Aprnovoi2eap

499 views

Published on

Aplicação das Redes Sociais na Educação

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
499
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
10
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Aprnovoi2eap

  1. 1. Redes Sociais na Aprendizagem Palavras Chave: Redes Sociais, Interoperabilidade, Aprendizagem, Visualização do Conhecimento. I2E Junho 2008 Joaquim F. Silva (Estudante ProDEI) Francisco Restivo (Orientador)
  2. 2. <ul><li>Mudança para uma aprendizagem mais activa, participativa e dinâmica por parte dos alunos. </li></ul><ul><li>Envolvência do aluno no processo de aprendizagem. </li></ul><ul><li>Personalização e adaptação da aprendizagem. </li></ul><ul><li>Dificuldade de concretização apenas no espaço sala de aula. </li></ul>Problema inicial I2E Junho 2008
  3. 3. Contexto: Escola <ul><li>Mobilizar conhecimento privilegiando aquisição de competências. </li></ul><ul><li>Mudança gradual, </li></ul><ul><li>Recriação de identidades ( aluno, professor). </li></ul><ul><li>O professor já não é o centro do fluxo do conhecimento, mas o criador de oportunidades para o aprendiz . (Cowen,2003 ) </li></ul><ul><li>Mudança do Paradigma de apresentação para participação. </li></ul><ul><li>E-learning 2.0 Vs Web 2.0 . </li></ul>I2E Junho 2008
  4. 4. Projecto de Investigação <ul><li>Realidade actual : </li></ul><ul><li>Alunos pouco motivados e interessados no contexto sala de aula, mas activos em múltiplos ambientes de aprendizagem informal, em particular em torno de redes sociais. </li></ul><ul><li>Existência de múltiplos ambientes de aprendizagem e muitas redes sociais sem integração de serviços ou interoperabilidade entre eles. </li></ul><ul><li>Dispersão de funcionalidades no social software ( chats, forums, blogs, wikis). </li></ul><ul><li>Hipótese: </li></ul><ul><li>As escolas devem aproximar-se mais da malha da sociedade e do meio cultural em que estão inseridas, estabelecendo pontes entre o conhecimento formal e as aprendizagens informais que ocorrem fora do contexto de sala de aula. </li></ul><ul><li>Pergunta de investigação: </li></ul><ul><li>De que forma os ambientes de aprendizagem, suportados por redes sociais, poderão melhorar efectivamente a aquisição de competências? </li></ul>I2E Junho 2008
  5. 5. <ul><li>Utilização das redes sociais para despoletar nos alunos </li></ul><ul><li>o desenvolvimento de actividades extra-aula. Pode ser utilizado na criação de grupos de discussão relacionados com grupos específicos ( disciplinas, actividades exta-curricular,…). </li></ul><ul><li>Estabelecer ligações com membros extra-escola em torno de assuntos tratados no contexto escola. </li></ul><ul><li>Estabelecer grupos de alunos em cada novo ano, ajudando e favorecendo a mútua ajuda online. </li></ul><ul><li>Criar grupos de apoio aos alunos novos, ajudando a criar novas ligações e amizades e manter algumas ligações após a saída da escola. </li></ul><ul><li>Aprendizagem em múltiplos espaços, disponível numa única plataforma Web. </li></ul><ul><li>Sempre disponível e aberta à participação dos alunos. </li></ul><ul><li>Utilização de redes sociais para estabelecimento de conexões extra-aula e elemento agregador de discussões. </li></ul><ul><li>O processo passa a estar mais centrado no aluno envolvendo-o na aquisição de competências e o professor é visto como um tutor. </li></ul>Projecto de Investigação: Metas LIACC Fevereiro 2008
  6. 6. Estudo de casos: Construção Social de Conhecimento (Gunawardena, Lowe, & Anderson, 1997) <ul><li>Modelo de cinco etapas </li></ul><ul><li>Partilhar ideias, </li></ul><ul><li>Descoberta de inconsistências </li></ul><ul><li>Negociar e acordar significados, </li></ul><ul><li>Testar e modificar, </li></ul><ul><li>Fase dos acordos </li></ul><ul><li>Em debates globais é centrado em tarefas </li></ul><ul><li>O diálogo permaneceu na etapa 1: Partilha de informação </li></ul>LIACC Fevereiro 2008
  7. 7. Estudo de casos: Construtivismo Social e Comunidades de aprendizagem Online (SCALCO) (Bonk & Wisher, 2000) <ul><li>Os tópicos discutidos online demonstravam relevância real. </li></ul><ul><li>O ambiente de aprendizagem encorajava a inquisição das ideias e suas perspectivas </li></ul><ul><li>Havia feedbacks interessantes </li></ul><ul><li>Havia um sentimento de comunidade de aprendizagem </li></ul><ul><li>Os instrutores forneciam sugestões construtivas e feedbacks online. </li></ul><ul><li>Havia controlo pessoal sobre as actividades do curso e sua discussão </li></ul>LIACC Fevereiro 2008
  8. 8. Estado da Arte: Web 2.0 Aprendizagem Informal e Pessoal utilizando a Web 2.0 Blogs Pessoais e Reflexão LIACC Fevereiro 2008
  9. 9. <ul><li>Definição: </li></ul><ul><li>Tecnologia que permite aos utilizadores o criação de ligações sociais. </li></ul><ul><li>Utilidade: </li></ul><ul><li>Comunidades de pessoas que partilham interesses e actividades. Estão igualmente interessadas em descobrir interesses e actividades de outras pessoas. </li></ul>Estado da Arte: Redes Sociais LIACC Fevereiro 2008
  10. 10. LIACC Fevereiro 2008 Adaptado: FaberNovel Consulting Estado da Arte: Tipos de Redes Sociais
  11. 11. Estado da Arte: Distribuição de Redes Sociais Feb 2008 http://services.alphaworks.ibm.com/manyeyes/app
  12. 12. Estado da Arte: Redes Sociais <ul><li>Diferentes exemplos com abordagens distintas mas objectivos comuns: </li></ul><ul><li>Abordagem: </li></ul><ul><ul><li>Gadgets, </li></ul></ul><ul><ul><li>Mashups, </li></ul></ul><ul><ul><li>WebServices. </li></ul></ul><ul><li>Objectivo comum: </li></ul><ul><ul><li>Integração de serviços </li></ul></ul><ul><ul><li>Interoperabilidade </li></ul></ul><ul><li>Exemplos: </li></ul>LIACC Fevereiro 2008 Redes Comerciais Redes Abertas
  13. 13. <ul><li>Construção de aplicações que interagem facilmente com nossos amigos e colegas. </li></ul><ul><li>Lista crescente de APIs específicas para sites. </li></ul><ul><li>O serviço OpenSocial oferece um conjunto de APIs comuns para desenvolver aplicações sociais que irão funcionar em diversos sítios. </li></ul><ul><li>Utiliza JavaScript e HTML padrão para aceder a amigos de uma rede social e actualizar feeds. </li></ul>Implementação: OpenSocial LIACC Fevereiro 2008
  14. 14. Implementação: Elgg.org <ul><li>Elgg é uma plataforma open source social em torno de escolha, flexibilidade e abertura. </li></ul><ul><li>Um sistema que coloca os indivíduos no centro das suas actividades. </li></ul><ul><li>Os utilizadores têm a liberdade de incorporar todas as suas ferramentas favoritas dentro de um ambiente. </li></ul><ul><li>Partilha de conteúdo gerido e controlado pelo utilizador. </li></ul>LIACC Fevereiro 2008
  15. 15. Implementação: Apresco.com <ul><li>Colaboração social – Espaços Conhecimento, calendários, discussões, Wikis, tagging social, informação social para o utilizadores . </li></ul><ul><li>Integrar o exterior no interior – ferramentas web 2.0 e serviços como Facebook, iGoogle and MediaWiki, WordPress, TypePad, RSS Readers e Email . </li></ul><ul><li>Integrar o interior no exterior – públicar conteúdos em vários canais incluindo sítios Web, Facebook, WordPress e TypePad. </li></ul><ul><li>Arquitectura Mashup – Criação de aplicações para a Web (RIA) utilizando Adobe® Flex™ SDK. Arquitectura Web utilizando scripts e APIs . </li></ul><ul><li>Escolha – Sistema operativo, base de dados, servidor de aplicações, portal, ferramentas de criação de conteúdos, ferramentas colaborativas e de redes sociais como por exemplo : SharePoint. </li></ul>LIACC Fevereiro 2008
  16. 16. Abordagem: Social Graph LIACC Fevereiro 2008 <ul><li>Conjunto de pessoas, referidas como nós, que são ligados juntos por vértices – (conexões), reflectem as suas relações sociais. </li></ul><ul><li>Ao lado um gráfico social conceptual, que mostra a distinção entre uma conexão com outra pessoa é directa ou indirecta. </li></ul><ul><li>O serviço de redes sociais: LinkedIn utiliza este modelo. </li></ul><ul><li>Um membro do gráfico possui diferentes graus de separação. </li></ul>http://web2.socialcomputingmagazine.com
  17. 17. Estado da Arte :Teorias de Aprendizagem LIACC Fevereiro 2008 <ul><li>A perspectiva socio-cultural da aprendizagem, </li></ul><ul><li>O processo ensino-aprendizagem incorpora actividades sociais, </li></ul><ul><li>A interacção social reforça a construção de conhecimento, </li></ul><ul><li>Evidente contraste entre o curriculum, o conhecimento prévio e a aprendizagem orientada do aluno (Dewey), </li></ul><ul><li>Os conceitos surgem primeiro num contexto de interacção social e não ao nível individual (Vygostky). </li></ul><ul><li>Sistemas de aprendizagem baseados na Web </li></ul><ul><li>Uma cada vez maior participação dos utilizadores, </li></ul><ul><li>Existência de guias de orientação gerais, fornecidos pelo professor-tutor, </li></ul><ul><li>Maior interacção com o sistema computacional, </li></ul><ul><li>Simples sistemas semânticos ( etiquetas, palavras-chave), </li></ul><ul><li>Estabelecimento de conexão entre espaços sociais e recursos educativos. </li></ul>Constructivismo Social Web 2.0
  18. 18. LIACC Fevereiro 2008 Abordagem : <ul><li>A) Construção de um artefacto tecnológico que integre: </li></ul><ul><ul><li>Rede social de aprendizagem </li></ul></ul><ul><ul><li>Plataforma de aprendizagem </li></ul></ul><ul><li>num único interface Web </li></ul><ul><li>B) Analisar a utilização desta plataforma híbrida no contexto educativo de uma escola do ensino secundário do grande Porto com alunos, da faixa etária dos quinze aos dezassete anos na disciplina de Português. </li></ul>Integração Interacção Actividades Sociais Visualização Simplicidade Web Requisitos do sistema: Interoperabilidade Ubiquidade L-tree.org Projecto de Investigação
  19. 19. LIACC Fevereiro 2008 Aprender envolve a criação de conexões entre recursos educativos, com interacção social e acompanhamento de tutoria A aprendizagem resume-se em alterar hábitos, atitudes e formas de pensar Rede Social Interface Web L-Tree Serviços Web LMS Projecto de Investigação Aprendizes Redes Sociais Recursos Educativos
  20. 20. Investigação actual (A) <ul><li>Especificação da Framework do sistema. </li></ul><ul><li>Standardização de serviços (FOAF, XRI, XDI). </li></ul><ul><li>Portabilidade de dados e extracção de dados via XML (Google groups). </li></ul><ul><li>Escolher a tecnologia de desenvolvimento (Mash-up/ gadgets/webServices). </li></ul>LIACC Fevereiro 2008
  21. 21. Investigação Futura (A) <ul><li>Preocupação com as questões de: </li></ul><ul><ul><li>Interoperabilidade </li></ul></ul><ul><ul><li>Protecção individual de identidade e privacidade </li></ul></ul><ul><ul><li>Open Web identity </li></ul></ul>http://blogs.zdnet.com/Hinchcliffe/?p=52
  22. 22. Tópicos inter-relacionados <ul><li>- ITS , </li></ul><ul><li>- Social Software, </li></ul><ul><li>- Social Networks Services. </li></ul>LIACC Fevereiro 2008
  23. 23. Tópicos extra-relacionados <ul><li>- Social Networks Analysis, </li></ul><ul><li>- Learning Styles, </li></ul><ul><li>- Interactive Learning Environments, </li></ul><ul><li>- Pervasive Learning, </li></ul><ul><li>- Inquiry Learning, </li></ul><ul><li>- Computer Supported Colaborative Learning (CSCL), </li></ul><ul><li>- Technology Enhanced Learning (TEL), </li></ul><ul><li>- Eportfolios, </li></ul><ul><li>- Personal Learning Environments (PLE). </li></ul>LIACC Fevereiro 2008
  24. 24. <ul><li>Email: </li></ul><ul><li>[email_address] </li></ul><ul><li>Sítio da investigação: </li></ul><ul><li>http://www.l-tree.org </li></ul>LIACC Fevereiro 2008 Obrigado pela vosssa atenção Questões?

×