Your SlideShare is downloading. ×
Aap rplp 8_ef_professor 6ª edição fev 2014
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Aap rplp 8_ef_professor 6ª edição fev 2014

3,857
views

Published on


2 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Gostei, tb lhe agradeço por compartilhar.
    Nesta avaliação imagino professores ENGESSADOS, REFÉNS DE UM GABARITO.
    pois a questão 6 possibilita duas respostas.
    Meu filho responde a letra 'D' e o questionei e ele me respondeu que a professora disse que era o obvio, ele disse que o obvio e que o autor tinha pouca escolaridade e dificuldade de escrita, pois não é assim forma correta que é ensinado na escola.
    Concordo com ele.
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • Acompanho e adoro seus posts! Obrigada por compartilhar!!!!
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
3,857
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
101
Comments
2
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA EDUCAÇÃO AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM EM PROCESSO Subsídios para o Professor de Língua Portuguesa 8o ano do Ensino Fundamental Prova de Língua Portuguesa Comentários e Recomendações Pedagógicas São Paulo 1° Semestre de 2014 6ª Edição 31 31_AAP_RPLP_8EF_professor.indd 1 18/12/13 16:07
  • 2. Comentários e Recomendações Pedagógicas / Avaliação de Língua Portuguesa – 8o ano do Ensino Fundamental2 Avaliação da Aprendizagem em Processo APRESENTAÇÃO A Avaliação da Aprendizagem em Processo se caracteriza como ação desen- volvida de modo colaborativo entre a Coordenadoria de Informação, Monito- ramento e Avaliação Educacional e a Coordenadoria de Gestão da Educação Básica, que também contou com a contribuição de Professores do Núcleo Pe- dagógico de diferentes Diretorias de Ensino. Aplicada desde 2011, abrangeu inicialmente o 6º ano do Ensino Fundamental e a 1ª série do Ensino Médio. Gradativamente foi expandida para os demais anos/séries (do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental e 1ª a 3ª série do Ensino Médio) com aplicação no início de cada semestre do ano letivo. Essa ação, fundamentada no Currículo do Estado de São Paulo, tem como ob- jetivo fornecer indicadores qualitativos do processo de aprendizagem do edu- cando, a partir de habilidades prescritas no Currículo. Dialoga com as habilida- des contidas no SARESP, SAEB, ENEM e tem se mostrado bem avaliada pelos educadores da rede estadual. Propõe o acompanhamento da aprendizagem das turmas e do aluno de forma individualizada, por meio de um instrumento de caráter diagnóstico. Objetiva apoiar e subsidiar os professores de Língua Portuguesa e de Matemática que atuam nos Anos Finais do Ensino Fundamen- tal e no Ensino Médio da Rede Estadual de São Paulo, na elaboração de estra- tégias para reverter desempenhos insatisfatórios, inclusive em processos de recuperação. Além da formulação dos instrumentos de avaliação, na forma de cadernos de provas para os alunos, também foram elaborados documentos específicos de orientação para os professores – Comentários e Recomendações Pedagógi- cas – contendo o quadro de habilidades, gabaritos, itens, interpretação pe- dagógica das alternativas, sugestões de atividades subsequentes às análises dos resultados e orientação para aplicação e correção das produções textuais. Espera-se que, agregados aos registros que o professor já possui, sejam instru- mentos para a definição de pautas individuais e coletivas que, organizadas em um plano de ação, mobilizem procedimentos, atitudes e conceitos necessários para as atividades de sala de aula, sobretudo aquelas relacionadas aos proces- sos de recuperação da aprendizagem. Coordenadoria de Informação, Monitoramento e Avaliação Educacional Coordenadoria de Gestão da Educação Básica 31_AAP_RPLP_8EF_professor.indd 2 18/12/13 16:07
  • 3. 3Comentários e Recomendações Pedagógicas / Avaliação de Língua Portuguesa – 8o ano do Ensino Fundamental Avaliação da Aprendizagem em Processo – Língua Portuguesa A Avaliação da Aprendizagem em Processo de Língua Portuguesa, em sua 6ª edição, apresenta dez questões objetivas compostas por quatro alternativas e uma produção textual para todas as séries/anos do ensino fundamental anos finais e ensino médio. Para a elaboração das provas objetivas, foi elaborada a Matriz de Referência para a AAP, pautada em conteúdos e habilidades do Currículo Oficial do Esta- do de São Paulo, Caderno do Professor: Língua Portuguesa, Matriz de Referên- cia para a Avaliação – SARESP, Prova Brasil, ENEM. Quanto às produções escritas, os gêneros textuais abaixo elencados, conforme série/ano, obedecem ao que está previsto no Currículo do Estado de São Paulo e, consequentemente, às Situações de Aprendizagem presentes nos Cadernos do Professor e do Aluno e a temas propostos pelo SARESP e ENEM. – 6º ano do Ensino Fundamental: conto; – 7º ano do Ensino Fundamental: relato de experiência vivida; – 8º ano do Ensino Fundamental: notícia; – 9º ano do Ensino Fundamental: texto de opinião1 ; – 1ª série do Ensino Médio: artigo de opinião; – 2ª série do Ensino Médio: artigo de opinião; – 3ª série do Ensino Médio: artigo de opinião. Com o intuito de apoiar o trabalho do professor em sala de aula e também de subsidiar a elaboração do plano de ação para os processos de recuperação, são colocados à disposição da escola materiais com orientações para leitura e reflexão sobre as provas de Língua Portuguesa. Esses materiais contêm as matrizes de referência elaboradas para essa ação, as questões comentadas, a habilidade/descritor em cada uma das questões, recomendações pedagógi- cas, indicações de outros materiais impressos ou disponíveis na internet e re- ferências bibliográficas. OobjetivoprincipaldaAAPélevarosprofessoresarealizarinferênciascomrelação aos acertos e também buscar sanar as dificuldades que levaram a possíveis erros. Lembramos que, em se tratando de avaliação, a cada aplicação, os itens são testa- doseavaliados,inclusive,pelosprofessoresdarede.Algunsdessesitens,provavel- mente, precisarão ser modificados e, por vezes, substituídos, de forma a garantir a eficácia da proposta, buscando, assim, reforçar seu caráter processual, contínuo. EQUIPE DE Língua Portuguesa 1 DOLZ, J. SCHNEUWLY, B. Gêneros orais e escritos na escola. Tradução e organização Roxane Rojo e Glaís Sales Cordeiro. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2004, p. 51-52. 31_AAP_RPLP_8EF_professor.indd 3 18/12/13 16:07
  • 4. Comentários e Recomendações Pedagógicas / Avaliação de Língua Portuguesa – 8o ano do Ensino Fundamental4 MATRIZ DE REFERÊNCIA– AAP 1o SEMESTRE 2014 DE LÍNGUA PORTUGUESA Eixo I - Procedimentos básicos de leitura Descritores Ensino Fundamental (anos finais) Ensino Médio 6º 7º 8º 9º 1ª 2ª 3ª 1 Localizar informações explícitas em um texto. x x x x x x x 2 Inferir o sentido de uma palavra ou expressão. x x x x x x x 3 Inferir informações implícitas (conceitos/opiniões, tema/assunto principal, entre outros) em um texto. x x x x x x x 4 Identificar tema ou assunto principal de um texto. x x x x x x x 5 Distinguir um fato da opinião relativa a esse fato. - - x x x x x 6 Identificar formas de apropriação textual (paráfra- ses, paródias, citações, discurso direto, indireto, in- direto livre). x x x x x x x 7 Identificar os fatos de um texto em sequência lógica. x x x x x x x Eixo II- Implicações do suporte, do gênero, do enunciado e do receptor na compreensão textual Descritores Ensino Fundamental (anos finais) Ensino Médio 6º 7º 8º 9º 1ª 2ª 3ª 8 Identificar o público alvo de um texto. x x x x x x x 9 Localizar os elementos constitutivos da organiza- ção interna de um texto. x x x x x x x 10 Interpretar texto com o auxílio de recursos gráfico- -visuais. - - x x x x x 11 Identificarafinalidadedetextosdediferentesgêneros. x x x x x x x Eixo III- Relação entre textos do mesmo gênero ou de gêneros diferentes Descritores Ensino Fundamental (anos finais) Ensino Médio 6º 7º 8º 9º 1ª 2ª 3ª 12 Identificar posições distintas entre duas ou mais opi- niões relativas ao mesmo fato ou ao mesmo tema. - - x x x x x 13 Estabelecer relações entre textos não verbais; ver- bais; verbais e não verbais. x x x x x x x 14 Reconhecer diferentes formas de tratar uma in- formação na comparação de textos que tratam do mesmo tema, considerando as condições de produ- ção e de recepção. x x x x x x x 31_AAP_RPLP_8EF_professor.indd 4 18/12/13 16:07
  • 5. 5Comentários e Recomendações Pedagógicas / Avaliação de Língua Portuguesa – 8o ano do Ensino Fundamental Eixo IV- Coesão e Coerência no processamento do texto Descritores Ensino Fundamental (anos finais) Ensino Médio 6º 7º 8º 9º 1ª 2ª 3ª 15 Identificar relações entre segmentos de texto, a par- tir de substituições por formas pronominais. x x x x x x x 16 Estabelecer relações de causa e consequência, en- tre partes e/ou elementos de um texto. x x x x x x x 17 Estabelecer relações lógico-discursivas presentes no texto, marcadas por conectivos. x x x x x x x 18 Diferenciarasideiascentraisesecundáriasdeumtexto. - x x x x x x 19 Identificar a tese de um texto. - - x x x x x 20 Estabelecer relação entre a tese e os argumentos oferecidos para sustentá-la. - - - x x x x 21 Identificar os elementos que constroem a narrativa. x x x x x x x 22 Identificar o conflito gerador do enredo. x x x x x x x Eixo V- Recursos expressivos e efeitos de sentido Descritores Ensino Fundamental (anos finais) Ensino Médio 6º 7º 8º 9º 1ª 2ª 3ª 23 Reconhecer efeitos de ironia e/ou humor em textos variados. - x x x x x x 24 Reconhecer o efeito de sentido produzido pela explo- ração de recursos ortográficos e/ou morfossintáticos. - x x x x x x 25 Reconheceroefeitodesentidoproduzidopelaexplora- ção de recursos gráficos (pontuação e outras notações). x x x x x x x 26 Identificar recursos semânticos expressivos (figu- ras de linguagem). - x x x x x x 27 Reconhecer o efeito de sentido decorrente da escolha de uma determinada palavra ou expressão. x x x x x x x 28 Identificar vocábulos que, por sinonímia, substituem outrosvocábulospresentesnotextoemqueseinserem. x x x x x x x 29 Identificar a função da linguagem predominante nos textos em situações específicas de interlocução. - - x x x x x Eixo VI- Variação Linguística Descritores Ensino Fundamental (anos finais) Ensino Médio 6º 7º 8º 9º 1ª 2ª 3ª 30 Identificar as marcas linguísticas que evidenciam o locutor e o interlocutor de um texto. x x x x x x x 31 Identificar as marcas linguísticas em textos do pon- to de vista do léxico, da morfologia ou da sintaxe. x x x x x x x 32 Reconhecer os usos da norma padrão da língua nas diferentes situações de comunicação. x x x x x x x 33 Relacionar as variedades linguísticas a situações espe- cíficas de uso social. - - x x x x x Bases de referência: Currículo do Estado de São Paulo; Matrizes do SARESP, SAEB e ENEM. 31_AAP_RPLP_8EF_professor.indd 5 18/12/13 16:07
  • 6. Comentários e Recomendações Pedagógicas / Avaliação de Língua Portuguesa – 8o ano do Ensino Fundamental6 MATRIZ DE REFERÊNCIA PARA AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA 6o ano do Ensino Fundamental Item Habilidades Habilidades - Matriz de Referência para a AAP. 1 Identificar o conflito gerador do enredo. H12 – Eixo III 2 Identificar vocábulos que, por sinoní- mia, substituem outros vocábulos pre- sentes no texto em que se inserem. H1 – Eixo I 3 Estabelecer relações lógico-discursi- vas presentes no texto, marcadas por conectivos. H16 – Eixo IV 4 Identificar tema ou assunto principal de um texto. H10 – Eixo II 5 Localizar os elementos constitutivos da organização interna de um texto. H4 – Eixo I 6 Localizar informações explícitas em um texto. H33 – Eixo VI 7 Inferir informações implícitas (concei- tos/opiniões, tema/assunto principal, entre outros) em um texto. H25 – Eixo V 8 Estabelecer relações entre textos não verbais; verbais; verbais e não verbais. H6 – Eixo I 9 Identificar o público alvo de um texto. H26 – Eixo V 10 Identificar as marcas linguísticas que evidenciam o locutor e o interlocutor de um texto. H7 – Eixo I 31_AAP_RPLP_8EF_professor.indd 6 18/12/13 16:07
  • 7. 7Comentários e Recomendações Pedagógicas / Avaliação de Língua Portuguesa – 8o ano do Ensino Fundamental GABARITO QUESTÕES A B C D 1 X 2 X 3 X 4 X 5 X 6 X 7 X 8 X 9 X 10 X 31_AAP_RPLP_8EF_professor.indd 7 18/12/13 16:07
  • 8. Comentários e Recomendações Pedagógicas / Avaliação de Língua Portuguesa – 8o ano do Ensino Fundamental8 Leia o texto e responda às questões 1 e 2. A Família e o Tempo Jussara de Barros Antigamente a vida das famílias era mais simples e tranquila, não existia a cor- reria que vemos hoje em dia. As pessoas andavam a pé, pois quase não existiam carros. As ruas eram de terra ou de paralelepípedos. As crianças podiam brincar nas ruas e calçadas, pois não havia perigo de acidentes ou assaltos. Os vizinhos eram como integrantes das outras famílias, todos os dias se reuniam nas varan- das de suas casas para conversar enquanto as crianças brincavam. As brinca- deiras, nessa época, eram: roda, pega-pega, esconde-esconde, passa anel, barra manteiga, bolinha de gude etc. As famílias eram bem grandes, um casal tinha mais de seis filhos. Mas hoje o nú- mero de pessoas na família diminuiu muito, o normal é um casal ter um ou dois filhos. Isso aconteceu porque a vida moderna fez com que a mulher tivesse que trabalhar para ajudar nas despesas da casa. A violência e as dificuldades para se viver bem, também são motivos que influenciaram no tamanho das famílias. Além da quantidade de pessoas de uma família, outras diferenças existem se compararmos à vida de hoje. Nas casas não existiam aparelhos de televisão, ou- via-se música em vitrolas com discos de vinil ou no rádio. Neste também eram transmitidas as notícias e até novelas. As fotografias eram feitas por um homem que colocava um pano preto na cabeça e falava“olha o passarinho”, para as pes- soas sorrirem. Era comum matarem galinhas e porcos no quintal de casa, onde também se co- lhiam verduras e legumes de uma horta que os mais velhos cuidavam. Como não existia geladeira, as carnes eram cozidas em fogões à lenha e armazenadas em latões, mergulhadas em gordura de porco – banha, para não estragarem. Não existia água encanada e as pessoas precisavam buscar baldes de água para lavar as louças, roupas, cozinhar ou tomar banho. E ainda falam que a vida era mais fácil! Disponível em: http://www.escolakids.com/a-familia-e-o-tempo.htm. Acesso em: 07 de setembro de 2013. (Adaptado) 31_AAP_RPLP_8EF_professor.indd 8 18/12/13 16:07
  • 9. 9Comentários e Recomendações Pedagógicas / Avaliação de Língua Portuguesa – 8o ano do Ensino Fundamental Habilidade Identificar posições distintas entre duas ou mais opiniões. (H12– Eixo III) Questão 01 Assinale a alternativa em que os trechos do texto expressam a ideia de “tran- quilidade”e de“dificuldade” vividas pelas famílias de antigamente: (A)“As fotografias eram feitas por um homem que colocava um pano preto na cabeça e falava “olha o passarinho”, para as pessoas sorrirem”. “As crianças podiam brincar nas ruas e calçadas, pois não havia perigo de acidentes ou assaltos”. (B)“Era comum matarem galinhas e porcos no quintal de casa, onde também se colhiam verduras e legumes de uma horta que os mais velhos cuidavam”. “As crianças podiam brincar nas ruas e calçadas, pois não havia perigo de acidentes ou assaltos”. (C)“Antigamente a vida das famílias era mais simples e tranquila, não existia a correria que vemos hoje em dia”.“Não existia água encanada [...] E ainda falam que a vida era mais fácil!”. (D)“As brincadeiras, nessa época, eram: roda, pega-pega, esconde-esconde, passa anel, barra manteiga, bolinha de gude etc”. “Nas casas não existiam aparelhos de televisão, ouvia-se música em vitrolas com discos de vinil ou no rádio”. Comentários e Recomendações Pedagógicas O objetivo da questão é avaliar se o aluno identifica posições distintas entre duas ou mais opiniões relativas ao mesmo fato ou ao mesmo tema. Antes de realizar a leitura integral do texto, é preciso ativar o conhecimento prévio do aluno verificando se, a partir da leitura do título, ele realiza inferências sobre qual assunto será tratado, o que poderia dizer sobre a temática família/tem- po, se há relação entre estes termos, quais seriam etc. Durante a leitura do texto, verifique junto à turma se as antecipações ou expectativas de sentidos criadas antes ou durante a leitura se confirmam ou se é preciso retificá-las. Após a leitura, veja se o aluno consegue realizar uma síntese do texto de modo coerente. De maneira bem descritiva, o texto caracteriza os modos e costumes das famí- lias de ontem e de hoje. Na questão, o enunciado solicita que o aluno assinale a alternativa que contenha os trechos do texto que expressem a ideia de“tran- quilidade”e de“dificuldade”vividas pelas famílias de antigamente. A resposta correta, portanto, é a C. Para o aluno responder à questão adequadamente, ele 31_AAP_RPLP_8EF_professor.indd 9 18/12/13 16:07
  • 10. Comentários e Recomendações Pedagógicas / Avaliação de Língua Portuguesa – 8o ano do Ensino Fundamental10 deve realizar a releitura do texto, atentando para o trecho que transmite a ideia de tranquilidade das famílias: “Antigamente a vida das famílias era mais sim- ples e tranquila, não existia a correria que vemos hoje em dia”; e a de dificul- dade:“Não existia água encanada [...]. E ainda falam que a vida era mais fácil!”. Nesse caso temos, na discussão sobre a família de ontem, duas opiniões que se distinguem e se contradizem, ou seja, a ideia de que a família era tranquila no passado, mas que, ao mesmo tempo, não dispunha dos confortos modernos como água encanada e precisava carregar baldes de água para o uso domés- tico. Para chegar à resolução da questão, a simples localização da informação não seria suficiente, visto que seria necessário ao aluno ter uma visão global do texto para distinguir as duas opiniões/ideias de família (tranquilidade/dificul- dade). Para complementar os estudos do professor, sugere-se a leitura do livro de Smith (1999), Leitura Significativa. Habilidade Localizar informações explícitas em um texto. (H1– Eixo I) Questão 02 Segundo o texto, a expressão“olha o passarinho”era utilizada (A) por um homem que desejava fotografar um passarinho. (B) pelo fotógrafo com a finalidade de fazer as pessoas sorrirem. (C) por um homem que desejava fotografar famílias grandes. (D) pelas pessoas para fotografar um ninho de passarinho. Comentários e Recomendações Pedagógicas O item avalia a possibilidade do aluno em localizar informações explícitas com base na compreensão global de um texto. Em “A família e o Tempo” há a explanação de fatos referentes à vida das famílias no passado. As marcas da temporalidade podem ser verificadas a partir de verbos no pretérito im- perfeito (“era”, “existia”, “andavam”, “colhiam”, “precisavam”, entre outras) e de elementos que remetem à palavra “antigamente”, no início do texto, como brincadeiras de roda, pega-pega, esconde-esconde, ausência de aparelhos televisivos, uso de vitrolas. A expressão“olha o passarinho”, falada pelo fotógrafo, com a intenção de fa- zer as pessoas sorrirem, também faz parte do passado relatado (alternativa B) nesse contexto. 31_AAP_RPLP_8EF_professor.indd 10 18/12/13 16:07
  • 11. 11Comentários e Recomendações Pedagógicas / Avaliação de Língua Portuguesa – 8o ano do Ensino Fundamental A fim de levar os alunos a adquirirem a habilidade requerida, o professor pode selecionar variados gêneros textuais e levá-los a compreender o assun- to global do texto, além das demais informações nele contidas. Sugere-se, para ampliação de conhecimento, a leitura do documento Refe- rencial de expectativas para o desenvolvimento da competência leitora e escritora no ciclo II do Ensino Fundamental, encontrado no site http:// portalsme.prefeitura.sp.gov.br/Documentos/BibliPed/EnsFundMedio/Ci- cloII/LerEscrever/Referencial_ExpectativasDesenvolvimentoCompetencia- LeitoraEcritora_CicloII.pdf (Acesso em: 08 de agosto de 2013). Habilidade Estabelecer relações de causa e consequência, entre partes e/ou elementos de um texto. (H16 – Eixo IV)) Leia o texto e responda à questão 3. Qualidade do ar afeta a saúde dos animais domésticos Isabel Mena Com a chegada do outono, a cachorrada comemora. Brisa e temperaturas mais amenas tornam qualquer passeio mais agradável até mesmo para os donos. Mas o clima atípico das últimas semanas, calor intenso e baixa umidade do ar, tem dificultado a dispersão dos poluentes na atmosfera e muitos bichinhos tiveram de trocar o passeio no parque pelo programa de que menos gostam: visitar o veterinário. No Hospital Veterinário Sena Madureira o número de casos de animais domés- ticos com queixas relacionadas à poluição aumentou 30% nesse período. De acordo com o veterinário Mário Marcondes, cardiologista do hospital, os sinais mais comuns são olhos vermelhos e lacrimejantes, mucosa ressecada, coriza e tosse, tanto em gatos como em cachorros.“Nos animais que já têm algum tipo de doença respiratória crônica, como bronquite ou asma, os sintomas são mais severos, como falta de ar.” Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/folha/equilibrio/noticias/ult263u4421.shtml. Acesso em: 7 de setembro de 2013. 31_AAP_RPLP_8EF_professor.indd 11 18/12/13 16:07
  • 12. Comentários e Recomendações Pedagógicas / Avaliação de Língua Portuguesa – 8o ano do Ensino Fundamental12 Questão 03 Segundo o texto, o calor intenso e a baixa umidade do ar provocam nos animais (A) olhos vermelhos e lacrimejantes, mucosa ressecada, coriza e tosse. (B) queixas de gatos e cachorros relacionadas à poluição. (C) a troca do clima atípico pela visita ao veterinário. (D) doença respiratória simples, como bronquite ou asma, ou falta de ar. Comentários e Recomendações Pedagógicas O objetivo da questão é avaliar se o aluno estabelece relações de causa e consequência, entre partes e/ou elementos de um texto. A leitura do título já antecipa o assunto que nele será tratado Qualidade do ar afeta a saúde dos animais domésticos. A partir do título, pode-se realizar um levantamento prévio do que a turma conhece sobre o assunto, quais são suas expectativas em relação ao que contém o texto etc. Durante a leitura, verifique se há a constatação e a confirmação das hipóte- ses discutidas anteriormente, se há alguma palavra que o aluno desconhece e se compreende globalmente o texto. A partir do enunciado da questão, averigue se o aluno percebeu o problema, “calor intenso e baixa umidade”, e a consequência desse problema para os animais,“olhos vermelhos e lacrimejantes, mucosa ressecada, coriza e tosse”. Nesse caso deve assinalar a alternativa A como correta. Para aprofundar os estudos sobre tal temática, recomenda-se a leitura de Koch e Travaglia (2010), que trata da coesão e coerência textual, seus senti- dos nos textos e seus fatores, tais como os elementos linguísticos, o conhe- cimento do mundo e as inferências, e da obra de Solé (1998), pelas dicas de estratégias que a autora dá para o desenvolvimento de atividades de leitura. 31_AAP_RPLP_8EF_professor.indd 12 18/12/13 16:07
  • 13. 13Comentários e Recomendações Pedagógicas / Avaliação de Língua Portuguesa – 8o ano do Ensino Fundamental Habilidade Interpretar texto com o auxílio de recursos gráfico-visuais. (H10 – Eixo II) SOS Mata Atlântica: Economize Disponível em: http://www.comunique9.com.br/2010/02/sos-mata-atlantica-economize.html. Aces- so em: 26 de julho de 2013. Questão 04 As figuras das tesouras nos troncos das árvores servem para (A) conscientizar a população de que a tesoura é um instrumento inadequado para cortar as árvores de grande porte. (B) mostrar as instruções de corte nos picotes que aparecem nas embalagens. (C) chamar a atenção da população para a necessidade de poda das árvores. (D) alertar contra o desperdício de papel, já que a árvore é matéria-prima essencial para sua fabricação. 31_AAP_RPLP_8EF_professor.indd 13 18/12/13 16:07
  • 14. Comentários e Recomendações Pedagógicas / Avaliação de Língua Portuguesa – 8o ano do Ensino Fundamental14 Comentários e Recomendações Pedagógicas O objetivo da questão é avaliar se o aluno interpreta o texto com o auxílio de recursos gráfico-visuais. Antes da leitura do texto, verifique com a turma quais são suas expectativas com relação ao exame das imagens gráficas, suas hipóteses sobre o assunto etc. A leitura do título SOS Mata Atlântica: Eco- nomize pode facilitar ao aluno a compreensão do assunto que será tratado: o socorro à Mata Atlântica. Ainda no título do texto, verifica-se que a utiliza- ção da palavra“economize” causa estranhamento (como economizar a Mata Atlântica?), para entendê-la é preciso estabelecer relação dela com o texto. E a tesoura? Qual é a função dela dentro do texto? E as imagens de picotar que geralmente são utilizadas para demarcar onde cortar o papel? Realizando a leitura dos textos, leve a turma a perceber o recurso utilizado pelo autor em construir o sentido da mensagem por meio da junção dos três troncos das árvores:“É mais fácil cortar o desperdício de papel”,“Pense duas vezes antes de imprimir”,“Só depende de você”. No texto, há o predomínio da linguagem apelativa, cujo objetivo é mudar o comportamento do leitor, conscientizando-o, nesse caso, de que cortar o desperdício de papel é preservar uma árvore, uma vez que ela é a matéria- -prima essencial para sua fabricação, portanto a resposta correta é a D. Para trabalhar a leitura e interpretação de textos que contenham a lingua- gem verbal e não verbal, sugerimos a utilização de textos publicitários, digi- tais, tirinhas e outros que explorem o diálogo entre texto escrito e imagem. Habilidade Identificar tema ou assunto principal de um texto. (H4 – Eixo I) Leia o texto para responder à questão 5. Há vários anos surgiu nos Estados Unidos uma dessas modas esquisitas: sa- patos e bolsas de pele de sapo! É claro que o Brasil, país que abriga diversas espécies desses animais, logo iniciou a matança de sapos e a exportação de suas peles. Em alguns lugares, principalmente no Nordeste, o sapo tornou-se uma verdadeira raridade, tal a intensidade de seu extermínio. O resultado, na forma de desequilíbrio ecológico, não se fez esperar. Várias regiões co- meçaram a ser invadidas por milhões e milhões de besouros ou mariposas. Isso não apenas incomodou terrivelmente seus habitantes – porque esses insetos entravam nas casas ou se acumulavam nas ruas, principalmente em volta dos postes de iluminação -, como também causou enorme prejuízo às 31_AAP_RPLP_8EF_professor.indd 14 18/12/13 16:07
  • 15. 15Comentários e Recomendações Pedagógicas / Avaliação de Língua Portuguesa – 8o ano do Ensino Fundamental plantações, pois as larvas dos besouros são brocas2 de árvore, e as lagartas das mariposas devoram folhas. Por causa disso, foi decretada a proibição da matança e exportação de sapos no Brasil. BRANCO, Samuel Murgel. O meio ambiente em debate. São Paulo: Moderna, 1997. In: EJA 7º ano – Volume 2 – 2. ed. – São Paulo – IBEP, 2009, p. 330. (Coleção Tempo de Aprender. Vários autores). Questão 05 A ideia principal do texto está em: (A) No Nordeste, iniciou-se a matança de sapos, tornando-os uma verdadeira raridade devido a seu extermínio. (B) Os insetos incomodavam os habitantes, pois entravam nas casas ou se acu- mulavam nas ruas. (C) A moda de usar sapatos e bolsas de pele de sapo provocou seu exter- mínio e resultou em desequilíbrio ecológico. (D) O prejuízo às plantações devido à ação das larvas, dos besouros e das ma- riposas que devoram folhas. 2 Broca: Toda larva de inseto que se nutre no interior de qualquer parte de um vegetal, mas principalmente aquelas que devoram o lenho dos troncos de árvores, onde cavam profundas galerias. Disponível em: http://michaelis.uol.com.br/moderno/portugues/definicao/broca%20 _919064.html. Acesso em: 27 de agosto de 2013. 31_AAP_RPLP_8EF_professor.indd 15 18/12/13 16:07
  • 16. Comentários e Recomendações Pedagógicas / Avaliação de Língua Portuguesa – 8o ano do Ensino Fundamental16 Comentários e Recomendações Pedagógicas Todas as alternativas trazem informações explícitas do texto, por isso, tal- vez, o aluno encontre dificuldades para reconhecer que elas convergem para mostrar o assunto principal:“A moda de usar sapatos e bolsas de pele de sapo provocou seu extermínio e resultou em desequilíbrio ecológico” (alternativa C). Para construir o assunto principal do seu texto, o autor informa que surgiu há vários anos nos Estados Unidos uma moda esquisita: a de sapatos e bolsas de pele de sapo. Em consequência, o Brasil inicia a matança desses animais para exportar as suas peles, causando um desequilíbrio ecológico. O professor, sob o enfoque de que as inferências “funcionam como hipóte- ses coesivas para o leitor processar o texto. Funcionam como estratégias ou regras embutidas no processo”(MARCUSCHI, 2008, p. 249), pode apresentar as escolhas utilizadas pelo autor para tratar do tema, em forma de questiona- mentos, a fim de levar o aluno a comparar/contrastar informações presentes no próprio texto, por exemplo: Do que os sapos se alimentam? O que acon- teceria se eles não mais existissem? O levantamento de hipóteses, portanto, é um instrumento que auxiliará o aluno a construir informações a partir daquelas que já conhece, a aprender diferenciar as ideias essenciais das secundárias e a identificar o assunto prin- cipal de um texto. Uma prática a ser desenvolvida pelo professor é, antes da leitura integral do texto, estimular os alunos a fazer previsões referentes ao assunto a ser trata- do, com base no gênero, no título, nas legendas etc., formulando questões que os auxiliem a encontrar as grandes unidades temáticas. Durante a leitu- ra, ao buscarem as respostas, podem se concentrar na compreensão global do texto e, mesmo que não consigam entender todas as passagens nele con- tidas, tentar reconhecer a ideia principal. Alcançado esse objetivo, sugere- -se a troca de opiniões a respeito do que foi lido na forma de discussões e, eventualmente, de debates. 31_AAP_RPLP_8EF_professor.indd 16 18/12/13 16:07
  • 17. 17Comentários e Recomendações Pedagógicas / Avaliação de Língua Portuguesa – 8o ano do Ensino Fundamental Leia o texto e responda às questões 6 e 7. Receita Casera Mineira de Môi de repôi nu ái e ói. Ingredienti: 5 denti di ái 3 cuié di ói 1 cabeça di repôi 1 cuié di mastumati Modi fazê: casca o ái, pica o ái i soca o ái cum sá quenta o ói na cassarola foga o ái socado no ói quenti pica o repôi beeemmm finim fogá o repôi no ói quenti junto cum ái fogado põi a mastumati mexi cum a cuié prá fazê o môi. Sirva cum rôis e melete. Dá pra dois cumê. (Bão pra fazê no domingo). GOULART, Cecília Maria Aldigueri. Escola, leitura e vida. In: Práticas de leitura e escrita. Maria Angélica Freire de Carvalho, Rosa Helena Mendonça (orgs.). Brasília: Ministério da Educação, 2006, p. 69. (Adaptado) Habilidade Relacionar as variedades linguísticas a situações específicas de uso social. (H33 – Eixo VI) Questão 06 A escrita da“Receita Casera Mineira”expressa (A) a forma diferente de escrever um poema. (B) um falar típico regional de Minas Gerais. (C) a reprodução da fala de uma gaúcha. (D) a dificuldade de escrita do autor da receita. 31_AAP_RPLP_8EF_professor.indd 17 18/12/13 16:07
  • 18. Comentários e Recomendações Pedagógicas / Avaliação de Língua Portuguesa – 8o ano do Ensino Fundamental18 Comentários e Recomendações Pedagógicas O objetivo da questão é averiguar se o aluno relaciona as variedades linguís- ticas a situações específicas de uso social. Segundo Bagno, “uma variedade linguística é um dos muitos‘modos de falar’uma língua. [...] Esses diferentes modos de falar se correlacionam com fatores sociais como lugar de origem, idade, sexo, classe social, grau de instrução etc.” (BAGNO, 2007, p. 47). Não raro, diferentes modos de falar a língua provocam estranhamento no leitor que se defronta com outros usos dela que não o seu. Um exemplo é o modo como a receita é escrita. O título fornece pistas do gênero textual que será trabalhado, “Receita”, e sua procedência ou região de origem, “Mineira”. Por meio da leitura atenta do título, o aluno provavelmente chegaria a assinalar a resposta correta, ou seja, de que o conteúdo da receita expressa um falar típico regional de Minas Gerais, portanto, a alternativa B. Para construir o sentido global do texto, durante a leitura, sugere-se discutir com a turma se conhecem outros modos particulares de uso da língua de ou- tras regiões, expressos pelos sotaques, tom de voz,“a fala chiada dos cariocas, porexemplo,omodocomoseutilizamasconstruçõessintáticas,asreferências, e tantas outras marcas [...]”(GOULART, 2006, p. 69). Durante a leitura da receita, sugere-se também o trabalho com o léxico a partir das variantes linguísticas, ou da atitude discriminatória de escolha de um modo de falar em detrimento de outro. Nesse caso, não se trata de construir outra receita em conformidade com a norma padrão, mas de acentuar que o objetivo do texto foi o de especi- ficar ou reproduzir a oralidade ou o falar regional do mineiro. Além das leituras dos textos de Goulart (2006) e Bagno (2007), sobre as variedades linguísticas, sugerimos também a leitura de Ilari e Basso (2011). Habilidade Reconheceroefeitodesentidoproduzidopelaexploraçãoderecursosgráficos(pontuaçãoeou- tras notações). (H25 – EixoV) Questão 07 Nofinaldotexto,aexpressão“Bãoprafazênodomingo”estáentreosparênteses (A) para diferenciar a fala do mineiro dos habitantes de outros estados. (B) porque deveria fazer parte dos ingredientes. (C) para acrescentar mais ingredientes à receita. (D) para acrescentar um comentário que não faz parte da receita. 31_AAP_RPLP_8EF_professor.indd 18 18/12/13 16:07
  • 19. 19Comentários e Recomendações Pedagógicas / Avaliação de Língua Portuguesa – 8o ano do Ensino Fundamental Comentários e Recomendações Pedagógicas O objetivo da questão é avaliar se o aluno reconhece o efeito de sentido pro- duzido pela exploração de recursos gráficos (pontuação e outras notações). Pelo conhecimento prévio que o aluno tem sobre a forma gráfica dos parên- teses, é possível que, após a leitura do enunciado da questão, ele imediata- mente direcione seu olhar para o final do texto, lugar em que está a expressão “Bão pra fazê no domingo”. Segundo Cunha e Cintra (2007), além de outros usos, os parênteses também são empregados“para intercalar um comentário à margem do que se afirma”(CUNHA; CINTRA, 2007, p. 665). É exatamente isso que acontece com a expressão, ou seja, transmite algo a mais, que não neces- sariamente deveria estar ali, uma vez que não faz parte dos ingredientes nem do modo de fazer, sendo apenas uma sugestão de que o leitor faça a receita no domingo. Por tais motivos, a resposta correta é a D. Sugere-se o estudo da pontuação ou outras notações a partir do texto e não de frases soltas, fragmentadas, considerando-o em seu uso em situações comunicacionais. Habilidade Identificar formas de apropriação textual (paráfrases, paródias, citações, discurso direto, indireto, indireto livre). (H6 – Eixo I) Leia o texto e responda à questão 8. ATENÇÃO! COMPRO GAVETAS, compro armários, cômodas e baús. Preciso guardar minha infância: os jogos de amarelinha, os segredos que me contaram lá no fundo do quintal. Preciso guardar minhas lembranças: as viagens que não fiz, 31_AAP_RPLP_8EF_professor.indd 19 18/12/13 16:07
  • 20. Comentários e Recomendações Pedagógicas / Avaliação de Língua Portuguesa – 8o ano do Ensino Fundamental20 ciranda, cirandinha e o gosto de aventura que havia nas manhãs. Preciso guardar meus talismãs: o anel que tu me deste o amor que tu me tinhas e as histórias que eu vivi. MURRAY, Roseana. Classificados poéticos. 4. ed. São Paulo: Moderna, 2010, p. 9. Questão 08 Percebe-se a presença de trechos de uma cantiga de roda em (A)“ciranda,cirandinha”,“oanelquetumedeste”,“oamorquetumetinhas”. (B)“e as histórias que eu vivi”,“Preciso guardar minha infância”. (C)“os jogos de amarelinha”,“compro armários”,“cômodas e baús”. (D)“e o gosto de aventura”,“que havia nas manhãs”,“e as viagens que não fiz”. Comentários e Recomendações Pedagógicas O objetivo do texto é identificar as formas de apropriação textual (paráfrases, paródias, citações, discurso direto, indireto, indireto livre). A questão solicita ao aluno que identifique, no poema, essas marcas. A alternativa correta é a A (ciranda, cirandinha, o anel que tu me deste, o amor que tu me tinhas). Segundo Koch (2007, p. 30), intertextualidade implícita é “quando se intro- duz, no próprio texto, intertexto alheio, sem qualquer menção explícita da fonte”. Para a autora, de maneira geral, esses intertextos, que fazem parte da memória coletiva (social) da comunidade, são textos conhecidos pelo públi- co, tais como os ditos populares, provérbios, bordões, programas humorísti- cos de rádio ou TV, frases feitas etc. No poema, a autora utiliza o recurso da intertextualidade nos versos 10, “ciranda, cirandinha”, 14, “o anel que tu me deste” e, 15, “o amor que tu me tinhas” fazendo alusão a um trecho de uma cantiga de roda, sugerindo um retorno à infância ou às“lembranças”(verso 8) até então guardadas em“ga- vetas, armários e baús”(versos 1, 2 e 3). 31_AAP_RPLP_8EF_professor.indd 20 18/12/13 16:07
  • 21. 21Comentários e Recomendações Pedagógicas / Avaliação de Língua Portuguesa – 8o ano do Ensino Fundamental É importante ressaltar, no entanto, que para responder corretamente à ques- tão é preciso que o aluno tenha conhecimento sobre a cantiga de roda re- ferenciada, caso contrário a proposta da atividade terá seu sentido anulado. Além da exploração do recurso da apropriação textual presente no texto, se- ria proveitoso trabalhar o modo como o poema é construído, a escolha das palavras pela autora e a função poética da linguagem. A música também é um bom recurso para trabalhar com o texto poético. Habilidade Identificar recursos semânticos expressivos (figuras de linguagem). (H 26 – EixoV) Leia o poema e responda à questão 9. O médico Para o médico, o corpo não tem segredos: é como uma fábrica, uma orquestra, uma casa com os móveis todos no lugar. O sangue corre nas veias como um disciplinado rio. O pulso bate com precisão, afiado relógio marcando a vida. Se alguma coisa se move erradamente, se alguma coisa se quebra, o médico bota o corpo de castigo, e vai escrevendo receitas como cartas que o corpo entendesse. MURRAY, Roseana. Artes e ofícios. 7. ed. – São Paulo: FTD, 1998, p. 8. 31_AAP_RPLP_8EF_professor.indd 21 18/12/13 16:07
  • 22. Comentários e Recomendações Pedagógicas / Avaliação de Língua Portuguesa – 8o ano do Ensino Fundamental22 Questão 09 No poema, a autora utiliza o recurso da comparação para construir várias ima- gens do corpo, como por exemplo, (A)“é como uma fábrica”. (B)“Se alguma coisa se move”. (C)“se alguma coisa se quebra”. (D)“e vai escrevendo receitas”. Comentários e Recomendações Pedagógicas O objetivo da questão é investigar se o aluno identifica o recurso da compa- ração. Pela leitura do título, é possível que o aluno diga que o poema discor- rerá sobre o médico ou, mais precisamente, a figura do médico. A estrutura do texto apresentada em versos já o diferencia dos demais tex- tos, nessa hora seria interessante discutir com os alunos quais são as carac- terísticas da estrutura da poesia, se conhecem, se é comum a todos os poe- mas, o que os diferenciam etc. Durante a leitura, converse com a turma sobre como a autora utiliza o re- curso da comparação para construir a imagem do “correr do sangue” nas nossas veias como um “rio disciplinado”. Esse recurso provoca no leitor di- ferentes sentidos, efeito comum aos textos em que predominam a função poética da linguagem, como o recurso da comparação utilizado pela auto- ra para construir várias imagens do corpo, é como uma fábrica, portanto a alternativa correta é a A. Para Cademartori (2009, p. 104),“a leitura de um verso ou de um poema pro- move um jogo com o sentido, a partir de aproximações que não se esperam e que são capazes de gerar efeitos múltiplos”, ou causar estranhamentos como o efeito do“pulso que bate com precisão”/“afiado relógio marcando a vida”. Explorar com os alunos as diversas possibilidades de ler e sentir o texto poético é dar a eles a oportunidade de comparar e criar novos sentidos de uso e de escolha da palavra, para formar grupos de imagens, palavras sono- ras e imagéticas. 31_AAP_RPLP_8EF_professor.indd 22 18/12/13 16:07
  • 23. 23Comentários e Recomendações Pedagógicas / Avaliação de Língua Portuguesa – 8o ano do Ensino Fundamental Habilidade Identificar os fatos de um texto em sequência lógica. (H 7 – Eixo I) Leia o texto e responda à questão 10. Padrões de beleza e classe social Nem sempre as pessoas magras foram as mais desejadas e invejadas. Até o século XVI, as mulheres“cheinhas”encarnavam o ideal feminino de beleza. Isso porque gordurinhas a mais representavam um estilo de vida elevado, próprio de quem tinha dinheiro e não trabalhava. Já as mulheres magras eram asso- ciadas ao trabalho e à pobreza, sendo, por isso, consideradas mais feias ou “inferiores”socialmente. Hoje, embora os tempos e os valores sejam outros, ainda há um fundo econô- mico nos padrões de beleza, que valorizam os magros: é considerado bonito quem tem tempo e dinheiro para malhar nas academias e cuidar esteticamen- te do corpo. CEREJA, William Roberto. MAGALHÃES Thereza Cochar. Português: linguagens, 8º ano. 5. ed. reform. São Paulo: Atual, 2009, p. 184. Questão 10 Assinale a alternativa que apresenta os fatos principais do texto na sequência em que ocorreram. (A)“Até o século XVI, as mulheres‘cheinhas’eram o ideal feminino de be- leza”.“Já as mulheres magras eram associadas ao trabalho [...]”. (B)“Já as mulheres magras eram associadas ao trabalho e à pobreza”. “Nem sempre as pessoas magras foram as mais desejadas e invejadas”. (C)“é considerado bonito quem tem tempo e dinheiro para malhar”. “Nem sempre as pessoas magras foram as mais desejadas e invejadas”. (D)“Hoje, embora os tempos e os valores sejam outros”. “Isso porque gorduri- nhas a mais representavam um estilo de vida elevado[...]”. 31_AAP_RPLP_8EF_professor.indd 23 18/12/13 16:07
  • 24. Comentários e Recomendações Pedagógicas / Avaliação de Língua Portuguesa – 8o ano do Ensino Fundamental24 Comentários e Recomendações Pedagógicas O enunciado da questão sugere a retomada do texto “Padrões de beleza e classe social”em busca de elementos que marquem a sucessão do fatos nele presentes. A alternativa A: “Até o século XVI, as mulheres ‘cheinhas’ eram o ideal feminino de beleza”.“Já as mulheres magras eram associadas ao traba- lho [...]”confirma a sequência escolhida pelo autor, que indica o belo cultua- do no passado e nos dias atuais. Para que o aluno adquira a habilidade em questão, o professor pode sele- cionar textos do gênero, que priorizem a localização dos fatos sequenciados e a coerência estabelecida entre eles. Sugere-se, também, o trabalho com narrativas curtas que, pela sua constituição, trazem ações encadeadas numa sequência temporal. 31_AAP_RPLP_8EF_professor.indd 24 18/12/13 16:07
  • 25. 25Comentários e Recomendações Pedagógicas / Avaliação de Língua Portuguesa – 8o ano do Ensino Fundamental Referências Bibliográficas BAGNO, Marcos. Nada na língua é por acaso: por uma pedagogia da variação linguística. São Paulo: Parábola Editorial, 2007. BRANCO, Samuel Murgel. O meio ambiente em debate. In: EJA 7º ano – Volume 2 – 2ª ed. – São Paulo – IBEP, 2009. (Coleção Tempo de Aprender. Vários autores). CADEMARTORI, Ligia. O professor e a literatura: para pequenos, médios e grandes. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2009. (Série Conversas com o Professor: 1) CEREJA, William Roberto. MAGALHÃES Thereza Cochar. Português: linguagens, 8º ano.- 5. ed. reform. – São Paulo: Atual, 2009. CUNHA, Celso; CINTRA, Lindley. Nova gramática do português contemporâneo. 3. ed. Rio de Janeiro: Lexikon Informática, 2007. GOULART, Cecília Maria Aldigueri. Escola, leitura e vida. In: Práticas de leitura e escrita. Maria Angélica Freire de Carvalho, Rosa Helena Mendonça (orgs.). Brasília: Ministério da Educação, 2006. ILARI, Rodolfo; BASSO, Renato. O português da gente: a língua que estudamos a língua que falamos. 2. ed. , 2. reimp. São Paulo: Contexto, 2011, p. 151. KOCH, Ingedore G. Villaça (et al). Intertextualidade: diálogos possíveis. São Paulo: Cortez, 2007. KOCH, Ingedore Villaça, TRAVAGLIA, Luiz Carlos. Coerência textual. 18. ed. –São Paulo: Contexto, 2010. MARCUSCHI, Antonio Luiz. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola Editorial, 2008. MURRAY, Roseana. Artes e ofícios. Desenhos de Beto Lima. 7. Ed. – São Paulo: FTD, 1998. (Coleção falas poéticas). MURRAY, Roseana. Classificados poéticos. Ilustrações Mari Ines Piekas. - 4. Ed. – São Paulo: Moderna, 2010. (Coleção girassol). SÃO PAULO (Estado) Secretaria da Educação. Currículo do Estado de São Paulo: Linguagens, códigos e suas tecnologias. Secretaria da Educação; coordenação geral Maria Inês Fini; coordenação de área, Alice Vieira. 2. ed. – São Paulo: SE, 2012. SMITH, Frank. Leitura significativa. Trad. Beatriz Affonso Neves. 3. ed. Porto Alegre: Editora Artes Médicas Sul Ltda, 1999. SOLÉ, Isabel. Estratégias de leitura. Trad. Cláudia Schilling. 6. ed. Porto Alegre: ArtMed, 1998. Sites pesquisados http://www.escolakids.com/a-familia-e-o-tempo.htm. Acesso em: 07 de setembro de 2013. http://michaelis.uol.com.br/moderno/portugues/definicao/broca%20_919064.html. Acesso em: 27 de agosto de 2013. http://www1.folha.uol.com.br/folha/equilibrio/noticias/ult263u4421.shtml. Acesso em: 7 de setembro de 2013. http://www.comunique9.com.br/2010/02/sos-mata-atlantica-economize.html. Acesso: em 26 de julho de 2013. 31_AAP_RPLP_8EF_professor.indd 25 18/12/13 16:07
  • 26. Comentários e Recomendações Pedagógicas / Avaliação de Língua Portuguesa – 8o ano do Ensino Fundamental26 Avaliação da Aprendizagem em Processo Comentários e Recomendações Pedagógicas – Língua Portuguesa Coordenadoria de Informação, Monitoramento e Avaliação Educacional Coordenadora: Ione Cristina Ribeiro de Assunção Departamento de Avaliação Educacional Diretor: William Massei Assistente Técnica: Maria Julia Filgueira Ferreira Centro de Aplicação de Avaliações Diretora: Diana Yatiyo Mizoguchi Equipe Técnica DAVED participante da AAP Ademilde Ferreira de Souza, Cyntia Lemes da Silva Gonçalves da Fonseca, Juvenal de Gouveia, Patricia e Barros Monteiro, Silvio Santos de Almeida Coordenadoria de Gestão da Educação Básica Coordenadora: Maria Elizabete da Costa Departamento de Desenvolvimento Curricular e de Gestão da Educação Básica Diretor: João Freitas da Silva Centro do Ensino Fundamental dos Anos Finais, Ensino Médio e Educação Profissional Diretora: Valéria Tarantello de Georgel Equipe Curricular CGEB de Língua Portuguesa e Literatura Angela Maria Baltieri Souza, Clarícia Akemi Eguti, Idê Moraes dos Santos, João Mário Santana, Kátia Regina Pessoa, Mara Lúcia David, Marcos Rodrigues Ferreira, Roseli Cordeiro Cardoso, Rozeli Frasca Bueno Alves Elaboração do material de Língua Portuguesa 8º ano - Idê Moraes dos Santos Leitura Crítica Professores Coordenadores dos Núcleos Pedagógicos das Diretorias de Ensino Ana Cristina Fermino, Ana Maria Sant’Ana Mazivieiro, Andrea Righeto, Aparecida Valentina Ivizi Mantovani, Cleber Luis Dengue, Denise Aparecida Xavier, Edina Narta Dascanio Ferreira, Elaine Gonçalves Ramos, Giane de Cássia Santana, Gisele Maria Russel, Graciana B.Inácio Cunha, Irene Rio Stéfani, Lúcia Helena Calderaro, Magda Regina Pereira Bizio, Marcia Cristina Gonçalves, Maria Márcia Zampronio Pedroso, Marisa Aparecida Palhares Raposo, Mônica Silva de Lima, Patrícia Fernanda Morande Roveri, Raquel Tegedor Azevedo, Reginaldo Inocenti, Ronaldo Cesar Alexandre Formici, Rosmeiri Aparecida Rodrigues, Valéria Leão Leitura Crítica e Revisão Equipe Curricular de Língua Portuguesa – CGEB Clarícia Akemi Eguti, Katia Regina Pessoa, Mara Lúcia David, Marcos Rodrigues Ferreira, Rozeli Frasca Bueno Alves Revisão 8º ano – Mara Lucia David 31_AAP_RPLP_8EF_professor.indd 26 18/12/13 16:07
  • 27. 27Comentários e Recomendações Pedagógicas / Avaliação de Língua Portuguesa – 8o ano do Ensino Fundamental Anotações 31_AAP_RPLP_8EF_professor.indd 27 18/12/13 16:07
  • 28. Comentários e Recomendações Pedagógicas / Avaliação de Língua Portuguesa – 8o ano do Ensino Fundamental28 31_AAP_RPLP_8EF_professor.indd 28 18/12/13 16:07