Introdução aos sacramentos

  • 9,768 views
Uploaded on

Uma breve formação sobre os sacramentos.

Uma breve formação sobre os sacramentos.

More in: Spiritual
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
  • Obrigado, esses slides tem nos ajudado muito, a evangelização em nossa comunidade paroquial. Deus os Abençoe!
    Are you sure you want to
    Your message goes here
  • como posso ter esse documento em meu email?
    Are you sure you want to
    Your message goes here
No Downloads

Views

Total Views
9,768
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
414
Comments
2
Likes
6

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. “ Tirareis com gosto a água das fontes do salvador” Isaías, 12,3
  • 2.
    • SACRAMENTOS
  • 3.
    • SACR = Relação com o “Sagrado”, o “Divino”;
    • MENTUM = Indica o meio ou o instrumento
    • mediante o qual se realiza a relação com
    • o Sagrado, o Divino.
    • >SACRAMENTOS = Sinais Sagrados<
    • CRISTO – O maior Sacramento, o grande sinal de
    • Deus;
    • IGREJA – Sinal, Sacramento de Cristo;
    • NÓS – Sinal, Sacramento da Igreja.
  • 4. Os sacramentos são os canais das graças da redenção. O sacramento é o sinal sensível instituído por Cristo para conferir a graça.
    • Sinal sensível, ou seja, meio pelo qual Deus se comunica com o ser racional. São João Crisóstomo dizia: &quot;Cristãos, se fosses incorpóreo, os dons que Deus te faz também o seriam; mas como tua alma está unida a um corpo, Deus quis apresentar-te por meio dos dons sensíveis o que não pode ser captado senão pela inteligência&quot;.  Efeitos sobrenaturais estão simbolizados pela matéria empregada, como é o caso da água no batismo.
  • 5.
    • Diz o ritual: &quot;Ó Deus, pelos sinais visíveis dos sacramentos realizais maravilhas invisíveis. Ao longo da história da salvação vós vos servistes da água para fazer-nos conhecer a graça do batismo. Já na origem do mundo vosso Espírito pairava sobre as águas para que elas concebessem a força de santificar. Nas águas do dilúvio prefigurastes o nascimento da nova humanidade, de que modo que a mesma água sepultasse os vícios e fizesse nascer a santidade. Concedestes aos filhos de Abraão atravessar o mar Vermelho a pé enxuto, para que, livres da escravidão prefigurassem o povo, nascido na água do batismo. Vosso Filho, ao ser batizado nas águas do Jordão, foi ungido pelo Espírito Santo. Pendente da cruz, do seu coração aberto pela lança fez correr sangue e água&quot; (cf. Ritual do Batismo, Benção da Água Batismal)
  • 6.
    • .
    • POR QUE SETE SACRAMENTOS?
  • 7.
    • Dissemos que os sacramentos são os sete sinais da Igreja que, em Jesus Cristo, se tornam no lugar do encontro de Deus com as pessoas. O que melhor entendemos pela soma de 3 + 4 = 7
    • O 4 é símbolo da realidade deste mundo. Quatro são os elementos da vida: terra, ar, água, fogo. Quatro são as dimensões do movimento: norte e sul, leste e oeste. 4 representa a vida humana e sua realidade.
  • 8.
    • O 3 é símbolo da realidade de Deus: o perfeito, o absoluto, o espírito...
    • 4 + 3 = 7 significa a união, o encontro entre a realidade do mundo, das pessoas humana com a de Deus.
    • Os 7 sacramentos expressam de forma celebrativa o encontro entre Deus e as pessoas humanas.
  • 9. DIMENSÕES DOS SACRAMENTOS :
    • DIMENSÃO – Vertical : ligação com Deus pela realidade da graça, da vida divina, da nossa comunhão com o Pai, o Filho e o Espírito Santo. – a razão de ser dos Sacramentos.
    • DIMENSÃO – Horizontal – Comunitária – São realizados numa comunidade: a Igreja.
  • 10.
    • .
  • 11. Igreja e Sacramentos A palavra Igreja vem do grego, EKLÉSIA, que significa REUNIÃO DOS CONVOCADOS, cuja missão é EVANGELIZAR, quer dizer comunicar a salvação de Deus que veio por Jesus Cristo. A Igreja realiza esta tarefa, através da pregação e do exemplo (gestos fraternos), revelando: o amor de Deus; sua proposta de conversão para todos; sua preferência pelos mais pobres; e sua proposta de transformação da sociedade, a caminho do reino definitivo. A Igreja tem sempre três dimensões essenciais e que se completam.
  • 12.
    • A vida interna da Igreja e sua missão no mundo são percebidas a partir da autoridade constituída, da hierarquia. A Igreja se estrutura de cima para baixo (vertical). A preocupação com a unidade interna leva a uma insistência na atuação das autoridades, guardiãs da verdade, dos dogmas, da moral, das práticas sacramentais, dos ministérios... Cristo é apresentado como profeta, sacerdote e rei, com a tríplice função de ensinar, santificar e governar. Cristo recebeu esta missão de Deus e confere àqueles que têm autoridade na Igreja: o Papa, os Bispos e os Presbíteros.
  • 13.
    • A organização e missão da Igreja são percebidas a partir da sua vida interna, dos sacramentos. Um sacramento é sinal de algo realmente presente: a graça de Deus. Cristo é sinal e presença visível de Deus que não se vê. Ele é a salvação para a pessoa humana e para todo o povo de Deus. A Igreja é sinal e presença visível (enquanto instituição e comunhão/missão) para toda a humanidade do Cristo acolhido na fé e vivido pela comunidade eclesial. Ela é formada por comunidades vivas, onde os seus membros participam na construção da própria vida comunitária, de sua organização e de sua missão. A autoridade da Igreja cumpre mais um serviço à unidade, à animação, do que da defesa das instituições.
  • 14.
    • Jesus Cristo anunciou fundamentalmente o reino: presença salvífica de Deus no mundo. Deste anúncio nasceu a Igreja com a vocação de continuar essa missão de Jesus. O sentido de sua instituição e de sua vida interna (sacramentos) é de continuar o objetivo principal da vida e da mensagem de Jesus: ser manifestação do reino. A comunhão na Igreja é vista a partir de sua missão no mundo. Essa comunhão/missão articula as dimensões “instituição” e “sacramento”, para que a Igreja seja sinal e instrumento do reino que virá. Na missão se afirma o aspecto do compromisso, da práxis, da transformação.
    • A Igreja também se reconhece pecadora e chamada à contínua conversão. Isto a coloca numa posição de humildade, escuta e mudança. Deus se manifesta na história da humanidade e do mundo, para ouvir os apelos de Deus, e a partir desses apelos, restaurar-se continuamente na sua organização e na vida comunitária.
  • 15. SACRAMENTOS
    • Os sacramentos são gestos e expressões de fé, de união, da graça e da benção de Deus, que nos levam a nos comprometer cada vez mais com nossos irmãos. Ao longo de nossa vida há acontecimentos e sinais que representam a nossa fé em Deus. Os sacramentos representam o início de nossa fé e a maturidade da mesma.
    • São sete sinais de fé e vida que selam o nosso compromisso com Deus e com a comunidade formando assim uma relação trinitária, como é o amor da Trindade Eterna.
    Deus + Eu + Comunidade
  • 16.
    • . OS SETE SACRAMENTOS
  • 17. SACRAMENTOS DA INICIAÇÃO CRISTÃ:
    • 1º BATISMO: iniciação na vida de Cristo e na Comunidade de fé (Mateus 3,13-16);
    • 2º CRISMA: confirmação do compromisso batismal e de discípulos do Senhor (adultos na fé) na Igreja e no mundo (Atos 9,17-20);
    • 3º EUCARISTIA: participação na comunhão eucarística, conclusão da iniciação cristã (1Coríntios 10,16-17);
  • 18. SACRAMENTOS DA SAÚDE E DO AMOR SOLIDÁRIO:
    • 4º PENITÊNCIA ou CONFISSÃO: retomar a amizade, reconciliar-se com Deus e com os irmãos através do perdão dado por Cristo (Lucas 15,11-31);
    • 5º UNÇÃO DOS ENFERMOS: ato de solidariedade com quem sofre, implorando o perdão e a recuperação da saúde (Tiago 5,13-16);
  • 19. SACRAMENTOS DA MATURIDADE DA FÉ E DO SERVIÇO:
    • 6º MATRIMÔNIO: amor conjugal, compromisso do amor no casamento, símbolo do amor de Cristo para com a sua Igreja (Efésios 5,22-28);
    • 7º ORDENAÇÃO: vários ministros que Deus suscita para o serviço da Igreja: Bispos, Presbíteros, Diáconos (Lucas 22,24-27).
  • 20. Bibliografia Básica:
    • FRANCISCO TABORDA, Nas Fontes da Vida Cristã , S. Paulo, Loyola, 2001.
    • FRANCISCO TABORDA, Sacramento Práxis e Festa , Petrópolis, Vozes, 1987.
    • FÉLIX MORACHO, Sacramentos da Iniciação Cristã , S. Paulo, Paulus, 1999.
    • LEONARDO BOFF, O Sacramento da vida e a vida dos Sacramentos , Petrópolis, Vozes, 1979.
    • V. CODINA & D. IRARRAZAVAL, Os sacramentos de iniciação , Petrópolis, Vozes, 1988.
    • J. GUILLET, De Jesus aos sacramentos , São Paulo, Paulinas, 1991.
    • J. F. LÓPES, Os sacramentos no dinamismo do seguimento de Jesus presente no pobre , São Paulo, Paulinas, 1995.
    • MAUCYR GIBIN (trad.), Tradição Apostólica de Hipólito de Roma , Petrópolis, Vozes, 2004.
  • 21.