Your SlideShare is downloading. ×
Cadeias Produtivas e Portais do Conhecimento
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Cadeias Produtivas e Portais do Conhecimento

1,698
views

Published on

Este artigo estabelece bases conceituais para o desenvolvimento de um portal do conhecimento …

Este artigo estabelece bases conceituais para o desenvolvimento de um portal do conhecimento
aplicado a uma cadeia produtiva genérica. Apesar de partir de sólidas bases teóricas, não se limita
a revisão de conceitos apresentados ou desenvolvidos anteriormente.
www.terraforum.com.br

Published in: Business

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
1,698
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
69
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Portais Corporativos biblioteca Cadeias Produtivas e Portais do Conhecimento Este artigo estabelece bases conceituais para o desenvolvimento de um portal do conhecimento aplicado a uma cadeia produtiva genérica. Apesar de partir de sólidas bases teóricas, não se limita a revisão de conceitos apresentados ou desenvolvidos anteriormente. Dr. José Cláudio Cyrineu Terra 1. Introdução √ Oportunidade Inovadora: Portal do Conhecimento Aplicado à Cadeia Este trabalho tem como objetivo o estabelecimento Produtiva das bases conceituais para o desenvolvimento de √ Resultados Esperados e Considerações um portal do conhecimento aplicado a uma cadeia Finais produtiva genérica. Apesar de partir de sólidas bases teóricas, não se limita a revisão de conceitos 2. Revisão de Conceitos apresentados ou desenvolvidos anteriormente. De fato, acreditamos que este trabalho tem um caráter Para uma melhor compreensão das bases teóricas bastante inovador. deste trabalho, é necessário que re-visitar, brevemente os conceitos de Cluster Economics, São feitas concisas revisões dos principais pontos Gestão do Conhecimento e Portais Corporativos. relacionados à Teoria de Clusters e Redes de Segundo nossa interpretação, existe um alto Aprendizado, Gestão do Conhecimento e Portais potencial sinérgico entre estes três conceitos. De Corporativos. Estes conceitos, práticas e pontos fato, apesar de estarmos tratando de conceitos de convergência constituem, então, os pontos de pertencentes a áreas distintas de estudo, ou seja, partida para a descrição dos principais objetivos Economia, Administração e Informática, verificam- e funcionalidades (com motivadores associados) se que os temas-chave e dominantes são muito que deveriam estar incluídos em um “Portal do semelhantes. Esta semelhança de temas e, em Conhecimento Aplicado à Cadeia Produtiva”. alguns casos, ferramental de análise, incitou a elaboração deste artigo. Tratamos, a seguir, de Dividimos este trabalho nas seguintes partes: destacar, em separado, cada um destes temas, para ao final deste trabalho, elencarmos algumas √ Revisão de Conceitos proposições de caráter prático. • “Cluster Economics” e a Era das Redes; • Gestão do Conhecimento • Portais Corporativos Aplicados à Gestão do Conhecimento © TerraForum Consultores 
  • 2. Portais Corporativos Cadeias Produtivas e Portais do Conhecimento biblioteca www.terraforum.com.br Modelo Conceitual: Sinergia de Conceitos entre Clusters, Gestão do Conhecimento e Portais das redes e fluxos informais de colaboração e Corporativos conhecimento entre empresas, universidades e Fonte: Desenvolvido pelo autor ©2001 Jose governo; Os keiretsus japoneses e os métodos de Cláudio Terra produção just-in-time, desenvolvidos inicialmente pela Toyota, já se espalharam pelo mundo e têm como uma de suas bases um elevadíssimo grau de 2.1 “Cluster Economics” e a Era das Redes cooperação e troca de informação entre empresas da cadeia produtiva. Na Europa, já existem relatórios A compreensão da vantagem competitiva a partir que falam de uma nova estrutura corporativa: os de conceitos como clusters tem sua origem em “sindicatos de empresas”, ou seja, associações de alguns trabalhos clássicos que detalharam o poder pequenas e médias empresas, que não competem das redes de aprendizado. Michael Porter, em entre si e que são co-proprietárias de “cooperativas” seu livro, A Vantagem Competitiva das Nações, que se encarregam de atividades comuns como: chamou atenção para o ambiente de aprendizado, marketing, distribuição, entrada em mercados cooperação e alta concorrência existente em micro- estrangeiros, licenciamento de tecnologia, etc. Com regiões; Anna Lee Saxenian contou com grande esta estrutura, as empresas individuais se centram habilidade (em seu livro: Regional Advantage) em suas atividades principais e diferenciadoras (e.g. o desenvolvimento do Vale do Silício a partir design, P&D, etc). © TerraForum Consultores 
  • 3. Portais Corporativos Cadeias Produtivas e Portais do Conhecimento biblioteca www.terraforum.com.br ordens de produção. Em muitos casos, as trocas Enfim, empresas que pertencem a clusters de “intangíveis” são, de fato, as únicas trocas competitivos trabalham, de forma geral, de relevantes entre os atores do cluster. Nesta nova maneira bastante sinérgica e/ou podem deter era, os participantes destas redes colaboram para vários interesses comuns. Entre os quais podemos atender as necessidades de curto e longo prazo dos citar: satisfação do cliente final, desenvolvimento clientes e criar novos conhecimentos e produtos. tecnológico, regulamentação setorial ou local, treinamento da força de trabalho, desenvolvimento Manuel Castell, conhecido professor de sociologia da infra-estrutura, exportação, relações com o de Berkeley e astuto observador de mudanças governo, academia e outras instituições com fins econômicas e sociais engendradas pelas tecnologias não comerciais, etc. de informação e telecomunicações, acredita que: the network is the enterprise. Os conceitos, pois, Vários autores têm previsto que, através de novos de redes de empresas e/ou empresa em rede são patamares e formas de networking, nós começamos levados muito mais adiante por Castell. Na sua a ver a rápida mudança no papel desempenhado interpretação, a network enterprise é uma “agência pelas grandes corporações e a emergência de de atividade econômica” (lean agency of economic como o trabalho deverá ser realizado no século activity) onde as práticas de negócio são realizadas XXI. A mudança neste momento seria tão profunda de maneira ad hoc dependendo de projetos como aquela que ocorreu a partir da revolução específicos e demanda bastante efêmera. industrial. Apesar das constantes notícias de fusões e aquisições em todo o mundo, verifica- Há que se competir e, ao mesmo tempo, colaborar. se, por exemplo, que a proporção de empregados Muitas vezes as empresas competem em alguns trabalhando para as 500 maiores empresas norte- mercados e colaboram em outros. Hoje nos mercados americanas (Fortune 500) vem caindo de forma mais avançados já se fala muito do "Collaboration constante nos últimos 25 anos, passando de 20% Capital" e “Digital Capital”. Trata-se da idéia, em boa para 10% da força de trabalho na América do Norte. medida, de se aproveitar a infra-estrutura da Internet Estas empresas são claramente menos integradas para aumentar as receitas e lucros através de níveis verticalmente hoje do que no passado. O papel nunca antes atingidos de colaboração em alta fundamental das mesmas, segundo os professores escala e independente da localização geográfica. do MIT Malone e Laubacher, será: “establish rules, Segundo este modelo emergente tudo começa com standards, and cultures for network organizations as necessidades do cliente final e se materializa operating partly within and partly outside their own através de intensa colaboração para otimizar boundaries” ···. os processos conjuntos das diferentes partes e estimular a troca de informações, conhecimentos, A Internet, entretanto, está trazendo todos recursos e pessoas. estes conceitos de clusters e integração entre empresas para um nível bastante mais elevado. Neste ambiente, acreditamos que sem estratégias Contrariamente a estas formas simbióticas mais empresariais e setoriais muito bem concatenadas tradicionais, as novas formas de networking não e, rapidamente implementadas, fica muito difícil estão restringidas por barreiras geográficas, não imaginar que as empresas brasileiras conseguirão envolvem participações acionárias cruzadas (caso se tornar competitivas e, mesmo, sobreviver aos dos keiretsus) e as trocas de informação vão bem desafios impostos pela competição internacional. O além daquelas necessárias para se completar modelo econômico de substituição de importações, © TerraForum Consultores 
  • 4. Portais Corporativos Cadeias Produtivas e Portais do Conhecimento biblioteca www.terraforum.com.br adotado até recentemente pelo Brasil, privilegiava do conhecimento adquire um papel central para o "aprender ao operar". A abertura econômica e a competitividade tanto das empresas, como dos a competição interna e externa com empresas países. Isto, entretanto, nem sempre foi assim, pois, de países desenvolvidos, contudo, tornam outras no passado, vantagens de localização, assim como formas de aprendizado muito mais relevantes o acesso à mão-de-obra barata, recursos naturais e exigem estratégias muito mais modernas e ao capital financeiro tinham papéis muito mais para se nos fluxos internacionais de comércio e determinantes. No Brasil, verifica-se que o recurso conhecimento e acelerar tanto a criação, como o "conhecimento" vem aumentando aceleradamente fluxo de conhecimentos intra e entre empresas sua importância para o desempenho empresarial e outras instituições como centros de pesquisas, e que os desafios impostos pela relativa e recente universidades, entidades de classe, governos, etc. abertura econômica tornam a questão da gestão do conhecimento ainda mais fundamental para as Neste cenário, é cada vez mais difícil imaginar que empresas brasileiras. pequenas empresas atuando de maneira isolada consigam ter sucesso. Elas são incapazes de É evidente que estamos vivendo em um ambiente gerar ou obter todo o conhecimento e informação cada vez mais turbulento, onde vantagens que necessitam e de conseguir escala suficiente competitivas precisam ser, permanentemente, para atuar de forma globalizada. Já as grandes reinventadas e onde setores de baixa intensidade em organizações tradicionais, incapazes de desenvolver tecnologia e conhecimento perdem, inexoravelmente, um intenso ambiente de colaboração com seus participação econômica. Neste contexto, o desafio clientes, fornecedores, parceiros e, até mesmo, de produzir mais e melhor vai sendo suplantado com a concorrência, realmente não entenderam o pelo desafio, permanente, de criar novos produtos, grande paradigma da "Era do Conhecimento". Os serviços, processos e sistemas gerenciais. Por exemplos conhecidos de sucesso empresarial e sua vez, a velocidade das transformações e a regional em solo nacional, as chamadas "ilhas de complexidade crescente dos desafios não permitem excelência", atestam, por sua vez, que a superação mais concentrar estes esforços em alguns poucos desta desvantagem passa obrigatoriamente por indivíduos ou áreas das organizações. estratégias educacionais, gerencias e empresariais concatenadas e, pró ativamente, inseridas no ambiente. É, cada vez mais, necessário tornar a inovação uma missão permanente e alavancar todos os tipos de conhecimentos disponíveis, sejam eles tácitos 2.2 Gestão do Conhecimento ou explícitos, internos ou externos, tangíveis ou intangíveis. Neste cenário, surge em meados dos A gestão do conhecimento sequer tem início anos 90, a "Gestão do Conhecimento" como uma na tecnologia. Ela começa com os objetivos e disciplina e uma função organizacional formalizada, processos de negócios, e o reconhecimento primeiramente nas empresas privadas e, logo em da necessidade de se partilhar informações. seguida, em empresas e órgãos governamentais e entidades supranacionais, como o Banco Mundial, Bill Gates, Presidente da Microsoft e Nações Unidas. Enfim, Quando se pensa em Gestão do Conhecimento há uma superposição na Vivemos um momento de importante transição direção das análises "micro" (indivíduos e grupos), do ambiente econômico, onde a gestão pró-ativa "meso" (organização) e "macro" (ambiente). © TerraForum Consultores 
  • 5. Portais Corporativos Cadeias Produtivas e Portais do Conhecimento biblioteca www.terraforum.com.br √ Proteger o capital intelectual existente na Vivemos, atualmente, desafios sem antecedentes empresa; em termos de gestão de conhecimento. Os desafios são guiados especialmente por três forças: os √ Alavancar conhecimento existente na enormes volumes de informação que estão sendo empresa e no ambiente externo para criados, armazenados e distribuídos atualmente; melhor servir os clientes; a incrível velocidade com que o conteúdo do conhecimento está mudando; e a transformação √ Melhoria do processo decisório tanto no contínua do local de trabalho. Cada vez mais, para nível gerencial, na produção e na linha de poder sobreviver, as organizações precisam ser frente da empresa; mais pró-ativas ao apoiar a criação e reutilização do conhecimento. Elas também precisam de mais √ Redução de custos e re-trabalho: sistemas automatizados, que possam trazer a fonte de conhecimento ou informação correta para - Não reinventar a roda; o usuário – onde quer que aquela pessoa esteja – de maneira virtualmente instantânea. O tempo é - Evitar atividades de baixo valor importantíssimo! agregado. Em termos bastante práticos, a Gestão do Conhecimento implica, necessariamente, no: É evidente que investimentos em infra-estrutura de informática e telecomunicações estão tendo um √ Desenvolvimento de competências inter- papel importante na consecução destes objetivos. relacionadas nos planos estratégicos, Em particular, aquelas tecnologias baseadas na organizacionais e individuais; Internet e que facilitam o compartilhamento de conhecimento explícito e implícito. Entre os principais √ Aceleração da geração de novos benefícios destas tecnologias está, principalmente, o conhecimentos de valor competitivo: aumento da conectividade entre as pessoas (dentro e fora da organização), redução dos problemas de - Aumento da colaboração entre comunicação entre diferentes níveis hierárquicos funcionários; e melhor interação com fornecedores e clientes. Estas ferramentas podem ser classificadas desde - Facilitação do acesso dos uma perspectiva de "Gestão do Conhecimento", funcionários às fontes de treinamento segundo quatro grandes áreas: (on-line e off-line) informações e conhecimento; √ Descobrir Capital Intelectual e Conhecimento já existente na empresa; √ Gerar novas receitas com base no reuso de conhecimento / capital intelectual existente na empresa; © TerraForum Consultores 
  • 6. Portais Corporativos Cadeias Produtivas e Portais do Conhecimento biblioteca www.terraforum.com.br √ Acesso a Repositório de materiais de Uma CP se concentra nos colegas, na execução de referência: conhecimento explícito que trabalho verdadeiro. O que mantém os membros pode ser facilmente acessado e que evita da PC juntos é um sentido comum de propósito e duplicações de esforços; uma necessidade real de saber o que os outros membros sabem. “Comunidades de Prática” é um √ Sistemas de Gerenciamento de Conteúdo: termo que se refere às maneiras como as pessoas ferramentas que permitem a rápida e trabalham em conjunto e/ou se associam a outras ordenada publicação e distribuição de naturalmente. Ele reconhece e celebra o poder das conteúdos – de forma descentralizada e/ comunidades informais de colegas, sua criatividade ou segundo fluxos bem estabelecidos; e recursos para resolver problemas, e sua habilidade de inventar maneiras melhores e mais fáceis de √ Expertise maps: banco de dados com resolver seus compromissos. listas e descrições das competências de indivíduos de dentro e de fora da As CPs estão intrinsecamente relacionadas às organização (ex: páginas amarelas necessidades dos indivíduos de se conectar com internas da organização), que facilitam outros que partilham experiências ou objetivos de o compartilhamento de conhecimento aprendizagem similares. Elas também podem reunir tácito; pessoas que de outra forma jamais se encontrariam. As CPs mais interessantes são aquelas ligadas (e √ Sistemas de Colaboração Virtual: motivadas) por desafios, interesses ou problemas ferramentas que reduzem as barreiras específicos em comum. As CPs vão além dos limites de tempo e distância no acesso a tradicionais dos grupos ou equipes de trabalho. Estas conhecimentos. Podem síncronos redes de trabalho podem se estender bem além dos (ex: videoconferência, Chat, etc) ou limites de uma organização. Os encontros podem assíncronos (e-mails, fóruns de discussão, ser ou não regulares, em locais fixos, ou terem etc.). agendas estruturadas. Eles podem ser encontros reais ou virtuais. O que mantém os membros ligados Duas áreas e/ou tópicos relativamente emergentes são seus interesses em comum de desenvolvimento e bastante relacionadas à Gestão do Conhecimento pessoal e de aprendizado conjunto. As CPs podem são as “Comunidades de Prática” e o “E-Learning”. ser efêmeras ou durar um bom tempo. Em qualquer Destacamos alguns de seus elementos abaixo: caso, elas passam por um ciclo vital de atividade e um número variável de membros. Comunidades de Prática Membros de CPs podem fazer parte de um mesmo Frente ao tremendo desafio de promover a partilha departamento, serem de diferentes áreas de uma de conhecimento dentro e entre companhias, o companhia, ou até mesmo de diferentes companhias conceito de “Comunidades de Prática”, criado pelo e instituições. A comunicação tende a ser ampla teórico organizacional Etienne Wenger, é um dos e inclui tópicos que não estão necessariamente desenvolvimentos mais interessante relacionado diretamente relacionados com a tarefa ou projeto à Gestão do Conhecimento. Comunidades de de trabalho. Membros de PCs podem ter participado Prática (CPs) consistem em pessoas que estão de projetos em conjunto ou não. Eles podem criar ligadas informalmente por um interesse partilhado “clubes” semi-abertos, onde a participação se baseia no aprendizado e aplicação de uma prática comum. em relações de forte confiança e na contribuição © TerraForum Consultores 
  • 7. Portais Corporativos Cadeias Produtivas e Portais do Conhecimento biblioteca www.terraforum.com.br que cada um traz para a comunidade ou rede. • É facilmente personalizado de acordo com Outra distinção importante entre PCs e forças-tarefa as necessidades do usuário; é que a participação normalmente é voluntária ou • Os funcionários podem aprender em seu escolhida individualmente. Isso significa que embora próprio ritmo e necessidades de negócios; a participação seja aberta em muitos casos, ela só é • O aprendizado pode ocorrer a qualquer verdadeira se as pessoas atingem um certo nível de momento; e participação (mesmo “ouvir” ativa e atentamente). • Pode ser ligado a uma comunidade de Normalmente, as trocas de conhecimento mais aprendizado de apoio. importantes (principalmente quando envolvem conceitos mais abstratos) que ocorrem no âmbito de CPs têm a ver com as trocas de conhecimento ________ x ________ tácito. Uma das implicações deste fato é que, embora aplicações de TI/Internet ofereçam ferramentas de Qualquer que seja sua forma, formato ou colaboração valiosas e informação abundante, com onde reside, a empresas estão cada vez mais freqüência isso não substituirá o papel da intuição percebendo que o recurso conhecimento se tornou e a riqueza e profundidade das transferências de a chave para estabelecer a sobrevivência, o auto- conhecimento e criação que ocorrem em encontros reforço e a vantagem competitiva. Esta realização, cara-a-cara. Em função disso, muitos esforços acompanhada dos principais avanços em tecnologia de Gestão do Conhecimento estão voltados para de informação, conduziu ao aparecimento da Gestão facilitar a localização de especialistas que nutrem do Conhecimento como uma disciplina ou uma e apóiam o desenvolvimento de Comunidades de preocupação explícita para muitas organizações. A Prática. Gestão do Conhecimento, no senso comum, pode ser pensado como um esforço para melhorar o E-learning desempenho humano e organizacional. Em termos práticas, significa assegurar que os colaboradores O compartilhamento de conhecimento, seja na organização tenham acesso ao conhecimento interna ou externa, formal ou informal, é um dos organizacional quando, onde e na forma que eles desafios organizacionais mais importantes. O precisam; e, talvez, mais importante que eles sejam crescimento de cursos on-line é uma evidência capazes, dispostos e motivados para agir em clara da necessidade de indivíduos de assumir uma benefício da organização. responsabilidade maior por seu próprio processo de aprendizagem. Também é outro indicador de que 2.3 Portais Corporativos Aplicados à Gestão o novo conhecimento deve ser adquirido cada vez Conhecimento mais rápida e continuamente, de forma que esteja adaptado aos desafios atuais das organizações. Portais Corporativos aplicados à Gestão do Outras forças por trás do crescimento da utilização Conhecimento provêem um ponto central, em de e-learning incluem: muitos casos personalizados, de acesso aos recursos de conhecimento - as bases de dados, • Pode reduzir os gastos gerais com sistemas de informação de uma empresa e fontes treinamento; de conhecimento tácito. Também podem incluir • Pode alcançar um número ilimitado tecnologias avançadas para colaboração virtual, de funcionários, independente de sua gerenciamento de conteúdo e comércio eletrônico. localização; Se, por um lado, os já bem conhecidos portais © TerraForum Consultores 
  • 8. Portais Corporativos Cadeias Produtivas e Portais do Conhecimento biblioteca www.terraforum.com.br horizontais e verticais disponíveis na Internet se desorganizado; consolidaram nos últimos anos, os chamados Portais • Indivíduos não tinham condições de Corporativos parecem representar uma oportunidade publicar com facilidade informações para emergente neste final de ano 2001. Eles são mais sempre acessadas por toda empresa; complexos e encontram sua justificativa no apoio à • Muitos métodos diferentes para procurar e missão, estratégias e objetivos da organização e acessar a informação; colaboram para a criação de um modelo de negócio • E, ao mesmo, sobrecarga de informação; mais colaborativo e descentralizado. • Usuários não técnicos são altamente dependentes do departamento de TI para Na Era da Internet, Portais Corporativos têm gerar relatórios ou obter informação; um papel essencial no esforço de disponibilizar • Ferramentas de visualização caras, não informação e conhecimento onde eles são intuitivas ou inexistentes; necessários nas organizações. Portais Corporativos • Carência de ferramentas de colaboração também representam uma mudança necessária on-line efetivas; no sentido de se estabelecer uma plataforma • Arquiteturas proprietárias caras, o que única para e-Business (BtoE, BtoC, BtoB, etc) e torna difícil de integrar tipos diferentes de prover profunda integração, em tempo-real, de informação; muitas distintas aplicações de TI. Isto representa • Visão antiquada centrada em aplicações uma mudança sísmica no modo de como será de TI no ambiente Desktop. apresentada a informação e em como os muitos sistemas precisarão se comunicar entre si. O valor As empresas, por sua vez, poderão configurar cada dos portais corporativos se amplia na medida que usuário do portal de acordo com níveis de segurança proporciona ele alarga o atual âmbito da informação e autorizações de acesso individuais. Já os usuários, para um cenário em que os usuários finais que têm a possibilidade de personalizar os portais por consomem a informação podem ser empregados, forma a encontrar, aceder e pesquisar os recursos clientes ou fornecedores. disponíveis na empresa, por forma a obterem a informação de negócio que mais lhes é relevante. A A promessa oferecida por Portais Corporativos possibilidade do usuário do portal corporativo poder para capturar e compartilhar conhecimento é muito personalizar tanto o conteúdo como a aparência do interessante, especialmente para as empresas ambiente de trabalho, é uma das vantagens que este intensivas em conhecimento. O Portal Corporativo sistema aporta aos processos de negócio. Muitos pode se tornar o meio através do qual as companhias usuários já estão, inclusivamente, familiarizados venham a superar alguns dos desafios relacionados com a personalização atualmente oferecida pela à administração de informação em um ambiente maior parte dos portais Internet. Em pouco mais de corporativo pré-WEB e pré-Portal. Estes desafios um ano, a funcionalidade «My» dos portais Internet incluíam: veio introduzir um novo padrão às interfaces de informação. • Plataforma e formatos de arquivo proprietários e incompatíveis; 3. Oportunidade Inovadora: Portal do • Difícil acesso à informação; Conhecimento Aplicado à Cadeia Produtiva • Redundância e duplicação de informação através das redes; A revisão dos conceitos apresentados na seção • Informações publicadas de modo anterior nos leva a pensar que existe uma grande © TerraForum Consultores 
  • 9. Portais Corporativos Cadeias Produtivas e Portais do Conhecimento biblioteca www.terraforum.com.br oportunidade sinérgica e inovadora que pode ser aplicada para o fortalecimento de determinadas cadeias produtivas (principalmente aquelas que podem se beneficiar por melhores fluxos de informação e colaboração mais intensa entre os atores públicos e privados da cadeia produtiva). Vislumbram-se importantes estratégias de desenvolvimento regional e/ou de cadeias produtivas que levam, simultaneamente, em consideração os conceitos de Cluster Economics e Gestão do Conhecimento e que alavancam as tecnologias de portais corporativos. Estamos falando da proposta de desenvolvimento de um “Portal do Conhecimento Aplicado à Cadeia Produtiva”. Seguindo-se, pois, as idéias e propostas clássicas para dinamização de clusters e transpondo típicas aplicações de portais corporativos, poder-se-iam prever as funcionalidades do portal dividas em seis grandes áreas: I. Fluxos de Informação. II. Colaboração. III. Formação de Pessoas. IV. Geração de Negócios V. Promoção da Inovação VI. Otimização de Recursos © TerraForum Consultores 
  • 10. Portais Corporativos Cadeias Produtivas e Portais do Conhecimento biblioteca www.terraforum.com.br Proposta de Portal do Conhecimento Aplicado à Cadeia Produtiva OBJETIVOS DO PORTAL MOTIVAÇÃO I) FLUXOS DE INFORMAÇÃO √ É evidente que o portal pode servir como fonte de informações para todas as empresas da cadeia: Prover amplo acesso a informações atualizadas, relevantes e direcionadas • Vários tipos de relatórios e estudos de mercado não são normalmente acessíveis à cadeia produtiva. a maior parte das empresas; • Em certos casos as empresas não têm condições financeiras de adquirir os relatórios e, em outros casos, elas nem mesmo ficam sabendo de sua existência; • Através do portal é possível também se conseguir escala suficiente para se buscar e organizar dados amplamente disponíveis; Coletar informações das empresas √ É possível se estabelecer mecanismos de coletas de dados das empresas bastante para a realização e rápida atualização simples e automáticos através do portal. de estudos setoriais √ Isto não apenas permite a redução de custos, mas também de tempo para a realização de pesquisas e diagnósticos setoriais. √ Pode-se pensar também na criação de inovadores indicadores da evolução do capital intelectual do setor. II) COLABORAÇÃO √ O portal pode utilizar várias ferramentas que permitem trocas virtuais de informação (fóruns de discussão, chats, etc) e também publicação descentralizada de conteúdo por Promover troca de informações e parte das empresas participantes do cluster. colaboração entre as empresas da cadeia produtiva √ Fomentar o desenvolvimento de “Comunidades de Prática” envolvendo pessoas de diversas empresas. √ Estas podem incluir informações sobre a própria empresa, assim como descrição de projetos em andamento. √ É possível se pensar também em áreas do tipo “Perguntas Urgentes”. Promover intercâmbio entre o setor √ O portal pode ser desenhado para prover informações bastante específicas para que, privado e fontes de conhecimento no principalmente as pequenas empresas, tenham acesso instantâneo a informações setor público e acadêmico governamentais (ex: missões comerciais) e acadêmicas (ex: lista de experts e laboratórios nacionais e internacionais relevantes para o setor). √ Pessoas da academia, institutos de pesquisa e governo também podem utilizar o portal para monitorar atividades, projetos e necessidades das empresas. Fonte: Desenvolvido pelo autor ©2001 Jose Cláudio Terra Proposta de Portal do Conhecimento Aplicado à Cadeia Produtiva (Continuação) © TerraForum Consultores 0
  • 11. Portais Corporativos Cadeias Produtivas e Portais do Conhecimento biblioteca www.terraforum.com.br OBJETIVOS DO PORTAL MOTIVAÇÃO III) FORMAÇÃO DE PESSOAS √ Módulos de treinamento on-line podem ser disponibilizados para todas as empresas. Centralizar e reduzir os custos com treinamentos on-line. √ Há uma clara redução nos custos individuais de licenciamento e desenvolvimento dos cursos. √ Ganhos de velocidade na disseminação de novos conceitos são evidentes. Divulgar oportunidades de treinamento √ O portal pode ter uma área para divulgação de oportunidades recomendadas de off-line treinamentos oferecidos por terceiros Criar um mercado de trabalho mais √ O portal pode se tornar um centro de referência para oportunidades de trabalho eficaz tanto para pessoas atuando dentro e fora do setor. √ Aumenta-se a liquidez e oxigenação do mercado. √ Elementos de confidencialidade precisam ser introduzidos para garantir a adesão das empresas. Promover maior uso de ferramentas √ A própria necessidade e oportunidade de utilização do portal pode virar um de informática e Internet importante incentivo para uma informatização maior das empresas do setor. √ Cursos de informática são ideais para o treinamento via Internet. √ Como parte do lançamento do portal poderiam ser oferecidas condições especiais de informatização para pequenas empresas. IV) GERAÇÃO DE NEGÓCIOS √ É bastante interessante a oportunidade de se criar mecanismos para que as empresas possam promover seus interesses comerciais e encontrar parceiros de Promover oportunidades de negócios dentro e fora do cluster. entre as empresas √ Promover a formação de consórcios temporários e/ou permanentes podem ser facilitados por ferramentas de e-project. Promover as empresas locais √ O portal pode servir como elemento de divulgação dos produtos e serviços do globalmente cluster e também para a rápida localização e contato com as empresas. √ Se algumas de suas funções e áreas de conteúdo forem traduzidas para o idioma inglês, o portal pode servir como uma excelente ferramenta de marketing e fomento de negócios internacionais. Promover o comércio eletrônico √ Ferramentas que permitem a rápida configuração de e-business podem ser disponibilizadas no portal. √ As ferramentas podem ser pré-negociadas e adaptadas para as necessidades da cadeia produtiva. √ Mercados eletrônicos tipo leilão também podem ser estabelecidos. Fonte: Desenvolvido pelo autor ©2001 Jose Cláudio Terra Proposta de Portal do Conhecimento Aplicado à Cadeia Produtiva (Continuação) © TerraForum Consultores 
  • 12. Portais Corporativos Cadeias Produtivas e Portais do Conhecimento biblioteca www.terraforum.com.br OBJETIVOS DO PORTAL MOTIVAÇÃO V) PROMOÇÃO DA INOVAÇÃO √ O portal pode ser utilizado para descrever histórias de sucesso entre empresas do cluster. Estes tipos de histórias Promover histórias de sucesso são conhecidos por incitar comportamentos inovadores Difundir normas técnicas √ A difusão mais rápida de normas técnicas tem impacto positivo sobre a qualidade produtiva VI) OTIMIZAÇÃO DE RECURSOS √ Assim como mega empresas multinacionais que utilizam portais internos para que seus funcionários e pesquisadores Mapear e otimizar a utilização dos possam identificar e reservar recursos produtivos e para recursos produtivos da cadeia pesquisa, o portal setorial pode servir para que empresas produtiva associadas “aluguem” parte de seus recursos ociosos. √ Pode-se também criar um mercado para comercialização de competências e capacidades intelectuais. Prover serviços comuns para todas as √ O portal pode ser utilizado para automatizar a prestação de empresas serviços eletrônicos (ex: reserva de viagens, contabilidade, etc) Fonte: Desenvolvido pelo autor ©2001 José Cláudio Terra 4. Resultados Esperados e Considerações Finais dinamização, por sua vez, pode engendrar níveis salutares de competição interna e elevação das Para que o projeto do portal do conhecimento ambições globais. aplicado na cadeia produtiva seja considerado como um projeto de sucesso é necessário que Este trabalho procurou mostrar que as tecnologias ele se torne uma parte integral do trabalho das derivadas e que aproveitam os padrões empresas participantes da cadeia produtiva Ele estabelecidos pela Internet podem ter um papel precisa fornecer às empresas participantes motivos fundamental nestes esforços de dinamização. para visitar o portal com freqüência. As soluções Portais Corporativos com foco em Gestão do de portais mais avançadas não oferecem apenas o Conhecimento são um dos desenvolvimentos e acesso à informação estruturada e não-estruturada. aplicações recentes (principalmente em grandes Elas têm também um papel essencial no fomento empresas internacionais) que apresentam grande a colaboração e contato entre empresas, ou seja, potencial para este fim. Neste trabalho procuramos não apenas estimulam as trocas de conhecimentos realçar várias das possibilidades de aplicação (e explícitos, mas também e principalmente as trocas justificativa conceitual) de portais para dinamização de conhecimentos tácitos. de cadeias produtivas. A dinamização de clusters está sempre associada Assim como nos casos de aplicação de portais para a elevados graus de linkages entre os atores Gestão do Conhecimento em grandes empresas participantes. Quando isto ocorre aumentam-se privadas, o principal desafio não é o tecnológico. sensivelmente o potencial inovador, empreendedor São vários os elementos estratégicos, operacionais e de colaboração no âmbito do cluster. Esta e organizacionais que contribuem para o sucesso © TerraForum Consultores 
  • 13. Portais Corporativos Cadeias Produtivas e Portais do Conhecimento biblioteca www.terraforum.com.br de tais iniciativas. Neste trabalho, focamos nossa 15 Entre algumas das principais referências para um melhor atenção nos elementos estratégicos e conceituais entendimento da tecnologia de portais aplicadas à Gestão do – que devem, de fato, preceder a qualquer iniciativa Conhecimento podemos citar: neste campo. - Terra, J.C. & Gordon, C., Knowledge Management and Corporate Portals: How leading organizations are using Internet technologies to maximize Intellectual Capital and deliver 5. Referências business value, Butteworth Heinemann, Oxford-UK, (a ser lançado em meados do ano 2002) 1 Recentemente Porter re-visitou seus trabalho original e - Collins, H. (2001), Corporate Portals, AMACOM publicou o seguinte artigo: Porter, M., Clusters and The New - Davydov, D.M. (2001), Corporate Portals and e-Business Economics of Competition, Harvard Business Review, pág. 77- Integration, McGraw-Hill 90, Nov.-Dec., 1998 - PriceWaterhouseCoopers & SAP (2001), The E-Business 2 Saxenian, A., Regional Advantage: Culture and Competition Workplace, Wiley in Silicon Valley and Route 128, Harvard University Press, 16 Um dos poucos estudos que conhecemos que propõe algo 1996 semelhante é o seguinte: Jarboe, K., Knowledge Management 3 The Economist, Will the corporation survive? November 1st, As an Economic Development Strategy, Reviews of Economic 2001 Development Literature and Practice: No. 7, U.S. Economic 4 Malone, T. W. & Laubacher, R.J., All change for the e-lance Development Administration. economy, FP Mastering, National Post, July 10, 2001. 5 Ibid 6 Tapscott, D; Ticoll, D & Lowy, A. Digital Capital: harnessing the power of business webs, HBS Press, 2000 7 Castells, M., The Internet Galaxy: Reflections on the Internet, *** Business and Society, Oxford University Press, 2001 8 Tapscott, D; Ticoll, D & Lowy, A., op. cit. José Cláudio C. Terra é presidente da TerraForum 9 Gates, W.H. (com Collins Hemingway), Business @ the Consultores. Atua como consultor e palestrante Speed of Thought: Using a Digital Nervous System, Warner no Canadá, nos Estados Unidos, em Portugal, na Books, 1999, página 238 França e no Brasil. Também é professor de vários 10 Terra, J.C., Gestão do Conhecimento: o grande desafio programas e pós-graduação e MBA e autor de empresarial, Negócio Editora, Segunda edição, 2001 vários livros sobre o tema. Seu email é jcterra@ 11 Ibid terraforum.com.br 12 Wenger, E.C. & Snyder, W. M., Communities of Practice: The Organizational Frontier, Harvard Business Review, jan-fev., 2000, páginas. 139-145 13 Brown, J. S., & Duguid, P. Organizational learning and communities-of-practice: Toward a unified view of working, learning and innovation. Organization Science, 2, 1991: pp: 40-57. 14 Lamont, J., KM and e-learning: a growing partnership, KMWorld, July/August 2001, page 10 © TerraForum Consultores 
  • 14. Portais Corporativos Cadeias Produtivas e Portais do Conhecimento biblioteca www.terraforum.com.br A EMPRESA ARTIgOS RELACIOnADOS A TerraForum Consultores é uma empresa de consultoria e treinamento em Gestão do Conhecimento (GC) e Tecnologia da Informação. Os Gestão do Conhecimento e Sistemas de Informações Públicos clientes da empresa são, em sua maioria, grandes Portais Corporativos: novo instrumento de gestão da informação e médias organizações dos setores público, privado Entendendo os Diferentes Níveis de Sofisticação de um Portal Corporativo e terceiro setor. A empresa atua em todo o Brasil e também no exterior, tendo escritórios em São Paulo, Brasília e Ottawa no Canadá. É dirigida pelo Dr. José Cláudio Terra, pioneiro e maior referência em Gestão do Conhecimento no país. Além disso, conta com uma equipe especializada e internacional de consultores. PUBLICAÇÕES TERRAFORUM Winning at Collaboration Commerce Gestão do Conhecimento e E-learning na Prática Portais Corporativos, a Revolução na Gestão do Conhecimento Gestão do Conhecimento - O Grande Desafio Empresarial Gestão do Conhecimento em Pequenas e Médias Empresas Realizing the Promise of Corporate Portals: Leveraging Knowledge for Business Success Gestão de Empresas na Era do Conhecimento © TerraForum Consultores