• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Vamos Construir Um Projecto Para A Avenida
 

Vamos Construir Um Projecto Para A Avenida

on

  • 1,002 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,002
Views on SlideShare
976
Embed Views
26

Actions

Likes
0
Downloads
1
Comments
0

2 Embeds 26

http://projectoavenida.blogs.sapo.pt 22
http://amigosdavenida.blogs.sapo.pt 4

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Vamos Construir Um Projecto Para A Avenida Vamos Construir Um Projecto Para A Avenida Document Transcript

    • ‘Vamos construir um 'projecto' para a Avenida’ http://projectoavenida.blogs.sapo.pt/ Amigosd’Avenida 27 Julho 2009 ‘Vamos construir um 'projecto' para a Avenida’ é uma iniciativa promovida pelo movimento cívico Amigosd'Avenida, aberta à participação de todos os cidadãos interessados, e que tem como objectivo produzir um conjunto de propostas e sugestões para revitalizar a Avenida e recuperar nela o ‘sentido de lugar e de comunidade’ transformando-a, de novo, num espaço vivo e atractivo. O projecto irá ser consubstanciado num ‘mapeamento de ideias’ (problemas e potencialidades, oportunidades e riscos) e na identificação de um conjunto de medidas a propor executar no curto e no médio-longo prazo. Esta iniciativa desenvolve-se no âmbito do processo de participação pública sobre o futuro da Avenida Lourenço Peixinho, promovido pela CMA, e pretende constituir um alerta para a necessidade de mudar o rumo do debate ‘muito centrado nas questões infra-estruturais - perfil da avenida, estacionamento e sentidos de trânsito’ para uma discussão focalizada no ‘carácter e funções que queremos que a Avenida tenha’. Propuseram-se para o efeito seis princípios fundamentais para a sua revitalização - a Avenida como: i) ‘montra e porta de entrada’; ii) ‘espaço de residência para todos’; iii) ‘passeio público’; iv) ‘palco de actividades de animação’; v) ‘espaço acessível e partilhado’; vi) ‘rótula de ligação’ com outros espaços. A primeira etapa do ‘projecto’, realizada no passado dia 27Julho, foi constituída por uma sessão de trabalho in loco apoiada em visitas ao espaço público, ao interior de alguns edifícios, no anotar e fotografar de aspectos relevantes, na conversa com utentes e proprietários. Nessa primeira visita foi possível visitar e descobrir um conjunto de espaços de enorme potencial urbanístico, cultural, social e económico, cuja utilização poderia ser mais qualificada e valorizada (por exemplo: edifício do Banco de Portugal, o edifício e o ‘beco’ da Escola Riff, a Garagem Atlantic, a Casa Paris e outros edifícios notáveis que se encontram devolutos à espera de 'nova vida'). A visita permitiu também constatar como a Avenida se tem vindo a organizar por sectores (quarteirões) com diferentes funções e vivências (Bancos; Moda; Serviços; Residência). Do conjunto da Avenida a zona da Estação é aquela que se sente estar mais 'abandonada' e menos ocupada, sendo fundamental fazer uma inventariação rigorosa dos edifícios devolutos (sobretudo garagens e armazéns) que por ali existem (em particular nas ruas traseiras à Avenida). A visita possibilitou ainda concluir do relevante número de edifícios devolutos que existem na Avenida, quase todos submersos por uma enorme quantidade de cartazes. Esta imagem agrava a percepção de degradação que se vai sentindo em algumas áreas da Avenida. Em jeito de conclusão o projecto irá procurar identificar três tipos de sugestões/intervenções: - acções de curto prazo: por exemplo limpeza de todos cartazes das paredes dos edifícios devolutos ('a avenida não é um painel publicitário'); lavar o rosto da avenida -> proposta de pintura dos edifícios abandonados ou devolutos; - acções de médio prazo: identificar alguns edifícios âncora (por exemplo: Banco de Portugal, ‘beco cultural’ da Escola Riff, a Casa Paris, a Garagem Atlantic) para onde se deveriam identificar programas funcionais (com base em pesquisa de projectos similares); - longo prazo: trabalho com proprietários/autarquia, para potenciar desenvolvimento de algumas ideias que este projecto poderá vir a gerar.