Os Média Hoje: História da Blitz

1,294 views

Published on

Trabalho acerca da magazine BLITZ!

Published in: Entertainment & Humor
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,294
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Os Média Hoje: História da Blitz

  1. 1. Instituto do Emprego e Formação Profissional Delegação Regional de Lisboa e Vale do Tejo CENTRO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DE SINTRA VIVER EM PORTUGUÊS Os Media hojeMEIO DE COMUNICAÇÃO: ESCRITO – REVISTA REVISTA BLITZ!
  2. 2. Índice INTRODUÇÃOHISTÓRIA/DEMONSTRAÇÃOPERIODICIDADE/TIRAGEM POPULARIDADE DIRECÇÃO/ECONOMIA EXEMPLOS DE CAPAS DAREVISTA BIBLIOGRAFIA CONCLUSÃO
  3. 3. IntroduçãoPretendo, com este trabalho, apresentar um dos meios de comunicação queainda hoje em dia é muito utilizado a nível nacional, independentemente doavanço das novas tecnologias – o meio de escrita – neste caso, a Blitz: Em tempos, um jornal, hoje – uma revista, talvez a mais conhecida e culta na área musical no nosso país.
  4. 4. HistóriaA revista intitulada Blitz, sendo anteriormente um jornal, é de origem portuguesa e destina-se a revelar as novidades do mundo da música a nível profissional, sendo forte em termos culturais (quanto à cultura jovem).Durante vários anos até à actualidade, destaca-se a Blitz como sendo o único jornal dedicado à música publicado semanalmente em Portugal. No estatuto editorial, publicado na primeira edição no dia 6 de Novembro de 1984, afirmava-se: “ O nosso projecto baseia-se em fornecer ao leitor o máximo de informação e procurar fazer a divulgação das mais atraentes aventuras da música contemporânea. ” Esta é a capa do primeiro número do Blitz (jornal).
  5. 5. Ao BLITZ se deve, em grande parte, a afirmação da juventude como criadora e consumidora de uma culturaautónoma, através da música, do cinema e de muitas outras importantes manifestações estéticas das últimas duas décadas.No que respeita ao seu conteúdo, o BLITZ assume-se comoum jornal do seu tempo e do tempo vindouro, moderno e deleitura fácil, abrangendo os mais diversos géneros musicais de origem nacional e internacional, ao mesmo tempo que dedica parte do seu espaço a outras actividades artísticas que muito tocam a população jovem.
  6. 6. Julho de 1992: A Blitz reforça o seu projecto editorial, pois é adquirida pela Controljornal (actual Grupo Impresa), sendo que este proporcionou-lhe uma tecnologia avançada para o tratamento de cor, transportando o jornal para uma nova fase do seu crescimento e a afirmação próxima do seu público-alvo. Abril de 1995: São lançados os Prémios de Música BLITZ, sendo estes uma iniciativa inédita no nosso país, que, pela primeira vez, e até 2001, premiou as melhores edições discográficas e as melhores intervenções artísticas através davotação de um júri constituído por mais de 200 músicos e profissionais da indústria discográfica e dos media.
  7. 7. Julho de 2003: A BLITZ deu forma a uma das mais ambiciosas manobras da suaexistência – entrou numa nova fase que passou pela reformulação gráfica e editorial de alguns conteúdos, isto é, passou a estar nas bancas com uma imagem renovada,contemporânea e dinâmica, tudo para ilustrar um conteúdo cada vez mais interessante para o leitor, e com o objectivo de aperfeiçoar uma imagem que parecia relativamente gasta, segundo o director do jornal. Este ano marcou o alargamento significativo da visibilidade do BLITZ, passando oconteúdo do jornal a ser mostrado em antecipação em meios como a rádio e a televisão.
  8. 8. 2004: É comemorado o 20º aniversário do jornal.Abril de 2006: O jornal (1984-2006) cessa durante algum tempo, passando depois a ser editado no formato de revista, continuando a ser publicada até hoje.
  9. 9. Actualmente, a Blitz está expandida pelos diversos meios de comunicação, não só sendopublicada em revista, mas assim como também é apresentada como programa de rádio,programa televisivo (Blitz TV) e online (site da Blitz: http://blitz.aeiou.pt ). A Blitz TV estreou em Maio de 2010 na SIC Notícias, tendo como foco principal as notíciasdo mundo da música, entrevistas, concertos e destaques musicais. Com periodicidade semanal, o formatotelevisivo tem uma duração entre 15 e 20minutos, produzido pela SubFilmes, e temdireito a quatro repetições ao longo dasemana.
  10. 10. Notícias, Fórum, Agenda, Festivais, Artistas de A a Z, Classificados, Galerias, Blitz TV, Edição Impressa, F.A.Q. são as secções e conteúdos que este sítio oferece. Permite ligação aos sítios do Expresso, da Visão, entre outros.
  11. 11. Periodicidade/Tiragem Periodicidade: Mensal (a partir de 21 de Junho de 2006) Tiragem: A média de exemplares vendidos por edição é de 13.289.A Blitz, ainda em formato de jornal, cessou em 2005 com uma circulação paga de 6.802 exemplares, menos 1.153 do que em 2004, o que representou uma queda de 14,5%.
  12. 12. Popularidade A BLITZ mantém a liderança no segmento Cultura & Espectáculos (2011), sendo a maisvendida, e estando à frente da Time Out e da Première. Os resultados divulgados pela Associação Portuguesa para o Controlo de Tiragem eCirculação - respeitantes ao período entre janeiro de agosto de 2011 apontam para umacirculação paga média (revistas vendidas por edição) acima dos 13 mil exemplares.
  13. 13. Com uma certa predominância de leitores do sexo masculino, o público da BLITZ pertencena sua grande maioria à classe C1, sendo estudante, possuindo alguma ligação a actividades musicais e artísticas, e situando-se essencialmente nos grandes centros urbanos, com particular incidência em Lisboa, Porto e Setúbal, estendendo-se ainda a cidades como Coimbra, Braga e Aveiro.
  14. 14. Direcção/ A Blitz, enquanto jornal, foi fundado em Novembro de 1984 pelos jornalistas: Manuel Falcão, que foi o seu primeiro director (estando hoje numa agência de meios, aNova Expressão); Rui Monteiro (assumiu o cargo de director em Setembro de 1988; encontra-seactualmente na Time Out); Cândida Teresa (directora gráfica até ao final de 1999); Um profissional da indústria discográfica - João Afonso – o qual abandonou a publicaçãoem 1985, e tinha no seu quadro inicial colaborações de, entre outros, António Pires, LuísPinheiro de Almeida, Luís Vitta, Ana Cristina Ferrão, Rui Neves, e fotografia de AlfredoCunha e Luís Vasconcelos.
  15. 15. Actualmente, Miguel Francisco Cadete é o novo director da Blitz desde 2006, após o seudirector interino, Vítor Rainho, ter renunciado ao cargo. Alguns dos seus objectivos, enquanto director, são o reforço da marca Blitz", a reactivaçãodos prémios do jornal e a reformulação do site. Miguel Cadete também é crítico de música no Expresso, sendo que, no passado, já tinhaintegrado a redacção do Blitz (anos 80). Foi também crítico musical do jornal Público. A Blitz é propriedade do grupo Impresa, que também detém o Expresso. "Constatou-se que era inviável um jornal de música semanal em Portugal" , disse Cadete. A decisão desta reformulação deveu-se à quebra de circulação do jornal nos últimos anos e à tentativa de seguir, por outro lado, a tendência dos mercados internacionais.
  16. 16. Proprietária/Editora: Medipress - Sociedade Jornalística e Editorial, Lda.Conselho de Gerência: Francisco Pinto Balsemão, Pedro Norton, Francisco Maria Balsemão, José Carlos Lourenço, Mónica Balsemão, Paulo de Saldanha Composição do Capital da Entidade Proprietária: Impresa Publishing, SA - 100% Secretária de Direcção Ana Paula Fernandes Directora Comercial Maria João Peixe Dias Director Coordenador de Publicidade Manuel Geraldes Coordenador de Publicidade Hugo Rodrigues
  17. 17. Algumas das publicações da revista:
  18. 18. Bibliografia http://pt.wikipedia.org/http://www.facebook.com/blitz.pt?sk=info http://blitz.aeiou.pt/ http://guedelhudos.blogspot.com http://anos80.no.sapo.pt/ http://www.online24.pt/ http://www.ginamacedo.koizo.org/ http://acultura.no.sapo.pt/ http://www.impresapublishing.pt http://jpn.icicom.up.pt
  19. 19. Conclusão Após uma viagem ao mundo da Blitz, pode-se ter uma visão positiva a nível de sucesso, no que se refere aos seus objectivos, conteúdos e popularidade. A tal revista, poder-se-á concluir que a esta se deve, maioritariamente, a afirmação da juventude como sendo criadora e consumidora de uma cultura autónoma, através da música e outras artes nos últimos anos.Ler a Blitz é ser transportado para o mundo da música que todos crescemos a ouvir.
  20. 20. Trabalho realizado por: Sara Coelho Nº 18 TI28

×