipo de variáveis Testes mais adequados da análise estatística Tamanho da amostra
  6. 6. PESQUISA <ul><ul><li>DELINEAMENTO DA PESQUISA </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Estudos observacionais </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>exploram ou descrevem fenômenos, sem intervenção ativa do pesquisador </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Estudos experimentais </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>testam variáveis com intervenção direta ou indireta do pesquisador sobre o evento estudado </li></ul></ul></ul></ul>
  7. 7. PESQUISA <ul><li>VARIÁVEL </li></ul><ul><ul><li>quantidade que pode interpretar diversos valores </li></ul></ul><ul><li>Variável dependente: Depende de alguma medida </li></ul><ul><li>Variável independente : Não depende de uma medida </li></ul><ul><ul><li>Vieira, S. e Hossne, WS , 2001 </li></ul></ul>
  8. 8. PESQUISA <ul><li>População e Amostra </li></ul><ul><li>“ É necessário definir, com precisão, a população à qual os resultados se aplicam” </li></ul><ul><ul><li>Vieira, S. - Metodologia Científica, 1984 </li></ul></ul>
  9. 9. <ul><li>Amostra </li></ul><ul><ul><li>casual simples- seleção ao acaso </li></ul></ul><ul><ul><li>tabela de números aleatórios </li></ul></ul><ul><ul><li>amostra sistemática- ( 1 a cada 10) </li></ul></ul><ul><ul><li>amostra estratificada- organizada em diferentes níveis ( idade, sexo, etnia) </li></ul></ul>PESQUISA
  10. 10. PESQUISA <ul><li>Tamanho da amostra </li></ul><ul><ul><ul><li>Amplitude do efeito que se quer observar. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Quanto menor a amplitude maior o tamanho da amostra. </li></ul></ul></ul>
  11. 11. PESQUISA <ul><ul><li>Tamanho da amostra </li></ul></ul><ul><ul><li>EXPERIMENTO PILOTO </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>a variância da variável que pretende-se analisar, pode ser utilizada para estimar o tamanho da amostra ” </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Vieira, S. , Hossne, WS, 2001 </li></ul></ul>
  12. 12. PESQUISA <ul><ul><li>DELINEAMENTO DA PESQUISA </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Estudo prospectivo </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>dirigido da causa para o efeito </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Estudo retrospectivo </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>dirigido do efeito para a causa </li></ul></ul></ul></ul><ul><li>Diferença = direção </li></ul>
  13. 13. ESTUDO RETROSPECTIVO hábitos de fumar e problemas respiratórios SELECIONAR GRUPO DE PESSOAS: Com problema respiratório Sem problema respiratório (grupo controle) (com características similares) Calcular a proporção de fumantes em cada grupo OS INDIVÍDUOS SÃO SEGUIDOS DO EFEITO PARA A CAUSA PROCEDIMENTO
  14. 14. hábitos de fumar e problemas respiratórios PROCEDIMENTO SELECIONAR GRUPO DE PESSOAS: (com características similares) ESTUDO PROSPECTIVO Constituído por fumantes Constituído por não fumantes (grupo controle) Calcular a proporção de pessoas com problemas respiratórios em cada grupo OS INDIVÍDUOS SÃO SEGUIDOS DA CAUSA PARA O EFEITO DEPOIS DE CERTO TEMPO DE ACOMPANHAMENTO
  15. 15. PESQUISA <ul><ul><li>DELINEAMENTO DA PESQUISA </li></ul></ul><ul><ul><li>Quanto a coleta de dados </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>dados coletados durante a execução da pesquisa = primários </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>estudo contemporâneo </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>dados anteriormente coletados = secundários </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>estudo histórico. </li></ul></ul></ul></ul>
  16. 16. PESQUISA <ul><ul><li>DELINEAMENTO DA PESQUISA </li></ul></ul><ul><ul><li>Quanto à coleta </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Estudo longitudinal </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>período de tempo específico </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>observação da evolução </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>não há presente ou passado </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Estudo transversal </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>são determinados pontos no tempo (presente ou passado) </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>observação dos dados sem preocupação com a evolução </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>objetivo: verificar a prevalência ou a freqüência de uma determinada característica. </li></ul></ul></ul></ul>
  17. 17. PESQUISA <ul><ul><li>EXPERIMENTO </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Intervenção ativa do pesquisador </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Pesquisas mais propensas à análise estatística </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Realização de diferentes grupos de pesquisa. </li></ul></ul></ul>
  18. 18. PESQUISA <ul><li>EXPERIMENTO </li></ul><ul><ul><li>“ Os experimentos são realizados para responder a uma pergunta em condições específicas e limitadas.” </li></ul></ul><ul><ul><li>A qualidade da informação depende da precisão das definições ” </li></ul></ul><ul><ul><li>Vieira, S. - Metodologia Científica, 1984 </li></ul></ul>
  19. 19. EXPERIMENTO <ul><ul><li>DELINEAMENTO DO EXPERIMENTO </li></ul></ul><ul><ul><li>1º Definição da unidade experimental </li></ul></ul><ul><ul><li>2º definição da amostra e dos grupos </li></ul></ul><ul><ul><li>Grupo experimento/tratamento </li></ul></ul><ul><ul><li>Grupo controle </li></ul></ul><ul><ul><li>Grupo Sham </li></ul></ul>Tratamento: recebe a intervenção
  20. 20. EXPERIMENTO <ul><ul><li>Grupo controle </li></ul></ul><ul><ul><li>grupo testemunha </li></ul></ul><ul><ul><li>nenhum procedimento relativo a pesquisa </li></ul></ul><ul><li>Controle positivo: recebe terapia convencional </li></ul><ul><ul><li>Grupo experimento/tratamento </li></ul></ul><ul><ul><li>é o objeto da pesquisa </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Aleatório </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Procedimento padronizado </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Grupo Sham </li></ul></ul><ul><ul><li>o procedimento será simulado </li></ul></ul><ul><ul><li>realiza-se todo o procedimento, menos o objeto da pesquisa </li></ul></ul>
  21. 21. PESQUISA <ul><li>Protocolo </li></ul><ul><ul><li>registro das informações obtidas </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>dos pacientes, nos prontuários </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>do laboratório </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>com todos os detalhes da pesquisa </li></ul></ul></ul></ul><ul><li>Da coleta correta dos dados é que se obtém os resultados da pesquisa. </li></ul>
  22. 22. PESQUISA <ul><ul><li>“ O ideal é que a pessoa que faz a medida não saiba a que GRUPO pertence o animal . Isto é denominado EXPERIMENTO CEGO” </li></ul></ul>
  23. 23. PESQUISA <ul><li>EXPERIMENTO </li></ul><ul><ul><li>“ Se nenhuma das pessoas envolvidas no experimento sabe a que GRUPO pertence o animal, nem do que se trata, havendo avaliações totalmente alheias ao que se está observando, isto seria um EXPERIMENTO DUPLO CEGO” </li></ul></ul>
  24. 24. Paciente do estudo Critério de inclusão e exclusão Randomização POPULAÇÃO Consentimento Tratamento B Tratamento A Desfechos Desfechos <ul><li>DIAGRAMA DE UM ENSAIO CLÍNICO METODOLOGICAMENTE CONSISTENTE </li></ul>
  25. 25. PESQUISA <ul><li>ESTUDOS COMPARATIVOS: testam-se 2 ou mais tratamentos </li></ul><ul><li>Comparar aspirina e novo droga </li></ul><ul><li>3 grupos: A - Aspirina </li></ul><ul><li> N - nova droga </li></ul><ul><li> NA- aspirina + nova droga </li></ul><ul><li>Grupo placebo????? </li></ul>
  26. 26. PESQUISA <ul><li>ESTUDO DOSE-RESPOSTA </li></ul><ul><li>testar efeitos de diferentes doses de uma mesma medicação </li></ul><ul><li>tempo de sono- variável dependente </li></ul><ul><li>quantidade de sonífero- variável independente </li></ul><ul><li>Wash-out- remoção dos efeitos residuais </li></ul>
  27. 27. Acompanhamento Amostra Randomização Placebo Limpeza Tratamento Placebo Limpeza Tratamento População . <ul><li>Estudo cruzado randomizado (cross over) </li></ul>Medicação dos desfechos clínicos
  28. 28. Estudos observacionais exploram ou descrevem fenômenos, sem intervenção ativa do pesquisador
  29. 29. Número de pessoas não fumantes COMPARA AS PROPORÇÕES ESTUDOS TRANSVERSAIS Amostra da população Contar: Número de pessoas fumantes com problemas respiratórios sem problemas respiratórios com problemas respiratórios sem problemas respiratórios CUIDADOS: Atenção na amostra PROCEDIMENTO Relação observada pode resultar, total ou parcialmente, do fator eleito como causa da doença. Nem doença nem possíveis causas aparecem isoladamente São conseqüência de múltiplos fatores e interações.
  30. 30. ESTUDO DE CASO CONTROLE Estudo retrospectivo . Grupo de pessoas com doença – os casos Grupo de pessoas sem doença – os controles Para cada grupo, verifica se cada um dos indivíduos foi exposto à possível causa da doença e comparam-se os resultados observados nos dois grupos. Verificar se as doenças periodontais estão associadas ao hábito de fumar Os casos são pareados com os controles Pequena proporção de pessoas com a doença de interesse . (POUCA FREQUÊNCIA)
  31. 31. ESTUDO COORTE Tomar uma amostra da população. Verificar quais pessoas apresentam o fator causal suspeito e quais não apresentam. As que apresentam – grupo experimental As que não apresentam – grupo controle O pesquisador deve seguir os dois grupos por um longo período – observar quantas pessoas adquirem a doença em cada grupo.
  32. 32. Acompanhamento Amostra Expostos Não expostos Com o desfecho Sem o desfecho Com o desfecho Sem o desfecho População <ul><li>ESTUDO DE COORTE PROSPECTIVO . </li></ul>
  33. 33. PESQUISA <ul><li>EXPERIMENTO </li></ul><ul><ul><li>“ Estatisticamente significante é a afirmação de que as diferenças observadas não são casuais ” </li></ul></ul><ul><ul><li>Vieira, S. e Hossne, WS, 2001 </li></ul></ul>
  34. 34. PESQUISA <ul><li>EXPERIMENTO </li></ul><ul><ul><li>“ A Estatística responde à pergunta: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>A diferença é significante? </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Mas não responde à pergunta: </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>O que causou a diferença? ” </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Vieira, S </li></ul></ul>
  35. 35. Bibliografias de referência <ul><li>TURATO, ER. Tratado da metodologia da pesquisa clínico-qualitativa: construção teórico-epistemológica, discussão comparada e aplicação nas áreas da saúde e humanas. Petrópolis: Vozes, 2003. </li></ul><ul><li>Viera, S e Hossne, WS. Metodologia Científica para a área da saúde. Rio de Janeiro: Campus, 2001 </li></ul>
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×