O cangaço bandidos ou mocinhos
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

O cangaço bandidos ou mocinhos

on

  • 805 views

 

Statistics

Views

Total Views
805
Views on SlideShare
805
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
10
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    O cangaço bandidos ou mocinhos O cangaço bandidos ou mocinhos Presentation Transcript

    • O CANGAÇO BANDIDOS OU MOCINHOS? Por: Jefferson Santos
    • PARA RELFETIR UM POUCO• Em outros países se cultuam e em admirações os Piratas e os Pistoleiros do Velho Oeste Norte Americano, por que não saudar as guerras confrontadas por Virgulino Ferreira em solo nordestino como um herói também?
    • PARA RELFETIR UM POUCO• “Em grande parte da nossa literatura regionalista, se o cangaceiro não é visto como herói, é mostrado como vítima das circunstâncias sociais do nordeste – O que é pelo menos parcialmente verdadeiro” – Antônio Carlos Olivieri – Escritor e professor.
    • A FORMAÇÃO DOS GRUPOS: JAGUNÇOS EOS CANGACEIROS.• No período da colonização os chefes de grandes famílias, nobre da coroa portuguesa recebiam terras no Brasil e vinham para cá decididos a conquistar o solo do sertão.• Os grandes senhores usavam bando de homens armados para proteger as suas propriedades de terra, e as disputas entre as famílias pelas suas posses e estas brigas se prolongavam às vezes por dezenas de anos.• Durante o séc. XIX, esses antigos bandoleiros transformaram-se em grupos de capangas ou guarda-costas chamados de Jagunços, defendiam as terras dos grandes e médios fazendeiros, os Jagunços não recebiam salário, em troca de moradia e comida.
    • OS JAGUNÇOS• A função de um é expulsar moradores ou posseiros, eliminando os inimigos de seus senhores, é justamente nesta época que surge o coronelismo, que foi o modo pelo qual os grandes proprietários de terra exerciam o poder político no interior do Brasil. Os Jagunços e o senhor das terras ao centro
    • OS CANGACEIROS• Recebiam o nome de cangaceiros, porque as suas roupas lembram uma canga, arreio utilizado no boi para puxar um carro, usavam espingardas a tiracolo com as correias tiradas no peito lembrando uma canga de boi.• Não tinham moradas fixas, viviam andando pelo sertão a pé ou a cavalo, geralmente prestando serviços a chefes políticos, surgindo no inicio do século XX até meados de 1940, de Antônio Silvino que formou o primeiro grupo e Corisco após a sua morte marca o fim dos cangaceiros. Bando de cangaceiros
    • VIRGULINO FERREIRA DA SILVA• Em 7 de Julho de 1887, em Vila Bela (Atual Serra Talhada),no sertão de Pernambuco, nasce o terceiro dos nove filhos de Maria Lopes e José Ferreira da Silva. Foi batizado com o nome de Virgulino Ferreira da Silva.• Não frequentou a escola, mas os seu pai um homem de posses e de gado pagavam os professores para dar as aulas em casa, aprendendo a ler e a escrever e fazer contas.• Cada um dos irmãos tinha o seu papel importante para a sobrevivência, o mais velho Antônio era o responsável pela plantação e o segundo Levino pelos transportes e Virgulino do pastoreio, com 12 anos já era considerado um dos vaqueiros mais hábil da região, chegando a ganhar várias competições na região onde moravam.
    • VIRGULINO FERREIRA DA SILVA O “LAMPIÃO”.
    • O INICIO DA VIDA NO CANGAÇO• Invasão de propriedade e roubo de gado eram o pretexto frequente para sangrentas brigas no sertão, foi justamente sobre disputas de terras e de poses que os irmãos Ferreira entraram para o cangaço. Segundo a família Ferreira, um morador da fazenda vizinha, da propriedade de José Saturnino, teria invadido suas terras e roubado algumas cabeças de gado.• Virgulino e Levino deram queixa a polícia e foram com um soldado à casa do acusado, Saturnino tomou a questão como um insulto e acusou os Ferreira do mesmo crime e expulsou os Ferreiras de suas terras, iniciando assim uma confusão armada. No dia seguinte foram os três irmãos armados a fazenda do José Saturnino onde foram recebidos a tiros pelos vaqueiros, onde o irmão mais o Antônio foi atingido na coxa.
    • O INICIO DA INJUSTIÇA• José Ferreira, o pai um homem pacato procurou os coronéis mais importantes da região para que atuassem como juízes da disputa, onde a decisão foi favorável ao José Saturnino pois tinha mais privilégios entre os poderosos da região.• Os Ferreira foram obrigados a vender a fazenda e mudar-se para outra região, para a cidade de Nazaré uma cidade próxima, Saturnino comprometeu-se a ficar longe a família Ferreira, mas o trato durou pouco alguns meses, Saturnino descumpriu o acordo onde ocorreram novos tiroteios entre os dois grupos de Saturnino e os Ferreira. Família Ferreira no lado esquerdo Antônio e no lado direito Virgulino
    • OS COSTUMES DE UMA CIDADE• Como de costume na região era proibido portar qualquer tipo de arma na cidade e nos vilarejos próximos, só que os filhos de José Ferreira andavam sempre armados temendo algum ataque a mando do José Saturnino, usando vestimentas de cangaceiros: chapéu de abas largas, roupas de couro muito enfeitadas, punhais e armas de fogo na cintura e a tiracolo. Onde os Ferreira passaram a ser malvistos e hostilizados pela população. Grupo de cangaceiros
    • A MUDANÇA PARA UMA CIDADE• O bando do Sinhô Pereira, o cangaceiro mais famoso na época, atacou a cidade de Nazaré, Virgulino, Antônio e Levino não estavam na cidade, em represália a família dos Ferreira foram atacados pela polícia e pelos habitantes da cidade, Levino é preso em troca da liberdade, a família teria que ir embora da região.• Em 1920 os Ferreira mudam-se para a cidade de Água Branca, no estado de Alagoas, eram agora mais pobres, pois tinham perdido quase todo o gado, além disso, os filhos de José Ferreira chegaram com a fama de bandidos na cidade. De Vila Bela á Água Branca
    • O PRIMEIRO ATAQUE A FAZENDA DESATURNINO• Alguns meses se passam e chega a cidade o boato que a fazenda de Saturnino foi atacada, as acusações caem sobre a família Ferreira, o quarto filho João Ferreira é preso, revoltado com a ação Virgulino mandou um ultimato ao chefe da polícia: Se o irmão não fosse solto iria juntar um bando e tocar fogo na cidade, onde o pedido foi atendido evitando o derramamento de sangue.• A família Ferreira sabia agora que a cidade de Água Branca não era mais segura, o pai José Ferreira pede aos três filhos mais velhos para fugirem para a caatinga e o restante da família iria para o sítio de um amigo.• Adoentada a mãe de Virgulino morre na viagem devido a um infarto.
    • O ATAQUE OUSADO A UMA CIDADE E AMORTE DO PAI• O ataque ousado a vila de Pariconhas (Alagoas) onde o delegado foi surrado e amarrado a um poste e foram roubado 18 contos de reis, provocando a ira do chefe de polícia da cidade de Água Branca Amarilo Batista, onde juntou uma tropa e foi ao sitio onde a família Ferreira se encontrava.• Abrindo fogo em toda a casa com a família dentro morre José Ferreira em 18 de Maio de 1921, quando Lampião ficou sabendo da morte do pai afirmou inúmeras vezes que sua vida agora tinha um único sentido: Vingar a morte do pai e também da mãe, atribuindo as duas à polícia.
    • O NOME DE LAMPIÃO• Virgulino levava uma vida de refugiado fora da lei, decidido a se vingar das afrontas à família, atacando localidades onde se encontravam seus inimigos.• Conta-se que num tiroteio noturno contra a polícia, ele deu tantos tiros seguidos que o cano de sua espingarda iluminou a noite, como se fosse de um lampião, de onde lhe veio o apelido.
    • O CANGAÇO COMO PROFISSÃO• Depois da morte do pai, Virgulino e seus irmãos Antônio e Levino entram definitivamente no cangaço entrando para o bando do Sinhô Pereira, além das táticas de combate e despistamento, aprendeu a relacionar-se com fazendeiros e chefes de políticos, aprendeu a lidar com policiais corruptos, dispostos até a fornecer armas e munição em troca de algum tipo de pagamento.• Sinhô Pereira deixa o bando no inicio de 1922 passando o comando do grupo para Lampião.
    • OS CONFRONTOS COM A POLICIA E AS SUAESCAPADAS• De 1922 á 1926, Pernambuco, Alagoas e a Paraíba eram as áreas de atuação de Virgulino Ferreira da Silva, o cangaço deixava de ser um problema isolado para um problema estadual, a policia não estava preparada para esta situação e os cangaceiros contavam com a ajuda de grandes fazendeiros e chefes políticos.• Para ajudar a policia na busca do fim cangaço surge pessoas voluntárias que tinha sofrido algum tipo de perda por parte dos cangaceiros, juntando-se com a policia formando as VOLANTES, cujo objetivo único era perseguir os cangaceiros pelo sertão.
    • ENCONTRO COM PADRE CÍCERO E O TITULO DECAPITÃO• No inicio de 1926, para escapar da perseguição da policia da Paraíba e Pernambuco, Lampião refugiou-se com seu bando no Ceará, nesta mesma época no nordeste a Coluna Prestes encontrava-se na região, o deputado Floro Bartolomeu então pediu ao Padre Cícero que convidasse o Lampião para combater os revoltosos e que o Lampião seria ordenado a Capitão dos Batalhões Patrióticos.• Lampião aceitou a proposta em troca de armamentos e fardas para combater os revoltosos, foi desta época que Lampião começou a ser chamado de Capitão Virgulino, saindo a caça da Coluna Prestes que já tinha passado pelo Ceará e se encontrava na Bahia, chegando em Pernambuco num encontro casual com a policia, mostrando a carta que tinha recebido com o título da patente os policias dizem que a carta não tem nenhum valor legal e atacam o bando onde fogem em retirada, desiludido volta a vida de cangaceiro e não persegue a Coluna Prestes.
    • OS GRANDES CONFLITOS: SERRA GRANDE EMOSSORÓ• Em 28 de novembro de 1914 nas proximidades de Serra Grande, em Pernambuco um destacamento de 295 homens conseguem alcançar o bando de Lampião, mas eles já estavam bem preparados, entrincheirados com 100 homens vence o conflito, só que num treinamento de tiro acidentalmente morre o irmão mais velho de Lampião o Antônio.• Em junho de 1927, Lampião decide atacar a cidade de Mossoró no Rio Grande do Norte, no percurso até chegar ao seu destino final ataca várias cidades e a população de Mossoró se prepara para enfrentar Lampião e seu bando, chegando em Mossoró a cidade havia feito várias trincheiras esperando o bando, onde foi a primeira vez que o bando de Lampião perde uma batalha, até hoje é festejada na cidade de Mossoró este episódio onde a população defende a sua cidade.
    • BAHIA, DO PARAÍSO AO INFERNO• A partir de 1928, Lampião procura um local de descaço e que não fosse perseguido, escolhendo a Bahia pois até então nunca tinha cometido nenhum crime, nos lugares onde o bando chegava promovia festas e era bem recepcionado, mostrando o outro lado da fama que o acompanhava pelo sertão de um homem generoso e amigo dos pobres, era a forma de conquistar novos simpatizantes e amizades, é na Bahia que ele encontra alguns reforços para o seu bando como é o caso de Antônio de Egrácia, Cristiano Gomes de Silva, que ficou conhecido como Corisco entrando para o bando com 14 anos.• Mas a paz durou alguns meses, uma volante baiana atacou Lampião e o seu bando, a partir dai, a Bahia era considerada por ele um lugar igual aos outros, foi na cidade de Queimados que sofreu o seu ato mais cruel quando o bando entrou na cidade e a população sem perceber quem seria dominou toda a cidade matando todos os policias da cidade e um juiz de direito que morava por lá.
    • CARTAZ ESPALHADO PELO GOVERNO DA BAHIA Cartaz de procura de Lampião
    • MARIA BONITA• Entre 1930 e 1931, entra para o bando Maria Déia Neném, que passou a ser conhecida com o apelido de Maria Bonita, Maria era casada com um sapateiro mas não se dava muito bem com o marido, seus pais tinham uma pequena fazenda entre a Bahia e Sergipe, onde abrigava o bando de Lampião, apaixonado pela mulher que acabara de conhecer pediu a ela para entrar no bando e ela aceitou.• Outras mulheres entraram no bando, onde também se destaca a Dadá esposa do Corisco, acompanhando o marido até a sua morte.
    • MARIA BONITA Maria Bonita antes e quando estava no cangaço
    • O FIM DO REINADO• Foi planejada uma operação contra Lampião em 1931, mas só saiu do papel definitivamente em Janeiro de 1932, numa batalha em Maranduba, no limite entre Sergipe e a Bahia, Lampião a frente com 32 homens consegue escapar do cerco policial de 100 homens.• No final de 1932 os policiais mudam de estratégia e combate violentamente as pessoas que devam cobertura ao bando de Lampião, eram chamados de COITEIROS, que geralmente eram cidadãos indefesos com medo de represálias abrigavam os cangaceiros.• Com isso o bando de Lampião não tinha mais como adquirir abrigos e mantimentos, sendo obrigados a irem a lugares cada vez mais remotos.
    • O CERCO A FAZENDA ANGICOS• Depois de algumas andanças em Alagoas, no inicio de 1938, Lampião procurou novamente refúgio em Sergipe, numa fazenda chamada Angicos, às margens do Rio São Francisco.• José Lucena antigo perseguidor de Lampião e comandante da campanha contra o cangaço em Alagoas, resolveu agir sem o consentimento das autoridades sergipanas, juntando-se com o sargento Aniceto Rodrigues e o Aspirante a oficial Francisco Ferreira de Melo, armou um plano sigiloso.• Na madrugada de 28 de Julho de 1938, 45 homens chegaram a região conhecida como Raso da Catarina, onde cinquenta cangaceiros estavam acampados.• Inexplicavelmente , dessa vez o bando não tinha tomado nenhuma precaução como de costume, sem sentinelas próximos aos acampamentos, com 3 metralhadoras fecharam o cerco e abriram fogo no bando de cangaceiros que ali se encontravam, pondo um fim ao cangaço, alguns ainda conseguiram fugir, mas logo deixaram o cangaço de lado.
    • CABEÇAS DOS INTEGRANTES DOBANDO DELAMPIÃOIsolado na parte debaixo seria a cabeça de Lampião, logo acima a cabeça de Maria Bonita
    • DE VILA BELA A MOSSORÓ
    • MAPA GERAL DE ATUAÇÃO DO CANGAÇO