Museus de Ciência e formação de professores e educadores

  • 1,108 views
Uploaded on

 

More in: Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
1,108
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
19
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Museus de Ciência e formação de educadores e professores: - Encontros e Desencontros - Adelina Machado João Carlos Sousa Coordenadores Educativos Centro Ciência Viva da Amadora
  • 2. Índice
    • O Centro Ciência Viva da Amadora
    • Os modernos centros de ciência
    • As exposições do CCVA
    • Aprendizagem formal e não-formal
    • Desafios
    • As visitas de estudo e o ensino experimental das ciências vistos a partir do CCVA
    • Respostas
  • 3. O Centro Ciência Viva da Amadora
      • Espaço interactivo de divulgação científica e tecnológica
      • Plataforma de desenvolvimento regional
  • 4. Os modernos centros de ciência Actividades hands-on e de enquiry Aprendizagem por descoberta
  • 5. Objectivos dos modernos centros de ciência
    • Divulgar a cultura científica e tecnológica
    • Estimular a curiosidade do visitante
    • Despertar-lhe o gosto pela investigação pessoal
    • Promover modalidades não - formais de ensino de ciência que decorrem paralelamente ao ensino formal que acontece nas escolas.
      • (Maarschalk, 1988)
  • 6. Aprendizagens nos centros de ciência
    • A centralidade do aprendente na abordagem pedagógica
    • A valorização da experiência como factor de aprendizagem
    • A promoção da participação activa e voluntária em ambientes não hierárquicos
    • A predominância da avaliação qualitativa, contínua e participada por todos
    • Proporciona um contexto de aprendizagem que favorece o desenvolvimento de determinadas competências – essencialmente pessoais e sociais
    • Conducente a processos de transformação pessoal e colectiva.
  • 7. Aprendizagem formal e não-formal
      • Formal
      • Informal
      • Não Formal
  • 8. As exposições do CCVA
    • Arquitectura e urbanismo (2003 - 2008)
    • A casa com os olhos da ciência (2006 – 2010)
    • A Aventura Espacial (2008 - 2012)
  • 9. Uma visita ao CCVA
    • http://www.youtube.com/watch?v=mFzLzFMp-94
    • Exposição do espaço
    • http://picasaweb.google.com/ccvamadora
    • http://www.amadora.cienciaviva.pt/
  • 10. Desafios (I)
    • Como ajudar a pessoa a formar a sua própria identidade enquanto cidadão?
    • É duma prática educativa / formativa em e na cidadania, contextualizada em projectos de aprendizagem que pode emergir a compreensão da importância do empenhamento e do envolvimento de cada pessoa na vida comunitária construindo em permanência a sua identidade. José Tomás Patrocínio, Educação, Cidadania e Redes Infocomunicacionais.
  • 11. Desafios (II)
    • Como proporcionar à pessoa ambientes geradores de uma prática activa / formativa em cidadania?
    • Aprende-se sendo!
    • e nunca se acaba de aprender!
  • 12. Desafios (III)
    • Complementaridade das funções do museu de ciência e da Escola (o museu pode contribuir para a formação científica dos jovens de uma forma que a escola não pode oferecer)
    • Estimular o interesse dos jovens por ciência, e aumentar o seu entusiasmo em aprender mais sobre ciência
    • Disponibilidade de recursos físicos e humanos que permitem a construção de ambientes em que o aluno experimenta - em contexto - aspectos concretos de conceitos científicos
  • 13. Demografia dos vistantes
    • 95% crianças (menos de 16 anos) maioritariamente integradas em grupos escolares
    • Os visitantes distribuem-se de acordo com as seguintes categorias (dados de 2008) :
      • grupos escolares - 25%
      • grupos familiares - 5%
      • eventos (outreach) - 50%
      • festas de aniversário - 20%
  • 14. As visitas de estudo vistas a partir do CCVA
    • Carácter da visita
      • lúdica;
      • abordagem inicial a um tema;
      • reforço à aprendizagem;
      • substituição de aulas.
    • Atitude do professor
      • passiva;
      • activa.
  • 15. Características dos Grupos escolares
    • grupos organizado
    • razoavelmente  homogéneos sob o ponto de vista etário e cultural
    • facilita o desenvolvimento de actividades e a abordagem das temáticas associadas.
  • 16. O ensino experimental das ciências visto a partir do CCVA
    • Calendário
    • Objectivo
    • Modalidade de realização
    • Recursos disponíveis
  • 17. Respostas do CCVA (I)
    • intervenção não formal
      • análise dos currículos;
      • acompanhamento pro-activo das marcações;
      • preparação conjunta de visitas; (incluindo acompanhamento de visitas de reconhecimento)
      • proposta de actividades existentes (a la carte)
      • proposta de desenvolvimento de novas actividades;
      • proposta de co-autoria de actividades;
      • promoção e apoio ao desenvolvimento de projectos. (tendo em vista a promoção de boas práticas)
  • 18. Respostas do CCVA (II)
    • intervenção formal
      • Curso de formação de professores do 1º Ciclo: "Centros e Museus de Ciência como Centros de Recursos para o Ensino Experimental das Ciências"
    • http://www.pavconhecimento.pt/formacao/cursos/centros_museus/centros_museus.html
    591 professores mais de 11 000 alunos 8 Centros Ciência Viva
  • 19. Exemplos de projectos
    • (Projecto 1) Experimentar – Partilhar – Comunicar : um projecto colaborativo de descoberta da Ciência – Falar e escrever com a Ciência
    • (Projecto 2) Europa das Descobertas e outras invenções Científicas : Balão de ar quente
  • 20. Fases do projecto 1
    • Identificação das escolas envolvidas no projecto
    • Levantamento das ideias pré-concebidas dos alunos sobre o tema: “O ar em movimento”.
    • Pesquisa de informação pelos alunos
    • Realização de experiências
    • Partilha / troca de informações entre as escolas
    Registo e reflexão destas fases do projecto em portfólio
  • 21. Fases do projecto 2
    • Identificação das escolas envolvidas e do tema do projecto
    • Recolha dos conceitos pré-existentes
    • Pesquisas na Internet
    • Realização de Experiências sobre as propriedades do ar
    • Construção e lançamento de um balão de ar quente
    • Construção de um cartaz
    • Partilha / troca de informação
    • 7.1. Via e-mail
    • 7.2. Videoconferência
    Registo e reflexão destas fases do projecto em portfólio
  • 22. Projecto 1 – Registo da actividade experimental
  • 23. Projecto 2 – A comunicação
  • 24. Projecto 1 – A opinião dos professores
  • 25. Curso de formação
    • Organização:
    • Módulo 1 – "Ambientes Formais e Informais de Aprendizagem"
    • Módulo 2 – "Como Preparar uma Visita Escolar?"
    • Módulo 3 – "Como acontece uma Visita Escolar?"
    • Módulo 4 – "Actividades de Reforço Após uma Visita Escolar"
    • Módulo 5 – “Prática em Contexto de Trabalho”
    • Módulo 6 – “Visitas de Estudo”
    • Avaliação por portefólio
  • 26. Relatos dos professores (I)
    • A avaliação que faço à visita realizada, com os alunos, ao CCVA foi positiva. Os alunos sabiam as actividades que iriam desenvolver, para onde iam, o que iriam ver e o que iriam fazer.
  • 27. Relatos dos professores (II)
    • A preparação cuidada das Visitas de Estudo [...] revela-se de extrema importância para que os objectivos propostos com as visitas sejam alcançados.
  • 28. Relatos dos professores (III)
    • Esta acção levou-me a repensar na importância da interacção que deverá existir entre a escola e estes centros de recursos reflectindo ainda na necessidade de explorar as diferentes actividades a desenvolver com os alunos antes, durante e após cada visita.
  • 29. Relatos dos professores (IV)
    • [...] colmatar lacunas existentes nesta área, uma vez que a maioria dos docentes não teve oportunidades significativas neste domínio na sua formação inicial.
  • 30. Relatos dos professores (IV)
    • […] visitar um Centro de Ciência Viva é uma experiência totalmente diferente já que é um museu interactivo, havendo a possibilidade de interagir com o que está exposto. Nestes locais os alunos experienciam, tocam, brincam e descobrem.
  • 31. Relatos dos professores (V)
    • [...] é extremamente importante que na preparação da visita, o professor tenha em conta o "antes”, o “durante” e o “após a visita", algo que por vezes é um pouco esquecido.
  • 32. Relatos dos professores (VI)
    • Foi importante também reconhecer o papel do professor, não como docente, mas como orientador e dinamizador no contexto do museu [...]. Se o professor conseguir assumir esse papel, caberá aos alunos criarem os seus próprios desafios, analisarem o espaço por onde circulam e desenvolverem um espírito auto-crítico e trabalho conjunto com os restantes colegas.
  • 33. O que o centro ganhou com esta intervenção
    • Proximidade à comunidade
    • Boas práticas
    • Recursos
    • Número crescente de visitantes
  • 34. Contactos
    • Maria Adelina Machado [email_address] [email_address]
    • João Carlos Sousa [email_address]
    • [email_address]
    • Centro Ciência Viva da Amadora http://www.amadora.cienciaviva.pt Moodle: http://ccva.net.educom.pt
  • 35. Decurso da Actividade (1)
  • 36. Decurso da Actividade (2)