Eucaristia

7,163 views
6,806 views

Published on

Entender melhor a missa. E sua importancia.

Published in: Spiritual

Eucaristia

  1. 2. <ul><li>“ Eu sou o Pão da vida : aquele que vem a mim não terá fome, e aquele que crê em mim jamais terá sede” (João 6,35) </li></ul>
  2. 3. Na última Ceia, Cristo instituiu o sacrifício e a ceia pascal, que tornam continuamente presente na Igreja o sacrifício da cruz, quando o presbítero, representando Cristo Senhor, realiza aquilo mesmo que o Senhor fez e entregou aos discípulos para que o fizessem em sua memória.
  3. 4. <ul><li>“ A celebração da missa, como ação de Cristo e do povo de Deus hierarquicamente ordenado, é o centro de toda a vida cristã tanto para a Igreja universal como local e também para a vida dos fiéis” (IGMR 16); </li></ul><ul><li>“ Está é a participação ardente desejada pela Igreja e exigida pela própria natureza da celebração. Ela constitui um direito e um dever do povo cristão em virtude do seu batismo” (IGMR 18). </li></ul>
  4. 5. <ul><li>A oração eucarística é o ponto culminante da missa, e assim precisa aparecer pela dignidade e solenidade de sua realização; </li></ul><ul><li>A fração do pão deve ser um gesto visível e significativo; </li></ul><ul><li>Na comunhão, se dá o corpo de Cristo, se possível, se dê também o sangue do Senhor; </li></ul><ul><li>Não se enfraqueça a força do “Amém” final da oração eucarística pela recitação em comum da doxologia, pois este “AMÉM” é a ratificação pela assembléia de toda a ação de graças e súplica que o presbítero dirige a Deus, em nome de todos, na oração eucarística . </li></ul>
  5. 6. <ul><li>Evidentemente, a eucaristia não é uma refeição qualquer, mas a Ceia do Senhor, na qual fazemos memória do seu sacrifício da cruz, de sua morte e ressurreição; </li></ul><ul><li>Como diz o nome “eucaristia”, ela é a ação de graças e louvor. Anunciando a morte do Senhor, proclamando a sua ressurreição, celebramos a páscoa do Senhor, do Cristo todo, da cabeça e dos membros do corpo místico; </li></ul><ul><li>Celebramos a nova e eterna aliança e a antecipação do banquete eterno do reino definitivo. </li></ul>
  6. 7. <ul><li>Na eucaristia, </li></ul><ul><li>celebramos o mistério pascal de Cristo. </li></ul><ul><li>Pelos sinais do Pão e do Vinho fazemos o memorial </li></ul><ul><li>deste mistério e, </li></ul><ul><li>através dele, somos transportados para o evento </li></ul><ul><li>fundador da história da salvação: </li></ul><ul><li>a morte e ressurreição de Cristo, </li></ul><ul><li>graças às quais participamos </li></ul><ul><li>da vida trinitária. </li></ul>
  7. 8. <ul><li>LITURGIA EUCARÍSTICA </li></ul><ul><li>O memorial do mistério pascal de Cristo, segundo a ordem do Senhor, se realiza “fazendo o que ele fez naquela ceia derradeira”: “Tomou o pão’ (preparação dos dons) “pronunciou “a benção de ação de graças” (oração eucarística ou anáfora), “partiu o pão” (fração do pão) ” e o deu a seus discípulos” (comunhão). </li></ul>
  8. 9. <ul><li>Na ORAÇÃO EUCARÍSTICA </li></ul><ul><li>encontramos a grande e solene prece de aliança, na qual recordamos celebrativamente à ação salvífica de Deus, por Cristo, no Espírito Santo . </li></ul><ul><li>A oração eucarística é um todo, cuja unidade de estrutura e estilo próprio devem ser respeitados. </li></ul>
  9. 11. <ul><li>SANCTUS </li></ul><ul><li>Santo, Santo, Santo! Senhor Deus do universo, o céu e a terra proclamam a vossa glória! </li></ul><ul><li>Hosana nas Alturas! </li></ul><ul><li>Bendito que vem em nome do Senhor Hosana nas Alturas! </li></ul>
  10. 13. <ul><li>Cuide-se para que o gesto da paz não </li></ul><ul><li>obscureça o rito da fração do pão </li></ul><ul><li> (cf.IGMR 82). </li></ul><ul><li>A fração do pão seja uma ação ritual visível, acompanhada meditativamente pela assembléia com o canto do Cordeiro . Este canto pertence à assembléia e por isso não deve ser entoado nem recitado por quem preside. Diz a Instrução Geral do Missal Romano: “O grupo dos cantores ou o cantor ordinariamente canta ou, ao menos, diz em voz alta, a súplica Cordeiro de Deus , à qual o povo responde. A invocação acompanha a fração do pão; por isso pode-se repetir quantas vezes for necessária até o final do rito. A última vez conclui-se com as palavras daí-nos a paz ” (IGMR 8). </li></ul>
  11. 14. <ul><li>LITURGIA DA PALAVRA </li></ul><ul><li>LITURGIA EUCARÍSTICA </li></ul>
  12. 15. O que era figura (AT), agora se torna realidade (Salvação em Cristo)
  13. 16. <ul><li>Fontes: </li></ul><ul><li>Guia Litúrgico-Pastoral, CNBB. </li></ul><ul><li>Instrução Geral do Missal. </li></ul><ul><li>Sacrosanctum Concilium . </li></ul>

×