• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
PETIC SEAD/SE 2.0
 

PETIC SEAD/SE 2.0

on

  • 2,193 views

 

Statistics

Views

Total Views
2,193
Views on SlideShare
2,182
Embed Views
11

Actions

Likes
0
Downloads
17
Comments
0

1 Embed 11

http://fantastico4-gr.blogspot.com 11

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    PETIC SEAD/SE 2.0 PETIC SEAD/SE 2.0 Document Transcript

    • UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GERÊNCIA DE PROJETOS DE SOFTWARE PETIC SEAD/SE 2010-2012 Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação 2010-2012 – Versão 2.0 ALEXSANDRA REZENDE ELENILDES DE ALMEIDA SANTOS COSTA JEAN CARLOS OLIVEIRA DE RAMOS MARCOS ANTONIO SANTANA DOS SANTOS SÉRGIO ANTÔNIO ALVES BARBOSA DISC: SISTEMAS DE INFORMAÇÕES EMPRESARIAIS PROFº Doutor. Rogério Patrício Chagas do Nascimento SÃO CRISTÓVÃO – SE JUNHO 2009
    • APRESENTAÇÃO Este documento foi elaborado como parte integrante de um procedimento com vistas à aquisição de equipamentos de informática para a reestruturação do ambiente tecnológico, para atender às necessidades dos diversos setores da Secretaria de Estado da Administração de Sergipe – SEAD/SE. Com o advento de novas tecnologias, faz-se necessário que a SEAD/SE esteja preparada para atender às demandas dos seus projetos e atividades. É muito importante o alinhamento da tecnologia da informação com as demandas da sociedade, visando rapidez, eficiência e celeridade no acesso à informação, ao atendimento ao cidadão, sustentando a função essencial da SEAD/SE, que é dar segurança e tranqüilidade à sociedade, através de meios ágeis. JUSTIFICATIVA Visando mudar o enfoque até então que se dava sobre a área de informática da SEAD que era quase que totalmente dedicado a Folha de Pagamento dos Servidores Estaduais, a estruturação desta área tornou-se uma necessidade óbvia e imprescindível, uma vez que nenhuma organização, nos dias atuais, funciona eficientemente sem um mínimo de ferramentas informatizadas, metodologias e normas adequadas e corpo técnico especializado e capacitado para dá suporte às diversas atividades do cotidiano. A busca constante pelo processo de modernização da máquina administrativa e otimização do papel da SEAD como órgão Gestor de atividades de grande relevância como, por exemplo: Centros de Atendimento ao Cidadão – CEAC’s, Compras Centralizadas, Gerenciamento de Recursos Humanos, Escola de Governo, Patrimônio, Perícia Médica e Gerenciamento de Frota do Estado, além de gerenciar um parque tecnológico que gira em torno de 300 (trezentos) equipamentos de informática e seus usuários, reforça ainda mais a proposta, pois só assim poderemos agilizar os resultados e fornecer informações gerenciais e
    • estratégicas mais rápidas e consistentes que são fundamentais para a tomada de decisão por parte dos dirigentes de órgãos e do Governo do Estado. Sendo assim, a partir de uma análise detalhada e sistemática de cada elemento da infra-estrutura do CPD da SEAD/SE, pudemos extrair as seguintes considerações quanto aos problemas atualmente encontrados: • Infra-estrutura de rede defasada, com baixa performance e baixa disponibilidade das aplicações, causando constantes quedas no serviço; • Alto custo de energia com servidores espalhados, espaço físico bastante reduzido e baixa performance dos sistemas, sem política de disaster recovery; • Baixa capacidade de armazenamento e pouca velocidade de acesso, sem observância do gerenciamento do ciclo de vida da informação; • Falta de uma política de backup segura, não garantindo a recuperação de informações da empresa, em caso de desastres e falhas, de forma rápida e prática; • Subutilização do potencial do hardware e utilização de aplicações não críticas em um ambiente de difícil gerenciamento e administração; • Falta de adequação do uso dos recursos de TI através do desenvolvimento de uma política de segurança; • Falta de alinhamento dos objetivos estratégicos da empresa com o uso da TI através da implantação de metodologias de gestão de serviços, processos e projetos; • Falta de capacitação de toda a equipe de TI para gerenciar o ambiente. CONTEXTO ATUAL DE TIC SEAD/SE O contexto atual de TIC da Secretaria de Estado da Administração de Sergipe tem como principal problema a integração dos dados com os outros órgãos do governo, causando a redundância das informações e a inconsistência dos dados. Através de levantamentos anteriores, foram observadas falhas em vários itens relacionados à gestão nos setores, onde no gerenciamento de dados que é o principal item a ser
    • melhorado não existe um técnico alocado. Dessa forma, fica difícil gerenciar a variedade de informações que transitam pela base de dados todos os dias. O grande problema a ser solucionado na área de hardware é falta de padronização dos equipamentos, estrutura deficiente e a defasagem dos elementos ativos de comunicação. Com relação a software, existe uma grande dificuldade de integração entre os sistemas existentes, pois os mesmos foram desenvolvidos em diferentes plataformas. No item pessoas, a SEAD/SE não dispõe de mão de obra qualificada e suficiente para atender a demanda de sistemas e suporte ao usuário. Os projetos desenvolvidos na organização não tem um planejamento e acompanhamento adequado para assegurar a qualidade do produto final. CONTEXTO DESEJADO DE TIC SEAD/SE O contexto desejado de TIC na Secretaria de Estado da Administração de Sergipe propõe a criação de um Data Warehouse para que seja resolvido o problema de armazenamento dos dados e também a implementação de uma nova solução de armazenamento baseada em storage. Para que a parte de hardware seja melhorada sugerimos aquisição de no-breaks e switches. No que diz respeito a pessoas, a contratação de novos técnicos é fundamental, também o alinhamento salarial de acordo com o mercado e uma posterior definição de um plano de cargos e salários. Para estruturar melhor a parte de telecomunicações da SEAD/SE, será necessário a ampliação na estrutura de rede e o aumento do link atual. Na parte de software, uma possível melhoria seria a aquisição de ferramentas de portal (wiki, blog, GED, workflow, formulários eletrônicos e aplicativos web), como também a migração das aplicações de plataforma mainframe para tecnologias atuais. Para atualidade na área de projetos, a adoção de modelos de qualidade voltados para gestão e desenvolvimento, como por exemplo, normas ISO, CMMI ou MPS. BR, ajudaria na
    • disciplina dos profissionais em documentar e controlar os artefatos produzidos dentro da organização. Bem como, na definição de uma padronização para a resolução de todos os itens discutidos anteriormente. RESUMO Missão “Desenvolver e implementar modelos, ferramentas e processos de excelência em gestão pública, através da valorização do servidor público, da construção de soluções integradas e da qualidade na prestação de serviços públicos, promovendo a plena satisfação das necessidades dos cidadãos”. Visão “Ser referência nacional em gestão pública, valorização do servidor público e qualidade do atendimento ao cidadão”. DIRETRIZES ESTRATÉGICAS  Promover a valorização do servidor público;  Garantir ao cidadão o acesso aos serviços públicos de qualidade;  Modernizar a gestão pública. Na organização já existia missão e visão elaboradas e diretrizes estratégicas definidas, iniciamos a coleta de informações para documentarmos o PETIC e alinharmos com o planejamento estratégico da SEAD/SE. Inicialmente, fizemos o levantamento das informações relevantes para registrarmos no PETIC, onde foram identificados todos os pontos fortes e pontos fracos relacionados a cada item abordado. De posse dos dados, foi feita uma análise e elaboradas propostas de melhorias.
    • Para o item Dados, foi observado como são gerenciados os dados em relação à modelagem, armazenamento e acessibilidade por outros sistemas através dos usuários. Com base nas informações, buscamos alternativas coerentes no sentido de encontrarmos soluções reais para o cenário atual. Para analisar o item Hardware, contamos com o apoio da ASSESSORIA DE INFORMÁTICA, setor responsável por gerir todos os ativos de hardware. Inicialmente conhecemos as instalações físicas e o processo de gestão dos equipamentos. Após essa etapa fizemos uma análise detalhada e sistemática de cada elemento da infra-estrutura do CPD da SEAD/SE, pudemos sugerir algumas melhorias que irá trazer muitos benefícios tais como: estabilidade, performance, um melhor gerenciamento, redução de energia dentre outros. Para o item Pessoas, foi identificada a necessidade de uma equipe de TI fixa na organização responsável pelos projetos. Também foi detectada a necessidade de uma consultoria especializada em avaliação das condições do ambiente de trabalho, o retorno de atividades como ginástica laboral e aquisição de mobiliários apropriado para as atividades específicas. Para o item Software, observamos um cenário que utiliza o legado como base de informações essenciais. A grande maioria dos sistemas cliente-servidor foram adquiridos e há possibilidades concretas de novas aquisições. Como sugestão a implantação de um portal corporativo trará grandes benefícios evitando a dispersão das informações, melhorando a integração, a colaboração, os processos e serviços da organização. Para o item Telecomunicações, fizemos uma visita in loco e detectamos alguns problemas na infra estrutura de rede de comunicação e na parte elétrica. A reestruturação do cabeamento lógico e rede elétrica trará diversos benefícios como, lentidão na rede e evitar a queima de equipamentos. Para o item Projeto, foi observado o cenário atual e apresentado as possíveis melhorias com relação aos processos da organização visando refletir nos projetos desenvolvidos para uma melhor padronização e documentação de todas as etapas.
    • ESTADO DA ARTE Data Warehouse “Um Data Warehouse é um conjunto de dados baseado em assuntos, integrado, não volátil, e variável em relação ao tempo, de apoio às decisões gerenciais” (William Immon- 1992). [6] A arquitetura do Data Warehouse está dividida em 3 camadas, onde na primeira está aquisição da informação que é responsável por reunir, refinar, limpar e agregar os dados dos sistemas de produção, onde o dado deve estar correto e prover um único significado para facilitar na tomada de decisão, iria facilitar a resolução do problema de redundância de informações. A segunda camada é a de armazenamento da informação e a terceira a de disponibilização da informação onde é concentrada a parte da arquitetura que suportará um conjunto de ferramentas de apresentação e análise. (Relatórios e consultas). Topologia de Rede Hierárquica A topologia de rede hierárquica é um mapa de uma inter-rede que é dividida em três camadas: núcleo, distribuição e acesso. É composta por camadas de função, onde em cada uma temos equipamentos dedicados a uma tarefa específica, com funções distintas em camadas distintas e funções comuns dentro de uma mesma camada. Segue a descrição de cada camada. [1],[2] a. Camada de Núcleo O núcleo é literalmente a camada backbone da internet. Encontra-se no topo da hierarquia, é responsável pelo transporte de grandes volumes de tráfego de forma segura e rápida. O objetivo desta camada é de acelerar o tráfego de rede, tanto quanto possível.
    • b. Camada de Distribuição A camada de distribuição é o principal ponto comunicação entre a camada de acesso e do núcleo. A principal função da camada de distribuição é fornecer roteamento, filtragem, e acesso WAN e descobrir o método pelo qual pacotes podem acessar o núcleo A camada de distribuição é o local para implementar políticas para a rede. Nesta camada você pode exercer grande flexibilidade na definição de operação de rede. Segue algumas das funções desta camada: • Implementação de ferramentas tais como o acesso listas de filtragem de pacotes, e das filas • Implementação de políticas de segurança e de rede, incluindo firewalls • Roteamento estático • Roteamento entre VLANs • Definições de broadcast e multicast c. Camada de Acesso A Camada de acesso controla o acesso ao usuário e grupo de trabalho. Esta camada é por vezes mencionada como camada desktop por estarem concentradas as estações de trabalho. Segue algumas das funções desta camada: • Gerenciar controle de acesso e de política. • Criação de separar domínios de colisão. • Conectividade de trabalho através da camada de distribuição. Tecnologia BLADE São servidores compactos e empilháveis em formato de lâmina e de troca a quente (hot swap) que se ajusta a um único chassi chamado de bladecenter. Cada lâmina é um servidor independente, com processadores próprios, memória, armazenamento, controladores
    • de rede, sistema operacional e aplicativos. O servidor blade se conecta ao painel traseiro permitindo o compartilhamento de energia, ventilação, unidades de disquete, switches e portas e outros servidores blade.[4] Os benefícios da abordagem blade é a praticidade de instalação não precisa instalar centenas de cabos que passam pelos racks, apenas para adicionar e remover servidores. Outras vantagens é a redução de consumo de energia e espaço. Storage Storage é um hardware que permite armazenar de forma eficiente e segura um variado volume de dados. (IDDEIA,2009). Nos diversos tipos de soluções de armazenamento dados temos os armazenamentos em sistemas de discos que utilizam as tecnologias DAS (Direct Attached Storage), NAS (Networked Attached Storage) e SAN (Storage Area Network) e é voltada para pequenas e médias empresas. Outro tipo é a solução de alta disponibilidade que tem como objetivo o alto desempenho e disponibilidades nos seus sistemas de armazenamento de dados e backup. Essa solução contempla cluster de aplicação, replicação de dados, virtualização de storage. [5] Portal Corporativo Como sugestão a implantação de um portal corporativo trará grandes benefícios evitando a dispersão das informações, melhorando a integração, a colaboração, os processos e serviços da organização. Um dos grandes objetivos de um Portal Corporativo é, sem dúvida, estabelecer filtros eficientes para que o turbilhão de informações, que nos paralisa, seja estruturado e racionalizado. Os principais conceitos continuam mais válidos do que nunca quando se trata de gestão de portais. O Ciclo do PDCA – Planejar, Executar, Controlar, Agir e Aprender - e as ferramentas complementares da gestão pela qualidade caem como uma luva enquanto suporte metodológico básico para a execução de projetos de melhoria e inovação em portais corporativos.[7]
    • Virtualização de Software Aproveitando a idéia de criação do portal sugerimos também a possibilidade de virtualização de alguns softwares. A técnica consiste em ter uma única cópia de determinado aplicativo, instalada em um servidor virtual; usuários que desejarem ter acesso a tal aplicativo podem fazê-lo diretamente, sem a necessidade de que ele também esteja instalado na máquina física. Uma das grandes vantagens deste recurso é a significativa redução de custos com licenças de aplicativos permitindo assim que o acesso seja acionado também através do seu desktop ou até mesmo do seu portal. [8] Arquitetura SOA e Mainframe Como forma de garantir a comunicação entre as aplicações foi sugerido o estilo de arquitetura de software SOA haja visto alguns fatores preponderantes para continuar com os atuais Mainframes: confiabilidade para cargas de trabalhos críticos, preservação dos investimentos legados e consequentemente liberação de recursos para outras despesas. Com este modelo de arquitetura SOA é possível flexibilizar os negócios além de sua relação com determinadas políticas e conjuntos de "boas práticas" que pretendem criar um processo para facilitar a tarefa de encontrar, definir e gerenciar os serviços disponibilizados. [9]
    • METODOLOGIA UTILIZADA NO PETIC A metodologia usada foi a entrevista com os responsáveis das principais unidades da SEAD: • Assessoria de Informática – Bruno Fabiano Soares Oliveira • Superintendência Geral de Recursos Humanos - Andrea Cristina Andrade Macedo • Superintendência Geral de Compras Centralizadas – Márcio Zylberman Visitamos todas as unidades da Secretaria para avaliarmos o cenário atual. Para demonstrar a situação encontrada, tiramos fotos e entrevistamos os principais usuários. Nessas entrevistas foram levantadas as informações dos cenários atuais das unidades da SEAD. Visando a melhoria na qualidade dos serviços prestados, foi feito um levantamento das novas tecnologias e boas práticas para serem aplicadas nos cenários desejados com a aplicação do conhecimento adquirido nos estudos realizados pela equipe que elaborou este trabalho.
    • SUMÁRIO 1 DADOS.................................................................................................................................................................12 1.1 CENÁRIO ATUAL DOS DADOS..............................................................................................................................13 1.2 CENÁRIO DESEJADO DOS DADOS.........................................................................................................................14 2 HARDWARE.......................................................................................................................................................14 2.1 CENÁRIO ATUAL DO HARDWARE..........................................................................................................................15 2.2 CENÁRIO DESEJADO DO HARDWARE.....................................................................................................................20 3 PESSOAS.............................................................................................................................................................21 3.1 CENÁRIO ATUAL DAS PESSOAS............................................................................................................................21 3.2 CENÁRIO DESEJADO DAS PESSOAS........................................................................................................................23 4 SOFTWARE........................................................................................................................................................24 4.1 CENÁRIO ATUAL DO SOFTWARE...........................................................................................................................25 4.2 CENÁRIO DESEJADO DO SOFTWARE......................................................................................................................26 5 TELECOMUNICAÇÃO.....................................................................................................................................28 5.1 CENÁRIO ATUAL DOS RECURSOS DE TELECOMUNICAÇÃO.........................................................................................28 5.2 CENÁRIO DESEJADO DOS RECURSOS DE TELECOMUNICAÇÃO....................................................................................31 6 PROJETOS..........................................................................................................................................................32 6.1 CENÁRIO ATUAL DOS PROJETOS..........................................................................................................................32 6.2 CENÁRIO DESEJADO DOS PROJETOS.....................................................................................................................32 7 CONSIDERAÇÕES FINAIS..............................................................................................................................33 7.1 TRABALHOS FUTUROS.........................................................................................................................................33 8 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS..............................................................................................................35 1 Dados
    • As informações obtidas foram levantadas através de entrevistas com os funcionários da EMGETIS de diversos departamentos. A partir desta entrevista tivemos acesso de como é realizado o tratamento a todo tipo de dado na SEAD/SE e partindo das necessidades apresentadas e de levantamentos anteriores através de planejamentos estratégicos elaboramos soluções e sugerimos novas tecnologias a serem implantadas. O maior problema encontrado foi com relação à duplicação de dados, a exemplo, da redundância das informações encontradas em diversos órgãos do governo que a SEAD/SE armazena grande parte dessas informações. Nesse cruzamento são eliminadas redundâncias e informações desnecessárias, mas a busca por esses dados é um problema grave pois muitos deles não são registrados. Este fato só vem a reforçar a importância de uma base de dados sólida, confiável e unificada. 1. 1 Cenário Atual dos Dados A SEAD não possui técnico para a Administração dos Dados, o gerenciamento é feito pela EMGETIS, onde está hospedado o servidor de produção do principal banco de dados, que é o sistema de Folha de Pagamento do Estado, existem outros armazéns de dados de outros sistemas, que é administrados pelos Analistas de Sistemas responsáveis pelos sistemas que os utilizam. Há uma grande dificuldade de integração de dados da Secretaria da Administração com outros órgãos do Governo, causando redundância para acesso a vários sistemas. Utiliza-se ainda Gerenciador de Banco de Dados baseados em plataforma alta (mainframe) para sistemas legados, alguns já estão sendo migrados para plataforma baixa. A política de acesso as informações é realizada através de sistemas, assim como os relatórios. Gerenciadores de Banco de Dados Existe 01(um) Gerenciador de Banco de Dados Oracle v.10g; Existe 01(um) Gerenciador de Banco de MSSQLServer2000; Existe 01(um) Banco de Dados Access2000.
    • 1. 2 Cenário Desejado dos Dados A sugestão para resolução da redundância das informações é a criação de Data Warehouse. Com a criação do Data Warehouse, teria que ser feita a integração dos dados dos órgãos do governo com a secretaria da administração através a unificação dos dados de cada indivíduo, ou seja, teria um único cadastro feito pelo órgão principal e as demais informações relacionadas seriam integradas, aumentando a confiabilidade e integridade dos dados contidos na base e consequentemente a redução da redundância de dados. Outra melhoria sugerida seria a substituição dos servidores antigos por novos, baseados na tecnologia de blade, onde iria melhorar a performance das aplicações, também a implementação de uma nova solução de backup garantindo a recuperação de todas as informações da empresa em caso de desastres. Sugerimos a migração da base de dados para um SGBD de código aberto e livre como o PostgreSQL. Dessa forma haveria uma redução do custo na aquisição de licenças. O PostgreSQL é um SGBD robusto e seguro. Ele concorre tranquilamente com SGBDs antigos e de nome no mercado como Oracle e SQLServer. Além do mais, possui informações e documentação de suporte na internet. Existe também uma lista de empresas e profissionais individuais que oferecem serviços de consultoria e manutenção no PostgreSQL espalhados pelo mundo inteiro. Podemos citar como caso de exemplo, aqui no país, o Banco do Brasil que é considerada a maior instituição financeira da América Latina e atua em 21 países, e desde o ano 2000 possui um plano de implantação ativo de software livre nas suas agências, escritórios e Complexos Centrais de Tecnologia (CCT) e este plano envolve os seus SGBDs que abrigam informações importantes de clientes. 2 Hardware Para conhecer a infra-estrutura de hardware da SEAD/SE entrevistamos Bruno Fabiano Soares Oliveira que é o responsável pelo setor de informática. Nessa visita conhecemos as instalações e algumas informações foram colhidas. Ao analisarmos o cenário
    • atual identificamos alguns problemas nas instalações físicas e no processo de gestão dos equipamentos que são deficientes e sugerimos possíveis melhorias com a compra de novos servidores, estações de trabalho e outras descritas ao longo do trabalho. Os problemas apresentados é devido à falta de investimento na sua infra estrutura. 2. 1 Cenário Atual do Hardware A infra estrutura de hardware da SEAD encontra-se muito defasada com equipamentos antigos que podem parar de funcionar a qualquer momento podendo perder todas as informações do órgão, a sala dos servidores não possui nenhuma segurança, o mais crítico são os servidores que não possui redundância, são antigos e funcionando na capacidade máxima. O responsável pelo gerenciamento dos equipamentos é a própria SEAD. A SEAD possui 05(cinco) switches da marca 3COM e 01(um) emprestado da SEFAZ, pois no dia 16 de fevereiro de 2009 um switch da SEAD apresentou defeito. Os switches são muito antigos de baixa performance com muitas portas queimadas. Não há porta disponível, pois todas estão ocupadas. Existem no total de 08 máquinas que funcionam como servidores mas nem todas as máquinas são de fato máquinas servidores na maioria são simples desktops que funcionam como servidores para vários serviços como ponto, câmera, AD Replicado e SQL e não oferecem nenhuma redundância. Abaixo descreveremos um resumo de cada servidor: • 01(um) servidor responsável pelo armazenamento dos dados e contas de usuários que funciona muito próximo da capacidade máxima. Está sendo monitorado com muita atenção evitando que falte espaço para que os usuários salvem seus documentos.
    • Figura 01: espaço em disco insuficiente.
    • Figura 02: a SEAD não realizou licitações eletrônicas durante 05 (cinco) dias. • Servidor do Ponto: CPU Desktop Itautec. Constantemente o ponto apresenta problema e o serviço é reiniciado; • Servidor do Notes: CPU Desktop HP; • Servidor do SQL: Servidor Compaq (equipamento muito antigo); • Servidor de Câmera: Desktop muito antigo e constantemente para de funcionar. Não grava imagens corretamente; • Servidor Controlador de Domínio: Servidor HP que executa os serviços DHCP, DNS, WSUS e Servidor de Arquivos; ▪ Os compartilhamentos contendo as informações da SEAD estão habilitados a compressão de arquivos e pastas para que se possa continuar salvando os arquivos em rede. Esta compressão consome desempenho do sistema e sinaliza o sério problema com falta de espaço em disco.
    • • Servidor Controlador de Domínio Secundário: CPU Desktop HP. Os serviços executados são Impressão, Antivírus, SISAP e DNS Secundário. • Servidor Desenvolvimento: Servidor Compaq. É usado para fazer as simulações da folha de pagamento. Este servidor está funcionando, mas pode parar a qualquer momento. Ele possui 03(três) fontes de alimentação que são redundantes, podendo funcionar até com 02(duas). Uma queimou e uma das outras duas para esporadicamente necessitando desligar o equipamento e religá-lo. A SEAD possui 394 (trezentos e noventa e quatro) contas de usuários e está em fase de projeto a organização de grupos e aplicação de permissões. Na SEAD não possui tecnologias de segurança de informação para um bom funcionamento dos equipamentos de hardware. No caso de falta de energia os equipamentos são desligados podendo haver queima dos mesmos e perda de dados Só existem 02 no-breaks, que não funcionam de forma ideal, ligado ao servidor principal. O restante dos equipamentos (link, switch, roteadores, demais servidores) é ligado diretamente na rede elétrica sem nenhuma redundância. Constantemente é preciso desligar e religar os equipamentos. O órgão não possui uma política de backup bem estruturada. As fitas são armazenadas na sala do servidor sem oferecer uma maior segurança, a porta de acesso é frágil e as gavetas não possuem fechaduras. As fitas são classificadas por data em que foram criados e toda sexta- feira é feito um backup completo e nos outros dias é feito um diferencial acrescentando somente os arquivos modificados. Não há fita suficiente para guardar os backups por período maior que 10 meses, assim, está sendo preciso apagar os últimos backups para salvar os arquivos do dia a dia. A sala hoje usada para guardar os servidores é inadequada, pequena com muitos equipamentos, possui problema de refrigeração e elétrico, não há segurança. A porta é frágil e a fechadura às vezes emperra. É nesta sala que ficam as informações da SEAD que é um dos bens mais preciosos da instituição.
    • Figura 05: pouco espaço na sala do servidor - sem a devida proteção para aos computadores. Existem 08 impressoras de rede espalhadas pelos departamentos da SEAD. Há possibilidade de colocar outras em rede, no entanto necessita fazer adequação de rede lógica no local para que possa realizar as configurações necessárias. Não há uma padronização das estações de trabalho como apresentada abaixo. Setor Quantidade Processador Memória (Mb) Armazenamento (Gb) 5 Core 2 Duo 1000 160 Gabinete 2 AMD Sempron 512 80 Superintendência de 26 Core 2 Duo 1000 160 Compras 20 AMD Sempron 512 80 Superintendência de 10 Core 2 Duo 1000 160 Recursos Humanos 5 Pentium IV 512 60 Assessoria de 6 Core 2 Duo 1000 160 Informática 2 Pentium IV 512 60 10 Pentium IV 512 60 DAF 5 AMD Sempron 512 80 7 AMD Sempron 512 80 DCPE 8 Core 2 Duo 1000 160 5 Pentium IV 256 40 15 Pentium IV 512 60 Escola de Governo 5 Core 2 Duo 1000 160 5 Core 2 Duo 1000 160 Perícia Médica 3 Pentium IV 512 60
    • 2. 2 Cenário Desejado do Hardware Após analisar o cenário atual identificamos que os ativos de hardware estão defasados e com problemas, não há segurança dos dados e muitos problemas para serem corrigidos. Para que possamos ter uma rede mais bem estruturada e sem gargalos sugerimos implantar uma rede hierárquica e para isso será necessária a compra de dois switches, um switch core e outro do mesmo fornecedor com 24 portas com isso a rede terá com mais performance. Para solucionar os problemas dos servidores propomos a substituição de todos os servidores por novos, baseados na tecnologia de blade, economizando energia e espaço físico e melhorando a performance das aplicações. Para que possamos fazer essa substituição deverá ser adquirido 01 (um) rack padrão 19’’ equipado com trilhos laterais ou fixo com braços ou guia de gerenciamento de cabos, altura máxima de 9U; 01 (um) gabinete para os servidores blades com características mínimas: suportar no mínimo 08 (oito) lâminas, Gabinete (enclosure) com suporte a instalação de conexões I/O, atingindo uma escalabilidade de até 04 (quatro) módulos dentro do próprio gabinete ou oferecendo a quantidade de gabinetes necessária para atingir essa escalabilidade, deverá suportar, no mínimo, 03 (três) módulos de interconexão (Ethernet, FC, IB, iSCSI, SAS etc.) diferentes simultaneamente, com no mínimo 4 (quatro) fontes redundantes, 4 (quatro) ventiladores, 1 (um) módulo de gerenciamento, 01 (um) leitor de DVD e todos os acessórios para fixação em rack. 04 servidores blade. Para solucionarmos a falta de espaço de armazenamento em disco sugerimos a implementação de uma nova solução de armazenamento baseada em Storage. Para que se possa garantir a recuperação de todas as informações da empresa sugerimos adquirir uma solução de Backup garantindo que as informações estarão disponíveis, integras em caso de desastres e falhas, de forma rápida e prática. Sugerimos também a compra de 02 no-breaks para que os equipamentos sejam desligados da forma que não os danifiquem e não haja perdas de dados nos servidores. Um no- break gerenciável para rack 19 ‘' com altura de 2U e outro de 20KVA. Propomos para a segurança das informações deverá existir uma sala para os servidores somente para esse fim, denominada Sala de Servidores que deverá ser refrigerada, bem iluminada e com acesso restrito para que as informações da SEAD estejam seguras. Para obter um melhor aproveitamento das impressoras será preciso adequar à rede lógica instalando alguns pontos de rede próximos as impressoras.
    • Verificamos que algumas estações de trabalho estão ultrapassadas sugerimos a substituição por desktops com processador de dois núcleos e 01 GB de memória desta forma todas as estações estariam padronizadas. A substituição trás vantagens como redução de gastos com conserto, a produtividade aumenta e o gerenciamento fica mais ágil. Com essas sugestões concluímos que teremos uma rede muito mais estável, performática, escalável, gerenciável e segura. 3 Pessoas O item apresentado foi analisado e proposto melhorias a serem incorporadas ao setor responsável. Foi detectado que a maioria dos técnicos estão alocados em um único sistema, deixando os demais a cargos de contratos com empresas terceirizadas de manutenção e suporte, isso ocorre devido a falta de técnicos efetivos na organização. Também foi observada falta de ergonomia para o ambiente de trabalho. 3. 1 Cenário Atual das Pessoas A SEAD não possui técnicos especializados na área de informática, mas possuí técnico cedido pela EMGETIS como Analistas de Sistemas e Programadores, mesmo assim o corpo é pequeno para a demanda de serviços. A parte de suporte é composta por técnicos terceirizados. Existe política de capacitação só para os técnicos da EMGETIS através de cursos contratados pela própria Secretaria. Quanto ao ambiente de trabalho foi observada em toda a Secretaria a falta de ergonomia para o trabalho em frente ao computador como mostrado nas figuras abaixo:
    • Existia até o final do ano passado ginástica laboral para os funcionários da Secretaria, que utilizava de alongamentos antes da realização dos trabalhos, principalmente àquelas pessoas que trabalham de frente ao computador. As cadeiras utilizadas são de vários tipos e não dão conforto aos funcionários, proporcionando problemas de posturas.
    • 3. 2 Cenário Desejado das Pessoas Inicialmente devemos sanar o problema de falta de funcionários fixos na área de TI, sugerindo a formação de uma equipe básica de profissionais especializados em computação nas áreas de Analise de Sistemas (dois funcionários), Programação (três funcionários), Suporte (três funcionários), Banco de Dados (dois funcionários) e Telecomunicações (dois funcionários) além de pelo menos um profissional especializado em gestão de TI que será o responsável pelos projetos a cargo desta equipe e do setor de TI. Esta equipe deverá ser composta exclusivamente por funcionários da própria SEAD e a ela caberá gerenciar a força de trabalho terceirizada, o planejamento e gerenciamento dos projetos em TI e telecomunicação, sugestão, avaliação, aceite ou negação e gerenciamento de equipamentos de
    • informática e telecomunicação a serem adquiridos de forma independente e com as justificativas necessárias devidamente registradas em documentos oficiais. Com a finalidade de melhorar a qualidade do ambiente de trabalho sugerimos a visita de técnicos do ministério do trabalho habilitados a produzir um relatório sobre as instalações de trabalho da secretaria. Este relatório contém uma lista de requisitos que devem ser compridos e certamente devem se referir a ergonomia das cadeiras de trabalho, luz ambiente, temperatura, poluição áudio-visual, espaço mínimo entre mesas entre outros requisitos. Utilizando este relatório como referencia poderemos planejar as necessárias alterações das instalações da secretária. Também sugerimos a implementação de um programa recorrente de boas práticas de trabalho. Dentro deste programa poderá ser realizada a conscientização dos funcionários sobre as doenças do trabalho como a LER e a DORT com a finalidade de prevenir o aparecimento destas doenças, ginástica Laboral, pausas programadas de 10 minutos a cada 50 minutos durante o expediente entre outros. Com o aumento da utilização do software livre nos computadores da SEAD ficou evidente a necessidade de treinamento especializado aos funcionários da secretária sobre estes softwares. Inicialmente e com urgência deve-se disponibilizar treinamento sobre o BROffice aos funcionários devido a este já ter sido adotado pela secretária. Para a adesão de novos softwares livres, deverá pesar para a sua utilização a facilidade de assimilação e o treinamento contratado ou não a cerca deste software para os funcionários. 4 Software Grande parte da arquitetura de software na instituição apesar de usar tecnologia ultrapassada fornecem serviços essenciais e de fundamental importância para todos os órgãos. Os mainframes IBM e servidores de arquitetura PC ainda são bastante utilizados. Existem planejamento para aquisições de novos sistemas em substituição aos atuais sistemas mainframes. Dentre eles observamos também a existência de um único sistema no modelo cliente-servidor no qual foi desenvolvido internamente denominado Folha de Pagamento. Este é responsável por manter a base dados de informações cadastrais e financeiras dos servidores públicos estaduais. Neste contexto percebemos uma grande oportunidade de melhoria dos processos, da integração das fontes de informações e do mecanismo de colaboração de forma que possa reunir tudo isso em um único ponto. Para tal chamamos a atenção especial para
    • desenvolvimento de um portal corporativo onde mais adiante estaremos mostrando as suas inúmeras vantagens. 4. 1 Cenário Atual do Software Software de Escritório Utiliza-se os softwares, conhecidos como suítes de escritórios, o MSOffice, este utilizando-se de Licenciamento, e BrOffice, já este é um software Livre. Seguindo a política do Governo do Estado em dar preferência para utilização de software livre a SEAD está cumprindo seu papel, migrando as estações de trabalho para o BrOffice. Software Básico (Sistemas Operacionais e Gerenciadores de Banco de Dados) Os servidores corporativos hospedados na SEAD utilizam-se dos SO Windows2000 Server e Linux. Enquanto as estações de trabalho estão licenciadas com Windows XP e Vista. Aplicações Corporativas Hoje a SEAD utiliza-se de 4 grandes aplicações utilizada para o próprio Governo do Estado que são: SIPES – Sistema de Folha de Pagamento dos funcionários do estado de Sergipe, desenvolvida em plataforma Client/Server, armazenando seus dados no Oracle. Existe uma grande dificuldade de evolução da aplicação, pois a equipe é restrita a 4 técnicos, que praticamente cuidam da manutenção do sistema; SGRH – Sistema de Gerenciamento de Recursos Humanos, este sistema faz o gerenciamento das informações sobre a vida do funcionário público, desenvolvido no mainframe, mas está sendo migrado para ser utilizado junto com o SIPES; SPM – Sistema de Perícia Médica, sistema de laudos médicos do funcionário publico, utilizados pelos médicos que realizam perícia no servidor público que precisa tirar licença médica. Dificuldade de integração com o SIPES, pois como os sistema estão em plataformas diferentes, requer a interferência de softwares de terceiros para integrar os dados; PROTOCOLO – Sistema que acompanha a entrada e saída de documentos da Secretaria. O sistema encontra-se obsoleto, pois, o usuário não consegue visualizar os documentos, só acompanha o setor que encontra-se o documento;
    • A SEAD também, possuí sistema que acompanha as aquisições ou contratações de todo o Governo do Estado é sistema de compras eletrônicas o ComprasNet.SE, desenvolvido em plataforma Web, o sistema armazena seus dados no MSSQLServer, onde os órgãos realizam a compras, que são dispensadas de licitações, ou seja, com valores abaixo de R$ 8.000,00, lançando seus processos para que os fornecedores, eletrônicamente, ofereçam lances, através de um leilão reverso. Mas os pregões eletrônicos, as licitações, é utilizado o sistema do Banco do Brasil o e-licitações. O grande problema é que os dados são armazenados nos próprios servidores do Banco do Brasil, dificultando a integração dos dados com os sistemas da SEAD para o acompanhamento real das compras governamentais. Possui ainda uma aplicação web que controla as ofertas de cursos, acompanhamento de frequência e emissão de certificados para os cursos ofertados pela Escola de Governo. O sistema como os outros necessita de evolução para atender demandas da Escola de Governo, como cursos virtuais à distância. Com relação ao software de antivírus, aconteceu em abril de 2008 um grande problema de vírus que afetaram todos os computadores da SEAD, causando interrupção dos serviços. Houve prejuízo dos trabalhos dos funcionários e os serviços ficaram indisponíveis por dias, como acesso a pastas de trabalho, internet, acesso a EMGETIS, etc. Houve então uma ação da ASINF que adquiriu software antivírus corporativo Kaspersky, neutralizando parte da instabilidade. Foram adquiridas 210 licenças, mas atualmente estão instalados em mais de 270 (duzentos e setenta) computadores. 4. 2 Cenário Desejado do Software A crescente necessidade por informações e serviços gerada por clientes, funcionários e fornecedores, dentro e fora das instituições, provoca, além de constantes perdas de produtividade, custos cada vez mais altos com o desenvolvimento de aplicações e infra- estrutura de TI, comprometendo a qualidade no atendimento e a manutenção dos níveis de serviço. Encontrar uma solução eficiente para atender às demandas interna e externa por conteúdos e serviços de forma personalizada e unificada, consolidando informações de diversas fontes e as compartilhando sem perda de confidencialidade é uma das principais tarefas que grandes corporações e governos devem enfrentar para garantir a continuidade e a eficiência de seus negócios.
    • Com o intuito principal de oferecer uma solução de acesso simplificado às informações e às aplicações, utilizando um ambiente web como sua camada de apresentação indicamos a utilização de um Portal Corporativo. Desta forma, a interação com o usuário se torna mais amigável e as informações apresentadas de forma mais simples e compreensível. Os Portais podem oferecer acesso a um grande número de colaboradores às informações estruturadas (informações armazenadas em sistemas e bases de dados, como por exemplo, data warehouses e sistemas legados), assim como às informações não estruturadas (informações armazenadas em arquivos de texto, planilhas eletrônicas, arquivos de e-mail, dentre outros). Dentre alguns benefícios desta tecnologia podemos citar: • Melhoria na disponibilização do conhecimento através de portais personalizados. • Consolidação de informações em um único ponto de acesso com portlets/webparts e integração entre aplicações. • Compartilhamento de informações garantindo a confidencialidade com controle de acesso baseado em perfis e permissões. • Aumento de produtividade com o acesso rápido a informações confiáveis para tomada de decisões, através de interfaces personalizadas e mecanismos de buscas. • Plataforma única de desenvolvimento permitindo otimização de custos e tempo, com alto grau de reutilização e padronização. • Alinhamento da área de TI com as estratégias da instituição, sem desperdícios com desenvolvimento de aplicações pontuais. • Aplicações mais adaptadas às necessidades dos clientes, parceiros e funcionários. • Aumento de eficiência e redução de custos pela consolidação de aplicações. Em se tratando da suíte de aplicativos para escritório nas estações de trabalho sugerimos a migração para software livre. Pois, esta é uma alternativa que vem sendo muito utilizada por várias instituições do governo. Inclusive, sob sua recomendação a fim de que haja uma significativa redução de custos com licenciamento. Neste caso, em substituição ao MSOffice estaríamos utilizando o software livre BrOffice. Mas é importante lembrar, antes da migração, da necessidade de realizar uma pesquisa mais aprofundada no assunto em função das
    • resistências pela maioria dos usuários, isto sem falar da necessidade de treinamento e limitações dos produtos. Sabendo deste grande obstáculo, sugerimos como alternativa utilizar o próprio MSOffice virtualizado e sendo acessado remotamente através da tecnologia CITRIX. Assim, teríamos o MSOffice no sistema de portalização, ou seja, você instala ele numa máquina com um servidor Web e com o serviço de terminal service habilitado. Na própria ferramenta você cadastra as aplicações a serem portalizadas. Uma das grandes vantagens da portalização é a não necessidade de instalações dos softwares locais. Lembrando que, o CITRIX não é um software livre e a sua licença se dá por quantidade de acessos concorrentes. Propomos também que o acesso aos atuais sistemas da secretaria se dê através do portal, são eles: SIPES, SGRH, SPM e PROTOCOLO. Para tal, estas aplicações também seriam portalizadas utilizando a mesma tecnologia de virtualização. Este novo conceito de portalização, traz grandes benefícios e um deles é o reaproveitamento do sistema legado sem a necessidade de reescrever seu código para a arquitetura web. Também, dentro do planejamento, estaremos analisando o sistema web atual utilizado pela secretaria para ofertar cursos com o objetivo de evoluí-lo para que se possa oferecer cursos virtuais de ensino a distância. Já para o site atual, viabilizaremos a disponibilização de RSS, que é uma maneira simplificada de apresentar conteúdo para que os funcionários possam manter-se sempre atualizados quando da publicação de informações sem precisar visitá-lo. 5 Telecomunicação O contexto de telecomunicação na SEAD/SE apresenta diversos problemas relacionados à infra estrutura de rede, onde alguns pontos de rede estão com defeitos e a rede wireless apresenta sobrecarga. Para que a rede funcionasse sem gargalos e com a performance esperada foi sugerido uma reestruturação na rede de cabeamento lógico e elétrica. 5. 1 Cenário Atual dos Recursos de Telecomunicação A estrutura de rede da SEAD é híbrida utilizando tecnologia de cabeamento estruturado e rede wireless.
    • A arquitetura de rede é estrela com 03 camadas, cabeamento de par trançado e fibra óptica para acesso internet. Possui 400 pontos Lógicos/Telefonia com barramento 10/100 Mbps. O Cabeamento Lógico está totalmente comprometido, vários pontos nos departamentos e no rack não funcionam. Há pontos utilizados que algumas vezes gera algum mau contato e compromete o trabalho do usuário. Figura 03: ponto de rede com defeito, fio do telefone com emenda e energia cruzando o corredor podendo alguem cair. Como a estrutura cabeada apresenta problemas e limitações, houve a necessidade em curto prazo de implantar a rede wireless que tornou-se o principal meio de comunicação de rede. Após a implantação foram adquiridos mais 133 novos computadores que passaram a utilizar a tecnologia sem fio comprometendo seriamente o desempenho da rede. Atualmente 2/3 dos computadores, aproximadamente 170 computadores utilizam essa tecnologia. Existem na SEAD um total de 11(onze) access points de uso doméstico, que algumas vezes param de funcionar, sendo necessário religá-los. Esta operação prejudica muitos funcionários que perdem tudo que estavam fazendo. Os access points são distribuídos da seguinte forma: • 02 – ASINF; • 03 – COMPRASNET; • 01 – PERÍCIA MÉDICA; • 01 – GABINETE;
    • • 01 – DAF; • 02 – DGP; • 01 – DCPE. A criptografia habilitada nestes dispositivos é WEP 64bits não sendo possível implementar uma segurança mais forte (WPA2) em virtude da estrutura atual. Podemos observar que todos os access point estão sobrecarregados, a rede de cabeamento lógico apresenta-se lenta e com constante instabilidade. Verificamos um problema na rede elétrica, apesar de ser estabilizada já superou em bastante a sua capacidade. Vários computadores estão ligados através de extensão elétrica, há vários casos de extensões ligadas a extensões. Na sala do servidor possui muitos picos de energia proporcionando constantemente travamento dos equipamentos ou interrupção dos serviços. Figura 04: Sobrecarga de energia - sala do Servidores. Para acesso a internet a SEAD possui dois links de 1Mb com a EMGETIS. Os equipamentos não são ligados em no-break e sempre quando há queda de energia o serviço é interrompido causando muitos problemas entre eles os trabalhos do COMPRASNET que por vez prejudica os pregões.
    • A SEAD possui 03 links com a EMGETIS. Dois circuitos são Frame-Relay de 1Mb usados para os serviços do órgão e outro de 256 Kb Frame-Relay que é usado somente para a Escola de Governo. Para o controle de acesso à rede interna da SEAD e garantir a segurança dos dados armazenados em servidores e estações, utiliza-se a tecnologia Firewall e Proxy que são interligados com a EMGETIS e este é o órgão responsável quando solicitado para ajustes e configuração. 5. 2 Cenário Desejado dos Recursos de Telecomunicação Uma estrutura de rede deve ser bem estruturada para ter um bom funcionamento e a SEAD precisa de uma rede estável com performance para que os servidores possam trabalha com mais eficiência. Diante do cenário atual sugerimos reestruturar e certificar todo o cabeamento estruturado de acordo com o padrão internacional descrito na norma ANSI/EIA/TIA 568. Sugerimos utilizar a topologia de rede hierárquica onde a rede é dividida em três camadas: núcleo, distribuição e acesso No caso da SEAD terão uma combinação das camadas de distribuição e núcleo em um único equipamento. A camada de núcleo permitir o tráfego entre as demais camadas (distribuição e acesso), preferencialmente da forma mais rápida possível e sem gargalos. Na camada de acesso encontramos uma LAN ou grupo de LAN’s, que fornece aos usuários o acesso aos serviços disponibilizados na rede. É nesta camada onde estão concentradas as estações de trabalho e também onde temos a alta densidade de portas. Para a comunicação de rede sugerimos substituir a rede wireless por cabeamento lógico para que não haja sobrecarga e lentidão, porém não será necessário se desfazer da rede wireless propomos fazer uma reestruturação na rede wireless e continuar para que continue tendo mobilidade. Poderá ser utilizada nos notebooks entre outras aplicabilidades. Para que toda a infra estrutura de rede funcione bem precisa que a rede elétrica seja bem estruturada propomos que refaça a rede elétrica dentro de um projeto que atenda a atual demanda de consumo do prédio, conforme projeto lógico.
    • 6 Projetos O item apresentado foi analisado e detectamos alguns problemas relacionados a falta de padronização na documentação e ausência de adoção de um modelo de qualidade, como também a falta de gerenciamento dos projetos na organização com base em padrões sugeridos na literatura. 6. 1 Cenário Atual dos Projetos Atualmente, os projetos da SEAD/SE encontram-se em fase planejamento, onde não existem técnicas definidas para elicitação de requisitos, bem como uma metodologia de processo para gerenciar os projetos. Os projetos atuais da organização são diversificados que envolve gestão de pessoal, de aquisição e controle de transportes oficiais. O principal problema detectado foi a ausência de documentação e padronização dos documentos existentes. 6. 2 Cenário Desejado dos Projetos O cenário desejado para os projetos da organização é a adoção a um modelo para gestão e desenvolvimento com base em normas ISO, CMMI, MPS.BR dentre outros. Sugerimos a definição do processo macro da organização, com as especificações das atividades, tarefas, documentos de entrada, documentos de saída e atores. Também o gerenciamento dos projetos com base no PMBOK contemplando as nove áreas, com uma melhor definição dos papéis, perfis e habilidades para os profissionais que irão atuar como multiplicadores das informações.
    • 7 Considerações Finais As soluções propostas para cada área apresentadas nesse trabalho são possíveis e viáveis. Dentre as áreas, as mais críticas são: dados, telecomunicação e pessoas. O trabalho foi alinhado aos objetivos estratégicos da SEAD/SE com o uso de TI, através da implantação de metodologias de gestão de processos e projetos. Consideramos como urgente, a definição de uma política segura de backup para garantir a recuperação de informações. Sugerimos ainda a realização de uma análise de impacto das mudanças no que diz respeito ao contexto desejado em relação ao atual. 7. 1 Trabalhos Futuros Cada vez mais as organizações serão conduzidas através de decisões tomadas baseadas em informações. Estas informações serão geradas e armazenadas de forma que quando forem necessárias, estejam disponíveis para rápido acesso. A adoção de novas tecnologias que envolvem várias mudanças, entre elas culturais e filosofia de trabalho. Essas mudanças são passíveis de estudos aprofundados, a fim de se diagnosticar os motivos que levam as pessoas a demonstrarem resistência quando se trata de novas tecnologias. Diante destas considerações, pode-se considerar como assuntos para trabalhos futuros: a) Um modelo que traduza em valores financeiros os benefícios alcançados com a implantação de novas soluções de softwares e hardwares. Calcular o retorno sobre investimentos feitos em tecnologia de informação é muito difícil, para não dizer impossível. Geralmente, as empresas divulgam o ROI após um período de utilização da nova tecnologia, após levantamento dos resultados obtidos com os novos processos. Um desafio a ser alcançado, seria a criação de um modelo que indicasse quais os itens que contribuem no custo da utilização dos sistemas atuais da SEAD e a falha de comunicação entre os equipamentos, e, quanto representa financeiramente os benefícios alcançados com a implantação de uma nova solução de sistemas integrados e reestruturação da infra-estrutura e aquisição de novos equipamentos, além de novas contratações de técnicos especializados.
    • b) Estudo das resistências e mudanças no comportamento das pessoas. Durante os trabalhos de levantamento das necessidades da SEAD foi verificada uma resistência por parte dos usuários, fator que poderá determinar um processo mais lento na implantação das novas tecnologias. A identificação dos fatores que levam as pessoas a esse tipo de comportamento pode contribuir para que este processo seja facilitado nas futuras implantações.
    • 8 Referências Bibliográficas [1]http://www.projetoderedes.com.br/artigos/artigo_interconexao_de_redes_uma_vis ao_de_projeto.php [2]http://pt.tech-faq.com/understanding-the-cisco-three-layer-hierarchical- model.shtml [3]http://www.scribd.com/doc/13153116/Analise-da-Maturidade-dos-Processos-de- Negocio-da-Instituicao-X-atraves-do-Estudo-do-CobiT?autodown=txt [4]http://www.ibm.com/br/systems/bladecenter/blade_servers/index.phtml [5]http://www.iddeia.com.br/Storage.aspx [6] Inmon, Willian H. (1992). “Como Construir o Data Warehouse”, Tradução: Ana Maria Neto Guz, Rio de Janeiro, Campus. [7] http://www.intranetportal.com.br [8]http://cio.uol.com.br/tecnologia/2007/08/14/idgnoticia.2007-08-14.5515750576/pa ginador/pagina_2 [9] http://computerworld.uol.com.br/negocios/2008/01/24/soa-garante-sobrevivencia- dos-mainframes-diz-estudo/