0
UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA Departamento de Ciências Exatas e da Terra –DCET/Campus II Biologia Vegetal I BRIÓFITAS Bi...
<ul><li>CONCEITO </li></ul>Briófitas (hepáticas, antóceros e musgos) são plantas pequenas, avascalures, que vivem sobre ro...
HEPÁTICAS
ANTÓCEROS
MUSGOS
<ul><li>As briófitas, como os demais representantes do Reino Plantae, possuem clorofilas A e B, carotenos, xantofilas, ami...
 
<ul><li>Habitat </li></ul><ul><li>Relações ecológicas </li></ul><ul><li>Caracteres evolutivos </li></ul><ul><li>Cloroplast...
<ul><li>HISTÓRIA EVOLUTIVA  </li></ul><ul><li>PALEOZÓICO ( 408-362 milhões de anos) </li></ul><ul><li>Dados  morfológicos,...
<ul><li>Especialização para condução da água </li></ul><ul><li>Endo-hídrica </li></ul><ul><li>Ecto-hídrica </li></ul><ul><...
<ul><li>Mecanismo de condução </li></ul><ul><li>Células Especializadas em condução </li></ul><ul><li>HIDRÓIDES </li></ul><...
REPRODUÇÃO <ul><li>Diplobiontes </li></ul><ul><li>Heteromórficos </li></ul><ul><li>Gametófito ramificado, fotossintetizant...
 
<ul><li>Tipos de reprodução: </li></ul><ul><li>Assexuada : alternância de geração não obrigatória </li></ul><ul><li>Espóri...
<ul><li>Tipos de reprodução: </li></ul><ul><li>Vegetativa </li></ul>Fragmentação Propagação (gemas) Aposporia: esporófito ...
CICLO DIGENÉTICO HETEROMÓRFICO  GAMETÓFITO DOMINANTE DIPLOHAPLOFASICO ORGANISMO HAPLOBIONTE  Marchantia polymorpha  (Hepát...
Polytrichum sp .  (Musgo) MEIOSE sobre a planta mãe
 
<ul><li>TAXONOMIA </li></ul><ul><li>Engler (1954):  3 classes – Hepaticae </li></ul><ul><li>Anthocerotae </li></ul><ul><li...
HEPATOPHYTA (HEPÁTICAS) SÉCULO IX -  DOENÇAS HEPÁTICAS Ca. 300 gêneros e 6.000 sp. HAPLOMITRIOPSIDA JUNGERMANNIOPSIDA MARC...
<ul><li>Gametófitos talosos ou folhosos, desenvolvendo-se direto do esporo, sem formação de Protonema (reduzido); UNISSEXU...
Hepática talosas : tecido interno diferenciado Talo dividido: superior (dorsal) : fina, rica em clorofila  Inferior (ventr...
Hepática folhosas: tecido interno indiferenciado <ul><li>Filídios : - 2 fileiras + 1 (na base do gametófito) </li></ul><ul...
ANTHOCEROPHYTA (ANTÓCEROS) Anthoceros  Com 6 gêneros e 100 espécies Anthocerotopsida Anthocerotaceae Dendroceroraceae Noto...
CARACTERES: <ul><li>Gametófitos talosos em forma de roseta  desenvolvendo-se direto do esporo, sem formação de Protonema ;...
<ul><li>Estômatos  presentes; </li></ul><ul><li>Presença de cutícula no esporófito; </li></ul><ul><li>Seta ausente; </li><...
BRYOPHYTA (MUSGOS) <ul><li>SPHAGNIDAE: SPHAGNACEAE -  Sphagnum  (400 )  </li></ul><ul><li>ANDREAEIDAE : ANDREACEAE –  Andr...
<ul><li>Gametófito: </li></ul><ul><li>folhoso, filídios espiralados, não divididos; </li></ul><ul><li>tecido interno indif...
<ul><li>Esporófito:  </li></ul><ul><li>desenvolve-se por uma célula apical;  </li></ul><ul><li>presença de caliptra proteg...
<ul><li>Sphagnidae (musgos de tufeira) </li></ul><ul><li>Sphagnum  (400): propriedades anti-sépticas </li></ul><ul><li>Car...
<ul><li>Andreaidae(musgos de granito) </li></ul><ul><li>Andreaea  (pequenos tufos verdes-enegrecidos, avermelhados ou cast...
<ul><li>Bryidae (musgos verdadeiros) </li></ul><ul><li>Várias espécies endêmicas, epífitas em florestas temperadas e tropi...
f Adaptado Raven 2007 Hepáticas Antóceros Musgos Plantas vasculares Anterídeos e arquegônios com camada de células estérei...
OBRIGADA,
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Briofitas

14,045

Published on

0 Comments
6 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
14,045
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
588
Comments
0
Likes
6
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Briofitas"

  1. 1. UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA Departamento de Ciências Exatas e da Terra –DCET/Campus II Biologia Vegetal I BRIÓFITAS Biologia, Filogenia e Sistemática Sphagnum sp.
  2. 2. <ul><li>CONCEITO </li></ul>Briófitas (hepáticas, antóceros e musgos) são plantas pequenas, avascalures, que vivem sobre rochas, solo, troncos ou ramos de árvores, e que demonstram preferência por locais úmidos, já que necessitam de água para realizar a fecundação, mas também ocupam ambientes extremos . Bryon (grego): musgo Phyton : planta Dioscórides (I d.C.)
  3. 3. HEPÁTICAS
  4. 4. ANTÓCEROS
  5. 5. MUSGOS
  6. 6. <ul><li>As briófitas, como os demais representantes do Reino Plantae, possuem clorofilas A e B, carotenos, xantofilas, amido, gorduras, celulose e hemicelulose. São criptógamas (sem flores), avasculares (sistema de condução ausente). </li></ul><ul><li>Pertencem ao sub-reino Embryophyta (que inclui as plantas vasculares) porque o embrião se desenvolve a partir do zigoto, que é o produto da união das células sexuais. </li></ul>
  7. 8. <ul><li>Habitat </li></ul><ul><li>Relações ecológicas </li></ul><ul><li>Caracteres evolutivos </li></ul><ul><li>Cloroplasto com grana; </li></ul><ul><li>Células móveis assimétricas; </li></ul><ul><li>Ruptura do envoltório nuclear; </li></ul><ul><li>Citocinese; </li></ul><ul><li>Células para nutrição do zigoto. </li></ul>ALGAS <ul><li>Gametângios com envoltório; </li></ul><ul><li>Retenção do zigoto; </li></ul><ul><li>Esporófito (2n); </li></ul><ul><li>Esporângios multicelulares; </li></ul><ul><li>Meiósporos com ESPORO- </li></ul><ul><li>POLENINA; </li></ul><ul><li>Meristema apical. </li></ul>Pl. Vasculares
  8. 9. <ul><li>HISTÓRIA EVOLUTIVA </li></ul><ul><li>PALEOZÓICO ( 408-362 milhões de anos) </li></ul><ul><li>Dados morfológicos, ultra-estruturais e moleculares e os registros fósseis revelam que são o mais antigo grupo de plantas hoje existentes. </li></ul>Plantas vasculares Hepáticas Antóceros Musgos Embriófitas Briófitas Adaptado Raven 2007
  9. 10. <ul><li>Especialização para condução da água </li></ul><ul><li>Endo-hídrica </li></ul><ul><li>Ecto-hídrica </li></ul><ul><li>Mixo--hídrica </li></ul>
  10. 11. <ul><li>Mecanismo de condução </li></ul><ul><li>Células Especializadas em condução </li></ul><ul><li>HIDRÓIDES </li></ul><ul><li>LEPTÓIDES </li></ul><ul><li>LEUCOCISTOS </li></ul><ul><li>Condução através de espaços intercelulares </li></ul><ul><li>Célula a célula – Plasmodesmos </li></ul><ul><li>Espaços capilares </li></ul>
  11. 12. REPRODUÇÃO <ul><li>Diplobiontes </li></ul><ul><li>Heteromórficos </li></ul><ul><li>Gametófito ramificado, fotossintetizante e independente; </li></ul><ul><li>Esporófito não ramificado e dependente do gametófito </li></ul>
  12. 14. <ul><li>Tipos de reprodução: </li></ul><ul><li>Assexuada : alternância de geração não obrigatória </li></ul><ul><li>Espórica </li></ul>HIGROSCOPIA
  13. 15. <ul><li>Tipos de reprodução: </li></ul><ul><li>Vegetativa </li></ul>Fragmentação Propagação (gemas) Aposporia: esporófito em gametófito sem meiose (des. da seta) Apogamia: gametófito em esporófito sem fecundação (filídios, protonemas)
  14. 16. CICLO DIGENÉTICO HETEROMÓRFICO GAMETÓFITO DOMINANTE DIPLOHAPLOFASICO ORGANISMO HAPLOBIONTE Marchantia polymorpha (Hepática)
  15. 17. Polytrichum sp . (Musgo) MEIOSE sobre a planta mãe
  16. 19. <ul><li>TAXONOMIA </li></ul><ul><li>Engler (1954): 3 classes – Hepaticae </li></ul><ul><li>Anthocerotae </li></ul><ul><li>Musci </li></ul><ul><li>Diferenciadas pela estrutura do esporófito </li></ul><ul><li>Smith </li></ul><ul><li>Schofield </li></ul><ul><li>FILOGENIA </li></ul>
  17. 20. HEPATOPHYTA (HEPÁTICAS) SÉCULO IX - DOENÇAS HEPÁTICAS Ca. 300 gêneros e 6.000 sp. HAPLOMITRIOPSIDA JUNGERMANNIOPSIDA MARCHANTIOPSIDA Frullania (folhosa) Ricciocarpus (talosa) Marchantia
  18. 21. <ul><li>Gametófitos talosos ou folhosos, desenvolvendo-se direto do esporo, sem formação de Protonema (reduzido); UNISSEXUADOS OU BISSEXUADOS </li></ul><ul><li>Células com numerosos cloroplastos </li></ul><ul><li>Esporófito simples, crescimento definido (célula apical), sem formação de tecidos estéreis no </li></ul><ul><li>interior da cápsula </li></ul><ul><li>Tecido esporígeno Esporos </li></ul><ul><li>Elatérios </li></ul><ul><li>Maturação simultânea dos esporos </li></ul><ul><li>Estômatos ausentes </li></ul>CARACTERES:
  19. 22. Hepática talosas : tecido interno diferenciado Talo dividido: superior (dorsal) : fina, rica em clorofila Inferior (ventral): espessa, s/coloração Rizóides Unicelulares ESCAMAS PORO
  20. 23. Hepática folhosas: tecido interno indiferenciado <ul><li>Filídios : - 2 fileiras + 1 (na base do gametófito) </li></ul><ul><li>- sem costa com região central espessada </li></ul><ul><li>aplanados </li></ul><ul><li>- lobados ou partidos (musgos inteiros) </li></ul><ul><li>Esporófitos caracteristicamente envoltos por uma membrana - PERIANTO </li></ul>
  21. 24. ANTHOCEROPHYTA (ANTÓCEROS) Anthoceros Com 6 gêneros e 100 espécies Anthocerotopsida Anthocerotaceae Dendroceroraceae Notothyladaceae Phaeoceros
  22. 25. CARACTERES: <ul><li>Gametófitos talosos em forma de roseta desenvolvendo-se direto do esporo, sem formação de Protonema ; UNISSEXUADOS OU BISSEXUADOS </li></ul><ul><li>A maioria com células com 1-4 cloroplastos; </li></ul><ul><li>Rizóides unicelulares; </li></ul><ul><li>Esporófito simples, crescimento contínuo (meristema basal); maturação gradual dos esporos (ápice – base) </li></ul><ul><li>Tecido esporígeno Esporos e Pseudoelatérios </li></ul>
  23. 26. <ul><li>Estômatos presentes; </li></ul><ul><li>Presença de cutícula no esporófito; </li></ul><ul><li>Seta ausente; </li></ul><ul><li>Capsula longa e cilíndrica; </li></ul><ul><li>Deiscência do esporângio feita por fendas longitudinais, formando duas valvas em forma de fita. </li></ul>
  24. 27. BRYOPHYTA (MUSGOS) <ul><li>SPHAGNIDAE: SPHAGNACEAE - Sphagnum (400 ) </li></ul><ul><li>ANDREAEIDAE : ANDREACEAE – Andreaea (100 ) </li></ul><ul><li>Andreaeobryum (1) </li></ul><ul><li>BRYIDAE: 114 famílias – Polytrichum, Funaria (10.000) </li></ul>
  25. 28. <ul><li>Gametófito: </li></ul><ul><li>folhoso, filídios espiralados, não divididos; </li></ul><ul><li>tecido interno indiferenciado; </li></ul><ul><li>numerosos cloroplastos; </li></ul><ul><li>rizóides multicelulares; </li></ul><ul><li>presença de protonema (filamentoso produzindo mais de um gametófito). </li></ul>CARACTERES:
  26. 29. <ul><li>Esporófito: </li></ul><ul><li>desenvolve-se por uma célula apical; </li></ul><ul><li>presença de caliptra protegendo a capsula; </li></ul><ul><li>capsula redonda a cilíndrica sustentada por haste pigmentada; </li></ul><ul><li>deiscência simultânea transversal/ maturação dos esporos sicronizada </li></ul><ul><li>Elatérios ausentes; </li></ul><ul><li>presença de peristômio e opérculo; </li></ul><ul><li>presença de estômatos. </li></ul>
  27. 30. <ul><li>Sphagnidae (musgos de tufeira) </li></ul><ul><li>Sphagnum (400): propriedades anti-sépticas </li></ul><ul><li>Caracteres: </li></ul><ul><li>Anterídeos e arquegônios nas extremidades de ramos especiais no ápice do gametófito; </li></ul><ul><li>Liberação dos esporos após maturação de forma explosiva </li></ul><ul><li>Reprodução assexuada por fragmentação </li></ul><ul><li>Protonema pouco comum; </li></ul><ul><li>Gametófito ereto; </li></ul>
  28. 31. <ul><li>Andreaidae(musgos de granito) </li></ul><ul><li>Andreaea (pequenos tufos verdes-enegrecidos, avermelhados ou castanhos – Ártico e montanhas) </li></ul><ul><li>Andreaeobryum (noroeste do Canadá e adjacência do Alasca) </li></ul><ul><li>Caracteres: </li></ul><ul><li>Protonema com duas ou mais fileiras de células (pouco comum); </li></ul><ul><li>Rizóides com duas fileiras de células; </li></ul><ul><li>Cápsula diminuta marcada com 4 linhas verticais; </li></ul><ul><li>Os esporos são dispersos pelo vento. </li></ul>
  29. 32. <ul><li>Bryidae (musgos verdadeiros) </li></ul><ul><li>Várias espécies endêmicas, epífitas em florestas temperadas e tropicais; </li></ul><ul><li>Caracteres: </li></ul><ul><li>Protonema com uma única camada de célula </li></ul><ul><li>( com paredes inclinadas); </li></ul><ul><li>Gametófitos folhosos, pequenos </li></ul><ul><li>Filídios com uma camada de célula, exceto na costa mediana; </li></ul><ul><li>Rizóides multicelulares; </li></ul><ul><li>Esporófito no ápice do gametófito; </li></ul><ul><li>Reprodução assexuada por fragmentação. </li></ul>
  30. 33. f Adaptado Raven 2007 Hepáticas Antóceros Musgos Plantas vasculares Anterídeos e arquegônios com camada de células estéreis Esporos com parede contendo esporopolenina Embrião multicelular Capacidade de conjugar AIA Capacidade para distinguir D-metionina Emissão de isopreno Caliptra persistente na cápsula Cápsula desenvolve-se após alongamento da seta Alongamento gradual da seta Esporófito independente Xilema e floema verdadeiros Lignina verdadeira Briófitas Embriófitas
  31. 34. OBRIGADA,
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×