Ufsc inovação colaborativa

3,109 views
2,972 views

Published on

Published in: Technology, News & Politics
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
3,109
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1,013
Actions
Shares
0
Downloads
61
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Ufsc inovação colaborativa

  1. 1. Inovação Colaborativa Dr. José Cláudio C. Terra UFSC, 12/11/2010
  2. 2. Três casos...que mudaram nossas vidas
  3. 3. 1
  4. 4. “Um pequeno passo para o homem, um gigante passo para a humanidade”
  5. 5. 2
  6. 6. Case Ipod - Apple O desenvolvedor independente Tony Fadell desenvolve a solução iPod/iTunes em 8 semanas A empresa contrata o empreendedor para criar e liderar uma equipe de 35 pessoas da Philips, IDEO, General Magic, Apple, Connectix e Web TV. A empresa desenvolve a interface com o usuário e design A PortalPlayer oferece a plataforma e produz, junto com a Apple, um reference design. A empresa também gerencia o desenvolvimento do design técnico do produto Tudo foi realizado em 6 meses Fonte: Henry Chesbrough, Industrial Technology Research Institute Conference, October 12, 2007
  7. 7. 3
  8. 8. Slide 9
  9. 9. Redes de conhecimento
  10. 10. “We are also extending our reach beyond our corporate walls, to establish relationships with dozens of small organizations on the leading edge of research in such areas as viruses, bacteria, and certain genes. As big and talented as our corporate research team is, today’s fast paced advances are too diverse and dynamic for any one organization to handle alone.” Senior VP for Research & Development for Pfizer, Dr. John Niblack,
  11. 11. Colaboração: Academia e Propriedade Intelectual (PI) • Cientistas de países desenvolvidos e em desenvolvimento estão cada vez mais escrevendo em co-autorias com colegas de diferentes instituições, países e regiões • As universidades estão explorando a PI com escritórios de transferência e licenças de tecnologia – Escritórios de Patentes • 1980 = 20 • 1990 = 200 • 2004 = todas universidades de pesquisa – Em 2000, as universidades americanas obtiveram US$ 1,1 bi em licenças de PI
  12. 12. %dostrabalhos(co-autoria)ALTEC: Proporção de trabalhos escritos em co-autoria (1985-1999) Fonte: Tarcizio Quirino et alii: “Inovação Tecnológica, sua Política e Gestão no Mundo Ibérico: Como a Disciplina se Reflete no Congresso da ALTEC”, artigo apresentado na ALTEC, Costa Rica, 2001 Imagine níveis crescentes de colaboração Ano do evento
  13. 13. Exemplos das redes de relações na indústria farmacêutica Exemplo de paper sobre sequência de DNA de cromossomos: 133 autores de 85 instituições ! Fonte: Don Cohen e Laurence Prusak, In Good Company, pag. 16 Imagine níveis MUITO crescentes de colaboração
  14. 14. Fonte: The Economist, February 21st, 1998, A Survey of the Pharmaceutical Industry, pag. 15. Exemplos das redes de relações na indústria farmacêutica
  15. 15. Revista Exame, março 2010 16
  16. 16. Um dos recursos da ferramenta é o canal de "perguntas tecnológicas", onde os empregados podem postar perguntas de diferentes áreas do conhecimento. As postagens são classificadas e organizadas de acordo com o assunto e, em seguida, são enviadas aos especialistas mais indicados da empresa. As respostas são postadas na mesma plataforma e o fórum é encerrado só quando o autor da pergunta se sentir satisfeito com a explicação. Desde dezembro de 2007, o Observatório de Tecnologia registrou 1.427 respostas para 307 perguntas tecnológicas. Ao todo, a ferramenta reúne 1.800 usuários e engloba 49 comunidades que tratam de diferentes temas, como tecnologia e meio ambiente. Segundo Sarantopoulos, a ferramenta possibilitou maior interação entre funcionários e parceiros, além de aumentar a proposição de projetos inovadores e estimular o debate sobre as propostas. São Paulo - Como gerir e transmitir o conhecimento técnico em uma empresa que compõe um grupo de mais de 100 mil colaboradores? Este é o desafio que a Sadia tem enfrentado nos últimos anos. Até o final de 2007, a companhia não tinha nenhuma ferramenta que organizasse e disseminasse as informações técnicas entre os funcionários. "Se o empregado saísse da empresa, aquele conhecimento adquirido era perdido", explica o consultor da Sadia, Ioanis Sarantopoulos, que apresentou o case durante o evento Gestão 2.0, promovido hoje (29) pelo TerraForum, em São Paulo. A companhia encontrou a solução no Observatório de Tecnologia, rede colaborativa online criada para gerir conhecimento e inovação produzidos na empresa. Por meio dele, funcionários de unidades distantes puderam estreitar o contato e trocar informações com mais facilidade. Gestão 2.0 Sadia usa rede colaborativa para gerir conhecimento Plataforma online ajuda a reunir, organizar e registrar informações que eram perdidas com o tempo 29/04/2010, Luciana Carvalho Portal Exame, abril 2010 17
  17. 17. Knowledge Management & Internationalisation Inside Knowledge Magazine, UK, september 2008 18
  18. 18. Wikipedias internas Portal CallCenter, 2010 19
  19. 19. 23 Benchmark: Boas Práticas em Arranjos de Inovação Aberta
  20. 20. 24 “Boas Práticas em Arranjos de Inovação Aberta” Empresas participantes Benchmark nacional: Benchmark internacional:
  21. 21. 25 Melhores práticas em Inovação Aberta Práticas Avançadas e World Class – Estratégia A Philips usa inúmeros tipos de parceiros em todos os estágios, da pesquisa básica à comercialização. Além disso, criou um parque tecnológico perto de seus laboratórios. Com isso, mais que mapear as competência estratégicas pelo mundo, a Philips definiu que as competências devem estar próximas a ela. “
  22. 22. 26 Melhores práticas em Inovação Aberta Philips e o High Tech Campus Eindhoven
  23. 23. 27 Boas práticas em Inovação Aberta Relacional 1. Portfólio de Parceiros: • deve estar bem alinhado com a estratégia de inovação aberta, cultura e resultados esperados; • utilizar rede de parcerias globais; • liderança de programas de pesquisa nacionais e internacionais nas suas áreas de atuação. 2. Buscar parcerias além de Universidades e CPs: • utilizar parcerias inexploradas de forma correta, na parte de cadeia certa. 3. Usar Propriedade Intelectual de forma estratégica: • não patentear somente para patentear e não tentar proteger qualquer tecnologia.
  24. 24. 28 Melhores práticas em Inovação Aberta Práticas Avançadas e World Class – Suporte e Serviços A Philips estruturou um arranjo de inovação tecnológica que envolve em um espaço físico fornecedores, consultorias, escritório de patentes, venture capitalists, organizações de pesquisa governamentais, especialistas em pesquisa, etc. Ela ainda oferece escritórios (pagos) para parceiros, incubadora, laboratórios e estimula o sentimento de comunidade, facilitando a colaboração e a acomodação dos freqüentadores do arranjo com estruturas como restaurante, academia e creche. “
  25. 25. 29 Melhores práticas em Inovação Aberta Práticas Avançadas e World Class – Suporte e Serviços No arranjo da Kodak os transportes permitidos são de bicicleta ou à pé, para estimular encontros. Somente há um restaurante central e não são permitidos outros, obrigando os freqüentadores do arranjo a se encontrarem. “ A Nokia promove “dias dos sonhos” com seus parceiros, onde pensam sobre o futuro em qual tipo de produto/tecnologia está relacionado ao futuro. “
  26. 26. 30  O resultado desse estudo mostrou as diferentes práticas adotadas por empresas no que tange à Inovação Aberta ao redor do mundo.  Desta forma, a TerraForum desenvolveu o Modelo de Maturidade de Inovação Aberta, que é composto de quatro grandes níveis. O Modelo de Maturidade
  27. 27. 31 Detalhamento dos graus de maturidade (1/4) Dimensão Estratégica Dimensão Iniciantes Exploradores Avançados World Class Estratégica • A inovação não é vista como estratégica • Parcerias para inovações incrementais • Localização histórica • Inovação é parte da diretriz estratégica • Algumas inovações radicais • Foco em Pesquisa e Desenvolvimento • Perto de universidades • Estratégia de crescimento baseada na inovação • Participa de toda a cadeia de valor da inovação. • Perto dos centros mundiais de conhec. tecnológico. • Aspira ser líder mundial em inovação • Estratégia própria do Arranjo • Parcerias em todo processo de P&D&I; • Arranjo de inovação aberta com locus específico.
  28. 28. Inovação 2.0
  29. 29. Inovação 2.0: um novo conceito  Para suportar os processos da Inovação Aberta, um novo conceito tem sido explorado: a Inovação 2.0.  A inovação 2.0 se utiliza da Web 2.0 para:  Observar discussões, opiniões e interesses de grupos de consumidores.  Entender tendências tecnológicas por acesso a grupos de discussão com participantes de comunidades científicas espalhados pelo mundo.  Receber ideias de qualquer pessoa no mundo.  Realizar desenvolvimento de projetos com parceiros à distância antes dificilmente acessíveis.  Colaborar e discutir com pessoas e organizações a respeito dos seus produtos e ideias.  Capacitar-se em tecnologias à distância.  Formar / prospectar parcerias em tecnologias específicas.  Comercializar tecnologias sem precisar estar fisicamente próximo.
  30. 30. Modelo de Inovação 2.0 – TerraForum 34 Comercialização eScaling Up Testes ePilotosP& D &IIdeias e Insights Inteligência Competitiva Clientes Universidades Centros de Pesquisa Parceiros Concorrentes Fornecedores Web2.0  Previsão  Opiniões  Tendências  Ideias  Concursos  Tecnologias  Investimento  Co-desenvolvimento  Soluçõespontuais  Transferênciasde tecnologia  Opinião lead-users  Plantaspilotos  Feedbackem massa  Comercialização de tecnologias  Marketing viral Inovação2.0- © TerraForum
  31. 31. 37 Peugeot Design Contest Open Design • Mais dde 4 milhões de page views • Designers de cerca de 100 nacionalidades • Prêmios: € 10.000 • 5o ano consecutivo
  32. 32. 38 Lego Open source community
  33. 33. Shell GameChanger  Iniciativa existente desde de 1996  Na época, uma Equipe da Shell recebeu US$ 20 milhões para alocar em tecnologias inovadores  Qualquer funcionário tem 25 minutos para apresentar e defender sua idéia para a equipe do Gamechanger  Idéias bem avaliadas recebem de US$ 100.000 ~ US$ 600.000  Em 1999, 4 das 5 iniciativas com maior crescimento surgiram do Gamechanger  Cerca de 30% do orçamento de R&D para exploração e produção são destinados a iniciativas começadas pelo Gamechanger
  34. 34. Procter & Gamble connect develop http://www.pgconnectdevelop.com  “It's our version of open innovation: the practice of accessing externally developed intellectual property in your own business and allowing your internally developed assets and know-how to be used by others.” Gil Cloyd Chief Technology Officer  Aproximadamente 50% dos novos produtos da P&G utilizam colaboração externa
  35. 35. PG’s Connect + Develop  Desde do início do programa em 2000, o número de produtos originado externamente subiu de 20% para 35% em 2006  Em 2009, mais de 50% dos produtos lançados incorporam algum tipo de tecnologia descoberto fora da P&G  Diminuição dos gastos de P&D de 4,8% das receitas (2000) para 3,4% (2006) com aumento de 60% da produtividade do P&D no mesmo período  Duplicação do valor das ações no período de 2000 ~ 2010
  36. 36. Apresentação de Caso
  37. 37. Febre holandesa chega ao Brasil Princesa da Holanda, Máxima, e a Ministra da Fazenda, Van der Hoeven, em conversa com a ganhadora de uma das batalhas holandesas.
  38. 38. Philips
  39. 39. Batalha Philips  Problema de gasto excessivo na produção de manuais ainda que possuam baixo uso é questão de todo o mercado de eletroeletrônicos.  Batalha apresenta os principais produtos da empresa e quais informações técnicas básicas um manual deve ter.  Data do encerramento: 07 de novembro de 2009. . “Desenvolver uma forma simples, interativa e intuitiva de configurar os manuais de uso dos nossos produtos” Desafio Detalhamento
  40. 40. Whirlpool .
  41. 41. Batalha Whirlpool  Batalha apresenta o que é o ponto de venda Whirlpool e como se comporta o consumidor.  Convidava participante a visitar ponto de venda.  Data do encerramento: 03 de novembro de 2009 . “Como inovar na comunicação do posicionamento de nossas marcas Brastemp e Consul no Ponto de Venda?” Desafio Detalhamento
  42. 42. Fundação Pró-Sangue .
  43. 43. Batalha Fundação Pró-Sangue  Apresentação do público que costuma doar sangue.  Descrição das precauções necessárias para garantir um doação de qualidade.  Definição de um patamar de doações como resultado do conceito.  Data do encerramento: 23 de novembro de 2009 . “Buscar uma forma simples interativa, racional e emocional, que toque o coração das pessoas entre 40 a 65 anos e que as estimulem a doar sangue em todo Brasil. ” Desafio Detalhamento
  44. 44. Tecnisa .
  45. 45. Batalha Tecnisa “Conceitos para melhoria e diferenciação da infraestrutura de tecnologia, lazer e/ou serviços nas unidades residenciais e condomínios desenvolvidos pela Tecnisa” Desafio Detalhamento  Apresentação do modelo de negócio atual e posicionamento da empresa.  Batalha abrangente, focada principalmente nos valores e história. Soluções poderiam estar contempladas em qualquer tópico que o participante desejasse.  Definição de 7 possíveis temas.  Data do encerramento: 06 de maio de 2010.
  46. 46. Vopak
  47. 47.  Alguns produtos necessitam de aquecimento para que seu bombeamento e armazenamento sejam facilitados, já que em temperatura ambiente apresentam elevada viscosidade ou até mesmo solidificam-se.  Este é um problema de todo o mercado de armazenamento de químicos.  Foi dada todas as especificações técnicas dos produtos e dos tanques a serem considerados.  Data do encerramento: 17 de novembro de 2009 “Crie um sistema rápido de aquecimento de tanques visando transferir somente parte do volume aos caminhões e sem alterar as especificações do produto.” O Desafio Detalhamento Vopak - 1ª Batalha
  48. 48. Terminal Vopak Ilha Barnabé – Santos (área ocupada de 39.525 m² e capacidade de armazenamento de 47.477 m³)  Total de 66 tanques, distribuídos em 6 bacias de contenção, sendo que 2 tanques de 40 m³ são destinados ao armazenamento de água de chuva.  Foram apresentadas planta com o layout do terminal, planta geral de drenagem e detalhamento dos tanques.  Data do encerramento: 12 de julho de 2010 “Projete um sistema de captação e utilização de águas pluviais nos terminais da VOPAK” O Desafio Detalhamento Vopak - 2ª Batalha
  49. 49. AlphaVille Urbanismo
  50. 50.  No final de 2009, a AlphaVille Urbanismo lançou seu novo serviço - Living Solutions – que atrela a venda da casa à venda do lote em empreendimento AlphaVille.  Posicionamento: Uma solução completa para quem quer ter a casa dos seus sonhos sem se preocupar em construir.  O desafio consiste em 1) compreender comunicação atual do Living Solutions; 2) Melhorar o conceito para garantir um melhor posicionamento no mercado mobiliário; 3) Criar uma oferta/divulgação do conceito “Living Solutions” ao público alvo de forma inovadora e criativa.  Data do encerramento: 30 de agosto de 2010 “Como melhorar o conceito „Living Solutions‟ e toda a comunicação atrelada de forma inovadora e criativa.” O Desafio Detalhamento Batalha AlphaVille Urbanismo
  51. 51. Inovatec
  52. 52.  Batalha busca conceitos que apresentem formas e processos de consolidar uma cultura de inovação na sociedade a partir do engajamento e envolvimento dos jovens.  É apresentado conceito de Inovação e a importância do tema para a sociedade.  São dadas referências para aprofundamento no tema da Batalha. Melhores participantes da Batalha serão convidados para evento a ser realizado em outubro. “Como difundir a cultura de inovação entre estudantes universitários?” O Desafio Detalhamento Batalha Inovatec
  53. 53. Steel Rocket
  54. 54. O objetivo da empresa é a expansão do seu negócio através da diversificação de produtos em outros segmentos do mercado financeiro. Dada a situação onde um aumento de volume de descontos pode caminhar para um aumento de risco.  Empresa ressalta que não esta à procura de ideias que ampliem nosso negócio de factoring, não queremos ser uma empresa que também presta serviços de fomento mercantil. Como inovação no modelo de Batalhas, a Steel Rocket abre um canal na web em dias determinados para o esclarecimento de dúvidas sobre o desafio. Em que novos produtos e nichos a Steel Rocket deve apostar para ampliar seu negócio? O Desafio Detalhamento Batalha Steel Rocket
  55. 55. Ambev – Movimento CYAN
  56. 56. O Movimento CYAN tem como missão alertar, promover a conscientização e engajar o maior número de pessoas possível na preservação da água. Para dar continuidade as ações já feitas pela empresa surge a ideia de se lançar a batalha para encontrar jovens empreendedores com ideias inovadoras para promover o uso racional da água. Como inovação no modelo de Batalhas, a Ambev abre um canal na web em dia determinado para o esclarecimento de dúvidas sobre o desafio. Qual a sua estratégia para engajar o maior número de pessoas no Movimento Cyan? O Desafio Detalhamento Batalha Ambev - Movimento CYAN
  57. 57. Batalha Natura
  58. 58. Batalha Natura Crie um novo produto cosmético ou linha de produtos com sensorial inovador que encante e ultrapasse as expectativas do consumidor. O Desafio Detalhamento A Natura acredita que as experiências sensoriais vividas através do uso de seus produtos criam uma conexão com os consumidores e contribuem para a promoção do bem–estar-bem. Desta forma, buscam trazer inovações sensoriais e decidiram lançar um desafio junto a jovens estudantes nessa busca. Entendem que a criação de um novo produto cosmético ou linha de produtos contempla também o desenvolvimento de um novo conceito. Por exemplo, quando criaram a linha Natura Mamãe e Bebe criaram também o conceito do “Vinculo”, do “Amor Fundamental”.
  59. 59. Batalha Samarco
  60. 60. Batalha Samarco Como utilizar os subprodutos gerados no processo de concentração do minério de ferro? Em qual indústria eles podem ser usados? O Desafio Detalhamento O aproveitamento/reciclagem de subprodutos como matéria-prima para processos produtivos de outras indústrias tem sido uma forte tendência nos últimos anos e a Samarco já vem há algum tempo desenvolvendo algumas iniciativas neste sentido. A Samarco – visando o desenvolvimento sustentável – está em busca de novas ideias e projetos de aplicações dos subprodutos em diversos setores industriais, visando tanto à utilização deste material in natura, quanto sua utilização após tratamento prévio para adequação aos requisitos dos processos subsequentes.
  61. 61. Batalha Tecumseh
  62. 62. Batalha Tecumseh O desafio consiste em propor novas aplicações e modelos de negócio para uso do T-Control, sendo que estas não precisam ser necessariamente no seguimento de refrigeração O Desafio Detalhamento O T-Control é um controlador eletrônico originalmente concebido para controlar um sistema de refrigeração completo o que inclui o controle do compressor hermético, da temperatura, dos ventiladores presentes no sistema, quer seja para circulação do ar frio dentro do ambiente controlado, quer seja para a remoção de ar quente do condensador, controla resistências de aquecimento. Atualmente o modelo de negócio do T-Control consiste na venda dos controladores, tanto na sua versão “estática” quanto na “móvel”; na venda do serviço de instalação dos controladores “móveis”; e na venda do serviço de telemetria, ou seja, é cobrada uma mensalidade para que o cliente tenha acesso à base de dados via web site.
  63. 63. Benefícios integrados Empresas Estudantes Universidades O Brasil  Investimento reduzido nos processos de ideias e recrutamento de talentos  Relacionamento com ambiente acadêmico  Colaboração externa de inúmeros talentos  Relacionamento emocional com jovens profissionais e possíveis clientes  Destaque no mercado  Remuneração  Experiência com desafios reais  Relacionamento com empresas  Empregabilidade  Prestígio e exposição positiva da marca  Alunos mais interessados e engajados  Casos reais para uso em sala de aula  Empresas mais inovadoras  Jovens participativos e engajados  Sentimento de cocriação e busca conjunta de soluções  Maior interação entre empresas e universidades
  64. 64. Considerações Finais
  65. 65. Slide 72 Mudança de paradigma para inovação aberta Inovação Fechada Inovação Aberta Devemos contratar os melhores talentos Nós mesmos devemos descobrir, desenvolver e vender Se descobrirmos antes, conseguiremos colocar no mercado primeiro Se nós criarmos as maiores e melhores ideias em nosso setor, venceremos Devemos controlar nossa propriedade intelectual a fim de nossos concorrentes não lucrem com nossas ideias Nem todos os talentos do setor trabalham para nós O P&D externo pode criar valor significativo. O P&D externo é necessário para capturar parte desse valor Nós não precisamos originar a pesquisa para lucrar a partir dela Se fizermos o melhor uso de ideias internas e externas, venceremos Podemos lucrar com o uso de nossa propriedade intelectual por parte de terceiros
  66. 66. Considerações Finais  A mudança de paradigma das empresas para a Inovação Aberta tem trazido benefícios significativos para empresas que a utilizam de forma estruturada.  A Web 2.0, por sua vez, vem desempenhando um papel significativo neste novo contexto.  No Brasil, a Inovação Aberta ainda começa a se tornar um conceito aceito.  A Inovação Aberta potencializada pela Web 2.0 demonstra um grande potencial para aumentar o entendimento das oportunidades, diminuir os custos de desenvolvimento e aumentar a probabilidade de sucesso e aceitação pelos usuários finais. 73
  67. 67. Jose Claudio Terra jcterra@terraforum.com.br Twitter: @claudioterra www.slideshare.net/jcterra www.terraforum.com.br/inove www.battleofconcepts.com.br

×